31 março, 2019

O Gabinete das Sombras

Se cumprir o que prometeu, o autoproclamado presidente do Brasil José de Abreu promoverá seu autoimpeachment amanhã, 1.º de abril - Dia da Mentira.
"Não aguento mais ser presidente!", diz o ator. "Tentei montar um shadow-cabinet [Gabinete das Sombras]. Mas como fazer sombra para o nada?"

O Gabinete das Sombras (do sistema Westminster de governo desenvolvido no Reino Unido) consiste em um grupo sênior de porta-vozes da Oposição que, sob a liderança do Líder da Oposição, forma um gabinete alternativo ao do Governo, em que cada membro analisa as posições individuais de cada membro do Gabinete. É responsabilidade do Gabinete das Sombras examinar as políticas e ações do Governo, bem como oferecer um programa alternativo.

Atrevo-me a subsidiar este guerreiro que fala em Gabinete das Sombras e Abreugrafia:
Falecido em 1962, o ano em que também faleceu Portinari, "o gênio das cores", Manuel de Abreu, o inventor da abreugrafia, recebeu o carinhoso título de "o gênio das sombras".
https://airblog-pg.blogspot.com/2010/02/abreu-inventor-da-abreugrafia.html

Carol, Carolina

para Luciano Hortencio
Carolina - Chico Buarque
Carolina / Nos seus olhos fundos / Guarda tanta dor / A dor de todo esse mundo.
Esta canção foi classificada em terceiro lugar no II Festival Internacional da Canção Popular (FIC), em outubro de 1967.
Humberto Werneck conta, em seu livro "Chico Buarque Letra e Música", que "Carolina" nasceu a partir da proposta conciliatória feita por Walter Clark, em nome da rede Globo de televisão: a emissora dispensaria a multa contratual em troca da inscrição de uma canção do Chico no FIC (1967) e daria, assim, por encerrado o processo judicial. Chico aceitou a proposta e compôs a canção "Carolina" durante um voo. Interpretada por Cynara e Cybele, "Carolina" perdeu para "Margarida", de Guttemberg Guarabyra e "Travessia", de Milton Nascimento.



Carolina Carol Bela - Jorge Ben e Toquinho
Lançada como o lado B de um single de 1969, do Toquinho e do Jorge Ben (antes de ser Jor), "Carolina Carol Bela" foi composta pela dupla para homenagear a artista plástica Maria Carolina Whitaker.
Leia em NO/ZE a história por trás de "Carolina Carol Bela".
https://youtu.be/WqlQJU0L2ak

Carolina - Seu Jorge
https://youtu.be/VwBIVWX8YtQ

O cheiro de Carolina - Luiz Gonzaga
LP RCA "Sua Sanfona e Sua Simpatia", de 1966
Carolina foi pro samba / Carolina / Pra dançá o xenhenhém / Carolina / Todo mundo é caidinho / Carolina / Pelo cheiro que ela tem /  Carolina / Hum, hum, hum...
https://youtu.be/s1PraTcSrso

Karolina com K - Luiz Gonzaga
Gravação RCA Camden de 1977, faixa de encerramento do álbum "Chá Cutuba".
Do "Rei do Baião", uma história divertida que só ele mesmo poderia contar:
- Que mal pergunte, vosmicê que é a Carolina?
- Pergunta bem! Karolina com "K"!
- Quer dançar mais eu?
- Só se for agora!
https://www.letras.mus.br/luiz-gonzaga/1255864/

EM INGLÊS
Oh Carol - Neil Sedaka
Oh! Carol, I am but a fool / Darling, I love you though you treat me cruel / You hurt me, and you made me cry / But if you leave me, I will surely die.
Grande sucesso internacional da década de 1950. Carol é uma forma encurtada do nome Carolina.
https://youtu.be/e72tG80LmsU
No Brasil, Oh Carol recebeu versão de Fred Jorge e também foi sucesso na voz de Carlos Gonzaga.
Ô Carol / Sem o teu amor / Tudo é tristeza / Tudo é um horror.
https://youtu.be/PV9LGD6bb_8
Carolina in my mind - James Taylor
Carolina - PARMALEE
Oh Carolina 1993 - Shaggy
Carolina - Harry Styles
Oh My Sweet Carolina - Ryan Adams

EM ESPANHOL
Carolina - Ratones Paranoicos
Carolina - Eddy Herrera
Carolina - Josue Alaniz

EM GALEGO-PORTUGUÊS
A saia da Carolina - Canção popular
A Carolina é uma tola / que tudo faz ao revés / despe-se pela cabeça / e veste-se pelos pés.
https://amusicaportuguesa.blogs.sapo.pt/anafaia-saia-da-carolina-1989156

Musical Madalena, A beleza em Tereza e Apareceu a Margarida

30 março, 2019

Breve história de quase tudo

[14/03] Meu caro Doutor,
Estou lhe encomendando uma pequena obra-prima, ótima para ler sem pressa, à altura de sua curiosidade.
Trata-se de :
BREVE HISTORIA DE QUASE TUDO (Bill Bryson - Companhia das Letras)
Confesso comprei este livro por causa de um capítulo específico: .15 BELEZA PERIGOSA - uma narrativa de terror relacionada ao Parque Nacional de Yellowstone e com suas condições geológicas de deixar as melenas (não é hemorragia intestinal) do Edgar Allan Poe arrepiadas. Ótima tradução, leitura muito agradável .
Mande-me suas coordenadas.
Jaime Nogueira

[15/03] OK.
Paulo Gurgel

[15/03] Segue o procedimento da aquisição do livro.
Ironicamente, creio que devido à onda inusitada de calor no Sudeste e às doideiras que assolam o país e nos preocupam, parece que as sinapses ficam mal conectadas e apareceu, de contrabando, no pedido "Um Espetáculo de Corrupção", que não o conheço, e deve ser coisa da República do Paraná.
Um ótimo fim de semana. Adoro a Estante Virtual, nunca me negou fogo.
Jaime Nogueira

[29/03] Acabo de receber os dois livros. Para minha agradável surpresa, "Um espetáculo de Corrupção" não é livro vinculado à famigerada República do Paraná, o que significa dizer que tanto vou ler BREVE HISTÓRIA DE QUASE TUDO quanto o contrapeso. O segundo, aliás, é um alentado romance de David Liss, premiado autor de livros de mistérios.
Paulo Gurgel

Ao constatar que ignorava o porquê dos oceanos serem salgados, o renomado escritor e cronista Bill Bryson percebeu, com certo desagrado, que tinha pouquíssimo conhecimento sobre o planeta em que vivia. A indagação o propeliu à tarefa épica de entender - e explicar - tudo o que sabemos sobre o mundo. Bryson parte da origem do universo e segue até os dias de hoje, tratando de assuntos relacionados à física, geologia, paleontologia e todas as outras disciplinas que considerava "maçantes" na escola. Antítese do texto didático tradicional, sua prosa foge dos jargões técnicos sem nunca abrir mão da profundidade. A preocupação do autor está em entender como os cientistas realizam suas descobertas. Para compilar esta "Breve história de quase tudo", Bryson consultou dezenas de obras e pesquisadores e montou o que pode ser considerado um delicioso guia de viagens pela ciência.
"Um clássico moderno da escrita científica." - The New York Times.
"Um diário de viagem pela ciência, escrito por um guia inteligente, engajado e bem-informado, que ama o assunto e está louco para dividir esse prazer" - The Times

INTRODUÇÃO (disponível na web), de que selecionei este enunciado:
"Um aspecto curioso de nossa existência é provirmos de um planeta exímio em promover a vida, mas ainda mais exímio em extingui-la."
Jaime Nogueira: perfil de um colaborador
Seus genes são oriundos da Serra da Mantiqueira onde nasceu (Itajubá, MG), por parte de sua mãe (Da Costa Machado) e dos sopés do Serrote de Quinamuiú (Tauá, CE) – seu pai (Alexandrino Nogueira). De um total de 5 irmãos formados na Escola de Engenharia da UFC, Jaime Nogueira desgarrou-se após casar e concluir o Mestrado no Instituto da Pesquisas Hidráulicas da UFRGS e começar a trabalhar no Rio, na então CVRD, por cerca de 30 anos – sempre envolvido com projetos de exploração mineral na Serra dos Carajás, PA (Fe, Au, Cu) e um trabalho de desenvolvimento tecnológico para purificação de SiO2 na Zona da Mata, MG. Em '87 passou uns 3 meses na DDR (Alemanha Oriental), na Escola de Minas de Freiberg, com direito ao Checkpoint Charlie, em Berlim, e a Autobahn usada para a Invasão dos Sudetos e, lógico, a fantástica cerveja da Saxônia.

