31 julho, 2010

Aquecimento global - 7

É preciso enfrentá-lo.
Muitas medidas têm sido propostas... inclusive por cães.

"Pérolas" do saber jurídico

O colega Nelson Cunha, residente em João Monlevade, me enviou estas "perolas" (não é só no Orkut que tem) do saber jurídico brasileiro:

"Fulano de tal, falecido em 8 de maio de 2003, conforme certidão de óbito em anexo, doravante denominado reclamante, por seu advogado signatário, vem perante Vossa Excelência ajuizar ação trabalhista...“
(de uma petição inicial na Vara do Trabalho em Varginha-MG)

"O devedor pode ser localizado na casa nº 242 da rua, que fica aos fundos do cemitério, não precisando o oficial de Justiça alegar medo, como pretexto para não realizar a diligência, porque se trata de rua despovoada de almas do outro mundo."
(de uma petição na comarca de São Jerônimo)

"O contestante nega ser o pai da criança, pois não chegou à mãe do investigante. Mesmo tendo sido uma noite de orgias, com vários participantes, o investigado limitou-se a uma única cópula, com outra pessoa da roda, após o que ficou com o tiche murcho."
(de uma contestação, em ação de investigação de paternidade, numa Vara de Família em Porto Alegre)

"A empresa é responsável, pois, em casos de assaltos dentro de seus coletivos, deveria ter câmeras acopladas a satélites para a segurança dos passageiros."
(de um voto vencido, em acórdão do TJRJ)

"Edital é uma forma de fazer uma pessoa saber o que ela não sabe, só que muitas vezes, porque não lê o jornal, ela não vai mesmo ficar sabendo."
(resposta em uma prova de Processo Civil, em Faculdade de Direito da Grande Porto Alegre)

"O réu jamais se furtou ao recebimento da citação. Ocorre que reside em um local onde tem várias casas com o mesmo número, uma espécie de apartamento deitado."
(de uma contestação, em processo na comarca de Pelotas, com o réu tentando explicar que não se escondera do oficial de Justiça)

"Bens móveis são aqueles que são fabricados nas marcenarias. Já os bens imóveis são aqueles que não se movimentam, como um edifício, e também, por exemplo, um veículo que por estar sucateado não tem como ser removido."
(de um universitário, ao fazer a diferenciação entre bens móveis e bens imóveis, numa prova de Direito Civil)

"A parte autora diz que, no contrato de compra e venda, estão presentes o sujeito e o objeto, mas não aponta onde estará o predicado."
(de uma contestação em ação revisional)

"Deixei de fazer a citação tendo em vista que o réu está em lua-de-mel e me respondeu por telefone que, nos próximos dias, não está nem aí...“
(de uma certidão de oficial de Justiça)

Penhorei uma mesa de comer velha, de quatro pés... "
(certidão lançada por um oficial de Justiça, em Passo Fundo, após efetuar uma penhora)

"O mutuário foi para São Paulo melhorar de vida. Quando voltar, vai liquidar com o Banco.”
(informação de oficial de Justiça, não tendo encontrado o réu)

"Os anexos seguem em separado.“
(de um termo de encerramento de laudo judicial, em processo que tramitou perante Vara Cível do foro João Mendes – SP)

"... um crucifixo, em madeira, estilo colonial, marca INRI sem número de série.”
(descrição da penhora feita por um oficial de Justiça de Porto Alegre)

30 julho, 2010

Uma missa pelo Twitter

O sacerdorte da Igreja Metodista britânica, Tim Ross, anunciou que vai utilizar o Twitter para celebrar uma missa, no dia 14 de agosto de 2010, direto do Reino Unido.
Ross pretende "tuitar" as várias partes da cerimônia e espera que os usuários leiam todas as mensagens, em voz alta e respondendo "amém", também pelo Twitter.
Para participar da missa é necessário segui-lo (não a sua pessoa, mas a sua celebração através da ferramenta).

Fonte: Nonato Albuquerque, Gente de Mídia.

Você e eu

Você toca tuba na banda e eu espremo limão.
Você encontra o paraíso perdido e eu o interdito.
Você é superoriginal e eu já vi esse filme antes.
Você é motoqueiro e eu respeito jamantas.
Você entra com o lombo e eu com o jucá.
Você vai ver e eu não estou lá na esquina.
Você espera na fila e eu tomo cafezinho na gerência.
Você empurra o carro e eu puxo o freio de mão.
Você procura a rolha e eu tomo o champã.
Você posa bonito e eu uso filme vencido.
Você dá saltos ornamentais e eu esvazio a piscina.
Você empurra o carro alegórico e eu desfilo.
Você vai à Pasárgada e eu deponho o rei.
Você vai à guerra e eu faço o fogo amigo.
Você carrega o piano e eu levo a vida na flauta.
Você paga o pato e eu o como (o pato) ao tucupi. PGCS

29 julho, 2010

Atenção, melômanos

A BBC de Londres acaba de tornar disponível todo o arquivo do World Music, um de seus programas de rádio na internet. O arquivo é o resultado de 10 anos de trabalho das equipes da BBC Radio 3, com as indispensáveis viagens dessas equipes, por mais de 40 países do mundo (inclusive por zonas de conflito), para a realização de pesquisas e entrevistas.
No arquivo do World Music, o qual reúne 100 horas de gravações, podemos encontrar músicas do Brasil (Carnaval e Nordeste), Cuba, Índia, China, Turquia e muito mais.

Abstrações

Nos campos de um microscópio, os germes da tuberculose apresentam-se, ao esfregaço do escarro corado pela técnica de Ziehl-Neelsen, como traços e vírgulas em meio a um emaranhado de trabéculas de fibrina e mucina. O que fez com que o pneumologista José Rosemberg comparasse uma cena microscópica do referido exame com uma tela abstrata (imagem abaixo) do pintor norte-americano Jack Pollock.

