25 maio, 2017

Datas de validade nos alimentos não significam quase nada

A vida dos alimentos nas prateleiras parece que é um caso bem regulado, concreto, mas não é. Difere por região e tipo de alimento. No final, esses prazos não significam quase nada, o que leva a um desperdício de alimentos e a um pressuposto de segurança.
Para a maioria dos alimentos embalados, estas datas são geralmente deixadas ao critério do produtor de alimentos. Eles geralmente trabalham com empresas de terceiros, como The National Food Lab, que realizam testes para ver quanto tempo os alimentos levam para estragarem. Estas empresas deixam os alimentos em uma prateleira por dias, semanas, meses e criam um sistema de classificação para descrever a sua qualidade ao longo do tempo. Por vezes, é apenas um teste de gosto. Outras vezes, é sobre a aparência da comida, o que não tem nada a ver com o gosto ou o valor nutricional. Em qualquer caso, o teste não é particularmente científico ou indicativo da real segurança do alimento, e tudo isso é altamente subjetivo.
É impossível descobrir a data exata em que um alimento estragará
Nós gostamos de pensar que há uma data quantificável que vai nos dizer quando um alimento não serve mais, porém há muitas variáveis ​​para algo tão simples. Esse é o verdadeiro problema com datas de validade dos alimentos.
Quanto tempo a comida fica em um caminhão sendo transportada ou à espera de ser descarregada em um supermercado, quanto tempo ela fica exposta em gôndolas ou prateleiras do supermercado, quanto tempo ela fica no carrinho de compras, no carro e na despensa até ir para o freezer ou a geladeira. Etc.
Alimentos "vencidos" não é certo que vão deixá-lo doente. Significa apenas que a comida pode não ter o gosto tão bom. O que geralmente faz com que você fique doente são as bactérias patogênicas, como a Salmonella ou a E. coli, que podem viver em seu alimento antes de comprá-lo, ou mesmo persistirem depois de cozinhá-lo, se você não cozinhar o alimento corretamente. Não há nenhum rótulo ou linha do tempo que garante a sua comida estar livre das bactérias que podem deixá-lo doente. O crescimento bacteriano depende do tempo, da temperatura e do manuseio adequado dos alimentos – isso tudo é mais importante do que a data impressa. É também por isso que a comida tende a durar mais tempo no congelador da geladeira e no freezer. Não que eles matem todas as bactérias, mas porque podem atrasar ou impedir o crescimento bacteriano.
O que fazer para não depender das datas de validade
Então, se as datas são arbitrárias, o que se pode fazer? Bem, o teste do olfato ainda é a sua melhor opção. Se o alimenta cheira mal, ele vai ter gosto ruim. Seus olhos também podem dizer muito. Se a comida parece estragada, provavelmente o é. Da mesma forma, certas carnes, como o frango, tendem a obter uma textura viscosa e uma cor monótona quando estragam. Nós todos temos uma capacidade inata para dizer quando uma comida está podre ou estragada. Confie em seus sentidos.
Finalmente, a sua melhor aposta é a de armazenar os alimentos adequadamente para que eles realmente durem o tempo estimado. Certifique-se de que segue as regras básicas para descongelá-los. Mantenha os sentidos afiados para os sinais de deterioração e prepare seus alimentos corretamente para evitar a contaminação.
O fato é que as datas de validade, independentemente da linguagem que elas usam, pouco significam. Se valem um olhar quando você está no supermercado, porém elas são inúteis além desse ponto, e certamente não valem a confiança que a maioria de nós deposita nelas. Nós podemos fazer muito melhor com os nossos olhos e narizes.

Expiration Dates on Your Food Mean Nothing, por Thorin Klosowski. In: lifehacker

A propósito: o que se passa com o sal de Kalahari?

24 maio, 2017

Uma leitura interessante sobre o futuro

Em 1998, a Kodak tinha 170 mil funcionários e vendia 85 por cento de todo o papel fotográfico no mundo.
Em apenas alguns anos, seu modelo de negócios desapareceu e eles entraram em falência. O que aconteceu com a Kodak acontecerá com muitas indústrias nos próximos 10 anos.
Em 1998, você pensava que, 3 anos mais tarde, não faria mais retratos com rolos de filme?
No entanto, as câmeras digitais foram inventadas em 1975. As primeiras eram de 10.000 pixels, mas seguiram a Lei de Moore. Assim como em todas as tecnologias exponenciais, foram uma decepção por algum tempo, antes de mostrarem a superioridade e tornarem-se mainstream em poucos anos.
Isso vai acontecer com a Inteligência Artificial, a saúde, os automóveis autônomos e elétricos, a educação, a impressão 3D, a agricultura e os empregos.
Bem-vindo à 4ª Revolução Industrial. Bem-vindo à Era Exponencial.
Continue lendo ...

Café Preguiça


Às vezes, é difícil rastejar para baixo de sua árvore sem uma motivação adequada.
Mas...
Quando o cheiro de um café passado na hora atinge suas narinas, até mesmo essa criatura mais preguiçosa do mundo, que você é, dá um jeito de descer com toda rapidez.

Dia Internacional da Preguiça: 07/11
Dia Nacional da Preguiça: toda segunda-feira e 07/11
Dia do Café: 24/05

Bebidas com o café
- em 1917: café preto, café com leite
- em 2017: todas as anteriores + americano, cappuccino, chai latte, latte, liquer coffee, espresso, ice coffee, marocchino, ristretto ... .... ....
https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_coffee_drinks
http://myscienceacademy.org/2014/05/12/32-painfully-true-facts-about-everyday-life/

23 maio, 2017

O dinossauro biônico

EU FAÇO!

