26 agosto, 2019

Vovó disse...




— Quando tinha sua idade vovó fazia o triplo do seu trabalho .
— Ela disse isto?
— Sim.
— No tempo dela havia cocaína nos refrigerantes.

25 agosto, 2019

Marcos na vida do macaco-rabo-de-fogo

A cada quatro anos algo marcante acontece na vidinha à toa do macaco-rabo-de-fogo.

2011. Ano em que ele foi descoberto. Vivendo exclusivamente na região entre os rios Aripuanã e Roosevelt, na amazônia brasileira, esse macaco teve a existência finalmente confirmada por uma expedição de cientistas brasileiros.

2015. Descrito como sendo uma nova espécie de primata, recebeu o nome científico de Callicebus miltoni. O macaco tem uma cauda de cor avermelhada que o torna reconhecível entre outras espécies.

2019. Por sua situação de vulnerabilidade, ele já foi catalogado na Lista Bolso-Nero. A espécie habita uma região que é situada em um arco de desmatamento, onde há violenta pressão de grilagem de terras, avanço de áreas agrícolas e atividade madeireira ilegal.

Drauzio entrevista LFV

O Dr. fez o criador da Velhinha de Taubaté e do Analista de Bagé falar muito!



00:26 - Velhinha de Taubaté
01:38 - Começo no jornalismo
06:38 - Pai escritor
08:38 - Copy desk e publicidade
10:50 - Experiências musicais
14:39 - O Analista de Bagé
18:40 - Disciplina
20:13 - Braguilha aberta
21:12 - Romances
24:48 - Tecnologias
27:08 - Charlie Parker
28:23 - Influências
29:24 - Ditadura
34:15 - Saúde e ateísmo

24 agosto, 2019

Moeda com Moai

A Ilha de Páscoa (Chile) é famosa por suas 887 estátuas monumentais chamadas Moai. Esta curiosa moeda local nos dá a visão tridimensional de uma delas.


— Se isto não é um pop-up eu quero encolher.

Moai. Estas enormes estátuas foram construídas pelos habitantes aborígines das ilhas polinésias, o povo Rapa Nui, durante os séculos 13-15. As estátuas são enormes, a maior delas tem 10 m de altura pesando 82 toneladas. No Valle Casablanca, no Chile, fiz esta foto de Elba junto a uns "moaizinhos" numa tienda de vinos.

Mercúrio, o planeta mais próximo da Terra

Ryan F. Mandelbaum
Uma equipe de cientistas acaba de demonstrar algo que pode surpreendê-lo: Mercúrio, e não Vênus, é o planeta mais próximo da Terra (em média).
Os pesquisadores apresentaram seus resultados esta semana em um artigo recente na revista Physics Today (12 mar 2019). Eles explicam que nossos métodos para calcular qual planeta é "o mais próximo" simplificam demais o assunto. Mas isso não é tudo. "Mercúrio é o vizinho mais próximo, em média, de cada um dos outros sete planetas do sistema solar", escrevem eles.
Nossas concepções errôneas sobre o quão próximos os planetas são um do outro vêm da maneira como geralmente estimamos distâncias para outros planetas. Normalmente, calculamos a distância média do planeta ao Sol. A distância média da Terra é de 1 unidade astronômica (UA), enquanto a de Vênus é de cerca de 0,72 UA. Se você fizer subtração, você verá que a distância média da Terra até Vênus é de 0,28 UA, a menor distância para qualquer par de planetas.
Mas um trio de pesquisadores percebeu que essa não é uma maneira precisa de calcular as distâncias dos planetas. Afinal, a Terra passa o mesmo tempo no lado oposto de sua órbita de Vênus, a 1.72 UA de distância. É preciso calcular a média da distância entre cada ponto ao longo da órbita de um planeta e cada ponto ao longo da órbita de outro planeta. Os pesquisadores realizaram uma simulação baseada em duas suposições: que as órbitas dos planetas eram aproximadamente circulares e que suas órbitas não estavam em um ângulo relativo entre si.
De fato, os pesquisadores descobriram que Mercúrio era o planeta mais próximo da Terra na maior parte do tempo, em média, assim como para todos os outros planetas do sistema solar. A órbita inclinada e excêntrica de Plutão não se encaixa nessas suposições, mas não é um planeta de qualquer maneira, de acordo com a União Astronômica Internacional.
(Por favor, não me envie um email sobre isso.)
Eu acho que é hora de dizer adeus a Vênus e boas vindas ao nosso vizinho mais próximo: o melhor planeta, Mercúrio.

El planeta más cercano a la Tierra es Mercurio y no Venus, GIZMODO

23 agosto, 2019

Medusa revisitada por Hosmer

Harriet Hosmer, em Arte e Ambição: Sobre o que é preciso para ser um grande artista
De acordo com a versão da lenda grega escolhida por Harriet Hosmer, a bela Medusa foi estuprada pelo deus do mar Poseidon - um crime cometido no templo de Atena, pelo qual a deusa da sabedoria decidiu aplicar a punição. Mas em um sutil lembrete de que os escritores desses mitos eram homens, a ciumenta Atena, em vez de punir o estuprador, puniu Medusa por ter atraído a atenção de Poseidon - ela transformou a adorável donzela em uma górgona tão horrível que os homens se transformavam em pedra à vista. dela. Numa época em que era quase impossível processar a violação legal na terra natal de Hosmer, onde as esposas não tinham o direito legal de recusar sexo aos seus maridos e legiões de homens brancos estupravam mulheres negras com total impunidade legal e social.
A Medusa era um assunto popular entre os grandes mestres, mas ela era costumeiramente representada em sua forma monstruosa após o castigo de Atena. Hosmer escolheu capturar o momento da transfiguração - seu busto, concluído em 1854, retrata uma mulher orgulhosa e bonita, assim como seu cabelo está começando a se transformar em serpentes. Ela copiou o cabelo de Medusa de uma cobra real capturada em um deserto fora de Roma. Mas ela não teve coragem de matar a serpente, por isso anestesiou-a com clorofórmio, fez gesso mantendo-a engessada durante três horas e meia, depois a soltou de novo na natureza. Medusa de Hosmer - sua escolha de assunto, sua representação atípica, seu tratamento da serpente viva - encarna a relação complexa entre agente, vitima e a misericórdia tornada tangível.

