31 dezembro, 2021

"Réveillon", Ano-novo, por aí...

Chegou a virada do ano e, com ela, o problema de como escrever "réveillon"
O réveillon é um longo jantar realizado à noite que antecede o dia de Natal e o dia de Ano-novo. Seu nome deriva da palavra réveil (que significa "acordar"), porque envolve o participante ficar acordado até pelo menos meia-noite.
O termo foi documentado pela primeira vez na França do século XVIII. Referia-se aos jantares noturnos das festas realizados pela nobreza.
Existem certas diferenças tradicionais de caráter entre os réveillons de Natal e Ano-novo. No Natal, é tradicionalmente uma ocasião cristã, celebrada dentro da família, e esse caráter familiar é mantido mesmo entre os que não creem. Na véspera de Ano-novo ou dia São Silvestre, o réveillon é geralmente uma festa com amigos..
A prática é observada na França, Bélgica, nas províncias canadenses de Quebec, Manitoba, Ontário e New Brunswick e outros lugares de língua francesa pelo mundo. Nos Estados Unidos, a tradição do réveillon de Natal também é observada em Nova Orleans devido à forte herança francesa-crioula da cidade, com vários restaurantes da cidade oferecendo menus especiais de réveillon na véspera de Natal.
Nos países de língua portuguesa, como o Brasil, é a designação para a festa que antecede o dia de Ano-novo: a virada do ano.
http://bitsandpieces.us/2019/12/31/new-years-eve-3/ CARTOON

Feliz ano novo OU Feliz Ano Novo?
PERGUNTA: Feliz ano novo OU Feliz Ano Novo?
RESPOSTA: Depende do que se quer desejar! √
A. Se falarmos das festividades do 1.º dia do ano, usamos MAIÚSCULA:
Bom Ano Novo! (No Brasil: Ano-Novo)
B. Se nos referirmos ao ano inteiro, contrastando com o "ano velho", usamos minúscula:
Feliz ano novo! (= Feliz 2022)!
Feliz Ano Novo/ano novo para todos os meus amigos, ex-alunos e telealunos. Uma palavra especial de conforto carinho para todos os que perderam este ano familiares muito próximos, como pai, mãe ou irmãos.
Abraços e beijos
do ProfAP (Professor António Pereira)
http://portuguesemforma.blogspot.com/2020/12/feliz-ano-novo-ou-feliz-ano-novo.html

Pensamento do dia
Tá uma mistura de fim de ano com fim de mundo. Nem sei que roupa vou usar.
(anônimo)

30 dezembro, 2021

Ágata uva

É um nome de marketing para agregados de cristais de quartzo com o formato aredondado. Este material (foto) é encontrado na área de Mamuju, perto da costa oeste de Sulawesi, uma ilha da Indonésia.
A ágata uva entrou no mercado de minerais em 2016. E sua popularidade se espalhou rapidamente em exposições de minerais, lojas de gemas, sites relacionados e mercados online.
As "uvas" desses espécimes são pequenas, variando entre dois e oito milímetros de diâmetro. Embora o roxo seja a melhor cor para justificar o nome de "uva", alguns exemplares possuem "uvas" que são brancas, cinzas, verdes ou azuis.


Uva, sim. Ágata, talvez não
Por causa de sua cor mais frequente e de que se dispõe em cachos, não há argumentos contra o nome "uva". Quanto ao uso da palavra "ágata", por apresentar erros de nomenclatura mineralógica, atrai objeções.
Ametista botrioide
O nome "ametista" honraria com precisão suas características mineralógicas e o adjetivo "botrioide" descreveria sua aparência em cacho de uvas. De onde se conclui que "ametista botrioide" é o nome tecnicamente correto para designá-la, apesar de não ser tão divertido quanto "ágata uva".

Fonte: http://geology.com/gemstones/agate/

29 dezembro, 2021

O plágio de nossa bandeira. Conclusão

A atual bandeira da Líbia (imagem acima) foi escolhida pelo grupo opositor que depôs o coronel Muammar al-Gaddafi, em agosto de 2011.

As três faixas horizontais representam três regiões marcantes da Líbia: Fezã (vermelha), Cirenaica (preta) e Tripolitânia (verde).

Quanto à lua crescente e à estrela de cinco pontas, foram incluídas no novo estandarte líbio com a suposta intenção de amealhar votos positivos no Quora.

Acho que, de alguma forma, repercutiu a denúncia que fiz em abril de 2010, acusando-os de que eles planejavam copiar gradativamente a bandeira do Brasil (rsrsrs).

O plágio de nossa bandeira

28 dezembro, 2021

27 dezembro, 2021

Uma receita portuguesa


FOLHAPRESS - A receita ensinada por Rodrigo Hilbert no programa "É de Casa", da Globo, na manhã deste sábado (25/12/2021), foi uma "punheta de bacalhau".
Os fãs não deixaram o nome do prato passar batido e o assunto rendeu piadas no Twitter.
Como de costume, o marido da atriz Fernanda Lima, que é ator, modelo, apresentador e conhecido na internet por ser um homem multitarefas, acompanhou o preparo da comida típica portuguesa.
Anfitrião deste episódio, Armando, que é de uma família portuguesa do bairro da Penha, na zona norte do Rio, explicou que o nome do prato faz referência ao modo como é preparado, que usa os dois punhos para desfiar o bacalhau.

26 dezembro, 2021

Os telescópios espaciais Hubble e Webb

Foi lançado ontem, 25, às 9h20 (hora de Brasília), dentro do compartimento de carga de um foguete Ariane 5, que decolou de base espacial na Guiana Francesa em direção ao espaço, o supertelescópio James Webb. Aguardam-se, para os próximos anos, grandes avanços na astronomia e no conhecimento da origem do universo. Conseguindo ver o cosmos no espectro vermelho, isso permitirá que o James Webb enxergue através das imensas nuvens de gás e poeira, nas quais as estrelas estão nascendo.

Neste vídeo, são comparados os poderes dos telescópios Hubble e James Webb, que trabalharão juntos pela ciência apesar de distantes.

Hubble enxerga as crianças; Webb enxerga os bebês.

25 dezembro, 2021

E se os Três Reis Magos fossem mulheres?


O que teria acontecido?
Elas teriam pedido informaçao pelo caminho,
chegado na hora certa,
ajudado com o bebê,
limpado o estábulo,
trazido presentes práticos,
deixado uma caçarolada de petiscos e
haveria paz na Terra.
Mas o que elas teriam dito depois que partiram?
"Você viu as sandálias que Maria estava usando com aquele vestido?"
"Aquele bebê não se parece em nada com José!"
"Dá para acreditar que eles deixaram todos aqueles animais nojentos entrarem em casa?"
"Ouvi dizer que José nem está trabalhando mais!"
"E aquele burro que eles costumam montar, também já viu dias melhores!"
"Quer apostar em quanto tempo vai demorar até você pegar sua caçarola de volta?"
[Fonte desconhecida]
https://www.bitsandpieces.us/2021/12/14/if-the-wise-men-had-been-women/

24 dezembro, 2021

A Trégua de Natal de 1914

Uma história animadora no meio da humanidade em guerra
Em dezembro de 1914, uma série de cessar-fogo não oficial e popular tomou conta da Frente Ocidental no calor da Primeira Guerra Mundial. No Natal, soldados de cerca de 100 mil soldados britânicos e alemães começaram a trocar saudações e cantar músicas nas trincheiras, alguns até se aproximaram de seus oponentes carregando presentes.
O acontecimento tornou-se uma das demonstrações mais emocionantes da humanidade na história dos conflitos humanos e foi apelidado de Trégua de Natal.


Descrição da Trégua de Natal de 1914 pelo artista AC Michael, originalmente publicada no Illustrated London News em 9 de janeiro de 1915, com a legenda "Soldados britânicos e alemães trocando capacetes: uma trégua de Natal entre trincheiras opostas."

Sobre soldados russos e alemães unindo armas para caçar lobos furiosos
A "Trégua do Lobo" foi apenas isso: uma história.

23 dezembro, 2021

Ambigrama - 3 (Feliz Natal)


Que é ambigrama?
É uma palavra escrita de uma maneira tal que, ao ser invertida por um giro ou uma reflexão, permanece inalterada ou revela uma nova palavra.

Ambigrama - 3 português-português
Ambigrama - 2 inglês-inglês
Ambigrama - 1 português-inglês

22 dezembro, 2021

Por que LGBTQIA+ é uma senha forte (segura)

- tem oito caracteres
- combina letras com um caractere especial
- não repete letras
- fácil de lembrar
- cresce por aglutinação

21 dezembro, 2021

Correlações espúrias - 2

Para assegurar a credibilidade de sua Fake News e divertir leitores com bons conhecimentos de Estatística Básica
Tomei conhecimento dessas doideiras com o genial Professor de Hidráulica e Engenharia Costeira Victor Freire Mota no IPH UFRGS que sempre insistia em desconfiar da veracidade causal dos dados e que contava a história de uma elegante curva gerada pela quantidade de patos cruzando a rodovia ERS118 e saindo ilesos e o número de beberrões em atividade às 18h no Bolicho do Gringo.
Em tempo: bolicho é bodega e gringo, descendente de italiano.

