29 abril, 2016

Fazendo um Índice

Em 1951, GV Carey publicou um livreto de 15 páginas chamado "Fazendo uma Índice" (Making an Index), destinado a orientar os novos autores na preparação de índices para seus livros.
Quando foi publicado, um revisor do Times Literary Supplement sugeriu amigavelmente que a obra poderia ter se beneficiado de um índice próprio, no qual Carey poderia ter dado "uma demonstração de gala de seus princípios".
Então, Carey fez um. E a segunda edição de seu livreto de 15 páginas saiu acrescida de um índice de 3 páginas,

28 abril, 2016

Punição exemplar

Deu no Illustrated Police News:
Uma cena extraordinária teve lugar no sábado passado em uma pequena vila a três milhas de Middleton. Um companheiro imbecil chamado James Driscott, que havia maltratado cruelmente o seu jumento, foi trazido por vários aldeões perante o magistrado, e este lhe aplicou uma punição exemplar por sua conduta desumana.
Discott, de bom grado, aliás, para que o pior não lhe acontecesse, concordou com os termos propostos para a punição – que foram estes: o burro seria colocado sobre a carroça e o proprietário, com uma correia em volta do pescoço, seria obrigado a transportar o seu servo de quatro patas pela aldeia.
22 jan 1876

Sem abrir o bico

Acalmando o bebê em segundos

É como um milagre, só que ainda melhor
O Dr. Robert Hamilton, do Pacific Ocean Pediatrics, em Santa Monica, tem uma técnica para acalmar quase instantaneamente a maioria dos bebês quando chora.
Ele mostra o seu método em um vídeo no YouTube.
Como é a técnica
  1. Dobre os braços do bebê sobre o tórax.
  2. Prenda os braços enquanto segura o queixo do bebê com uma das mãos.
  3. Use a outra mão (dominante) para segurar por baixo o bebê.
  4. Balance-o levemente em um ângulo de 45 graus – a calma é instantânea!

A técnica funciona melhor em bebês de até 3 meses de idade e não funciona se o bebê estiver com fome ou doente.
Arquivo
A teoria do choro | Bebês chorando

27 abril, 2016

O voo irlandês

Aproximadamente trinta minutos após o início de um voo noturno saindo de Glasgow, o comandante do avião fez este comunicado:
Senhoras e senhores,
Lamentamos informar que, antes da decolagem, houve um terrível erro de parte do serviço de buffet da nossa companhia aérea... Não sabemos como isso aconteceu, mas temos 103 passageiros a bordo e, infelizmente, apenas 40 refeições para o jantar... Pedimos desculpas a todos por esta inconveniência...
Quando os murmúrios dos passageiros cessaram, o comandante continuou:
Qualquer um que que resolva desistir de sua refeição, em benefício de outro passageiro, poderá consumir bebidas livremente durante as próximas cinco horas de voo.
O comunicado seguinte veio 90 minutos mais tarde:
"Se porventura alguém quiser mudar de ideia, avisamos que ainda temos 40 jantares disponíveis."

O que se encaixa melhor?

Um prego redondo em um buraco quadrado ou um pino quadrado em um buraco redondo?
O que equivale a perguntar:
Qual é maior, a razão entre a área de um círculo ao quadrado em que está circunscrito ou a área do quadrado ao círculo em que está circunscrito?


No Wolfram Mathworld, alguém se debruçou sobre essa questão, e como as proporções sobre as duas dimensões são pi/4 e 2/pi, respectivamente:
Portanto, um prego redondo se encaixa melhor em um buraco quadrado do que um pino quadrado em um buraco redondo.
No entanto...

Aula de revisão
Como fazer um furo quadrado

26 abril, 2016

Cientificamente acurados: DUCKTALES

No Brasil
Coisas horríveis acontecem aos adeptos da seita do Pato Inflável quando morrem.



Para entender o vídeo
Referência: The Homosexual Necrophiliac Duck Opera, bônus da postagem "Por que é tão difícil entender ópera", do blog EntreMentes.

Para entender a ópera
Referência: The First Case of Homosexual Necrophilia in the Mallard anas platyrhynchos (Aves: Anatidae) C.W. Moeliker, Deinsea, vol. 8, 2001, pp. 243-7.
Moeliker foi o vencedor do Prêmio Ig Nobel de 2003 para a Biologia.