Extraído de: Harriet Hosmer on Art and Ambition: On What It Takes to Be a Great Artist, por Maria Popova. In: Brain Pickings

Slideshow MEDUSA

A raposa, o pato e o saco de milho

Era uma vez um agricultor que foi a um mercado e comprou uma raposa, um pato e um saco de milho. A caminho de casa, o fazendeiro chegou à margem de um rio. Mas, para atravessar o rio de barco, o fazendeiro só podia levar consigo uma compra de cada vez: a raposa, o pato ou o saco de milho.
Se deixados juntos, a raposa comeria o pato, o pato comeria o feijão. O desafio do fazendeiro era carregar a si mesmo e suas compras para a outra margem do rio, permanecendo cada compra intacta. Como ele fez isso?
As ações para a solução estão aqui.

Este é um dos vários quebra-cabeças de travessia fluvial, onde o objetivo é levar, de uma margem do rio para a outra, um conjunto de itens sujeitos a várias restrições. A lógica destes quebra-cabeças, em que há três seres, A , B e C , é que nem A e B nem B e C podem ser deixados juntos.

Devo contar-lhes uma história horrível da minha tentativa de propor um quebra-cabeça para uma menina outro dia. Foi em um jantar, na sobremesa. Eu nunca a tinha visto antes, mas, enquanto ela estava sentada a meu lado, eu propus a ela, imprudentemente, experimentar o quebra-cabeça (eu diria que você sabe disso) da "raposa, o ganso e o saco de milho". Com alguns biscoitos para representar a raposa e as outras coisas. A mãe dela estava sentada do outro lado e disse: "Vai, resolve, minha querida, e faz certo!" As consequências foram terríveis! Ela gritou: “Eu não sei fazer isso! Eu não sei fazer isso! Mamãe! Mamãe!". Jogou-se no colo da mãe e começou a soluçar por vários minutos. Essa foi uma lição para mim sobre tentar desafiar crianças com enigmas e quebra-cabeças. Espero que o enigma da janela quadrada não produza nenhum efeito terrível em vocês!

A lógica deste tipo de história é que um matemático, uma menina e sua mãe não podem ser deixados juntos.

22 agosto, 2019

Por que Donald Trump quer fazer da Groenlândia o 51º estado americano?

APP - À primeira vista, este imenso território gelado oferece poucos atrativos, mas seus recursos naturais e sua situação geográfica fazem dele uma peça importante para o futuro, diante do apetite de outras superpotências no Ártico.
Copenhague e o governo local rejeitaram de forma categórica a oferta de compra da possessão dinamarquesa autônoma feita pelo presidente americano. A primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen classificou a proposta de compra como "absurda" e disse que Copenhague não tem o poder de vender a Groenlândia, que tem um alto grau de autonomia.
Em resposta, Trump cancelou uma visita que faria no início de setembro à Dinamarca, seu aliado na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).


A Groenlândia - "terra verde" em dinamarquês - tem verde apenas no nome. Com três quartos de sua superfície cercados pelas águas do oceano Ártico, esta ilha de quase dois milhões de quilômetros quadrados é 85% recoberta de gelo. Mais de 90% de seus 55 mil habitantes são inuits procedentes da Ásia Central. Cerca de 17 mil vivem na capital, Nuuk.
Para além da exportação de pescado, é sobretudo por suas entranhas que a Groenlândia desperta tanto interesse das potências estrangeiras: seu subsolo esconde minerais preciosos (ouro, rubi, urânio, olivina) e reservas de gás e petróleo. A China já tem uma licença para uma mina de terras-raras.
Já a Rússia espera se tornar, no Ártico, a primeira potência econômica e militar, também se beneficiando da rota do Norte, que reduz o trajeto entre os oceanos Pacífico e Atlântico.
Não é a primeira vez que os Estados Unidos tentam colocar as mãos na Groenlândia. Já em 1867, o Departamento de Estado havia manifestado seu interesse. Depois, em 1946, o presidente Harry S. Truman havia oferecido US$ 100 milhões no câmbio da época - em ouro - por essa ilha. Sem sucesso.
Talvez Donald Trump tenha consultado um manual de História ao propor a compra da Groenlândia à Dinamarca. Em 1916, o reino escandinavo concordou com a venda, por US$ 25 milhões, das Índias Ocidentais Dinamarquesas, nas Antilhas, que se tornaram as Ilhas Virgens Americanas.