Cronovisor

O cronovisor foi o nome dado a uma máquina da qual se dizia ser capaz de visualizar eventos passados ​​e futuros. Sua existência foi alegada pelo Pe. François Brune, autor de vários livros sobre fenômenos paranormais e religião. Em seu livro de 2002, Le nouveau mystère du Vatican ("O novo mistério do Vaticano"), ele afirmou que o dispositivo havia sido construído pelo padre italiano e cientista Pellegrino Maria Ernetti.
Antecedentes
No início dos anos 1960, como membro de uma equipe que incluía doze cientistas mundialmente famosos, Pe. Ernetti supostamente ajudou a construir a máquina. Ele identificou dois deles como Enrico Fermi e Wernher von Braun. E o cronovisor foi descrito como sendo um grande gabinete com um tubo de raios catódicos para visualizar os eventos recebidos e uma série de botões, alavancas e outros controles para selecionar a hora e a localização a ser visualizada. Também poderia localizar e rastrear indivíduos específicos. Segundo seu inventor, funcionava recebendo, decodificando e reproduzindo a radiação eletromagnética deixada para trás por eventos passados. Ele também poderia pegar o componente de áudio ou ondas sonoras emitidas por esses mesmos eventos.
Ernetti não apresentava provas concretas dessas afirmações. Ele disse que havia observado, entre outros eventos históricos, a crucificação de Cristo e também fotografado. Uma cópia dessa imagem, disse Ernetti, apareceu na edição de 2 de maio de 1972 de La Domenica del Corriere, uma revista de notícias semanal italiana. Uma foto quase idêntica (imagem em espelho), no entanto, de uma escultura em madeira do escultor Lorenzo Coullaut Valera, a seguir apareceu e conseguiu colocar em dúvida a afirmação de Ernetti.
Em seu leito de morte, Pe. Ernetti confessou que a "foto" de Cristo era uma fraude.

29 março, 2019

A corrida das cores

Eis uma divertida visualização de diferentes comprimentos de onda da luz no espectro visível. Da caminhada a passos largos do Sr. Vermelho até a corrida miudinha do menino Azul.

https://kottke.org/plus/misc/images/rain-bros.gif

Oitenta e oito (2)

88, LXXXVIII
Hoje é o 88.º dia do ano

88 pode ser a soma de dois números primos, de quatro formas distintas:
88 = 5+83 = 17+71 = 29+59 = 41+47
Veja a conjetura de Goldbach:
Proposta pelo matemático prussiano Christian Goldbach, é um dos problemas mais antigos não resolvidos da matemática.Ela diz que todo número par maior que 2 pode ser representado pela soma de dois números primos.Verificações por computador já confirmaram a conjetura de Goldbach para muitos números. No entanto, a efetiva demonstração matemática ainda não ocorreu.O melhor resultado até agora foi dado por Olivier Ramaré em 1995: todo número par é a soma de no máximo 6 números primos.
O número 88 já foi associado à saudação utilizada pelos Nazis, "Heil Hitler". Visto que H é a oitava letra do alfabeto, 88 torna-se HH.


Esta espécie (Diaethria clymena) aparece principalmente em áreas do Cerrado e da Mata Atlântica (no Brasil). É popularmente denominada de borboleta 88 porque possui em suas asas posteriores desenhos em forma de 88. Infelizmente, em consequência da destruição de seu ambiente, sua frequência vem diminuindo na natureza.

Oitenta e Oito, em Kentuchy, EUA

28 março, 2019

Cabo Hitler

A propaganda nazista sempre vendeu Adolf Hitler como um sujeito de atitudes irrepreensíveis durante a Primeira Guerra Mundial. No conflito que convulsionou o mundo entre 1914 e 1918, o austríaco voluntariamente alistado no 1.º Regimento de Infantaria da Bavária (Baviera) foi apenas um cabo mensageiro, encarregado de entregar recados aos oficiais. Mesmo assim, teria sido um herói – pelo menos, segundo a versão oficial. Um rapaz tão corajoso e abnegado que acabou recebendo duas condecorações por bravura.
Mas essa ideia vem sendo desmontada com a ajuda de documentos que só recentemente começaram a vir a público. Vários pesquisadores acreditam que a imagem de um combatente heroico na Primeira Guerra nunca passou de uma invenção da máquina de propaganda nazista. (1) Um desses estudiosos é o alemão Thomas Weber, professor de História Moderna da Universidade de Aberdeen, na Escócia, e autor de Hitler’s First War ("A Primeira Guerra de Hitler", inédito no Brasil). Segundo Weber, o cabo Hitler da vida real foi pouco mais que um mensageiro de retaguarda durante o conflito. Algo como um ajudante de ordens – ou, como ele mesmo gosta de chamá-lo, o "garoto do chá". (2)
Ler o artigo completo em Superinteressante.

N. do E.
(1) Em matéria de "mito" começamos no Brasil alguns furos acima.
(2) Ler também Um chá a desoras.

Um estudo de raiz

Assim como seu nariz, seu cabelo pode detectar odores. Em um novo estudo, os pesquisadores descobriram que os folículos pilosos contêm receptores olfativos - do mesmo tipo de receptores químicos que se encontram nas passagens nasais. No nariz, esses receptores se ligam a moléculas de odores e enviam sinais ao cérebro para avisá-lo de que algo cheira mal ou cheira bem.


Além disso, os pesquisadores descobriram que esses receptores de folículos pilosos podem ser ativados por sândalo sintético para estimular o crescimento do cabelo, de acordo com o estudo, publicado em 18 de setembro de 2018 na revista Nature Communications.

27 março, 2019

Uma vaca looonga

Já mostramos o cão mais longo do mundo. AQUI
Agora chegou a vez da vaca:


Antes que a ela tussa, vá para o brejo e o boi vá atrás, saiba como surgiu a expressão o drible da vaca.

Números vampiros

Os números vampiros (vampire numbers) apareceram pela primeira vez em 1994, numa postagem de Clifford A. Pickover na Usenet.
Eis a postagem:
Se quisermos acreditar na romancista best-seller Anne Rice, os vampiros se assemelham aos seres humanos em muitos aspectos, mas vivem vidas secretas escondidas entre os mortais restantes. Considere uma metáfora numérica para vampiros.
Eu chamo números como 2187 de números vampiros, porque eles são formados quando dois números progenitores, 27 e 81, são multiplicados.
(27 * 81 = 2187)
Note que o vampiro, 2187, contém os mesmos dígitos de ambos os pais, exceto que estes dígitos são sutilmente escondidos, de alguma forma embaralhados.
Similarmente, 1435 é outro número vampiro, porque contém os dígitos dos progenitores 35 e 41.
(35 * 41 = 1435)
Esses números vampiros habitam secretamente nosso sistema numérico, mas a maioria  não foi detectado até agora. Eu acredito que existam apenas seis vampiros de quatro dígitos, mas não tenho ideia se existem números vampiros maiores .
Qual é o maior dos números vampiros que você pode encontrar por aí no mundo dos inteiros?
À medida que os números se tornam maiores, com que frequência você espera encontrar vampiros? Eles ficam mais esparsos ou mais frequentes à medida que se procura vampiros até um "googol"?
Eu terei prazer em divulgar o maior número vampiro que for encontrado em um artigo que estou escrevendo.
https://groups.google.com/forum/#!msg/sci.math/eCgYeC3aUbc/2haqpIEie_EJ
N. do T.
Com quatro dígitos existem, na verdade, sete números vampiros: 1260, 1395, 1435, 1530, 1827, 2187 e 6880.
  n ► números vampiros
  4 7
  6  148
  8 ► 3228
10 ► 108454
12 ► 4390670
14 ► 208423682

26 março, 2019

Confissão público-privada dos pecados - 3

Recentemente, um homem em Amsterdã sentiu que precisava se confessar, então ele foi até o padre:
"Perdoe-me, padre, porque pequei. Durante a Segunda Guerra Mundial, escondi um refugiado em meu sótão".
"Bem", respondeu o padre, "isso não é pecado".
"Mas eu o fiz concordar em me pagar 200 euros por cada semana que ele ficou."
"Eu admito que não foi um bom gesto, mas de qualquer modo você o protegeu".
"Ufa, obrigado, padre. Isso me tira um peso enorme da consciência."
O homem refletiu por um momento e depois disse: "Eu tenho só mais uma pergunta ..."
"Qual é, meu filho?"
"Eu devo contar a ele que a guerra acabou?"