O T. rex tem sido levado ao ridículo por conta de seus braços pequenos. Eles parecem um detalhe estúpido em um ser tão poderoso e terrível.
Que ajuda pode receber da ciência?

Quem foi rex nunca perde a majestade

O malabarismo de contato

Este vídeo prendeu minha atenção até o fim. É uma amostra do contact juggling, o malabarismo de contato.
Dê uma olhada nesta página da Wikipédia para receber uma explicação completa.
Há várias maneiras de fazê-lo. No entanto, essencialmente, envolve o ato de rolar uma bola em torno do corpo, girando e manipulando a bola para que ela pareça estar suspensa no ar.
E o jovem, no vídeo abaixo (feito na Universidade Nacional de Taiwan), faz tudo isso com destreza e graça.


22 maio, 2017

Carver e sua lista de virtudes

George Washington Carver (1861 - 1943) - químico americano, engenheiro agrônomo, botânico e pesquisador que ajudou a revolucionar a economia agrícola no sul dos Estados Unidos. Carver demonstrou aos agricultores como a fertilidade poderia ser restaurada em suas terras por diversificação, especialmente plantando amendoim e batata doce para reabastecer o solo empobrecido pelo crescimento regular de algodão e tabaco. Ele mostrou que o amendoim continha vários tipos diferentes de óleo, e a manteiga de amendoim foi outra de suas inovações. Consta ter desenvolvido mais de 300 novos produtos de amendoim e mais de 100 de batata-doce. Durante a maior parte de sua carreira, ele lecionou e conduziu pesquisas no Tuskegee Institute, no Alabama, onde permaneceu apesar das ofertas lucrativas de trabalhar para magnatas como Henry Ford e Thomas Edison. Foi também um grande promotor do ambientalismo, tendo recebido diversas honrarias como a Spingarn Medal, da Associação Nacional Norte-Americana para o Progresso das Pessoas de Cor. Em 1941, a revista Time o nomeou como o Leonardo da Vinci negro.
Preocupado com o caráter dos alunos, Carver compôs uma lista de oito virtudes que eles deveriam seguir:
  1. Seja limpo, por dentro e por fora.
  2. Não bajule o rico, nem humilhe o pobre.
  3. Saiba perder sem espernear.
  4. Ganhe sem se gabar.
  5. Seja sempre atencioso com as mulheres, crianças e pessoas mais velhas.
  6. Seja corajoso para não mentir.
  7. Seja generoso para não trapacear.
  8. Pegue sua porção do mundo e deixe os outros pegarem as deles.

Por que a chama não produz sombra?



Você já se perguntou por que a chama de uma vela ou de um fósforo não produz uma sombra?
Bem, a explicação é simples. Basicamente, uma sombra é criada quando a luz é bloqueada, e uma chama, como a que acontece durante a queima de um fósforo, é uma reação química gasosa ocasionada por um processo de combustão.
Assim, uma chama não é sólida o suficiente (a menos que contenha muita fuligem de carbono) para bloquear a passagem da luz ambiente de modo a lançar uma sombra.

21 maio, 2017

À mão, sim

Algum dia, nós, da geração antiga, usaremos a letra cursiva como código secreto.


À mão, não

Uma Nova Esperança, acelerada a laser

Não há não muito mais a dizer, além do que está no título desta nota: Lord Aussem teve o trabalho de criar uma versão para "Uma Nova Esperança" (o episódio IV de Star Wars, de 1981), mas com a particularidade de que, a cada vez que um tiro a laser é disparado, o filme sofre uma aceleração - o que faz com que a versão não dure nem um minuto e um quarto.



A franquia Star Wars no blog EM
Uma peleja mágico-galáctica e o musical NÃO GOSTO DE STAR WARS

20 maio, 2017

Um grande momento para estarmos vivos

A internet permitiu-nos sair de nossas mentalidades locais e ler opiniões de pessoas em todo o mundo, expondo-nos aos pontos de vista e experiências de outras pessoas. Isto significa que, em vez de pensarmos que estamos certos em uma escala local, cercados por aqueles que concordam conosco e não desafiam as nossas posições e pressupostos, podemos entender como as pessoas em todo o mundo são estúpidas e têm opiniões ridículas que murcham sob a força dos nossos argumentos lógicos superiores.
Cinco mil anos atrás, você estaria exposto durante toda a sua vida a uma tribo: um bando de talvez 75-100 pessoas. Mil anos atrás, se você vivesse em uma vila rural, talvez você estivesse exposto a 150-300 pessoas em toda a sua vida. Agora, você pode fazer valer a sua superioridade mental sobre milhões, senão bilhões de pessoas, referindo-se ao mesmo tempo a elas como idiotas (*), enquanto zomba de suas opiniões imbecis.
É realmente um grande momento para estarmos vivos.
Dave Pacheco, Google+.

(*) "twatwaffles", no original, uma gíria impublicável: uma vagina que parece um waffle descongelado de tão encolhida que está (oops, acabei publicando).