Conheça mais sobre a Groenlândia, novo objeto do desejo de Trump, Yahoo

Inseto das cavernas com papel sexual invertido

As meninas são meninos e os meninos são meninas: um inseto brasileiro pouco conhecido leva esta inversão de papéis a um nível totalmente novo.
Os cientistas que pesquisam a Neotrogla, habitante das cavernas, dizem que a fêmea tem um pênis impressionante, que ela usa para transar com seu parceiro. Ele, por outro lado, é abençoado com o que os pesquisadores descrevem como sendo uma "vagina muito reduzida".
Como se isso não tornasse a vida sexual do inseto suficientemente interessante, a cópula entre os dois sexos pode durar até 70 horas.
"Embora a inversão do papel sexual tenha sido identificada em vários animais diferentes, a Neotrogla é o único exemplo em que o órgão de penetração também é reverso", disse o cientista-chefe Dr. Kazunori Yoshizawa, da Universidade de Hokkaido, no Japão.
Um estudo de quatro espécies da Neotrogla mostrou que a genitália da fêmea é usada para inserir no macho e dele receber pacotes seminais. O sêmen, além da fertilização, é um nutriente para a fêmea.
Uma vez dentro de um macho, o pênis projeta espinhos que ancoram os dois insetos juntos. Os cientistas acharam impossível separar machos e fêmeas sem causar ferimentos.
A descrição dos estranhos hábitos de acasalamento da Neotrogla é publicada na revista Current Biology.

Mirror
Fonte primária: https://doi.org/10.7554/eLife.39563.001

21 agosto, 2019

Tsk tsk!

A maneira mais comum de escrever aquele conhecido som que se emite com a ponta da língua no céu da boca.
É muito utilizada em histórias em quadrinhos e tiras de humor para indicar desaprovação. Tsk tsk! equivale a dizer "que vergonha!"
Exemplo:
JB arremessou o arpão contra a Noruega e arpeou a Dinamarca. Tsk tsk!

Por que João Gilberto é João Gilberto

O diretor artístico da Orquestra Sinfônica de São Paulo, Arthur Nestrovski, comenta em 4 vídeos o legado do inventor da Bossa Nova:
1 - Palavra e música
2 - Uma ideia de Brasil
3 - O violão
4 - Antes e depois
LINK PARA REPRODUZIR OS 4 VÍDEOS

O que se pode fazer com a tatuagem para uma ex?

... aí ele adicionou todas as Luanas que encontrou no Face, até começar a namorar com outra Luana, aproveitando assim a tatuagem com o nome da ex-namorada.

A ilustração de Aparar pela rabiola, verbete do Dicionário Brasileiro de Frases, tem uma bela história com Fabíola.

20 agosto, 2019

Você é o que você come


Se gostou da cena há um SLIDESHOW completo à disposição. Bon appétit.

Controle Remoto Universal

Foi um dia muito triste e desapontador...
Quando eu descobri que o meu controle remoto universal não podia de fato controlar o Universo.


(Não, nem mesmo remotamente.)

Arquivo (19/02/2007)
A morte do inventor do controle remoto para TV e o controle remoto mais antigo do mundo, antes dele.

19 agosto, 2019

Modelo faz upgrade de sobrancelha

Eu acho que o Photoshop passou por aqui.

(http://bitsandpieces.us/2019/03/im-thinkin-this-might-be-photoshopped/)

Aqui também: Surfista perde braço para tubarão

Slideshow DESASTRES COM O PHOTOSHOP

De onde veio o material do punhal de Tutancâmon?

Veio do espaço
Segundo uma pesquisa publicada na revista norte-americana "Meteoritics e Planetary Science", o punhal encontrado junto à múmia de Tutancâmon foi, de fato, feito com material vindo de um meteorito.
Desde 1925, cientistas tentavam comprovar as "lendas" egípcias que citavam o "ferro que caiu do céu". Agora testes científicos feitos com técnicas de fluorescência de raios X indicaram que a lâmina contém 10% de níquel e 0,6% de cobalto, concentrações de substâncias encontradas em meteoritos metálicos.
O estudo também confirmou o valor que os antigos egípcios davam para o ferro dos meteoritos, usados para a produção de objetos preciosos, como o punhal do faraó.
O faraó Tutancâmon, conhecido como "faraó menino", se tornou a múmia mais famosa do mundo e tem sido alvo de curiosidade de diversos historiadores que desejam desvendar mais mistérios sobre aquele que foi o mais jovem mandatário do antigo Egito. Falecido aos 19 anos, em 1.324 a.C, ele reinou por nove anos.