Da série: 1 e 2

A fabricação de esferas de aço para rolamentos

Realmente sensacional.
O que eu tinha de conhecimento sobre a fabricação de esferas metálicas era a técnica que se utilizava para a produção das "bolinhas" de chumbo (para uso como munição em armas de fogo muito primitivas). Consistia em derreter o chumbo e vertê-lo cuidadosamente ao ar livre, de uma altura adequada, e de tal modo que o filete de chumbo fundido ao cair se transformasse em pequenas esferas.
Jaime Nogueira


25 março, 2019

Museu Nacional Vive - Arqueologia do Resgate

No Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Rio de Janeiro-RJ, está acontecendo desde 27 de fevereiro a exposição Museu Nacional Vive - Arqueologia do Resgate.
Trata-se de uma demonstração para o público do acervo do Museu Nacional recuperado após o incêndio de setembro de 2018. Das 170 peças exibidas na exposição, 103 estavam no edifício no dia em que ele pegou fogo. São coleções de antropologia, etnologia, entomologia, geologia, paleontologia ... Está ali, por exemplo, uma reprodução do famoso crânio de Luzia (foto), o esqueleto mais antigo descoberto na América.

O conhecido Bendegó, o maior meteorito já encontrado no Brasil, de cinco toneladas e que resistiu ao incêndio do Museu, não está na mostra.
O CCBB fica na rua Primeiro de Março, 66, no Centro do RJ, estando aberto à visitação de quarta à segunda, das 9 às 21 horas, até o dia 29 de abril. A entrada é franca.

Um avarento e seu ouro

Esopo (*)
Um avarento tinha enterrado seu pote de ouro num lugar secreto do seu jardim. E todos os dias, antes de ir dormir, ele ia até o ponto, desenterrava o pote e contava cada moeda de ouro para ver se estava tudo lá. Ele fez tantas viagens ao local que um ladrão, que já o observava há bastante tempo, curioso para saber o que o avarento estava escondendo, veio uma noite, e sorrateiramente desenterrou o tesouro levando-o consigo.
Quando o avarento descobriu sua grande perda, foi tomado de aflição e desespero. Ele gemia e chorava enquanto puxava seus cabelos.
Alguém que passava pelo local, ao escutar seus lamentos, quis saber o que acontecera.
"Meu ouro! Todo meu ouro!” chorava inconsolável o avarento, “alguém o roubou de mim!"
"Seu ouro! Ele estava nesse buraco? Por que você o colocou aí? Por que não o deixou num lugar seguro, como dentro de casa, onde poderia mais facilmente pegá-lo quando precisasse comprar alguma coisa?"
"Comprar!" exclamou furioso o avarento. "Você não sabe o que diz! Ora, eu jamais usaria aquele ouro. Nunca pensei de gastar dele uma peça sequer!"
Então, o estranho pegou uma grande pedra e jogou dentro do buraco vazio.
"Se é esse o caso," ele disse, "enterre então essa pedra. Ela terá o mesmo valor que tinha para você o tesouro que perdeu!"
Moral: Uma posse só tem valor quando dela fazemos uso.

(*) Esopo, fabulista grego. Embora sua existência não tenha sido esclarecida, vários contos creditados a ele foram reunidos ao longo dos séculos e em muitas línguas, em uma tradição narrativa que continua até hoje.

Conto: NO VELÓRIO, SÓ FINÓRIO

24 março, 2019

Híbridos

Imagine uma época em um futuro próximo, quando os oceanos ficam tão sobrecarregados com nossos detritos, que algum tipo de evolução bizarra toma lugar. Uma evolução que funde os habitantes dos oceanos com o lixo tecnológico que descartamos. Se você se dispuser a imaginar, então você poderá ver algo assim.

O céu e o mar

O físico suíço Auguste Piccard (28 de janeiro de 1884 - 24 de março de 1962) abriu dois novos mundos no século XX. Ele foi a primeira pessoa a voar 10 milhas acima da Terra e o primeiro a viajar 2 milhas abaixo do mar, usando invenções que abriram as portas para essas novas fronteiras.

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bundesarchiv_Bild_102-11767,_Auguste_Piccard_und_Paul_Kipfer.jpg

Piccard foi o primeiro a testemunhar vistas da Terra a partir de 10 milhas de altitude. Em agosto de 1931, a revista Popular Science atribuiu ao cientista a descrição de que "[a Terra] parecia um disco plano com a borda virada para cima". O próprio Piccard, no entanto, nunca descreveu a Terra dessa maneira, tendo sido uma licença criativa do repórter que realizou a entrevista.

O velho Piccard

23 março, 2019

Tartarugas cosmológicas

... até o fim
A seguinte anedota é contada a respeito de William James.
Depois de uma palestra sobre cosmologia e a estrutura do sistema solar, James foi abordado por uma velhinha.
"Sua teoria de que o Sol é o centro do sistema solar, e a Terra é uma bola que gira em torno dele, Sr. James, é interessante, porém está errada. Eu tenho uma teoria melhor", disse a velhinha.
"E qual é, madame?" perguntou James, educadamente.
"Nós vivemos em uma crosta de terra que está nas costas de uma tartaruga gigante."
"Se a sua teoria está correta, madame", retrucou ele, "onde a tal tartaruga está?"
"O senhor é um homem muito inteligente, Sr. James, e essa é uma pergunta muito boa", respondeu a velhinha, "mas eu tenho a resposta: a tartaruga está nas costas de uma segunda tartaruga, muito maior e que está exatamente sob a primeira".
"Mas... onde a segunda tartaruga está?" persistiu James, pacientemente.
A velhinha cantou, triunfante:
"Não adianta, Sr. James, há tartarugas até o fim."
  JR Ross, Constraints on Variables in Syntax, 1967

... em todo o caminho
Stephen Hawking incorporou o ditado "Turtles all the way down" (Tartarugas em todo o caminho)" em seu livro de 1988, "Uma Breve História do Tempo":
Um cientista conhecido (alguns dizem que foi Bertrand Russell ), uma vez deu uma conferência pública sobre astronomia. Ele descreveu como a Terra orbita em torno do Sol e como o Sol, por sua vez, orbita em torno do centro de uma vasta coleção de estrelas que é a nossa Galáxia. No final da palestra, uma velhinha nos fundos da sala levantou-se e disse: "O que você nos disse é lixo. O mundo é realmente uma placa plana apoiada nas costas de uma tartaruga gigante." O cientista deu um sorriso superior antes de responder: "Onde a tartaruga se apoia". "Você é muito inteligente, jovem, muito inteligente", disse a velha senhora. "Mas há tartarugas em todo o caminho!"
– Wikipédia

Quer você a veja como profundamente metafísica, ou apenas zombando da física, você ainda pode sorrir ao ler sobre essa teoria (das tartarugas até o fim / em todo o caminho).

Nuvens sobre cânions

Neste Dia Mundial da Meteorologia, celebrado todos os anos em 23 de março, decidimos subir até acima das nuvens para ter esta vista da costa peruana do oceano Pacífico. Trata-se de uma imagem feita pelo satélite Landsat 8 que mostra os cânions dos rios Yauca e Acarí cobertos por nuvens. Como um bom meteorologista é capaz de explicar, o ar quente na região da linha do Equador sobe acima das nuvens e as empurra para baixo, dentro dos cânions e sobre a costa do Pacífico.
Fonte: Bing



O que faz um meteorologista, por samanthaweather
Um meteorologista pode atuar em diversas áreas.
Talvez a sua atuação mais conhecida seja na área de previsão do tempo, elaborando textos, relatórios e matérias que serão veiculadas na TV, internet ou rádio. Também pode atuar prestando consultoria personalizada para fazendeiros, que dependem da previsão do tempo e do clima para planejar o plantio dos alimentos.
Meteorologistas também trabalham na área de instrumentação meteorológica, desenvolvendo e fazendo a manutenção de instrumentos como barômetros, termômetros, sensores automáticos etc.
Além disso, muitos meteorologistas trabalham na área de informática, desenvolvendo importantes ferramentas para outros meteorologistas.

Como se veste uma moça do tempo, por blog EM 1 2

22 março, 2019

Nerdologia

A palavra nerd foi usada pela primeira vez em um livro infantil chamado "If I Ran the Zoo", (*) escrito por Dr. Seuss, em 1950. A partir dali, a palavra nerd passou a ser usada com uma conotação parecida com a atual: uma pessoa que manifesta interesse extremo por questões tecnológicas, como computadores e videogames, geralmente pouco sociável e que, no dia 25 de maio (especialmente), não esquece a toalha!
(*) É o nome de uma criatura imaginária, de uma forma não caracterizada na história, que aparece na frase "E então, só para mostrá-los, eu navegarei para Ka-Troo / E trarei de volta um It-Kutch, um Preep e um Proo / Nerkle, Nerd e um Seersucker também!"