Anatomia da banana

Bits and Pieces

Tudo o que você queria saber sobre a banana e tinha medo de escorregar na casca da fruta:

Cesariana vegetal | Yes, bananas | A dose banana-equivalente | E por falar em banana... | O nome da fruta | Bananas golfinhos

25 abril, 2016

Da arte de delegar

Eu acabei de escrever um livro chamado "Como delegar tarefas". Bem, na verdade, foi minha mulher que escreveu... mas eu disse a ela como deveria fazer. ~ Jonco Stl

O que o menor sabe fazer o maior deve deixar. ~ Humberto Vitorino


A fórmula de Theodore Roosevelt: critério suficiente para escolher quem vai fazer + autocontrole suficiente para não atrapalhar quem está fazendo.

Delegar é diferente de "delargar" – quando o gestor transfere a responsabilidade (e a culpabilidade se o resultado não for o desejado).

Faça você mesmo

A Constituição do Nepal, que se tornou uma república parlamentarista em 2008, contém as instruções completas de como fazer (do it yourself) a bandeira do país.

Isso é uma coisa boa - é a única bandeira nacional que não é um quadrilátero. Os dois galhardetes (bandeiras triangulares) representam os ramos de uma dinastia governante no século 19. A nação sinalizou seu orgulho, em fevereiro passado, estabelecendo um recorde mundial para o maior bandeira humana - 35.000 nepaleses se reuniram em Catmandu para quebrar o recorde do Paquistão e para demonstrar a sua própria unidade nacional.


Eu me pergunto: o que eles fazem na vida fora da geometria?

Panóplia
Bandeiras de Benin | A bandeira ponderada do mundo | O plágio de nossa bandeira | Nações Unidas | A bandeira estoniana | Japão: dando bandeira | Bandeiras nacionais recriadas com alimentos | A bandeira nacional da Argentina | A bandeira polivalente

24 abril, 2016

Violão com bateria

O moço adaptou uma bateria eletrônica em seu violão. Eis o resultado:



Afinação
Da sexta à primeira corda: D A F# D A D. O que significa poder tocar um acorde de ré maior com as cordas soltas.

Poderá também gostar de ver/ouvir
O garoto "batera"

Me Estrague

Spoil Me (Me Estrague) é um banco de dados de filmes para contar como os filmes terminam.
Se você quer saber o final de um filme em particular, basta digitar o título do filme na barra de pesquisa da página para ficar sabendo.
O grande problema é que pode haver resultados divergentes, pois os estraga-prazeres em geral, mesmo quando colaboram com um site de utilidade pública da importância do Spoil Me, não abandonam o velho vício.


23 abril, 2016

Uma imagem vale mil livros

Já que hoje é o Dia Internacional do Livro que tal aproveitar a data para dar uma pequena arrumação em sua biblioteca?


O Dia em 2014 e 2015 no blog EM.

♪Sofres porque queres♪

Tango (ou choro) composto pelo mestre Pixinguinha (Alfredo da Rocha Vianna Filho) inspirado em... uma briga de casal! A gravação original foi dele próprio, à flauta, em 1917, ainda no processo mecânico ou acústico, Em 12 de junho de 1946, foi feito na gravadora Victor outro registro da música, fazendo parte de uma série de discos do flautista Benedito Lacerda (coautor aqui por acordo comercial), em dueto com o sax do "velho mestre" e lançado em setembro seguinte com o nº 80-0442-B, matriz S-078544. Fonte: Samuel Machado Filho
Em 1949, Isaura Garcia gravou-o cantado:
http://www.kboing.com.br/isaura-garcia/1-1012699/
Aqui, "Sofres porque queres" na execução do regional cearense "Cordas Que Falam", em uma apresentação na Rádio Universitária FM:



A 23 de abril (data de nascimento de São Pixinguinha) comemora-se o Dia Nacional do Choro.

O que é sofrência
É um neologismo da língua portuguesa, formado a partir da junção das palavras "sofrimento" e "carência", que possui um significado similar ao da expressão popular "dor de cotovelo".
A "sofrência" pode ser entendida como um estado de espírito, quando alguém se sente desiludido e triste por causa de um amor não correspondido, uma decepção amorosa ou uma traição. É também o ato de sofrer continuamente, de uma maneira depressiva e lastimável.
A palavra ganhou notoriedade nacional graças ao cantor baiano Pablo, que pretende fazer de "sofrência" um gênero musical.
https://youtu.be/qaozmx_tc88
https://youtu.be/jOmfuS1LznU

22 abril, 2016

Com quem vais?