Utilização do ferro meteorítico
O mineral de ferro puro nativo praticamente não existe na superfície da Terra. Antes do domínio do processo de transformação do minério de ferro (hematita) em ferro por volta de 1.200 a.C., os meteoritos foram utilizados como fonte de ferro, podendo ser reconhecidos nos artefatos antigos por conter níquel. Assim, as armas de ferro que revolucionaram as guerras, e o ferro que implementou a agricultura, teriam sido obtidos em grande parte do ferro meteorítico
O ferro meteorítico foi encontrado em numerosos sítios arqueológicos antigos, desde a Suméria cujos artefatos com este metal datam mais de 4,5 mil anos. Inclusive na tumba de Tutancâmon foi encontrada uma adaga de ferro meteorítico.
Mesmo após o advento da metalurgia do ferro, cujo produto ainda não era de boa qualidade, os meteoritos continuaram a ser utilizados em espadas e amuletos para reis, conquistadores e sacerdotes. Isso se deu não apenas pelo fato da qualidade do aço ser superior e mais resistente aos metais forjados na época, mas sobretudo por ser proveniente de fenômeno considerado sagrado desde a mais remota antiguidade, sendo o ferro meteorítico considerado presente dos deuses aos homens, ou melhor, aos reis e sacerdotes.
Têm-se na história espadas lendárias, sendo Excalibur a mais famosa, a espada mágica do rei Artur que, segundo a lenda, fora retirada de uma pedra. Átila, o Huno ou Flagelo de Deus, tinha a "espada de Marte". No Japão, Kusanagi-no-Tsurugi era uma espada lendária, tal como Excalibur, também chamada Ama-no-Murakumo-no-Tsurugi (Espada das nuvens do céu). Esses nomes insinuam fortemente uma origem celeste, isto é, seriam espadas feitas de ferro meteorítico. A espada que Joana d’Arc achou atrás de um altar seria também de ferro meteorítico. Em 1814 o czar Alexandre recebeu de presente uma espada forjada por James Sowerby de um meteorito do cabo da Boa Esperança (Sears, 1975).
Aqui no novo continente os maias, incas e astecas também tinham o conhecimento do uso do ferro meteorítico. Quando Hernán Cortés, o conquistador espanhol perguntou aos chefes astecas de onde obtinham suas facas, eles lhe apontaram o céu.
Até muito recentemente, o ferro meteorítico era também utilizado pelos malaios e indonésios para a produção de uma arma que ainda hoje faz parte da indumentária (especialmente nas festas) daquele arquipélago, as Keris ou Kris.
Em 1818, na expedição que buscava a passagem marítima do Atlântico para o Pacífico através do arquipélago ártico canadense, o explorador John Ross encontrou membros de tribo da Groelândia usando pontas de arpões e facas feitas de ferro meteorítico. Os nativos, no entanto, não queriam revelar a fonte do ferro. Cinco expedições de 1818 a 1883 falharam em encontrar o local considerado sagrado, até que Robert Peary conseguiu trocando algumas pistolas com um guia local, que o levou à fonte do ferro que eles chamavam a Tenda (Ahnighito) pesando 31 t, a Mulher 2,5 t e o Cão 0,5 t. Todas essas partes desse enorme meteorito foram transportadas para o Museu de História Natural de Nova Iorque.
Referências
Veio do espaço: punhal de Tutancâmon é mesmo feito de ferro de meteorito.
In: https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2016/06/02
Zucoloto, M. E. (MN/UFRJ), Breve histórico dos meteoritos brasileiros, 4-5. In: www.mast.br

18 agosto, 2019

Teste de Vocabulário Português Online

O português é uma língua de origem latina do subgrupo itálico do grupo das línguas indo-europeias.
É a língua mais falada no hemisfério sul, a terceira mais falada no mundo ocidental e a quinta mais falada no mundo. Atualmente, mais de 250 milhões de pessoas no mundo falam o português e o Brasil responde por cerca de 80% desse total.
A língua portuguesa é instituída como oficial em nove países: Portugal, Guiné-Bissau, Angola, Cabo Verde, Brasil, Moçambique, Timor Leste, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial.
Existem ainda lugares em que este idioma é utilizado de forma não oficial por uma parcela restrita da população. São eles: Macau (na China) e Goa (na Índia).

My Portuguese Vocabulary Size is about: 【27740】! What about you?


— Seu português é tão bom quanto o de Machado de Assis. Você pode até criar novas palavras que irão expandir o dicionário Português-Português.
— Eu já faço isto quando estou criando verbetes para o DBF, o Dicionário Brasileiro de Frases.

Ao leitor: Você já se perguntou sobre o tamanho de seu vocabulário em português?
https://www.arealme.com

"Rosa", de Pixinguinha

1
Uma das mais belas canções brasileiras é a valsa "Rosa", do mestre Alfredo da Rocha Viana Filho, o Pixinguinha. Um primor tanto na versão original, sem letra, quanto na versão mais conhecida com letra de Otávio de Souza. Além da beleza ímpar, a canção possui algumas curiosidades.
Segundo o próprio autor, a valsa foi composta em 1917 e o título original era "Evocação". A música foi composta em três partes e, somente mais tarde, recebeu sua letra (apenas para a 1.ª e a 2.ª partes) e foi gravada e regravada muitas vezes dessa forma.
Há alguns anos atrás, a versão original, em três partes e sem letra, foi regravada para o box "Choro Carioca, Música do Brasil", lançado pela gravadora Acari. [http://qualdelas.com.br/rosa/]
"O autor dessa letra é Otávio de Souza, um mecânico do Engenho de Dentro, bairro carioca, muito inteligente e que morreu novo." (Pixinguinha)
A letra de "Rosa" é um capítulo à parte. Rebuscada, parnasiana e lindíssima foi composta pelo improvável Otávio de Souza. Mecânico de profissão, Otávio de Souza, morreu jovem e nunca compôs nada parecido com "Rosa". Um compositor de uma única música, uma obra prima.
Conta a lenda que Otávio de Souza se aproximou de Pixinguinha, enquanto o mestre bebia em um bar do subúrbio carioca, para falar que havia feito uma letra para a valsa. Pixinguinha ouviu-a e ficou maravilhado.
A gravações feitas por Orlando Silva (1937) (1960) foram responsáveis pela popularização de "Rosa". O desafio de regravar "Rosa" foi enfrentado por muitos intérpretes (Caetano Veloso, Luiz Melodia, Roberto Silva, Luss, grupo vocal Ordinarius etc.), sendo talvez o melhor resultado o obtido por Marisa Monte, em 1990, com pequenas alterações melódicas.
Outra curiosidade é que "Rosa" era a canção preferida da mãe de Orlando Silva, Dona Balbina. Após sua morte, em 1968, Orlando Silva jamais voltou a cantar a canção pois sempre chorava.
Fonte: Rosa, blog "Eternas Músicas",
2
Para o jornalista Luís Nassif, em seu artigo O mistério sobre o letrista de Rosa, de Pixinguinha, publicado no GGN, um dos grandes enigmas da música brasileira é sobre o verdadeiro autor da letra de "Rosa", música de Pixinguinha. A música está registrada em nome de Otávio de Souza, ao que consta um mecânico que morreu muito jovem.
Mas, devido ao rebuscamento da letra, uma parte dos historiadores atribui a Cândido das Neves, autor de canções românticas, rococós e inesquecíveis. A prova seria outra música de Cândido das Neves, uma suposta parceria com Pixinguinha, mas registrada apenas em nome de Cândido.
Seria a prova de uma troca que fizeram. No entanto, essa hipótese é profundamente desrespeitosa para com Otávio de Souza, mas, principalmente, para com Cândido das Neves.
Este era rococó, mas suas letras mantinham coerência.
O non sense da letra de "Rosa" lembra mais um poeta menor que se encantou com os volteios de Cândido das Neves, copiou seu estilo, mas sem dispor do talento de Cândido.
O que vocês acham?
A seguir, Nassif relaciona as letras de "Rosa", de Pixinguinha, e de "Cinzas", "Página de dor", "A última estrofe" e "Apoteose do amor", de Cândido das Neves, o Índio, para que o leitor faça seu juizo.
3
Bem esteve o compositor cearense Evaldo Gouveia que, ao compor "O mundo melhor de Pixinguinha", samba-enredo da Portela em 1974, assim cultuou São Pixinguinha: "A roseira dá / Rosa em botão / Pixinguinha dá / Rosa canção / E a canção bonita é como a flor / Que tem perfume e cor. / E ele que era um poema de ternura e paz / Fez um buquê que não se esquece mais / De rosas musicais." PGCS


