31 agosto, 2018

Corrida aos campos de girassóis

EL PAÍS - Na corrida por uma foto para o Instagram, medo e caos na fazenda de girassóis. Cerca de 7 mil carros chegaram a ocupar o estacionamento da fazenda Bogle em Ontário, Canadá, há algumas semanas. E tudo para tirar uma foto ao lado de um campo de girassóis. A febre das selfies agora ataca esse cenário de verão e, como revelou The National Post, transformou os campos de Ontário em uma zona de combate na qual os agricultores têm que lidar com hordas de usuários do Instagram dispostos a tirar uma selfie em suas terras, custe o que custar. O caso da família Bogle, dedicada ao cultivo de girassóis há mais de seis gerações, foi o que despertou mais alarme. A família, dona do maior campo de girassóis do Canadá, tinha decidido ganhar um pouco mais de dinheiro abrindo as terras para o público durante as semanas em que esta planta herbácea floresce. A ideia já foi posta de lado, obviamente, depois que "toda a Toronto veio até aqui", como contou Barry Bogle. Os agricultores haviam contratado mais oito trabalhadores e colocado dois banheiros portáteis para os visitantes, mas a situação fugiu do controle. As fotos de seu campo de girassóis eram as rainhas do Instagram e os citadinos decidiram dirigir-se ao local do momento para tirar sua reverenciada selfie. A partir das 10 da manhã, a infraestrutura da área começou a entrar em colapso e os visitantes chegaram a estacionar a quilômetros de distância. Os trabalhadores tentaram controlar os visitantes, mas centenas de pessoas entraram sem pagar e muitas delas deixaram muito lixo nas terras. A situação é semelhante em outros campos de girassóis no país. (Notícia enviada por Jaime Nogueira.)


Esta foi uma das ocasiões em que o turismo de massa me fez perder a fé na humanidade.

Cacá Diegues: novo membro da ABL

O cineasta Carlos José Fontes Diegues, conhecido como Cacá Diegues, foi eleito ontem (30) para ocupar a cadeira 7 da Academia Brasileira de Letras, que pertenceu ao também cineasta Nelson Pereira dos Santos, morto em abril deste ano.
Cacá Diegues venceu outros dez candidatos, recebendo 22 dos 35 votos que definiram a disputa.
Nascido em 19 de maio de 1940, em Maceió, ele é um dos fundadores do Cinema Novo. Esteve exilado na Itália e depois na França, após a promulgação do AI-5, em 1969, durante o regime militar. Foi casado com a cantora Nara Leão 1 2 3, da qual se separou em 1977, 12 anos antes de ela falecer. Com Nara, teve dois filhos: Isabel e Francisco. Desde 1981, é casado com a produtora de cinema Renata Almeida Magalhães, com quem teve a filha Flora.
Ao longo da carreira de cineasta, Cacá Diegues fez mais de 20 filmes de longa-metragem. Entre os mais premiados estão "Xica da Silva" (1976), "Bye Bye Brasil" (1980), "Veja esta canção" (1994) e "Tieta do Agreste" (1995).
Também são filmes dele: "Ganga Zumba" (1964), "Os herdeiros" (1969), "Joanna Francesa" (1973), "Chuvas de verão" (1978), "Quilombo" (1984), "Um trem para as estrelas" (1987), "Orfeu" (1999), "Deus é brasileiro" (2003), "O maior amor do mundo" (2005) e "O grande circo místico" (2018), inspirado na obra do poeta Jorge de Lima.
Além dos filmes, Cacá também se dedicou aos livros e publicou "Ideias e Imagens", em 1988; e "Vida de Cinema", com mais de 600 páginas sobre o Cinema Novo; e "Todo Domingo", uma coletânea de textos publicados por ele semanalmente no jornal O Globo, entre outras obras.

30 agosto, 2018

A versão bêbada da Lei Seca

"A luz do Sol é o melhor detergente..."
Louis Brandeis (1856-1941)

O juiz Louis Brandeis, primeiro judeu americano na Suprema Corte dos EUA e autor de um clássico sobre a violência do Estado, proferiu no julgamento de um vendedor de bebidas grampeado sem autorização judicial durante a Lei Seca, no final dos anos 20:
"Os maiores perigos para a Liberdade escondem-se traiçoeiramente nos ataques feitos por homens zelosos, bem-intencionados, mas sem compreensão. Declarar na administração da lei criminal que os fins justificam os meios, afirmar que o governo pode cometer crimes para garantir a condenação de um determinado criminoso, pode provocar terríveis consequências."
"A Lava Jato é a versão bêbada da Lei Seca." ~ Kiko Nogueira, Diário do Centro do Mundo

A transmissão dos impulsos nervosos

1921 - Na manhã do domingo de Páscoa, o farmacêutico alemão Otto Loewi (1873-1961) acordou com a lembrança de que tivera um importante sonho durante a noite. Um sonho que foi interrompido para ele fazer algumas anotações. Mas, quando tentou recuperá-las, a redação estava irremediavelmente ilegível. Depois de tentar recordar o sonho o dia todo, ele se deitou na noite seguinte e, por fim, o sonho voltou. O sonho era uma maneira de determinar se as transmissões entre as células nervosas eram químicas ou não. Ele, imediatamente, saiu da cama e foi para seu laboratório. Com um único experimento no coração de um sapo, ele confirmou sua própria tese de dezessete anos antes, a de que a transmissão dos impulsos nervosos era de fato um processo químico.
* Michael Brooks, Free Radicals (pg 24-25)
O experimento foi muito simples e se tornou um protótipo para todas as investigações subsequentes de fatores humorais (ou seja, químicos) no sistema nervoso. Ele isolou dois corações de sapo e os perfundiu com uma solução fisiológica morna (Ringer). Nestas condições, os corações continuam vivos e batendo por algumas horas. Ele então estimulou o nervo vago de um dos corações ("doador"). Em consequência, ocorreu uma forte inibição das contrações cardíacas espontâneas daquele coração. O segundo coração ("receptor") não era afetado, a não ser que ele o perfundisse com o líquido efluente do coração estimulado. Nesse caso, ele conseguia no segundo coração exatamente o mesmo efeito que no primeiro, com um pequeno retardo, provocado pela ação da bomba e pela ação química em si.


(http://pballew.blogspot.com.br/2018/03/on-this-day-in-math-march-27.html#links)

29 agosto, 2018

Nota pública do Conselho Nacional dos Direitos Humanos

Nota pública do CNDH em reconhecimento à legitimidade do Comitê de Direitos Humanos da ONU
O Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH), órgão autônomo criado pela Lei n° 12.986/2014, vem, através desta Nota Pública, expressar seu reconhecimento à legitimidade do Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU), enquanto órgão de monitoramento do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, de conferir interpretação autêntica do tratado internacional e, nesse sentido, reafirma o respeito às suas decisões.
Nesse sentido, está em consonância com o Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos a decisão do Comitê de que Lula possa exercer seus direitos políticos, inclusive com acesso apropriado à mídia e a membros do seu partido político, enquanto candidato às eleições presidenciais de 2018. O CNDH entende, assim, que as medidas interinas adotadas pelo Comitê devem ser cumpridas pelo Estado brasileiro, independentemente de seu caráter vinculante, como expressão de sua boa-fé no cumprimento de obrigações internacionalmente assumidas quanto à implementação de direitos humanos no país.
Brasília, 27 de agosto de 2018.
CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS - CNDH
https://admin.cut.org.br/system/uploads/ck/CNDH.pdf
N. do E.
O CNDH, que é ligado ao Ministério dos Direitos Humanos, tem em sua composição 11 representantes da sociedade civil e 11 do poder público.
Ver também: Nota pública do Senado Federal

Comido vivo (2)

Professor: É fisicamente impossível uma baleia engolir um ser humano. Mesmo sendo um animal grande, a garganta deste mamífero é estreita.
Aluno: Jonas foi engolido por uma baleia.
Prof.: Isto é fisicamente impossível, repito.
Aluno: Pois bem, quando eu estiver no Céu vou perguntar a Jonas.
Prof.: E se Jonas tiver ido para o Inferno.
Aluno: Então, você pergunta.

Comido vivo (1)

Então, vamos falar de meritocracia?

