31 dezembro, 2018

Fogos de artifício ao reverso

Melbourne, Austrália (2013)



Outros já comentaram antes de você
Tudo na Austrália é ESTE LADO PARA CIMA
Música chata.Teria sido legal ouvir também ao reverso o som das explosões.
Explosões são mais suaves do que implosões.
É assim que os orgasmos femininos se parecem.
Big Bang no reverso: é assim que o mundo vai acabar.
Alguém viu aquele UFO no canto inferior esquerdo? Detalhes.
Vá para casa Entropia, você está bêbada.
As coisas estão ficando piores para os cães. [pgcs]
É a melhor formar de entrar no ano passado. [pgcs]

Brasil (2019)
Reza a lenda que...
Se você usar laranja🍊 na noite da virada, alguém acrescentará R$ 24 mil em sua conta bancária. Contanto que você não esqueça de invocar o santo.
— São Queiroz! São Queiroz! Faz um depósito para nós!
Onde reclamar (em caso de não ser atendido): PSL (Partido do Suco de Laranja).

Ciclos, epiciclos e o Ano Novo

por Renato Sabbatini
Todo final de ano nossas caixas postais são inundadas por mensagens de amigos que nos desejam um bom Ano Novo. Alguns céticos acham que essa história de ano novo é apenas uma convenção feita entre todos nós para marcarmos a passagem dos ciclos de tempo. Ou seja, o réveillon seria apenas um ponto qualquer na órbita elíptica contínua que o planeta Terra realiza ao redor do Sol, e que se convencionou ser o ponto de transição de um ano para outro.
Bem, realmente é isso mesmo, e pior ainda, pois o ano não tem uma duração exata de 365 dias (na realidade é de 365 dias, 5 horas, 49 minutos e 12 segundos, o chamado ano sidéreo. É por isso, aliás, que existem anos bissextos a cada 4 anos, com a finalidade de compensar com um dia adicional o acúmulo das diferenças em relação a um ano com 365 dias exatos.
Assim, é engraçado que grande parte da humanidade estoure fogos, abra o champanhe e se felicite num determinado instante de tempo, que convencionamos chamar de início do ano novo. É certamente bastante inexato do ponto de vista astronômico, mas seria muito pouco divertido celebrar, digamos, às 5:49:12 h da manhã do dia seguinte!
Siga lendo:
http://noosfera.org.br/?p=123
N. do E.
Cada ano tem, exatamente, 365,242199 dias. Para compensar esse "excedente", foi criado o ano bissexto, com um dia a mais, que acontece de quatro em quatro anos. Porém, para se aproximar ainda mais do número real, o ano bissexto só acontece nos anos seculares (anos terminados em "00") que são divisíveis por 400. Portanto, 2100, 2200 e 2300 não ganharão um dia adicional, apenas 2400.
http://blogdopg.blogspot.com.br/2009/08/anos-bissextos.html
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Amanhã será o primeiro dia na história em que adultos terão sido nascidos no século XXI.
É fundamental observar que um século começa no início de um ano 01 e termina no fim de um ano 00 - por exemplo, o século XX começou em 1º de janeiro de 1901 e terminou em 31 de dezembro de 2000 e o século XXI (atual) começou em 1º de janeiro de 2001 e terminará em 31 de dezembro de 2100.

30 dezembro, 2018

Gira, girassol

«Para que lado se há-de virar o girassol
quando cercado de mil sóis?»
Provérbio Zen

«Nesse ano, espalharei em meu peito sementes de girassol e cobrirei a cabeça com ervas aromáticas, para que a minha pele transpire luz e a minha boca profira perfumes.»
Sementes de Girassol, Frei Betto

«Um girassol nos teus cabelos
Batom vermelho, girassol
Morena flor do desejo
Ah, teu cheiro em meu lençol!»
Girassol, Alceu Valença

«Girasselfie»

Deixe seu jardim do conhecimento florescer:
Lá vem o sol

Apareceu a Margarida

para Luciano Hortencio
Onde está a Margarida?
Cantiga de roda de origem francesa. No original se chama "Sèche tes larmes, Maria", ou seja, "Seque tuas lágrimas, Maria".
Onde está a Margarida? / Olê, olê, olá! / Onde está a Margarida? / Olê, seus cavaleiros! / Ela está em seu castelo / Olê, olê, olá! /  Ela está em seu castelo / Olê, seus cavaleiros!
https://www.vagalume.com.br/carequinha/onde-estara-a-margarida.html

Margarida
De Gutemberg Guarabira (com o grupo Manifesto)
Álbum: II Festival Internacional da Canção Popular - Rio.
Inspirada na cantiga de roda "Onde está a Margarida?", esta música venceu a fase nacional do Segundo Festival Internacional da Canção, FIC, promovido em 1967 pela TV Globo.
Eu já fui rei, já fui cantor, já fui guerreiro / E agora enfim sou companheiro / Da mulher que apareceu / E apareceu a Margarida, olê, olê, olá / E apareceu a Margarida, olê, seus cavaleiros.
https://www.vagalume.com.br/roupa-nova/margarida.html
https://youtu.be/4RHXauIRD30 (em francês, com Hervé Vilard)
[http://www.drzem.com.br/2013/05/a-historia-da-musica-margarida-de.html]

Daisy Bell
Composição de Harry Dacre, 1892 (Daisy é Margarida)
Daisy, Daisy, give me your answer do / I'm half crazy all for the love of you / It won't be a stylish marriage /  I can't afford a carriage /  But you'll look sweet upon the seat / Of a bicycle built for two.
Quando o computador HAL 9000 está sendo desligado em "2001: Uma Odisséia no Espaço", a adaptação para o cinema que Stanley Kubrick fez do romance homônimo de Arthur C. Clarke, a máquina começa a cantar a música "Daisy Bell".
Isso é de certo modo poético. Durante uma visita a Bell Labs em 1961, o escritor Arthur C. Clarke tinha testemunhado o primeiro computador (um IBM 7094, com vocais programados por John Kelly e Carol Lockbaum, e acompanhamento programado por Max Mathews) a cantar, através de um sintetizador de voz, a canção "Daisy Bell". No Brasil, essa canção já teve uma letra menos poética usada como propaganda do Fimatosan (ex Phymatosan), um xarope para "tosse e bronchites", do Laboratório Simões. Era um jingle que terminava assim:
Fimatosan, melhor não tem, é o amigo que lhe convém. Fi-ma-to-san.
http://blogdopg.blogspot.com/2011/06/daisy-bell.html

Margarida
De Lupicínio Rodrigues
Eu vou explicar pra vocês / Como é a Margarida / Uma espiga de milho / No ponto de ser colhida.
https://youtu.be/EkRb2DCwbt4

Margarida
Composição de Lauro Maia e Humberto Teixeira,
Ai, Margarida / Gosto muito de você / Mas sou pobre, pobre, pobre / E casar não pode ser.
É uma marcha gravada por J. B. de Carvalho, com acompanhamento de Benedito Lacerda e seu Conjunto.
Fonte: O balanceio de Lauro Maia, de Miguel Ângelo de Azevedo (Nirez), Ceará, 1991 (Edição do Autor)

Margarida
Composição de M. Luberti e Riccardo Cocciante (Concerto Per Margareth)
Versão de Mourão Filho
Se eu puder, eu subo ao céu / Pra buscar aquela estrela /  E depois levar pra ela / Porque Margarida é bela.
https://youtu.be/tqOKSju74EQ - com Altemar Dutra

Desfolhando a Margarida
De Ary Vidal e Luís Reis
Faz tempo que me encontro nessa lida / Desfolhando a Margarida / Por causa de uma mulher.
https://itunes.apple.com/br/album/eu-miltinho/1070015381 - com Miltinho

Margarida Perfumada
De Cícero Menezes e Carlinhos Brown
Encontrei Margarida perfumada / Como dava risada / Por também me encontrar / Seu olho já me espionava / Indo pra Timbalada...
https://youtu.be/1wKk4F_y87Y

Flor de Lis
De Djavan
E foi assim que eu vi nosso amor na poeira, poeira / Morto na beleza fria de Maria /  E o meu jardim da vida ressecou, morreu / Do pé que brotou Maria / Nem Margarida nasceu.
"... o tema é simples e narra a tristeza do Eu-Lírico pelo fim de um relacionamento que parecia ser perfeito. Ele fica se perguntando o que pode ter acontecido para aquela pessoa perfeita a quem tanto amava, ter mudado tão bruscamente. Fato consumado, ele faz uma auto-crítica e se questiona por haver se entregado tão fortemente a um relacionamento que no final, não passou de decepção. Ela, que parecia ser uma pessoa meiga e única (daí o "flor de Lis", que, além de ser o símbolo da candura, é uma flor muito rara) mostrou-se, no final, ser uma pessoa fria e insensível. Ou pior, uma pessoa comum e banal, uma vez que na temática do "jardim" que ele usou para contar seu drama, longe de Maria ser uma flor de lis, ela não foi sequer uma Margarida, que é uma das flores mais comuns e banais que existem." ~ Sérgio Soeiro
http://analisedeletras.com.br/djavan/flor-de-lis-2/

Apareceu a Margarida
Marchinha de Paulo Celestino
Apareceu a Margarida / Olê, olê, olá / No festival / Veio pra se desfolhar / Neste carnaval.
https://www.letras.mus.br/marchinhas-de-carnaval/959716/
(inclui Carolina)

Veja Margarida
De Vital Farias
Eu vou partir / Pra cidade garantida, proibida / Arranjar meio de vida, Margarida / Pra você gostar de mim / Essas feridas da vida, Margarida / Essas feridas da vida, amarga vida / Pra você gostar de mim.
https://youtu.be/M7WTex9l-f8 - com Elba Ramalho (vídeo)



Musical Madalena e A beleza em Tereza

29 dezembro, 2018

O primeiro longa-metragem de animação do mundo

SABIA QUE...
… em 1938, pela animação Branca de Neve e os Sete Anões, o cineasta Walt Disney ganhou uma estatueta do Oscar em tamanho real acompanhada de sete miniaturas?
O prêmio foi apresentado pela atriz-mirim Shirley Temple, a qual aparece na foto abaixo com Walt Disney.