1
– Quem estará nas trincheiras ao teu lado?
– E isso importa?
– Mais do que a própria guerra.
Ernest Hemingway
2
3
Ex socio cognoscitur vir. Dize-me com quem vais, dir-te-ei o que farás.

Golpe e resistência

do blog do Roberto Amaral
Na sua inexcedível capacidade de superar a fantasia, a política rasteira nos transportou, no domingo 17/04, para o imaginário de Macondo, promovendo o encontro do realismo fantástico com o espírito de Macunaíma, no que ele tem de moralmente lássido e grotesco. A sociedade, preocupada com os destinos de seu país, postou-se diante da TV para saber como votavam seus representantes chamados a decidir o destino do mandato da presidente da República. Mas, no lugar de um espetáculo cívico, presenciou uma ópera bufa. Por horas, assistiu incrédula e – certamente constrangida – ao desfilar tragicômico de personagens ridículos que se sucediam diante as câmeras. Assim, o Brasil conheceu a Câmara e seus deputados. Aplausos para as exceções.
Não se ouviu dos adeptos do SIM um só conceito político ou jurídico, um só desenvolvimento de raciocínio adulto, lógico, mas, tão-só, um desalentador desfilar de sandices e pieguices: referências domésticas, familiares, expressões de uma religiosidade primitiva…. Absoluta ausência de senso e decoro. Ao fundo, a algaravia de mercado persa, incompatível com uma Casa de leis. Mestre de cerimônia do espetáculo burlesco, reinou impávida essa figura abjeta representada pelo ainda presidente da Câmara, deputado-réu, materialização de Frank Underwood, que salta da série estadunidense e dos esgotos do Capitólio para conviver conosco.
O espetáculo grotesco oferecido pela Câmara Federal expõe à saciedade quão imperiosa é a reforma, profunda, do sistema eleitoral que a produziu. Mas como esperar que nossos parlamentares livrem a legislação das mazelas e vícios que garantem a reprodução de seus mandatos? Pois essa é a Câmara que abriu o processo de impeachment. Uma Casa de maioria hegemonizada por um agrupamento de acusados, presidida por um parlamentar consabidamente desonesto, comandando um processo de cassação de uma presidente consabidamente honesta. E se esse processo tiver curso no Senado Federal, há risco de vermos uma presidente legitimamente eleita por 54,5 milhões de votos ser substituída por um vice perjuro, sem um só voto!
Leia MAIS.
Roberto Amaral é escritor, ex-ministro de Ciência e Tecnologia (Governo Lula) e ex-presidente nacional.do PSB.

Vídeo Jornalistas Livres
Acompanhados por um guitarrista tocando o Hino Nacional, em uma manifestação espontânea e sem coordenação de entidades ou grupos organizados, milhares de jovens saíram ontem à noite (21) à Avenida Paulista, para um ato de protesto convocado pelas redes sociais. Assim como grande parte da população brasileira, eles estão conscientes de que o pedido de impeachment que tramita no Congresso Nacional é golpe.
Veja AQUI.

Charge
Link para a charge Tchau, querido! de Ivan Cabral.

Num monumento à aspirina

João Cabral de Melo Neto
Claramente: o mais prático dos sóis,
o sol de um comprimido de aspirina:
de emprego fácil, portátil e barato,
compacto de sol na lápide sucinta.
Principalmente porque, sol artificial,
que nada limita a funcionar de dia,
JCMN: 50 anos de aspirina
que a noite não expulsa, cada noite,
sol imune às leis de meteorologia,
a toda hora em que se necessita dele
levanta e vem (sempre num claro dia):
acende, para secar a aniagem da alma,
quará-la, em linhos de um meio-dia.
* * *
Convergem: a aparência e os efeitos
da lente do comprimido de aspirina:
o acabamento esmerado desse cristal,
polido a esmeril e repolido a lima,
prefigura o clima onde ele faz viver
e o cartesiano de tudo nesse clima.
De outro lado, porque lente interna,
de uso interno, por detrás da retina,
não serve exclusivamente para o olho
a lente, ou o comprimido de aspirina:
ela reenfoca, para o corpo inteiro,
o borroso de ao redor, e o reafina.
(Em: "A educação pela pedra" - 1966)

"O poeta João Cabral de Melo Neto, falecido em 1999, transcorreu parte de sua vida sob a tortura de uma terrível enxaqueca. Há mais de um depoimento sobre ele que comenta esse aspecto de sua biografia. Não foi para menos, portanto, que o pernambucano dedicou uma verdadeira ode àquilo a que ele sempre recorria para aliviar sua cefaléia e, com a cabeça mais leve, então arquitetar intrincados poemas. O poema "Num monumento à aspirina" produz, já pelo título, um certo estranhamento no leitor, dada a combinação, meio estrondosa, dos substantivos "monumento" e "aspirina". Pois, em geral, fazemos monumentos às coisas grandes, aos acontecimentos e personagens históricos de relevo. Mas a uma aspirina, a um prosaico comprimido antipirético..."