De todas as pautas que orbitam as obscuras e desonestas reivindicações da elite brasileira caninamente seguida e bajulada por uma classe média sabidamente preconceituosa, racista e conservadora, seguramente a mais cretina é a que diz respeito à tal da meritocracia.
Não é preciso ser exatamente um gênio nas ciências sociais para entender o absurdo que é impôr metas iguais para pessoas pertencentes a classes sociais tão diferentes sob um regime social, político e econômico tão excludente como o que se perpetuou no Brasil séculos após séculos numa sociedade que, entre outras coisas, manteve sua construção sobre uma estrutura puramente escravocrata.
Os exemplos das desigualdades são imensos e escancarados, mas vergonhosamente teimamos em não querer enxergá-los, muitas vezes por covardia, medo, despeito ou, quem sabe, maldade mesmo. O tema em si é digno de um verdadeiro tratado acadêmico que inevitavelmente nos levaria à conclusão da enorme discrepância do país que pensamos ser para o país que realmente somos.
Extraído de: A meritocracia no país de Michelzinho e Rivânia, a menina que salvou livros da cheia em PE, por Carlos Fernandes. In: Diário do Centro do Mundo


VÍDEO: A maneira mais simples de ficar rico é nascer na família certa

"Se fosse por mérito, seu cão entraria no céu e você ficaria fora." ~  Mark Twain
In: http://o-mores.blogspot.com.br/2016/01/mark-twain-quotes.html

28 agosto, 2018

Violinista, pianista e virador de página

O violinista Georges Enesco foi requisitado por um pupilo que que ia dar um recital. Enesco concordou em acompanhá-lo ao piano mas, no último minuto, percebeu que precisava de um virador de página. Ele persuadiu Alfred Cortot, que estava sentado na platéia, a ajudá-lo nesta função.
Na manhã seguinte, lia-se este comentário:
"Houve um concerto memorável na noite passada em Salle Pleyel. O homem que deveria tocar violino estava tocando piano, o homem que deveria tocar piano estava virando as páginas e o homem que deveria estar virando as páginas estava tocando violino."
Da mesma forma:
É uma máxima entre estatísticos práticos que "Os dados de que você precisa não são os dados que você tem, os dados que você tem não são os dados que você quer e os dados que você quer não são os dados de que você precisa".

TW Körner, The Pleasures of Counting, 1996
Via: https://www.futilitycloset.com/2018/03/20/triangle-3/

Oração da cachaça

para Mução, arauto da Nação Pituzeira


*inDICAção de Fernando Gurgel Filho*

27 agosto, 2018

Oitenta e Oito

Nem Oito nem Oitenta:
Oitenta e Oito, que é uma comunidade no Condado de Barren , Kentucky, Estados Unidos. Sua maior celebração até hoje foi a comemoração de 8 de agosto de 1988 (08/08/88). Quando pessoas com afinidade pelo número 8 afluíram à comunidade de várias partes da nação e do mundo, e a festa foi mostrada na televisão nacional.

Imagem: Pat's Blog

Conforme relatado em um artigo do New York Times, o local foi nomeado em 1860 por Dabnie Nunnally, o primeiro agente do correio da comunidade. Ele tinha pouca fé na legibilidade de sua caligrafia e achava que usar números resolveria o problema.
Ele, então, enfiou a mão no bolso e encontrou 88 cents...
Na eleição presidencial de 1948, a comunidade votou dividida: 88 votos para Truman e 88 votos para Dewey, o que lhe valeu uma menção na Ripley's Believe It or Not.

Lista de locais com nomes numéricos

Propostas de sinalização para contatos com alienígenas

Em 1822, Carl Friedrich Gauss revela seus planos para entrar em contato com alienígenas por meio do heliotrópio, um instrumento que ele havia inventado no ano anterior.
"Com 100 espelhos separados, cada um com 16 pés quadrados, sendo usados ​​conjuntamente, um pelo menos seria capaz de enviar uma boa luz heliotrópica para a Lua. Seria uma descoberta ainda maior do que a descoberta da América, se pudéssemos entrar em contato com os nossos vizinhos da Lua."
Alguns também sugerem que foi Gauss quem propôs a construção de um imenso triângulo retângulo em associação com três grandes quadrados na superfície da Terra para sinalizar a existência da vida humana aos alienígenas da Lua ou de Marte.
Os detalhes variam entre as fontes, mas tipicamente o "desenho" deveria ser construído na tundra siberiana e composto de vastas faixas de floresta de pinheiros formando as bordas do triângulo retângulo, com o interior do triângulo e os quadrados exteriores compostos de campos de trigo.
Gauss estava convencido de que essa figura geométrica, invocando o teorema de Pitágoras, demonstraria reciprocamente a existência de vida inteligente na Terra e em Marte.

https://en.wikipedia.org/wiki/Gauss%27s_Pythagorean_right_triangle_proposal

Pitagóricas: 1, 2 e 3

26 agosto, 2018

Uma nota pública, comentada

Nota pública
Em atenção à solicitação da Presidente do Partido dos Trabalhadores, o Presidente do Senado Federal informa que o Brasil é signatário do "Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos" e de seus Protocolos Facultativos, assinados na ONU em 16 de dezembro de 1966. (1)
O tratado internacional tramitou na Câmara e no Senado entre janeiro de 2006 e junho de 2009, sendo aprovado em ambas as Casas, e foi promulgado pelo Decreto Legislativo nº 311, de 2009, conforme publicado no Diário Oficial da União de 17 de junho de 2009, encontrando-se em pleno vigor. (2)
Senador Eunício Oliveira
Presidente do Senado Federal

(1) Era então presidente do Brasil o Marechal do Exército Humberto de Alencar Castello Branco.
(2) O DL nº 311 é supralegal. Portanto, está acima da legislação eleitoral e das leis que tratam de inelegibilidades e das execuções penais.
Não vamos acatar?
- Não cabe à Justiça brasileira, ou a qualquer outro poder que seja neste país, alegar soberania nacional para descumprir uma decisão. O Brasil, por sinal um dos membros fundadores da ONU, é signatário dos pactos internacionais sobre direitos humanos.
Vamos deixar a ONU?
- É bom dar antes uma espiada no organograma do Sistema das Nações Unidas. O combo da ONU inclui UNICEF, OIT, FAO, UNESCO, OMS, Banco Mundial, CEPAL etc. etc. etc.

A nau dos insensatos

A nau dos insensatos é uma antiga alegoria muito usada na cultura ocidental em literatura, música e pinturas. Imbuída de um senso de autocrítica, ela descreve o mundo e seus habitantes humanos como uma nau cujos passageiros perturbados nem sabem nem se importam para onde estão indo. Em composições literárias e artísticas dos séculos XV e XVI, o motivo cultural da nau dos insensatos era uma paródia da arca de salvação (como a Igreja Católica era classificada). (WIKI)


Das Narrenschiff (A nau dos insensatos) do advogado da Basileia Sebastian Brant (entre 1458 e 1521) foi uma das primeiras obras ricamente ilustradas a ser impressa em língua alemã no século XV e uma das mais populares. Após a primeira edição, que foi impressa em 1494 pelo antigo colega de universidade de Brant, Johann Bergmann, a sátira de Brant sobre a insensatez humana tornou-se um best-seller europeu. Em 1574, mais de 40 edições do texto haviam surgido, incluindo traduções para o latim, o francês, o inglês, o holandês e o baixo-alemão. O texto descreve uma viagem fictícia por mar de 112 insensatos, cada um representando um certo tipo de conduta humana, para a terra prometida de “Narragônia”. A sucessão de insensatos é liderada pelo leitor tolo: convencido de sua aprendizagem, ele está empenhado em espantar as moscas que zumbem em torno de sua mesa abarrotada de livros, mas ele não abre os livros para adquirir conhecimentos. Brant não critica tanto a insensatez, mas o fato de permanecer insensato por não reconhecer as próprias falhas. Uma das razões para o grande sucesso da obra foi, sem dúvida, as xilogravuras de alta qualidade que introduzem e complementam o texto. Entre os artistas que colaboraram com Brant nesta obra estava o jovem Albrecht Dürer, que logo após a conclusão desta obra deixou a Basileia e foi para Nuremberg. O livro encontra-se na Biblioteca Estatal da Baviera, em Munique, Alemanha. Biblioteca Digital Mundial

Em E la nave va — batizado como O Navio, em português — de Fellini, a alta classe artística e social italiana embarca em uma viagem de despedida da cantora de ópera Edmea Tetua. Lá, em meio ao caos instaurado pelo ego, pela morte e pela non-grata presença de refugiados sérvios no navio, afloram as facetas mais obscuras e egoísta do ser humano. Ao reproduzir com magistral destreza os aspectos mais perturbadores da individualidade sobre o meio, Fellini expõe a cara mais pobre da existência humana.A NAU DOS INSENSATOS: UMA ALEGORIA CADA VEZ MAIS FAMILIAR, por Wellington Freire
© obvious: http://obviousmag.org/superantropia/2015/a-nau-dos-insensatos-uma-alegoria-cada-vez-mais-familiar.html#ixzz5B027iMLr
Follow us: @obvious on Twitter | obviousmagazine on Facebook

Bônus

25 agosto, 2018

Cão nervoso, ave inquieta

Robôs numa dança do acasalamento?


Pelo amor de Deus, eles apenas estão querendo sair para fazer pipi.