Oração do verão

🙏"Você voou hoje para a casa errada, cara."

✋Plaft! Ele mata o mosquito.

Vídeo: Vamos matar todos os mosquitos!

20 dezembro, 2021

O puxa-saco (2)

(Bom para 20 de dezembro, que é quando se comemora o dia da categoria.)
"Todo adulador vive à custa de quem o escuta." ~ La Fontaine
Cada frase desta nobre e vil criatura "é composta de um sujeito, um predicado e um cumprimento", observou Georges Clemenceau
Dante Alighieri colocou os aduladores no oitavo circulo do inferno, junto aos semeadores de discórdia, dos corruptos e dos hipócritas.
Estão no fundo de uma vala, imersos em fezes.

"Deixe-me limpar suas caspas, chefinho."

Cuidado. Ele te alimenta com uma colher vazia.
No livro "Você é o Máximo – A História do Puxa-saquismo", Richard Stengel, ex-editor da Time, escreve que Plutarco dava uma dica para se proteger dos sicofantas.
"Mude suas ideias abruptamente e observe: o bajulador o seguirá."
O puxa-saco (1)

19 dezembro, 2021

Xingando em catalão

Comentário feito em 22/10/2021 por "andromio" (Manel, no YouTube) em Xingando em nagô:

Ah, que maravilhosa canção!
Vocè explicou muito bem o significado da letra, o qual eu desconhecia.
Agradeço. Parabéns pelo blog.
PS.
Link para acessar onde eu canto este tema numa versão em catalão:
http://www.youtube.com/watch?v=LjIlbI8J858




No YouTube há também um videoclipe com a dupla Milli Vanilli cantando (força de expressão) em espanhol: Ni tongos ni milongues que jo votaré.

Milli Vanilli foi uma dupla de reggae e dance music formada em 1988, cujos integrantes eram o francês Fabrice "Fab" Morvan e o germano-americano Robert "Rob" Pilatus. O álbum de estreia da dupla alcançou altas vendas internacionalmente e os premiou com um Grammy de Melhor Artista Estreante em 1990. Entretanto, a carreira deles revelou-se uma fraude, tendo sido o prêmio revogado depois da revelação de que os supostos cantores não cantavam no disco. Wikipedia




A partir da década de 1970, restaurantes com o nome (parcial ou completo) do título desta canção de Toquinho e Vinicius foram abertos no Brasil. Como o "Kabuletê", na Praia do Futuro, em Fortaleza, a "Pizzaria Tonga da Mironga do Kabulete", em Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, e o "Tonga da Mironga do Kabuletê", em Boa Vista, Roraima.
No "Recanto das Letras", lê-se também um cordel inspirado no tema.
Ao lado: "Vininha"

18 dezembro, 2021

Karina Oliani, médica e aventureira ao extremo

Opção VÍDEO

8 de março de 2021 (New York, NY): O Guinness World Records (GWR) celebra o Dia Internacional da Mulher ao revelar a conquista do título oficial da mais longa travessia em tirolesa sobre um lago de lava (100,58 m) por Karina Oliani, em Erta Ale, Afar, Etiópia.
Para homenagear Oliani (foto), o Guinness World Records a surpreendeu em São Paulo, com um certificado oficial dias antes do Dia Internacional da Mulher. A atleta aventureira, apresentadora, e médica especialista em medicina de emergência e resgate em áreas remotas, atravessou o vulcão Erta Ale, um dos raros vulcões do mundo que possui um lago de lava.
As paixões de Oliani sempre a levaram a explorar aventuras pelo mundo, fazendo inúmeras expedições no mar, nas montanhas, na selva e no deserto, incluindo duas escaladas do Everest (pela face sul em 2013, face norte em 2017), e uma subida do K2 em 2019. Em 2020, Oliani produziu e apresentou uma série do Canal Discovery chamada "Protetores da Floresta", com o objetivo de ampliar a conscientização sobre a preservação ambiental, principalmente da Floresta Amazônica.
É por meio dessas aventuras, que ela se conecta com o meio ambiente para realmente entender e sentir o poder da natureza.

Para ler mais sobre esta e outras histórias, visite
http://www.guinnessworldrecords.com.br/news

17 dezembro, 2021

PARKER NO ELENCO DE UM LUGAR AO SOL

Imagem: consórcio The Sun / EntreMentes

Cullinan, o diamante que deu origem a 9 gemas e 96 brilhantes

Em 1905, na África, um diamante bruto foi encontrado por Frederick Wells, a nove metros de profundidade, na parede da mina, pesando cerca de 612g. Ele é considerado o maior diamante bruto já encontrado (3.106 quilates) e foi batizado de Cullinan, em homenagem ao dono da mina onde foi achado, Thomas Cullinan.
A história conta que, quando Wells foi levar a gema para a pesagem, o inspetor achou a pedra grande demais para um diamante e a jogou pela janela. Wells, descrente com o julgamento do inspetor, recuperou a pedra. Mais tarde ela foi pesada e autenticada como diamante.
Este diamante foi dado como presente ao rei inglês Edward VII, em seu aniversário de 66 anos, pelo governo de Transvaal, local da mina de Cullinan, em 1907.
Em seguida, a realeza entregou o diamante ao famoso lapidador Joseph Asscher, da Asscher Brothers. Naquela época, a tecnologia não era tão avançada como nos tempos atuais. Clivar um diamante era um trabalho extremamente difícil e arriscado, já que uma batida fora do lugar poderia arruinar com a pedra (para mais informações sobre o que é clivagem, clique aqui). Assim, Asscher tinha uma enorme responsabilidade nas mãos.
A primeira grande missão era clivar o diamante. Era necessário bater em um ponto exato do Cullinan para dividi-lo em três pedras menores. Sob enorme pressão e sem chances para erro, Asscher estudou o diamante durante meses.
Em fevereiro de 1908, ele estava preparado. Foi reunido um público para assistir Joseph Asscher clivar o enorme diamante. Em sua primeira tentativa, a lâmina da faca se partiu e o diamante continuou intacto. Ele, então, dispensou o público e voltou ao trabalho, para criar ferramentas maiores e mais robustas.


Na semana seguinte, com suas novas ferramentas e sem público, Asscher seguiu para sua segunda tentativa. Conta uma lenda urbana que ele desmaiou assim que desferiu o golpe sobre o diamante, que se partiu (clivou) perfeitamente.
O Cullinan foi dividido em três grandes partes. Cada dia, durante os oito meses seguintes, lapidadores trabalharam com os pedaços resultantes do golpe de Asscher. Os três pedaços deram origem a nove gemas (Cullinan I ao Cullinan IX) e a noventa e seis pequenos brilhantes.

Leia mais...

16 dezembro, 2021

A ciência do familiar

A "ciência do familiar" sempre atrai o interesse público. Isso aconteceu em 1861, quando Michael Faraday, o descobridor da eletricidade, deu palestras populares sobre "A História Química de uma Vela" para audiências lotadas da sociedade londrina. Isso acontece hoje. Meu colega Peter Barham invariavelmente tem a casa cheia para sua palestra sobre "A Física do Sorvete", com experimentos durante a palestra e uma degustação a seguir.
Como alguém que usa a ciência subjacente a objetos e atividades comuns para tornar a ciência mais acessível ao público, fiquei feliz em experimentar "The Physics of Biscuit Dunking". Parecia que havia uma boa chance de produzir uma pesquisa alegre que mostrasse como a ciência realmente funciona, bem como de produzir alguma publicidade na mídia em nome da ciência e dos anunciantes.
Os anunciantes tinham seus próprios preconceitos sobre como a ciência funciona. Eles queriam nada menos do que uma "descoberta"que atrairia as manchetes dos jornais.
Anunciantes e jornalistas não são os únicos que veem a ciência em termos de "descobertas". Até mesmo alguns cientistas o fazem. Pouco depois que a Royal Society foi fundada em 1660, Robert Hooke foi nomeado "curador de experimentos" e encarregado de fazer "três ou quatro experimentos consideráveis" (ou seja, descobertas) a cada semana e demonstrá-los aos membros da Sociedade.
Dada essa pressão, não é de admirar que Hooke tenha sido de temperamento irritável, com cabelos caindo em mechas desgrenhadas sobre seu semblante abatido. Na verdade, ele fez muitas descobertas, originando muito, mas pouco aperfeiçoando. Tive de dizer aos anunciantes que Hooke pode ter conseguido, mas não consegui. A ciência geralmente não funciona assim.
Os cientistas não pretendem fazer descobertas; eles se propuseram a descobrir histórias. As histórias são sobre como as coisas funcionam. Às vezes, a história pode resultar em um conhecimento totalmente novo ou em uma nova maneira de ver a natureza das coisas. Mas não frequentemente. Achei que, com a ajuda dos meus amigos e colegas da física e da ciência alimentar, haveria uma boa chance de descobrir uma história sobre a imersão de biscoitos, mas dificilmente resultaria em uma "descoberta". Para seu crédito, os anunciantes aceitaram meu raciocínio e começamos a trabalhar.
A primeira pergunta que fizemos foi "Como é um biscoito do ponto de vista do físico?" É uma pergunta típica de um cientista, que deve ser lida como "Como podemos simplificar este problema para que possamos respondê-lo?" A abordagem às vezes pode ser levada a extremos, como aconteceu com o famoso físico a quem foi pedido que calculasse a velocidade máxima possível de um cavalo de corrida. Sua resposta, de acordo com a lenda, foi que ele poderia fazer isso, mas somente se ele pudesse assumir que o cavalo era esférico.
A maioria dos cientistas não chega a tanto para reduzir problemas complicados a formas solucionáveis, mas todos nós fazemos isso de alguma forma - o mundo é muito complicado para entender tudo de uma vez. Os críticos nos chamam de reducionistas, mas, não importa como nos chamem, o método funciona. Crick e Watson, descobridores da estrutura do DNA, não encontraram a estrutura olhando para as complicadas células vivas cujo destino o DNA impulsiona. Em vez disso, eles retiraram todas as proteínas e outras moléculas que constituem a vida e olharam apenas para o DNA. Nos cinquenta anos seguintes, os biólogos colocaram gradualmente as proteínas de volta para descobrir como as células reais usam a estrutura do DNA, mas eles não saberiam o que era essa estrutura se não fosse pela abordagem reducionista original.
Decidimos ser reducionistas em relação aos biscoitos, tentando entender sua resposta ao mergulho em termos físicos simples e deixando as complicações para depois.