Parafraseando Galileu
Publica o que é publicável e torna publicável o que não o é.
Paulo Gurgel

Hans, o cavalo esperto

Hans Esperto (Clever Horse) era um cavalo de propriedade do professor de matemática Wilhelm von Osten, Além de professor de um ginásio, o alemão von Osten era frenologista, místico e treinador de cavalos amador.
Ele mesmo, segundo ele dizia, ensinara o cavalo a somar, subtrair, multiplicar, dividir, trabalhar com frações, dizer o tempo, o dia, o mês e o ano do calendário, diferenciar tons musicais, e ler, soletrar, e entender alemão.
Von Osten perguntava a Hans: "Se o oitavo dia do mês vem em uma terça-feira, qual é a data da sexta-feira seguinte?"
Hans respondia batendo com o casco no chão.
As perguntas podiam ser feitas oralmente ou na forma escrita. E von Osten exibiu Hans por toda a Alemanha, nunca cobrando ingresso.


As habilidades de Hans foram relatados pelo The New York Times, em 1904. Um painel formado por 13 proeminentes cientistas, conhecido como a Comissão Hans, estudou a fundo se o cavalo era de fato inteligente. E passou depois suas observações para o psicólogo Oskar Pfungst.
O psicólogo concluiu que Hans Esperto, na verdade, respondia à linguagem corporal de seu treinador. Esse resultado foi publicado em 1907.
Em 1909, von Osten morreu, e Hans foi adquirido por vários proprietários. Depois de 1916, não se teve mais notícia de Hans Esperto.

http://pballew.blogspot.com.br/2016/10/on-this-day-in-math-october-13.html

Poderá também gostar de ver – com ingresso
Mike, o galo sem cabeça

18 maio, 2017

Vítimas silenciosas

Deu em The Express-Times:


 VÍTIMAS DE HOMICÍDIO RARAMENTE COMUNICAM À POLÍCIA

No Laos, casulos de bambu promovem o ecoturismo

Habitações esféricas de bambu penduradas em árvores no meio de uma floresta, eis o projeto de ecoturismo desenvolvido pela "Cole Company" para a "Nam Et Phou Louey-Biodiversity Conservation Area", no norte do Laos.
Impulsionado pelos valores ambientais em voga, o ecoturismo experimenta um desenvolvimento cada vez maior em todo o mundo. Mais do que uma moda passageira, trata-se de uma crescente consciência na mente dos viajantes ansiosos por combinar a descoberta da natureza com o respeito ao meio ambiente.
Estas estruturas livremente inspirados em ninhos de pássaros devem ser construídas não muito distantes da "vila Nam Poung", para dar emprego e renda aos moradores, além da promessa de um turismo sustentável e limpo para a sua região. Além do aspecto educativo da experiência, as estruturas são projetados para reduzir o impacto sobre o ambiente.
Estas habitações não convencionais permitem aos visitantes uma imersão na natureza, enquanto desfrutam do espetáculo de ver a fauna e a flora. Construído de bambu e madeira, cada "casulo" deve incluir uma base sólida que garanta aos inquilinos alguma privacidade. O tecido utilizado é leve e hermético para protegê-los da chuva e dos ataques furtivos dos mosquitos.
Além destes quartos flutuantes que podem acomodar duas pessoas, o projeto inclui um ponto de observação construído de bambu e madeira, a fim de apreciar a paisagem e, quem sabe, os animais selvagens, já que a floresta é um dos últimos santuários do tigre na Indochina.
Esqueça os hotéis e pousadas de luxo, aqui o visitante sacrifica seu conforto em favor do respeito aos locais visitados.

https://mrmondialisation.org/des-cocons-de-bambou-promeuvent-lecotourisme/

17 maio, 2017

A máquina de Anticítera

Há mais de um século, nas areias do fundo do mar que cerca a ilha grega de Anticítera (ou, originalmente, Antikythera), um grupo de catadores de esponjas marinhas descobriu uma galé romana naufragada.
Há divergências sobre a data exata desta descoberta, mas ela teria ocorrido entre 1900 e 1902.
Entre os restos da galé romana, os catadores também encontraram um dos objetos mais desconcertantes e complexos do mundo antigo. Trata-se de um instrumento de bronze já muito corroído, feito há 2 mil anos, na Grécia antiga.
É conhecido como máquina (ou mecanismo) de Anticítera.