28 julho, 2010

A linha da miséria no Brasil

Eis o gráfico da linha da miséria no Brasil, elaborado pela Fundação Getúlio Vargas, sobre os microdados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, período de 1992 a 2009:


Com os números consolidados da redução da miséria estando abaixo separados por períodos:
1992 - 1994: de 35,31 para 28,79 = 6,52
1995 - 2002 : de 28,79 para 28,17 = 0,62
2003 - 2009: de 28,17 para 15,54 = 12,63
Estes períodos correspondem aos governos de Itamar, FHC e Lula, respectivamente.

Se os browsers fossem mulheres...

:-)


browsers = navegadores

27 julho, 2010

Aula de fotografia - 3

Não se dedique à fotografia se você não tem queda para isso.

Aulas anteriores: 1 e 2.

Um chá a desoras

Uma das medidas implantadas pela administração Bush, e implementadas pela administração Obama, tem sido a de servir cinco vezes ao dia um chá calmante aos soldados norte-americanos no Iraque. Nem os combates, por mais ferozes e encarniçados que sejam, interrompem o pontual fornecimento desse chá (de Melissa, dizem) aos bravos guerreiros que estão no front. PGCS

26 julho, 2010

Orgasmo sincronizado

Fazer profecias sobre partidas de futebol não é o único talento do polvo Paul.


Aqui o cefalópode mostra que consegue causar um orgasmo coletivo num grupo de nadadoras. E ainda tinha tentáculo para mais uma que, juntando-se ao grupo, ousasse botar bater os pés em seus domínios.

Albert Camus

Albert Camus (Mondovi, 7 de novembro de 1913 — Le Petit-Villeblevin, 4 de janeiro de 1960) foi um escritor e filósofo francês nascido na Argélia. Em sua terra natal viveu sob o signo da guerra, fome e miséria, elementos que, aliados ao sol, formam alguns dos pilares que orientaram o desenvolvimento do pensamento do escritor.
O absurdo da existência humana se manifestou por diversas vezes na vida do escritor franco-argelino. Numa destas, quando concluiu seu doutoramento, Camus se viu impedido de ser professor por haver adoecido de tuberculose. Esta doença inclusive lhe deu a real dimensão da possibilidade cotidiana de morrer, o que foi fundamental no desenvolvimento de sua obra filosófica /literária.
A tuberculose também o impediu de continuar a praticar um esporte que tanto amava: o futebol. Camus era o goleiro da seleção universitária (conta-se que um bom goleiro). E o seu amor ao futebol seguiu-o durante toda a vida. Muito o impressionava a paixão do brasileiro pelo futebol. Por isso, ao visitar o Brasil em 1949, logo pediu que o levassem para assistir a uma partida de futebol.
Em 1957, Albert Camus recebeu o Prêmio Nobel de Literatura "pelo conjunto de sua obra que punha em evidência os problemas que surgem na consciência do homem moderno".


Algumas de suas frases mais conhecidas:

"Não caminhes diante de mim, pode ser que eu não te siga. Não caminhes atrás de mim, pode ser que eu não te guie. Caminha junto a mim e sê meu amigo."

"Para a maioria dos homens a guerra é o fim da solidão. Para mim é a solidão infinita."

"O êxito é fácil de obter. O difícil é merecê-lo."

"Uma imprensa livre pode ser boa ou má; sem liberdade a imprensa será apenas má."

"Diziam-me que eram necessários alguns mortos para existir o mundo onde não se mataria."

"O homem tem duas faces: não pode amar sem amar-se."

"A estupidez insiste sempre."

"Dois homens traídos pela mesma mulher se tornam parentes."

"Compreendi que há duas verdades, uma das quais jamais deve ser dita."

"A amizade pode se converter em amor, o amor em amizade, nunca."

"O dever é o que tu esperas dos demais."

"Algumas vezes, eu penso no que os historiadores do futuro dirão de nós. Uma só frase será suficiente para definir o homem moderno: fornicava e lia jornais."

"Quem necessita de piedade, senão aqueles que não têm compaixão com ninguém!"

"O homem é a única criatura que recusa ser o que é."

"A liberdade nada mais é do que uma oportunidade para se tornar melhor."

"Não esperes pelo Juízo Final. Acontece a cada dia."

"Raramente confiamos em alguém que seja melhor que nós."

"O segredo de meu universo é imaginar Deus sem a imortalidade do homem."

"Se o mundo fosse compreensível a arte não existiria."

"Amo demais meu país para ser nacionalista."

"A verdadeira generosidade, com relação ao futuro, consiste em se doar todo ao presente."

"Envelhecer é passar da paixão à compaixão."

"Só há um problema filosófico verdadeiramente sério: o suicídio."

"Não ser amado é uma simples desventura. A verdadeira desgraça é não saber amar."

"Os artistas pensam segundo as palavras e os filósofos, segundo as ideias."

Traduzido de Albert Camus. "Sus mejores frases". In: Trianarts

25 julho, 2010

Fórmula 1. Pilotos

Qual é o maior piloto da Fórmula 1 de todos os tempos?
O Corriere Della Sera está promovendo essa enquete.
Hoje (25/07), às 21h30, com o contador dela a registrar 8.377.711 votantes, a enquete está sendo liderada pelo inesquecível Ayrton Senna com 67,8% das preferências dos internautas de todo o mundo.

Link para o site da votação.

Baixando o tom

Roger Menees de Anna, de Illinois, EUA, estabeleceu um novo recorde mundial para a nota mais grave já cantada por um ser humano. Ele conseguiu essa façanha, em 11/02/10, em seu estúdio de gravação Carbondale, ao emitir um som de 0,393 hertz - um mui grave Fá sustenido.
O recorde anterior era de 0,797 hertz. Mas ele acha que podia ter feito melhor e provavelmente o fará se o seu recorde for quebrado por outra pessoa.



Dizem as más cordas vocais que o que Mr. Menees faz é roncar acordado.