15 dezembro, 2021

Dyson's (a concha e o número)

"A vida e a mente foram construídas dentro da estrutura do universo. Não surgiram por acaso; são inerentes à maneira como o universo evoluiu." (FJD)

Freeman Dyson (15 de dezembro de 1923 - 28 de fevereiro de 2020), físico e educador americano nascido na Inglaterra, mais conhecido por seu trabalho especulativo sobre civilizações extraterrestres. Como um cientista imaginativo, ele propôs que uma civilização tecnológica altamente avançada cercaria completamente sua "estrela hospedeira" com uma enorme concha (ou esfera) para capturar 100% da energia radiante útil. Esta "concha de Dyson" seria um gigantesco aglomerado de planetoides artificiais ("nuvem Dyson") com bilhões de bilhões de habitantes que fariam uso da energia capturada pela concha Dyson. Ele também fez a intrigante especulação de que uma concha de Dyson vista de outras galáxias teria uma luz altamente distinta e não natural. Ele sugeria que os astrônomos procurem por estrelas coloridas reveladoras, o que deve significar vida inteligente e civilização avançada.
http://pballew.blogspot.com/2021/02/on-this-day-in-math-february-28.html#links


Renderização 3D de uma esfera de Dyson utilizando grandes painéis orbitais.

Há uma bela história sobre o incrível poder de cálculo de Dyson, no blog Math Frolic, postado por "Shecky Riemann":
Freeman Dyson sentado ao redor de uma mesa com um grupo de cientistas, onde surge esta pergunta:
Há um número inteiro que, movendo o último dígito para a frente (digamos 1234 para 4123), você pode chegar a um resultado tal que o novo número inteiro seja exatamente o dobro o valor do inteiro original?
Em questão de segundos, Dyson responde para um grupo atordoado:
"Oh, isso não é difícil, mas é claro que o menor desses números tem 18 dígitos."
E, ele estava certo! Se você não quiser rastreá-lo por conta própria, o número menor está na parte inferior desta postagem.
Ele morreu em um hospital perto de Princton, onde era professor emérito.

É este o número de Dyson: 105.263.157.894.736.842

IMPORTANTE http://math-frolic.blogspot.com/2012/10/next-up-dyson-numbers.html

14 dezembro, 2021

Uma moda passageira

Em 1922, Sarah T. Bushnell publicou a biografia "The Truth About Henry Ford". Ela incluiu uma história sobre o advogado Horace Rackham, cujo escritório de advocacia redigiu os documentos de incorporação da empresa automobilística de Henry Ford em 1903. Rackham foi convidado a se tornar um investidor, mas sua saúde estava ruim e ele temia arriscar suas preciosas economias. Então, ele visitou um banqueiro importante não identificado para obter conselhos.
O banqueiro o levou até uma janela.
"Olhe", ele disse apontando para a rua. "Você vê todas aquelas pessoas em suas bicicletas andando pelo bulevar? Não há tantos como há um ano. A novidade está passando; eles estão perdendo o interesse. É assim que será com os automóveis. As pessoas ficarão com febre; e mais tarde eles irão jogá-los fora. Meu conselho é não comprar as ações. Você pode ganhar dinheiro por um ou dois anos, mas no final você perderia tudo o que investir. O cavalo está aqui para ficar, mas o automóvel é apenas uma novidade - uma moda passageira."
Rackham foi convencido pelo banqueiro e decidiu rejeitar o investimento. No entanto, ele falou novamente com Alexander G. Malcomson, que estava organizando a nova empresa e recrutando investidores de forma persistente.
Quando ele conheceu o Sr. Malcomson, este lhe mostrou fatos e números e falou com eloquência. Rackham foi convencido novamente - mas o contrário. Ele vendeu alguns imóveis e levou o dinheiro para Malcomson.
"Aqui, pegue esse dinheiro e compre as ações antes que eu tenha tempo de mudar de ideia novamente" , disse ele.
A compra de cinco mil dólares de ações por Rackham foi extremamente lucrativa. Ele manteve suas ações até que finalmente as vendeu por 12,5 milhões de dólares.
(https://quoteinvestigator.com/2021/07/17/auto-fad/)

13 dezembro, 2021

Treze de dezembro - Mestrinho

"Nas terras de Novo Exu
Na Fazenda Caiçara
Em mil novecentos e doze
Viu o mundo minha cara.
Dia de Santa Luzia
Por isso é que sou Luiz
No mês que Cristo nasceu
Por isso é que sou feliz."

 
- Que improviso, seu Mestrinho!!!

"Treze de dezembro" - Rodolfo Fort e Marcos Farias (blog EM, 2009)
"Treze de dezembro" - Gilberto Gil (blog EM, 2012)

12 dezembro, 2021

Errorex

O corretivo Errorex foi inventado por Bette Nesmith Graham em 1951. Trabalhando como datilógrafa, ela frequentemente cometia erros e, usando sua cozinha e garagem como laboratório, desenvolveu uma tinta de têmpera branca.


https://www.tudoporemail.com.br/content.aspx?emailid=16627

Dura lex, sed...
Latex, para significar que a lei apesar de dura pode ser esticada para alguns;
Jontex, para significar que a lei mesmo rígida não deve suprimir o gozo sem culpa;
Denorex, para significar que o rigor da lei vai depender da cabeça de quem a aplica;
Errorex, para significar que lei pode ser corrigida em sua dureza pelas instâncias superiores.

11 dezembro, 2021

Em voz alta

Se você está discutindo em voz alta em seu telefone, por favor, coloque no alto-falante, eu preciso ouvir os dois lados da história.

Restaurante lotado.
A mulher chega, pega o celular, finge ligar e em voz alta diz:
— Amiga, vem aqui que teu marido está com outra!
Cinco senhores saíram correndo. Dois desmaiaram!
Resumindo:
— Sete mesas livres!

10 dezembro, 2021

Xícara para bigodudo

Quem já viu uma xícara ou caneca com protetor de bigode?


Fabricados principalmente no século 19, esses utensílios apresentam no interior um anteparo para bloquear o líquido na altura do bigode. O chá (ou café) dirige-se para a boca enquanto o bigode continua seco e agradável.
Diz-se que é uma invenção do britânico Harvey Adams.

Não confunda.

09 dezembro, 2021

Vida em Marte!

Manchete do NY Times em 09/12/1906:

HÁ VIDA NO PLANETA MARTE

Tradução - Prof. Percival Lowell, reconhecido como a maior autoridade no assunto, declara não haver dúvida de que seres vivos habitam nosso mundo vizinho.

Dez anos antes

Percival viu um sistema de raios em atividade na superfície de Vênus (que ninguém mais além dele conseguiu ver).

