16 outubro, 2019

Como fazer fogo com um limão

Uma continuação de: Limões, limonada etc.

Se a vida lhe deu limões, comece um incêndio.



O sistema mostrado no vídeo acima produz uma tensão elétrica em torno de 5 volts.

Ingredientes:
1 limão (*)
6 clipes de cobre
6 pregos
1 pedaço de arame
lã de aço
palha seca ou papel higiênico

(*) Assim como outras frutas cítricas, o limão é facilmente encontrado na tundra.

15 outubro, 2019

HEGEMÔNICA

(https://br.pinterest.com/pin/757378862312010853/)

O Cebolinha usa sapatos. Mônica, Magali e Cascão, que andam descalços, não têm dedos nos pés. Por que só o Chico Bento tem esse privilégio? A explicação é simples.

👨‍🏫Dia do Professor

"Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor." ~ Paulo Freire

Criação da data
Em 14 de outubro de 1963, o então presidente João Goulart assinou o Decreto nº 52.682 que criou o feriado escolar do Dia do Professor no Brasil.
https://www.bbc.com/portuguese/brasil-45837273


Homenagem de Braulio Bessa, em Poesia com Rapadura
https://twitter.com/MariaLamedia/status/1051833536767021057
Vídeo: https://globoplay.globo.com/v/7083859/

Aplicando teste ...
Aluno: Professor, é em dupla?
Professor: Sim. Você e Deus.
Aluno: Mas eu sou ateu.
Professor: Lascou. Vai ter que fazer sozinho.
Os 20 professores mais engraçados do Brasil, BuzzFeed

Frases e bordões do Professor Girafales
"Eu já tive alunos bons, regulares, ruins, péssimos e o Quico. Mas não se preocupe, é provável que haja piores."
"Por que causa, motivo, razão ou circunstância?"
"Por que os animais não comem com o rabo? Porque não podem tirar o rabo para comer."
"Enquanto tiverem os livros nas mãos, serão pessoas honradas, serão gente de bem. Em outras palavras, serão como eu."
http://blogdopg.blogspot.com/2016/06/professor-girafales.html

14 outubro, 2019

Pole dance (2)

Em português: dança do cano, do poste, do mastro, da barra americana etc.


— Uau, isto é como um homem deve fazer pole dance!

Misto de dança e esporte, pole dance também caiu no gosto de alguns insetos.

Da invenção da pólvora ao uso dos canhões

Alexandre da Macedônia, general de extraordinária habilidade, talvez um dos melhores estrategistas de todos os tempos, revolucionou a arte da guerra no seu tempo, tornando as suas falanges mais agressivas com lanças de 4 metros e diminuindo as suas armaduras, o que permitia aumentar a mobilidade dos seus homens, e utilizando pela primeira vez a cavalaria, reforçada por armaduras, com lanças e espadas, que envolvendo os seus opositores pelos flancos os posicionava ao alcance das suas falanges apeadas.
Mas as táticas e a mestria de Alexandre, usadas como referência durante vários séculos, tornaram-se completamente obsoletas no século XIV, quando a pólvora começou a encher os campos de batalha de fumo. Com a introdução e utilização da pólvora ao serviço dos exércitos, as táticas forçosamente tiveram de se adaptar às novas circunstâncias e danos, agora infligidos à distância. As armaduras, outrora tão úteis, tornaram-se completamente devassáveis e portanto inúteis para fazer face ao novo poder de destruição resultante da aplicação da pólvora.
O aparecimento da pólvora e das primeiras armas de fogo
A descoberta da pólvora tem sido consensualmente aceite na comunidade científica como originária da China no século IX. Descoberta pelos alquimistas chineses na busca do elixir da imortalidade, a pólvora resultou de séculos de experimentação. A palavra chinesa para "pólvora" significa “fogo da Medicina”, estando a primeira referência às propriedades incendiárias da pólvora descrita num texto "taoista" (真元妙道要略) de meados do século IX:
"... aquecidos juntos, enxofre, realgar (derivado do ácido sulfúrico) e salitre com mel originaram chamas e fumo, de tal forma que as suas mãos e rostos foram queimados, e até mesmo toda a casa ardeu."
Nos séculos que se seguiram, foram descritos uma variedade de objetos propulsores criados pelos chineses, incluindo lança-chamas a pólvora, foguetes, bombas, entre outros. Os primeiros projéteis apareceram por volta de 904-906 – "flying fires".