NO ENTANTO...
... o primeiro longa-metragem animado do mundo foi realizado por Quirino Cristiani. O ítalo-argentino está no hall dos grandes animadores mundiais por duas vezes: como autor do primeiro longa-metragem de animação, El Apóstol (1917), e por ter produzido o primeiro longa-metragem de animação sonorizado, Peludópolis (1931). Walt Disney, ao visitar a cidade de Buenos Aires no ano de 1941, convidou Quirino Cristiani para trabalhar com ele nos EUA, que preferiu permanecer na Argentina.
Dois misteriosos incêndios no estúdio de Cristiani, um em 1957 e outro em 1961, destruíram todos os seus filmes, com exceção de "El mono relojero", a única cópia de filme remanescente até hoje.
Quirino Cristiani, a história não contada do animador pioneiro da Argentina, de Giannalberto Bendazzi
[https://pt.wikipedia.org/wiki/Quirino_Cristiani]

CONCEITOS
Longa-metragem, no Brasil, é uma obra cinematográfica com duração de pelo menos setenta minutos. "El Apóstol" tinha setenta minutos de duração e era composto por 58.000 quadros. Baseado no conto de fadas "Branca de Neve", dos Irmãos Grimm, "Branca de Neve e os Sete Anões", que foi o primeiro longa-metragem de animação da Disney, tem a duração de 83 minutos.
Animação refere-se ao processo segundo o qual cada fotograma de um filme é produzido individualmente, podendo ser gerado tanto por computação gráfica quanto fotografando uma imagem desenhada, ou repetidamente fazendo-se pequenas mudanças a um modelo e fotografando o resultado. Quando os fotogramas são ligados entre si e o filme resultante é visto a uma velocidade de 16 ou mais imagens por segundo, há uma ilusão de movimento contínuo.

Antes do pote e do cesto: a cabaça

É muito bom falar sobre como o uso do fogo mudou o curso da evolução humana. Mas, depois do passado remoto, ficar de pé diante do fogo como agora é apenas parte da culinária. Muitas outras coisas têm de continuar sendo feitas: esfolar, cortar, transportar e... armazenar.
Talvez seja por isso que as humildes cabaças foram algumas das primeiras plantas a serem domesticadas.
O termo "cabaça" não é botânico, mas é o que você usa. Ele cobre uma variedade de plantas com partes globulares ocas, sendo o termo frequentemente estendido para as plantas em que elas crescem. Muitas estão na família Cucurbiticaea, outras crescem em árvores da família Bignoniacaeae. Em todo o mundo, a mais importante é a cabaça Lagenaria siceraria.
Recipientes úteis e muitas vezes bonitos podem ser feitos de cabaças. Elas variam muito em tamanho: daquelas que você mal consegue abarcá-las até aquelas bem pequenas que você pode segurar na palma de sua mão.



Acima está uma cabaça aberta ao meio que eu comprei em um mercado no sul da Cidade do México. Cortada desta maneira, ela é um par de grandes colheres. Cortada na parte inferior, faz uma tigela. Cortada na parte superior, e conectada com madeira ou palha, faz um jarro. E, cortada de cima a baixo, transforma-se em uma caixa de aninhamento.
São muitos os exemplos das possibilidades de utilização das cabaças.
Da África para as Américas, de Roma para o Japão, e para os confins do norte e sul do Pacífico, as pessoas usaram-nas para muitos fins além da culinária: desde caixas de rapé a cachimbos, a gaiolas de grilos e instrumentos musicais.
Um dos seus usos mais intrigantes foi como uma bainha de pênis. Em Papua, Nova Guiné, na década de 1970, montou-se uma campanha para persuadir os homens a abandonar as cabaças em favor das calças de pano.
No entanto, do ponto de vista da história da comida, as cabaças não são tão limitadas. Leves, disponíveis, são porosas o suficiente para resfriar líquidos por evaporação; estéreis o suficiente para fazer queijo e manteiga; resistentes o suficiente para aquecer e cozinhar; e fortes o suficiente para armazenar carne e grãos. Além disso, o cuidado com que elas são cortadas, pintadas, adornadas e polidas sugere que, não apenas hoje, mas na história da humanidade, comer é muito mais do que simplesmente uma questão de nutrição, mas fundamental para a vida social, cultural e religiosa.

Extraído de: Before the Pot, Before the Basket . . . the Gourd, por Rachel Laudan

28 dezembro, 2018

Desbolsonário de bolso

Simplesmente hilário. Pena que o Estanislau Ponte Preta (Stanislaw) não esteja participando e contribuindo diretamente com este projeto. Certamente, inspirando-o. ~ Jaime Nogueira



Escrito por Luisa Buarque e Márcia Sá Cavalcanti Schuback, com projeto gráfico de Brigita Gelžinytė, o "Desbolsonário de bolso" acaba de ser lançado nas redes pela "Edições Clandestina". São quase 50 páginas de verbetes organizados de forma profissional para se entender o Brasil atual. Não deixe de ler. Pode ser um vademecum indispensável para sua sobrevivência nos próximos quatro anos.
Nocaute, o Blog do Fernando Moraes

Desbolsonário - versão pdf




O magazine "Puck", a primeira revista de humor nos EUA, célebre por suas charges coloridas, caricaturas e sátiras políticas dos acontecimentos da época, nesta edição de 1877 mostra que "fake news" (notícias falsas), "cheap sensations" (sensações baratas) e "humbug news" (notícias baratas) já tinham virado notícia naquela época.

Adeus a Miúcha

(1937 - 2018)
Morreu ontem (27) no Rio de Janeiro, aos 81 anos, a cantora Miúcha.
Em mais de 40 anos de carreira a carioca Heloísa Maria Buarque de Hollanda lançou 14 discos. Entre seus trabalhos mais importantes estão dois discos gravados com Tom Jobim.
Ela fazia parte de uma família com muitos talentos. Foi criada em São Paulo em um ambiente fecundamente musical. Sua casa era frequentada por Vinicius de Moraes e outros intelectuais amigos de seu pai..
Filha do historiador Sérgio Buarque de Hollanda (autor do clássico "Raízes do Brasil") e da pianista e pintora Maria Amélia Alvim, ela era irmã do compositor/cantor Chico Buarque, da ex-ministra da Cultura Ana de Hollanda e da também cantora Cristina Buarque. E ainda mãe da cantora Bebel Gilberto, filha do músico João Gilberto, com quem foi casada durante oito anos.
Entre as músicas mais conhecidas na voz de Miúcha estão: "Pela luz dos olhos teus" (no vídeo), "Maninha", "Falando de amor", "Anos dourados", "Vai levando" e "História de uma Gata", da peça infantil "Saltimbancos".



Miúcha com Lula no Estaleiro Mauá (RJ):



19/11/2010 - Lançamento do navio petroleiro Sérgio Buarque de Holanda




No arquivo do blog EM:
No Baixo Leblon, a introdução de Tom e Chico para "A turma do funil"
O tempo mítico de Maninha
A luz dos olhos teus, segundo Vinicius de Moraes e a coreana Soomi Park

04/01/2019 - Atualizando ...
Na Missa de Sétimo Dia da mãe, Miúcha, a cantora Bebel Gilberto fez a igreja toda cantar, emocionada, na igreja do Leme, “Vai levando” (1975), do tio Chico Buarque com Caetano Veloso.

27 dezembro, 2018

A façanha de cruzar a Antártida a pé - e sozinho!

O superatleta e palestrante motivacional Colin O'Brady, de 33 anos, atravessou o continente gelado sem qualquer tipo de assistência, tornando-se o primeiro homem a realizar este tipo de expedição. Ele sobreviveu utilizando-se apenas dos mantimentos que pôde carregar num trenó (puxado por ele mesmo) e que não podia ser reabastecido.
Com a altitude média de 7.500 metros, a Antártida é o continente mais frio, seco e ventoso do planeta.
A posição de Colin, definida pelo GPS, foi diariamente indicada em sua página na Internet, a colinobrady.com.
O americano andou cerca de 1.500 quilômetros em 54 dias, numa disputa com o britânico Louis Rudd, de 49 anos, que segue caminhando para ser o segundo.

Colin x Louis

O Grito (depois do Natal)


O Grito de Munch e outros gritos

26 dezembro, 2018

Pedra, água e robô

Jogar pedras sobre a superfície de um lago é uma das pequenas alegrias da infância. Você pode fazer uma pequena rocha plana roçar na superfície de um lago? Claro que pode. O desafio é saber quantas vezes você consegue fazê-la saltar antes de perder o impulso.

