31 dezembro, 2019

Contagem Regressiva

O trágico 1° de janeiro chegando, eu me lembrei dessa:

– Tenho más notícias. O senhor está morrendo e não tem muito tempo.
– Oh, que horrível! E quanto tempo ainda tenho?
– 10.
– Sim, mas 10 o quê? Anos, meses, dias?
– Não, 10, 9, 8, 7...

Saiba quem é O Pai da Contagem Regressiva


Toda virada tem trocadilho com o nome da Marjorie. Estiano não será diferente.

Não há o ano zero!

Vou tentar explicar, espero que claramente, por que o 31.º dia de dezembro de 2019 não marca o fim da segunda década do atual século.
O cerne da questão está no fato de possuirmos dois conjuntos básicos de números para a contagem: os cardinais e os ordinais.
Os cardinais não têm nada a ver com a Santa Igreja Católica Apostólica Romana, nem com uma família de pássaros ou com um time de beisebol de St. Louis. Mas são os números que usamos para dizer quantos itens existem em um grupo, uma coleção, uma pilha - ou aquilo que o matemático prefere chamar de conjunto.
Na vida cotidiana, usamos os números cardinais o tempo todo. Eu comprei 6 ovos hoje. Há 28 crianças na classe de Johnny. Meu carro tem 4 rodas, e assim por diante. Os números cardinais também contêm o número zero (0), o que indica que um grupo ou um conjunto específico não contém itens. Atualmente, existem zero reis da França.
Podemos realizar todas as operações aritméticas, geralmente simples - adição, subtração, multiplicação e divisão - com os números cardinais, incluindo-se o zero, com a exceção de que não podemos dividir por zero; matemáticos dizem que divisão por zero não está definida.
Os números ordinais têm uma função diferente, pois significam a posição dos itens em uma lista, linha, série etc. Também usamos nomes diferentes para os números ordinais e os números cardinais; portanto, em vez de um, dois, três, quatro ..., dizemos: primeiro, segundo, terceiro, quarto ... etc. Um exemplo seria: Johnny foi a quinta pessoa em sua classe a contrair a gripe neste inverno.
Agora, nos números ordinais não há zero, seria uma contradição em termos, pois não pode existir.
Ocasionalmente, quando existe uma lista ordenada de princípios ou leis, as pessoas falam sobre a zerésima lei LINK (zeroeth law), significando uma lei que não foi originalmente incluída, mas que elas acham que deveria preceder as existentes.
Qualquer que seja o sistema de contagem dos anos, gregoriano, judeu, muçulmano, persa, chinês, hindu ou outro mais que exista, nunca poderá ter um ano zero, como foi afirmado anteriormente. Portanto, a primeira década, que é um grupo de dez anos de um sistema de calendário, consiste nos anos de um a dez ou no primeiro ano ao décimo ano; na segunda década, nos anos onze a vinte ou no décimo primeiro ano ao vigésimo ano, e assim por diante. O primeiro século, que é um grupo de cem anos, consiste nos anos de um a cem ou do primeiro ao centésimo ano. O primeiro milênio, ou seja, mil anos, consiste nos anos de um a mil ou do primeiro ao milésimo ano.
Voltando ao nosso ponto de partida, a primeira década do século 21 começou em 1.º de janeiro de 2001 e terminou no 31.º de dezembro de 2010. A segunda década começou em 1.º de janeiro de 2011 e terminará no dia 31 de dezembro de 2020, e não em 31 de dezembro 2019 como algumas pessoas "anuméricas" querem fazer crer.

Extraído de: There is no year zero!, in: The Renassaince Mathematicus. 

30 dezembro, 2019

Pingo de chuva canibal

O colibri prismático

Os colibris batem suas asas tão rapidamente que estas a olho nu parecem com um borrão. Nós só conseguimos vê-las em pleno voo com o uso das câmeras de alta velocidade.
O fotógrafo australiano Christian Spencer flagrou no Brasil este beija-flor jacobin, preto-e-branco, voando em frente ao sol nascente na Floresta Atlântica. A luz do sol, filtrada através das penas do pássaro, se decompõe nas cores do espectro.


Esta foto não contém manipulação digital.

Água com açúcar

29 dezembro, 2019

A viagem através da Terra

Em 1966, o matemático Paul Cooper teorizou que a maneira mais rápida e eficiente de viajar através da Terra seria construir um tubo oco conectando regiões antípodas e do qual houvesse sido removido o ar. A primeira metade da jornada consistiria em uma aceleração de queda livre, enquanto a segunda metade em uma desaceleração exatamente igual. O tempo para essa jornada seria 42 minutos. A mesma ideia foi proposta, sem cálculo, por Lewis Carroll em 1893. Agora sabemos que isso não é verdade, pois levaria apenas 38 minutos.
Quanto tempo alguém levaria para, ao cair em um buraco na Terra, chegar ao outro lado do planeta? 
Ainda menos tempo do que se pensava anteriormente, revela Alexander Klotz, da Universidade McGill, em Montreal.
Um cenário frequentemente apresentado às aulas de física introdutória é o de um "túnel de gravidade" - um tubo perfurado de um lado da Terra para o outro, através do centro do planeta. A resposta ensinada, por quase meio século, de por quanto tempo uma queda por tal buraco levaria foi de 42 minutos e 12 segundos.
A solução para este problema depende da força da atração gravitacional da Terra que, por sua vez, é baseada em sua massa. Quando alguém atravessa o planeta, há menos massa abaixo de quem está fazendo a descida ao longo do tempo, então a força da gravidade experimentada diminuiria à medida que se aproximasse do centro da Terra.
Ainda assim, supondo que não houvesse resistência do ar, o momento da queda poderia se estender por todo o percurso até a superfície do outro lado. Qualquer um que sofresse a queda teria que se afastar do buraco de saída imediatamente, ou então ele poderia cair de novo, e ficar indo e voltando dentro do túnel de gravidade como se fosse um pêndulo.
Usando um modelo mais realista da Terra, Klotz calculou que a queda levaria apenas 38 minutos e 11 segundos, cerca de 4 minutos mais rápido do que se pensava.
Ele baseou seus cálculos na estrutura interna do planeta, determinada a partir de dados sísmicos. Enquanto a crosta terrestre tem uma densidade menor que 3 gramas por centímetro cúbico, o centro da Terra tem uma densidade de cerca de 13 gramas por centímetro cúbico.
O físico assumiu que não havia resistência do ar (atrito) no túnel gravitacional. "Na minha opinião, se você tem a tecnologia para cavar esse túnel, você tem a tecnologia para sugar o ar", disse Klotz.
Mas não espere que alguém teste esses cálculos com um túnel real pela Terra tão cedo."Os soviéticos tentaram cavar um buraco tão profundo quanto podiam de 1970 a 1989 e só alcançaram 12 quilômetros de profundidade, cerca de 0,1% do percurso através da Terra", disse o físico.
Klotz detalhou suas descobertas na edição de março de 2015 do American Journal of Physics.

How Long Would It Take to Fall Through the Earth?, LIVSCIENCE

O corte de cabelo de Lord Farquaad

Aqui está uma revelação interessante: muitas celebridades (e subcelebridades) do Instagram estão usando o corte de cabelo de Lord Farquaad, o corte curto com as pontas dos cabelos notavelmente viradas para dentro.


Como todos sabem, Farquaad é o vilão de "Shrek". Enquanto governa Duloc, ele planeja se tornar rei casando-se com a princesa Fiona. De baixa estatura, ele compensa sua deficiência antropométrica com a utilização de alguns artifícios (vídeo).



Contudo, tem um penteado de assinatura que levanta uma questão importante: é Lorde Farquaad um influenciador de beleza?
Definitivamente.

28 dezembro, 2019

A moeda em forma de capacete

Para comemorar o Centenário do Armistício da 1.ª Guerra, a Royal Canadian Mint emitiu uma forma incomum de moeda para honrar cada soldado caído nos campos de batalha.


Cunhada na forma de um capacete WWI Brodie, apresenta a superfície mais profundamente curva do que qualquer outra moeda côncava ou convexa que já se fabricou antes.
O projeto é tão único que a Casa da Moeda manteve sua técnica de cunhagem como um bem guardado segredo.

www.changechecker.org

Vida de solteiro

Dia 2014


Como deixar uma EX com ciúmes

27 dezembro, 2019

Como este homem gostaria de ser conhecido

PERFIL

Jonathan Marks é professor do Departamento de Antropologia da Universidade da Carolina do Norte, em Charlotte, onde leciona desde o início do presente milênio, depois de breves períodos em Yale e Berkeley.