A mulher [quase] invisível

Viva a burca, ela é democrática!
Com ela não há mulheres feias ou fora de forma, todas são deliciosas.
Tudo depende da voz e do perfume que escapa do filó.
Conheço um Mohamed que namorou a prima, casou-se com a cunhada, mas descobriu a vizinha na lua de mel.
Não tem problema. Não gostou? Case de novo e diminua o estoque de solteiras.
Bendita invenção!
Acabou a ditadura das gostosas. No Brasil, quem não é jogador de futebol fica na mão.
Vamos adotar uma burca brasileira, mais curta um pouco porque adoro um pezinho.
É também garantia de não levar uma bichona para o motel.
É roupa prática. Quando impermeável, defende da chuva.
Até fazer um xixi em pé, numa esquina discreta, é possível.
Dispensam roupas íntimas, joias e a visita semanal ao cabeleireiro.
Que venham as burcas e o viagra genérico!
Já preparei o porão lá de casa para o harém.
Minha mulher ainda não sabe das minhas intenções, mas acho que não vai se incomodar.
A traição só dói quando é notória.
Nelson José Cunha

24 julho, 2010

O homem invisível

:-)

As idades do homem

sendo explicadas com aviões...

O homem até os 20 anos: Avião de papel
Apenas voos rápidos, de curto alcance e duração.
Dos 20 aos 30: Avião de caça militar
Sempre a postos, 7 dias por semana. Ataca qualquer objetivo. Capaz de executar várias missões, mesmo quando separadas por curtos intervalos de tempo.
Dos 30 aos 40: Aeronave comercial de voos regionais
Mantém horários regulares. Destinos bastante conhecidos e rotineiros. Os voos nem sempre saem no horário previsto, o que demanda mudanças e adaptações que irritam a clientela.
Dos 40 aos 50: Aeronave comercial de voos internacionais
Opera em horário de luxo. Destinos de alto nível. Voos longos, com raros sobressaltos. A clientela chega com grande expectativa; ao final, sai cansada, mas satisfeita.
Dos 50 aos 60: Aeronave de carga
Preparação intensa e muito trabalho antes da decolagem. Uma vez no ar, manobra lentamente e proporciona menor conforto durante a viagem. A clientela é composta majoritariamente por malas e bagulhos diversos.
Dos 60 aos 70: Asa delta
Exige excelentes condições externas para o voo. Dá um trabalho enorme para decolar e, durante o voo, evita manobras bruscas para não descer antes da hora. Após a aterrissagem, desmonta e guarda o equipamento.
Dos 70 aos 80: Planador
Só voa eventualmente e com auxílio. Repertório de manobras extremamente limitado. Uma vez no chão, precisa de ajuda até para voltar ao hangar.
Depois dos 80: Aeromodelo
Só serve para enfeite.

23 julho, 2010

Uma linha de produção

Em várias ocasiões, já gastei papel e tinta (força de expressão, isto aqui é um blogue) para tecer comentários sobre uma excitante peça do vestuário feminino: a burca. Sem me aventurar a pôr a nu o mistério que encobre a sua produção, por saber que ela é um segredo trancado a mil e uma noites chaves.
Aliás, era. Pois acabo de receber uma imagem que mostra como é a linha de produção de uma burca. Custou-me o melhor fotógrafo da casa, o qual, depois de emasculado, passou a trabalhar no local da notícia. PGCS

Mais "paravérbios"

Após a série divulgada na postagem "A adulteração de provérbios", foram por mim compostos mais estes "paravérbios":
Prov. - Quem tem olho grande não entra na China.
Parav. - Quem tem piolho grande não entra na tina.
Prov. - Alegria de pobre dura pouco.
Parav. - Alergia de pobre cura pouco.
Prov. - Na guerra mentira é como terra.
Parav. - Na guerra me tira dessa terra.
Prov. - Matar dois coelhos com uma cajadada.
Parav. - Matar dois camelos com uma caixa d’água.
Prov. - Quem cochicha o rabo espicha.
Parav. - Quem comicha o rabo é... bicha.
Prov. - Cão que ladra não morde.
Parav. - Cão que ladra não o acorde.
Prov. - Os fins justificam os meios.
Parav. - Os ruins justo ficam no meio.
Prov. - Atrás de quem corre não falta valente.
Parav. - Atrás de quem morre não falta parente.
19/07/2016 - Atualizando ...
Prov. - Quem com ferro fere com ferro será ferido.
Parav. - Quem com ferro fere com ferro será fundido. 

Falando com arte. Lançamento de livro

Marcelo Gurgel lança hoje o seu 56º livro, "FALANDO COM ARTE: os meus, os seus, os nossos discursos", pela Editora da Universidade Estadual do Ceará.
A obra será apresentada pelo Deputado Federal Mauro Benevides, membro da Academia Cearense de Letras.
Todos estão convidados.
+ informações
Data: 23 de julho de 2010 (sexta-feira), às 19h30.
Local: Célula de Arte e Cultura da Unicred Fortaleza (Av. Dom Luiz, 300, loja 166).
Importante: A renda integral desse lançamento será destinada às atividades culturais da Academia Cearense de Medicina.

22 julho, 2010

O voo de Lévy

O matemático francés Paul Pierre Lévy estabeleceu um padrão matemático conhecido pelo poético nome de “voo de Lévy”. Para entender o padrão temos que imaginar uma gaivota que busca alimento.
Podemos imaginá-la na orla marítima, caçando caranguejos, e ali permanecendo durante horas. Até que a maré muda. Então, é possível que a gaivota vá a outro local em busca de mais alimento.
Este padrão de muitos voos curtos que se alternam com poucos voos compridos é o modo como, atualmente, se propagam as enfermidades entre as pessoas. Antes não era assím. Por exemplo, na Europa do século XIV, a peste não se propagava muito rapidamente, de uma cidade a outra, porque as pessoas não conseguiam se deslocar mais do que alguns quilômetros por dia. As pessoas apenas interagiam com aquelas que viviam nas proximidades.
Calcula-se que, naquele tempo, uma praga levava mais de 3 anos para se deslocar do sul da Europa às regiões setentrionais, a uma velocidade de 4 a 5 quilômetros por dia, tal como informa o estudo de S. Scott e C. Duncan, Biology of Plagues: Evidence from Historial Populations.
Agora comparemos essa forma de propagação com a de uma nova enfermidade, surgida em 2003, a pneumonia asiática ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, em inglês). Devido a que as pessoas hoje em dia se deslocam muito mais, fazendo viagens de longas distâncias inclusive, e com isso aumentam a propagação dos agentes patógenos, é que se pôde comprovar o seguinte:
Um dos afetados pela epidemia de SARS transportou a infecção por quase 13.000 quilômetros (da China ao Canadá) em somente 24 horas. Sem dúvida um voo de Lévy de funestas consequências.