17 agosto, 2019

O homem nu

Um cara chega cedo do trabalho e ouve ruídos estranhos em casa.
Ele corre para o quarto de cima, onde encontra a esposa nua na cama, muito ofegante.
"Está passando mal?", ele pergunta.
"Estou tendo um ataque cardíaco", diz a mulher.
Ele desce para o andar de baixo para pegar o telefone... mas, quando está discando, aparece seu filho de 4 anos, que diz:
"Papai! Papai! O tio Nelson está escondido em seu armário e ele não está usando roupas!"
O cara bate o telefone e sobe as escadas para o quarto, passando pela esposa a gritar, e abre a porta do armário.
Encontra seu irmão, totalmente nu e encolhido no chão do armário.
"Seu nojento", diz o marido, "minha esposa está tendo um ataque cardíaco e você está aqui nu, assustando as crianças!"

Uma mulher telefona para o vizinho e diz:
"Feche suas cortinas na próxima vez que você for transar com sua esposa. Foi repugnante e ficou todo mundo ontem rindo de você."
O homem respondeu:
"Bem, agora é minha vez de rir de vocês... porque eu nem estava em casa ontem".

Ilustração: recorte da capa do livro "O homem nu", de Fernando Sabino.

Um crime em família

Deu no hindustantimes:

A SEGUNDA ESPOSA DE UM HOMEM ASSASSINA A TERCEIRA ESPOSA COM A AJUDA DE DUAS FILHAS DA PRIMEIRA ESPOSA E DO NAMORADO DE UMA DAS FILHAS

Eu posso estar errado, mas eu suspeito de que este é um relacionamento polígamo (comum em algumas partes do mundo).
Parece que o homem de Mumbai é (foi?) casado com três mulheres, havendo geração de filhas em seu primeiro casamento. Isto em si não é um problema (numa sociedade poligâmica).
A questão é que depois que ele casou com a esposa 3, ele essencialmente negligenciou a esposa 2 - de uma perspectiva de relacionamento e de uma perspectiva financeira. Suspeito (por não estar afirmado diretamente no artigo) de que ele, de maneira semelhante, tenha também negligenciado a esposa 1, e é por isso que as duas filhas se envolveram no crime. Quanto à participação do namorado de uma destas, é provável que ele estivesse querendo ganhar pontos para ser aceito como agregado.
Conclusão
Dentro das sociedades poligâmicas, o homem deve tratar todas as esposas igualmente.

16 agosto, 2019

Controle do peso - 7







Eu tenho uma condição séria que me impede de perder peso,
É apelidada de "fome".

1, 2, 3, 45 e  6 desta série.

Uma meditação lírica

Sobre a solidão, a alteridade e a alegria de pertencer:

"Você pode estar longe dentro e longe estando fora."
— JonArno Lawson

"Você pode ficar sozinha em qualquer lugar, mas há um sabor particular na solidão que surge quando se vive em uma cidade, cercada por milhões de pessoas."
— Olivia Laing

"Você só é livre quando percebe que não pertence a nenhum lugar — pertence a todos os lugares."
— Maya Angelou

Imagem: https://twitter.com/cduhigg/status/1098570800334917632

15 agosto, 2019

Orkut bloqueado no Tinder

Orkut Büyükkökten, criador do site homônimo, estava usando o Tinder no Brasil, mas alguns usuários o encontraram no aplicativo e denunciaram sua conta como fake. Por isso, Orkut foi bloqueado no Tinder e agora pede ajuda no Twitter para ter seu login de volta.


Quem mandou tirar o Orkut da gente!