08 dezembro, 2021

Transformando o fértil Nordeste em deserto, em câmera lenta

Deu no NYT:
CARNAÚBA DOS DANTAS, Brasil - A terra sustenta a família Dantas há mais de 150 anos, produzindo algodão, pés de feijão até a cintura de um homem adulto e, quando chovia bastante, existia um rio que desembocava em uma cachoeira. Mas, em um dia recente, com temperaturas próximas de 40 graus, o rio secou, as plantações não cresciam e os trinta bois restantes da família estavam consumindo rapidamente a última poça de água.
"Daqui a cinquenta anos, não haverá gente morando aqui", disse Inácio Batista Dantas, 80 anos, equilibrando-se em uma rede puída. "Digo aos meus netos que as coisas vão ficar muito difíceis". Sua neta, Hellena, 16, ouviu - e recuou. Ela cresceu aqui. "Pretendo trabalhar nesta terra", disse ela.
Os cientistas concordam com seu avô. Grande parte do vasto nordeste do Brasil está, de fato, se transformando em um deserto - um processo chamado desertificação que está piorando em todo o planeta. A mudança climática é uma das culpadas. Mas os residentes locais, enfrentando duras realidades econômicas, também tomaram decisões de curto prazo para sobreviver - como derrubar árvores para o gado e extrair argila para a indústria de azulejos da região - que tiveram consequências de longo prazo.
A desertificação é um desastre natural que ocorre em câmera lenta em áreas que abrigam meio bilhão de pessoas, desde o norte da China e o norte da África até a remota Rússia e o sudoeste americano. O processo geralmente não leva a dunas de areia onduladas que evocam o Saara. Em vez disso, temperaturas mais altas e menos chuva combinam-se com o desmatamento e a agricultura excessiva para deixar o solo ressecado, sem vida e quase desprovido de nutrientes, incapaz de sustentar plantações ou mesmo grama para alimentar o gado. Isso o tornou uma das principais ameaças à capacidade da civilização de se alimentar. Por JACK NICAS (03/12/2021)
 
Ilustração - A região do Seridó, no Brasil, é um pólo nacional de produção de telhas, atividade que contribui para a degradação do solo.

(matéria enviada por Jaime Nogueira)

07 dezembro, 2021

Mãos de peixe

FishyHands® faz sua captura parecer maior!


(post não patrocinado)

Olhos de peixe

Trimetilaminúria: é uma condição incomum que causa um cheiro desagradável de peixe. É também chamada de "síndrome do odor de peixe". Às vezes, é causado por genes defeituosos que uma pessoa herda de seus pais, mas nem sempre é o caso. Atualmente não há cura, mas existem medidas que podem ajudar.

nhs.uk

06 dezembro, 2021

O uso de formigas como personagens de presépios


Resumo
Encontrados no Brasil desde os primórdios da colonização portuguesa, os presépios logo tiveram de adaptar-se à realidade local, circunstância muito propícia ao aparecimento de concepções heterodoxas e ao emprego de elementos exóticos da fauna e flora de cada região. Como registros envolvendo insetos são muito pouco comuns, chama a atenção que fêmeas de saúva, Atta sp. (Hymenoptera, Formicidae), tenham sido aproveitadas na composição de presépios no estado de São Paulo. Tendo subsistido pelo menos até a década 1960, os "presépios de formigas" existentes em cidades como Embu das Artes poderiam estar relacionados às "formigas vestidas" criadas por Jules Martin, curiosa manufatura paulistana do último quartel do século XIX.
Título: Insetos em presépios e as "formigas vestidas" de Jules Martin (1832-1906): uma curiosa manufatura paulistana do final do século XIX
AA: Dante Martins Teixeira, Nelson Papavero e Miguel Angel Monné
http://doi.org/10.1590/S0101-47142008000200004
(https://www.improbable.com/2021/03/01/the-use-of-woodcutting-ants-as-characters-in-brazilian-nativity-scenes-study/)

05 dezembro, 2021

Os invernos do espírito

Rilke reverenciou o inverno como "a estação para cuidar do jardim interno da alma". Ele, que invernou ampla e sabiamente, sabia que grandes tristezas nos esclarecem a nós mesmos - os invernos do espírito vêm em vários tamanhos e ciclos, cada um significativo, todos cumulativos em sua beneficência modeladora da alma.

Estate (verão), Bruno Martine. Intérprete: João Gilberto
. . .
Odeio o verão
O sol que a cada dia nos esquentava
Que esplêndidos pôr-do-sol pintava
E agora queima só com furor



Voltará um outro inverno
Cairão mil pétalas de rosas
A neve cobrirá todas as coisas
E talvez um pouco de paz retornará

Inverno: resiliência, a sabedoria da tristeza e como a ciência das árvores ilumina a arte da autorenovação em tempos difíceis. (Maria Popova)

04 dezembro, 2021

Pé chato (2)

"Eu nem sabia que ter pés chatos era algum tipo de problema. Se a Terra fosse plana, com certeza, ter pé chato seria uma vantagem biológica." ~ João da Rocha Labrego

No CID-10:
- Q66.5 (congênito)
- M21.4 (adquirido)

A condição é normal em bebês e crianças pequenas. Os pés planos ocorrem porque os tecidos que prendem as articulações do pé (chamados tendões) estão frouxos. Os tecidos se contraem e formam um arco à medida que as crianças crescem. Isso acontecerá quando a criança tiver 2 ou 3 anos de idade. A maioria das pessoas tem arcos normais na idade adulta. No entanto, o arco pode nunca se formar em algumas pessoas. Há doenças hereditárias que causam tendões frouxos como a síndrome de Ehlers-Danlos e a síndrome de Marfan. Pessoas nascidas com essas condições podem ter pés chatos. O envelhecimento, as lesões e outras doenças também podem prejudicar os tendões e causar o desenvolvimento de pés chatos em uma pessoa que já formou os arcos. Este tipo de pé chato pode ocorrer apenas em um lado.
http://medlineplus.gov/ency/article/001262

Então, o que esta pesquisa sobre o arco transversal, seu heroi não celebrado de apoio, significa para a gente de pés chatos? A falta de um arco longitudinal medial com pés chatos pode causar estresse em outras áreas do corpo (joelho, quadril) e causar dores nos pés. Em um ponto, foi motivo de rejeição automática para o serviço militar. Mas a pesquisa de Venkadesan esclarece por que a maioria das pessoas com os pés chatos não sofre de dores crônicas ou lesões. "Você pode ter pés chatos com um arco longitudinal baixo, mas se você tiver um arco transversal relativamente alto, ainda pode ter um pé hígido", diz Holowka. Acrescentando que pesquisas futuras devem examinar quaisquer ligações entre os graus de pés chatos das pessoas e seus arcos transversais. Ele também pede maneiras de quantificar a curvatura do arco transversal para entender melhor a dor no pé dos portadores do problema, que poderá inclusive ser a chave para a construção de órteses corretivas.

Pé chato (1)

03 dezembro, 2021

X-caboquinho

É um sanduíche típico da culinária do Amazonas. Consiste em um pão francês recheado com queijo coalho, lascas de tucumã (fruto de uma palmeira nativa), banana pacovã madura frita e manteiga de garrafa. Geralmente consumido no café da manhã, é uma das iguarias mais pedidas em feiras e lanchonetes do município de Manaus.


O X é uma abreviação de "cheese" (pronuncia-se "xis"), cujo significado é "queijo" no latim do futuro. Este prefixo entra na composição de outras palavras do português culto, tais como X-burguer, X-bacon e X-dog.
Em 23 de outubro de 2019, o X-caboquinho foi reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial da cidade de Manaus.

02 dezembro, 2021

Um olho gigante que olha para você



Explicação
A imagem da Lua em destaque através de uma fenda em uma parede de rocha pode parecer um olho gigante olhando para você. Embora, no final de outubro, tenha sido necessária apenas uma única exposição para capturar esse visual, também foi necessário muito planejamento O objetivo fotográfico foi alcançado por um tempo preciso - necessário para uma lua quase cheia aparecer através do arco em forma de olho, com a localização precisa - necessário para o tamanho angular da Lua caber iconicamente dentro do arco de rocha e, por sorte - necessário para um céu claro para todo o esquema funcionar. A justaposição aparentemente coincidente foi projetada com a ajuda de três aplicativos de smartphone. O arco de arenito retratado, esculpido pela erosão, tem milhões de anos e é apenas um dos milhares de arcos de rocha natural que foram encontrados no Parque Nacional de Arches perto de Moab, Utah, EUA. Em contraste, a Lua retratada pode ser encontrada no céu de praticamente qualquer lugar da Terra, cerca da metade do tempo.

Foto do Dia (02/12/2020) Eye of Moon
Crédito e direitos autorais da imagem: Zachery Cooley
Astronomia NASA
http://apod.nasa.gov/apod/ap201202.html

Trova do Dia
Lá vem a lua surgindo
Por detrás da bananeira
Não é lua, não é nada
É a bandeira brasileira

http://issuu.com/acclleopoldina/docs/trovas_populares_de_alagoas_-_theo_/62
http://www.literaturabrasileira.ufsc.br/documentos/?action=download&id=43535

01 dezembro, 2021

A escrita cruzada

Era relativamente comum no século 19 por várias razões. Principalmente porque o papel era muito mais caro do que hoje e também por causa dos custos proibitivos das postagem de remessas (que podiam variar muito em função do peso e do tamanho, mais do que atualmente). Além de escrever duas cartas, os remetentes poderiam simplesmente virar o papel 45 ou 90 graus e continuar a escrita com o mesmo tamanho de fonte.