Traduzido de El vuelo de Lévy: cómo se transmiten actualmente las enfermedades, de Sergio Parra. In: GENCIENCIA

21 julho, 2010

Uma riqueza tardia

Nunca tínhamos pensado que após os 50 fôssemos acumular uma riqueza tão grande:
  • Prata nos cabelos.
  • Ouro nos dentes.
  • Pedras nos rins.
  • Açúcar no sangue.
  • Chumbo nos pés.
  • Ferro nas articulações.
  • E uma fonte inesgotável de gás natural...
Fonte: internet

Desenhos hiperrealistas

São desenhos feitos a lápis por alguns dos grandes mestres do gênero. Tão perfeitos que parecem fotografias!


20 julho, 2010

Numa bela praia europeia...

O homem (para a mulher):

Itapiúna - CE

Loucos e santos

"Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer,
mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e aguentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças
e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade
sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto;
e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos,
nunca me esquecerei de que a "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

Oscar Wilde

19 julho, 2010

Um índio que se acha

Por muitas luas, O Mais Preparado dos Brasileiros procurou um vice para chamar de seu. Rodou por todo o Brasil, evitando percorrer apenas a Terra de Anchieta (onde as rodovias cobram enormes pedágios), até dar por alcançado o seu nobilíssimo objetivo. Numa taba fluminense, quando O Mais Preparado encontrou, finalmente, o que tanto procurava: um índio. Não um indiozinho qualquer, como o Hawita, filho do Touro Sentado, mas um Índio com "I" maiúsculo. Um Índio respeitado por todos - pares e ímpares - que, a boca cheia, o chamavam de Cacique Merendinha (numa referência a seu apetite seletivo para a merenda escolar).
Ungido e a seguir batizado com o nome cristão de Viceindio, O Segundo Mais Preparado dos Brasileiros se armou de celular e twitter e foi à luta. Assim é que "mortalmente feridos" no campo de batalha, por suas "tuitadas", as tribos demotukanas consideram ele que já deixou o PT, as FARC, a Dilma e os ateus.


E as coisas que eu sei que ele dirá, fará, não sei dizer, assim, de um modo explícito... Mas eu acho que esse Indio está se achando... só porque caiu do céu. No entanto, ele está longe, muito longe de ser Um Índio como o que Caetano falou.

Os planos bizarros da CIA

Na década de 1960 a CIA tentou obsessivamente matar Fidel Castro. Seus espiões gastaram muito tempo e muito dinheiro (este último proveniente do contribuinte norte-americano), forjando os mais bizarros planos para destruir o líder cubano. Como estes:
  1. Usar agentes em Cuba para espalhar rumores de que a segunda vinda de Cristo era iminente e de que Fidel era o anti-Cristo.
  2. Surpreendê-lo na praia com uma concha que explodisse.
  3. Colocar sais de tálio em seus sapatos ou charutos, durante uma aparição no programa "O show de David Susskind," a fim de que sua barba e seus cabelos caíssem.
  4. Colocar pó de mico em seu traje de mergulho e LSD em sua máscara, o que faria o líder cubano enlouquecer e morrer afogado.
  5. Oferecer charutos projetados para detonar a cabeça dele.
  6. Atirar nele com uma metralhadora embutida numa câmera de TV.
  7. Vaporizar um alucinógeno num estúdio de radiodifusão quando ele estivesse lá.
Traduzido de The Craziest CIA Plots to Kill Castro. In: Neatorama

CIA: com a ideia fixa de matar Fidel

18 julho, 2010

Esculturas virais

Luke Jerram é um artista multidisciplinar e cientista amador da Universidade de Southampton, Inglaterra. Em sua galeria virtual, Infectious Beauty, ele exibe as imagens das esculturas que criou, em colaboração com uma equipe de sopradores de vidro, sobre as formas apresentadas por diferentes tipos de vírus.
O artista contou com a orientação do Dr. Andrew Davidson, virologista da Universidade de Bristol, Inglaterra, durante a realização de seu trabalho.
Através de suas esculturas, Luke Jerram revela a tensão entre o belo e o perigoso para a humanidade, qualidades existentes nesses microscópicos seres.

Vídeo

Documentário de uma peça (escultura do HIV)
sendo feita pelo soprador de vidro Kim George.

Nelson Cunha sugeriu o assunto.

Árvores de decisão

Um homem pretende sair de casa para se encontrar e beber com amigos num bar. Uma mulher, idem. Nenhum dos dois poderá fazer isso sem tomar decisões.
Vejam (na figura abaixo) em que pontos o homem e a mulher se diferenciam.

17 julho, 2010

OlhO gOrdO

Circula pela internet, na categoria das curiosidades, a "informação" de que o olho humano é um órgão que não cresce após o nascimento. Assim, de recém-nato a adulto, os olhos de uma pessoa teriam, em situação de normalidade, as mesmas dimensões. Resolvi provocar o colega Nelson José Cunha, médico oftalmologista em João Monlevade - MG, sobre a veracidade disso. E o texto que ele me enviou é uma aula, além de ser bem divertido. Está sendo aqui publicado - com umas notas minhas no "rodapost".