No entanto, o primeiro registo do uso da pólvora ao serviço de um exército como propulsora de lanças foi descrito em 1232 na batalha de Kai-Keng entre a China e a Mongólia. Os mongóis após o combate criaram os seu próprios modelos e pensa-se terem sido uns dos responsáveis por sua disseminação pela Europa, a par de Roger Bacon, que importou e melhorou a formula da pólvora – descrita no seu livro "De nullitate magiæ" publicado em 1216 .
Os primeiros objetos propulsores de projéteis eram constituídos por um tubo de bambu preenchido por pedras ou outros objetos de arremesso onde uma mistura de salitre, enxofre e carvão em contato com o fogo criava um escape de gases responsável por expelir os objetos. Os dispositivos que utilizavam as propriedades propulsoras e explosivas do novo composto são mencionados pela primeira vez num manuscrito datado de 1326, em que se descreve um canhão em forma de vaso, capaz de disparar um projétil de ferro em forma de seta.
A introdução da pólvora na Europa rapidamente se fez acompanhar da sua utilização para fins bélicos. No século XIV surgiram os primeiros canhões de bronze e a sua consequente evolução deu origem a armas cada vez mais pequenas, capazes de serem transportadas e utilizadas por um só homem, as chamadas armas de fogo de roda de mecha – arcabuzes e mosquetes – que vieram revolucionar toda a tática militar de então.
A primeira arma de fogo individual usada na Europa teve origem na Hungria, com o nome de arcabuz, sendo que um em cada três soldados do exército austro-húngaro possuía um arcabuz. No final do século XV as armas de fogo eram apenas um complemento aos besteiros, mas em 1550 a sua importância estratégica tinha suplantado o uso da besta como arma principal de guerra, quer nos campos de batalha europeus quer nos do Novo Mundo. O mosquete, que sucedeu ao arcabuz, foi uma das primeiras armas de fogo usadas em larga escala pelos soldados de infantaria entre os séculos XVI e XVIII. A arma era carregada pela boca com pólvora e por aí era igualmente colocado o projétil. O sistema de disparo consistia em mechas incendiárias. O alcance máximo que um mosquete poderia alcançar era de cerca 90 a 100 metros.
A Batalha de Crécy – 26 de agosto de 1346
Segundo relatos da época, os canhões foram usados pela primeira vez na Europa, nos campos de Crécy, pelas tropas inglesas durante a Guerra dos Cem anos. A Batalha de Crécy teve lugar a 26 de Agosto de 1346 e foi o primeiro grande confronto da Guerra dos Cem Anos, entre os exércitos de Filipe VI, da França, e Eduardo III, da Inglaterra, que terminou com a vitória dos ingleses.

Extraído de: "As Primeiras Lesões por Armas de Fogo – novo paradigma para o cirurgião militar – Ambroise Paré"
Autores: Miguel Onofre Domingues Madalena Esperança Pina
Rev. Port. Cir. no.23 Lisboa dez. 2012
http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1646-69182012000400013

13 outubro, 2019

Como identificar um bot

Fábio Malini, da Universidade Federal do Espírito Santo, descreve algumas características de contas falsas em redes sociais usadas para influenciar a opinião pública.

Muitas mensagens
O primeiro ponto é: elas publicam muito, centenas de mensagens por dia.

Softwares de gerenciamento
O controle da atividade nunca é feito diretamente pelo site ou aplicativo da rede social, que permite o login em apenas uma conta. Os criadores usam sofwares de gerenciamento, como o Hootsuite. E essa informação é visível nos metadados das mensagens.

Sem interação
A maioria dos textos publicados pelos bots são retweets ou compartilhamentos de terceiros, e por serem automatizados, eles nunca interagem com outras pessoas em conversas.

Monotematização
Normalmente, os bots tratam de apenas um tema. Se for para vender um serviço, vai fazer publicações apenas relacionadas a esse serviço. Se for político, vai publicar mensagens apenas do seu campo.

[https://oglobo.globo.com/economia/como-identificar-um-bot-21498117]



"Essa gente", o novo romance de Chico Buarque

O romance "Essa gente" é o novo livro do artista depois de ganhar o Prêmio Camões. Segundo anúncio feito na última quinta-feira (10), pela Companhia das Letras, a obra será lançada no dia 14 de novembro.
"Essa gente", retrata o Brasil de hoje e esbarra em traços da biografia de Chico, através da história de um escritor que está em decadência emocional e criativa e enfrenta problemas na hora de criar uma nova narrativa, vendo seus relacionamentos desabarem, ao mesmo tempo em que o Rio de Janeiro também desaba.
O nome do personagem é Manuel Duarte, sobrenome que lembra foneticamente o Buarque, de Chico.

Leia também a resenha de "Essa gente", por Sergio Rodrigues.