"Se não tivessem descoberto a máquina, ninguém teria imaginado, ou nem mesmo acreditado, que algo assim existisse, pois é muito sofisticada", disse à BBC o matemático Tony Freeth, da Universidade de Cardiff, que integra a equipe internacional que investigou o artefato.
E ele não está exagerando na descrição. Levou cerca de 1,5 mil anos até que algo parecido com a máquina de Anticítera voltasse a aparecer, na forma dos primeiros relógios mecânicos astronômicos, na Europa. "Se os cientistas gregos podiam produzir esses sistemas de engrenagens há dois milênios, toda a história da tecnologia do Ocidente tem que ser reescrita", acrescentou.
Anteriormente, por volta de 600 a.C., astrônomos babilônios haviam descoberto o ciclo de Saros, no qual a Lua e a Terra voltam a se encontrar a cada período de 223 luas (18 meses e 11 dias), o que prevê a ocorrência de eclipses.
"Quando havia um eclipse lunar, o rei babilônio deixava o posto e um substituto assumia o poder, de modo que os maus agouros fossem para ele. Logo o substituto era morto e o rei voltava a assumir sua posição", conta John Steele, especialista sobre a Babilônia no Museu Britânico.
Seria possível que os gregos antigos estivessem usando a máquina para seguir o movimento da Lua?
Ora, conhecer as fases da Lua era extremamente útil na época dos gregos antigos. Com base nelas, determinavam-se épocas de plantio, estratégias de batalha, festas religiosas, momentos de pagar dívidas e autorizações para viagens noturnas.
Os pesquisadores chegaram a esta conclusão: a máquina de Anticítera podia prever os eclipses. Não apenas o dia, mas a hora, direção da sombra e cor com a qual a Lua apareceria.
O ciclo de Saros depende do padrão da Lua, mas "nada sobre a Lua é simples", diz Freeth. "A Lua tem a órbita elíptica, assim ela viaja mais rapidamente quando está mais perto da Terra", exemplifica.
Podia, então, a máquina de Anticítera rastrear o caminho flutuante da Lua?
Sim, podia: duas engrenagens menores, uma delas com uma pinça para regular a velocidade de rotação, replicavam com precisão o tempo da trajetória que o satélite natural executa ao redor da Terra; e outra, com 26 dentes e meio, computava o deslocamento dessa órbita.
Ao examinar a parte frontal do aparelho, os investigadores concluíram que ele demonstrava como os gregos entendiam o Universo naquele momento: a Terra no centro e cinco planetas ao redor. E o movimento dos cinco planetas que podiam ser vistos a olho nu: Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno
"Era uma ideia extraordinária: pegar teorias científicas da época e mecanizá-las para ver o que aconteceria dias, meses e décadas depois", diz o matemático.
"Essencialmente, foi a primeira vez que a raça humana criou um computador", acrescenta Freeth. "É incrível como um cientista daquela época descobriu como usar engrenagens para rastrear os complexos movimentos da Lua e dos planetas".


Hoje, no Google: uma homenagem (doodle) à máquina de Anticítera que, dois mil anos atrás, ajudou o homem a abrir o céu do conhecimento para a astronomia e a computação.

Hideki Tojo

Em 1945, quando as tropas americanas de ocupação se aproximavam de sua residência em Tóquio, o general Hideki Tojo, primeiro-ministro do Japão, preparou-se para o suicídio. Mandou o seu médico fazer um traço de giz no peito, no local que correspondia ao coração, e, então, quando as tropas chegaram à porta da frente, disparou neste local com um Colt calibre 32.
Apesar de gravemente ferido, errou o coração e viveu para ser condenado pelos crimes de guerra.
As últimas noites de sua vida foram passadas a escrever poemas – dentro da tradição romântica japonesa. Num deles, Tojo, então com 62 anos, despede-se de sua mulher com o seguinte verso:
Espero por ti, flor de lótus, na outra margem.
Ele foi enforcado em 1948.

Colocando palavras na boca de Tojo
Em 1946, quando o primeiro-ministro japonês Hideki Tojo era mantido prisioneiro pelos Aliados vitoriosos, ele pediu um conjunto de dentaduras para que pudesse falar claramente durante seu julgamento por crimes de guerra.
As próteses foram feitas por um dentista militar, EJ Mallory. "Achei que era meu dever realizar a tarefa," disse o dentista. "Mas isso não significava que eu não poderia me divertir um pouco."
Ele escreveu a frase "Lembre-se de Pearl Harbor", em código Morse, nas próteses que entregou a Tojo.
Mallory confidenciou isso a alguns amigos, e o segredo foi divulgado. Então, ele teve que despertar Tojo no meio da noite para pedir de volta as dentaduras e suprimir a mensagem. No dia seguinte, quando um coronel o confrontou, ele foi capaz de dizer com sinceridade que não havia nenhuma mensagem nas próteses dentárias.
Não se sabe se Tojo chegou a descobrir o que tinha acontecido.
"Não foi feito nada com raiva", garantiu Mallory. "É só que muitas pessoas não tiveram a chance de pôr essas palavras em sua boca."
http://www.futilitycloset.com/2015/12/13/putting-words/

16 maio, 2017

O papel do ponto final nas mensagens

A ciência falou
Segundo um trabalho publicado por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Binghampton (Reino Unido), as mensagens mediadas por computadores que acabam com um ponto final são vistas pelos destinatários como sendo menos sinceras.
Talvez porque buscamos, nas mensagens curtas, «pistas adicionais» sobre o que tentam nos transmitir. Esta seria também a razão por que gostamos dos emoticons e por que preferimos as mensagens que acabem com «!» ou mesmo com «?».
A experiência foi realizada com estudantes que, após trocarem vários tipos de mensagens, lhes foi perguntado se o uso da pontuação fazia alguma diferença.
As mensagens terminadas com ponto final foram classificadas como textos que produziam desconfiança. Para as notas escritas à mão nenhuma diferença foi encontrada.


Pensamento
Falar sem aspas, amar sem interrogação, sonhar com reticências, viver sem ponto final ― Charles Chaplin

O efeito borboleta - 2

Em 1979, o professor de meteorologia Edward Lorenz, do MIT, apresentou um trabalho na 139ª Reunião Anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, com o título de "Predictability: Does the flap of a butterfly's wings in Brazil set off a tornado in Texas?" (Previsibilidade: Será que o bater das asas de uma borboleta no Brasil desencadeia um tornado no Texas?)
A ideia de que uma borboleta pode ter o efeito de uma onda de longo alcance em eventos subsequentes parece haver estreado em 1952, em um conto de Ray Bradbury sobre as viagens no tempo.