Como projeto de férias de verão, Mark Rober e equipe construíram um robô lança-pedras perfeito, algo a que chamaram carinhosamente de Skippa. Após muitos erros e correções, Skippa conseguiu lançar pedras que chegaram a quicar na água por cerca de 60 vezes.
Mas o reinado nesta disciplina continua em mãos dos humanos, porque desde 2013 o recorde mundial de Stone Skipping é o de incríveis 88 saltos, a marca pessoal de Kurt Steiner.



É mais um caso determinismo nominativo: Stein em alemão significa pedra.

Uma pedra dourada

O planeta que não era

Vulcano, nome dado ao planeta hipotético, é o deus romano do fogo.
Crédito: Wellcome Images
Apesar de até ter recebido um nome - Vulcano -, o "planeta escondido" permaneceu sendo um dos mais desconcertantes fenômenos do Sistema Solar. Procurado por 56 anos, tornou-se um planeta hipotético, até que o físico alemão Albert Einstein o "expulsou do céu" com sua Teoria da Relatividade.
"É um planeta, ou se preferir, um grupo de planetas menores que circulam na proximidade da órbita de Mercúrio", propôs em 1859 Urbain Joseph Le Verrier, o mais famoso astrônomo do mundo à época e diretor do Observatório de Paris. Ele dizia que só um planeta "seria capaz de produzir a perturbação anômala sentida por Mercúrio".
Foi a sólida reputação de Le Verrier que deu peso à hipótese sobre a existência de Vulcano. Treze anos antes de indicar a existência de Vulcano, La Verrier já havia apresentado à academia francesa a proposta de que um planeta perturbava a órbita de Urano. Ele apontou para sua existência através de cálculos matemáticos.
Assim como Mercúrio, Urano também mostrava uma pequena discrepância em sua órbita que não podia ser explicada pela força da gravidade dos outros planetas e do Sol. No entanto, a partir da lei da gravitação universal - formulada por Isaac Newton em 1687 - e supondo a presença e o movimento de um corpo celestial mais distante do que Urano, Le Verrier conseguiu não só descobrir um novo planeta como também se consagrou na posição de "astro" da ciência.
Mercúrio nunca estava onde indicavam as projeções, baseadas nos conhecimentos da época. A solução para o enigma deveria ser, como aconteceu no caso de Urano, a presença de um outro planeta, no caso, Vulcano. Só faltava encontrá-lo para provar sua existência.
Vulcano parecia ser um dos últimos enigmas do Sistema Solar e tornou-se um dos corpos celestes mais procurados da astronomia. Ao longo dos anos, astrônomos - profissionais e amadores - anunciaram ter avistado Vulcano. Mas a existência do planeta foi confirmada e negada várias vezes. A mídia divulgou a notícia de sua presença mais de uma vez e a especulação persistiu até o século 20.
Mais precisamente até novembro de 1915.
Pouco antes de apresentar a teoria, Einstein usou-a para explicar a discrepância na órbita de Mercúrio. Einstein não só disse: "Meus cálculos são melhores". Ele disse: "Precisam mudar completamente a ideia que têm das características da realidade".
O cerne da Teoria da Relatividade de Einstein é que o espaço e o tempo não são estáticos. Para justificar quão peculiar é a órbita de Mercúrio, Einstein argumentou que um objeto maciço, no caso o Sol, foi capaz de dobrar o espaço e o tempo e ainda alterar o caminho da luz, de modo que um raio, ao passar próximo ao Sol, viajaria por um caminho curvo. Com seus cálculos, Einstein demonstrou que a relatividade geral predizia a diferença observada no periélio mercuriano.
Negar a existência de Vulcano foi central para Einstein, porque mostrou que essa ideia estranha e radicalmente nova, a de que espaço e tempo fluem é realmente o caminho certo para ver o Universo. Mercúrio, de acordo com a teoria de Einstein, não estava tendo a órbita alterada por nenhum outro objeto. Simplesmente, ele se moveu por um espaço-tempo distorcido.
Assim, "Vulcano foi expulso do céu astronômico para sempre", escreveu o autor Isaac Asimov em seu ensaio científico "O Planeta Que Não Era", de 1975.

Extraído de:  https://www.bbc.com/portuguese/curiosidades-41304844, BBC Brasil

25 dezembro, 2018

⚡Raio e vulcão


Vulcões podem criar seus próprios raios (como se vê nesta fotografia do Anak Krakatoa, tirada em 23 de dezembro de 2018).
O vulcão em si está obscurecido pela coluna de erupção.
A colisão no ar de rochas fragmentadas, cinzas vulcânicas e água pode criar uma carga estática.
O raio não desce das nuvens, mas tem origem na própria coluna de erupção, quando esta descarrega a energia estática através de um processo chamado separação de carga.
— Jess Phoenix, vulcanólogo norte-americano co-fundador da organização Blueprint Earth, e membro da Royal Geographical Society.

O Anak Krakatoa, na Indonésia, é considerado um dos vulcões mais perigosos do mundo. No último sábado, um deslizamento de terra submarino causado por sua erupção provocou um tsunami que deixou centenas de mortos. Segundo pesquisadores, o potencial catastrófico dele é ainda maior, já que vem crescendo de tamanho a cada nova erupção. Anak Krakatoa significa "filho de Krakatoa" – ele ganhou esse nome pois sua formação aconteceu após uma erupção de outro vulcão, o Krakatoa.

Raio e arco-íris

Um jogo no Natal de 1937


O Natal de 1937 teve uma história curiosa. O clima teve uma participação crucial na história. O Reino Unido amanheceu sob forte neblina e muitos dos jogos programados foram suspensos por falta de condições de visibilidade. Mas um jogo foi mantido: o Chelsea enfrentou o Charlton Athletic, no estádio Stamford Bridge. No primeiro tempo, os times empatavam por 1 a 1.
A visibilidade era ruim, mas o jogo continuou mesmo assim. Apesar de o jogo ter se desenrolado normalmente no primeiro tempo, no segundo a neblina ficou mais forte e não se via nada em campo. O goleiro do Charlton, Sam Bartram, perdia de vista seus companheiros quando seu time atacava. Ele não conseguia ver nem sequer os defensores. Os jogadores reapareciam do meio da neblina quando se aproximavam da área defendida por Bartram. De onde estava, o goleiro não via quase nada além da sua própria área e, claro, não via também as arquibancadas.
Naquela solidão da grande área, Bartram não via nada acontecer por um tempo que ele sentiu ser grande. Grande até demais. Claro, isso era um bom sinal, porque o seu time não estava sendo atacado. "Os rapazes devem estar dando uma sova nesses caras", pensou o goleiro, segundo escreveu em sua biografia.
"Cada vez eu via menos e menos os jogadores. Tinha certeza que dominávamos a partida, mas me parece óbvio que não havíamos feito um gol, porque meus companheiros teriam voltado para as suas posições de defesa e eu teria visto alguns deles. Também não escutei os gritos de comemoração", descreveu Bartram.
O goleiro precisava decidir o que fazer, depois de tanto tempo sem ver absolutamente nada acontecer, nem ninguém se aproximar. Ele preferiu não arriscar sair do gol. Achava que poderia vir um contra-ataque rápido que o surpreendesse. Preferiu ficar embaixo das traves, imaginando que o seu time estava atacando, e caso aparecesse um atacante surgido do meio da neblina, ainda teria tempo de reagir e tentar impedir o gol.
"Eu ficava me aquecendo trotando no lugar e por umas duas vezes eu cheguei a ficar na risca da grande área para ver se conseguiria ver alguma coisa que estava acontecendo depois da metade do campo", contou o goleiro na biografia. Mas ele não teve sucesso. Continuava sem ver nada. E sem nada acontecer.
Depois de alguns minutos, finalmente apareceu alguém no campo. Mas não era o que o goleiro esperava. Caminhando, um policial surgiu na sua vista. "O que está fazendo aqui?”, perguntou o oficial, surpreso ao ver o jogador ali. "A partida foi interrompida faz 15 minutos! O estádio está completamente vazio".
Sem entender o que aconteceu, Bartram desceu para os vestiários. Encontrou seus companheiros já de banho tomado e trocados, se matando de rir do goleiro. Contaram a ele que não o avisaram nada sobre a suspensão do jogo para ver quanto tempo ele ficaria esperando na neblina. Assim se deu aquele jogo, que acabou mesmo 1 a 1.

A neblina que deixou o goleiro Sam Bartram sozinho em campo em um jogo no Natal de 1937, por Felipe Lobo. Em: Tivela

24 dezembro, 2018

Canções de Cordialidade - III

Feliz Natal!
Composição:
Heitor Villa-Lobos
Manuel Carneiro de Souza Bandeira Filho

Tradicionalmente, o Natal começa no dia 1.º de dezembro com uma festa no local de trabalho. E só termina quando você acaba de pagar o que gastou. Por volta de 15 de abril do ano seguinte.

Bônus
Mr. Bean rege uma banda de Natal


Microinterações

São animações sutis que interagem de alguma forma com o usuário. Funcionam como um feedback da ação ou tarefa que você acabou de fazer. Pequenas e quase invisíveis, as microinterações tornam seu produto mais humano, pessoal e divertido.
Por exemplo, o polêmico botão "Like" do Twitter, um coração que acende no status hover e explode em confetes quando recebe o clique.
A eficácia da microinteração não é baseada em sua perceptividade ou tamanho, mas sim pela forma e pela atenção dedicadas a cada uma das quatro partes que compõem a interação: Trigger, Rules, Feedback e Loops e Modes.