A tamareira da Judeia

Uma espécie de árvore extinta cresce a partir de uma semente com 2.000 anos de idade
A tamareira da Judeia prosperou em Israel e foi mencionada na Bíblia por várias vezes. Mas centenas de anos de guerras, destruindo os bosques de tamareiras, fizeram com que a espécie desaparecesse em 500 d.C.
Nós tendemos a acreditar que quando uma espécie se extingue, nunca mais volta. Mas essa crença não leva em conta quanto tempo as sementes podem permanecer adormecidas e viáveis.
Durante as escavações no local do palácio de Herodes, em Israel, no início dos anos 60, os arqueólogos desenterraram um pequeno estoque de sementes arrumadas em um pote de barro de 2.000 anos. Nas quatro décadas seguintes, as antigas sementes foram mantidas em uma gaveta da Universidade Bar-Ilan, em Tel Aviv.
Em 2005, a pesquisadora botânica Elaine Solowey decidiu plantar uma delas para ver o que aconteceria. "Eu assumi que, depois de tanto tempo, a semente não prestava mais. Como poderia germinar?", disse Solowey. Mas logo constatou que estava errada.
A árvore resultante foi chamada Methuselah (Matusalém?). Dez anos depois, ela floresceu e produziu pólen, que foi usado na fecundação de uma tamareira selvagem.
https://www.neatorama.com/2015/08/15/Extinct-Tree-Grows-From-2000-year-old-Seed/
https://www.treehugger.com/natural-sciences/extinct-tree-grows-anew-after-archaeologists-dig-ancient-seed-stockpile.html

Break out the cigars...
A tamareira cultivada a partir de uma semente de 2.000 anos já é pai
https://www.treehugger.com/natural-sciences/date-palm-grown-2000-year-old-seed-dad.html

14 agosto, 2019

Coral Kombinat

Um coral da antiga DDR (Deutsche Demokratische Republik, antiga Alemanha Oriental) mandando ver sem qualquer sotaque o hino dos partisans italianos (Bella Ciao). Observem a Frau Merkel (Angela Dorothea Merkel) com sua camiseta e o logotipo do Kombinat (onde provavelmente trabalhava como física em uma das empresas) ou o próprio nome do coral.
~ Jaime Nogueira



N. do E.
1 - Kombinat (russo : Комбинат) é um termo para grupos de empresas industriais, conglomerados ou trusts nos antigos países socialistas. Os exemplos incluem a VEB Kombinat Robotron, fabricante de produtos eletrônicos, e a IFA, fabricante de veículos, tanto na Alemanha Oriental, quanto a liga de cobre Erdenet, na Mongólia .
[https://en.wikipedia.org/wiki/Combine_(enterprise)]
2 - Kombinat é um coro feminino que canta músicas revolucionárias de todo o mundo em idiomas originais. Foi fundado em 27 de abril de 2008, no Dia da Resistência, que marca o estabelecimento da Frente de Libertação na Eslovênia em 1941. Cerca de 30 membros variam tanto em idade quanto em profissão, têm ensaios no centro cultural e social de Tovarna Rog no centro de Liubliana . Cada concerto do Kombinat segue um roteiro único: geralmente a história de cada música é revelada, enquanto alguns dos concertos são dedicados a eventos atuais, como a celebração do 1º de maio.
[https://www.culture.si/en/Kombinat_Choir]

Para não dizer que eu não falei de "Bella Ciao"