O efeito borboleta - 1

15 maio, 2017

Selos brasileiros

Em 1967, 1973 e 1974, a Casa da Moeda do Brasil imprimiu para o Correio do Brasil selos em que o tema foi a fita de Möbius.
(Em 1974, não o foram realmente.)
MOEBIUS STRIPS, Images of Mathematicians on Postage Stamps

O que é a fita de Möbius:
SLIDESHOW

Aplicações práticas para a faixa de Möbius (outro nome para a fita de Möbius), não existem. No entanto, sua descoberta desencadeou uma área inteira e nova de estudos na Matemática, conhecida como topologia
A topologia é como uma geometria sem escala, que trata os objetos pelas relações que têm entre si, independentemente de suas dimensões. Assim, para a topologia, um cubo é igual uma esfera, mas ambos são diferentes de uma xícara.

O coquetel do cometa

Aqui está uma receita inspirada nos componentes químicos de um Cometa Lovejoy, embora estes sejam mais facilmente disponíveis (e mais seguros) quando são usados seus substitutos terrenos:
• Álcool Etílico, C2H5OH (use Vodka, no lugar)
• Glicoaldeído CH2OHCHO (o 'açúcar' mais simples - use açúcar de cana, em vez e a gosto)
• Formato de Metila, HCOOCH3 (com seu odor de limão - use suco de limão, em vez e a gosto)
• Gelo, H2O em fase sólida (conforme o necessário, mas não exagere)
Nota:
Idealmente, o coquetel deve ser servido em um copo azul-esverdeado - em homenagem às espetaculares cores do cometa C 2014 Q2 / Lovejoy (foto) - bem como para obter efeitos ótimos.


Terry Lovejoy é um astrônomo amador da Austrália. Ele já descobriu cinco cometas.

14 maio, 2017

Elegia

Eulogy, um poema de Sherman Alexie
Versão para o português: PGCS
Minha mãe era um dicionário.
Ela foi um dos últimos falantes fluentes de nossa linguagem tribal.
Conhecia dezenas de palavras que ninguém mais conhecia.
Quando ela morreu, nós enterramos todas essas palavras com ela.
Minha mãe era um dicionário.
Ela conhecia palavras que haviam sido ditas por milhares de anos.
Ela sabia palavras que nunca mais serão ditas.
Ela conhecia canções que nunca mais seriam cantadas.
Ela conhecia histórias que nunca mais seriam contadas.
Minha mãe era um dicionário.
Minha mãe era um tesauro,
Minha mãe era uma enciclopédia.
Minha mãe nunca ensinou a seus filhos a língua tribal.
Oh, ela nos ensinou a contar até dez.
Oh, ela nos ensinou como dizer "eu te amo".
Oh, ela nos ensinou como dizer "ouça-me."
E, é claro, ela nos ensinou como maldizer.
Minha mãe era um dicionário.
Ela foi uma das quatro últimas oradoras da língua tribal.
Em poucos anos, os últimos falantes sobreviventes, todos idosos, também terão desaparecidos.
Há índios mais novos que falam uma versão nova da língua tribal.
Mas os últimos oradores antigos desaparecerão.
Minha mãe era um dicionário.
Mas ela nunca me ensinou a língua tribal.
E eu nunca pedi para aprender.
Minha mãe sempre me dizia: "O inglês será sua melhor arma".
Ela estava certa, ela estava certa, ela estava certa.
Minha mãe era um dicionário.
Quando ela morreu, seus filhos a prantearam em inglês.
Minha mãe sabia palavras que haviam sido ditas por milhares de anos.
Às vezes, à noite, cantava uma das canções antigas.
Ela nos ninava com canções antigas.
Nós éramos ninados por nossos antepassados.
Minha mãe era um dicionário.
Tenho uma fita cassete gravada em 1974.
Naquela cassete, minha mãe fala a língua tribal.
Está falando a língua tribal com sua mãe, Big Mom.
E então elas cantam uma canção antiga.
Eu não ouvi essa fita cassete por duas décadas.
Eu não quero correr o risco de destruir a fita em algum velho tocador de cassetes.
Nem o risco de alguém transferir essa fita para digital.
A conversa da minha mãe e da minha avó não é para estar na nuvem.
Essa antiga canção é muito sagrada para a Internet.
E como a fita cassete se deteriora, eu sei que em breve estará imprestável.
Talvez eu a enterre perto do túmulo da minha mãe.
Talvez eu vá enterrá-la no túmulo que ela compartilha com meu pai.
Claro, eu estou mentindo.
Eu nunca a enterraria onde alguém poderia encontrá-la.
Fiquem longe, arqueólogos! Desapareçam, desapareçam!
Minha mãe era um dicionário.
Ela sabia palavras que eram ditas há milhares de anos.
Ela sabia palavras que nunca mais serão ditas.
Gostaria de poder construir túmulos para cada uma dessas palavras.
Talvez este poema seja uma lápide.
Minha mãe era um dicionário.
Ela falava a velha língua.
Mas ela nunca me ensinou como dizer aquelas palavras antigas.
Ela sempre me dizia: "O inglês será sua melhor arma".
Ela estava certa, ela estava certa, ela estava certa.

Poeta e cineasta vencedor de prêmios do "National Book", Sherman Alexie é considerado um dos melhores jovens romancistas americanos de "Granta" e foi louvado por "The Boston Globe" como "uma voz importante na literatura americana". Ele é um dos mais conhecidos e aclamados escritores de sua geração, com obras como "The Long Ranger e Tonto Fistfight in Heaven" e "Reservoir Blues" e recebeu inúmeros prêmios e citações, incluindo o Prêmio PEN / Malamud para Ficção e o Prêmio Lila Wallace-Reader's Digest.