O suicídio de Getúlio

1954 — 25 de agosto
Logo após a notícia do suicídio do presidente Getúlio Vargas, multidões saem às ruas, enfurecidas, abortando qualquer hipótese de intervenção — muito embora o dispositivo militar montado para obrigar Getúlio a renunciar continuasse armado.
Populares ocuparam ruas e praças em todo o país e atacaram sedes de partidos de oposição — principalmente da UDN —, jornais alinhados ao udenismo e quartéis.
E não se esqueceram do maior inimigo do líder morto: Carlos Lacerda. Caçado nas ruas do Rio, ele se refugiou na embaixada dos Estados Unidos. Quando esta foi atacada, ele fugiu num helicóptero militar para o cruzador "Barroso", ancorado na baía da Guanabara.
"Mataram Getúlio! Mataram Getúlio!", gritavam os populares nas inúmeras manifestações que se seguiram à notícia do suicídio do presidente.
No Rio, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte e capitais do Nordeste, a multidão mostrava a cara e manifestava profunda revolta com o desfecho trágico da dura campanha oposicionista contra Vargas. O Exército interviria em várias cidades.
No Rio, armados de paus e pedras, populares percorreram o centro da cidade destruindo material de propaganda da oposição. Só o jornal "Ultima Hora" pôde ir para as bancas, pois os manifestantes incendiaram carros e exemplares de "O Globo" (foto) e da "Tribuna de Imprensa", que tiveram grande atuação na campanha sem trégua que levara Getúlio Vargas ao suicídio.


Ler mais em Memorial da Democracia.


24 agosto, 2018

Selfies matam mais que tubarões

É uma comparação engraçada que, no entanto, apresenta um erro básico.
Qual será?
Aqui está: Selfies, tubarões e perigos estatísticos.
Agora, o que pode acontecer se reunirmos os dois fatores de risco?

Crédito

Gerhard Haderer garante que o desfecho acima é o mais provável.
O cartunista austríaco segue há décadas com suas ilustrações satíricas. A sociedade atual está longe de ser perfeita.

A força centrípeta da estupidez

Aqui já nos reportamos ao historiador italiano Carlo Cipolla, autor de um ensaio chamado "As Leis Fundamentais da Estupidez Humana", lançado em livro.
http://blogdopg.blogspot.com/2013/07/as-leis-da-estupidez.html

No referido ensaio de Cipolla, consta também uma referência sobre a contribuição de cada néscio para tornar mais forte o seu grupo:
"Esse grupo é muito mais poderoso do que a Máfia, o complexo militar-industrial ou a internacional comunista; se trata de um grupo desprovido de estatuto, sem estrutura nem constituição, sem chefe nem presidente, que consegue, no entanto, funcionar de maneira perfeitamente coordenada, de tal maneira que a atividade de cada membro contribui para ampliar e tornar mais forte e mais eficaz a de todos os outros."
https://www.diariodocentrodomundo.com.br/antes-de-apoiar-a-chapa-bolsonaro-mourao-os-evangelicos-deveriam-ler-o-que-a-biblia-diz-sobre-estupidez-por-kiko-nogueira/ (apud Kiko Nogueira)

Para lacrar, vale citar um trecho de autoria de Celso Toledo, em que ele também resgata a teoria de Cipolla e suas consequências:
"Note-se que, muitas vezes, a existência de uma fatia grande de ingênuos com traços de estupidez é insuficiente para bloquear o avanço dos bandidos porque estes ingênuos são mais complacentes e propensos a serem iludidos pelas artimanhas retóricas da bandidagem. Felizmente, a experiência sugere que parte não desprezível desses ingênuos com traços de estupidez (I2) migram, mesmo que temporariamente, para a região I1 quando percebem com algum atraso os estragos perpetrados pelos bandidos. Esse é o motor dos ciclos de avanço e retrocesso tão comuns em regiões atrasadas como a América Latina porque, ao menor sinal de alívio, eles voltam de I1 para I2. A força centrípeta da estupidez faz o trabalho."
http://terracoeconomico.com.br/as-leis-fundamentais-da-estupidez-humana (apud Pedro Lula Mota)

23 agosto, 2018

Fazendo drama por nada

"Levanta-te e anda, ó homem."

Como surgiu o snorkel?

Que tipo de café atrai mais as formigas?

Os seres humanos não são os únicos animais que (em muitos casos) são atraídos pelo cheiro do café. Este estudo enfoca a atração das formigas por odores do café:
"Olfactory behavior and response of household ants (Hymenoptera) to different types of coffee odor: A coffee-based bait development prospect" (Comportamento olfativo e resposta de formigas domésticas (Hymenoptera) para diferentes tipos de odor de café: um prospecto de desenvolvimento de iscas à base de café), por Abdul Hafiz Ab Majid, Hamady Dieng, Siti Salbiah Ellias, Faezah Syukriah Sabtu, Abd Hafis Abd Rahim, and Tomomitsu Satho, Journal of Asia-Pacific Entomology, vol. 21, nº. 1, março 2018, pp. 46-51.
Os autores, na Universiti Sains Malaysia, Malásia, Universiti Sarawak Malaysia, Malásia, e Universidade de Fukuoka, Japão, relatam:
Em uma série de bioensaios com olfactômetros de tubo em Y examinamos as respostas comportamentais das espécies Tapinoma indicum (TI), Monomorium pharaonis (MP) e Solenopsis geminata (SG) a vários estímulos de odor induzidos pelo café, compostos por extratos de Arabica, Robusta e Liberica ....
Estes resultados indicaram que o café, particularmente o Arabica, se mostrou atraente para as formigas forrageiras da TI, MP e SG ...
O Blog EM atualiza o cafezinho
De 5F: Fraco, Frio e Fedorento com Formiga no Fundo
Para 6F: Fraco, Frio e Fedorento com Formiga Forrageira no Fundo.

22 agosto, 2018

Calculando o assalto perfeito


Bebidas para gatos Whiskes® patrocina esta postagem.

Calculando o salto perfeito

Uma empresa de laticínios na Antártida

O almirante Richard E. Byrd adorava leite e sentia falta do "precioso líquido branco" durante suas expedições à Antártida. Então, ele inventou um esquema para levar vacas leiteiras para o Polo Sul. O leite, porém, não foi a única razão. Byrd supôs que uma expedição científica comum renderia poucas manchetes, especialmente depois que os postos avançados foram estabelecidos na Antártida. Enviar vacas para lá, sim, é que daria ao resto do mundo o que falar. E ele estava certo.
E assim - por todas essas razões, e talvez mais - no outono de 1933, a equipe da expedição embarcou um trio de vacas no SS Jacob Ruppert. Todas eram da mesma raça (graças a um acordo que Byrd tinha feito com o American Guernsey Cattle Club), e uma delas estava grávida. O carpinteiro da tripulação, Edward Cox, assumiu as responsabilidades de cuidar das vacas. E outros patrocinadores forneceram alguns acessórios necessários: 10 toneladas de alimentos, vários equipamentos agrícolas e uma máquina de ordenha.
As vacas fizeram a viagem de três meses ao lado de seus companheiros humanos. Havia esperança de que a vaca grávida desse à luz dentro do Círculo Antártico, conferindo a seu bezerro "uma reivindicação única de imortalidade", como Byrd colocou em suas memórias da expedição. Em vez disso, o parto aconteceu acerca de 400 quilômetros ao norte. Ainda assim, isso se mostrou mais arrepiante do que o frio congelante: "Quase como se fosse nascer um ser humano, a tripulação esperou com grande expectativa por um evento que era tão comum na natureza desde o início do mundo", lembrou Byrd com ironia. Eles nomearam o filhote de Iceberg - apenas justo, dado que os pequenos icebergs são chamados de calves (plural de calf, bezerro) - e o anúncio do seu nascimento deu no New York Times.
Portanto, foram três vacas e um bezerro que chegaram à Antártida em janeiro de 1934. O ano deles no gelo não lhes mostrou muito da natureza, mas eles foram bastante mimados pelos homens ao redor. E retornaram como heróis, mas esse experimento jamais foi repetido.

Leia mais sobre a empresa de laticínios mais austral do mundo no Atlas Obscura.

21 agosto, 2018

Direitos autorais perpétuos

Em 1929, James Barrie doou todas as receitas com Peter Pan para o Great Ormond Street Hospital for Children, em Londres. Depois que Barrie morreu em 1937, os direitos autorais se tornaram uma importante fonte de receita para o hospital. Normalmente, no Reino Unido, um direito de autor dura até 50 anos após a morte do autor, então Peter Pan entrou no domínio público, no final de 1987.
Mas, em 1988, o governo acrescentou uma alteração especial à lei que rege a propriedade intelectual:
"As disposições do Anexo 6 ​​têm o efeito de conferir aos curadores, em benefício do Hospital for Sick Children, o Great Ormond Street Hospital, de Londres, os royalties da exibição, publicação comercial, transmissão ou inclusão em programa a cabo da peça Peter Pan, de Sir James Matthew Barrie, ou de qualquer adaptação deste trabalho, não obstante o direito de autor da obra ter expirado em 31 de dezembro de 1987."
Assim, de um modo exclusivo, o menino que não queria crescer tem direitos autorais que nunca expirarão - de acordo com a lei do Reino Unido, e que se prolongarão perpetuamente a partir de 1988.