21 abril, 2016

Ela e sua janela

Observe a imagem:

Não há ela, é apenas sua imaginação.

A Invenção da Ciência

Que é modernidade e quando começou?
A resposta depende muito da nacionalidade e da especialização do historiador a que você perguntar. Os italianos dão a primazia aos avanços das artes no Renascimento, a partir do século 14; os europeus do norte optam pelo período em que cidades como Amsterdam, Paris e Londres alcançaram a proeminência econômica e cultural, que vai do início do século 16 ao século 18; alguns historiadores da Alemanha situam-na tardiamente, por volta do ano de 1900. Os filósofos são suscetíveis de creditá-la a Descartes, em meados do século 17; economistas pendem para a revolução industrial, no final do século 18; historiadores políticos postergam-na para as revoluções americana e francesa.
Para além da Europa, muitos outros períodos e lugares disputam a atenção. Todo mundo tem uma sardinha para colocar nessa brasa.
A resposta de David Wootton é inequívoca: a modernidade começou com a revolução científica na Europa – de 1572 (quando o astrônomo dinamarquês Tycho Brahe identificou uma nova estrela no céu) a 1704 (quando Isaac Newton publicou "Opticks"). Nesse período, segundo ele, aconteceu a transformação mais importante na história da humanidade desde a era neolítica. Eventos posteriores, como a revolução industrial, não foram mais do que consequências de uma revolução maior – a científica.
Sobre se a revolução científica é uma questão para celebrar (como achava a maioria dos pensadores iluministas) ou para se arrepender (como lamentavam alguns românticos), Wootton deixa claro: "foi uma coisa muito boa".
"A Invenção da Ciência: Uma Nova História da Revolução Científica", por David Wootton. In: www.theguardian.com/books/2015

Isaac Newton, por William Blake (1795)
Tycho Brahe (Skåne, Dinamarca, 14 de dezembro de 1546 — Praga, 24 de outubro de 1601), nascido Tyge Ottesen Brahe – Foi um astrônomo observacional da era que precedeu a invenção do telescópio, e suas observações da posição das estrelas e dos planetas alcançaram uma precisão sem paralelo para a época. Após a sua morte, os seus registros dos movimentos de Marte permitiram a Johannes Kepler descobrir as leis dos movimentos dos planetas, que deram suporte à teoria heliocêntrica de Copérnico. Tycho morreu em 24 de outubro de 1601, onze dias depois de ficar doente após um banquete. Consta que ele, antes de morrer, teria dito a Kepler: "Ne frustra vixisse videar!" (Não me deixe parecer ter vivido em vão). Por muito tempo, a crença geral foi que ele teria morrido de um problema na bexiga. Ele teria evitado de sair do banquete antes do fim, por boas maneiras, o que teria estressado sua bexiga ao limite, desenvolvendo uma infecção que o matou. Essa teoria inclusive foi apoiada pelo relato de Kepler. Contudo, investigações recentes sugerem que Tycho morreu não de problemas urinários, mas de envenenamento por mercúrio: níveis extremamente tóxicos foram encontrados em seus cabelos. Tycho pode ter se envenenado tomando medicamentos contendo impurezas de cloreto de mercúrio, ou pode ter sido envenenado. De acordo com um livro de 2005, de Joshua Gilder e Anne-Lee Gilder, há evidências substanciais de que Kepler assassinou Tycho; eles argumentam que Kepler tinha os meios, motivos e oportunidade, e roubou os dados de Tycho com sua morte. De acordo com os Gilders, seria improvável que Tycho tivesse se envenenado, uma vez que ele era um alquimista familiarizado com a toxidade dos compostos de mercúrio. WIKIPEDIA

20 abril, 2016

Planeta 9: um exoplaneta no sistema solar?