Línguas faladas no mundo

A página de Steampunk

Uma modalidade de escultura muito curiosa e desconcertante: uma mistura improvável de coisas identificáveis como Punk engenhosamente montada com componentes mecânicos de máquinas a vapor, dentre outras coisas. O site abaixo mostra de forma magnífica que simpática doideira é essa, e haja imaginação! - Jaime Nogueira



Vídeo: The Old New World Project, de Alexey Zakharov

Como posso saber se eu sou um Steampunk?
Bem, deixe-me colocar as coisas desta forma: se você é alguém que frequentemente expressa as palavras "casa é onde eu encontro uma turbina a vapor" - então, você é um Steampunk!

Ainda estamos na Era do Vapor?
Sim. Desde que a primeira máquina a vapor, a Eolípila, também chamada de "bola de vento", foi criada por Heron de Alexandria, no século I, que o vapor continua importante na geração de grande parte da energia elétrica de muitos países. Um exemplo são as usinas nucleares, que utilizam calor de reatores para produzir o vapor. Mais de 88% da energia elétrica dos Estados Unidos é gerada pelo vapor. Porém, não são mais utilizados motores a vapor, mas, sim, turbinas a vapor, cuja eficiência é maior. Acrescentem-se, aqui, os vaporizadores (mal vistos pela Anvisa) que são utilizados por muitas pessoas que querem deixar de fumar os cigarros convencionais. [PGCS]

Uma caldeira autotransportável | A todo vapor | Concerto a vapor | "Loucomotivas"

13 maio, 2017

O resto é silêncio

(http://www.futilitycloset.com/2016/12/21/finale/)

Lápide do compositor Alfred Schnittke:
A pausa de uma semibreve sob uma fermata indica que a pausa deve durar o tempo que o músico quiser. Marcada com fff, ou fortissimo, significa que ela deve ser realizada muito fortemente.

O Diabo - até a ponta do nariz

"O diabo na rua, no meio do redemoinho." (Guimarães Rosa)

O Diabo queria porque queria entrar na igreja, mas o padre, com toda razão, não permitia. Todo dia o Diabo, bem cedo, se colocava em frente à porta da igreja e insistia com o padre. Padre, dizia com uma doce voz o Diabo, posso entrar somente um pouquinho na igreja? O padre, experiente e conhecedor das manobras e artimanhas do Diabo, negava com veemência sua pretensão. Mas, o Diabo, como ele só, não desistia e, todos os dias, antes mesmo de o grande e suntuoso portão da igreja se abrir, já estava lá à espera do padre para renovar seu pedido. Padre – com humildade pedia o Diabo – posso entrar em sua bela igreja, somente por pouquíssimo tempo? O padre, mais firme do que nunca, com uma grande cruz ornamentando o peito dizia um sonoro não. Os anos se passaram e o Diabo não desistia, todo dia, mesma hora, na mesma igreja, com o mesmo padre, fazia o mesmo pedido.
Certo dia o Satanás, que até então não tinha alcançado seu objetivo, perguntou ao padre: – Padre eu posso entrar na igreja? O padre, já abatido pela idade e pela insistência do Demo, ainda bravamente resistia. Mas o Coisa Ruim não desiste fácil. Padre, com voz aveludada, indagava o Diabo, posso então só dar uma pequena olhadela na igreja, eu prometo que só coloco a ponta do meu nariz na sua sagrada igreja. O padre, querendo se livrar do Cão, já cansado do obstinado Demo, pensou: “somente a ponta do nariz não terá problema”. Então o padre concordando, porém sem antes deixar de alertar ao Diabo com voz poderosa e firme, segurando seu crucifixo, disse: – Está certo, vou lhe deixar olhar a igreja, por um único instante e você não poderá passar da “ponta do seu nariz”. Perfeitamente, disse o Diabo com um enigmático sorriso. O que fez então o Diabo? Entrou na igreja de costas, de modo que a ponta do seu nariz foi à última parte do corpo do Diabo a entrar na igreja.
Moral da estória: Não negocie jamais com o Diabo. Não transija com seus direitos. Se você abdicar de um direito fundamental, estará escancarando a porta para que outros direitos sejam violados.

O Diabo e as dez medidas contra a corrupção, por Leonardo Isaac Yarochewsky

Os nomes do demônio na obra de Guimarães Rosa

Janaína foge ao controle dos padres Hélio e Miguel:

12 maio, 2017

UM GOLPE POR DIA, 365 DIREITOS PERDIDOS

O último ano no Brasil foi marcado pelo verbo perder. Perdemos a estabilidade garantida pela democracia. Os brasileiros se viram paralisados diante de uma avalanche de perdas de direitos. As possibilidades de diálogos da sociedade com o poder Executivo e com o Congresso foram perdidas e desde o dia 12 de maio de 2016, quando se instalou um governo que não foi eleito pelo voto, se inaugurou um período de perda de certezas e garantias.
O clima de instabilidade política, econômica e social, com profundos retrocessos na condução de políticas públicas e nos direitos constitucionais assegurados, levou a sociedade a uma posição de alerta. Assim surgiu a plataforma Alerta Social – Qual direito você perdeu hoje? que tem realizado um trabalho sistemático de registro das perdas e ameaças de direitos. Infelizmente, o acervo acumulado é bastante volumoso e consistente, o que denota o profundo grau de mudanças.
Esta publicação traz a síntese desse triste ano. Uma cronologia dos últimos 12 meses com 365 fatos e medidas que implicaram na perda de direitos dos brasileiros é o caminho que optamos por percorrer. A cada mês foi destacado uma política pública e como ela está sendo desmontada. Esse caminho dá a noção de como um projeto sem voto, de desenvolvimento excludente, com visão de Estado mínimo, com práticas autoritárias, de salvaguarda aos interesses do capital nacional e internacional se instala e ganha vigor no Brasil.