Jonathan Balley  traz todos os detalhes em PT - Plagiarism Today.

Galileu em Murano

1609 - Galileo lidera uma procissão de senadores venezianos pela Piazza San Marco e sobe o Campanile para seu primeiro olhar através de um telescópio.
Em suas palavras:
"Para detectar velas e embarcações no mar, tão longe que navegando em direção ao porto, duas horas ou mais se passaram antes que pudessem ser vistas sem meus óculos."
Abaixo, a reprodução de um afresco do pintor Giuseppe Bertini que retrata Galileu Galilei mostrando ao Doge de Veneza como usar o telescópio.


Thony Christie, em  Renaissance Mathematicus, sugere que o fato aconteceu no dia 21 de agosto de 1609 (duas semanas depois de Thomas Harriot ter desenhado esboços da Lua de acordo com suas observações ao telescópio). E o mesmo autor dá o dia 25 de agosto do mesmo ano como tendo sido a data em que Galileu recebeu o contrato da sua vida para ser professor da Universidade de Pádua com um salário de 1000 florins, mas com a cláusula subsidiária de que ele nunca receberia um aumento no salário.

O vidro para o telescópio de Galileu foi feito em Murano. A qualidade do vidro transparente veneziano foi fundamental para o desenvolvimento da ciência contemporânea.
Murano, embora descrita como uma ilha da lagoa de Veneza, é de fato um arquipélago de sete ilhas (das quais duas são artificiais), unidas por pontes entre si. Foi fundada pelos antigos romanos e prosperou inicialmente como um centro pesqueiro.
Em 1291, todos os cristaleiros de Veneza foram obrigados a mudar-se para Murano devido ao risco de incêndio, porque a maioria dos edifícios de Veneza era construída em madeira.
Tem aproximadamente 5500 habitantes e fica a somente 1 quilômetro do centro de Veneza.

SEGVSO e outras fontes

20 agosto, 2018

A evolução da religião - 3

Extraído de: Evolução e religião, por Sérgio Pena (*)

A resistência de alguns grupos religiosos à evolução é um problema que me deixa simultaneamente perplexo e entristecido. Como racionalista de carteirinha e cientista militante, tenho dificuldade em entender essa situação. Como pode um indivíduo pensante desprezar evidências empíricas gritantes e concretas para adotar em seu lugar um pensamento anticientífico, com base apenas em revelações e escrituras milenares de origem obscura que alegam ser de autoria divina?
O que considero necessário não é a ciência da evolução se modificar com o objetivo de se tornar palatável para algumas crenças religiosas. O importante é que as religiões adaptem suas doutrinas para lidar com a realidade da evolução, assim como tiveram de se adaptar à teoria heliocêntrica do Sistema Solar 500 anos atrás.
É absolutamente incontestável o fato da evolução. Não se trata de uma simples teoria da evolução. Dados paleontológicos, geológicos e fisiológicos já forneceram ampla evidência da origem única da vida na Terra e de sua evolução progressiva para formar as milhões de espécies de animais e plantas que aqui habitam. Mas a genômica comparada foi a cereja no topo do sorvete, o elemento que nos deu a prova final da verdade incontestável da evolução.

(*) Sérgio Pena (Belo Horizonte, 1947) é um médico geneticista brasileiro, ex-colunista da Ciência Hoje. Atualmente é Professor Titular do Departamento de Bioquímica e Imunologia da UFMG. com experiência na área de Genética, atuando principalmente em temas tais como diversidade genômica humana, formação e estrutura da população brasileira e aplicação de testes baseados na PCR para diagnóstico de doenças humanas. Também é Diretor do Laboratório de Genômica Clínica da Faculdade de Medicina da UFMG e Diretor Científico do GENE - Núcleo de Genética Médica.

A evolução da religião: 1 e 2

Pensar, capitão, pensar

[...] Finalmente, o capitão de pantufas. Querer sair da ONU é inédito. Estados brigam para entrar nela. Mudam até de nome, se for necessário, como a Macedônia que aceitou ser Fyrom! ~ Eugênio Aragão, ex-ministro da Justiça

A Macedônia é um país da península balcânica no sudeste da Europa. É um dos estados sucessores da antiga Iugoslávia, da qual se declarou independente em 1991. Tornou-se membro das Nações Unidas em 1993, mas, como consequência de uma disputa com a Grécia sobre o uso do nome "Macedônia", foi admitida sob a designação provisória de Former Yugoslav Republic of Macedonia (Antiga República Iugoslava da Macedônia), por vezes abreviada como FYROM, um termo que é também utilizado por organizações internacionais como a União Europeia, o Conselho da Europa e a OTAN. Em 17 de junho de 2018, a Macedônia e a Grécia assinaram um acordo que permitiria o país mudar seu nome para "República da Macedônia do Norte", na dependência de um referendo nacional sobre o assunto e da aprovação pelo parlamento europeu.

Pensar, capitão, pensar. Em Indiana e Yowa, nos Estados Unidos, há cidades chamadas Brazil. Além disso, tem uma ilha mítica no Oceano Atlântico que é Brasil com "s", e vá que ela reapareça. Em caso de arrependimento, o país Brasil vai ter um sério problema para ser readmitido na ONU, se for para continuar com o nome que tinha antes do desligamento.

Ilha Brasil mostrada em um mapa da Irlanda (Wiki)

19 agosto, 2018

O experimento da Prisão de Stanford

por Juliana Blume, em 18/06/2018
Cinquenta anos depois da realização do estudo psicológico mais famoso do mundo, da Prisão de Stanford, os participantes e o organizador Philip Zimbardo (em 1971, o professor de psicologia Phil Zimbardo torturou 11 alunos voluntários em nome da ciência) ainda recebem pedidos frequentes de entrevistas. O experimento durou apenas seis dias, e ainda assombra os envolvidos nele e faz parte do imaginário social do mundo todo.
Inicialmente, o estudo foi aclamado nos EUA como uma justificativa perfeita para a falta de eficácia na reabilitação de prisioneiros das cadeias americanas. Já na Europa, foi visto como uma explicação para o comportamento sanguinário de nazistas durante o holocausto. Mas desde a virada o século psicólogos e pesquisadores do mundo inteiro têm encarado o estudo com outros olhos.
Ele contém falhas importantes de metodologia, e tentativas de replicação do experimento por outros pesquisadores não encontraram o mesmos resultados. Agora, novos documentos sobre o experimento foram colocados à disposição do público, e um escritor dos EUA realizou novas entrevistas com o organizador e participantes para escrever um livro sobre um julgamento de um criminoso que recebeu uma pena bastante branda ao usar o estudo de Stanford em sua defesa.
Este escritor se chama Ben Blum, e escreveu um livro sobre seu próprio primo, Alex Blum, um soldado do exército americano de 19 anos que em 2006 assaltou um banco com seu superior do exército, e defendeu-se dizendo que só fez o que fez porque acreditava se tratar de um treinamento. Sua defesa utilizou o estudo de Stanford para argumentar que o jovem não tinha consciência do que fazia por conta de seu contexto no exército e por estar seguindo ordens de seu superior.
Anos depois, porém, Alex admitiu para Ben que sabia exatamente o que estava fazendo, e que assumir responsabilidade por sua ação tinha sido muito benéfico para ele. Intrigado com o caso, Ben começou sua extensa pesquisa sobre o experimento, e entrevistou Zimbardo duas vezes, assim como voluntários que nos anos 1970 cumpriram papéis de guardas ou prisioneiros no estudo.
Siga lendo em Hypescience.
(Grato a Jaime Nogueira pela remessa do artigo.) 

Feliz o tempo que passou

Na ONU:
O então ministro da Cultura do governo Lula, @gilbertogil, toca "Toda menina baiana". Com a participação ("on congas") do ex-secretário geral da ONU e Nobel da Paz, Koffi Annan. (*)
Vídeo para a gente se lembrar do tempo em que o país fazia bonito. Mas pode o Brasil ser feliz de novo!



(*) Koffi Annan faleceu na madrugada de ontem (18).