23 dezembro, 2018

Água!

Nosso sangue é 95% água. Nossos músculos são 75% água. 85% do nosso cérebro é... Adivinhe? Água! Somos basicamente melancias com ansiedade.
José Simão
https://twitter.com/jose_simao

Simão,
Sua conta não fecha.
Eis o que diz outro estudo sobre a composição do corpo humano:
Somos 70% de água, 29% de café e 1% de senhas.

P.S.
Como a medida do ter nunca enche, essas melancias já andam atrás das Águas de Marte.

Cruzando a faixa

Animando a imagem da capa do álbum Abbey Road de 1969, Pierre Gombaud fez um vídeo dos Beatles cruzando a faixa de pedestres mais icônica da história. Mas isso é apenas o começo! Assim que os Fab Four chegam ao outro lado da Abbey Road (cruzando-a de um modo meio estranho), eles entram em seu período psicodélico.
As músicas utilizadas no vídeo são "Two-Finger Chord and Whistle" (Acordes de Dois Dedos e Assovio), de Paul McCartney, e "Tomorrow Never Knows", dos Beatles.



N. do E.
Registro aqui (01:00 - 01:04) um personagem andando no contrafluxo, saído ao que parece do esquete "O Ministério das Caminhadas Bobas", do grupo Monty Python.

ABBEY ROAD: slideshows 1 e 2

22 dezembro, 2018

Uma vez na vida

1
Procure realizar algum trabalho útil e sério, pelo qual é altamente improvável que receberá qualquer recompensa que não seja a própria satisfação.
LE Dickson (a respeito de ter passado uma década escrevendo um livro de 1.602 páginas sobre a teoria dos números)
2
Aja com base na teoria de que qualquer homem teve pelo menos uma coisa interessante que aconteceu com ele.
 William S. Maulsby, Getting the News, 1925 (ensinando a escrever obituários)
3
Faça uma fotografia que preste.

A água jogada no elefante parece outro elefante.

Dêutero

Trata-se de um elemento de formação de palavras (do grego deuteros, significando "segundo" ou "secundário") que exprime a ideia de segunda vez.
Deutério (Química)
O deutério (símbolo ²H ou informalmente D) também conhecido como hidrogênio pesado é um dos isótopos instáveis do hidrogênio. O núcleo atômico do deutério é formado por um próton e um nêutron e sua massa atômica é 2.014102. Foi descoberto em 1931 por por Harold Urey e seus colaboradores, que o separaram do hidrogênio por destilação fracionada a -259 °C. Esta descoberta lhe rendeu o Nobel de Química em 1934. As chances de encontrarmos o deutério na água marinha em moléculas de óxido de deutério (²H2O) são de 0,0156%, pois a sua concentração nos oceanos varia de acordo com a localização e a profundidade. Encontra-se na natureza na proporção de 1 para cada cerca de 2.700.000 átomos de hidrogênio.
Deuterostômios (Biologia)
Os bilatérios consistem nos protostômios e nos deuterostômios. Esses dois grupos animais principais diferem quanto ao modo como executam importantes processos de seu desenvolvimento, especialmente a gastrulação. Nos deuterostômios, a gastrulação forma a região anal primeiro e depois a boca.
Deuteronômio (Bíblia)
E o quinto livro da Bíblia. É um termo grego composto por deuteros, (que significa "segundo") e nomos (que significa "lei"), ou seja, "segunda lei". Esse nome deriva da consideração que as leis já tinham sido dadas no livro do Êxodo e que, portanto, as presentes em Deuteronômio eram uma repetição.
Defteros (Os Cavaleiros do Zodíaco)
Pelo nome, subentende-se que ele, provavelmente, é o irmão mais novo de Aspros. O nome Aspros, por sua vez, deriva do grego protos, que significa "primeiro" ou "primário". Perceba-se a semelhança do nome Aspros com a palavra protos.

No Preblog: O SEGUNDO

21 dezembro, 2018

O melhor da web em 2018

Aventuras. Esportes. Ilusionismo. Entretenimentos. Expressão corporal. Efeitos especiais.
Uma compilação publicada no YouTube, em 9 de novembro de 2018, por Draonis Adonis, com os melhores momentos de vídeos em 2018.



O melhor da web em 2017 - por Zapatou (Luc Bergeron)

"Toque de novo, Sam"

"Toque de novo, Sam" - foi uma fala nunca falada por Ingrid Bergman ou Humphrey Bogart em "Casablanca" (1942) para Sam (Dooley Wilson), o pianista da boate e relutante intérprete da música sentimental "As time goes by" escrita por Herman Hupfeld.
Variações desta passagem, no entanto, foram faladas por ambos no filme de 1942.
Ingrid Bergman (como Ilsa Lund) pediu a Sam:
"Toque uma vez, Sam, pelo amor dos velhos tempos ... Toque, Sam. Toque "As time goes by".
O mais próximo que Humphrey Bogart (como Rick Blaine) chegou à frase foi neste desabafo irado para Sam:
"Você tocou para ela, você pode tocar para mim ... Se ela pôde suportar, eu posso. Toque!"
Quando se tornou o título de uma comédia de Woody Allen, "Play It Again, Sam" (1972) que, em parte, falsificou o clássico filme de 1942, a citação equivocada foi reforçada. E prosseguiu sendo dita em vários outros filmes, incluindo "Moonraker" (1979) , "Cut Off" (2006) e "I Want Candy" (2007, UK).
No entanto, contrariamente à crença popular, a paródia dos irmãos Marx, "A Night in Casablanca",(1946) NÃO contém esta passagem.
Extraído de: http://www.filmsite.org/moments02.html

Ver também: "Elementar, meu caro Watson". LINK

20 dezembro, 2018

A fórmula química da água benta

H DEUS O

A fórmula química do casamento

A planta que sabe contar

Em estudo sobre a planta carnívora Dionaea muscipula, publicado na revista Current Biology, Jennifer Böhm e colaboradores mostram que, quando os minúsculos pelos que causam o fechamento de suas mandíbulas são estimulados, eles causam impulsos elétricos dentro desta planta.
A planta então detecta, ou melhor, conta o número de impulsos elétricos e usa a informação para descobrir quando fechar a armadilha e quando secretar as enzimas para digerir a presa.
Böhm observa que as armadilhas das plantas são um tipo híbrido de mandíbula e estômago. Elas são acionadas a partir dos pelos mecanorreceptores que cercam a armadilha e dão à planta sua estranha aparência. Mas as mandíbulas da planta não se fecham no primeiro momento em que os pelos são acionados. Em vez disso, elas se fecham quando os pelos do gatilho foram estimulados duas vezes em uma janela de 20 segundos. E a planta só começará a digestão depois de mais cinco estímulos para garantir que tenha capturado algo digno do consumo.
A contagem não é somente uma evidência das habilidades matemáticas da planta. Essas plantas geralmente vivem em ambientes pobres em nutrientes, então a contagem mostra uma espécie de análise custo-benefício baseada em plantas. A Dionaea muscipula conta o número de impulsos para descobrir se vale a pena usar a energia necessária para pegar e digerir a comida.
[DOI: https://doi.org/10.1016/j.cub.2015.11.057]

19 dezembro, 2018

O sono alimenta?

Sim, mas para obter este efeito é preciso estar dormindo na cama adequada.


QUANDO O SONO CHEGA...
Fique de olhos bem abertos, leitor. Vem aí três slideshows com bichos e pessoas que não conseguem ficar despertos.
[1] [2] [3]

A fala de portugueses e brasileiros

Português Brasileiro é bem diferente do Português Europeu, certo? Mas quem começou essa mudança? Que língua começou a se afastar mais do português falado no início da colonização brasileira? Resposta: O Português Europeu!

Estudando documentos antigos e gravações de fala de portugueses e brasileiros de hoje e do século XX, os linguistas perceberam algo curioso: é o Português Europeu que, hoje, é mais diferente da língua que chegou ao Brasil em 1500!!

A mudança começou lá pelo século XVIII. Uma das diferenças tem a ver com o ritmo da fala. O Português Brasileiro parece que tem uma cadência mais lenta, enquanto o Europeu é mais rápido e parece que "come" sílabas (pelo menos soa assim no ouvido brasileiro).

Ao contrário do que se pode imaginar, não foi o Brasil que "amansou" essa cadência rápida, mas Portugal que "acelerou" a fala nos últimos séculos. Ou seja, a cadência brasileira é mais próxima do português falado no início da colonização.

Uma das pessoas que nos ajudou a descobrir isso foi Camões!! Alguns de seus versos só mantém a métrica de dez sílabas se lidos com um sotaque mais brasileiro, e críticos portugueses de teatro do século XIX escreviam comentários revoltados sobre os atores que "comiam" as sílabas.

Outro traço que o Português Brasileiro manteve foi o uso do gerúndio (“estou fazendo”), que foi passou a ser menos usado no Português Europeu contemporâneo, que hoje adota mais construções com verbos no infinitivo (“estou a fazer”). Sim! O gerúndio não é invenção brasileira!

Mas é claro que o Português Brasileiro também mudou muito se comparado com a língua que aportou aqui em 1500. Uma das nossas inovações foi o R Caipira, que os linguistas chamam de R retroflexo (quem é de Piracicaba manda um salve!).