O evento do Curuçá

O evento do Curuçá se refere à queda de importantes bólidos perto desse rio, na região amazônica brasileira próxima à fronteira com o Peru, na manhã de 13 de agosto de 1930. O único relato desse evento foi feito pelo frei Fidelis D’Alviano, publicado na Europa em 1931. Um primeiro estudo realizado por Bailey et al. (1995) chamou esse evento de "Tunguska Brasileiro". Segundo Napier e Asher (2009), este evento como o conhecido evento de Tunguska, em 1908 e um terceiro, muito pouco estudado, que aconteceu na Guiana Inglesa, em 1935 (Korff, 1939), teriam sido os casos de queda de bólidos mais importantes do século 20. Diferentemente das estruturas pré-históricas de impacto já descritas no Brasil, o evento do Curuçá e sua estrutura de impacto, por ser episódio recente, está acompanhado de relatos e medições, especialmente do tipo sismológico. Além disso, uma expedição realizada em 1997 ao possível lugar de queda forneceu informações adicionais à lista das outras indicações conhecidas.
Relato
Todo o conhecimento inicial deste evento está concentrado num relato que foi publicado pela primeira vez pela agência Fides de notícias, em 1931, no jornal oficial do Vaticano, L’Osservatore Romano. Das repercussões desta notícia na Europa só se tem conhecimento daquela do jornal The Daily Telegraph, de Londres, naquele mesmo ano (Bailey et al., 1995; Steel, 1995). Trata-se de relato feito pelo frei Fidelis D’Alviano, da Ordem dos Franciscanos, que realizava seu trabalho de catequese no rio Curuçá. Foi justamente perto deste rio que aconteceu este evento que pode ser considerado planetário, e do qual o frei Fidelis se tornaria o único emissário para o mundo.
Frei Fidelis chegou ao rio Curuçá, rio que desemboca no Javari (divisa com o Peru), por volta de 18 de agosto de 1930, cinco dias após o estranho e terrível fenômeno. Mesmo cinco dias depois, a população, principalmente de seringueiros, ainda estava apavorada. No dia 13, vários bólidos tinham caído do céu produzindo três grandes estrondos e um tremor de terra. O frei fez relatório inteligente desse evento entrevistando perto de uma centena de seringueiros da região, e fazendo um resumo. Melhor ainda, ele produziu texto objetivo, sem nenhuma conotação religiosa. Esta objetividade não é surpreendente se considerarmos os vários aspectos pessoais do frei. Além de exercer suas atividades pastorais com os índios Ticuna por muitos anos, ele sempre trabalhou com uma atitude científica como etnógrafo e linguista.
A Europa já tinha ficado intrigada em 1908 com a queda de enorme bólido na Sibéria, evento hoje conhecido como o de Tunguska. Além das evidências sísmicas, também o céu europeu registrou este evento. Durante um tempo o céu ficou com as cores avermelhadas, características da presença de grandes quantidades de poeira em suspensão na atmosfera. Somente 15 anos depois, um conhecido geofísico russo, Leonid A. Kulik, teve a determinação de organizar uma expedição a fim de encontrar o lugar da queda. Foi tarefa difícil, já que essa região estava sendo ocultada pelos habitantes de Tunguska como sendo lugar sagrado. Kulik não encontrou nenhuma cratera, mas sim, enorme região de cerca de 2 mil km2 de floresta devastada. Isto motivou grande número de estudos, mas até hoje permanece envolto por alguns mistérios. No entanto, a interpretação mais aceita é de que um corpo de cerca de 60 a 100 m teria explodido na atmosfera em um fenômeno de detonação, produzindo violenta onda de choque que destruiu a floresta.
O astrônomo inglês Mark E. Bailey encontrou em 1995 artigo de cientistas russos citando trabalho passado de Kulik, em que ele mencionava que em 1930 teria acontecido um evento similar ao de Tunguska, na floresta amazônica. Bailey encontrou essa notícia no jornal inglês The Daily Telegraph publicado em 1931, mencionando o evento da Amazônia com um tom sensacionalista, referindo-se também ao perigo que teria corrido a nossa civilização. Bailey decidiu então procurar o artigo fonte que estaria no Vaticano. Com dois estudantes partiu à procura desse artigo nos arquivos de L’Osservatore Romano. Mas um astrônomo amador italiano, Roberto Gorelli, também teve conhecimento desse relatório de forma independente (Gorelli, 1995).
Grande e boa foi a surpresa de Bailey ao encontrar o relato do frei Fidelis. Primeiro, como foi mencionado antes, pela objetividade do relato e segundo, porque o evento teria acontecido na manhã de 13 de agosto. Bailey publicou artigo no magazine inglês The Observatory em 1995 e propôs a hipótese de que os bólidos seriam provenientes do cometa Swift-Tuttle. De fato, esse cometa periódico (período orbital de 120 anos) conhecido desde os tempos de Cristo, é aquele que produz a chuva de meteoros que acontece todos os anos entre 11 e 13 de agosto, muito conhecida no hemisfério norte como a chuva das Perseidas.
História da astronomia no Brasil (2013) / organizador: Oscar T. Matsuura ; comissão editorial: Alfredo Tiomno Tolmasquim ... [et al.]. – Recife : Cepe, 2014. v. 1. : il.
N. do E.
Em "História da astronomia no Brasil", volume I, capítulo 11, parte 2, páginas 401-402, Ramiro de la Reza, Henrique Lins de Barros e Paulo Roberto Martini apresentam a tradução para o português (de la Reza e Faulhaber, 2012) do relato do frei Fidelis, tal como apareceu em L‘Osservatore Romano (Bailey et al., 1995)

13 agosto, 2019

Tóxico, extremamente tóxico

A professora brasileira-suíça Deila Wenger costuma se deslocar de São Paulo para Berna, a capital da Suíça, durante o verão europeu para dar aulas de português intensivo numa escola de línguas local. Os alunos, em sua grande maioria, normalmente têm planos de visitar o Brasil. Mas a rotina de mais de 20 anos foi interrompida neste ano por algo inédito: não apareceu um só aluno interessado em aprender português.

Trecho inicial do texto A imagem tóxica de Bolsonaro no exterior, de autoria do jornalista Assis Moreira, correspondente em Genebra do "Valor Econômico" desde 2005.

Rosca e caneca

Mostrando por que uma rosca e uma caneca são topologicamente equivalentes:


https://www.archimedes-lab.com/wp/2018/05/21/mug-to-doughnut/ (imagem)

O Dia dos Canhotos (2019)

Para 13/08/2019 (left-handers day)
Deve o canhoto começar o dia com o pé direito?

👎Tesouras, abridores de latas, carteiras escolares com apoio de braço à direita, cadernos tipo espiral, réguas, mouses...
👍Canhotos de vales e recibos

Eu só queria ter uma loja igual à do Flanders!

12 agosto, 2019

Chocolate com poema de Fernando Pessoa na embalagem

"Em se tratando de chocolate toda resistência é em vão." ~ Regina Brett

mysugar creations

Aviso – isso só existe em Portugal! Foto que encontrei no Facebook de uma amiga com a seguinte frase – "Melhor embalagem de chocolate de todos os tempos".
Marise Araujo em Lisboa, Blue Bus
(http://omeubemestar.blogspot.com/2015/02/isto-e-aquilo-37-feira-do-chocolate-2015.html)
Merecem chocolate

Efeito Dunning-Kruger

É o fenômeno pelo qual indivíduos que possuem pouco conhecimento sobre um assunto acreditam saber mais que outros bem preparados, fazendo com que tomem decisões erradas e cheguem a resultados indevidos.

Imagem: veio daqui.