ABC do Nerdinho | A excitação sexual de um nerd | Sobrevivendo com a ajuda dos óculos | Não mexa com um nerd (vídeo)

O anel jogado no lago

"Precisamos da natureza - água, sol, ar - para sobreviver, mas ela realmente não precisa de nós. Ela é generosa conosco, mas ela tem algumas condições, e nós temos que respeitá-las." ~ Rachel Carson, bióloga e pioneira do conservacionismo
Água: uma celebração impressionante do elemento da vida baseado no folclore indiano
É a história de sete irmãs, enviadas pelos pais para encontrar água. Depois de andarem o dia todo subindo e descendo morros, elas finalmente chegaram a um lago - mas ficava muito abaixo delas, e portanto inacessível. Testemunhando sua luta e desânimo, o lago teve pena delas e fez uma oferta - ele se elevaria se elas lhe dessem seu bem mais precioso.
Dispostas a fazer qualquer coisa pela água, as irmãs concordaram, e a mais jovem tirou um lindo anel do dedo e jogou no lago. A água subiu rapidamente, as irmãs encheram as panelas e ficaram muito contentes.
Ilustração: Tara Books
Mas assim que elas se preparavam para voltar para casa, a irmã mais nova começou a chorar, lamentando ter sacrificado o anel. Ela o queria de volta. Suas irmãs insistiram que haviam feito uma barganha com o lago, por isso tendo que honrar o compromisso. Mas não havia como fazer a irmã mais nova mudar de ideia. Recusando-se a abandoná-la, as outras seis mulheres relutantemente começaram a procurar pelo anel. E todas desceram para a água, entraram no escuro e desapareceram, para nunca mais serem vistas - o lago as engolira por terem quebrado sua promessa.
O anel na história representa uma barganha que as irmãs fizeram com o lago - uma promessa que elas então quebraram. Quando se vai contra uma barganha e se torna ganancioso, a natureza castiga como o lago fez com as sete irmãs. Suas leis são rigorosas.

Maria Popova, Brain Pickings

21 março, 2019

"Entre Hâna e Mâna, lá se foi minha barba"

O provérbio explicado
Um muçulmano tinha duas esposas, Hâna e Mâna, uma jovem, outra velha; a ambas demonstrava igual afeto. No entanto, por ciúmes, a velha arrancava-lhe, carinhosamente, os fios pretos da barba, e a jovem, os fios brancos, até que por fim o pobre homem ficou sem barba...

250 Provérbios Árabes, por Luiz Jean Lauand

A invenção da escova de dentes

William Addis (1734–1808) encontrava-se preso em uma cadeia britânica, em 1770.
Na época, as pessoas usavam panos com sal e pó de carvão para limpar os dentes. Foi quando ele teve a ideia de fazer buracos em um pedaço de madeira(*), em que colocou tufos de cerdas que foram a seguir fixados com cola.
Ao sair da prisão, ele passou a produzir em escala industrial o seu invento e ficou rico.
A empresa que ele fundou, a Wisdom Toothbrushes, ainda está em operação até hoje.

(*) Wikipédia traz a versão de ter sido um osso que sobrou de uma refeição.

20 março, 2019

Degraus do conhecimento





Esta escadaria é vista perto da biblioteca da Universidade de Balamand, no Líbano. Seus degraus foram pintados para que ela se assemelhasse a uma pilha de livros famosos.

Ela vai do épico "Gilgamesh" a "The Road Ahead" (título no Brasil: "A Estrada do Futuro"), este último de autoria do empresário Bill Gates.

A faca de sapateiro continua cortando bonito


"Arbelos" significa faca de sapateiro em grego, e um exemplo é mostrado acima.
O termo também é aplicado à área sombreada na figura abaixo, que se assemelha à lâmina de uma faca usada pelos sapateiros.


Os círculos arquimedianos
Acredita-se que o próprio Arquimedes tenha sido o primeiro matemático a estudar as propriedades matemáticas dessa figura. A forma é composta de três semicírculos, dois dos quais têm diâmetros que somam o diâmetro do terceiro.
Ele demonstrou (proposição 5) que não importa como o semicírculo de maior diâmetro fosse dividido para produzir os dois menores: as áreas dos dois círculos serão sempre as mesmas. Estes círculos são conhecidos como círculos de Arquimedes, gêmeos arquimedianos e outros nomes semelhantes.

Aproveite para dar uma olhada neste Catálogo online de círculos de Arquimedes, organizado por Floor van Lamoen.

19 março, 2019

O gato Brexit




A ministra de Assuntos Europeus da França chama seu gato de "Brexit" devido à natureza indecisa do felino.
Nathalie Loiseau disse a Le Journal du Dimanche que seu animal de estimação mia alto para ser liberado a cada manhã, mas depois se recusa a sair quando ela abre a porta.

Batmanning ressurge

Depois do planking, do owling, do batmanning e do plumbking, que é uma modalidade de performance bastante próxima do batmanning e do qual apenas difere porque o praticante é fotografado com a cabeça dentro de um vaso sanitário, ressurge o batmanning.
O ressurgimento, que poderia ter como slogan Faça Batman Invertido de Novo, se dá no rastro de outra campanha que aconteceu na Turquia, em 2018: Faça Batman Grande de Novo.

Quero só ver onde é que vão cair as últimas gotas dessa performance.


¡opunɯ oɐ opıʇuǝs oʌou ɯn oãp ǝnb sɐssǝ oɯoɔ sǝɔuɐɯɹoɟɹǝd oãs 'ǝʇuǝɯɐʇɹǝɔ

18 março, 2019

Outro nível de abstração

No rescaldo do furacão Sandy, o estúdio cavernoso  de Ray Smith no Brooklyn, em um armazém perto do Canal Gowanus, era uma gigantesca piscina interior com seis pés de profundidade. Ali, suas enormes telas figurativas e suas totêmicas esculturas de madeira flutuavam a esmo, enquanto ele e seus assistentes tentavam desesperadamente drenar o estúdio, recuperando o que podiam de 30 anos de sua arte.
Todas as obras que estavam no estúdio no momento da tempestade sofreram algum dano. "Mas há algumas de que eu agora até gosto mais", diz Smith.
E o artista aponta para uma pintura em madeira de ondas colossais e espelhadas, ondulando umas para as outras, que ficou boiando na água por vários dias. Houve uma área em que a água, ao tornar a tinta temporariamente pegajosa, acabou proporcionando um outro nível de abstração.
"Eu nunca teria conseguido este efeito", diz ele sobre a atuação da água em um quadro que representa exatamente isto: ondas. "É agora uma pintura maravilhosa", acrescenta.

[https://learning.blogs.nytimes.com/2013/03/22/word-of-the-day-irony/]
[http://www.nytimes.com/2013/03/17/nyregion/ray-smiths-work-is-rescued-after-a-hurricane.html]

Woodstock da Física

O termo "Woodstock of Physics" é frequentemente usado pelos físicos para se referir à sessão-maratona da reunião da American Physical Society (APS), em 18 de março de 1987, que contou com 51 apresentações sobre a ciência dos supercondutores de alta temperatura. O nome é uma referência ao Festival de Música e Arte Woodstock, de 1969.
Crédito: APS News
Antes de uma série de avanços em meados da década de 1980, a maioria dos cientistas acreditava que os requisitos de temperatura extremamente baixa de supercondutores os tornavam impraticáveis ​​para o uso diário. No entanto, em março de 1987, uma enxurrada de pesquisas recentes sobre supercondutores de cerâmica tinha conseguido criar temperaturas supercondutoras cada vez maiores, incluindo a descoberta de Paul Chu, da Universidade de Houston, de um supercondutor que operava a - 180 graus Celsius (- 292 graus Fahrenheit )  acima da temperatura em que o nitrogênio líquido ferve.
As descobertas eram tão recentes que nenhum documento sobre elas havia sido apresentado no prazo. No entanto, a Sociedade acrescentou uma sessão de última hora à sua reunião anual para discutir a nova pesquisa. A sessão foi presidida pelo físico M. Brian Maple, um pesquisador sobre supercondutores, que era também um dos organizadores da reunião. Programada para começar às 7:30 da noite no salão de baile do New York Hilton, porém cientistas entusiasmados começaram a se apresentar às 5:30.
Principais pesquisadores, como Chu e Karl Alexander Müller (que ganhariam o Prêmio Nobel de 1987 em Física) receberam 10 minutos para descrever suas pesquisas; outros cinco físicos receberam cinco minutos. Quase dois mil cientistas se comprimiram no salão de baile do Hotel. Aqueles que não conseguiam encontrar um assento encheram os corredores ou assistiram fora da sala em monitores de televisão. A sessão terminou às 3:15 da manhã, com muitos cientistas se demorando até a madrugada para discutir as apresentações. O encontro causou um aumento no interesse da mídia tradicional em supercondutores, e laboratórios de todo o mundo correram em busca de avanços nesse campo.
No ano seguinte (1988) foram descobertas duas novas famílias de supercondutores. Ambos têm transições supercondutoras acima de 110 graus Kelvin. Então, no próximo mês de março, a reunião da APS em Nova Orleans, uma sessão noturna especial "Woodstock of Physics II" foi organizada rapidamente para destacar a síntese e as propriedades desses novos supercondutores. O formato da sessão foi o mesmo de Nova Iorque, e alguns dos painelistas foram repetidos da sessão original.