Paulo,
O olho de um recém-nascido mede 16 mm (axial) e o de um adulto emétrope 23 mm (axial) . Talvez daí venha o mito de que o olho não cresce porque as outras dimensões do corpo aumentam muito mais. As razões do pequeno crescimento são: limitação imposta pela órbita, necessidade de ajustar o foco do mundo exterior à retina com o conjunto óptico córnea-cristalino que tem limites. Observe que, nos míopes axiais, o olho ao crescer meros 2 -3 mm ocasiona uma queda drástica da visão - mais de 90% de perda para longe. Hoje, medimos obrigatoriamente as dimensões dos olhos nos pacientes que vão se operar de catarata, porque faz parte da fórmula do poder dióptico da lente que vai ser colocada no lugar do cristalino. Vemos a extrema semelhança dimensional dos olhos das pessoas. Não importa se são altas e fortes ou pequenas e frágeis. O mesmo acontece com o pênis (1). Felizmente, a minha especialidade me poupa do constrangimento de ter que medi-los. Nos casos dos olhos e do pênis o tamanho do dedo não revela o gigante.
Notamos grandes diferenças no "tamanho" dos olhos entre as pessoas, mas isso decorre da posição dos olhos dentro das órbitas e não do seu tamanho real. Uma órbita profunda com pouca gordura retro-orbitária dá a impressão de olho pequeno. O inverso também acontece e simula um olho grande. Somos inclinados a achar um olho grande quando é maior a fenda palpebral e mais esclera fica visível.
Entre os animais notamos grande desproporção entre o tamanho dos olhos e as dimensões gerais, especialmente daqueles de hábitos noturnos, porque precisam de um elevado número de células retinianas (bastonetes). Há um lêmure em que o volume dos dois olhos é maior do que o restante da cabeça (2). Não me lembro do nome da espécie (2).
Nesse pequenino e agilíssimo animal, os olhos estão 80 % fora da órbita.
Olho grande é figura poética e o é de uma conhecida minha que matou meu limoeiro com uma simples olhada seguida de elogio (3).
Nelson
rOdapOst
(1) Aqui começa o processo de esvaziamento de outro mito, não é?
(2) Seria o Maurice (na imagem ao lado), um aye-aye do filme Madagascar? Ele é da família Daubentoniidae.
(3) Daí a importância, Nelson, de a gente sempre olhar a folha corrida das pessoas. Essa sua conhecida talvez já fosse, desde a época em que ela militava no Partido Verde, uma seca-pimenteira da marca maior. PGCS

Post scriptum
Paulo,
O lêmure é um tarsier. Há muitas referências sobre ele na net. Digite "tarsier skull" e verá o tamanho de suas órbitas com relação à cabeça.
Nelson

Ginástica (localizada) para pássaros

"Sim, porque voar não exercita as pernas."

16 julho, 2010

A adulteração de provérbios

Ao folhear o livro "O Padre do Jumento", sobre a vida e a produção intelectual do (nosso) Padre Antonio Vieira, a quem devemos o existir literário do "ciclo do jumento", algo de imediato me prendeu a atenção. Em suas páginas 126-127, a presença de uma lista de "alguns provérbios que chegaram a nossos dias adulterados, ninguém sabe por quem", conforme textualmente registram Amorim Filho e Expedito Duarte, os autores do mencionado livro.
É que, na qualidade de adulterador de dez dos provérbios publicados, quero lá a minha autoria reconhecida.
Foram inicialmente publicados em maio de de 1984, na coluna "Gente e Fatos", do jornalista Edmundo Vitoriano. Depois que José Raimundo Costa, jornalista e adepto do passatempo de adulterar provérbios, começou a divertida série. Eu recordo que, na época, até criei o nome "paravérbio" para rotular o que estávamos a fazer. Com a invenção dessas frases que não transmitiam experiências nem davam conselhos, que são os fins usuais de todos os provérbios. Aliás, os "paravérbios" chegam a ter finalidades contrárias, pois não passam de meros produtos do ludismo verbal.
Posteriormente, a José Costa e a mim, juntou-se Lauro Ruiz de Andrade nesse espirituoso ofício de adulterar provérbios. De sorte que somos os três, não obstante o pater semper incertus dos latinos, os autores da lista publicada no livro de Amorim Filho e Expedito Duarte.
Relaciono os meus "paravérbios" que saíram nessa lista:
Prov. - Vaso ruim não quebra.
Parav. - Vaso ruim, mão quebra.
Prov. - Cada um por si e Deus por todos.
Parav. - Cada um por si e deu para todos.
Prov. - Antes que cases, vê o que fazes.
Parav. - Antes que cases, vê: que pazes!
Prov. - Cesteiro que faz um cesto faz um cento.
Parav. - Cesteiro que faz um sexto faz um... lento.
Prov. - Deus dá o frio conforme o cobertor.
Parav. - Deus dá frio: conforme-se com o cobertor.
Prov. - A situação está mais pra urubu do que pra colibri.
Parav. - A situação está mais pra urubu. Pra que coibir?
Prov. - Não adianta chorar sobre o leite derramado.
Parav. - Não adianta chorar sobre o leite, desmamado.
Prov. - Ao vencedor as batatas.
Parav - Ao vencedor as mamatas.
Prov. - A fé remove montanhas.
Parav. - Maomé remove montanhas.
Prov. - Águas passadas não movem moinhos.
Parav. - Águas passadas não redemoinham.
Não se trata de nenhuma novidade o passatempo de parodiar provérbios. Fazer jogo de palavras com as expressões e os ditos mais conhecidos, dando-lhes sentido novo, chegou a ser moda no século XIX. E, ao que parece, continua sendo, visto que os humoristas não pretendem deixar o rico filão do qual já foram faiscadas, entre tantas, as seguintes pepitas: "o Brasil espera que todos comprem sem dever", "depois da tempestade vem a ambulância", "quem ama o feio é porque o bonito não aparece", "quem dá aos pobres ou empresta... adeus", "a ociosidade é mãe de todos os vices" e "quem vê cara não vê que horas são" (esta última pepita foi encontrada pelo Barão de Itararé).
Acerca desse fenômeno humorístico, talvez haja explicações. Uma delas, apela simplesmente para o princípio de que "uma grande verdade é aquela cujo contrário é igualmente uma grande verdade". Outra, como diz Lopes Ribeiro, é porque "a nova forma de viver à pressa tenha trazido como consequência natural a morte dos provérbios, essas muletas do bom senso que condensam uma longa experiência, previnem perigos ou dão bons conselhos". E, como não surgem novos provérbios, os "paravérbios" vão tomando o lugar dos velhos anexins. PGCS

15 julho, 2010

Sobre a homeopatia

A homeopatia não funciona nos céticos
Estes, a fim de demonstrar a falta de efeito da homeopatia, já consumiram diante do público grandes quantidades de medicamentos homeopáticos. Alguns, como James Randi, Richard Saunders e Peter Bowditch consumiram caixas inteiras de pílulas homeopáticas para dormir no começo de suas palestras. E outros, como um grupo de céticos belgas, deram uma entrevista à imprensa, durante a qual tentaram cometer suicídio coletivo tomando diluições homeopáticas de veneno. Ninguém passou mal.
A homeopatia funciona nos crédulos
Como toda e qualquer crença.