Embora ele tenha escrito livros intitulados "O que significa ser 98% chimpanzé" e "Por que não sou cientista", ele gostaria de ser conhecido como sendo "98% cientista e não um chimpanzé".

http://pages.uncc.edu/jonathan-marks/

Gírias do Pasquim

para o jornalista JB Serra e Gurgel
autor de DICIONÁRIO DE GÍRIA
Famoso por seus textos debochados, irônicos e irreverentes, o Pasquim inventou modismos como "pô", "paca", "sifu", "duca", "putsgrila", "quiuspa", "podiscrer" e "cacilda". Levou as gírias ipanemenses para as páginas do tabloide e tirou o "paletó e a gravata do jornalismo", deixando os textos mais próximos da linguagem coloquial.
[https://blogdopg.blogspot.com/2017/11/falou-e-disse.html]

Anta, pessoa lerda, pesada. Neste período: Eu sou uma anta.Tenho DOIS pares de tênis. Dizem os "pasquinófilos" que a frase era uma alusão aos basbaques da época. Quando possuir UM par de tênis era coisa de rico, e eles estufavam o peito para proclamar:– EU tenho DOIS pares de tênis!
[https://blogdopg.blogspot.com/2019/01/a-anta-de-tenis-e-o-cidadao-de-bem.html]
Barato, momento, coisa ou pessoa capaz de inspirar prazer ou simpatia.
Bicha, pederasta.
Bicho, amigo, cara, um interlocutor do sexo masculino.
Bicho grilo, pessoa de aparência extravagante.
Bilouca, contração de "bicha louca".
Cacilda, variante de "caceta". Indica espanto.
Coisa de veado, moda ou comportamento de homossexual.
[https://blogdopg.blogspot.com/2009/05/coisa-de-veado.html]
Duca, contração de "do caralho", muito bom.
Falou e disse, concordo.
Hebdô, abreviatura de hebdomadário, uma publicação semanal.
Jáco, já comi.
Mocotó. Nesta frase: Eu quero mocotó!
[https://blogdopg.blogspot.com/2019/04/eu-quero-mocoto.html]
O Pasca, O Pasquim. Nem mesmo o jornal escapou de sua terminologia.
O virundum. Inspirado no primeiro verso (O VIRUNDUM Ipiranga) do Hino Nacional, cuja letra é hors-concours em matéria de "virunduns" (do que terra MARGARIDA, verás que um FILISTEU não foge à luta etc). Dizem que foi criado pelo jornalista Paulo Francis.
[https://blogdopg.blogspot.com/2008/09/o-virundum.html]
Paca, contração de "pra caralho", muito, demais.
Patota, turma.
Pô, abreviação de "porra".
Podiscrer, pode acreditar, usado para introduzir qualquer afirmação.
Putzgrila (ou putsgrila) é uma abreviação de "puta que pariu, isso grila". Muito usado pela juventude, nas décadas de 1960 e 70, para expressar susto ou admiração quando um assunto complexo era comentado numa roda.
[https://blogdopg.blogspot.com/2018/01/do-prefacio-ao-posfacio.html]
Qiuspa, abreviação de "puta que os pariu".
Sarro, gozação, "casquinha". Nesta expressão: Tirar um sarro.
Sifu, contração de "se fodeu", se deu mal. Havia as variações "mifu", "tifu" e "nosfu".
Vôco, vou comer.
Um órgão disseminador do humor e do estilo de vida cariocas, essencialmente provindos da elite intelectual do bairro de Ipanema, O Pasquim modificou a linguagem jornalística. Nele escrevia-se como se falava.

Artigos recomendados:
A breve história e a caracterização d'O Pasquim, por Bruno Brasil
O pingente que deu certo, por Sergio Augusto

26 dezembro, 2019

Chocolate Yanomami

O chocolate é um alimento feito com base na amêndoa do cacau. Sua origem remonta às civilizações pré-colombianas da América Central. A partir dos Descobrimentos, foi levado para a Europa onde se popularizou, especialmente a partir dos séculos XVII e XVIII. Contudo, devido às necessidades climáticas para o cultivo do cacau, não foi possível o seu plantio no continente europeu e, por isso, as colónias americanas de clima tropical úmido continuaram a fornecer a matéria-prima.
O chocolate, tal como é consumido hoje, é resultado de sucessivos aprimoramentos realizados desde o início da colonização da América. O produto era consumido pelos nativos na forma de uma bebida quente e amarga. Os europeus passaram a adoçar e a misturar especiarias para adequá-lo a seu gosto. Com o desenvolvimento dos processos industriais e técnicas culinárias, surgiu o chocolate com leite e depois na forma de um sólido. Além de ser consumido puro, é também ingrediente de um grande número de alimentos como bolos (tortas, biscoitos etc.), mousses, sorvetes e outros doces.
Agora, os Yanomami da comunidade Waikás passaram a produzir o Chocolate Yanomami. É um chocolate "com presença na boca", conforme a opinião de um especialista. E sua composição (fórmula do chocolatier César de Mendes) leva 69% de cacau, 2% de manteiga de cacau e 29% de rapadura orgânica.

O relógio floral de Lineu

Assim como os humanos têm um relógio interno que lhes diz quando ir dormir e acordar, as plantas também têm seu próprio sistema. Carlos Lineu (nome latinizado: Carolus Linnaeus) foi capaz de observar e estudar este fenômeno quando viu que certas espécies de plantas abrem e fecham suas flores em certos momentos do dia. Isso o levou a desenvolver o relógio floral.
Dez anos depois de assumir a responsabilidade pelo Jardim Botânico da Universidade de Uppsala, na Suécia, Lineu publicou sua Philosophia botanica, onde compilou uma lista de quarenta e seis plantas que se abrem durante determinados momentos do dia. Ao organizar essas plantas na sequência em que elas floresciam durante o dia, ele construiu uma espécie de relógio floral,o Horologium florae como ele também chamava.

Lineu, por ter sido o criador da nomenclatura binomial para designar as espécies, é considerado o pai da taxonomia moderna. Ele também participou do desenvolvimento da escala centígrada de temperatura, invertendo a escala que Celsius havia proposto, ao passar o valor de 0° para o ponto de fusão da água e 100° para o ponto de ebulição. Ele também deu origem à prática de se usar os glifos de ♂ - (lança e escudo) Marte e ♀ - (espelho de mão) Vênus como símbolos de macho e fêmea.

25 dezembro, 2019

Acenando para uma vida nova

Acenei para um homem porque achei que ele acenava para mim.
Aparentemente, ele acenava para outra mulher. Então, para sair daquela situação por demais embaraçosa, mantive minha mão levantada e um táxi parou e me levou ao aeroporto.
Estou agora na Polônia, começando uma vida nova.

@MustardSally1

— Podia ter disfarçado coçando a cabeça. Mas este truque só funciona quando é feito em tempo hábil.

Os onipresentes algoritmos

Nós não paramos de ouvir falar sobre eles, mas os antigos textos religiosos indianos mostram esquemas geométricos com características que podem ser consideradas típicas de uma "cultura algorítmica" rudimentar.

elpais/tendencias (vídeo)

Imagine o trabalho de um recepcionista de cinema, ele deve conferir os bilhetes e direcionar o cliente para a sala correta. Além disso, se o cliente estiver 30 minutos adiantado o recepcionista deve informar que a sala do filme ainda não está aberta. E quando o cliente estiver 30 minutos atrasado o recepcionista deve informar que a entrada não é mais permitida. É importante notar que o algoritmo tem um fluxo que pode seguir diferentes caminhos dependendo da situação em que se encontra. Outro aspecto interessante é que o algoritmo é finito, uma hora ele tem que acabar! (Gustavo Furtado, mestre em computação aplicada pelo INPE)

Algoritmo Recepcionista de Cinema
Inicio
1 - Solicitar ao cliente o bilhete do filme.
2 - Conferir a data e o horário do filme no bilhete.
Se data/hora atual maior que data/hora do filme + 30 minutos Então
3 - Informar ao cliente que o tempo limite para entrada foi excedido.
4 - Não permitir a entrada.
Senão Se data/hora atual menor que data/hora do filme - 30 minutos Então
5 - Informar ao cliente que a sala do filme ainda não foi liberada para entrada.
6 - Não permitir a entrada.
Senão
7 - Permitir a entrada.
8 - Indicar ao cliente onde fica a sala do filme.
Fim - Se
Fim

24 dezembro, 2019

A bicicleta mais estranha do mundo

Carregando quatro pessoas e uma máquina de costura, esta deve ter sido a bicicleta mais estranha do mundo (vídeo). Foi apresentada ao público em Chicago, Illinois, no longínquo ano de 1939.
O veículo de dois andares, conhecido como "Goofybike", foi uma criação de Charles Steinlauf.
Carregava ao mesmo tempo toda a família Steinlauf: o inventor, que cavalgava no alto e guiava a engenhoca por meio de um volante de automóvel; a sra. Steinlauf, que ia sentada abaixo, operando uma máquina de costura, enquanto o filho pedalava atrás e a filha montava no guidão à frente.
Quando o veículo estava em repouso, as pernas salientes da máquina de costura impediam que a alta bicicleta tombasse.