Woodstock da Física, WIKI

17 março, 2019

Tributo a Evaldo Gouveia (2)

Em sua 52.ª edição, o baile "Carnaval da Saudade", realizado todos os anos no Náutico Atlético Cearense, homenageou o cantor, compositor e violonista Evaldo Gouveia.
Natural da cidade de Iguatu - CE, o artista até hoje colhe os frutos de sua intensa contribuição à Música Popular Brasileira. Fez parte do lendário Trio Nagô e emplacou no cancioneiro nacional composições como "Deixe que ela se vá", "Alguém me disse", "Serenata da chuva", "Sentimental demais" e "E a vida continua" – o que justifica a reverência feita ao artista.
Entre suas muitas canções, Evaldo Gouveia contribuiu também para o carnaval com a marcha-rancho "Bloco da solidão", sucesso nos bailes de carnaval desde 1971, "O mundo melhor de Pixinguinha", samba-enredo da Portela em 1973, e "O conde", de 1969, que tem como tema a emoção que a referida escola de samba provoca ao desfilar.
Seu parceiro mais frequente, inclusive nestas canções para o carnaval, foi o espírito-santense Jair Amorim (1915 - 1993).

Arquivo EM: Tributo a Evaldo Gouveia (1)

A lenda dos suicídios em massa dos lêmingues

Algumas das cenas mais memoráveis ​​de "White Wilderness", documentário da Disney sobre a vida selvagem na parte norte do continente norte-americano, vencedor da premiação do Oscar de 1958, foram as que mostravam a morte de lêmingues que se afogavam no mar depois de saltar de um penhasco. O público vê o que parece ser uma horda de roedores pulando de penhascos e caindo no mar Ártico, e também correndo por praias cobertas de rochas para entrar na água da costa, onde todos acabam se afogando, porque eles supostamente confundiram a vasta extensão do mar Ártico com um lago e presumiram que há uma costa alcançável do outro lado da água.
No geral, a narração sugere fortemente que o comportamento mostrado no filme é uma forma de marcha irracional e compulsiva para morte, com a qual os lêmingues periodicamente se envolvem.



Nada do que é mostrado no vídeo acima foi um comportamento realista dos lêmingues. As cenas foram gravadas na província canadense de Alberta, que não é um habitat nativo para os lêmingues e não tem saída para o mar. Para o documentário, os cineastas tiveram que importar lêmingues para Alberta (comprando-os de crianças Inuit que os tinham apanhado noutras províncias).
Lêmingues não se lançam periodicamente dos penhascos para o mar. Explosões cíclicas na população ocasionalmente induzem esses roedores a migrar para áreas de menor densidade populacional, e quando tais migrações ocorrem, alguns lêmingues morrem caindo de penhascos ou se afogando em lagos ou rios. Essas mortes não são nem atos de "suicídio", nem o resultado de um comportamento compulsivo irracional: são mortes acidentais resultantes de eles se aventurarem em busca de alcançar um novo território.
Então, os cineastas tiveram que usar vários truques de câmera para capturar cenas deles supostamente mergulhando para a morte. Através de câmaras cuidadosamente controladas, ângulos e edição, os cineastas fizeram não mais do que algumas dúzias de lêmingues parecerem um número muito maior reunidos em um penhasco e caindo na água (que era realmente o rio Bow, e não o mar Ártico).
As cenas mostradas no documentário foram encenadas a fim de replicar supostos comportamentos reais de lêmingues que não podiam ser capturados no filme, e assim a Disney ajudou a perpetuar a lenda dos periódicos e inexplicáveis suicídios em massa cometidos por lêmingues que morrem atirando-se dos penhascos.

Faltou este aviso: Nenhum lêmingue saiu ferido nesta filmagem. Apenas morreram depois de lançados no abismo por uma mesa giratória.

Did Disney Fake Lemming Deaths for the Nature Documentary ‘White Wilderness’?, Snopes
Lêmingue, Wikipédia

16 março, 2019

Copos matemáticos

Quatro das mais conhecidas constantes matemáticas e suas fórmulas expandidas estão abaixo representadas neste conjunto de copos de bar.
https://www.microsiervos.com/archivo/gadgets/vasos-matematicos.html
Você escolherá entre a constante de Pitágoras (√2), a razão áurea (Φ), o número de Euler (e) ou pi (π). Os gráficos podem ter duas funções: 1) identificar qual é seu copo e 2) fazer você saber que já bebeu o suficiente (por isso, não consegue mais decifrar a equação).
O mais interessante é que eles apresentam: medidas exatas, embora expressas em onças líquidas (≈ 30 mL); uma escala de nível de até 4 onças (≈ 118 mL) e a capacidade total do copo é de 13 onças (≈ 380 mL).
Há também uma marca diferenciada que corresponde à posição exata do valor da constante.
Em outras palavras: Você pode beber pi onças (92.9079 ... ml) de sua bebida favorita com precisão total .

Luís I, o rei das ovelhas

Título: Louis I – King of the Sheep
Autor/Ilustrador – Olivier Tallec
Uma parábola ilustrada de como o poder nos transforma. 

Foi o que aconteceu à ovelha Luís quando, numa colina ventosa, uma rajada de vento levou até si uma coroa dando início assim a seu reinado como Luís I, rei das ovelhas.


Rapidamente Luís I foi adquirindo tiques e vícios de déspota, acabando por expulsar do "reino" todas as ovelhas que não se parecessem consigo.
Até que, por outro golpe do destino, uma nova rajada de vento retira a coroa da cabeça de Luís I, o rei das ovelhas, que voltou a ser a ovelha Luís novamente.

Um lembrete sutil de que estamos separados dos menos afortunados do que nós por pouco mais que probabilidades cósmicas imerecidas, mesmo que seja mais lisonjeiro acreditar no contrário.

15 março, 2019

Loucura coletiva

Os conceitos de "loucura coletiva" e "doença psicogênica maciça" são usados ​​para se referir a fenômenos não usuais que consistem na propagação de distúrbios de origem psicológica em múltiplos membros de comunidades humanas. Mais genericamente, tem-se falado de depressões ou transtornos de ansiedade de âmbito coletivo.
No entanto, este termo é normalmente usado para se referir a alterações caracterizadas por um tom delirante. Às vezes, o uso instrumental do conceito de loucura coletiva também é evidente a fim de desacreditar certos conjuntos de idéias e valores pessoais, como religiões e ideologias políticas.
A diferença entre esse conceito e o da histeria coletiva é ambígua, a julgar pela literatura disponível. Este último termo é usado de uma maneira particular para falar sobre delírios coletivos relacionados a ameaças, reais ou não; entretanto, os fenômenos da loucura coletiva que descreveremos foram descritos como histeria coletiva por alguns autores.
Atualmente, o grau de concordância da comunidade científica em torno desses conceitos é muito baixo. Para as dificuldades inerentes à análise dos fenômenos coletivos, há uma combinação de obscurecimento na definição de loucura coletiva e contaminação do conceito devido ao seu uso indiscriminado por especialistas e leigos.