Vídeo
O legendário cético James Randi toma em pleno palco 32 comprimidos de Calms Forte, uma medicação homeopática a que se atribui a propriedade de fazer dormir, e dá início a 17 minutos de fortes críticas e acusações às crenças irracionais.
Clique em “View Subtitles” e escolha “Portuguese (Brazil)” para ter acesso às legendas em nosso idioma.



Para ler mais
No blog: Lembram-se de Uri Geller?

14 julho, 2010

Ecos das vuvuzelas

:-)

A "Mulher Cavalo"

Uma notícia aqui no Ceará diz que uma "Mulher Cavalo" vem aterrorizando a população da cidade de Jaguaruana.
A estranha criatura, que é sexualmente híbrida, tem como passatempo principal o de correr atrás de quem a encontra. Para não correr esse risco, alguns jovens dessa cidade agora só saem das festas em grupos, enquanto outros nem para as festas vão mais.
jangadeiro online (link sem funcionar)

A imagem ao lado é apenas ilustrativa, por ser improvável que alguém consiga fotografar de verdade a tal "Mulher Cavalo".
Ela vai ser mais uma a entrar para um bestiário onde já estão a "Perna Cabeluda", a "Velha Debaixo da Cama", o "Monstro da Lagoa Verde", o "Cão da Itaoca" e a "Loura do Banheiro".

Pode apreciar ler: O estande do centauro.

13 julho, 2010

A taça é do polvo

:-)
PAUL VEIO PEGAR O QUE É DELE!

Peeping Tom Cat


Este gato - a espiar através da janela - é uma versão felina de Peeping Tom, um dos personagens da lenda de Lady Godiva.
Peeping Tom atreveu-se a espiar Lady Godiva despida, em sua cavalgada pelas ruas de Coventry. Fez isso enquanto todas as pessoas da cidade se trancavam em suas casas para não violar a nudez de Godiva. E ficou cego.
Espero que o mesmo desfecho não aconteça ao gato.

Postagens relacionadas:
Contra os impostos cavalares e Um haicai.

12 julho, 2010

"Finge que funciona"

Quando prefeito da cidade de São Paulo, o Presidente de Nascença José Serra era um incansável tocador de obras. Ao lado, o flagrante de quando ele inaugurava um tensiômetro de coluna em uma unidade básica de saúde. O fato de o equipamento não estar medindo a pressão arterial, diante de uma imprensa duvidosamente amestrada, não deixou de mangas curtas o Incomparável Gestor. Ele superou mais esse desafio com a força de seu brado: FINGE QUE FUNCIONA.
Agora que o álbum de figurinhas da Copa perdeu a graça, o álbum dos Amiguinhos do Zezinho, editado por Tia Carmela e o Zezinho, é a grande pedida do momento. O novo álbum já está no pacotinho 10 das figurinhas (o lote em que eu fui buscar esta imagem de recordação).

O ovo cósmico

O ovo simboliza o sol a nascer e o início da vida. Em mitos polinésios sobre a criação do mundo, um ovo cósmico é posto por um pássaro gigante em um oceano inicial e primitivo. Partindo-se ao meio, as metades desse ovo originam a Terra e o Céu. A partir de sua gema, forma-se o Sol. Na imagem abaixo, é a esfera incandescente sobre o oceano, da qual ainda flui uma espécie de matéria primordial.

Reprodução do quadro "Sunrise by the Ocean", do artista Vladimir Kush

11 julho, 2010

Fim de Copa

A Copa do Mundo encerrou hoje, com a vitória da Espanha sobre a Holanda, a sua 19ª edição. Com uma partida final inusitada, do tipo "nunca antes na história das Copas". Sem o Brasil, a Alemanha, a Itália e a Argentina.
Foi um campeonato mundial de futebol a ser lembrado pelas vuvuzelas, pela jabulani e pelos animais videntes. Dentre estes últimos, o periquito Mani, de Singapura, e o polvo Paul, o infalível oráculo de um aquário alemão. E, por último pero no menos importante, pela Espanha que o venceu com mérito.


Quanto à seleção brasileira, sob o comando do Seu Lunga Dunga, certamente não deixa boas recordações. Mostrou um futebol muito aquém do esperado. Agora, é renovar as esperanças que esse "hexa" aconteça em 2014, aproveitando que a taça da Copa vai estar em casa.

Malhando em água fria

A preocupação com a forma física não existe apenas nas pessoas.
No vídeo abaixo, você pode ver um simpático camarão correndo sobre uma esteira subaquática ao som de The Benny Hill Theme.


10 julho, 2010

Penso, logo cito - 21

John Cage (1912-1992), compositor e escritor norte-americano:

"Nada tenho a dizer e estou dizendo-a. Tal é a poesia."

Cage é o compositor da famosa peça 4'33", pela qual ficou célebre. Composta em 1952, a peça consiste em 4 minutos e 33 segundos de música sem uma nota sequer.

Como surgiu o zíper?

Foi o engenheiro e inventor americano Whitcomb Judson quem registrou em 1893 a primeira patente de um feixe tipo zíper, para substituir os laços das botas de cano alto. Era ainda um artefato rudimentar – uma sequência de ganchos e furos. Talvez por isso, passou despercebido. Dezessete anos passaram-se até aparecer o zíper moderno, obra do engenheiro sueco-americano Gideon Sundback. Mas os primeiros fechos davam dor de cabeça: Não era fácil fechar os colchetes e havia a necessidade de descosturá-los antes de lavar as roupas, para evitar a ferrugem. Essas dificuldades foram resolvidas com o uso de novos materiais nas zipper boots, criadas em 1923 pelo famoso fabricante de pneus B.F. Goodrich – o mesmo, por sinal, que cunhou o nome zipper, baseado no som que fazia ao fechar as suas botas de borracha.