Popular Science, outubro de 1939

Foto de família

Dica de Natal
Coloque seu namorado numa das extremidades da foto para o caso de precisar removê-lo depois.

(http://bitsandpieces.us/2019/03/family-photo-tip/)

23 dezembro, 2019

Disfarce🦃

Como o fogo queima na gravidade zero

No espaço, é claro, você não pode ter nenhuma queima porque não há nenhum oxidante (isto é, oxigênio) para sustentar o processo de combustão. Dentro de uma espaçonave ou na Estação Espacial Internacional, no entanto, as coisas são diferentes: você tem a mesma mistura de ar que na Terra, mas, como a gravidade é milhões de vezes menor, a chama se comporta de maneira diferente.
Acendendo uma vela no espaço
Primeiro, vamos ver como a combustão funciona aqui na Terra. Imagine uma grande fogueira, brilhando na encosta de uma montanha, com você e seus melhores amigos assando alguns marshmallows. Por um momento, você pondera sobre o fogo em si. Como tudo isso funciona? Conforme as moléculas de oxigênio (O2) e de gás carbônico (CO2) giram em torno de sua cabeça, você começa a entender a situação. Quando o combustível (madeira) queima, ele aquece o ar ao redor, tornando-o menos denso. E, como a gravidade puxa para baixo qualquer coisa com uma densidade mais alta, o ar quente vai para cima deixando a proximidade do fogo, o que, aliás, é muito conveniente. Com o ar quente distanciado, o ar fresco é então atraído para a chama, proporcionando uma nova fonte de ar rico em oxigênio.
Isso é o que faz a chama tremular. Assim, o ciclo continua até que todo o combustível seja usado. Na microgravidade, no entanto, as coisas são diferentes. Não há uma corrente ascendente e o oxigênio é atraído para a chama por um mecanismo completamente diferente.
O primeiro experimento desse tipo foi realizado em 1997, a bordo do ônibus Columbia.

À esquerda: uma chama de vela em gravidade normal; 
à direita: uma chama de vela em microgravidade. Imagem: Science

A primeira coisa que os cientistas notaram foi a forma da chama. Enquanto na Terra a chama é alongada, na microgravidade ela é esférica - como uma bola de fogo. Isso porque a chama esférica é alimentada por um processo mais lento de difusão, de modo que a chama ocorre na fronteira entre o combustível e o ar. Efetivamente, toda a superfície da chama é o "fundo", reagindo com ar fresco próximo o suficiente da fonte de combustível para queimar. Como os gases de escape, como o CO2, não podem deixar a área de combustão, a difusão para fora dos gases de combustão pode limitar a difusão interna do oxigênio, a ponto de a chama na gravidade zero poder morrer pouco tempo depois da ignição.

Siga lendo: How fire burns in zero gravity, ZME SCIENCE

Arquivo: Por que a chama não produz sombra?

22 dezembro, 2019

Diversificação

O produto mais vendido da Volkswagen não é um carro - são salsichas. O item 199 398 500 A no catálogo de peças da Volkswagen é a salsicha currywurst.
Nas décadas de 1940 e 1950, a empresa possuía uma fazenda de porcos para ajudar a alimentar os empregados da fábrica e hoje uma equipe de açougueiros da fábrica de Wolfsburg da VW ainda produz 6,5 milhões de salsichas de 10 polegadas todos os anos usando uma receita secreta.
A VW as vende em 11 países, mas os EUA não são um deles, devido a regulamentações sobre a importação de produtos processados ​​de suínos. Há esperança, no entanto: a VW disse que pode começar a produzir as salsichas nos Estados Unidos.
"Temos tido sucesso em oferecer aos americanos nossos veículos de engenharia alemã", disse Clint Waddell, da empresa, ao Wall Street Journal . "Esperamos que os americanos também desfrutem de uma currywurst alemã."
Currywurst é um dos pratos do conceito fast food mais consumidos na culinária alemã. É basicamente uma salsicha com molho à base de extrato de tomate, molho curry, entre outros condimentos. Geralmente é servida em um pratinho de papel, com garfinho de madeira, pãozinho ou batata frita para acompanhar.

(post não patrocinado)
Ver também: #ByeByeBeetle

Samba de verão (2)

Hoje é início de verão no Hemisfério Sul.
No vídeo: Marcos Valle e a Orquestra Sinfônica de Moscou, em "Samba de Verão".



Esta canção foi composta pelos irmãos Marcos e Paulo Sérgio Valle.
Outros grandes sucessos da dupla são: "Preciso aprender a ser só" (provável inspiração para Gilberto Gil compor "Preciso aprender a só ser"), "Deus brasileiro", "Viola enluarada" e "Mustang cor de sangue".

AQUI, "Samba do verão"e sua versão inglesa, "So nice", pela cantora Sitti Navarro. Admiradora de Astrud Gilberto, a filipina Sitti foi uma grande divulgadora das canções da Bossa Nova em seu país.

21 dezembro, 2019

Degustando a pitaia

O @taviao mandou ver numa daquelas coisas que ele nunca tinha provado – ou evitava provar. E ficou chocado com o fato de uma fruta tão bonita ser tão ruim. Muita gente se identificou. Mas tem um pessoal achando que ele cometeu um sacrilégio nessa avaliação.
— Se bem que a culpa é minha: achar que teria gosto de sorvete de flocos. Pitaia é a prova viva de que a expectativa é a mãe da decepção.

Questão de gosto todos discutem
Pensam que é sorvete de flocos, mas tem gosto de sapato.
Como alguém não ama essa maravilha?
O sorvete tem gosto de água de geladeira velha.
Prova a pitaia rosa (por dentro).
É um kiwi aguado.
Se é parecido com kiwi, então pode ser gostosa.
Deus está rindo de nós. A fruta é rosa fluorescente, tem cara de sorvete e gosto de arrependimento.
Sem falar no preço.
Sabe uma pessoa que é linda de se ver e só? Ela é uma pitaia.
Não quis dizer um pitéu?
Isso custava 10 reais na feira. Preferi o pastel com caldo de cana e ainda me sobraram 2 reais.
Encontrei na promoção. Sinceramente não valeu a pena. O poder do marketing.
Não li nenhuma opinião que atendesseaos dois princípios básicos: isenção do degustador e patrocínio do produtor. [pgcs]

O duro odor do durião

Lampadinha

Little Helper, em inglês.
É um pequeno robô humanoide (com cerca de 20 cm de altura) que possui uma lâmpada no lugar da cabeça, finos braços e pernas metálicos, luvas brancas nas mãos e sapatos marrons.
A cabeça do robôzinho é uma lâmpada velha e usada do Pato Donald (Donald Duck). Na história em que aparece pela primeira vez, acidentalmente Professor Pardal (Gyro Gearloose) transmite parte de sua inteligência para a luminária de mesa do Pato Donald. E, para que ela pudesse ter movimentos, o cientista acrescenta pequenos braços e pernas de metal à lâmpada.
Lampadinha é o habilidoso assistente do Professor Pardal. Nas revistinhas do Pato Donald, ele é freqüentemente mostrado copiando as invenções do cientista. Por vezes, ele é um inventor melhor que o Professor e o salva de confusões.
Nos quadrinhos italianos, seu nome é Edi, em referência a Thomas Edison .

https://disney.fandom.com/wiki/Little_Helper

20 dezembro, 2019

A mulher e seu cão

Um homem foi ao cinema e surpreendeu-se com uma mulher e seu grande collie que estavam sentados nas poltronas da frente. E ficou ainda mais surpreso ao ver que o cão ria muito nos momentos divertidos do filme.