Tanganica, 1962: Uma epidemia de risos e prantos

SEJA ESTE CARA

"As pessoas enlouquecem rapidamente e em bandos. Mas recuperam a lucidez lentamente e um a um." In: Sobre o sentimento de manada

O caminho para a sabedoria

Um grook ("gruk", em dinamarquês ) é uma forma de poema aforístico criada pelo poeta e cientista dinamarquês Piet Hein, que escreveu mais de 7000 deles, principalmente em dinamarquês e em inglês. Alguns acham que esse nome é uma fusão de grin ("risada") com suk ("suspiro"), mas Piet Hein disse que "sentiu que a palavra tinha saído do ar".
Os grooks ou gruks de Piet Hein começaram a aparecer no jornal "Politiken", sob a assinatura Kumbel Kumbell, pouco depois da ocupação nazista em abril de 1940. Foram concebidos como uma construção espiritual e uma forma ligeiramente codificada de resistência passiva. São multifacetados e caracterizados por ironia, paradoxo, brevidade, uso preciso da linguagem, ritmo e rima, e apresentam uma natureza muitas vezes satírica.

O CAMINHO PARA A SABEDORIA
- Piet Hein
Bem, é simples
e simples de expressar:
Errar
e errar
e errar de novo,
mas errar
e errar
e errar cada vez menos.

Divertir-se como simples diversão
e levar a sério a seriedade
mostram o quanto você
não tem discernimento para nenhuma delas.

Pode ser observado, de uma maneira geral,
que a vida seria melhor, claramente.
se mais pessoas com nada a dizer
pudessem dizê-lo sucintamente.

14 março, 2019

A beleza na matemática - 6

"Não importa quão correto possa parecer um teorema matemático, nunca se deve ficar satisfeito por não haver algo de imperfeito nisso até que ele também dê a impressão de ser bonito."
~ George Boole

A internet está repleta de questionários e pesquisas online para você votar. Em 1916, a BBC perguntou algo mais profundo a seus leitores matemáticos e físicos:


A equação de Dirac levou o bolo e as vice-campeãs foram a identidade de Euler e o Pi, lembra o Business Insider.


Dirac não deve ser confundido com Dirran, lembra o blog EM.

Série dos links naturais: {0, 1, 2, 3, 4, 5 ...}

Versos para Marielle


Na cara preta, a bala é sempre um ornamento previsível.

Entre as sobrancelhas, como uma pinta, uma marca de nascença.

Não é algo que faça a diferença. Algo que distinguiria.

Quem olha não nota. Toma como um traço comum da etnia.

A menos que o conjunto resulte inesperadamente belo. O teu caso. Não por acaso.

A bala e teus cabelos anelados. A bala e teu sorriso aberto. De repente, descoberto.

A bala e essa tua cor de pele. Meu deus! Que é da bala e esse brilho nos olhos teus?

É quase uma afronta à ordem pública. Impudica, tanto que fascina.

Quando passas, enchem-se as praças – portas as bandeiras da raça.

Para te ver, encerro mais cedo os trabalhos da Oficina.

Mas lembra, mulher, que correm maior perigo as belas. Às balas.

Dos homens que te desejam impotentes. E de outras mulheres, naturalmente.

É deles que a bala virá, como presente. Como uma homenagem insolente.

De mim, apenas alguns versos imprudentes.

o caso Marielle: 365 dias sem resposta; onde estão os mandantes?

Questão para gincana
Encontrar uma foto em que o capetão NÃO esteja fazendo o gesto da arminha.

13 março, 2019

Citações de Steven Wright

  • Eu mato por um Prêmio Nobel da Paz.
  • Peça dinheiro aos pessimistas: eles não esperam mesmo receber de volta.
  • Se você quer o arco-íris, aguente a chuva.
  • A depressão é apenas uma raiva sem entusiasmo.
  • Todos aqueles que acreditam em psicocinese levantem minha mão.
  • O trabalho duro é rentável no futuro; a preguiça compensa agora.
  • Eu quase tive uma namorada psíquica. Ela me deixou antes de nos conhecermos.
  • Eu pretendo viver para sempre. Por enquanto, tudo ok.
As citações são, a marca do dialogismo linguístico, feitas para sustentar uma hipótese, reforçar uma ideia ou ilustrar um raciocínio. Aproveitem.

Linhas de Nazca

Wikimedia Commons
As Linhas de Nazca são um conjunto de geóglifos antigos localizados no deserto de Nazca, no sul do Peru. Eles foram designados como um Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1994. O alto planalto árido se estende por mais de 80 km entre as cidades de Nazca e Palpa nos Pampas de Jumana, cerca de 400 km ao sul de Lima.
Estudiosos acreditam que essas linhas foram criados pela civilização de Nazca, entre 400 e 650 d.C. As centenas de figuras individuais variam em complexidade, a partir de simples linhas até beija-flores estilizados, aranhas, macacos (imagem ao lado), peixes, tubarões ou orcas, lhamas e lagartos.
As linhas que formam os desenhos são rasas e foram feitas no chão removendo as pedras avermelhadas (cascalhos revestidos por óxido de ferro) onipresentes na região e, com isso, deixando descoberto o chão esbranquiçado por baixo. O clima extremamente seco e sem vento da região de Nazca preservou-as.
Uma teoria é que o povo Nazca criou tais figuras para que pudessem ser vistos por seus deuses no céu. Outra é que estariam ligadas a rituais religiosos para a obtenção de água. Etc.

WIKIPÉDIA
https://twitter.com/i/moments/1006543067913048065
https://twitter.com/EntreMentes/status/1025338920752619520

12 março, 2019

O crítico de Homero

Zoilo (ca. 400 a.C. — 320 a.C.) foi um filósofo cínico de Anfípolis, na Macedônia Oriental, então conhecida como Trácia. No fim de sua vida, tomou o nome de "Homeromastix" ("chicoteador de Homero") por suas duras críticas ao poeta Homero, conforme nos relata Ovídio em "Remedium Amoris".
Usa-se este antropônimo para designar um "crítico invejoso, mordaz ou detrator".

"Os meus zoilos", de 1924, é o título de uma das obras do escritor baiano-cearense Rodolfo Teófilo.

"O invejoso se sente incompreendido, ele acha que o mundo lhe deve alguma coisa." ~ Alexandre Bez

Felicidade [vídeo]

Este curta-metragem, "Happiness", de Steve Cutts, parece resumir zilhões de pesquisas psicológicas sobre o tema. Está cheio de ratos, e exceto fugazmente, encontra-se desprovido de felicidade.



Felicidade [poesia] | Que é felicidade? | A felicidade é como balões | O segredo da felicidadePescando felicidadeUma receita de felicidade

11 março, 2019

Você sonhava em ser médico quando criança?

Lançada pela Estrela em 1985, a Ambulância do Dr. Saratudo obteve um enorme sucesso entre as crianças.
A grande sacada desse brinquedo é que ele podia virar um consultório médico ambulante. Bastava tirar a tampa lateral para a ambulância se transformar em um consultório completo, com direito a injeção, balão de oxigênio, maca, bota de gesso, termômetro, tesoura e aparelho de raio-x.
Vinha também com um paciente para receber os cuidados do Doutor Saratudo. Aí, era só correr pela casa com a ambulância em alta velocidade, simulando ter acontecido um acidente, e por fim prestar socorro ao paciente.