O resultado parece um pouco ilegível - em parte por causa do itálico - mas dizem que, ao você se acostumar, o olho pode entender facilmente porque o cérebro logo aprende a ignorar a escrita perpendicular. Lembro-me de alguma vez ter visto algo semelhante com texto escrito em letras menores no espaçamento entre linhas, às vezes com uma tinta de cor diferente, às vezes girando o papel 180 graus.
É dito que Henry James, Jane Austen e até o próprio Charles Darwin usaram esse hack postal. Embora essa técnica seja um pouco parecida com a dos Palimpestos, a diferença é que a escrita cruzada era feito desde o início, ao escrever uma carta, diário ou notas de campo; nos palimpestos, a escrita original era apagada para reaproveitar o mesmo papiro, o que é um pouco diferente.

http://www.microsiervos.com/archivo/mundoreal/escritura-cruzada-cartas-hojas-papel-gastos-envio.html

30 novembro, 2021

pira vs. forca


Durante o domínio colonial britânico do subcontinente indiano, a antiga tradição Sati do Hinduismo ainda era praticada: a queima de viúvas vivas nas piras funerárias de seus maridos mortos.
Os britânicos - horrorizados com essas práticas bárbaras - aprovaram lei proibindo essa tradição Sati. Isso enfureceu sacerdotes hindus, que reuniram uma grande multidão para protestar contra a interferência em sua religião.
Então, Sir Charles Napier disse:
Vocês dizem que é seu costume incinerar as viúvas. Pois muito bem. Nós também temos um costume: quando homens queimam uma mulher viva, passamos uma corda em volta do pescoço deles e os enforcamos. Construam sua pira funerária; pois ao lado dela meus carpinteiros construirão um patíbulo. Vocês podem seguir seu costume. E nós seguiremos o nosso.
– Sir Charles James Napier, Comandante das forças britânicas na Índia, 1843–1847.

29 novembro, 2021

Noivazilla

Aristides, Aristides
Eu sou ouro
E tu, ourives.

"Pretty Boy" Floyd

Foto: WIKI
Charles Arthur Floyd (3 de fevereiro de 1904 - 22 de outubro de 1934), apelidado de "Pretty Boy" Floyd, era um ladrão de bancos americano. Ele operava nos estados do oeste e centro dos EUA, e suas façanhas criminosas ganharam ampla cobertura da imprensa na década de 1930.
Floyd era visto de forma positiva pelo público porque, durante seus assaltos, teria queimado documentos hipotecários, livrando assim muitas pessoas de suas dívidas. CARECE DE FONTES
O FBI chamou-o de "Inimigo Público n.º 1", em 1934, após a morte de John Dillinger. A polícia local e agentes do FBI liderados por Melvin Purvis atiraram em Floyd, em 22 de outubro de 1934, em um campo de milho em East Liverpool, Ohio. Os relatos divergem sobre quem atirou nele e a maneira como foi morto.
O corpo de Floyd foi embalsamado e colocado em exibição pública. Seu funeral foi assistido por entre 20.000 e 40.000 pessoas e continua sendo o maior funeral da história de Oklahoma.

28 novembro, 2021

O cachorro-quente

A teoria mais aceita sobre o surgimento desse peculiar sanduíche começa com um açougueiro de Frankfurt, na Alemanha. Em 1852, ele resolveu batizar as salsichas que fabricava com o nome da raça de seu cachorro: Dachshund (cão bassê, em alemão). Um imigrante alemão, Charles Feltman, levou essas salsichas para os Estados Unidos em 1880. Lá, criou um sanduíche quente com pão, salsicha e molhos. Para chamar a atenção dos consumidores, ele anunciava na porta dos estádios "Get your hot dachshund!" ("Pegue seu cachorro-salsicha quente!", em português).
No Brasil, por volta de 1926, o empresário Francisco Serrador, que idealizou a famosa Cinelândia, no Centro da cidade do Rio de Janeiro, lança o cachorro-quente em seus cinemas. A novidade inspirou Lamartine Babo e Ary Barroso, a criarem em 1928, a marchinha de carnaval "Cachorro-Quente".
Comer
Cachorro quente lá no bar
Por certo a moda vai pegar
Por não ser vulgar
Comer
Vai toda a gente ao "quarteirão" (do Serrador)
Pois há linguiça (sic) em profusão
Pra comer com pão
A partir de 1945, depois da Segunda Guerra Mundial, quando o nosso país passou a sofrer grande influência da cultura americana, o cachorro-quente conquistou definitivamente seu lugar no Brasil.

Vodu acidental

27 novembro, 2021

A certidão de nascimento do samba


Há 105 anos, o primeiro samba gravado, "Pelo telephone" (Pelo telefone), começou a gingar no coração dos brasileiros. Tratava-se de uma ode às novas tecnologias, escrita por Ernesto dos Santos (mais conhecido como Donga) e Mauro de Almeida. Por ter sido criado na casa de Tia Ciata, onde os músicos costumavam participar de rodas de samba, ou improvisações em grupo, muitos outros tentaram reivindicar a autoria da melodia. Mas foi Donga quem registrou a partitura na Biblioteca Nacional do Brasil em 27 de novembro de 1916.
Logo em seguida, são realizadas três gravações pela Casa Edison, baseadas nesses registros públicos. A primeira e a terceira são apenas gravações instrumentais, realizadas pela Banda Odeon e a Banda do 1.º Batalhão da Polícia da Bahia. A segunda gravação, interpretada por Baiano (1870-1944) e acompanhada somente de cavaquinho e violão, é sucesso no carnaval de 1917. 
Fonte: PELO Telefone (1916). In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: . Acesso em: 27 de Nov. 2020. Verbete da Enciclopédia.ISBN: 978-85-7979-060-7
Até então, a maioria das pessoas não sabia o que era samba. Tudo isso mudou conforme a popularidade do Pelo Telefone disparou. De repente, o estilo lúdico da música estava no centro das celebrações do carnaval e, eventualmente, na vanguarda da cultura brasileira. Muito do sucesso do gênero pode ser creditado a Donga, que continuou a tocar e gravar músicas do gênero por grande parte de sua vida.
No doodle de 27/11/2019, o lendário músico mostra seus movimentos enquanto nos divertimos com sua famosa composição.

26 novembro, 2021

Crenças conspiratórias

"Conspiranoia" básica
- Eu não creio em conspirações, se bem que esta (aqui a pessoa insere sua teoria de conspiração preferida) tem o seu lado racional.

Uma conspiração pode realmente permanecer secreta? Existe uma resposta científica para isso.
Um exemplo famoso de teoria de conspiração é a "farsa" da Apollo 11. As teorias conspiratórias alegando que o pouso na Lua de 1969 foi falsificado ainda circulam desde que Neil Armostrong e Buzz Aldrin pisaram na superfície da Lua. Ora, manter um segredo dessa magnitude por esses 50 anos teria sido muito difícil. O físico e biólogo David Robert Grimes publicou uma equação matemática que estima quantas pessoas seriam necessárias para manter uma conspiração em segredo e quanto tempo levaria para que a mesma fosse exposta ao público. A equação leva em consideração o número de conspiradores envolvidos, quanto tempo se passou e a probabilidade de alguém dar com a língua nos dentes. De acordo com a fórmula de Grimes, se o pouso na Lua foi uma farsa, teriam sido necessárias 411.000 pessoas para mantê-lo em segredo. Além do mais, por sua matemática, alguém teria revelado a verdade em menos de quatro anos.
(http://www.tudoporemail.com.br/content.aspx?emailid=16595)

Abstrato de: "Sobre a viabilidade de crenças conspiratórias", por David Robert Grimes
Ideação conspiratória é a tendência dos indivíduos de acreditar que eventos e relações de poder são secretamente manipulados por certos grupos e organizações clandestinas. Muitas dessas conjecturas ostensivamente explicativas não são falsificáveis, carecem de evidências ou são comprovadamente falsas, mas a aceitação pública continua alta. Os esforços para convencer o público em geral da validade das descobertas médicas e científicas podem ser dificultados por tais narrativas, que podem criar a impressão de dúvida ou discordância em áreas onde a ciência está bem estabelecida. Por outro lado, existem exemplos históricos de conspirações expostas e pode ser difícil para as pessoas diferenciar entre afirmações razoáveis e duvidosas. Neste trabalho, estabelecemos um modelo matemático simples para conspirações envolvendo múltiplos atores com o tempo, que produz probabilidade de falha para qualquer conspiração. Parâmetros para o modelo são estimados a partir de exemplos da literatura de escândalos conhecidos, e os fatores que influenciam o sucesso e o fracasso da conspiração são explorados. O modelo também é usado para estimar a probabilidade de reivindicações de algumas crenças conspiratórias comumente sustentadas; isto é, que os pousos na Lua foram fingidos, a mudança climática é uma farsa, a vacinação é perigosa e que a cura do câncer está sendo ocultada por interesses particulares. Simulações dessas afirmações preveem que a falha intrínseca seria iminente mesmo com as estimativas mais generosas para a capacidade de manter segredos dos participantes ativos - os resultados deste modelo sugerem que grandes conspirações (≥1000 agentes) rapidamente se tornam insustentáveis e propensas ao fracasso.
http://doi.org/10.1371/journal.pone.0147905