"Desculpe-me", disse ele. "Mas eu acho incrível como seu cão está curtindo este filme".
"Eu também acho", respondeu a mulher. "Ele detestou o livro."

http://bitsandpieces.us/2019/07/a-woman-and-her-dog

A arte revolucionária de Emory Douglas

Emory Douglas: o designer por trás dos cartazes revolucionários das Panteras Negras
Douglas foi diretor de arte do Partido das Panteras Negras nos anos 60/70.
Nessa época, os EUA não era um bom lugar para ser negro. Tudo que ele viu e viveu contribuiu pra que sua arte fosse fundamental para o fortalecimento da comunidade negra.
Os recursos do partido eram escassos e não havia apoio midiático para a propagação da mensagem. Todo esse peso estava nas mãos de Emory que ficou responsável por produzir todo o material gráfico que sentenciaria a frase: "all power to the people" (todo poder ao povo).
O trabalho dele era minimamente pensado, desde a mensagem política às técnicas visuais. A produções sofriam pela limitação de recursos gráficos mas ainda sim, e através disso, ele consolidou a identidade marcante do partido usando apenas referências de xilogravura e poucas cores.
• Uma mãe negra com uma criança no colo enquanto segura uma arma:
Como Douglas disse: "as pessoas se viam na obra de arte. Elas se tornavam os heróis. Elas podiam ver seus pais ou irmãos e irmãs na arte".
Sua arte empoderava.
Emory Douglas já chegou a ser listado pelo FBI como um dos nomes de maior ameaça dos EUA por sua contribuição às Panteras Negras – acho que a polícia americana não curtia muito a ideia de ser retratada como porcos...
Todo seu trabalho até hoje é ignorado pelas grandes galerias e instituições artísticas, mas é inegável a relevância e riqueza que há nele. Esse cara arriscou sua vida e nos deixou um legado enquanto designer, enquanto ativista.
Emory Douglas é uma inspiração pra mim.

Extraído de uma thread do designer @wagnercomdablio no Twitter


O Partido das Panteras Negras (em inglês, Black Panther Party ou BPP) foi uma organização urbana socialista revolucionária fundada por Bobby Seale e Huey Newton em 15 de outubro de 1966. O partido atuou nos Estados Unidos, de 1966 a 1982, com filiais internacionais que operaram no Reino Unido, no início da década de 1970, e na Argélia, de 1969 a 1972. No início, a prática principal do Partido das Panteras Negras foi a patrulha de cidadãos armados para monitorar o comportamento dos membros do Departamento de Polícia de Oakland, na Califórnia, e desafiar a brutalidade policial local. Em 1969, os programas sociais da comunidade se tornaram uma atividade central dos membros do partido. A adesão ao Partido das Panteras Negras alcançou o pico em 1970, com escritórios em 68 cidades e milhares de membros. Combatido pelo FBI (cujo diretor, J. Edgar Hoover, considerava as Panteras Negras como "a maior ameaça à segurança interna do país"), vilipendiado pela grande imprensa e enfraquecido por lutas internas, a influência do Partido sobre a comunidade negra estadunidense declinou nos anos seguintes. Em 1980, o Partido das Panteras Negras tinha apenas 27 membros.

19 dezembro, 2019

Um carro com uma seta dentro

ESPOSA (ao telefone)
O painel tem o símbolo de um carro com uma seta dentro. Está aceso desde a colisão.
MARIDO
Aperte o botão para desfazer.


Alguém sentado no aparelho sanitário

Boa fé

Aula elementar:
"Todo mundo acredita na distribuição normal, os pesquisadores, porque imaginam que é um teorema matemático, e os matemáticos, porque acham que é um fato experimental."
— Gabriel Lippmann


À medida que o número de eventos discretos aumenta, a função começa a se assemelhar a uma distribuição normal. Wiki

Aula intermediária: Curvas de distribuição normal e paranormal

Aula avançada: Curvas de distribuição em plushies

18 dezembro, 2019

Cabo de remo

Alguém faça uma petição para o CABO DE REMO estar nos próximos Jogos Olímpicos.



Tira-dúvidas
1
Tug of war = cabo de guerra
Tug of oar = cabo de remo
2
"Por que diabos os caras da esquerda comemoram quando perdem?!"
"É que eles ganharam."
(Os dois grupos disputam impulsionando o barco para frente.)

Você e eu (2)

Você pode comprar uma casa mas não um lar. Pode comprar uma cama mas não o sono. Pode comprar um relógio mas não o tempo. Pode comprar um livro mas não o conhecimento. Pode comprar uma posição mas não o respeito. Pode comprar o remédio mas não a saúde. Pode comprar o sangue mas não a vida.
Você vê, o dinheiro não é tudo. E muitas vezes causa dor e sofrimento. Eu lhe digo tudo isso porque eu sou seu amigo, e como seu amigo eu quero livrá-lo da dor e do sofrimento.
Então me envie todo o seu dinheiro, e eu vou sofrer por você. Um amigo assim verdadeiro como eu, você nunca encontrará.

Você e eu (1)

🙅 🙅🙅

O nigeriano dos e-mails
Foi encontrado morto com 27 bilhões de dólares em seu apartamento. Ele havia tentado distribuir sua fortuna ao longo de quinze anos. Mas ninguém respondia seus e-mails.
Agora, o que continua sendo um mistério:
Que fim levou o nigeriano que criava uma hiena?

17 dezembro, 2019

Complexo de feioridade

Diário do Bolso, 15 de dezembro de 2019
por José Roberto Torero, 15/12/2019
Diário, estão me provocando, pô!
O mundo inteiro está contra mim.
Eu xinguei a tal de Greta de Pirralha. O que aconteceu? A menina foi escolhida como "Personalidade do ano" pela revista Time.
Pra começar, se a revista se chama "Time" tinha que falar só sobre futebol, não tinha nada que se meter em política. E, pô, a pirralha não tem nem 18 anos. É menor de idade. Não podia concorrer.
Se a revista queria escolher uma criança, podia ter escolhido um dos meus meninos. Duvido que a Greta faça hambúrguer melhor que o Dudu, que chore melhor que o Flavinho ou que faça tuíter melhor que o Carluxo. Du-vi-do! Talkei?
Mas a coisa não parou por aí. Aquele comunocientista do Inpe, o Ricardo Galvão, foi considerado um dos "Dez cientistas do ano" pela Nature.
Pô, o cara me afronta, diz que tem queimada na Amazônia e ainda ganha prêmio? Assim não dá! Só de raiva, nunca mais compro um produto da Nature para a Michelle. Nunca mais!
E até os inimigos dos meus amigos ganham prêmio. O Rogério Alvim (é Rogério ou Ricardo?) xingou a Fernanda Montenegro e ela ganhou um Emmy. O Olavo de Carvalho xingou a jornalista Lucia Helena Issa e ela ganhou dois prêmios internacionais. Caramba, assim não dá! Todo mundo que a gente xinga ganha prêmio?
Olha, Diário, ainda bem que aqui na presidência eu tenho bastante medalha pra distribuir pros meus amigos. Senão o pessoal ia ficar com complexo de feioridade.

Grato a você, Jaime Nogueira, pela remessa do texto. Com relação aos desafetos, o mítico personagem nele descrito assumiu o papel de Midas. Chico Buarque, que já garantiu um Camões, deve continuar bamburrando. PGCS

Por que as baratas mortas sempre estão de barriga para cima?

Em ambientes domésticos, na maior parte das vezes, a morte das baratas se dá por envenenamento. Mais comumente por inseticidas à base de substâncias inibidoras da colinesterase. Em circunstâncias normais, esta enzima é responsável por quebrar um neurotransmissor natural chamado acetilcolina. Sem nada para eliminá-lo do corpo, a acetilcolina se acumula no sistema nervoso com efeitos neurotóxicos. No caso das baratas, causa espasmos musculares violentos no abdômen e nas pernas, que normalmente as deixam de barriga para cima. Uma vez nesta posição, o solo liso e a falta de coordenação motora causada pelo veneno fazem com que o animal se mantenha nessa postura até a sua morte.

Imagem: nytimes.com

A barata é monótona. Estamos falando do lado que ela reserva para o velório.

16 dezembro, 2019

A bunda da estrela-do-mar

A usuário do Twitter @Babyshoujo fotografou esta estrela-do-mar no Aquarium of The Pacific, em Long Beach, Califórnia.


A foto provocou inúmeros memes e piadas. Muitos comparando a estrela-do-mar com Patrick, o melhor amigo do Bob Esponja na icônica série animada da TV.
Então, essa é realmente a bunda de uma estrela-do-mar? Acontece que não é. Uma bundóloga da vida marinha disse que se tratava apenas de dois braços do equinodermo.
Nesta foto, a estrela-do-mar usa-os para segurar-se numa rocha enquanto os outros braços estão numa posição relaxada.

Filogênese
Todas as espécies estão relacionadas e quase todos os animais são bilaterais, por isso é normal terem um número par de pernas. Então, como sempre, existem as exceções abençoadas, como as estrelas-do-mar (asteróides) que têm simetria pentarradial, para adicionar um pouco de variedade ao assunto.