Isso tudo, claro, não significa que uma língua é "mais correta" ou "mais errada" que outra, mas indica apenas que elas foram mudando de formas diferentes do lado de cá e do lado de lá do Atlântico.

A mudança linguística é parte de toda língua natural, e o que os linguistas fazem é documentar essa mudança e tentar compreender porque as línguas mudam de um jeito, e não de outro.

Pode não parecer, mas mudanças linguísticas, mesmo aquelas de que nós não gostamos e que achamos "feias", seguem uma lógica! Se quiserem saber um pouco mais sobre as mudanças do Português Brasileiro e Europeu, assistam esse vídeo aqui:



Adendo: aproveitando que a thread (*) fez sucesso, vamos só reforçar aqui o ponto de que o Português Brasileiro também é MUITO diferente da língua que chegou aqui há mais de 5 séculos. Nós mudamos o sistema pronominal, por exemplo.

Saiu o tu e vós, entrou o você/vocês, está saindo o nós e entrando o "a gente", e isso causou mudanças profundas no modo como conjugamos verbos. Além disso, em muitos dialetos no português brasileiro não se usa mais "beijou-o", mas "beijou ele".

Não é que o português falado no Brasil seja igual ao do século VI. É só que, com relação a algumas características (construções de gerúndio, ritmo de fala), o Português Brasileiro foi mais conservador.

(*) Uma série de mensagens eletrônicas (como em um quadro de mensagens ou site de mídia social ) seguindo um único tópico ou em resposta a uma única mensagem. Esta thread, que foi publicada pela  revista Roseta no Twitter, pode ser lida na íntegra aqui:
https://twitter.com/revistaroseta/status/1015577885854363648

18 dezembro, 2018

A espécie definitiva: corvo ou gato?

A mais recente ilusão de óptica a dividir a internet está relacionada com reconhecimento de animais. Milhões de pessoas ficam perplexas com esta imagem, pois não sabem se é um corvo ou um gato.


A foto compartilhada no Twitter por Robert Maguire parece ser de um corvo, mas na verdade é de um gato com a cabeça rodada para cima.
Chegou a enganar o Google, com a pesquisa de imagens dizendo se tratar de um "corvo americano".

A cor definitiva do polêmico vestido

Fones de ouvido - 9

Poucos sabem. Mas o fone de ouvido pode funcionar também como um chuveiro da Barbie.

@GuiDaross

+ fones de ouvido
1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8

17 dezembro, 2018

Universidade John Hopkins

Lema: Veritas vos liberabit
Fundada em 1876 e nomeada por seu benfeitor, o filantropo Johns Hopkins, a Universidade John Hopkins, comu(mente)2 conhecida como Johns Hopkins, JHU, ou simplesmente Hopkins, é uma universidade de pesquisa privada com sede em Baltimore, Maryland, Estados Unidos.
Em sua morte, em 1873, Johns Hopkins, empresário e solteiro sem filhos, legou US $ 7 milhões para financiar a universidade e seu hospital em Maryland. Naquela época, essa fortuna, gerada principalmente pela Baltimore and Ohio Railroad, foi o maior presente filantrópico na história dos Estados Unidos. * Wik
Em 1877, JJ Sylvester, em um discurso de início da Johns Hopkins, descreveu sua visão sobre a relação entre ensino e pesquisa:
"Um matemático eloquente deve, pela natureza das coisas, sempre ser um fenômeno tão raro como um peixe falante, e é certo que, quanto mais alguém se entrega ao estudo da retórica, menos se encontrará em um estado da mente apto para matemática." - Veja Midonick, The Treasury of Mathematics, p. 768. * VFR
Johns Hopkins mantém campi em Maryland, Washington DC, Itália, China e Singapura. Suas faculdades mais importantes são as de economia, engenharia, medicina, música, saúde pública, relações internacionais e educação.

http://pballew.blogspot.com.br/2018/02/on-this-day-in-math-february-22.html#links
https://pt.wikipedia.org/wiki/Universidade_Johns_Hopkins
https://www.jhu.edu/

A língua dos Minions

Há uma música desses pequenos personagens que se tornou uma faixa popular do Dubsmash. Muitas citações Minions também figuraram em memes populares da Internet. A maioria das palavras faladas ou atribuídas aos Minions não faz sentido. No entanto: Ba-ba-ba-ba-nana, ba-ba-ba-bã-nana,
banana, ah-ah, (ba-ba-ba-ba-nana),
batata-na-ah-ah (ba-ba-ba-nana)

Bem, comparado a algumas músicas pop de hoje, essas letras podem ser normais. Há um pouco de onomatopeia, algumas palavras compreensíveis em inglês e um monte de bobagens. Ainda assim, a questão permanece: que língua os Minions falam? Como você as entende?
Idiomas inventados em filmes
Não há nada de novo sobre as linguagens inventadas nos filmes. Os produtores de "Star Trek" contrataram um linguista para criar o idioma klingon. Foi o mesmo com o Pakuni na "Terra dos Perdidos" e o Na'vi em "Avatar". Linguistas foram chamados para desenvolvê-las.
No caso dos Minions, a linguagem é supostamente apenas uma criação dos diretores do filme, Pierre Coffin e Chris Renaud, que não são linguistas nem entusiastas da linguagem. Em outras palavras, a Universal não contratou um linguista para inventá-la. Provavelmente, eles não viram os pequenos personagens amarelos se tornando populares e fazendo seu próprio filme.
Como é chamado oficialmente o idioma?
As notas de produção do filme "Despicable Me" (Meu Malvado Favorito, de 2013) descrevem a linguagem dos Minions como um jargão simples misturado com palavras estrangeiras aleatórias. Nas anotações, Coffin disse que ele misturou palavras soando ridículas porque soavam bem, mas elas não significam necessariamente algo. Não há um nome oficial para o idioma. Muitos da imprensa chamam de "Minionês", enquanto há aqueles que a chamam de "Língua Banana", aparentemente em referência a uma música popular dos Minions.
Quais são as características notáveis ​​do "Minionês"?
Como já foi mencionado, a linguagem dos Minions é quase ininteligível ou dificilmente inteligível, por mesclar palavras do espanhol, francês, italiano, filipino e outras línguas estrangeiras. Muitos também perceberão a presença de várias palavras que se referem a comida. Nas músicas dos Minions, há a banana e a batata. Os Minions também foram ouvidos dizendo "poulet tiki masala", que é o equivalente francês para “prato de frango indiano”.
Para "analisar" as características notáveis, leia os seguintes exemplos (no link abaixo) da fala dos Minions, juntamente com suas palavras correspondentes em inglês e algumas notas. Essas traduções, a propósito, são baseadas nas traduções fornecidas por vários sites e páginas wiki. Os produtores do filme não disseram nada oficial sobre as traduções corretas.
Mais uma vez, essas traduções não são oficiais. Talvez alguns fãs ansiosos tenham tentado procurar padrões ou vários fãs concordaram em designar traduções para as diferentes palavras que parecem ter sido aceitas. Talvez esses fãs também tenham observado certos padrões que os produtores e diretores dos filmes "Despicable Me" não conseguiram perceber.
É seguro dizer que mesmo os melhores intérpretes de idiomas e tradutores certificados não podem fornecer traduções precisas para o idioma Minion. Por enquanto, é melhor confiar no que o diretor do Minions, Pierre Coffin, disse sobre o idioma. Coffin chama a linguagem de "boba" e acha que é ainda mais engraçado quando o público acha que os Minions estão realmente se comunicando com as bobagens que eles expressam. Em suma, não pense demais nisso.

https://www.daytranslations.com/blog/2015/06/the-minions-language-is-a-combination-of-french-spanish-english-and-food-references-6419/

Ver também: O senso comum

16 dezembro, 2018

Cometa de Natal


Como o fotógrafo Tommy Eliassen transformou um pinheiro em uma árvore de Natal com a ajuda do cometa 46P/Wirtanen, na noite de 12 de dezembro de 2018, em Bleikvassli, Noruega.
[http://ow.ly/V4e930mYPVu]
— Bom para postar hoje (18/12/2018), a data em que o cometa está em sua aproximação máxima da Terra.

Comentário
— Inferno, eu acho que minha esposa me daria um tapinha nas costas se eu pegasse isso. Astrofotografia não a impressiona, mas isso vem de uma mulher que acha que estrelas cadentes são apenas isso: estrelas caindo! Facepalm! O que eu fiz!!!
Chris Barth

A ocarina de brócolis

O "japa" do vídeo fez uma ocarina de brócolis.
Aqui, ele toca "Angels We Have Heard On High" (Gloria In Excelsis Deo) em sua "brocarina", sendo acompanhado pela esposa.



A clarineta de cenoura

15 dezembro, 2018

HTTP 451

Em redes de computadores, HTTP 451 Unavailable For Legal Reasons (Indisponível Por Razões Legais) é um código de status de erro do protocolo HTTP, a ser exibido quando o usuário solicitar um material ilegal, como uma página web censurada pelo governo. O número 451 é uma referência à novela distópica Fahrenheit 451, escrita por Ray Bradbury em 1953, na qual livros são ilegais. O 451 pode ser descrito como uma variante mais descritiva do 403 Forbidden (Proibido).