Nascido sob um signo ruim

Uma das consequências dos modelos cosmológicos de Copérnico, em 1543 (heliocentrismo), e Tycho, em 1588 (geoheliocentrismo), foi que os planetas internos, Mercúrio e Vênus, cruzariam ou transitariam, como dizem os astrônomos, na frente do Sol. Mas isso não ocorre em cada órbita, uma vez que as órbitas dos planetas são inclinadas em relação ao caminho aparente do Sol ao redor da Terra e que, por isso, tais trânsitos apenas são visíveis da Terra quando o planeta, a Terra e o Sol estão em posições propícias (alinhados). Para Vênus, isso ocorre em um padrão que se repete a cada 243 anos, com passagens aos pares separadas por oito anos.
Aqui entra o astrônomo francês Guilherme-Joseph-Hyacinthe-Jean-Baptiste Le Gentil de la Galazière (1725-1792). Ele foi escolhido pela Academia Francesa de Ciências para observar o trânsito de Vênus, em Pondicherry, na Índia. Ele navegou da França em 1760 e fez uma estada nas Maurícias, então conhecida como Ilha de França. Enquanto ele estava se preparando para navegar para Pondicherry, ele soube que esta tinha sido atacado e capturado pelos britânicos, então ele mudou seus planos e foi enviado em uma fragata francesa para Coromandel, apenas três meses antes do trânsito. No entanto, o capitão do navio ouvindo os desenvolvimentos da guerra com os britânicos voltou para as Maurícias, obrigando Le Gentil a observar o trânsito de Vênus a partir de um navio no mar e tornando suas observações cientificamente inúteis.
De volta às Maurícias, Le Gentil decidiu permanecer na Ásia por oito anos e observar o trânsito de 1769. Ele ocupou o tempo fazendo uma expedição para sua coleção de história natural do Oceano Índico. Em 1766, ele decidiu fazer suas observações em Manila, nas Filipinas, e partiu de navio para seu novo destino. Nas Filipinas, ele mudou de ideia novamente e decidiu voltar para Pondicherry. Sua decisão baseou-se em dois fatores: uma atitude hostil do governador espanhol das Filipinas e um pedido da Academia de Ciência em França para fazer suas observações na Índia.
Depois de várias aventuras pelo mar, chegou a tempo para o trânsito em Pondicherry. Ele foi tratado com respeito pelas autoridades britânicas que até lhe forneceram um novo telescópio de alta qualidade e ele montou seu equipamento para o excelente dia. Os dias que antecederam o trânsito foram perfeitos para observar, no entanto, no dia do trânsito, os céus foram cobertos por nuvens, fazendo todas as tentativas de observação impossíveis. O desapontamento de Le Gentil só se aprofundou ao descobrir que o tempo em Manila tinha sido perfeito para observar o trânsito.
Cansado, doente e desmoralizado, Le Gentil decidiu voltar para a França, chegando às Maurícias em 1770, muito doente para prosseguir a viagem. O infortúnio o levou à beira da insanidade mas, no final do ano, ele se recuperou para navegar para a França. Um furacão no Cabo da Boa Esperança obrigou seu navio a retornar para as Maurícias, onde ele aportou em 1771.
Le Gentil teve dificuldades em encontrar outro navio preparado para levá-lo de volta à Europa. Finalmente, um capitão espanhol concordou em levá-lo e, depois de mais aventuras marítimas, ele chegou a Cádiz, de onde passou por terra para a França, atravessando os Pirineus e chegando a Paris no dia 8 de outubro de 1771.
Durante sua ausência, Le Gentil foi presumido morto e seus herdeiros e credores já haviam dividido suas propriedades, e a Academia de Ciências havia atribuído sua posição a outra pessoa. Com a ajuda do rei, Le Gentil conseguiu recuperá-la. e, mais adiante, casou-se e teve uma filha para confortá-lo na velhice. O seu último desapontamento foi a perda de seus espécimes de história natural que haviam desaparecido no navio que o havia levado de volta às Maurícias por causa da tempestade, em sua primeira tentativa de voltar para casa. Se alguma vez um astrônomo nasceu sob um signo ruim, ele foi Guillaume Joseph Hyacinthe Jean-Baptiste Le Gentil de la Galaisière.

Extraído de: Born under a bad sign, The Renaissance Mathemticus
http://www.astronomy.ohio-state.edu/~pogge/Ast161/Unit4/venussun.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Guillaume_Le_Gentil
https://pt.wikipedia.org/wiki/Tr%C3%A2nsito_de_V%C3%AAnus

10 março, 2019

Googlewhack

Quando você digita duas palavras no Google (sem aspas, tem que ser palavras reais) e apenas UM resultado aparece. É muito mais difícil de ser encontrado do que possa parecer. Mas, insistindo muito, você encontrará um, eventualmente. Na ocasião, faça um print da página de buscas do Google para não passar por mentiroso. Googlewhacks são de curta duração. "Ursos iridiscentes" (que já foi um) tem hoje mais de 40 mil resultados.
Exemplo:
Bem, se eu desse um exemplo de um googlewhack, ele seria adicionado a este site e não seria mais um googlewhack, seria?

O Piquenique dos Abutres

Para seu trabalho de 2009, "In Ictu Oculi" (Em um piscar de olhos), a artista Greta Alfaro pôs uma mesa do lado de fora, na vila espanhola de Fitero, e filmou um convescote entre 40 abutres.
"Não foi fácil fazê-los chegar à mesa" , disse ela ao Instituto Translocal de Arte Contemporânea. "Eu tive que esperar por uma semana, arrumando a mesa todas as manhãs e desarmando-a ao anoitecer. Os abutres têm uma visão extraordinária, e se um deles perceber que há comida, ele fará círculos no ar para que os outros saibam. Eles se aproximavam da cena todos os dias, mas minha presença ou a presença da mesa impediam que eles se aproximassem".

"Acho que foi importante para refletir sobre a impermanência de quase tudo e sobre o fato de que a vida não pode ser controlada", concluiu Greta.
 Vulture Picnic, Futility Closet

Arquivo: Urubu malandro e os abutres em geral

09 março, 2019

Um ponto cego em nossa cultura

Se você perguntar a um bêbado qual número é maior, 2/3 ou 3/5, ele não será capaz de lhe dizer.
Mas se você reformular a pergunta:
O que é melhor, 2 garrafas de vodca para 3 pessoas ou 3 garrafas de vodca para 5 pessoas, ele dirá imediatamente: 2 garrafas para 3 pessoas, é claro.
Israel Gelfand

Considere este paradoxo: por um lado, a matemática é tecida no próprio tecido de nossas vidas diárias. Toda vez que fazemos uma compra on-line, enviamos uma mensagem de texto, fazemos uma pesquisa na Internet ou usamos um dispositivo GPS, fórmulas matemáticas e algoritmos estão em jogo. Por outro lado, a maioria das pessoas se sente intimidada pela matemática. Tornou-se, nas palavras do poeta Hans Magnus Enzensberger, "um ponto cego em nossa cultura  território estrangeiro, no qual apenas a elite, uns poucos iniciados conseguiram se entrincheirar". É raro, diz ele, que uma pessoa afirme veementemente que o ato de ler um romance, ou de olhar para uma foto, ou de ver um filme lhe cause um tormento insuportável. Mas, pessoas sensatas e educadas costumam dizer, com uma notável mistura de desafio e orgulho, que matemática é "pura tortura" ou "um pesadelo que as aniquila".
Edward Frenkel, no prefácio do seu livro Love and Math

Bônus: Amor com matemática

A campanha da roupa amassada

De acordo com a campanha PASSAR ROUPA É INÚTIL, que circulou no Twitter, usar a roupa SEM passar traz pelo menos duas vantagens:
ganhar tempo
economizar energia.
Não perder a peça de roupa nas mãos de uma engomadeira pouco experiente seria a terceira vantagem, acrescento.

https://twitter.com/mizanzika

Como era antes: Ednardo - Enquanto engoma a calça

Seja lá como for, vai ser necessário enxugá-la, concordam? Pois não é que os brasileiros descobriram uma nova maneira de secar a calça:


08 março, 2019

Chapéu violeta

Aos 3 anos: Ela olha para si mesma e vê uma rainha.

Aos 8 anos: Ela olha para si e vê Cinderela.

Aos 15 anos: Ela olha e vê uma freira horrorosa.

Aos 20 anos: Ela olha e se vê muito gorda, muito magra, muito alta, muito baixa, muito liso, muito encaracolado, decide sair mas vai sofrendo.

Aos 30 anos: Ela olha pra si mesma e se vê muito gorda, muito magra, muito alta, muito baixa, muito liso, muito encaracolado, mas decide que agora não tem tempo para consertar, então vai sair assim mesmo.

Aos 40 anos: Ela se olha e se vê muito gorda, muito magra, muito alta, muito baixa, muito liso, muito encaracolado, mas diz: pelo menos eu sou uma boa pessoa e sai mesmo assim.

Aos 50 anos: Ela olha pra si mesma e se vê como é. Sai e vai pra onde ela bem entende.

Aos 60 anos: Ela se olha e lembra de todas as pessoas que não podem mais se olhar no espelho. Sai de casa e conquista o mundo.

Aos 70 anos: Ela olha para si e vê sabedoria, risos, habilidades, sai para o mundo e aproveita a vida.

Aos 80 anos: Ela não se incomoda mais em se olhar. Põe simplesmente um chapéu violeta e vai se divertir com o mundo.

Talvez devêssemos pegar aquele chapéu violeta mais cedo.

Circula como sendo de Mario Quintana e, às vezes, de "Autor Desconhecido". Talvez seja de Erma Bombeck (Age 3: Looks at herself and sees a Queen! Age 8: Looks at herself and sees herself as Cinderella/Sleeping Beauty. Age 15: Looks at herself and sees herself as Cinderella/Sleeping Beauty/Cheerleader.). Em três livros que publicam este texto, "The Time of Your Life: Getting on With Getting On" de John Burningham, "Inventing the Rest of Our Lives: Women in Second Adulthood" de Suzanne Braun Levine e "Internet Joke Book - Volume Three", de Keith Evans, os créditos não são atribuídos. "O problema com os textos na internet é a dificuldade para a gente identificar o autor." ~ Abraham Lincoln (fonte: internet)

A virtude da desobediência

Arte por Tamara de Lempicka
Avrai da batterti per spiegare
che il peccato non nacque il giorno
in cui Eva colse la mela:
quel giorno nacque
una splendida virtù
chiamata disubbidienza.
Oriana Falacci

Tradução - Você terá que lutar para explicar que o pecado não nasceu no dia em que Eva tomou a maçã: nesse dia nasceu uma virtude esplêndida chamada desobediência.