A poucos meses atrás, os cientistas Konstantin Batygin e Mike Brown apresentaram a hipótese da existência de um nono planeta no sistema solar (já descontado o fato de que Plutão não é mais um deles). Esta hipótese é baseada em determinadas características que são observadas nas órbitas de outros corpos do sistema solar. Fonte: The Astronomical Journal (edição de 20/01/2016)

E, por falar nesse planeta, caso venha a ser confirmada sua existência, a teoria mais plausível é a de que ele já foi um planeta mais próximo do Sol, havendo depois migrado para os confins do sistema solar. Mas não se pode descartar uma segunda teoria: a de que o Sol o tenha capturado, em algum momento no passado, o que faria dele um exoplaneta [1] [2] no sistema solar.

Pôster: Microsiervos

Navios de concreto

Imagem: Ted Silvera, The Presurfer
Talvez o material mais bizarro escolhido para se construir um navio tenha sido o concreto. Durante séculos, os navios foram feitos de madeira, a qual, mais tarde, deu lugar a materiais mais resistentes como o aço. Mas o aço, além de caro, não era facilmente disponível, o que se tornou uma questão importante durante as Guerras Mundiais, quando houve uma aguda escassez deste material.
Muito antes da guerra, em 1848, Joseph-Louis Lambot, o inventor de concreto armado, tentou – com sucesso – construir um pequeno barco de ferrocimento. Em pouco tempo, barcaças de ferrocimento estavam cruzando regularmente os canais da Europa, e, assim que o século chegou ao fim, um engenheiro italiano fez o primeiro navio de concreto.

19 abril, 2016

Controlando a liberdade de crescimento

Uma das coisas embaraçosas para um homem é apresentar uma ereção em público sem ter como escondê-la. Felizmente, com as cuecas Bloxers, esse tipo de problema vai acabar.
Para criá-la, os fabricantes utilizam-se de uma cueca boxer de algodão, que eles lavam para conferir uma sensação mais suave. Em seguida, eles acrescentam um "escudo defletor" – um tecido elástico hipoalergênico que fica sobre uma das virilhas, permitindo ao usuário uma "liberdade de crescimento" a um ritmo controlado.
O tecido elástico é elastano ou nylon, que é ultra-macio e resistente. Este tecido é "suave e confortável para a masculinidade, além de proporcionar a respirabilidade necessária".
Os criadores deste novo produto revolucionário em moda íntima masculina estão arrecadando dinheiro para o projeto através de um site crowdfunding, o Indiegogo. E o vídeo promocional do produto tem Leonardo da Vinci como inspiração.

N. do E.
O crescimento controlado é para a direita. Isso está mesmo certo?

Pensamentos índios

"Aprenda como deter o julgamento. Aprenda a escutar. Entre em contato com o seu próprio eu interior. Olhe para a vida com alegria e jamais chore por algo que não pode chorar por você." – Cheewa James-Modoc
"Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado e o último peixe for pescado, vocês vão entender que dinheiro não se pode comer."
"Que meus inimigos sejam fortes e bravos para que eu não sinta remorsos ao derrotá-los." – Provérbio Sioux - Clã dos Lobos
"Evite machucar o coração das pessoas. O veneno da dor causada a outros retornará a você. Seja sincero e verdadeiro em todas as situações. A honestidade é o grande teste para a nossa herança do Universo."
"Nós não herdamos a Terra de nossos antepassados, nós a pegamos emprestada de nossos filhos."
"É melhor ter menos trovões na boca e mais raios nas mãos." – Provérbio Apache
Eu não fico deitado sem pensar." – Rupawê; velho sábio do povo Xavante, do Mato Grosso

Ler também: 
Filosofia com lobos

Vídeo:



E aquilo que nesse momento se revelará aos povos
Surpreenderá a todos, não por ser exótico
Mas pelo fato de poder ter sempre estado oculto
Quando terá sido o óbvio.
(Um índio, de Caetano Veloso)

18 abril, 2016

Crescimento exponencial

Um gráfico que mostra o número de vezes por década em que a expressão "crescimento exponencial" (exponential growth) foi usada no mundo:

O vestido das moças do tempo

Existem grupos estranhamente específicos no Facebook. Isto é o que acontece quando alguém posta um link para um vestido de 23 dólares na Amazon.
As moças do tempo dos canais de televisão nos Estados Unidos ficaram quase todas obcecadas pelo modelo indicado.