Óculos do Lula

Lula esqueceu os óculos (*) na sala de audiências da 13ª Vara Federal de Curitiba. Quem houver encontrado, favor devolvê-los a ele. Grato.


(*) modelo "turn down for what?"
Em português: "pegar leve pra quê?!"


Ler também: Os 10 melhores momentos de Lula em Curitiba

O eterno no efêmero

No final do seus livro de 1986, "Paradoxos em Teoria da Probabilidade e Estatística Matemática", o estatístico Gábor J. Székely recorda um paradoxo criado por seu falecido professor Alfred Rényi:
"Desde que comecei a lidar com a teoria da informação, frequentemente meditei sobre a concisão dos poemas: como pode uma única linha de um verso conter muito mais 'informação' do que um telegrama altamente conciso do mesmo comprimento? A riqueza surpreendente do significado das obras literárias parece estar em contradição com as leis da teoria da informação. A chave para este paradoxo é, penso eu, a noção de 'ressonância'. O escritor não apenas nos dá informações, mas também toca nas cordas da linguagem com tal virtuosismo, que nossa mente e até mesmo o subconsciente ressoam. Um poeta pode recordar correntes de ideias, emoções e memórias com uma palavra bem-achada. Nesse sentido, a escrita é mágica."
Em tempo
Morreu hoje em São Paulo Antonio Candido de Mello e Souza (Rio de Janeiro, 24 de julho de 1918 – São Paulo, 12 de maio de 2017). Foi um sociólogo, literato e professor universitário brasileiro. Estudioso da literatura brasileira e estrangeira, possui uma obra crítica extensa, respeitada nas principais universidades do Brasil.
Para guardar de ACMS:
"Temos que entender que tempo não é dinheiro. Essa é uma brutalidade que o capitalismo faz, como se o capitalismo fosse o senhor do tempo. Tempo não é dinheiro. Tempo é o tecido da nossa vida."
"O socialismo é uma finalidade sem fim. Você tem que agir todos os dias como se fosse possível chegar ao paraíso, mas você não chegará. Mas se não fizer essa luta, você cai no inferno."

11 maio, 2017

Nistagmo

para Nelson Cunha

eyes on the road, Bits and Pieces

NISTAGMO s..m. Med. Movimento oscilatórios e/ou rotatórios rápidos do globo ocular.

Para estrangeiro ver

Às vésperas do lançamento nos cinemas do filme Rei Arthur - A Lenda da Espada, distribuído pela Warner Bros. Pictures, começamos a nos perguntar: quem foi esse homem misterioso? A figura elusiva do Rei Arthur é mencionada em histórias medievais e sagas poéticas, travando batalhas contra invasores saxões, acompanhado da figura mística de Merlin.
Embora seja difícil dizer com certeza o que é verdade e o que é lenda, a Grã-Bretanha está repleta de locais que ocupam lugar de destaque na história do Rei Artur.
Segundo a lenda arturiana, o Rei Artur foi concebido no castelo de Tintagel, no alto de um penhasco na região da Cornualha, como resultado de um truque de mágica. Uther Pendragon, pai de Artur, se apaixonou por Igraine, esposa de Gorlois, Duque da Cornualha (aquele que se perdeu pelo título nobiliárquico). Para chegar até Igraine, Uther pediu ao mago Merlin para usar sua magia para criar um disfarce que o fizesse parecer com o Duque. Em seu disfarce, Uther conseguiu passar pelos guardas e entrar nos aposentos de Igraine.
Tintagel hoje é uma série de ruínas espetaculares exploradas por visitantes que procuram de indícios de magia. Além de ter uma magnífica caverna do mar, entre as rochas abaixo do castelo, que também é conhecida como Caverna do Merlin. Embora não haja qualquer evidência da existência de Merlin – além de menções em certos manuscritos medievais – a caverna com certeza tem algo de mágico e encantador!

Extraído de: www.visitbritain.com/br

10 maio, 2017

Os elevadores, com seus botões

1
Entre os muitos símbolos da apressada vida moderna, os elevadores se destacam. Por sua própria natureza, o elevador – o transporte vertical de curto alcance, como a indústria o chama – é um negócio que funciona sob pressão. Embora ainda existam lugares na Terra onde as pessoas têm uma vida plena sem nunca precisarem de um elevador, a Otis Elevator Company estima que seus veículos fazem subir e descer o equivalente a toda a população do planeta a cada nove dias. Esta é uma clientela que não gosta de esperar.
2
Quantas vezes você vai insistir em pressionar um botão de elevador, sabendo que isso não acrescenta nada? Quantas vezes você vai pressionar botões de chamada que já estão acesos – apesar de sua suspeita de que, uma vez que o botão foi pressionado, nenhuma quantidade a mais de toques vai apressar a chegada do elevador? Sua suspeita é pertinente. Os computadores até poderiam instruir os elevadores para dar preferência aos andares com muitas chamadas. Mas os engenheiros de elevadores sabem perfeitamente que não se deve fornecer qualquer incentivo a quem gosta de pressionar o botão repetidamente.
Ilustração: André François
(https://www.brainpickings.org/2016/08/11/james-gleick-faster/)