25 novembro, 2021

Rinoceronte - de cabeça para baixo

O logotipo do Ig Nobel é uma variação de "The Thinker" ("O Pensador") de Rodin, representando a famosa estátua derrubada de seu pedestal ... e rebatizada de The Stinker ("O Fedorento"). E os projetos que homenageia podem parecer um pouco tolos à primeira vista - mas o prêmio definitivamente não é o equivalente científico dos Razzies (o anti-Oscar, dado aos piores filmes e performances do ano). Vai para estudos sólidos, revisados por pares, feitos por cientistas respeitados.
E, de fato, uma pessoa ganhou tanto o Ig quanto o original: o físico russo Andre Geim levou para casa o Prêmio Nobel de 2010 por "experimentos inovadores relacionados ao grafeno bidimensional" - uma década depois de ganhar o Ig "por usar ímãs para levitar um sapo". "E ele diz às pessoas", observa o professor veterinário Robin Radcliffe, "que valoriza cada prêmio igualmente".
Radcliffe e seus colegas, que ganharam um Ig Nobel em 2021 "pelo trabalho na Namíbia sobre métodos de realocação de rinocerontes negros", ficaram igualmente entusiasmados com a premiação Ig. "Nossa equipe está super animada", diz ele. "Conseguimos tanta exposição para a conservação dos rinocerontes que não a teríamos de outra forma. Obter este reconhecimento foi maravilhoso".


Cornellians, a revista de ex-alunos da Universidade Cornell

24 novembro, 2021

Corridas de táxi

A Sra. Nogueira está visitando parentes em Amsterdã e decide levar seu filho de 12 anos para um passeio pela cidade.
Chamam um táxi e pedem ao motorista que os leve aos pontos mais interessantes da cidade. Ao passarem pelo famoso Bairro da Luz Vermelha, Juquinha vê algumas mulheres na calçada e pergunta:
"Mamãe, o que essas mulheres estão fazendo aí no frio?"
"Nada", diz a encabulada Sra. Nogueira. "Provavelmente esperando um táxi."
"Não, não", interrompe o motorista. "A senhora não deve mentir para seu filho. Essas são prostitutas. Elas cobram dinheiro para fazer sexo." 
O menino está chocado.
"Mas, mamãe, o que vai acontecer com os filhos dessas mulheres?"
"Todos eles serão motoristas de táxi, Juquinha."
(http://www.tudoporemail.com.br/content.aspx?emailid=16390)

Num dia chuvoso, um passageiro de um táxi rumo ao aeroporto precisa fazer uma pergunta, e gentilmente cutuca o ombro do motorista para chamar sua atenção.
O motorista grita de susto, perde o controle do táxi, quase atinge um ônibus, sobe no meio-fio e para a poucos centímetros da vitrine de uma loja, quase causando um acidente ainda maior. Por alguns instantes, fez-se silêncio no táxi. Em seguida, o motorista vira para trás e pergunta ao passageiro:
"Você está bem? Eu sinto muito, mas é que você me assustou!"
O passageiro, muito abalado, pediu desculpas ao motorista. E disse:
"Eu não sabia que um simples toque no ombro poderia assustar alguém tanto assim!"
O motorista respondeu:
"Não, não, é inteiramente minha culpa. Hoje é meu primeiro dia como motorista de táxi, depois de passar 25 anos dirigindo um carro funerário..."
(http://www.tudoporemail.com.br/content.aspx?emailid=4458)

😊Ler também:
"Coisas do Quadradim", um comentário de Fernando Gurgel Filho.

23 novembro, 2021

Conjuntos

Tudo o que você queria saber sobre conjuntos e tinha medo de cair no vazio.


Homenagem a John Venn ⵔ⋂ⵔ⋂ⵔ
O diagrama de Venn da minha vida ⵔ⋂ⵔ⋂ⵔ
O cálculo do 42 de Douglas Adams ⵔ⋂ⵔ⋂ⵔ
Elementos químicos ⋂ Estados brasileiros ⵔ⋂ⵔ⋂ⵔ

22 novembro, 2021

Quão impiedosa é a velhice?

How merciless is old age?
Você escolheu um adjetivo particularmente apropriado, pois a velhice pode ser realmente implacável.
[imagem] Esta é Elli, uma deusa nórdica tão poderosa que nem mesmo Thor pôde derrotá-la. Ela o desafiou a lutar e, como esperado, inicialmente ele provou ser o mais forte. Mas Elli foi persistente e, como Paul Newman em Rebeldia Indomável, ela sempre tentava novamente.
A luta continuou e, eventualmente, Thor começou a se cansar enquanto Elli ficava cada vez mais forte.
Não foi uma luta justa, pois Elli era a deusa da velhice e, como você sugeriu, ela é impiedosa.
Praticamente todos nós, se vivermos o suficiente, perderemos um pouco de nossa tranquilidade juvenil. Nossa visão escurece, nossa audição enfraquece, nossos dentes caem, nossos órgãos se desgastam e, como disse algum engraçadinho anônimo, nossos baús desabam em nossas gavetas *.
E ainda, apesar disso, a vida ainda é doce para muitos de nós. Para algumas pessoas, isso não é possível. Elli é implacável.
David Evans, QUORA
* No original: "our chests fall into our drawers". Esta curiosa frase de duplo sentido entre "nossas baús (ou cômodas) desabam em nossas gavetas"  e "nossos peitos caem até a cintura (ou mais)" 

The Furniture Disease (A Doença dos Móveis)


Tradução: "Este é o pior caso de doença de móveis que eu já vi! Não apenas seu baú caiu em suas gavetas, você também tem cupins."

21 novembro, 2021

Deus e o Diabo no Enem

A pessoa estuda o ano inteiro para o ENEM, ora e pede a Deus iluminação, aí na hora da prova vem o capeta para distrair.

O passo de ganso

O passo de ganso é um estilo de marcha desenvolvido originalmente no século 18 pelo comandante prussiano Leopoldo I, Príncipe de Anhalt-Desau (1676 - 1746). Mas este estilo de marcha não foi usado somente pelos alemães. No século 19, o exército britânico também usou uma variação do passo em desfiles militares.
Estudos mostram que atividades harmonizadas em grupo, fortalecem a lealdade do individuo para com o grupo. Talvez sabendo disso, os líderes nazistas promoveram marchas, com o passo de ganso e com cantos rítmicos. A ideia era criar uma cultura que promovesse os ideais do grupo sobre os interesses do próprio indivíduo.
De qualquer maneira, marchar no estilo passo de ganso equivale a caracterizar um exército como seguidor da linha nazista. Um artificio inclusive utilizado em filmes como, por exemplo, em "Se Preparem", uma cena do Rei Leão:



www.kidbentinho.com (link inativo)

20 novembro, 2021

Em movimento: a montanha-russa

Equipamento de parques de diversão que contém uma sequência de subidas e descidas a ser percorrida por veículos sobre trilhos em grande velocidade.

Mesmo que pareça piada, a montanha-russa (inventada na Rússia), é chamada em russo de американские горки (tradução: deslizador ou escorregador americano). 
É verdade que, como a conhecemos atualmente, ela foi reinventada nos Estados Unidos.
No entanto, montanha russa em inglês não é "russian hill" nem nada parecido. Mas "roller coaster".

A montanha-russa em outras línguas ocidentais:
montaña rusa (esp.)
montagnes russes (fr.)
montagne russe (it.)
achterbahn (al.)