Agora, vem o pior: é a incompetência que os priva da habilidade de reconhecer os próprios erros.
"Se você é incompetente, você não consegue saber que é incompetente. As habilidades necessárias para fornecer uma resposta correta são exatamente as habilidades de que você precisa ter para ser capaz de reconhecer o que é uma resposta correta." Dunning e Kruger (Journal of Personality and Social Psychology. 1999)

Relacionada: A síndrome do pombo enxadrista

11 agosto, 2019

Quem inventou a roleta?

A roleta tem uma história muito interessante. Naturalmente, hoje em dia a maioria das pessoas joga roleta online, mas isso nem sempre foi o caso. Então, quando o jogo se originou e como se desenvolveu ao longo dos anos? Ah, e o que o nome realmente significa?
Vamos começar com isso - você provavelmente adivinhou que é francês, mas em inglês ele se traduz como roda pequena. Então, isso faz sentido! Como o nome é francês, então você não ficará surpreso ao saber que o seu país de origem é… a França! Foi desenvolvida pela primeira vez no século 17, mas não foi originalmente projetada com o seu uso atual em mente.
Blaise Pascal (1623 – 1662) foi um matemático famoso. Criança prodígio, ele criou máquinas de calcular ainda na adolescência. Mas foi durante sua busca pelo segredo do movimento perpétuo que ele criou o que para muitos é o protótipo original do que hoje conhecemos como a roleta. Embora o modelo de Pascal fosse primitivo em comparação com o design final, que surgiu pouco mais de um século depois, é quase como se Einstein apresentasse o Pokémon como um subproduto da sua Teoria da Relatividade.
Além de algumas mudanças (as cores do zero e do duplo zero), a roleta era como a conhecemos na década de 1790, mas ainda era predominantemente jogada em cassinos franceses. Não foi até o século 19 que o jogo se tornou verdadeiramente popular no resto da Europa, também se espalhando para os Estados Unidos da América. Se fosse uma criança, você poderia chamá-lo de um desenvolvedor lento (como Einstein!). Mas uma vez que ele começou a realmente decolar para a dominação mundial, pelo menos nos cassinos foi rápido.
A língua francesa era amplamente falada na Louisiana, de modo que não surpreende que tenha sido nos bares de Nova Orleans que se tornou popular nos Estados Unidos, espalhando-se no Mississippi pelos barcos a vapor. Com o advento de Las Vegas nos anos 1940 e 50, a América se tornou a nova casa da roleta.
No entanto, a cidade norte-americana e - é claro - Monte Carlo foram as únicos "cidades-cassino" de nota até os anos 1970. A partir de então, porém, os cassinos também começaram a florescer em outros lugares e, em 2008, havia centenas de cassinos em todo o mundo oferecendo o jogo.
A ascensão da internet significou que o jogo também poderia ser adaptado para novas audiências on-line. Isso significa que a roleta está conosco para ficar - na vida real ou on-line - por muito tempo.
Só podemos imaginar o que Blaise Pascal, vivendo uma vida de pobreza refinada, pensaria se soubesse como seu protótipo original de roleta acabou. Espero que ele tenha defendido o jogo de maneira sensata, ao contrário de um homem de Londres que, em 2004, vendeu todos os seus pertences - incluindo roupas - e colocou tudo no "vermelho" em um cassino em Las Vegas. Incrivelmente, ele dobrou seu dinheiro.

Who Invented Roulette?, Kuriositas

Aposto que vai gostar: Os neutrinos no Cassino da Urca e Os ladinos no Cassino de Monte Carlo

Preto e Branco

Com a grande pianista Hazel Scott:



Hazel Dorothy Scott (11 de junho de 1920 - 2 de outubro de 1981) foi uma pianista com formação inicialmente clássica. Nascida em Port of Spain, Trindade e Tobago, ela foi levada aos 4 anos por sua mãe para a cidade de Nova Iorque, onde foi logo reconhecida como um prodígio musical. Hazel Scott foi proeminente cantora de jazz durante os anos 1930 e 1940 e, em 1950, ela se tornou a primeira pessoa negra a ter um programa de TV, "The Hazel Scott Show". Também atuou em vários filmes de Hollywood, sempre se recusando a assumir papéis que a colocavam como uma "empregada cantora". Sua luta contra a segregação racial levou-a a ser colocada na "lista negra" do macartismo, razão pela qual ela teve que morar na França em certo período de sua carreira.
O vídeo acima é uma cena em que Hazel Scott aparece no filme "The Heat's On" (Columbia, 1943).

10 agosto, 2019

Passando o apagador

Em 1843, um notário chamado Leclair descobriu que, se as palavras fossem cortadas ao meio, horizontalmente, e deixadas apenas com a metade superior, essas palavras seriam lidas e reconhecidas. Com os pontos, as vírgulas e as reticências sendo sacrificados, dificuldades surgiriam para se pausar os textos. Entretanto, como as aspas, os apóstrofos e os acentos seriam preservados, a textualidade estaria garantida.
Essa dica sobre uma das propriedades das palavras me foi dada por carta pelo bom e velho Dr. Carta Pácio, inconformado com os crescentes preços dos cartuchos de tinta.

Lousa, giz e apagador
Moça provou que, se apagasse a metade superior de uma certa sequência de números, seria possível fazer surgir uma declaração de amor.

Venha de chapéu!


Provérbio português com rimas internas
Arrenego do mouro e do judeu e do homem de Viseu,
mas lá vem braguês que é pior que todos três;
e o do Porto, no seu contrato, é o pior de todos os quatro,
mas o ilhéu é de se lhe tirar o chapéu.