Incidente em Brighton

Miscelânea

A cidade de Santa Cruz de Tenerife, nas Ilhas Canárias, tem um jardim botânico muito bonito. É especializado em palmeiras e chama-se Palmetum.
Ali, as plantas estão normalmente divididas em áreas: Europa, África, América Central, América do Sul, Caribe, Miscelânea...
Chegando à área onde havia palmeiras de diversos locais, intitulada Miscelânea, uma senhora muito educada perguntou para o guia de turismo:
— Por favor, onde fica a Miscelânea?
Silêncio mortal caiu em cima da cidade inteira. Silêncio, silêncio, silêncio...
— ????????
Silêncio.
— ????????
O guia disfarçou e seguiu apresentando as outras belas palmeiras do lugar.
Fernando Gurgel Filho

O Palmetum de Santa Cruz de Tenerife é um jardim botânico de 12 hectares, especializado na família das palmeiras. Constitui um projeto único no mundo, que transformou um depósito de lixo em um espaço de lazer e cultura botânica, dotado de uma vegetação espetacular, resultado de colaborações com inúmeras instituições ao redor do mundo. Nos jardins do Palmetum, Tenerife cresce a melhor coleção de palmeiras da Europa e é considerada a maior coleção botânica de palmeiras das ilhas tropicais do mundo. Site oficial do Palmetum Tenerife

Fernando,
Visitei em Paramaribo, Suriname, um jardim paisagístico de palmeiras. À base de palmeiras reais, não tem o tamanho nem a diversificação do jardim botânico de Tenerife. É chamado de Palmentuin, mas lá eles falam holandês.

15 dezembro, 2019

O pássaro congelado


Um pássaro voava para o sul onde ia passar o inverno.
Estava tão frio que ele congelou e caiu no chão em uma grande campina. Enquanto ele estava desfalecido, veio uma vaca e despejou merda sobre ele. Com o calor que vinha dos dejetos da vaca, ele começou a reanimar-se. O esterco estava, de fato, descongelando-o!
Ele ficou todo quente e feliz, e logo começou a cantar de alegria.
Um gato que passava ouviu o pássaro cantar e veio investigar. E, descobrindo o pássaro cantor sob a pilha de esterco,  imediatamente o desenterrou e comeu.
Moral múltipla da história:
1. Nem todo mundo que joga merda em você é seu inimigo.
2. Nem todo mundo que tira você da merda é seu amigo.
3. E quando você está no fundo da merda, é melhor ficar de bico fechado.

Joke #4781. Tradução: PGCS

Drones em formação na China

Em Nanchang, China, é celebrada anualmente uma convenção do setor aeronáutico. No show de despedida da última convenção, 800 drones voaram em formação para criar a ilusão de objetos gigantes. Incluindo a geração de imagens de aviões e helicópteros no céu.



Apesar de centenas de drones, eles não bateram o recorde de 1.374 drones em formação (em Xi'an, China).

14 dezembro, 2019

Por fora, bela viola

A torre inclinada de Pisa é vazia por dentro.


É uma torre sineira. Não precisa realmente de nada dentro, o que se houvesse tenderia a amortecer o som dos sinos.
Afinados em escala musical, os sinos desta torre são 7.

O gato no campanário

As Certinhas do Lalau (2)

Correspondência
Olá, amigo.
Sou também das antigas, carioca mas filho de cearenses, meu pai de Maranguape - Chico Anísio era parente nosso - e minha mãe de Fortaleza, fanzoca desse tema CERTINHAS, e também das vedetes.
Você falou em LISTA. Onde está essa Lista ? Tenho aqui em meus arquivos, uma Lista baixada não sei de onde, com uma Lista, cujos nomes nela constantes não bate com o meu conhecimento.
Queria saber dessa sua e cotejar com o que sei para fazermos uma lista final.
Que tal ?
Pode me responder para meu e-mail
- Sergio Costa

1957: enfim, as Certinhas do Lalau
As edições de 1953 a 1956 foram chamadas por Stanislaw Ponte Preta de a seleção das Dez Mais Bem Despidas do Brasil. Porém, apesar do sucesso da lista, o termo "bem despida" era considerado atrevido e ousado demais para a época. Muitas mães, namorados e afins, das eleitas não se sentiam confortáveis com o título. Era, portanto, preciso substituí-lo.
Segundo o próprio Stanislaw, foi um comentário de seu próprio pai que lhe fez surgir a ideia. O pai de Stanislaw, ao ver passar uma moça pela calçada da praia, teria dito: "Mas, olha só, ela é toda certinha!" O termo "certinha" caiu como uma luva para identificar as eleitas da lista. Surgia, assim, em 1957, a primeira lista das 10 Certinhas do Lalau, que foi veiculada pelo jornal Última Hora, na edição do dia 31/12/1957.
1967, última lista de Certinhas
O ano de 1967 marcaria a edição da 15.ª lista das Certinhas do Lalau. Também seria a última, pois Stanislaw Ponte Preta, o Sérgio Porto, viria a falecer em Outubro de 1968. A publicação da lista sairia na edição do jornal Última Hora de 27/12/1967.
Em 1978
Dez anos depois da morte de Stanislaw Ponte Preta, a Rede Globo fez uma uma homenagem ao criador das Certinhas no programa chamado Brasil 78. Recriou-se, assim, a mesma atmosfera dos dez nomes de mulheres mais desejadas.

Fonte: AS CERTINHAS DO LALAU, do blog de Magalhães Jr., ou simplesmente o Maga.
http://baudomaga.com.br/certinhas/2014/10/06/1978-homenagem-as-certinhas/. Consultada em 30/06/2019

13 dezembro, 2019

O sumo problema do sumô

Sumo wrestling gone wrong (gif)
http://www.bitsandpieces.us/2015/12/15/sumo-problem/ (vídeo)

No Japão,
se um lutador de sumô fizer o seu bebê chorar, é sinal de boa sorte.

Improbable Research
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1090513811000705

Chuculatera(ê)

A palavra não consta do "Vocábulário Ortografico da Língua Portuguesa" (VOLP), nem de importantes dicionários como o Aurélio (2.ª edição), o Houaiss (1.ª edição) e o Mirador (4.ª edição). Tampouco está no "Dicionário de Gíria" (8.ª edição), de J.B. Serra e Gurgel, nem em alguns "webdicionários" que eu andei consultando. Num blog hispânico, encontrei uma postagem cujo título é "La líbélula chuculetera", que traz um termo foneticamente assemelhado a "chuculatera" (sem tradução para o português, conforme o Tradukka).
Analisando-se, porém, duas canções populares em que a palavra "chuculatera" aparece, supõe-se se tratar de um termo regional para designar algum tipo de chaleira. Talvez seja uma corruptela de "chocolateira", vasilha onde se prepara e/ou serve o chocolate (por extensão, o café e o chá). O Aurélio consigna o termo "chocolateira
1. Em "Boi bumbá", de Luiz Gonzaga e Luiz Gonzaga Júnior (Gonzaguinha)
1965, BMG Brasil Ltda.
Ê boi, ê boi
Ê boi do mangangá {bis}
Quem não tem chaculatêra
Não toma café nem chá. {bis}
2. Em "Chuculatêra" (1971), de Antonio Carlos e Jocafi
1971, "O Canto Jovem de Luiz Gonzaga" (primeira faixa do lado A), pela RCA Victor.
Chuculatêra fervendo de café cheinho ou meio
Me dê dois tons de conversa, morena, e baixa a saia do joelho
Que o povo que tá por perto fala muito e acha feio {bis}
Neste LP, Luiz Gonzaga gravou composições de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Tom e Vinicius, Edu Lobo, Vandré, Gonzaguinha e outros. Os  próprios autores de "Chuculatera", Antonio Carlos e Jocafi, somente gravariam esta canção em 1974, no LP "Definitivamente", pela RCA Victor.

13 de dezembro é o Dia Nacional do Forró. Esta data, que referencia a data natalícia do músico Luiz Gonzaga do Nascimento (13/12/2012), foi instituída pela Lei nº 11.176, sancionada pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, com origem no Projeto de Lei nº 4265/2001, de autoria da deputada federal Luiza Erundina.

Vídeos c/ "Treze de dezembro" [1] [2] no blog EM.

12 dezembro, 2019

Ópera dos Pássaros

Lindo, muito lindo - e com os créditos colocados no final!