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Como é de amplo conhecimento, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acionou, em 2016, com base na hipótese prevista no art.1º do Protocolo Facultativo ao Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos (com competência reconhecida pelo Brasil através do Decreto Legislativo 311/2009), o Comitê de Direitos Humanos da ONU (órgão previsto no art. 28 de citado Pacto, também reconhecido pelo Brasil através do Decreto 592/92), alegando violação em determinadas liberdades fundamentais, por exemplo, o fato de haver sido vítima de violenta condução coercitiva determinada judicialmente, operacionalizada por centenas de policiais, numa época em que sequer era réu da Justiça; determinação judicial ilegal (oriunda do mesmo juízo) de quebra de sigilo telefônico de chamada realizada com a então presidenta Dilma Rousseff, sem autorização do STF, inclusive, com eventual vazamento do teor do áudio para a imprensa nacional; ofensa à sua dignidade e honra, dentre outros aspectos que demonstravam que o ex-presidente estava sendo forçosamente submetido a um juízo parcial, inquisitório e seletivo, não por acaso estando hoje aprisionado sem sequer haver usufruído de seu direito constitucional de recorrer em liberdade a todas as instâncias judiciárias.
O comunicado do ex-presidente endereçado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU em 2016 (Comunicado n. 2841/2016) não foi decidido em definitivo. Porém, considerando factíveis e bem fundamentadas as violações alegadas, adensadas, agora, de outro elemento que diz respeito a uma possível nova violação do art. 25 do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, que se refere à garantia de não discriminação em matéria de direitos políticos, no caso, ao registro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato à Presidência da República nas eleições em curso, incluídos aí seu direito de participação político-eleitoral pleno, o Comitê de Direitos Humanos da ONU determinou, em resposta à comunicação incidental realizada pela diligente defesa do ex-presidente, em 27 de julho passado, que o Estado brasileiro, por suas instituições competentes, gestione no sentido de garantir ao ex-presidente o gozo dos direitos de candidato à Presidência da República, em igualdade de condições com os demais candidatos.
A requisição internacional não impressiona, pois todo ser humano dentro ou fora do Brasil deveria ter direito de usufruir da máxima da presunção de inocência até o esgotamento dos recursos judiciais cabíveis. Saliente-se que, no caso concreto, está-se falando de uma situação permeada de transgressões jurídicas e judiciais em série, que mais dia, menos dia serão desmascarados nacional e internacionalmente. A medida do Comitê de Direitos Humanos da ONU também em nada abala o bom senso, quando se percebe, com clareza induvidosa, que o ex-presidente está sendo impedido de candidatar-se por ser o candidato potencialmente com maior preferência popular. A denegação de sua candidatura seria, portanto, um erro de impossível reparação, uma hipótese que nenhuma reversão judicial poderia eventualmente compensar.
Neste momento em que se discute se o Brasil deve ou não cumprir a determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, é importante deixar muito bem esclarecido que não cabe à Justiça brasileira, ou a qualquer outro poder que seja neste país, alegar soberania nacional para descumprir tal decisão. O Brasil é signatário de todos os pactos internacionais de direitos humanos atinentes ao caso. Descumprir a medida seria, por exemplo, em sentido diverso, porém perspectiva semelhante, não atender o que ninguém ousa questionar acerca dos deveres de proteção cautelar determinados internacionalmente no caso de Mônica Benício, viúva da ex-vereadora Marielle Franco, que vem sofrendo ameaças desde a covarde execução, com um agravante ainda mais enfático de que no caso do ex-presidente brasileiro a matéria não tramita na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, porém, no Comitê de Direitos Humanos da ONU, principal órgão monitorador do sistema global de proteção dos direitos humanos das Nações Unidas. Por isso, achando-se bom ou não, Lula é candidato, sim, à Presidência da República.

Marcelo Ribeiro Uchôa, in: Jornal GGN
Advogado e Professor Doutor de Direito Internacional Público da UNIFOR

========================================================================

05/09/2018 - Nosso país mergulhou na infâmia
Na fase atual, tanto o Itamaraty quanto o STF resolveram descumprir vergonhosamente uma decisão válida e eficaz da ONU para atender os interesses parciais, privados e inconfessados dos big players nacionais e internacionais que pretendem impedir Lula de disputar a presidência para continuar saqueando as riquezas do Brasil.
Fábio de Oliveira Ribeiro, in: Jornal GGN

18 agosto, 2018

Breviário - 3ª. edição

O Breviário do EntreMentes é, sem falsa modéstia, um dos mais completos livros com ofícios da web. Nele, os leigos internautas e os internautas leigos encontrarão força, amparo e consolo para enfrentar os momentos difíceis da vida.

Oração das encalhadas
Oração das mulheres resolvidas
Para atrair o homem amado
Oração do cavaleiro andante
A oração da propina
Credo do DNA
Oração da mulher por um dia bom
A oração de Hutchinson
Oração da terceira idade
Prece de gratidão
Oração do blogueiro
Ladainha moderna
Oração a Santo Isidoro
Oração da serenidade (versão Web)
Oração do zap-zap
Prece ao vento
Prece ao Wi-Fi
Oração aos chatos

Krakatoa




"Krakatoa, o Inferno de Java" é o título no Brasil de um filme sobre a erupção vulcânica de 1883 que causou o som mais alto já ouvido na Terra.
No entanto, o título original do filme em inglês é "Krakatoa, East of Java" (na tradução literal: Krakatoa, Leste de Java). O problema é que a ilha onde fica o vulcão está localizada na costa oeste de Java.
Ninguém se deu ao trabalho de verificar a localização da ilha antes de gravar todo o filme?

Da Indonésia para a Noruega, com um grito

17 agosto, 2018

Uma destas coisas não é como as outras (2)

Bored Panda compilou uma lista hilariante de "Uma destas coisas...".
Não só para alegrar seu dia, é também para verificar como anda sua atenção.


#1 da lista

De Liberdade para Japão Liberdade

07/08/18 - Governador de São Paulo trocou o nome da estação do metrô Liberdade para Japão Liberdade
A ignorância histórica de nossos dirigentes causa muitos dissabores. Vejam o governador de São Paulo, Marcio França: na madrugada passada trocou o nome da estação do metrô Liberdade para Japão Liberdade. Uma apropriação cultural!... O bairro Liberdade é originalmente um bairro de negros, muito antes da chegada da comunidade japonesa. Chamava-se Largo da Forca, pois era palco de execução de negros fugitivos e condenados à morte... Aliás, foi por causa do soldado negro Chaguinha, condenado à morte por liderar rebelião por pagamento de soldo, que a praça e o bairro foram chamados de Liberdade... Em 1821, Chaguinha sobreviveu a dois enforcamentos, ao que o público atribuía a um milagre e passava a gritar "liberdade" - só foi morto após o carrasco usar um laço de vaqueiro... Chaguinha, então, se tornou santo padroeiro do bairro e protetor da Capela dos Aflitos, onde esteve antes de ser levado à forca, e da Igreja Santa Cruz dos Enforcados, construída décadas mais tarde em frente à praça... Para consertar sua gafe, o governador terá que fazer novo decreto e naturalizar, post-mortem, o Chaguinha, como imigrante japonês...
Colunistas / Hildegard Angel - Jornal do Brasil
(notícia enviada por Jaime Nogueira)

"A ignorância é que atravanca o progresso." ~ Odorico Paraguassu

16 agosto, 2018

A Era do Wi-Fi - 7

👴: Qual é a senha do Wi-Fi?

Você precisa comprar uma bebida primeiro.

👴: Ok, eu quero uma Coca.

Pode ser uma Pepsi?

👴: Sim. Quanto custa?

Três reais.

👴: Agora, diz. Qual é a senha do Wi-Fi?

Você precisa comprar uma bebida primeiro. Sem espaços, todas letras são minúsculas.

+ notícias da supradita Era: 1, 2, 3, 4, 5 e 6


Davide Bonazzi é um ilustrador de Bolonha, Itália, que projeta imagens instigantes sobre problemas modernos. Ele combina a mídia digital com texturas de objetos reais para dar uma aparência única às suas imagens. Portfólio

O canudinho vital

Projetado para remover 99,9999% das bactérias da água, este filtro portátil de água, o LifeStraw Personal Portable Water Filter, não possui peças móveis, não requer nenhuma fonte de energia (além da força da sucção) e nunca precisa de manutenção. Cada LifeStraw pode filtrar até 1.000 litros de água (quando se recomenda o descarte da unidade) e cabe facilmente em seu bolso, na mochila ou no porta-luvas de um carro. Originalmente projetado para uso durante desastres naturais, o LifeStraw também é perfeito para caminhadas, acampamentos ou sempre que suas viagens o levam para áreas remotas.

[postagem não patrocinada]

O controlador do blog EM não testa mais os produtos aqui divulgados desde que cortou o dedo com um canivete suíço feito em Burquina Faso.