Na ilustração: Como funciona
o zíper (segundo EntreMentes)

+ informação
Em 1993, os cientistas James F. Nolan, Thomas J. Stillwell e John P. Sands Jr. concluíram o seu trabalho "Gestão Aguda de Pênis Presos no Zíper" (Acute Management of the Zipper-Entrapped Penis). Por essa misericordiosa pesquisa, eles foram os agraciados do ano com o Prêmio IgNobel de Medicina.

24/04/2012 - Atualizando...
O Google presta hoje (24/04/2012) uma homenagem ao engenheiro elétrico Gideon Sundback, inventor do zíper. Para celebrar o aniversário dele, que nasceu em 24 de abril de 1880, o maior site de buscas do mundo transformou seu logo em uma zíper virtual.
O internauta pode clicar sobre a imagem e “abrir” o zíper, que resulta na página de buscas sobre Sundback.

09 julho, 2010

Mentira x Verdade

---"Supondo-se que a mentira tenha uma história, seria ainda necessário poder contá-la sem mentir." - Jacques Derrida

Um suicídio [quase] perfeito

Era uma vez um sujeito que queria se matar. Mas ele não queria só morrer, queria que sua morte parecesse um assassinato.
O que fez então?
Dirigiu o seu carro até um local ermo, em Novo México, que lhe pareceu adequado à execução de um astucioso plano.
Saiu do veículo, cobriu a boca com um fita adesiva e deu um tiro de revólver na própria nuca.
Previu ele que a arma do suicídio, por estar amarrada em balões de hélio, seria carregada pelo vento para longe do corpo de modo a despistar a polícia.
Só que a arma e os balões assinalados não foram parar assim tão distante. A polícia encontrou-os por perto mesmo, enredados em cactos da região.
Identificado quem era o morto, bastou uma busca em sua residência para que a polícia também encontrasse as provas de como ele planejara o suicídio. E um delegado levantou a hipótese de que o suicida se inspirara em um programa da TV para escolher o seu modus morrendi. Ao se lembrar de um episódio do CSI (Crime Scene Investigation) que guardava muitas semelhanças com o que ali acontecera.

Posts relacionados:

08 julho, 2010

"Dr. Auschwitz"

As "pesquisas" do médico nazista Josef Mengele foram abomináveis. Em sua obsessão para conhecer os segredos que pudessem aumentar as taxas de natalidade da "raça ariana", ele realizava suas "experiências" em crianças gêmeas, principalmente.
In anima nobile - e sempre sem anestesia - ele comandou no campo de concentração de Auschwitz a prática de inúmeras atrocidades pseudocientíficas, tais como:
extração de fragmentos ósseos, produção artificial de xipófagos (irmãos siameses), injeção de produtos químicos nos olhos (para lhes mudar a cor), transfusões de sangue, infecções e submersões em água gelada (para testar a resistência), remoção de órgãos, castrações, amputações e promoção de gravidezes incestuosas.
Dos aproximadamente três mil gêmeos que passaram por suas mãos, apenas 26 sobreviveram. Mengele correspondeu de fato ao epíteto de "Anjo da Morte".
Após a guerra, ele se refugiou na América do Sul, onde viveu na clandestinidade e (aparentemente) sem remorsos o resto de sua vida. Morreu por afogamento acidental em Bertioga, no litoral paulista, aos 68 anos.

07 julho, 2010

Com sombra

Trabalhadores da construção civil encontram um local sombreado e principalmente seguro onde podem descansar um pouco da cansativa jornada de trabalho.
Ver abaixo.

Expressões populares. Origens

As expressões populares ocupam um lugar de destaque em nossa comunicação oral. Por qualquer dá cá aquela palha, estamos a empregá-las. Delas nos valemos para definir, de um modo peremptório, certas situações. São uma espécie de deus nos acuda, um pau para toda obra, um prego batido com estopa.
Seria errôneo dizer que não se tem pesquisado como essas expressões surgiram. Uma pá de gente boa tem feito isso: folcloristas, dicionaristas e até meu velho falecido professor Kyw, que foi um purista do vernáculo, já se dedicou ao assunto. Mas todos se prenderam a aspectos meramente textuais, ignorando a existência de uma vasta documentação fotográfica a respeito.
Fé em Deus e pé na tábua, eis o nosso lema. Em busca das certidões fotográficas, passamos a vasculhar as galerias de imagens existentes na internet. Reunir os registros dos momentos em que as expressões populares surgiram, foi a síntese do nosso trabalho de formiguinha.
Interessante. Ao findar o prefácio deste slideshow chego à conclusão de que mal comecei a obra.


06 julho, 2010

Grandes empresas, pequenos negócios - 3

Sobre a vírgula

Vírgula pode ser uma pausa... Ou não.
Não, espere.
Não espere.

Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

Pode criar heróis.
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

A vírgula pode condenar ou salvar.
Não tenha clemência!
Não, tenha clemência!

Uma vírgula muda tudo.
ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.

....................................................................................................................
SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.
Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER.
Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM.

Campanha dos 100 anos da Associação Brasileira de Imprensa
(texto enviado pela jornalista Mirna Gurgel)
Itapiúna - CE

05 julho, 2010

O Guinness-YouTube

Misto de Guinness Book e YouTube, o site Universal Record Database (URDB) é exatamente o que o nome em inglês diz: um banco universal de dados de recordes. Não importando quão importante ou inútil seja o recorde para ele fazer parte do banco de dados. "Nós acreditamos que qualquer pessoa na Terra tenha potencial para ser o melhor do mundo em alguma coisa", afirmam os responsáveis pelo site.
Segundo as regras, os recordes devem ser quantificáveis, quebráveis e legais (do ponto de vista jurídico). Além disso, os recordes são avaliados pelos próprios usuários, o que dá uma "dimensão Wikipédia" ao projeto. E a criatividade é sempre encorajada, como está escrito na página do URDB.
Dan Rollman, um dos criadores do site, afirma que, possivelmente, o recorde mais inquebrável do URDB, até agora, é este aqui (clique). O de um sujeito que faz malabarismo com facas em cima de uma prancha, posta sobre um cilindro, e com este a rolar sobre uma mesa de piquenique, enquanto ele... recita o monólogo "Ser Ou Não Ser", da peça "Hamlet", de William Shakespeare.