Indisponível no momento. Não sabemos quando este item estará de volta ao estoque. – Amazon

Fashion show
Vestido de noiva | Um vestido tecnológico | A cor definitiva do polêmico vestido | O vestido das piores senhas

17 abril, 2016

A dialética de lavar a louça

Tese
Estudantes e professores pesquisadores da Florida State University descobriram que lavar a louça conscientemente acalma a mente e diminui o estresse.
Após a realização de um estudo com 51 estudantes, os pesquisadores constataram que aqueles que que lavaram os pratos conscientemente, concentrando-se na temperatura da água, no aroma do sabão, na produção da espuma  e nos movimentos que estavam fazendo etc. relataram sentimentos de um estado positivo 25% maiores e níveis de nervosismo 27% menores, com relação aos sentimentos e níveis apresentados antes de lavar a louça. Já aqueles do grupo-controle, que apenas lavaram os pratos mecanicamente não experimentaram quaisquer benefícios mentais.
http://news.fsu.edu/More-FSU-News/Chore-or-stress-reliever-Study-suggests-that-washing-dishes-decreases-stress

Antítese


Síntese
Al Bernstein dizia que o problema de morar sozinho é que é sempre a sua vez de lavar a louça. Morar sozinho não é o meu caso, ir para a pia da cozinha, sim. Em meu lar, desde que a empregada doméstica foi declarada extinta, lavar a louça passou a ser uma atribuição minha. Que faço com a atenção plena, concentrando-me em todos os detalhes da tarefa. Nem sequer tinha a noção (que hoje tenho) de que isso traria benefícios para a minha saúde psíquica. Ao lavar a louça da minha sinhá, ajudando a afastar os pensamentos cinzentos da minha mente, estou sempre a  cantarolar uma música que foi tema da novela Escrava Isaura:
Vida de negro é difícil - Lerê lerê
É que essa música, além de me deixar muito zen, também irrita o meu grupo-controle (leia-se: a minha mulher). Paulo Gurgel

Roubos estúpidos

Quando um homem tentou sugar a gasolina de um trailer estacionado em uma rua de Seattle, ele não esperava que desse errado. A polícia, ao chegar ao local, encontrou o homem passando mal, próximo a um líquido mal-cheiroso derramado. O homem admitiu que tentara roubar gasolina mas, por engano, conectara a mangueira no tanque de esgoto do trailer. O proprietário do veículo não quis prestar queixa, dizendo que nunca se divertira tanto.

A polícia de Wichita, Kansas, prendeu um homem de 22 anos de idade em um hotel do aeroporto, depois que ele tentou passar duas cédulas de 16 dólares..

Quando dois atendentes de um posto de gasolina em Ionia, Michigan, recusaram-se a entregar o dinheiro a um ladrão embriagado, o homem ameaçou chamar a polícia. Como eles não lhe deram mesmo o dinheiro, então o ladrão ligou para a polícia - e foi preso.

Um cara usando meia-calça no rosto tentou roubar uma loja em um shopping. Quando o segurança chegou, ele rapidamente pegou um saco de compras e fingiu estar comprando, esquecendo-se de que ele ainda estava usando a meia-calça. Foi capturado, e o seu saque foi devolvido à loja.

A polícia em Radnor, Pensilvânia, interrogou um suspeito, colocando um coador de metal em sua cabeça, conectado por fios a uma máquina fotocopiadora. Eles colocavam a mensagem "Ele está mentindo" na copiadora, e apertavam o botão de copiar cada vez que o suspeito parecia não estar dizendo a verdade. Acreditando que o "detector de mentiras" estava operando, o suspeito acabou confessando o seu crime à polícia.

Um homem em Los Angeles, que mais tarde disse que estava "cansado de andar", roubou um rolo compressor. A polícia subiu a bordo e o prendeu, após uma monótona perseguição a 5 milhas por hora.

AVweb, um boletim semanal de notícias da aviação, informou que um assaltante invadiu uma aeronave no aeroporto de Ohio e furtou o seu  transmissor localizador de emergência (ELT). Este dispositivo envia sinais em caso de acidentes de aeronaves. Você pode adivinhar o que aconteceu em seguida. O ladrão abalou o ELT o suficiente para ativá-lo, e as autoridades não tiveram problemas para rastrear o autor do crime até o seu covil.