15 agosto, 2018

Um mestre do origami

Akira Yoshizawa (14 de março de 1911 — 14 de março de 2005) foi um artista japonês considerado um mestre do origami. Credita-se principalmente a ele ter elevado esta técnica a um estado artístico,
Quando criança, ele aprendeu por si próprio a fazer origamis. Mais tarde, trabalhando numa fábrica em Tóquio, ele descobriu que podia, através desta técnica, compreender e ensinar geometria a seus companheiros de trabalho.
Em 1954, publicou a monografia Atarashi Origami Geijutsu. Neste trabalho ele estabeleceu o sistema de notação para dobras do origami, que se tornou o padrão para a maioria dos dobradores. A publicação desta obra ajudou Yoshizawa a sair da pobreza.
Ele nunca quis vender as suas figuras de origami, mas sim doá-las a pessoas. Ou emprestá-las para grupos que organizavam exposições.
Durante sua carreira, Yoshizawa atuou como embaixador cultural do Japão. Em 1983, o imperador Hirohito o condecorou com a Ordem do Sol Nascente, a maior das honrarias destinadas a cidadãos japoneses.
Yoshizawa morreu em 14 de março de 2005, em Tóquio, no 94º aniversário do seu nascimento.
Alguns de seus trabalhos são mostrado neste vídeo:


Ranking dos idiotas

Donald Trump pode pensar que é muito esperto, mas não é o que a internet acha.
Quando se pesquisa no Google Imagens a palavra "idiota", o que é que a gente logo encontra? Fotos do presidente dos EUA exibindo uma gama de expressões faciais ridículas, que vão de entediado a confuso.
Recentemente, foi descoberto que Trump não sabia o que é o Reino Unido apesar de ter visitado o soberano Estado insular e até conhecer a rainha.
Supostamente, o presidente não entendia que o Reino Unido é formado por quatro países Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte, acreditando que os nomes "Inglaterra", "Grã-Bretanha" e "Reino Unido" fossem intercambiáveis.
Qual é a diferença?

Por motivo diverso, Chapolin Colorado e Mr. Bean, também estão no ranking dos idiotas do Google. Mas os dois são personagens bem avaliados de comédias da televisão e do cinema.
Fico a imaginar o que um súdito da Elizabeth II diria ao estouvado Trump:
"Vou te dar duas medalhas. Uma por ser idiota e a outra para o caso de perdê-la." (Mr. Bean)

14 agosto, 2018

Histórias Incríveis

1
Amazing Stories foi a primeira revista dedicada exclusivamente à ficção científica. Antes desta publicação, as histórias de ficção científica fizeram aparições regulares em outras revistas, incluindo algumas publicadas por Gernsback, mas Amazing ajudou a definir e lançar um novo gênero de ficção pulp. A primeira edição apareceu em 10 de março de 1926, com a data de capa em abril de 1926.
Ver capa da 1ª edição, ao lado.
2
Amazing Stories foi também a antológica série de fantasia, horror e ficção científica criada pelo diretor e produtor Steven Spielberg para a televisão, que foi ao ar pela NBC de 1985 a 1987 nos EUA (no Brasil, no começo dos anos 90). Era uma série inusitada desenvolvida no formato de "Além da Imaginação" (The Twilight Zone), com histórias, do tipo que são contadas ao redor de uma fogueira ou lidas à noite para as crianças. Contos voltados para a fantasia, mas que também exploravam os gêneros humor, suspense, drama e terror, e teve a participação de muitos atores famosos.
1º episódio: "O Trem". A história fantástica de um velhinho que insiste que um trem irá atravessar a casa recém comprada pela família, mas o único que acredita nele é seu netinho.

Sessão solene na ALECE alusiva ao centenário de nascimento de LUIZ CARLOS DA SILVA

CONVITE
O Presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (ALECE), deputado José Albuquerque, atendendo ao requerimento do deputado Heitor Férrer, Presidente da Comissão de Viação, Transporte e Desenvolvimento Urbano, convida para a sessão solene alusiva ao centenário de nascimento do advogado LUIZ CARLOS DA SILVA, a realizar-se às quinze horas do dia quatorze de agosto de 2018, no Plenário 13 de Maio.

Local: Edifício Senador César Cals
(entrada pela Rua Barbosa de Freitas)
Aldeota - Fortaleza/CE
Traje: passeio completo

13 agosto, 2018

A morte do nigeriano

POLÍCIA ENCONTROU 27 BILHÕES DE DÓLARES EM SEU APARTAMENTO.
ELE HAVIA TENTADO DISTRIBUIR SUA FORTUNA AO LONGO DE 15 ANOS 
MAS NINGUÉM RESPONDIA SEUS E-MAILS.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------

A barata e outras peripécias do astronauta Conrad

por Carlos Cardoso, do Meio Bit
A NASA tem preocupações e paranóias para todos os lados, mas nenhuma delas chega perto da obsessão por limpeza nas naves. Por isso foi um desespero quando durante a preparação da Apollo XII para o segundo pouso na Lua, um técnico viu uma BARATA dentro do módulo de comando.
O assunto foi tratado como ultra-secreto, enquanto hordas inspecionavam a nave, armadilhas com comida eram deixadas no interior do módulo para tentar capturar a barata, mas nada deu certo.
O consenso era que ou o bicho fugiu, ou o técnico se enganou, mas internamente todo mundo tinha pesadelos com uma barata flutuando enquanto um astronauta aparecia em uma transmissão para o mundo todo.
Foi quase isso que aconteceu.
Na viagem de volta, durante uma coletiva de imprensa o palhaço do "Pete" Conrad puxou um pedaço de papel com uma barata colada e apresentou dizendo que tinham achado a bichinha no armário de comida, para desespero de todo mundo na NASA.
Depois que a nave pousou os técnicos correram pra examinar o passageiro clandestino. Só então descobriram que era uma barata de plástico, escamoteada por Conrad para pregar uma peça na NASA.
Quanto à barata de verdade, nunca descobriram o que aconteceu com ela. Alguns (ok, só eu) dizem que ela ficou na Lua, e alterada pela radiação será a barata que deu origem a Klendathu.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
N. do E.
O norte-americano Charles "Pete" Conrad Jr. (1930 - 1999), foi oficial naval, piloto de testes e astronauta da NASA. Ao participar da missão Apollo 12, tornou-se o terceiro homem a caminhar na Lua.
Pete Conrad foi claramente um menino inteligente, mas continuamente em dificuldades com seus trabalhos escolares. Ele sofria de dislexia, uma condição pouco compreendida na época.
Convidado a participar do processo de seleção para o primeiro grupo de astronautas da NASA. Conrad, como seus colegas candidatos, passou por vários dias no que eles consideravam degradantes e desnecessários testes médicos e psicológicos da Lovelace Clinic, no Novo México . Ao contrário de seus colegas candidatos, Conrad se rebelou contra o regime. Durante um teste de Rorschach, ele disse ao psiquiatra que um cartão com borrão revelava um encontro sexual com todos os detalhes. E, quando lhe foi mostrado um cartão em branco, ele virou-o, empurrou-o de volta e respondeu: "Está de cabeça para baixo".
Então, quando ele foi convidado a entregar uma amostra de fezes para exames, ele colocou-a em uma caixa de presente e amarrou uma fita vermelha ao redor.  Depois de deixar o material na mesa do diretor da clínica, ele saiu. Tinha visto o suficiente. E foi dispensado pela NASA com a observação de que ele não era adequado para voos de longa duração.
Posteriormente, quando a NASA anunciou sua busca por um segundo grupo de astronautas, o veterano Alan Shepard, que conhecia Conrad desde muito tempo, aproximou-se de Conrad e o convenceu a participar novamente. Desta vez, Conrad encontrou os exames médicos menos intrusivos e, em junho de 1962, ele foi selecionado para se juntar à NASA.
Sua frase ao pisar na Lua é a mais divertida da saga espacial. Baixinho, com 1,69 de altura, em contraste com a solenidade de Neil Armstrong no voo anterior, Conrad exclamou:
"Este pode ter sido um pequeno passo para Neil, mas para mim é enorme. Iuuupiii!!!"
Apesar de ter sido o terceiro homem na Lua, Conrad tem o eterno privilégio de ter sido, na qualidade de destro, o primeiro a representar a maioria esmagadora da humanidade. Tanto Neil Armstrong quanto Edwin Aldrin (ainda vivo), os dois primeiros, eram canhotos.
Pensamento do dia
A melhor maneira de matar uma barata é sair correndo e deixar que Deus decida a hora dela.