04 julho, 2010

Fã de carteirinha

... nem sempre é bem-vindo.

Coro virtual

O maestro Eric Whitacre reuniu vozes e imagens de 185 pessoas, representando 12 países (4 continentes), numa espécie de coro virtual. Para que cantassem "Lux aurumque", uma peça musical que ele mesmo compôs.
Coisas (boas) da internet.


03 julho, 2010

Oziel de Sousa Lima

Registro com grande pesar o falecimento do médico Oziel de Sousa Lima. Tendo ocorrido na madrugada de ontem (02/07/2010), a sua morte priva o Ceará das atuações de um dedicado anestesiologista e de um grande divulgador dos assuntos da categoria médica.
Através de "FatoMédico", sua página dominical em "O Povo", na qual Oziel informava, comentava e, por vezes, fazendo-se inclusive de porta-voz de nossas reivindicações, ele conseguia dar maior visibilidade à categoria médica.
Fundou e presidiu a Cooperativa dos Anestesiologistas do Ceará e também presidiu a Sociedade de Anestesiologia do Ceará e a Sociedade Brasileira de Anestesiologia, entre tantas outras empreitadas.
Nos últimos tempos, Oziel, juntamente com o colega Dalgimar Menezes, organizou e publicou "Garranchos Esculpidos" e "Reflexões Espinhosas", livros que reuniram textos escritos por médicos do Ceará. A segunda destas antologias, que teve o lançamento realizado no último 24 de junho (imagem do convite nesta nota), já transmitia a impressão de ser uma comemoração-despedida, face ao estado de saúde de Oziel.
Apesar da grave doença que o acometia, o bravo mossoroense ainda tinha planos de reiniciar a sua página "FatoMédico" e de editar, em parceria com o colega Dalgimar, outras antologias literárias.


Ler: OZIEL, O DESCANSO DO GUERREIRO, no Blog do Marcelo Gurgel

O efeito borboleta

O amor é como uma borboleta: ele vai para onde lhe agrada e agrada-lhe onde quer que vá.
Se nada tivesse mudado não haveria borboletas.
"Como posso me tornar uma borboleta?" , perguntou ela. "Você deve querer voar tanto que esteja disposto a desistir de ser uma lagarta."

Você pode correr atrás de uma borboleta em todo o campo e nunca pegá-la. Mas, se você se sentar calmamente na relva, ela virá sentar-se em seu ombro. Mário Quintana
Eu estarei flutuando como uma borboleta e picando como uma abelha. Muhammad Ali
A borboleta não conta meses, mas momentos. E tem tempo suficiente. Rabindranath Tagore
As borboletas são flores com autopropulsão. RH Heinlein
Não há nada em uma lagarta que lhe diga que vai ser uma borboleta. Richard Buckminster Fuller
Nós somos como as borboletas: vibramos por um dia e achamos que é para sempre. Carl Sagan
Estamos mais próximos das formigas do que das borboletas. Muito poucos podem resistir a tanto lazer. Gerald Brenan
Eu não sei se eu era um homem sonhando que era uma borboleta ou se eu sou agora uma borboleta sonhando que sou um homem. Chuang-Tzu
Assim como a borboleta eu também vou despertar em meu próprio tempo. Deborah Chaskin
A vibração das asas de uma borboleta pode efetuar mudanças climáticas no outro lado do planeta. Paul Erlich
Borboleteando
Não se pode ter um pensamento sobre borboleta que não apareça imediatamente outro. E outro e outro e outro... sendo tudo pensamento a respeito de borboletas. Até que, algumas borboletas após (com suas passagens por lagartas, certamente), acontece uma incrível mudança climática no outro lado do planeta.
Isso é o efeito borboleta explicado. PGCS

02 julho, 2010

Filatelia Médica

O médico do trabalho e neurologista Élvio Armando Tuoto edita, desde 2007, o Filatelia Médica. Como o nome indica, é um blogsite que apresenta imagens de selos postais relacionados à medicina: personalidades, descobertas, eventos e instituições médicas. E Dr. Élvio torna mais proveitosa a visita ao blog, incluindo informações históricas em suas postagens.
Após uma visita geral ao Filatelia Médica, retornei para dar uma atenção especial a estes tópicos: tuberculose, Robert Koch (médico alemão que descobriu os bacilos da tuberculose e da cólera), Calmette (médico francês que, trabalhando com Guérin, criou a vacina BCG) e Cruz de Lorena.


A Cruz de Lorena (na figura ao lado) é uma cruz com dois braços transversais. Foi adotada, a partir de 1902, como símbolo internacional da "cruzada" contra a tuberculose, por sugestão do médico francês Gilbert Sersiron. A escolha dessa insígnia inspirou-se na cruz usada pelo Duque Godofredo de Bouillon, da região de Lorena, por ocasião da Primeira Cruzada para Jerusalém.

Post scriptum
Transcrevo este comentário de Marcelo Gurgel:
Caro Paulo,
Vale lembrar que o pneumologista José Rosemberg era filatelista, possuindo uma rica e inigualável coleção de selos relacionada à tuberculose, que ficou sob à custódia da sua viúva Ana Margarida.

01 julho, 2010

Arredondar é preciso


Na Serra da Estrela se encontra o ponto mais elevado de Portugal continental. Mede 1.993 metros e, sobre ele, nossos irmãos lusitanos construíram uma torre (foto: Claudia Estrelinha) com 7 metros de altura. Para completar os 2.000 metros.
Mas continua nos Açores, com 2.351 metros, o ponto mais alto do território português.

Uma tórrida história - 2