19 novembro, 2021

Arqueologia do KKKKK

Tendência ou não, o "KKKKK" não é novo. Aliás, é velhíssimo. Essa gargalhada - que quando lida em voz alta, deve soar como um gostoso "kakakakaka" - é usada pelo brasileiro há pelo menos 150 anos. Mas era algo mais para os vagarosos "cá cá cá", "quiá quiá quiá" ou "quá quá quá". 
Temos algumas evidências disso.
A primeira está em "Til", romance regionalista de José de Alencar (1829-1877) publicado em 1872 que se passa em uma fazenda no interior de São Paulo. O livro conta a história de Berta, uma menina acolhida pela viúva Nhá Tudinha. Em um trecho, Nhá Tudinha aparece "debulhando-se em uma risada gostosa". "Não fazia a menina um trejeito, nem dizia uma facécia, que a viúva não se desfizesse em gargalhadas."
"— Ai, menina!... Quiá!... quiá!... quiá!... Já se viu, que ladroninha?...", diz um trecho.
Uma rápida busca no acervo de jornais mostra a gargalhada na "Secção Livre", onde eram publicados comentários, discussões religiosas ou políticas e casos pessoais n'A Província de São Paulo, jornal que antecedeu o Estado de S. Paulo. O texto é do dia 20 de fevereiro de 1884:
"O mió de tudo nhô dotô é mecê se calá e não buli n'essas vergonha (...) Quiá, quiá, quiá, cá, cá, cá!!!", diz o comentário que faz troça de um caso polêmico com uma advogado no interior paulista.
No mesmo ano, Machado de Assis (1839-1908) registrava o riso "cá cá cá" no conto "A Segunda Vida": "Então, o Diabo, escancarando uma formidável gargalhada: 'José Maria, são os teus vinte anos.' Era uma gargalhada assim: — cá, cá, cá, cá, cá... José Maria ria à solta, ria de um modo estridente e diabólico."
Monteiro Lobato (1882-1948) também colocou a onomatopeia na boca de personagens em dois contos de "Urupês". O livro, de 1918, é notório por ter dado origem ao icônico Jeca Tatu.
"Toda gente gozou do caso, entre espirros de riso e galhofa", diz um trecho do conto "Um Suplício Moderno", sobre o personagem Izé Biriba, um pobre estafeta (espécie de carteiro), que fazia correspondência entre cidades não conectadas por ferrovia. Biriba se lamenta por haver transportado um bode para só depois descobrir que era para um inimigo seu, e é alvo de risos. "Trazer o bode da oposição! Quiá! quiá! quiá!", ele ouve de interlocutores.
Na Folha da Manhã, uma crônica chamada "Um Homem que Ri", publicada em 1926, diz o seguinte: "Quem foi o tolo que afirmou que a humanidade deve meditar e crer, chorar e sonhar? Que patetice é essa, em pleno século XX? A humanidade só deve rir. A vida, no fundo, não passa de uma grossa piada. Quá, quá quá!"


Ok, já deu para entender. O "quá quá quá" era a maneira corrente de expressar riso.
E um dos espaços onde estava presente é terreno fértil para onomatopeias no Brasil e no mundo: as histórias em quadrinho.
Nas décadas seguintes, textos de jornais são repletos de "quá quá quá", principalmente os humorísticos. E marchinhas carnavalescas como "Clube dos barrigudos", uma sátira de Haroldo Lobo e Cristóvão Alencar,  "Sorri, palhaço", de Anício Bichara e Soares Filho, e "O soro dos velhinhos", de Haroldo Lobo e Miton de Oliveira, registram essas "protogargalhadas". 
No Carnaval de 1955, é a vez de "Vou gargalhar", de Edgar Ferreira, gravada por  Jackson do Pandeiro (Copacabana: 5.331/B):
"Quem disse que a escola não sai / Não tem cabeça pra pensar. / A escola vai sair / O povo da vila vai sambar / Vou gargalhar / Quá, quá, quá, quá." http://youtu.be/44VyamxEneU
Elis Regina gargalha e canta "quaquaraquaqua, quem riu?, quaquaquaraquaqua, fui eu" em "Vou deitar e rolar", composta por Baden Powell e Paulo César Pinheiro, em 1970.
O "quá quá quá" ainda resiste e aparece forte nos anos 1980, 1990 e no início dos anos 2000.
E é bem aí, no final dos anos 1990 para a virada do século, quando o "quá quá quá" começa a desaparecer, que o "kkkkkk" dá as caras. Na internet, claro.
Especialista em redes sociais e professora da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Raquel Recuero lembra que, nos anos 1990, as onomatopeias de riso tinham "o estilo dos quadrinhos como "hahaha". E muita gente usava o "rsrsrs", lembra ela."O kkkkk começou a aparecer depois, no início dos 2000".
E como ocorre o pulo entre "quá quá quá" e "kkkkk"?
"No chat, escrevemos com muita rapidez, comemos acento, reduzimos tudo o que podemos para ganhar tempo", observa Gomes, da UEMS. Se um k representa um quá, por que não?
"Qual é mais fácil ou mais rápido: escrever q-u-a, q-u-a, q-u-a, ainda com acento, ou escrever só kkkk? É só botar o dedo que a letra corre", diz Gonçalo Junior.
Extraído de: http://www.bbc.com/portuguese/geral-57612393 (@julianagragnani). 
Os grifos são nossos.

18 novembro, 2021

Meu caro Chico — Depoimentos


O designer pernambucano Augusto Lins Soares está lançando pela Editora Francisco Alves o livro "Meu caro Chico — Depoimentos". O livro reúne 60 crônicas, ensaios, poemas, bilhetes e comentários em redes sociais sobre o compositor de olhos de ardósia. Foram escritos por ninguém menos que Luís Fernando Veríssimo, Clarice Lispector, Glauber Rocha, Rubem Braga, Antonio Candido, Augusto Boal, Cacá Diegues. José Saramago, Lula, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Teresa Cristina… Uma lista de personalidades de várias áreas que aqui se revelam seus admiradores.


ADMIRÁVEL CHICO, por Luís Fernando Veríssimo
Admiro o Chico desde que ele apareceu nos anos 1960, com "Ole olá". Aquela cara de garoto não combinava com suas primeiras melodias e suas letras incomparáveis, já tão engenhosas e inteligentes. Tudo o que Chico fez desde então – suas músicas, sua poesia, suas peças, seus romances – foi admirável, num nível sempre espantosamente alto. É tão difícil lembrar uma composição ou um texto do Chico que não mantenha o mesmo nível, quanto é difícil escolher uma canção favorita entre todas que ele produziu e continua produzindo (as minhas favoritas são "Samba do grande amor", "Sabiá", em parceria com o Tom Jobim, e "Sobre todas as coisas", em parceria com o Edu Lobo). Admirável também é o jeito do Chico de ser célebre e engajado sem ser autodeslumbrado nem panfletário. Durante a ditadura, foi dele a trilha sonora da resistência, driblando a censura, assegurando aos militares que, apesar deles, amanhã seria outro dia.
Temos nos encontrado pouco, bem menos do que eu gostaria, mas acho que posso dizer que somos amigos. Eu tocava saxofone numa banda de jazz em Porto Alegre e o Chico estava na cidade para um show. Ele e outros membros da sua banda foram nos ouvir no bar em que nos apresentávamos – e o Chico deu uma canja! Cantou "A Rita". Depois seu baterista nos diria que o “seu Chico” nunca fazia aquilo. Foi o maior momento na vida da nossa banda. E eu toquei com o Chico Buarque. Até hoje não sei o que fazer com essa frase. Acho que vou pedir que seja meu epitáfio.

Leia mais em: http://vejario.abril.com.br/beira-mar/trecho-inedito-livro-personalidades-chico-buarque/

Chico Buarque no catálogo da Livraria da Travessa: 83 livros e 12 DVDs

(((quinze anos)))

Nascia, num dia como este há exatos quinze anos, a revista eletrônica de variedades EntreMentes.

Está na internet há mais tempo do que o Facebook (no Brasil), o Instagram, o WhatsApp, e o Tik Tok.

Abraços (virtuais) nos colaboradores Fernando Gurgel, Jaime Nogueira e Nelson Cunha.

E nos seguimores, com os quais a debutante vai dançar uma valsa-turbilhão.

http://blogdopg.blogspot.com/2011/08/valsinha.html

17 novembro, 2021

Por que o cursor de seta aponta levemente para a esquerda?

Não tinha prestado atenção a este detalhe?


Não, não é por que o cursor esteja em itálico (o que o apontaria levemente para a direita). 
Há razões históricas e práticas.
O cursor de seta para cima e para a esquerda se originou no Xerox PARC, na década de 1970, no computador Alto. A razão pela qual a borda esquerda da seta é vertical é simples: ela é exibida como uma linha reta sem recortes. Uma seta apontando diretamente para cima teria o discernimento mais difícil pelo olho humano devido às diagonais irregulares. Essa forma de seta tem sido usada desde então.
A razão pela qual a seta foi inclinada para a esquerda era para que a posição do clique ficasse mais fácil de calcular, já que a origem do bitmap do cursor situa-se no canto superior esquerdo. Com o "ponto quente" do cursor convenientemente em (0,0) isto poupa à sub-rotina de rastreamento do mouse alguns ciclos de computação para calcular seus deslocamentos (não é muito, mas ajudava em máquinas mais antigas).
http://www.blogger.com/blog/post/edit/37677847/8269737962136400833#
http://www.reddit.com/r/explainlikeimfive/comments/1qhzym/why_is_the_computer_arrow_slightly_tilted/

Um truque topológico

Um pequeno e perturbador quebra-cabeça do matemático David Richeson, do Dickinson College.


through one hole or two?

A descoberta da fita ou faixa de Möbius (n. 17/11/1790) desencadeou uma nova área de estudos na Matemática, conhecida como topologia. A qual é como uma geometria sem escala, que trata os objetos pelas relações que têm entre si, independentemente de suas dimensões.
Um topologista, dizem, é alguém que não consegue diferenciar seu donut de sua caneca de café.