InDICAção do vídeo: Nelson Cunha

Chico Buarque na literatura, teatro e cinema

LITERATURA - Ainda adolescente, publica suas primeiras crônicas no Verbâmidas, jornal do Colégio Santa Cruz.
Em 1966, publica em O Estado de S.Paulo o conto "Ulisses", incorporado depois no primeiro livro chamado "A banda" que trazia os manuscritos das primeiras canções.
Em 1974, sai a novela pecuária "Fazenda Modelo". Em 1979, é editado "Chapeuzinho amarelo" e, em 1981, "A bordo do Rui Barbosa", poema da década de 60 ilustrado por Vallandro Keating.
A partir do início dos anos 80, Chico tem alternado a produção musical com a literária: "Estorvo" (1991), "Benjamim" (1995), "Budapeste" (2003), "Leite derramado" (2009), "Irmão alemão" (2014) e "Essa gente" (2019).
TEATRO - Em 1965, a pedido de Roberto Freire, diretor do TUCA, Teatro da Universidade Católica de São Paulo, Chico musicou o poema "Morte e Vida Severina", de João Cabral de Melo Neto, para a montagem da peça. Desde então, sua presença no teatro brasileiro tem sido constante. Foram quatro peças ("Roda Viva", "Calabar", "Gota d'água", e "Ópera do Malandro") que Chico Buarque escreveu, além das diversas canções que ele compôs para o teatro.
CINEMA - Em 1966 fez seu primeiro trabalho para cinema compondo as canções para o filme "Anjo assassino", de Dionisio Azevedo.
Em 1980, chegou às telas o documentário "Certas palavras", de Mauricio Beiru, sobre sua vida.
Escreveu os roteiros de "Os saltimbancos trapalhões", de J. B. Tanko (1981) e Ópera do malandro", de Ruy Guerra (1986).
Como ator, participou de "Garota de Ipanema", de Leon Hirzman (1967); "Quando o carnaval chegar", de Cacá Diegues (1972) - para o qual compôs diversas canções além de organizar as peladas nos intervalos da filmagem; "Vai trabalhar vagabundo II – A volta", de Hugo Carvana (1991); "Ed Mort", de Alain Fresnot (1996); "O mandarim", de Júlio Bressane (1995); "Água e sal", de Teresa Villaverde (2001).
Compôs dezenas de canções para filmes ("Bye bye, Brasil", "Dona Flor e seus dois maridos", "O Grande Circo Místico", "A ostra e o vento", "Joana Francesa", "Eles não usam black-tie" e muitos outros) e participou de diversos documentários:
"O povo brasileiro", de Isa Grinspum Ferraz (2000); "Raízes do Brasil", uma cinebiografia de Sérgio Buarque de Holanda, de Nelson Pereira dos Santos (2003); "Vinicius de Moraes", de Miguel Faria Jr. (2005); "Fados", de Carlos Saura (2005); "Maria Bethânia: Música é perfume", de Georges Gachot (2005); "O Sol - Caminhando contra o vento", de Tetê Moraes, Martha Alencar (2006); "Oscar Niemeyer - A vida é um Sopro", de Fabiano Maciel (2007); "Palavra encantada", de Helena Solberg (2009)

www.chicobuarque.com.br, com acréscimos. Ainda há itens não incluídos que estão em: http://www.adorocinema.com/personalidades/personalidade-194465/filmografia/

11 dezembro, 2019

109.º aniversário de Noel Rosa

O doodle de hoje comemora o 109.º aniversário do cantor e compositor brasileiro Noel de Medeiros Rosa (RJ, 11 de dezembro de 1910 — RJ, 4 de maio de 1937).
Conhecido como «Poeta da Vila», seu estilo observacional e cômico lhe valeu um lugar especial na história da música popular brasileira
Nascido no bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro, em 1910, Noel Rosa cresceu em uma família musical. Ele começou a tocar bandolim aos 13 anos e logo aprendeu também violão.
Estudante talentoso, ele ingressou na faculdade de medicina em 1931. No entanto, quando teve que escolher entre medicina e música, a escolha de Rosa ficou clara. Noel Rosa dedicou sua energia à composição musical e criou seu próprio estilo de samba, combinando letras espirituosas com resoluções harmônicas imprevisíveis.
Compondo cerca de 260 músicas em um período de oito anos, Noel Rosa estabeleceu um corpo de trabalho que permanece imorredouro até hoje.


Musicograma
2007 - Último desejo
2008 - Bando de Tangarás
2010 - Com que roupa?
2012 - Números de telefones (inclusive o de seu Osório)
2013 - Malandro medroso
2015 - Os fox-trots de Noel Rosa
2017 - POLÊMICA. Noel Rosa x Wilson Batista
2017 - Ao meu amigo Edgar

Mensagens ocultas em imagens

Paul Ducklin
A esteganografia é um truque fascinante para enviar mensagens secretas - e é intrigantemente diferente da criptografia, embora as duas técnicas sejam frequentemente agrupadas como se fossem as mesmas.
Simplificando, a criptografia embaralha mensagens para que apenas o destinatário pretendido possa lê-las.
De modo geral, os invasores que interceptam mensagens criptografadas sabem que algo foi dito, mas não conseguem descobrir o que era.
Por exemplo, posso prever com segurança que você não conseguirá desvendar o conteúdo original dessa mensagem codificada:
CBTEM YPQNE TUTMQ WLJFJ FKRBG
OFYIA DQTLP GNCBD LDOHN AHMOR
MHUUG EJOWN CSCXA VGTUH SXTLN
BOTXN ATFMU WLHID RXDWC IJMEA
KWQEI PUGMF KPHSL HCHUY TMUJE
Mas esses grupos de cinco letras, lembrando uma mensagem da Segunda Guerra Mundial, quase certamente farão você suspeitar.
Você pode, portanto, assumir que tenho algo importante para esconder, um fato que poderia me levar a água ainda mais quente do que se eu tivesse deixado escapar a mensagem abertamente.
Esteganografia, portanto, visa disfarçar mensagens não só para manter o conteúdo em segredo, mas também para esconder a existência de uma mensagem em primeiro lugar.
O processo pode ser tão simples quanto concordar com antecedência sobre uma interpretação especial de uma palavra ou gesto casual.
De acordo com os rumores, se a rainha Elizabeth II inocentemente roda sua aliança de casamento enquanto está em um evento, é um sinal discreto de que ela gostaria que uma de suas comitivas a extraísse graciosamente de sua conversa atual para que ela pudesse passar para outros convidados sem ofender.
Escondendo em imagens e som
Outra abordagem para a esteganografia envolve encontrar arquivos ou mensagens existentes que contenham dados que não sejam importantes e que provavelmente não serão examinados, e substituí-los por dados secretos, ocultando-os de maneira eficaz à vista.
Um truque bem conhecido para infiltrar dados em arquivos que são popularmente compartilhados envolve adicionar o que supostamente se parece com “ruído” em arquivos como fotos, vídeos ou músicas.
Por exemplo, cada pixel em uma foto em escala de cinza de 8 bits pode ter um valor de 0 (totalmente preto) a 255 (branco mais brilhante), mesmo que seja difícil dizer a diferença entre um nível de cinza de, digamos, 129 e 130, ou entre 8 e 9.
Na verdade, pode ser tecnicamente impossível discernir uma diferença, dada a combinação de imprecisões introduzidas pela câmera ao capturar a imagem, a tela ao exibi-la e o olho ao visualizá-la.
Portanto, você pode substituir alguns dos dados da imagem para codificar informações de outro lugar, por exemplo, sobrescrevendo os poucos bits inferiores de cada pixel da imagem com dados próprios.
Isso deixa você com um arquivo híbrido que é parte da imagem e parte das informações pessoais.
Mas se alguém abrir a sua imagem com dados dentro da caixa, ela ainda parece uma imagem, ainda que ruidosa ou de baixa qualidade.
Você pode então usar serviços públicos como sites de mídia social e serviços de compartilhamento de fotos para distribuir suas imagens de mensagens ocultas de uma maneira inocentemente aberta. [...]

Prossiga lendo em NAKED SECURITY

Esteganografia ≠ estenografia (como a taquigrafia é mais conhecida em Portugal), um termo geral que define todo método abreviado ou simbólico de escrita, com o objetivo de melhorar a velocidade da escrita ou a brevidade, em comparação com um método padrão de escrita.

Imagem de uma árvore contendo outra imagem esteganograficamente escondida. A imagem oculta é revelada removendo os bits de cada componente RGB da imagem, exceto os dois bits menos significativos de cada cor, seguindo-se de uma normalização da imagem resultante. A imagem oculta é mostrada abaixo.







Imagem de um gato, extraída da imagem acima.
Este xemplo foi retirado da página Steganography no WIKI.

10 dezembro, 2019

A matemática poderosa da alavanca

Arquimedes disse:
"Dê-me um lugar para ficar e eu moverei a Terra." 

No vídeo abaixo, Andy Peterson e Zack Patterson utilizam-se da gangorra para ilustrar as incríveis implicações e usos da alavanca. E revelam a distância inimaginável de que precisamos para verificar essa declaração de Arquimedes.