Oriana Fallaci (1929-2006), em sua juventude, durante a Segunda Guerra Mundial, ela se juntou ao movimento italiano de resistência antifascista, Giustizia e Libertà, parte da Resistenza. Mais tarde, ela recebeu um certificado de valor do exército italiano. Em uma coleção retrospectiva de 1976 de seus trabalhos, ela observou que:

"Quer venha de um soberano despótico ou de um presidente eleito, de um general assassino ou de um líder amado, vejo o poder como um fenômeno desumano e odioso ... Sempre procurei a desobediência ao opressor como a única maneira de usar o milagre de ter nascido."

07 março, 2019

Que é favicon?

Um favicon, ou ícone favorito, é um pequeno ícone usado para ajudar a identificar visualmente um website em um navegador. Você o vê com mais frequência na guia (aba) do navegador, no histórico da sua navegação e nos agregadores de feeds.
É possível personalizar o favicon para o site. No Youtube há um tutorial que ensina como fazê-lo.

O Blog EM mantém o ícone padrão do Blogger.

O mito da Chuva de Ouro

Dânae foi, segundo a mitologia grega, filha de Acrísio, rei de Argos.
Desapontado por não ter herdeiros masculinos, Acrísio procura um oráculo, o qual lhe respondeu que o rei um dia seria morto por seu neto, filho de Dânae.
A princesa era ainda virgem e, para que jamais tivesse um filho, o rei aprisionou-a em uma torre de bronze, que manteve constantemente vigiada por seus guardas mais fiéis. Pretendia, assim, evitar que ela lhe desse um herdeiro, seu futuro assassino.
Apesar de todos esses cuidados, Zeus, tomado de amores pela jovem e bela princesa, transmuta-se numa chuva de ouro (#goldenshower), e penetra no edifício por um orifício no teto deste, caindo sobre o colo de Dânae, engravidando-a.
Imagem: A fecundação de Dânae (Mabuse, 1527)
Para alguns autores, esta forma alegórica subentende que o deus havia em verdade subornado regiamente aos vigias, a fim de entrar no claustro em que Dânae estava presa.
Assim (eu não me sinto confortável em dizer) foi gerado Perseu. Tomando ciência do ocorrido, ordenou Acrísio que fossem, mãe e filho, lançados ao mar, dentro de um baú de madeira. A solução encontrada para que não atraísse contra si a ira de Zeus, por haver matado Dânae e Perseu: as águas, supostamente, matá-los-iam.
Mas o destino não favoreceu Acrísio. A pedido de Zeus, Poseidon acalmou os mares, e ambos sobreviveram. Levados pelas correntes até a ilha de Sérifo, foram encontrados por pescadores que então os levaram até o monarca local, Polidectes.
Acolhidos por Dictis, irmão do soberano, este educa a criança. O rei acaba apaixonando-se por Dânae. Após alguns anos, pretende desposá-la mas, temendo que o jovem filho se opusesse, ordena-lhe que vá enfrentar a terrível Medusa, esperando que este fracassasse, morrendo. Medusa petrificava todos aqueles atingidos por seu olhar, mas o jovem herói consegue realizar seu intento e, na volta, jogos atléticos comemorativos são realizados.
Ali, na plateia, está presente o rei Acrísio. Este é alvejado por um dardo (ou disco, nalgumas versões) lançado por Perseu, cumprindo assim a profecia.
Fonte: WIKI

06 março, 2019

Galáxia do Redemoinho

O que mais tarde ficou conhecido como a Galáxia do Redemoinho foi descoberto em 13 de outubro de 1773 por Charles Messier enquanto caçava objetos que poderiam confundir caçadores de cometas, e foi designado no catálogo de Messier como M51.
* David Dickinson @Astroguyz

Esboço de M51, por Lord Rosse em 1845

Slideshow O UNIVERSO
Uma história de bilhões de anos com algumas fantasias de permeio.

Auri sacra fames

O Dr. Freud relata que existem razões peculiares profundas em nosso subconsciente, porque o ouro, em particular, deve satisfazer instintos fortes e servir como um símbolo. As propriedades mágicas, com as quais o sacerdócio egípcio antigamente impregnava o metal amarelo, ele nunca as perdeu de todo. No entanto, enquanto o ouro como reserva de valor sempre teve patronos dedicados, é, como o único padrão de poder de compra, quase um parvenu. Em 1914, o ouro ocupara essa posição na Grã-Bretanha de jure em menos de cem anos (embora de fato por mais de duzentos), e na maioria dos outros países com menos de sessenta. Pois, exceto durante breves intervalos, o ouro tem sido escasso demais para atender às necessidades do principal meio de moeda do mundo. O ouro é, e sempre foi, uma mercadoria extraordinariamente escassa. Um transatlântico moderno poderia transportar através do Atlântico, em uma única viagem, todo o ouro que foi dragado ou extraído em sete mil anos. Em intervalos de quinhentos ou mil anos, uma nova fonte de suprimento foi descoberta - a segunda metade do século XIX foi uma dessas épocas - e uma abundância temporária se seguiu. Mas, como regra geral, em geral, não houve o suficiente.


Auri sacra fames (latim) = Maldita fome de ouro. Expressão pela qual Virgílio condena a ambição desmedida.

Texto extraído de "Ensaios em Persuasão", por John Maynard Keynes. Publicado pela primeira vez em "A Treatise on Money" (setembro de 1930). https://en.wikisource.org/wiki/Essays_in_Persuasion/Auri_Sacra_Fames
Reprodução de gravura a água forte de Mitelli Giuseppe Maria (Bolonha 1634-1718). https://collezioni.genusbononiae.it/products/dettaglio/7437

Poderá também gostar de ler: Isso é ouro

05 março, 2019

A Canção da Batata

por Cheryl Wheeler


They're red, they're white, they're brown
They get that way underground
There can't be much to do
So now they have blue ones too.

We don't care what they look like, we'll eat them
Any way they can fit on our plate
Any way we can conjure to heat them
We're delighted to think they're just great.

Sometimes you ditch the skin
To eat what it's holding in
Sometimes you'd rather, please,
Have just the outside with cheese.

They have eyes but they do not have faces
I don't know if their feeling get hurt
By just hanging around in dark places
Where they only can stare at the dirt.
Elas são vermelhas, são brancas, são marrons
Elas ficam assim no subterrâneo
Não pode haver muito o que fazer
Então, agora, há as azuis também.

Nós não ligamos como elas parecem, vamos comê-las
De qualquer forma elas podem caber em nosso prato
De qualquer forma podemos conjurar para esquentá-las
Estamos felizes em pensar que elas são ótimas.

Às vezes você deixa a pele
Para comer o que está segurando
Às vezes você prefere, por favor,
Ter apenas o exterior com queijo.

Elas têm olhos, mas não têm rostos
Eu não sei se seus sentimentos se machucam
Por apenas andar em lugares escuros
Onde eles só podem olhar para a sujeira.

Uma casa feita de espigas de milho

Um agricultor chinês dedicou vários meses de sua vida para construir uma casa com 30.000 espigas de milho. Ele contou com a ajuda de 14 voluntários para completar a mais intrigante das moradias, projetada e construída para chamar a atenção mundial para a região.
É só o mio, como diria Fu Manchu.

https://youtu.be/OB1OvHzNFaI

04 março, 2019

Os Caçadores de Mitos

MythBusters (Os Caçadores de Mitos) é um programa de ciência popular da televisão que foi ao ar no Discovery Channel de 2003 a 2016. É estrelado pelos especialistas de efeitos especiais Adam Savage e Jamie Hyneman, que usam seus conhecimentos para testar a validade de vários rumores e lendas urbanas. Outras coprotagonistas também apareceram nas várias temporadas da série e foram apelidados de "Build Team".


Os Caçadores de Mitos testaram mais de 1.000 mitos distintos em 271 episódios, abrangendo 14 anos, resultando em uma vasta quantidade de informações sobre mitos comuns e fenômenos interessantes.
A página a seguir resume por categorias os resultados de de todos os episódios que foram ao ar.