Na hora da dificuldade

Por Fernando Brito · 20/04/2017
http://www.tijolaco.com.br/blog/mesquinhez-de-moro-e-sua-derrota-moral/

Por isso, se me fosse perguntado que conselho modesto eu poderia dar ao ex-presidente, às vésperas de seu depoimento e ante a maratona de audiências a que Moro quer obrigá-lo a presenciar, calado, sem poder se manifestar, diria que eu sigo o conselho que ouvi de Brizola. Na campanha de 1989, numa reunião com intelectuais, promovida por Gilberto Gil na casa do sempre gentil Chico Buarque de Hollanda, ele disse: "na hora da dificuldade, eu vou me aconselhar com os poetas".
Dou então, um conselho de Raul Seixas a Lula, no seu "Gita", que parece ter sido escrito pensando em Moro:
Você me tem todo dia
Mas não sabe se é bom ou ruim
Mas saiba que eu estou em você
Mas você não está em mim.
Por Uraniano Mota - 21/04/2017
http://www.vermelho.org.br/coluna.php?id_coluna_texto=8390&id_coluna=93

Perguntamos:
1. Querem destruir a candidatura Lula? Ou querem destruir Lula para sempre? Como dizia Groucho Marx, respondam à segunda pergunta primeiro.
Em resumo, querem matar Lula, física e moralmente. Pior: os jornais já anunciam esta sua morte. Para eles, vale ao fim a resposta de Mark Twain aos repórteres especializados em manchetes que confundem o desejo com a realidade. Aos jornalistas, que haviam publicado na primeira página o triste fim de Mark Twain, ele próprio respondeu ao vivo, em uma coletiva de imprensa:
"As suas notícias sobre a minha morte são muito exageradas".

O que vale mais? Os depoimentos de 73 testemunhas que inocentaram Lula ou a acusação sem provas de Léo Pinheiro, preso desde 2014 para essa finalidade?
Cristiano Zanin

09 maio, 2017

Isso deve ter doído

A impressão deixada por um avião kamikaze, da classe "Sonia", no casco do HMS Sussex.
A bomba não explodiu, mas isso deve ter doído.


Um leitor do SAS, onde esta foto foi postada, achou difícil acreditar que o avião ao impactar no navio tenha deixado uma impressão tão nítida e tão detalhada de sua seção transversal.
Seria um milagre comparável ao do Sudário de Turim.

Merci La France!

Queridos amigos,
A Europa, incluindo os 20 milhões de membros da Avaaz, está se organizando para defender o mundo contra o "jeito Trump" de fazer política.
Áustria, Holanda, e agora a França. Em todos os lugares onde a extrema-direita está tentando tomar o poder, estamos os derrotando.
Na eleição presidencial francesa, a racista e extremista Marine Le Pen foi derrotada por uma margem superior à esperada, 65% (Macron) contra 35% (Le Pen), por conta de um novo movimento político que orgulhosamente defende os valores humanitários e de abertura.
A França é uma líder crucial em muitas das questões nas quais nossa comunidade se envolve: parar as mudanças climáticas; salvar nossa biodiversidade; proteger a liberdade da internet. Pela França e por todos nós, membros da Avaaz em todo o país lutaram duramente para derrotar Le Pen e eleger Emmanuel Macron, um homem que compartilha muitos dos nossos valores. Ele apoia uma Europa forte, a luta contra as mudanças climáticas e um mundo inclusivo que celebra nossas diferenças ao invés de demonizá-las. Hoje é dia de comemorar.
A maré está mudando e se distanciando da extrema-direita. Mas a guerra ainda não acabou. Uma retórica perigosa e cheia de ódio usada por políticos para nos separar uns dos outros é uma ameaça em todos os lugares. O mundo precisa de nossa forte comunidade global de 44 milhões de pessoas mais do que nunca para defender a união e as democracias sempre que necessário. E eu sei que nós estaremos lá. Juntos. Nos vemos na próxima luta.
Com esperança e gratidão por esse movimento,
Emma, Alice, Nell, Patricia, Christoph, Julie, Camille, Amelie, Mia, Mike, Martyna, e toda equipe da Avaaz

08 maio, 2017

O piano de porcos

Athanasius Kircher (1602-1680) foi um jesuíta alemão que possuía uma arrogância intelectual sem limites. Seus contemporâneos diziam que seu conhecimento era universal e comparável ao de Leonardo da Vinci. No meio de seus inventos, estava o piano de gatos. Que ele fabricou ordenando felinos, conforme os tons de seus miados, em uma estrutura semelhante à de um piano.
Luís XI da França desafiou Abbé de Baigne a fazer a mesma coisa com porcos, de forma a produzir o "piganino".
E o mestre da música real, após examinar uma grande variedade de suínos, foi ordenando-os de acordo com os tons e semitons. Pressionando as teclas desse instrumento, hastes que terminavam em pontas afiadas faziam com que os animais habilitados produzissem tanto uma melodia simples quanto uma harmonia complexa.
O resultado era descrito como "impressionante, mas não muito gratificante aos ouvidos humanos".

Futility Closet