12 agosto, 2018

A invenção da máquina de costura

12 de agosto de 1851 - Isaac Merrit Singer (1811 - 1875), mecânico de NY,  obtém a patente da primeira máquina de costura realmente prática (v. gravura). Foram necessários onze dias de trabalho, que resultaram em cinco pontos firmes e contínuos (pesponto), para que Isaac Singer tivesse a certeza de ter criado um novo produto que iria revolucionar o milenar processo de recortar, modelar, armar e unir pedaços de tecidos para confeccionar, calças, camisas, casacos, vestidos, corpetes e tantas outras peças para o vestuário.
Utilidades
Um antigo provérbio latino diz que "A necessidade é a mãe da invenção", mas a invenção da máquina de costura foi uma exceção à regra, pois não surgiu para preencher um desejo reconhecido. A máquina de costura nasceu do espírito inventivo de sua época. Nem demanda popular, nem qualquer necessidade premente, mesmo que limitada, encontra-se registrada como solicitação de uma máquina de costura. As pálpebras pesavam com a costura até a meia-noite, mas nunca uma mulher pediu chorando: "Dê-me uma máquina de costura".
A máquina de costura tirou dos ombros de incontáveis milhões o trabalho enfadonho de costurar à mão e tornou disponíveis, a outros incontáveis milhões, mais e melhores roupas por apenas uma fração daquilo que custava antes de ter sido inventada. Dia e noite, homens e mulheres em toda a parte do mundo vestem e usam artigos feitos com a máquina de costura, seja doméstica ou industrial. A máquina de costura aumentou os guarda-roupas, tornou possível a produção em massa de inúmeros produtos e emancipou mulheres de todos os países.
"Depois do arado, esta máquina de costura é talvez o instrumento mais abençoado da humanidade", escreveu Lois Antoine Godey, em 1856. Mahatma Gandhi, o líder hindu, enquanto estava na prisão, aprendeu a costurar em uma máquina e mais tarde isentou-a em sua interdição sobre o maquinário ocidental. "Ela é uma das poucas coisas úteis já inventadas", disse ele.
Fontes
http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/5633/hoje+na+historia+1851++e+inventada+a+maquina+de+costura.shtml
http://www.singer.com.br/nossa-historia/
http://hid0141.blogspot.com/2011/06/historia-da-maquina-de-costura.html

Ver também: A agulha de costura

Traga-me um sonho

Sucesso de The Chordettes em 1968 (vídeo), "Mr. Sandman" ficou ainda mais encantador ao ser interpretado por Ordinarius, grupo vocal e instrumental brasileiro.



Lyrics
Mr. Sandman, bring me a dream
Make him the cutest that I've ever seen
Give him two lips like roses and clover
Then tell him that his lonesome nights are over

Sandman, I'm so alone
Don't have nobody to call my own
Please turn on your magic beam
Mr. Sandman, bring me a dream

Mr. Sandman, bring me a dream
Make him the cutest that I've ever seen
Give him the word that I'm not a rover
Then tell him that his lonesome nights are over
Sandman, I'm so alone
Don't have nobody to call my own
Please turn on your magic beam
Mr. Sandman, bring me a dream

Mr. Sandman (yes) bring us a dream
Give him a pair of eyes with a "come-hither" gleam
Give him a lonely heart like Pagliacci
And lots of wavy hair like Liberace

Mr Sandman, someone to hold (someone to hold)
Would be so peachy before we're too old
So please turn on your magic beam
Mr Sandman, bring us, please, please, please
Mr Sandman, bring us a dream

11 agosto, 2018

TAC-SAC

Realista quanto à possibilidade de ver o surgimento de uma legislação que limite o comércio das armas de fogo nos EUA, Greg Simon comentou:
Bem ... ok ... talvez possamos proibir isto.

https://plus.google.com/112026889357152857241

Isto é o TAC-SAC. Um acessório que os aficionados por armas de fogo estão instalando em seus fuzis só para mostrar que são machões. A ironia é que estes penduricalhos são fabricados em Anchorage, Alasca, onde o frio é tanto que deve deixá-los com os culhões encolhidos ~ PGCS

Sizígia

Esta é uma página de desambiguação que lista os artigos que podem ser associados a um ou vários títulos. Se uma ligação o conduziu até aqui, sugerimos que recorra à Wikipédia para ir diretamente ao artigo adequado.
Sizígia ou Syzygy pode referir-se a:
  • Sizígia (gnosticismo) — conceito gnóstico
  • Sizígia (psicologia) — termo usado por Carl Jung para significar uma união de opostos
  • Sizígia (astronomia) — configuração de linha reta de três corpos celestes
Em 1982, uma sizígia ocorreu quando os nove planetas do sistema solar alinharam-se no mesmo lado do Sol. Os planetas encontravam-se em cerca de 98 graus naquela data. Os quatro principais planetas, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno, foram abrangidos por um arco de 73 graus. A próxima grande sizígia será em 19 de maio de 2161, quando oito planetas (excluindo Plutão) serão encontrados dentro de um arco de 69 graus, de acordo com os astrônomos do Observatório Nacional de Kitt Peak.
Resolvi não esperar tanto tempo para publicar esta nota. PGCS

A astronomia foi o berço das ciências naturais e o ponto de partida das teorias geométricas.
~ Cornelius Lanczos

10 agosto, 2018

The Matrix Uploaded

"E se eu lhe disser que os telefones públicos estão desaparecendo para ficar cada vez mais difícil escapar de Matrix."

* * *

Matriciais
Que é xirtaM?

"Depois de assistir a todos os filmes Matrix, conclui que estive diante do inacreditável. O tempo que eles passam em computadores e o Adobe não pede uma só vez para ser atualizado." ~  Jonco Stl

LINK para Mambo N.º 5 Matrix N.º 5 no YouTube.

LINK para As receitas de Matrix

Tocadores de sinos

Leitura e interpretação do texto de conto de Don Juan Manuel, príncipe de Villena, no livro O Conde Lucanor e Patrônio, escrito entre 1330 e 13335. Ali, fazia-se comentar o secular tema.
Tratava-se de acirrada contenda, na Idade Média, figurando as congregações dos monges da Catedral e dos frades menores de Paris. Aqueles, tidos por "cabeças pensantes" da Igreja. O últimos, simples "tarefeiros humildes", responsáveis pela conservação dos templos. Motivo da discórdia: o direito de tocar o sino ao nascer do Sol, nas matinas. Dado o simbolismo ritualístico, a disputa chegou ao papa, que designou a ida de uma cardeal para solver a problemática. O sábio emissário determinou a presença dos oponentes, portando o longo processo, contendo queixas, denúncias e agravos. Hora aprazada. Todos presentes. O representante papal tomou a documentação, jogou-a numa fogueira e bradou: 
"Eis a sentença! Aquele que acordar mais cedo, é esse que tange o sino."
Geraldo Duarte, Ideias, DN
Referência: http://bib.cervantesvirtual.com/servlet/SirveObras/08144974389758451867857/p0000001.htm#I_1_

O Conde Lucanor: 1 e 2

Poderá também gostar de ver/ouvir: Sinos em Minas Gerais

09 agosto, 2018

A família AT-AT

Seu primeiro passeio para conhecer o mundo:


Qual é a melhor maneira de desativar um AT-AT?

Vênus, seu eterno entardecer

Vênus gira tão lentamente em seu próprio eixo que precisa de 243 "dias da Terra" para completar um "dia de Vênus". Na verdade, é o "dia" mais longo dos planetas do Sistema Solar, mais longo inclusive do que o próprio ano do planeta (o tempo que Vênus leva para rodar em torno do Sol).
Como o raio de Vênus é de 6.000 km, isso significa que sua circunferência máxima é de cerca de 38.000 km. Então, se você caminhar sobre o equador de Venus, caminhando a um bom ritmo sem parar 156 km / dia, cerca de 6,5 km / h  você poderá andar sem ver findar o pôr-do-sol, em uma espécie de pôr-do-sol eterno.

Pôr do Sol ou pôr-do-sol
Escrevemos sem hífen e Sol (com inicial maiúscula), quando nos referimos exclusivamente ao astro. E escrevemos pôr-do-sol, com hífenes e sol (com inicial minúscula), quando não nos referimos ao astro, mas sim à ocasião, ao momento, ao aspecto em que o Sol se põe. Uma coisa é o Sol  o astro; outra coisa é a posição, o momento em que ele está, ou o aspecto que ele nos oferece. Por isso, escrevemos: «Trabalho de sol a sol.» Suponhamos um astrônomo a escrever sobre o astro Sol. Escreverá pôr do Sol com a palavra Sol bem individualizada: com inicial maiúscula e inteiramente separada do que lhe antecede. Repare-se que o vocábulo Sol não se encontra ligado à palavra anterior por meio de hífen. Não forma um todo com as palavras anteriores. Reparemos em pôr-do-sol. O vocábulo sol não está individualizado. Forma um todo com as duas palavras anteriores. Por isso está ligado ao antecedente pelo hífen e escrito com inicial minúscula.

08 agosto, 2018

Uma rede, um violão



Ela quebrou uma corda. Maldito acorde de ré maior.