A estátua afundada

"Como presidente eu não posso levar em consideração, antes do bem-estar dos cidadãos americanos, o  Acordo de Paris. Este acordo climático é simplesmente o mais recente exemplo de Washington entrar em um acordo em que as desvantagens ficam para os Estados Unidos. Assim, a partir de hoje, os Estados Unidos vão cessar toda a implementação deste acordo não vinculativo." Donald Trump
[Aplausos]

Vídeo:https://youtu.be/BVXY-JJ5-kI

Trump ganhou estátua no sul do Brasil – afundada na água
Com a saída dos EUA do acordo climático para a redução das emissões de CO2, surgiu uma ideia para chamar a atenção das pessoas sobre a decisão de Trump. Uma estátua do presidente estadunidense foi instalada em uma praia do sul do Brasil – ou melhor, afundada, e assim permanecerá até que o acordo seja assinado por ele novamente. Somente então a estátua será colocada em um lugar menos úmido. E a ideia é seguir colocando na água estátuas de presidentes de outros países, que não façam parte ou, eventualmente, deixem de fazer parte dos acordos climáticos.


A estrela de Trump na Calçada da Fama

14 dezembro, 2018

Vamos deixar as coisas nesse pé

Brasil acima de tudo!
Deus acima de todos!
E Jesus no alto de uma goiabeira!
[https://twitter.com/BlogdoNoblat/status/1073185234382938112]


— Encham as redes sociais de pé de goiaba, porque eu quero falar sobre o pé de goiaba. Eu não estou ofendida.
— Então, tá.

Etimologia do chá

A etimologia do chá pode ser rastreada até as várias pronúncias chinesas da palavra. Quase todas as palavras para o chá em todo o mundo dividem-se em três grandes grupos: te, cha e chai, que refletem a história da transmissão da cultura do consumo de chá e do comércio da China para países em todo o mundo.
A forma te usada nas línguas litorâneas chinesas se espalhou pela Europa através dos holandeses, que se tornaram os principais comerciantes de chá entre a Europa e a Ásia no século XVII, como é explicado no Atlas Mundial das Estruturas Linguísticas. (*) Os principais portos holandeses no leste da Ásia estavam em Fujian e em Taiwan, lugares em que as pessoas usavam a pronúncia te. A importação do chá pela Companhia Holandesa das Índias Orientais para a Europa nos deu o espanhol te, o francês thé, o alemão tee, e o inglês tea.
(O inglês tem as três formas: cha, datada do final do século 16; tea, a partir do século 17; e chai, a partir do século 20.)
No entanto, os holandeses não foram os primeiros na Ásia. Essa honra pertence aos portugueses, e Portugal não comerciava por Fujian mas através de Macau, onde a pronúncia era cha.
O termo cha é "sinítico", o que significa dizer que é comum a muitas regiões chinesas. Começou na China e percorreu a Ásia Central, acabando por se tornar chay em persa. Isso foi, sem dúvida, devido às rotas comerciais da Rota da Seda, ao longo da qual, de acordo com uma descoberta recente, o chá já era comercializado há mais de 2.000 anos. Nesta forma se espalhou para além da Pérsia, tornando-se chay em urdu, shay em árabe e chay em russo, entre outros. Chegou até a África subsaariana, onde se tornou chai em suaíli.
Os termos japoneses e coreanos para o chá também são baseados no cha chinês, embora essas línguas provavelmente adotaram a palavra mesmo antes de se espalhar a oeste para o persa.
Algumas línguas têm seu próprio jeito de designar o chá. Essas línguas geralmente estão em lugares onde o chá cresce naturalmente, o que levou os habitantes locais a desenvolver seu próprio modo de se referir a ele. Em birmanês, por exemplo, folhas de chá são lakphak.

(*) No qual um mapa demonstra duas eras diferentes da globalização em ação: a antiga disseminação milenar de mercadorias e idéias para o oeste da China antiga e a influência de 400 anos da cultura asiática sobre os europeus navegadores. Além disso, você acabou de aprender uma nova palavra em quase todas as línguas do planeta.

https://qz.com/1176962/map-how-the-word-tea-spread-over-land-and-sea-to-conquer-the-world/
https://en.wikipedia.org/wiki/Etymology_of_tea

Etimologia do tererê (anotada para elaborar; será que vou conseguir?)

13 dezembro, 2018

A flor nacional do Panamá

A Peristeria elata é conhecida como a "orquídea pomba", ou a "flor do Espírito Santo", porque suas flores ostentam na parte central a figura de uma minúscula pomba sentada em um ninho.
A planta ocorre da América Central até o Equador e a Venezuela.
Em 1936, esta orquídea foi declarada a flor nacional do Panamá.

Falando nisso...
Estes exemplares da Calceolaria uniflora, plantinha encontrada no sul da Argentina, estão causando uma ilusão bem particular: galinhas de óculos segurando um bolo.
https://twitter.com/i/moments/1003631834071171072

Compact Park

Um milionário comanda uma equipe de cientistas que, por meio da clonagem, produz dinossauros para um parque temático. Mas um acidente acontece deixando todos os animais invisíveis.

Bem-vindos ao Parque.
Aqui temos as seguintes atrações:
— Árvores gigantes
— Um belo lago
— Um jipe descaracterizado (s/ o logo)
— Jeff Goldblum


"Compact Park" é o "Jurassic Park" sem os dinossauros. Eles foram removidos digitalmente para o filme não demorar como antes.

12 dezembro, 2018

Uma foto sem roupa


Nikola Tesla, suas obsessões e aversões

Menos lembrado do que o seu contemporâneo Thomas A. Edison, o complexo gênio Nikola Tesla fez contribuições monumentais no século passado que claramente alcançam os tempos modernos.
Nascido na Croácia de pais sérvios, este cientista concebeu idéias inéditas em seu tempo que continuam a nos beneficiar hoje. Toda vez que ligamos um rádio, usamos o circuito de um telefone celular ou nos beneficiamos da eletricidade, usamos as idéias acadêmicas do mestre inventor que a sociedade uma vez rotulou de absurdas.
Durante a maior parte de sua vida, Tesla carregou consigo muitas obsessões e aversões.
Ele ordenava que os garçons servissem suas refeições com 18 guardanapos para que pudesse polir os talheres antes de usá-los, e preferia jantar sozinho. O gênio também calculava os centímetros cúbicos de espaço que cada pedaço de comida, prato ou xícara de café ocupava. Tesla dizia poder ouvir a poeira voar em uma sala e os trovões a centenas de quilômetros de distância. Ele falava consigo mesmo durante as tempestades. Lampejos violentos de luz atormentavam sua mente e tinha visões, especialmente quando as emoções estavam altas. Tesla frequentemente contava seus passos quando caminhava.
O cheiro de cânfora o enjoava. Se ele deixava pequenos quadrados de papel em líquido durante a realização de pesquisas, ele desenvolvia gostos estranhos em sua boca.
Ele não suportava "exceto sob a ponta de um revólver" tocar o cabelo de outra pessoa, o que explica por que ele nunca se casou ou teve um relacionamento duradouro, salvo um caso estritamente platônico com uma mulher chamada Katherine Johnson. Ela era a esposa de um dos amigos de Tesla, Robert Johnson, editor da revista Century. Ao longo dos anos, os três trocaram milhares de cartas entregues à mão, às vezes até três por dia. A Sra. Johnson chamava o cientista simplesmente de "Sr. Tesla", enquanto Tesla se sentia tão confortável com ela que lhe deu um apelido, "Madame Filipov", e outro a seu marido "Luka Filipov".
A sua aversão mais severa se relacionava com as mulheres usando brincos, especialmente com pérolas.

Extraído de NIKOLA TESLA - THE WORLD'S SORCERER, de Mac McCormick

Imagem: Estátua para Tesla, Niagara Falls

11 dezembro, 2018

Pantone revela a cor de 2019 – "Coral Vivo"

Entre o rosa e o laranja, a cor do próximo ano tem o nome de "Living Coral". Ao usar, é de bom tom lembrar que o objetivo "foi fortalecer a ligação com a natureza e a influência que os corais tiveram no desenvolvimento deste tom", segundo o vice-presidente da unidade de consultoria de cor.
Com esta cor, a Pantone espera fazer um alerta para os perigos que os ecossistemas enfrentam, principalmente nos oceanos. [1] [2]
https://www.bluebus.com.br/pantone-revela-a-cor-de-2019-living-coral/


A cor da Pantone em 2013, 2014, 2015 e 2017.