A profecia de Graciliano

"O futebol não pega, tenham certeza", escreveu Graciliano Ramos em 1921, fornecendo uma bela mostra de que é mais sábio fazer "previsões" depois dos fatos. Eu, por exemplo, tenho um palpite de que, poucos anos depois da declaração de Ramos, o futebol viraria um forte elemento da identidade brasileira.
Tim Vickery: ‘O futebol vai ser só fogo de palha’ - por que a profecia de Graciliano Ramos deu tão errado no Brasil?, BBC News

Concurso Miss Universo 2019

Graciliano errou. Aqui é ao contrário: evite você errar "prevendo" que isso aí é um traje típico do Brasil.

09 dezembro, 2019

Deus proverá

Esta impressionante estátua é o Cristo Rei de Świebodzin. Pesa cerca de 440 toneladas e mede 36 metros de altura (além de 3 metros de coroa e outros 13 de pedestal).  Este Cristo Rei, que está na Polônia, é mais alto que o Cristo Redentor do Corcovado, no Rio de Janeiro, e o Cristo Rey de Cali.
Outra curiosidade é que, além de ser uma atração para os turistas e peregrinos, o Cristo Rei de Świebodzin esconde um "segredo" em sua coroa: várias antenas de comunicação que fornecem o acesso à internet para as pessoas que estão na área. Como fica claro neste vídeo gravado por um drone que sobrevoou a estátua.
O provedor que instalou suas antenas no Cristo Rei diz que a situação é completamente legal.


As cinco maiores estátuas de Cristo no mundo, segundo o site Kuriositas:
Cristo de la Concordia, Bolívia (34,2 m)
Cristo Rei, Polônia (33 m) (*)
Cristo de Vang Tau, Vietnã (32 m)
Cristo Redentor, Brasil (30,1 m)
Cristo del Otero, Espanha (30 m)
(*) incluindo-se a coroa: 36 m.

O Legado de Apollo


As diferentes inovações tecnológicas que tivemos durante o século passado deram grandes passos. Alguns argumentam que certas tecnologias definitivamente foram saltos gigantescos para a sociedade humana, mas a "próxima grande coisa" provavelmente seria algo que pode revolucionar nosso modo de vida de maneiras monumentais.
O pouso na Lua foi um salto gigantesco para um homem - a vida de Armstrong mudou para sempre - mas, em retrospectiva, apenas um pequeno passo para a humanidade. Não é que colocar as pessoas na Lua não tenha sido uma conquista coletiva difícil - foi. Mas chegar à Lua fez pouco a longo prazo para mudar a sociedade humana.
Como Roger Launius, eminente historiador do espaço, escreve em seu novo livro "Apollo's Legacy", "Em um nível básico, a decisão do presidente de bancar o programa Apollo foi para os Estados Unidos o que a determinação dos faraós de construir as pirâmides foi para o Egito. Seu impacto mais ressonante não é uma tecnologia específica, mas simplesmente a metáfora: se podemos colocar um homem na lua, por que não podemos fazer "X"? 
Os "Xs" que geralmente surgem nessas discussões, como resolver os problemas da mudança climática ou da pobreza, "todos têm algum potencial para a aplicação de soluções técnicas", observa Launius."Mas eles são em grande parte problemas políticos e sociais". E Apollo não resolveu nenhum problema político ou social. Outros "Xs" - diz ele, como curar o câncer - dependem do desenvolvimento de novas formas de conhecimento científico.

Extraído de: What Neil Armstrong got wrong, MIT Technology Review

08 dezembro, 2019

A novidade que se cristaliza

Brasil 24/7 - Uma análise da pesquisa Datafolha de hoje:

1. Não há polarização: 30% dos eleitores são de direita; 30%, de esquerda e 40% totalmente voltados a um pragmatismo vivencial: para os excluídos, a melhor promessa do momento (aqui entram a manipulação midiático-empresarial e, no contexto atual, as redes de fake news de ultradireita) é que vale. A "promessa" já foi à esquerda, com Lula/Dilma; agora, à direita.

2. A novidade que se cristaliza nessa pesquisa: algo em torno de 15% da direita brasileira é protofascista (fascismo em sua vertente inicial).

2.1. O clã Bolsonaro e personagens como Olavo de Carvalho atuam para mobilizar essa parcela da população. São, claramente, antidemocráticos, autoritários e violentos. Constantemente, insuflam o terrorismo de Estado.

2.2. A direita tem uma arma poderosa em sociedades capitalistas: o poder do dinheiro - dos que não têm compromisso com a democracia de fato (empresários, banqueiros, latifundiários, think tanks...).

2.3. Mas, o poder dos sentimentos e dos afetos, ou seja, o poder simbólico, é a grande disputa do momento. Este jogo está em aberto.

3. Parte dos protofascistas estão a disputar o poder simbólico utilizando o discurso religioso (o meio mais eficaz de disseminar discursos de ódio). Há um imenso investimento financeiro no neopentecostalismo.

3.1. A esquerda, em boa medida, está sem uma bandeira afetiva e mobilizadora. Lula encarna, em certa medida, esse vácuo.

4. Mesmo assim, a direita, definitivamente, não é imbatível. Argentina provou que o ultraliberalismo não responde às demandas de sociedades marcadas pela desigualdade e injustiça estruturais.

4.1. Mas, a esquerda precisa radicalizar sua posição para mostrar as contradições brasileiras. Caso contrário, os 40% dos eleitores "folha de bananeira" (que vão à onda do vento) continuarão na passividade (altíssimos índices de absenteísmo eleitoral), na omissão (imobilização social) ou conivência com os que gritam mais alto.

Robson Sávio Reis Souza
Doutor em Ciências Sociais

A Fada do Dente

A tradição de deixar um dente debaixo de um travesseiro para ela coletar é praticada em vários países.
Mas qual é a aparência da Fada do Dente?
Uma resenha de livros infantis publicados e obras de arte populares encontrou-a retratada como uma criança com asas, um dragão, uma figura materna azul, uma bailarina voadora, dois homenzinhos, um higienista dentário, um homem voador barrigudo que fuma um charuto, um morcego, um urso e uma fada mesmo.
Quando seus filhos perguntarem como ela parece, mostre-lhes esta foto:


Bits and Pieces não joga no telhado sua credibilidade.

O Espelho de Mozart

É uma composição em Sol Maior para dois violinos que tem a particularidade de que a partitura é feita de modo que cada violinista seja colocado em um dos lados, e um a siga de cima e para baixo, enquanto o outro a percorre em sentido contrário. Uma partitura única na qual um começa pelo primeiro compasso e o outro, pelo último, cruzam-se na metade e cada uma termina onde o outro começou. Para mim, não suficientemente versado nesses assuntos, isto parece ser de uma considerável complexidade.
Atribui-se esta obra a Mozart.





Crab Canon de Bach

07 dezembro, 2019

Cavalo de batalha


"Treina-se o cavalo para o dia da batalha, mas quem dá a vitória é o Senhor." (Provérbio 21: 30-31)

Os bárbaros venceram!

COMUNICADO
Com pesar, tenho que anunciar que, depois de 18 anos, decidi encerrar a Sociedade de Proteção ao Apóstrofo.
Há duas razões para isso. Uma é que, aos 96 anos, estou cortando meus compromissos e a segunda é que menos organizações e indivíduos estão se preocupando com o uso correto do apóstrofo no idioma inglês.
Nós e nossos muitos apoiadores em todo o mundo, fizemos o nosso melhor, mas a ignorância e a preguiça presentes nos tempos modernos venceram!
Este site (www.apostrophe.org.uk, idealizado por John Hale) permanecerá aberto por algum tempo para referência e interesse.
— John Richards, novembro de 2019
A Sociedade de Proteção ao Apóstrofo
foi iniciada em 2001 por John Richards com o objetivo específico de preservar o uso correto desse sinal de pontuação, atualmente muito sujeito a abusos em todas as formas de texto escritas no idioma inglês.