Em Louisiana, um homem entrou em uma loja, colocou uma nota de 20 dólares no balcão e pediu para trocá-la. Quando o funcionário abriu a gaveta, o homem puxou uma arma e pediu todo o dinheiro da caixa registradora, que o funcionário imediatamente entregou. O homem pegou o dinheiro do funcionário e fugiu... deixando a nota de 20 dólares no balcão. O montante do dinheiro que ele levou foi 15 dólares.
Pergunta-se:
Se alguém aponta uma arma para você e lhe dá dinheiro comete um crime?

Stupid Criminal Tricks, Darwin Awards

16 abril, 2016

O estado da arte

O estado da arte é o nível mais alto de desenvolvimento, seja de um aparelho, de uma técnica ou de uma área científica, alcançado em um tempo definido.

... do colírio

"Pinga ni mim"
... do lenço de papel (higiênico)
"Atchim"

♪Vira Virou♪

O Brasil despertou hoje ao som desta canção de Kleiton e Kledir:


A loucura de Seward

Em 1867, os Estados Unidos compraram o Alasca da Rússia por US $ 7,2 milhões. Na época, a aquisição foi popularmente considerada uma "loucura de Seward" (do Secretário de Estado William Henry Seward), por ser aquela terra congelada tida como de valor desprezível.
A descoberta de seus recursos naturais, no entanto, levou a sabedoria convencional a considerar que a compra do Alasca foi um grande negócio.
Com este cheque (reprodução) o Alasca foi comprado:


É o Treasury Warrant # 927. Com ele, o governo dos Estados Unidos comprou o Alasca do Czar da Rússia, em 30 de março de 1867. O documento instrui o Tesouro a dar a Edouard de Stoeckl, o representante do Czar, US $ 7,2 milhões. Este pagamento, de acordo com o tratado, era para ser feito em ouro.
Por cerca de 2 centavos de dólar por acre, era um espetacular negócio de terras. Mas, como já observado anteriormente, nem todos os economistas pensavam que aquele "deserto congelado" realmente valesse o custo.
A exemplo do economista David Barker que argumenta que os EUA experimentaram uma perda líquida, como resultado da compra, e que teria sido melhor se o Canadá tivesse economicamente absorvido o Alasca.
"Já, assim foi dito, fomos sobrecarregados com um território sem termos uma população para ocupá-lo. O preço de compra foi pequeno, mas as despesas anuais de administração, civil e militar, são grandes e contínuas. O território incluído na cessão proposta não é contíguo ao domínio nacional. Fica longe, a uma distância inconveniente e perigosa. O tratado foi secretamente preparado, assinado e impingido ao país à uma hora da manhã. Foi um ato escuro feito na noite. O New York World disse ter sido um 'laranja chupada'. O Alasca não continha então nada de valor, apenas animais peludos, e estes tinham sido caçados e já estavam quase extintos. Exceto pelas ilhas Aleutas e por uma estreita faixa de terra que se estende ao longo de sua costa sul, não valia a pena nem como presente. E até o ouro ser encontrado no território, muito tempo iria decorrer para ele ser abençoado com as prensas de impressão Hoe, as capelas metodistas e uma polícia metropolitana. É um deserto congelado."

Check #927, TYWKIWDBI ("Tai-Wiki-Widbee")

15 abril, 2016

Alô Suécia

Em 1766, a Suécia se tornou o primeiro país do mundo a abolir a censura em lei constitucional. É agora o primeiro país do mundo a ter o seu próprio número de telefone.
Ligue para +46 771 793 336 e conecte-se aleatoriamente a um sueco, em qualquer lugar na Suécia, para falar sobre o que quiser.


Vergonha

Imagem: A vergonha, por Goya
Substantivo feminino
1. desonra que ultraja, humilha; opróbio.
2. o sentimento desse ultraje, desonra, humilhação ou opróbio.

De acordo com a antropóloga Ruth Benedict, as culturas podem ser classificadas por sua ênfase em usar vergonha ou culpa para regular as atividades sociais de seus membros. Algumas culturas asiáticas, China e Japão por exemplo, são consideradas culturas da vergonha. As culturas europeias e americanas modernas, como a dos Estados Unidos, são consideradas culturas da culpa.