A busca de um esquivo planeta

Em janeiro de 2016, os astrônomos Konstantin Batygin e Mike Brown publicaram um artigo em que apresentavam a teoria de que deveria haver um nono planeta no sistema solar. Seria um planeta com um tamanho semelhante ao de Netuno, umas 10 vezes a massa da Terra e que percorre uma órbita enormemente ovalada de 10.000 a 20.000 anos.
Estaria a uma distância média 20 vezes maior do Sol que a de Netuno, atingindo um mínimo de 300 unidades astronômicas (UA) do Sol e um máximo de 1.000. Cada UA equivale a 150 milhões de quilômetros.
Mas, apesar desse estudo estar apoiado em dados e raciocínio consistentes, ninguém viu esse planeta até agora. Isto também não é surpreendente, porque além do fato de que o céu é muito grande, seu brilho pode ser até 25.000 vezes menor que o de Plutão, quando o planetaoculto está em sua órbita na parte mais distante do Sol.
No entanto, Batygin e Brown foram capazes de determinar que, atualmente, o planeta 9 deve estar em uma área do céu entre as constelações de Órion e Touro, e é lá que eles estão tentando localizá-lo. O problema é que, mesmo reduzindo o campo de busca à área do céu entre as duas constelações, a quantidade de céu sob investigação é ainda enorme. E telescópios, como o Hubble ou o Keck, não deram conta do tal desafio.
Sai o 9, entra o 9
Desde 2007, Batygin e Brown usam o telescópio Subaru, no Havaí, para tentar encontrar o planeta 9. Seria irônico que os autores do estudo sobre a existência do nono planeta fossem exatamente os seus descobridores. Mike Brown, um dos autores, foi também o descobridor de Eris, o planeta anão que fez Plutão perdeu o status de nono planeta do sistema solar.
[https://www.microsiervos.com/archivo/ciencia/complicada-busqueda-planeta-9.html]

=======================================================================

10/12/2018 - Em tempo
A NASA anunciou hoje (10) que a Voyager 2 ultrapassou a heliopausa, a última fronteira na qual os ventos solares do nosso Sol ainda têm algum efeito importante no espaço. Essa é a segunda vez na história da humanidade em que um objeto feito pela espécie humana cruzou essa fronteira. A primeira foi em 2012, quando a Voyager 1 concluiu o mesmo feito.
Dentro da heliosfera, os ventos solares da nossa estrela são praticamente onipresentes e impedem grande parte das partículas externas entrarem no nosso sistema. Mais distante do Sol, a influência desses ventos diminui e partículas subatômicas conhecidas como raios cósmicos começam a dominar o espaço.
A barreira entre a influência dos ventos solares e os raios cósmicos, a heliopausa, foi ultrapassada pela Voyager 2 no dia 5 de novembro. Contudo, por conta da distância da Terra, só foi possível confirmar essa marca mais recentemente considerado a demora nas comunicações.
As Sondas Voyager tiveram um importante papel em observar vários planetas mais distantes da Terra e, agora, partem para a fronteira do Sistema Solar. Apesar de terem atravessado a barreira da heliopausa, a última fronteira só deve ser alcançada em cerca de 300 anos.
Essa barreira é onde orbitam objetos como cometas e outros elementos cósmicos, chamada de “Nuvem Oort”. Para ultrapassar totalmente essa nuvem, as Voyager 1 e 2 levaria mais 30 mil anos. Estima-se, contudo, que os aparelhos estarão funcionais por apenas mais 10 anos.
As sondas também carregam discos dourados, criados pela NASA como mensagens da humanidade para outras possíveis cavilações extraterrestre decifrarem.
[https://www.tecmundo.com.br/ciencia/137020-voyager-2-segundo-objeto-humano-entrar-espaco-interestelar.htm]

10 dezembro, 2018

"Manifestação"

Em comemoração dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e dos 57 anos da Anistia Internacional.
Esta canção ("Manifestação") foi lançada em 28 de maio como um alerta às violações de direitos humanos em nosso país.
A composição é de Xuxa Levy, Russo Passapusso e Rincon Sapiência, com letra de Carlos Rennó.
Participam do videoclipe: Criolo, Pericles, As Bahias e a Cozinha Mineira, Chico César, Paulinho Moska, Ana Canãs, Ludmilla, Chico Buarque, Camila Pitanga, Fernanda Montenegro, Letícia Sabatella, entre outros artistas.


"E proclamamos que não se exclua ninguém!"

A Declaração Universal dos Direitos Humanos

HÁ 70 ANOS
É o documento mais importante na história dos direitos humanos. Elaborado por representantes de diferentes contextos jurídicos e culturais de todas as regiões do mundo, a Declaração foi proclamada pela Assembléia Geral das Nações Unidas em Paris, em 10 de dezembro de 1948, como um padrão comum de conquistas para todos os povos e todas as nações.
A Declaração Universal dos Direitos Humanos tem um preâmbulo, 30 artigos e foi traduzida para mais de 500 idiomas.

Se você é contra os Direitos Humanos, renuncie aos seus!
Comece pela liberdade de expressão e assim nos poupe da sua ignorância!

09 dezembro, 2018

O passa-paredes

Em 14 de julho de 2004, John St. Clair solicitou a patente de um sistema de treinamento para o ser humano aprender a atravessar objetos sólidos.
Nº publicação: US20060056262A1
Background
Um ser humano é uma energia do hiperespaço que vive em um recipiente físico ou corpo composto de 67% de água. Esta alta porcentagem de água torna esta invenção possível. Com a energia do hiperespaço (referindo-se à figura ao lado) sendo recebida como energia de nossa dimensão através de sete vórtices que percorrem o comprimento do corpo. Cada vórtice se conecta a uma dimensão separada do hiperespaço com sua própria frequência particular. Esse arranjo permite o desenvolvimento de sete componentes de energia modulares correspondentes a mente, olho espiritual, voz, corpo, abdômen, bola de energia de plasma (bateria) e conexão à Terra.
N. do E.
Nada resiste a uma ideia esquisita quando o seu tempo chega.

Hino Caipira do XV de Piracicaba

Abusando do R retroflexo, também chamado de R caipira, aqui está o Hino Caipira do XV de Piracicaba:



Kuark dos Reis diz que, para entender o refinadíssimo dialeto "caipiracicabano", só morando na terrinha e tendo em mãos o dicionário do Cecilio E. Netto que tem muitos termos e expressões só usados pelos iniciados.
XV de Piracicaba - Hino Oficial

08 dezembro, 2018

Oh, que calor! (3)

para Fernando Gurgel

Image result for 35mm Bessa

Este nível de resfriamento é necessário apenas para o Nono Círculo do Inferno.

Nesta série: (1) (2)

Um autômato do século 21

Um autômato exibe os músculos (força de expressão) numa feira de carros.
É para  refletirmos sobre a longa jornada percorrida por seus construtores para que eles chegassem a este nível de sofisticação.
(barbie doll twerking gifs)
Cronologia
1515 - O leão de Leonardo
1562 - O monge que ora
1700 - A máquina que sabia escrever o nome do inventor
1768 - 1774 - Três autômatos
2018 - Um autômato do século 21 (na imagem acima)

07 dezembro, 2018

Milhas x Quilômetros

Para se lembrar de quantos pés há em uma milha, você deve apenas se lembrar de "5 tomatoes".
5, to, mate, oes = five, two, eight, zero = 5280

Para se lembrar de quantos metros há em um quilômetro, você deve apenas se lembrar de "1000" porque o sistema de medidas no resto do mundo não foi inventado por um matemático bêbado jogando dados.

http://www.soberinanightclub.com/2018/06/miles-vs-kilometres.html


Geografia Fácil do Brasil

A @fernandaffp tem um questionamento importante:
Se acima temos o Rio Grande do Norte e abaixo temos o Rio Grande do Sul, por que todo o resto do país não se chama Rio Grande do Meio?

https://twitter.com/fernandaffp/status/1016070347781758976

Por que não?
Em Lisboa, tem os bairros Campo Grande e Campo Pequeno, e no meio, fica o Entre Campos.
No Brasil, o Rio Grande do Meio poderia ser também chamado Entre Rios. E todos seríamos rio-grandenses.
A propósito: por que só Rio de Janeiro? Precisamos de um Rio para cada mês.

Riograndense ou rio-grandense?
Em se tratando de nomes compostos designativos de povos, utiliza-se o hífen quando não há perda de letras na formação das palavras. Exemplos: rio + grandense = rio-grandense/ mato + grossense = mato-grossense Quando houver perda de letras, não se utiliza o hífen. Exemplo: estado + unidense = estadunidense.

06 dezembro, 2018

Valeu o peixe

Cena de um rodeio aquático.



A tartaruga resistiu aos corcoveios do peixe por mais de 8 segundos.

O caçador de Nessie

A maioria das crianças que sonham em se tornar caçadores profissionais de monstros acabam optando por um caminho mais prático. Não Steve Feltham . Quando tinha 24 anos, o escocês deixou o emprego de instalador de alarmes, vendeu sua casa em Dorset, comprou uma casa móvel e mudou-se para o Lago Ness.
Feltham vive há 25 anos nas margens do lago, na esperança de identificar a besta mítica que supostamente habita suas profundezas. É ele que detém o recorde mundial do Guinness para o mais longo tempo na vigia de um monstro num posto de observação.
Feltham nunca viu o Monstro do Lago Ness, [1]  [2] [3] mas ele ainda está feliz com a vida que escolheu.
Ele conta a Grande História. "Minha vida contém liberdade, aventura, imprevisibilidade e a chance de fazer uma das maiores descobertas do mundo, caso eu ache Nessie", reflete o caçador de monstros. "É um sonho que pode se tornar realidade".
Enquanto o seu desejo não se cumpre, os turistas provavelmente o encontrarão por lá com seu telescópio, perscrutando o horizonte.

http://mentalfloss.com/article/92044/meet-man-whos-spent-his-life-looking-loch-ness-monster

O Monstro do Lago Ness
Procurando Nessie
Concha dando sopa

05 dezembro, 2018

A remontagem de "Roda Viva"

Em 1967, Chico Buarque fazia sua primeira incursão no teatro. Sua peça, "Roda Viva", estreou no Rio de Janeiro, em encenação dirigida por Zé Celso Martinez e estrelada por nomes como Marieta Severo, Heleno Prestes e Antônio Pedro.
O trabalho foi, antes de tudo, um marco na linguagem do teatro brasileiro. Por fazer, por exemplo, um retorno ao coro grego, incorporando-o diretamente na trama do personagem Benedito Silva, músico de sucesso inventado e fabricado pela mídia.
A repressão que sofreu em apresentações posteriores, em São Paulo e Porto Alegre, fez do espetáculo um marco na resistência à ditadura militar.