06 dezembro, 2019

A censura prévia no Pasquim

Nascido em junho de 1969, o jornal satírico O Pasquim esteve sob censura até 1975.
A primeira manifestação concreta da censura ocorreu em 1970, ao ser publicada no semanário uma reprodução de uma pintura de Pedro Américo ,"Independência ou Morte", realizada em 1888. O caricaturista e jornalista Jaguar, um dos criadores do Pasquim, usou uma reprodução do quadro que consagrou "a participação de Pedro Américo na montagem de um imaginário particularmente importante na construção simbólica do regime político, sobretudo em momentos de redefinição da identidade nacional". Jaguar transformou a imagem inicial e fez Dom Pedro I  dizer "Eu quero mocotó", referindo-se a uma canção de Erlon Chaves e Jorge BenJor, de 1970.
Após esse evento, o jornal contou com a presença física de censores dentro da redação, ao lado dos jornalistas, para vigiar e cortar as matérias antes mesmo da edição. A partir de 1974, a sede da censura mudou para Brasília, aonde o jornal tinha que mandar as matérias para a censura prévia, o que ocasionava inúmeros problemas técnicos e financeiros para a redação.
Alvos da censura, os desenhistas da redação do Pasquim rapidamente passaram a criticá-la, de
forma humorística, poética, irônica ou cínica. Uma charge, do Millôr Fernandes, representava a ação dos censores, os protagonistas de muitos desenhos e muitas críticas, pois a presença deles impactava de forma direta e concreta no trabalho cotidiano dos jornalistas. Aqui, sob o lápis irônico do Millôr, os responsáveis pela verificação dos conteúdos se empurram para poder ver as matérias, como se fosse um espetáculo. Uma inversão, portanto, opera-se na atitude dos censores, que manifestam um forte interesse pelas produções que teriam de criticar, denunciar e cortar.
Em 1977, Millôr Fernandes, ao comentar os anos de trabalho marcados pela censura nessa publicação, disse:
"Foram 300 semanas de um jornalismo aventuroso, com alguns momentos de extrema euforia e a maior parte de depressão e angústia diante da perseguição violenta e constante. Pois, dos seis anos quase completos que eu trabalhei no Pasquim, mais de cinco foram sob a bengala branca da censura mais cega que já existiu neste país – e eu sei bem do que falo."
Ao terminar a censura prévia a que estavam submetidos, os editores de O PASQUIM adotaram o recurso de inserir na publicação um selo com a seguinte mensagem:
ENQUANTO VOCÊ ENCONTRAR ESTE SELO
O PASQUIM CONTINUA SEM CENSURA PRÉVIA.
Era uma forma de avisar seus leitores de que estaria havendo recrudescimento da censura.
Webgrafia
Mélanie Toulhoat. Usos políticos do humor gráfico nas páginas do jornal Pasquim sob censura (1969-1975). FAFICH. II Encontro de Pesquisa em História da UFMG – II EPHIS, Jun 2013, Belo Horizonte, Brazil. 2013, Anais Eletrônicos do II Encontro de Pesquisa em História da UFMG – II EPHIS.
Censura Lendo o Material do Pasquim. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Acesso em: 19 de Jun. 2019. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7
Blog EM. https://blogdopg.blogspot.com/2019/04/eu-quero-mocoto.html

Ler também: O Pasquim e a MPB

João Cândido, o Almirante Negro

"Salve o navegante negro / que tem por monumento / as pedras pisadas do cais."
João Bosco e Aldir Blanc

Nascido em Encruzilhada do Sul (RS), João Cândido (24/07/1880 - 06/12/1969) entrou aos 14 anos para a Marinha do Brasil. Filho de ex-escravos, ao presenciar o uso de chibatadas como penalidade para os marinheiros, ele reivindicou melhores condições de trabalho nos navios brasileiros. Em 1910, ele liderou a chamada Revolta da Chibata.
Embora o movimento tenha terminado com o compromisso de o Governo Federal acabar com os castigos corporais e de conceder anistia aos revoltosos, João Cândido e os outros líderes foram detidos. Banido da Marinha, o Almirante Negro, como ficou conhecido, sofreu grandes privações, vivendo precariamente, trabalhando como estivador e descarregando peixes na Praça XV, no centro do Rio de Janeiro.
Faleceu em decorrência de um câncer, pobre e esquecido, em 1969, aos 89 anos.

"O Mestre-sala dos Mares", de João Bosco e Aldir Blanc (vídeo)



GLOSSÁRIO (pela ordem de entrada)
dragão do mar, referência ao dragão do mar cearense, Francisco José do Nascimento, o jangadeiro Chico da Matilde, herói na luta por libertar os escravos no Estado do Ceará.
feiticeiro, marinheiro
navegante, almirante
acenar, navegar
alegria das regatas, bloco das fragatas
multidões, batalhões
santos, negros
cantos e chibatas, pontas das chibatas
pessoal do porão, tripulação

Arquivo: O marinheiro e o metalúrgico

05 dezembro, 2019

Como a inteligência artificial toma decisões?

A inteligência artificial (IA) já está presente em várias áreas na nossa vida: no diagnóstico médico, direção autônoma, assistente pessoal...
Mas como os algoritmos tomam decisões?
Pesquisadores desenvolveram uma ferramenta para analisar a inteligência artificial de forma mais profunda e se surpreenderam com os resultados.



Leitura complementar
Como o cavalo Hans tomava decisões?

Hamster morto!

Estes são comentários reais feitos em boletins escolares por professores do sistema escolar público de Nova Iorque no ano de 2007:

1. Desde meu último relatório, seu filho chegou ao fundo do poço e agora começou a cavar.
2. Eu não permitiria que este aluno se reproduzisse.
3. Seu filho estabelece baixos padrões pessoais e, em seguida, falha consistentemente em alcançá-los.
4. Esta criança tem trabalhado muito com cola.
5. Quando o QI de sua filha atingir 50 deve vender.
6. É impossível acreditar que o espermatozoide que gerou essa criança superou um milhão de outros.
7. A roda está girando, mas o hamster está definitivamente morto.


(https://pballew.blogspot.com/2007/12/passing-comment-or-not.html#links)

04 dezembro, 2019

Quanto pesa a internet?

Isabelle Robinson, M.Sc. 
20/04/2018, AZO Quantum
A internet é composta por vídeos, documentos, páginas da web etc. Ele contém uma enorme quantidade de informações que cresce a cada dia. Cada e-mail enviado, um comentário deixado e um artigo publicado cria mais dados que são armazenados em dígitos binários que são lidos por computadores. Dado que esses dados devem ter massa, quanto pesa toda a internet?
Um professor de Ciência da Computação da Universidade da Califórnia, Dr. John Kubiatowicz, usa o exemplo do e-reader Kindle para mostrar como a informação pode ter massa. Ele explicou que um Kindle usa um tipo de transistor que usa elétrons presos para distinguir entre os dois estados do binário.
"Embora o número total de elétrons na memória não mude à medida que os dados armazenados mudam", afirmou Kubiatowicz, "os elétrons aprisionados têm uma energia maior".
Usando famosa equação de Einstein (E = mc2) e uma estimativa conservadora de 10-15 joules por bit de dados armazenados, em seguida, a diferença entre a massa de um Kindle vazio e um Kindle completo pode ser calculado como aproximadamente 10-18 gramas. (Ray, 2011)
Levando isso adiante, Russell Seitz usou a ideia de que a internet é composta de redes de servidores que operam na internet. Ele estimou que 100 milhões de servidores estão operando em torno de 350 a 550 watts cada (Seitz, 2006) ou 40 bilhões de watts coletivamente. Dada essa informação, e o fato de a lógica binária do silício funcionar a aproximadamente 3 volts e um chip funcionar a um gigahertz, Seitz calcula que o peso total da internet é de aproximadamente 50 gramas, o mesmo que o peso de um morango grande (VSauce, 2011).
. . .
🍓

É claro que este cálculo (não atualizado) leva em conta apenas os bilhões de bilhões de elétrons que se movem através da fiação, servidores, dispositivos e outros condutos que permitem o uso da internet, e não esses condutores em si. Como estamos acostumados a conectar nossos dispositivos à internet sem fio, podemos cometer o erro de imaginar dados flutuando no espaço. Na realidade, porém, os provedores de Internet tiveram que instalar milhões de quilômetros de cabos entre continentes e oceanos para permitir a conexão à Internet que temos hoje, que levou décadas. Sem esses cabos, a Internet não pode existir globalmente.
(http://www.tudoporemail.com.br/content.aspx?emailid=14199)

CORONADO: vista assim do alto

A Base Anfíbia Naval Coronado é uma instalação naval situada na baía de San Diego, Califórnia. É um dos oito componentes da Base Naval Coronado.
Os edifícios 320, 321, 322 e 323 da Base Anfíbia apresentam uma vista de planta em forma de uma suástica. Isso passou despercebido pelo público desde a sua construção na década de 1960 até 2007, quando foi mostrada em vistas aéreas do Google Earth.
A suástica é um símbolo controverso, e até mesmo uma ofensa, pois está relacionada a um período terrível da história. Então, imagine como foi embaraçoso para a Marinha dos Estados Unidos, ver que eles realmente fizeram uma construção que reproduzia o símbolo da suástica.


Embora modificações arquitetônicas e paisagísticas devessem ser feitas para obscurecer a forma, imagens de 24 de junho de 2017, as mais recentes usadas pelo Google Earth, não mostram nenhuma mudança substancial.

Google Maps