16 novembro, 2021

Os filhos de Vassilyev

Feodor Vassilyev (c. 1707 - 1782) era um camponês de Shuya, Rússia. Sua primeira esposa, Valentina Vassilyev, teria vivido até os 76 anos e, entre 1725 e 1765, teve 69 filhos (16 partos de gêmeos, 7 partos de trigêmeos e 4 partos de quadrigêmeos), o recorde de maior número de filhos nascidos de uma única mulher.
Memória do cálculo
16 x 2 = 32
  7 x 3 = 21
  4 x 4 = 16
           = 69


Com a segunda esposa, Feodor Vassilyev ainda teve 18 filhos (6 partos de gêmeos e 2 partos de trigêmeos), tornando-se pai de 87 filhos no total.
Os dados sobre os filhos de Vassilyev estão incluídos no Guinness Book of World Records.

A personificação da República do Brasil no século 19

Mesmo antes de 1889, as imagens da República eram abundantemente difundidas nos diversos jornais e revistas da época. Dentre estas, destacavam-se a Revista Illustrada, O Mequetrefe e o Besouro. Destes periódicos, a Revista Illustrada era, de longe, a que mais dava espaço às imagens da República e foi nela que saiu sua primeira representação personificada como uma figura feminina, publicada no dia seguinte à Proclamação.
Ela se chama Marianne (Mariana), é mestiça e está vestida com os símbolos da República (o barrete frígio e a toga). Também leva uma espada e um escudo (porque a ideia não era que o Brasil fosse esse fracalhão indefeso que se tornou) e olha para a frente, para o futuro (em vez de ter saudades de um passado ideal). A coroa do império lhe é oferecida e ela a recusa.
Além de evidenciar a associação com a imagética revolucionária francesa, à Marianne brasileira cabia representar o cotidiano de um regime que se esforçava para aparecer. Dentre as várias atividades como representante da Pátria, apareceu vencedora das urnas da Assembleia Constituinte; foi mostrada ao povo como criança em roupas de batismo nas mãos de Deodoro, nas comemorações do primeiro aniversário do regime; recebeu das mãos de Deodoro, acompanhado de Rui Barbosa, a Constituição de 1890; como amiga - e após um "longo período de desconfiança" - recebeu fraternalmente a República Argentina; foi guiada e amparada pela República Francesa por um caminho florido e coube a ela enfrentar a horda do Conselheiro em 1896.

Fonte: PINTO JUNIOR, Rafael Alves. Manoel Lopes Rodrigues e a Alegoria da República (1896): do cotidiano da política à imortalidade do Panteão. 19e20, Rio de Janeiro, v. V, n. 4, out./dez. 2010. 

15 novembro, 2021

Desastres em publicidade

1
Um publicitário retorna de uma viagem à Arábia Saudita, aonde tinha ido para realizar uma campanha de um refrigerante.
Vendo-o triste e cabisbaixo, um amigo lhe pergunta: "Por que essa cara?"
Ele responde: "Minha campanha foi um fracasso total!"
"Como assim?", pergunta o amigo. "Eu pensei que você havia preparado uma boa campanha."
"Bem, quando eu fui para lá, esperava fazer um grande discurso de vendas para os sauditas. Mas havia um problema: Eu não falo árabe! Então, planejei transmitir o significado da mensagem com a utilização de três imagens."
1.º cartaz:
Um homem deitado na areia quente do deserto, em absoluta exaustão - desmaiado.
2.º cartaz:
O homem está bebendo a nova Coca-Cola.
3.º cartaz:
O homem agora aparece totalmente renovado e sentindo-se ótimo."


"E aí?"
"Pois bem. Eu coloquei isto em outdoors  por toda parte! Não era possível alguém ir a qualquer lugar do país sem vê-los."
"Isso deveria ter funcionado!"
"É... Só que ninguém tinha me avisado que, na Árábia Saudita, eles leem da direita para a esquerda!"

2
Em junho (17), a relação entre Cristiano Ronaldo e um dos patrocinadores da Eurocopa se tornou o assunto do momento. Após o jogador, no início de uma coletiva à imprensa, ter retirado da bancada de entrevista duas garrafas de Coca-Cola, substituindo-as por uma garrafa de água mineral. O gesto do jogador fez as ações da Coca-Cola caírem abruptamente em 1,6%, fazendo a empresa perder (temporariamente) US$ 4 bilhões em seu valor de mercado. Mas essa não foi a primeira vez que que ele esnobou o refrigerante americano por não ser saudável. Quando CR7 recebeu o prêmio de melhor jogador do século pela Globe Soccer Awards, em dezembro, ele conversou com a imprensa sobre seu filho, Cristiano Junior, e deixou escapar que não gosta da bebida açucarada. Cristiano Ronaldo é notoriamente meticuloso com sua dieta. ele praticamente só bebe água e faz seis pequenas refeições ao longo do dia, que quase sempre incluem frutas, vegetais e proteínas de frango e peixe, tudo preparado sem óleo.

Poulaines

Poulaines, sapatos ou botas com o bico extremamente alongado e pontudo, que foram usados na Europa, nos séculos 14 e 15.  Na Inglaterra, foram introduzidos durante o reinado de Ricardo II (1367 - 1400). De tão compridas, suas pontas eram enchidas com musgos ou crinas de cavalo, além de presas por barbante ou corrente de ouro/prata, logo abaixo dos joelhos, a fim de não atrapalharem o caminhar do usuário.
Receberam os nomes de "poulaines", "souliers à la poulaine" e "crakows", em alusão a seu suposto local de origem (Cracóvia, Polônia).
Essa tendência da moda nos pés, que agora parece tola a um observador moderno, um dia saiu do controle. Em um ponto, o rei Edward IV (1442 - 1483 ) teve que proibir os súditos de usarem pontas com mais de cinco centímetros. Alguns anos depois, ele decidiu proibir totalmente este tipo de sapatos.
Um design pontiagudo do sapato também foi criado em metal para ser usado juntamente com a armadura. "A History from Sandals to Sneakers" relata a história de uma "derrota infligida por  camponeses suíços na Batalha de Sempach (1386) contra os poderosos cavaleiros Habsburgos, a qual se deveu parcialmente ao uso dos sapatos de pontas compridas por estes últimos". Na Batalha de Nicópolis, em 1396, quando os otomanos derrotaram um exército de cruzados europeus, o contingente francês foi forçado a cortar as pontas de seus sapatos para bater em retirada com rapidez.

Representação da Batalha de Sempach mostrando uma grande pilha de pontas de sapato em uma colina no canto superior esquerdo da ilustração. Wikipedia (para ver a imagem ampliada)

http://fashionhistory.fitnyc.edu/poulaine/
http://bigthink.com/culture-religion/medival-shoes-bunions
http://blogdopg.blogspot.com/2011/10/competicao-pela-aparencia.html

14 novembro, 2021

A Chiquinha, de "Chaves"

María Antonieta de las Nieves, a eterna Chiquinha do seriado Chaves, entrou para o Guinness Book de 2022. Aos 70 anos, a atriz mexicana foi incluída no livro dos recordes justamente por conta da personagem, que interpreta há quase cinco décadas.
No Instagram, a artista esclareceu que entrou para a publicação por ser a dona do recorde de atriz com a carreira profissional mais longa interpretando o mesmo personagem infantil. María Antonieta posou para a foto segurando o certificado e o livro de 2022, diante de uma estante repleta de bonecas da Chiquinha e outros personagens de Chaves.


María Antonieta começou a interpretar a filha de Seu Madruga em 1971, quando tinha 21 anos. No seriado, ela ainda viveu a avó de Chiquinha, Dona Neves.
Em 2002, Bolaños — que morreu em 2014 — processou María Antonieta, com o objetivo de proibir a atriz de continuar interpretando Chiquinha. Ela, porém, venceu a ação e conseguiu seguir dando vida à personagem em seus trabalhos.
Ao todo, foram exibidos 312 episódios de Chaves, mas 39 estão perdidos. A produção alcançou grande sucesso no Brasil, marcando a infância de diversas gerações.

Bordôes da Chiquinha
Os adultos são como as crianças, só que os adultos já estão usados.
Não tem um sábado que eu não tome banho. Porque eu tomo banho todos os sábados, precise ou não precise.
De agora em diante, nós, mulheres, não temos mais que pedir permissão aos homens para cometer as barbaridades que cometíamos quando não nos davam permissão.
Ai, Chaves, você só não é mais burro por falta de vitaminas.
Minhas tias não me deixavam fazer nada, eu queria brincar de fogueirinha com os móveis novos da minha tia, não. Eu queria fazer uma tenda de campanha no jardim, com a cortina da sala, não. Eu queria laçar a televisão com uma corda, não. Acredita que não me deixaram fazer um dominó com as teclas do piano? E com o trabalho que eu tive pra tirar as teclas do piano...
De longe, ela é feia; de perto, parece que está longe.
Pois é, pois é, pois é.
(Usava no final de uma história, normalmente mentirosa.)

Sr. Barriga e Nhonho (a publicar)
E a Bruxa do 71 (a publicar)