CHICO BUARQUE NO ENSAIO DE RODA VIVA (1967). ACERVO TEATRO OFICINA

Agora, meio século depois, dirigida pelo mesmo Zé Celso e com a montagem atualizada para alguns aspectos, a peça "Roda Viva" encontra-se em cartaz no Sesc Pompeia, de onde seguirá para uma temporada de apresentações no Teatro Oficina (www.teatroficina.com.br).

Feliz Rede Social



(todos) Noite de iPad
(todos) Noite de iPhone
— Vou enviar um whatsapp
— Eu subi uma foto ao Instagram
— Eu tuitei o que há pra cear
— Tem 10 de bateria...
(todos) Põe isso pra carregar.

Tradução: PGCS

04 dezembro, 2018

Solipsismo

Filosofia. Doutrina segundo a qual só existem, efetivamente, o eu e suas sensações, sendo os outros entes (seres humanos e objetos) apenas partícipes da única mente pensante, meras impressões sem existência própria. Embora frequentemente considerado uma possibilidade intelectual (caso limite da filosofia idealista), o solipsismo jamais foi endossado integralmente por algum pensador.
Por extensão, a vida ou o conjunto dos hábitos de um indivíduo solitário.
Em oposição ao solipsismo, Jára Cimrman, considerado o maior cidadão checo de todos os tempos, inventou a filosofia do exteriorismo. Se no solipsismo o observador existe, mas o mundo exterior não; no exteriorismo o mundo existe, mas o filósofo não. Na verdade, o próprio Cimrman jamais existiu. Criado por um programa de rádio de 1966 para ser uma modesta caricatura do povo checo, ele foi logo transformado em uma espécie de herói nacional fictício. Suas contribuições para as múltiplas áreas do conhecimento humano estão listadas em uma página com seu nome na Wikipédia.

As aparências enganam

— É um casamento gay?
— Não. É o dia da pesagem oficial.


+ weigh-in: https://m.imgur.com/r/funny/BPCScMl
(Se você não pode vencer o adversário, beije-o.)

03 dezembro, 2018

Um projeto de lei esponjoso

Quando o senador de Virgínia, EUA, William B. Spong Jr. apresentou-se em Washington, ele preocupou-se que a mídia pudesse pronunciar seu nome - erroneamente - como Sponge (Esponja).
Mas logo observou que, entre seus colegas do Senado, incluíam-se: Russell B. Long (de Luisiana) e Hiram L. Fon (do Havaí).
Então, ao comparecer no National Press Club, ele anunciou que iria apresentar, juntamente com esses dois colegas, um projeto de lei (PL) para proteger os direitos dos compositores de Hong Kong. Seria chamado PL Long Fong Spong Hong Kong Song.
Eles nunca o apresentaram, mas a mídia nunca errou o nome de Spong.
(https://www.futilitycloset.com/2018/02/02/hint-2/)

A padeira de Aljubarrota

A vitória já não escapava às hostes portuguesas. E os castelhanos sobreviventes, apercebendo-se disso, desataram a fugir. Alguns fugiam a pé e iam-se desarmando para correr mais leves. Outros apanhavam os cavalos que podiam e punham-se a salvo, seguindo o exemplo do seu próprio rei. Por sua vez, finda a batalha, o povo da região organizou uma verdadeira caça ao homem, abatendo sem contemplações qualquer inimigo que encontrasse.
Ora, conta a lenda que sete desses castelhanos, exaustos e esfomeados, foram ter a uma padaria em busca de refúgio. Lá dentro, no entanto, estava uma valente mulher, de nome Brites, que, sem dó nem piedade, os abateu com a sua pá de cozer o pão. E assim nasceu a lenda da padeira de Aljubarrota.
Gravura:
O exército castelhano está representado à esquerda e o português à direita.

Image result for padeíra de Aljubarrota
Bibliografia:
CARDOSO, F.; TOROK, M. H.; CARDOSO, O. M. (1996).História e Geografia de Portugal. Lisboa: Areal Editores.
Webgrafia:
http://www.ribatejo.com/hp/base/cgi-bin/ficha_lenda.asp?cod_lenda=12

02 dezembro, 2018

O que é fideísmo

"O milagre não é dar vida ao corpo extinto,
Ou luz ao cego, ou eloquência ao mudo...
Nem mudar água pura em vinho tinto...
Milagre é acreditarem nisso tudo!"
- Mario Quintana

Fideísmo é o desejo de acreditar contra a razão (credo quia absurdum, creio porque é absurdo). "É um sistema de filosofia ou uma atitude de espírito, que, negando o poder da razão humana de chegar à certeza, afirma que o ato fundamental do conhecimento humano consiste em um ato de fé, e o critério supremo da certeza é a autoridade."
O psicólogo estadunidense Michael Shermer dedica-se, há cerca de dez anos, ao que considera uma cruzada: em defesa do pensamento científico, ele combate superstições, crendices e mitos. Suas armas são palestras que faz pelos Estados Unidos, cursos no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), participações em programas de televisão e de rádio e sete livros sobre o assunto.
Por que as pessoas veem a Virgem Maria em um sanduíche de queijo ou escutam letras demoníacas em "Stairway to Heaven"?
Michael Shermer adverte: "Vivemos numa época de irracionalismo. Acreditar em tudo pode parecer inofensivo, mas não o é. Quem acredita nisso pode acreditar em qualquer coisa".

Fernando Gurgel Filho

EM, 21 agosto, 2014
As formigas de Maria (je le vois, mais je ne le crois pas)

Morreu Maria Preá

A expressão acima, muito usada em boa parte da região nordestina, mas pouco conhecida no restante do país, especialmente nas grandes cidades, é empregada quando qualquer situação chega a seu ponto final, irreversível, definitivo e que, por isso, não tem mais jeito e não pode ser modificada.
= Vamos esquecer o assunto.
(Grato ao jornalista e escritor JB Serra e Gurgel por ter feito o contrário, isto é, me lembrado o assunto.)
Se o assunto é decidido ... quando não há mais questão ... se não cabe discussão ... e o martelo foi batido ... se não restar mais moído ... e acabou-se o bafafá ... se o que fazer já não há ... e recorrer não se pode ... emende o fio do bigode ... morreu Maria Preá ...

De onde surgiu esta expressão, apud Larissa Brandão:
Conta-se, no caso, que o vigário de determinado lugarejo interiorano foi apanhado em flagrante por seu sacristão quando transava com Maria Preá, uma paroquiana com atrativos físicos que atraíam a atenção de qualquer filho de Deus que tivesse os hormônios certos funcionando nas horas certas. Pouco importa saber como esse romance incomum começou, e mais ainda, de que forma chegou ao rola-rola, e ainda por cima na casa paroquial. O fato é que desse dia em diante o sacristão passou a fazer chantagem com o vigário, conseguindo dele tudo o que desejava. Bastava dizer em sussurro "Olha a Maria Preá!", para que o religioso se rendesse às suas exigências, embora o fizesse muito a contragosto. Mas fazer o quê numa situação dessas? Como explicar aquela aventura amorosa aos paroquianos?
Até que certo dia o vigário voltou mais cedo de uma tarefa que tinha ido realizar em sua missão pastoral. A porta da casa onde morava estava aberta, como de costume, e por isso ele entrou sem fazer alarde, como também era seu hábito. Ao passar pela porta entreaberta de um dos quartos, rumo à cozinha, e surpreender, num relance de olhar, o sacristão com o tronco curvado para frente, servindo passivamente de mulher para um garotão das redondezas, sua surpresa foi tamanha que ele não conseguiu dizer uma única palavra: só ficou ali parado, de boca aberta, olhando a cena patética. Mas logo foi percebido pelo sacristão, que "desarrolhando-se" do seu jovem parceiro tratou de ajeitar a roupa, aproximar-se do padre que ainda o observava de queixo caído, e murmurar em voz aflita: "Seu Vigário, não conte nada pra ninguém. O senhor não viu nada, está bem? E olhe: de hoje em diante, morreu a Maria Preá!".
E foi por causa disso que a frase nasceu. Não faz muito tempo, Itanildo Medeiros, natural de Angicos, no Rio Grande do Norte, compositor, empresário de bandas de forró e secretário de Cultura em sua cidade natal, pesquisou essa mesma história, descobriu sua origem, e como o que nela se diz ter acontecido integra o riquíssimo acervo folclórico nordestino, ele não se contentou em divulgá-la, apenas, mas valeu-se de seus dotes poéticos para escrever um poema de literatura de cordel sobre o tema, cujos últimos versos estão transcritos aí abaixo:
Assistindo aquela cena / mas lembrando do passado, / o padre ficou com pena / e também aliviado. / Mas, mesmo com a vergonha / daquela cena medonha, / o padre gritou de lá: / Sacristão, se oriente / pois, pra nós, daqui pra frente, / morreu Maria Preá.
Fonte: https://groups.google.com/forum/#!topic/projetobios/FzYx79FaY5w

O poema de Itanildo Medeiros na íntegra, dito por outro destaque da literatura de cordel, o Braulio Bessa:


Verbete futuro para o Dicionário Brasileiro de Frases (DBF): Agora é tarde, Inês é Morta