"Vergonha, a emoção que nos deixa saber que somos finitos." – John Bradshaw
"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto." – Ruy Barbosa; "Requerimento de informações sobre o caso do Satélite". Discurso no Senado (17/12/1914), Obras completas, Vol. 41
"Trabalho apressado - vergonha para seu criador."– Provérbio búlgaro
"Antes a minha face com fome amarela, que vergonha nela." – Provérbio português
"E a vergonha é a herança maior que meu pai me deixou." – "Vingança": composição de Lupicínio Rodrigues (1951)
"Uma esmola, para o homem que é são, ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão." – "Vozes da Seca"; composição de Luiz Gonzaga e Zé Dantas (1953)
"Para quem acha os chifres a suprema vergonha, não casar é a única maneira de estar bem seguro." – Molière; Escola de Mulheres, Último Ato, Última Cena, Última Fala, do personagem Crisaldo
"Ali andavam entre eles três ou quatro moças bem novinhas e gentis, com cabelo mui pretos e compridos pelas costas e suas vergonhas tão altas e tão saradinhas e tão limpas das cabeleiras que de as nós muito bem olharmos não tínhamos nenhuma vergonha." – Pero Vaz de Caminha, em sua famosa Carta

14 abril, 2016

As versões mais estranhas de Stonehenge

O antigo e misterioso Stonehenge, nas planícies de Salisbury, Inglaterra, é sem dúvida o círculo de pedras mais famoso do mundo. De função incerta, supõe-se ter sido construído para fins astronômicos, mágicos ou religiosos.
Stonehenge tem servido de inspiração à criação de réplicas por todo o mundo. Como esta, localizada em Nebraska, Estados Unidos, composta de 39 carros, no estilo vintage, pintados em um tom de cinza que imita a cor de pedra. A ideia foi concebida em 1987, por Jim Reinders, como um memorial para seu pai.

"Carhenge"
Aqui estão algumas das imitações mais estranhas do famoso círculo druida.

Eixo das pedras
Stonehenge: a grande fraude | Stonehenge: um mistério resolvido 1 e 2 | Tem buzuzu no bafafá

Pousando com estilo

Morcegos, patinadores e "skatistas" têm algo especial em comum. Usam a inércia em seus truques para rodar, o que, no caso dos morcegos, é um procedimento que estes não podem dispensar para pousar de cabeça para baixo.



Bergou AJ, Swartz SM, Vejdani H, Riskin
DK, Reimnitz L, Taubin G, et al. (2015) Falling with
Style: Bats Perform Complex Aerial Rotations by
Adjusting Wing Inertia. PLoS Biol 13(11): e1002297

13 abril, 2016

A dorsal oceânica

Do leitor Jaime Nogueira:
Com prazer lhe repasso este intrigante artigo que me foi enviado por meu colega e vizinho, o geólogo Breno Augusto dos Santos, por acaso o descobridor de Carajás no longínquo ano de 1967.

"Vulcão" de 65 mil km pode ajudar a entender como a Terra funciona
por William J. Broad, The New York Times
Imagine um vulcão. Agora imagine que sua principal cratera seja uma linha longa sobre a terra. Agora, imagine que essa linha é tão longa que ela se estende por mais de 65 mil quilômetros nos recônditos obscuros de todos os oceanos do planeta, como as costuras de uma bola de futebol.
Seja bem-vindo a uma das características mais obscuras e importantes da Terra, conhecida pelo nome prosaico de "dorsal oceânica". Ainda que seja longa o bastante para dar seis voltas em torno da Lua, a dorsal recebe pouca atenção, já que fica escondida nas profundezas escuras da Terra. Os oceanógrafos perceberam sua natureza vulcânica em 1973. Desde então, expedições caríssimas começaram lentamente a explorar esse mundo subaquático, que geralmente fica a mais de 1,5 quilômetro abaixo da superfície do mar.
Os resultados podem fazer as visões de Júlio Verne parecerem comedidas.
Ler Mais.

Bônus
Eldorado existe, o descobridor também: Breno, o geólogo. In: Geração Editorial
Vídeo História da Criação da Docegeo

Que dia é hoje?


O BEIJO: taí um tema que anda nas bocas.

Tipos

Beijo Francês
É o beijo de língua tradicional e o mais comum.

Beijo Titanic
Conhecido também como "beijo babado", é aquele beijo de língua onde tem grande troca de saliva.

Beijo na Testa
Beijos na testa são em sinal de respeito, geralmente entre família ou amigos.

Beijo no Rosto
É o beijo que demonstra amizade.

Beijo Técnico
Beijo sem laços. Apenas para encenação.

Beijo Selinho
Beijo entre amigos ou pessoas que tenham afeto entre si

www.calendário.br.

O inspetor de beijos