Garupas de cortiça

Na década de 1770 e no início dos anos 1780, as mulheres chamavam a atenção para suas formas inserindo montes de cortiça em bolsos logo abaixo dos espartilhos. Era uma maneira infalível de fazer a cintura parecer mais fina e a bunda maior.
Desses preenchimentos corporais com a cortiça ficaram algumas histórias notáveis.
Na noite de domingo, um acidente deveras ridículo aconteceu em Henley-on-Thames. Numa grande festa da cidade, logo depois do chá, um grupo de participantes resolveu apreciar o sereno da noite nas margens do rio. Nisso, o pé de uma senhora tropeçou e ela caiu no Tâmisa. A consternação foi geral. Mas, todos ficaram surpresos com o modo como ela flutuava. É que a senhora tinha-se equipado com uma garupa de cortiça de tamanho imoderado, que a sustentava tão completamente que ela parecia Vênus emergindo da água. Então, ela foi rebocada para a margem sem qualquer ferimento pela bengala de um cavalheiro, porém com as anáguas completamente molhadas.
False Rumps!, All Things Georgian

07 agosto, 2018

"Podemos tirar, se achar melhor"

A tradicional agência de notícias internacional Reuters virou um dos assuntos mais comentados no Brasil ao publicar uma entrevista com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e não retirar uma ressalva do repórter dizendo "Podemos tirar, se achar melhor" em um trecho que mencionava a corrupção na Petrobrás durante o governo tucano.
É bastante comum que repórteres façam marcações ao longo do texto no meio jornalístico, mas cabe ao editor a tarefa de avaliar a pertinência do comentário e deletá-lo do texto final. A Reuters já corrigiu a publicação, mas a versão original até hoje circula na internet, confira:

Print Screen: Catraca Livre

No Twitter, a frase virou piada e se tornou um trending topic (o assunto mais comentado na rede social) no Brasil, com a hashtag #PodemosTirarSeAcharMelhor.

Fronteiras da França

A mais longa das fronteiras internacionais terrestres da França é a que este país faz com o Brasil (via Guiana Francesa).

França Metropolitana - total 2.751 km c/ 8 países:
Andorra 55 km,
Bélgica 556 km,
Alemanha 418 km,
Itália 476 km,
Luxemburgo 69 km,
Mônaco 6 km,
Espanha 646 km,
Suíça 525 km.
Guiana Francesa - total: 1.205 km c/ 2 países:
Brasil 649 km,
Suriname 556 km.

Fonte: CIA World Factbook (página foi atualizada pela última vez em 20 de janeiro de 2018).

Links internos:
http://blogdopg.blogspot.com.br/2012/12/marinheiros-de-agua-doce.html
http://blogdopg.blogspot.com.br/2013/04/o-pais-do-esperanto.html
http://blogdopg.blogspot.com.br/2013/08/o-ponto-do-sr-ponthus.html
http://blogdopg.blogspot.com.br/2014/07/o-diplomata-paranhos.html
http://blogdopg.blogspot.com.br/2014/08/a-fronteira-mexico-estados-unidos.html
http://blogdopg.blogspot.com.br/2016/03/fronteiras.html

06 agosto, 2018

Quando seu capacitor de fluxo explode


O que é o capacitor de fluxo

Por que o céu noturno é escuro?

O que Karen B. Kwitter, professora de Astronomia no Williams College, em Williamstown, Massachusetts, tem a dizer:
Nós vemos as estrelas no firmamento, então porque a sua luz combinada não faz o nosso céu noturno e o espaço circundante, pela mesma razão, se apresentarem brilhantes? O físico alemão Heinrich Wilhelm Olbers colocou o mesmo quebra-cabeça dessa maneira, em 1823: se o universo é de tamanho infinito, e as estrelas (ou galáxias) estão distribuídas ao longo deste universo infinito, então estamos certos de ver uma estrela em qualquer direção que observemos. Como resultado, o céu noturno deveria ser claro. Por que não é?
Na verdade, a resposta é muito mais profunda do que parece. Houve muitas tentativas de explicar este quebra-cabeça, apelidado ao longo dos anos de Paradoxo de Olbers. Uma versão implicava a existência de poeira entre as estrelas e, talvez, entre as galáxias. A ideia era que o pó bloquearia a luz de objetos distantes, resultando disso o céu escuro. Na realidade, no entanto, caso a luz incidisse no pó, ela acabaria por aquecê-lo de modo que este brilhasse tão fortemente quanto às suas fontes originais.
Outra resposta proposta para o paradoxo sustentava que o tremendo deslocamento das galáxias distantes - com o alongamento do comprimento de onda da luz que elas emitem devido à expansão do universo - deslocaria a luz do alcance visível para o infravermelho invisível. Mas se essa explicação fosse verdadeira, uma luz ultravioleta de comprimento de onda mais curta também seria deslocada para o alcance visível - o que não acontece.
A melhor resolução para Paradoxo de Olbers no momento tem duas partes. Em primeiro lugar, mesmo que o nosso universo seja infinitamente grande, não é infinitamente antigo. Este ponto é crítico porque a luz viaja na velocidade finita (embora muito rápida!) de cerca de 300.000 quilômetros por segundo. Podemos ver algo apenas depois que houve tempo para a luz emitida nos alcançar. Em nossa experiência diária, o atraso no tempo é minúsculo: mesmo sentado na varanda de uma sala de concertos, você verá o maestro levantar a batuta a menos de um milionésimo de segundo depois que ele realmente o fez.
Quando as distâncias aumentam, o mesmo acontece com o tempo atrasado. Por exemplo, os astronautas na Lua experimentam um atraso de 1,5 segundo em suas comunicações com o controle da missão, devido ao tempo que demora nos sinais de rádio (que são uma forma de luz) para viajar de ida e volta entre a Terra e a Lua. A maioria dos astrônomos concorda que o universo tem entre 10 e 15 bilhões de anos. E isso significa que a distância máxima a partir da qual podemos receber luz está entre 10 a 15 bilhões de anos-luz de distância. Então, mesmo que haja galáxias mais distantes, a luz deles ainda não terá tido tempo para nos alcançar.
A segunda parte da resposta reside no fato de que estrelas e galáxias não duram para sempre. Eventualmente, elas extinguem. Veremos esse efeito mais cedo nas galáxias próximas, graças ao menor tempo para a viagem da luz. A soma desses efeitos é que em nenhum momento estão cumpridas todas as condições para a criação de um céu brilhante. Nunca podemos ver a luz de estrelas ou galáxias de todas as distâncias ao mesmo tempo; ou porque a luz dos objetos mais distantes ainda não nos alcançou ou, então, porque tanto tempo teria passado que os objetos mais próximos estariam consumidos e escuros.

Why is the night sky dark?, Scientific American

A poluição luminosa, blog EM

05 agosto, 2018

A despedida

 O Prof. António Pereira, de Brejos do Azeitão, Portugal, tem uma história para contar sobre um poema que marcou sua vida: "A despedida", do poeta português António Correia de Oliveira (São Pedro do Sul, 1879 — Esposende, 1960).
Perdi "A despedida" de vista e, nos últimos 20 anos, fiz várias tentativas para a reencontrar, sobretudo na internet, pois mantive na memória a maior parte do texto.Ontem, lembrei-me de voltar às pesquisas e, com surpresa, encontrei-o no Instagram da vistosa atriz brasileira Isis Valverde, que não conhecia. A jovem transcreve o poema da minha infância/juventude, mas não identifica o autor, o que levou os leitores a atribuir-lhe a autoria.Seja como for, o importante é que posso partilhar um das mais bonitos e simples poemas de amor que conheço:
Três modos de despedida
Tem o meu bem para mim:
«Até logo», «até à vista»
Ou «adeus» – É sempre assim.

«Adeus» é lindo, mas triste;
«Adeus» … A Deus entregamos
Nossos destinos: partimos,
Mal sabendo se voltamos.

«Até logo» é já mais doce;
Tem distância e ausência, é certo;
Mas não é nem ano e dia,
Nem tão-pouco algum deserto.

Vale mais «até à vista»,
Do que «até logo» ou «adeus»;
«À vista» lembra voltando,
Meus olhos fitos nos teus.

Três modos de despedida
Tem, assim, o meu Amor;
Antes não tivesse tantos!
Nem um só… Fora melhor.

In http://portuguesemforma.blogspot.com.br/2018/01/a-despedida-antonio-correia-de-oliveira.html

+ Despedidas

A partida à manivela

Ao girá-la, após ter sido conectada na parte da frente do carro, a manivela fazia o papel do que hoje chamamos de motor de arranque. Até 1915, ano da criação dos acumuladores de energia - as primeiras baterias -, era necessário que o motorista suasse a camisa girando essa manivela para dar a partida do veículo. O funcionamento desse sistema era muito simples. Além do acelerador no pedal, havia um segundo, manual, que mantinha uma aceleração previamente determinada para que o motor não morresse quando começasse a funcionar. A manivela era conectada na ponta do virabrequim, que, ao girar, produzia a faísca necessária para dar início à combustão e ao funcionamento do motor. Apesar de em 1915 os carros já saírem de fábrica com motor de arranque, todos os modelos fabricados até o final da década de 20 ainda vinham equipados com a manivela, mas já como uma ferramenta auxiliar. Isso para economizar a bateria, a qual era poupada para os casos de emergência.


Este processo era inconveniente e, às vezes, perigoso:
1 - Se o carro não estivesse com a alavanca de transmissão em ponto morto, situação em que podia atropelar o motorista.
2 - Se a manivela após o motor ligar não se soltasse facilmente do virabrequim, situação em que podia fraturar o polegar, o pulso ou o antebraço do motorista, o que principalmente ocorria se ele estivesse segurando a manivela de um modo não recomendado. Não era sem razão que a fratura do osso radial era chamada de "fratura do chauffer".