Obra literária
Em 1966, Chico publica em O Estado de S.Paulo o conto "Ulisses", incorporado depois no primeiro livro chamado "A banda" que trazia os manuscritos das primeiras canções. Em 1974, sai a novela pecuária "Fazenda Modelo". Em 1979, é editado "Chapeuzinho amarelo" e, em 1981, "A bordo do Rui Barbosa", poema da década de 60 ilustrado por Vallandro Keating. A partir do início dos anos 1990, Chico tem alternado a produção musical com a literária: "Estorvo" (1991), "Benjamim" (1995), "Budapeste" (2003), "Leite derramado" (2009), "O irmão alemão" (2014) e agora "Essa gente" (2019). Em 1965, Chico musicou o poema "Morte e Vida Severina", de João Cabral de Melo Neto. Desde então, sua presença no teatro brasileiro tem sido constante. Escreveu quatro peças: "Roda Viva", "Calabar" (com Ruy Guerra), "Gota d'água" (com Paulo Pontes) e "Ópera do Malandro".

12 outubro, 2019

A casa da árvore de Trumpinho

Trumpinho, com a ajuda de alguns amiguinhos, terminou a construção de uma casinha de madeira numa árvore do gramado da Casa Branca. Ontem, o garoto de dez anos proibiu, por tempo indeterminado, que qualquer menino do Brazil entrasse na OCDE (que é como ele chama a tal casa da árvore).


"Não tenho a menor ideia de quem são esses meninos. Com que brinquedos eles brincam? Gostam de arminhas como nós? Eles sabem fritar hambúrgueres? Talvez alguns meninos sejam do bem, mas não quero arriscar que um menino do mal apareça", declarou Trumpinho, através de um copo de plástico conectado por treze pés de fio a outro copo de plástico, ao ser entrevistado por Petúnia, do blog EntreMentes.
Enquanto a casa da árvore estava em construção, Trumpinho teria prometido a entrada de um pequeno grupo de brasileirinhos, sob a condição de apresentar certidão negativa para crimes ambientais. No entanto, uma vez que os aspirantes a companheiros de brincadeira não cumpriram esta exigência, Trumpinho adiou a permissão de entrar para as calendas hebraicas.

Se a gente grande soubesse

Samba que concorreu ao I Festival Internacional da Canção (FIC), promovido em 1966 pela extinta TV Rio (as seis edições posteriores foram promovidas pela Globo), defendido pelo Quarteto em Cy junto com Bilinho, filho do autor, Billy Blanco. A primeira gravação foi feita ao vivo durante o certame, e editada no quarto dos seis LPs que a Secretaria de Turismo da então Guanabara lançou, fora do mercado, com a íntegra sonora desse FIC. A gravação de estúdio só viria no ano seguinte, 1967, pela Philips (selo Elenco), no compacto duplo n.º CED-6 e no LP "De marré de Cy".
~ Samuel Machado Filho



Se a gente grande soubesse (quanta paz)
o que consegue a voz mansa (o bem que faz)
como ela cai feito prece (e vira flor)
num coração de criança.
A gente grande que tira (sem pensar)
o meu brinquedo da mão (me faz chorar)
tirou de um músico a lira (sem saber)
interrompeu a canção. {bis}

De tanto não que eu escuto (não e não)
o não eu vivo a dizer (que confusão)
se eu não sossego um minuto (é natural)
eu não parei de viver.
A gente apenas repete (tal e qual)
tudo que escuta e que vê (não leve a mal)
pois gente grande eu queria (ser um dia)
todo igualzinho a você. {bis}

Um dos ícones da MPB, Blanco compôs mais de 500 músicas. Suas canções foram gravadas por cantores como João Gilberto, Elis Regina, Dick Farney, Lúcio Alves, Dolores Duran, Nora Ney e outros grandes nomes da MPB. Ele também fez parcerias com Tom Jobim (14), Baden Powell e Sebastião Tapajós, entre outros.
William Blanco Abrunhosa Trindade nasceu em 1924, em Belém. Formado em arquitetura, sempre gostou de tocar e compor músicas. Nos anos 50, já morando no Rio, se destacou por seus sambas e letras, tornando-se um dos precursores da bossa nova.
Entre seus grandes sucessos, estão "A banca do distinto", "Canto chorado", "Estatutos da gafieira", "O morro", "Pano legal", "Pistom de gafieira", "Mocinho bonito", "Samba triste", "Se a gente grande soubesse" e"Tereza da praia".

12 de outubro, Dia da Criança

11 outubro, 2019

A noite das luzes mortais

Comentando a nota A busca de vida nos planetas que brilham (blog EM, data: 10/10/2019), Fernando Gurgel citou este artigo: Bioluminescência: o incrível e raríssimo fenômeno que só acontece aqui em Goiás (site Curta Mais, data: 27/10/2015, upgrade: 12/01/2019), em que "cupinzeiros ficam cheios de pontos brilhantes durante à noite, criando um cenário mágico e de encher os olhos".
"A busca de vida...", na verdade, fala em fluorescência. Vejamos o que distingue a fluorescência da luminescência:
A fluorescência é o fenômeno pelo qual uma substância emite luz quando exposta a radiações do tipo ultravioleta, raios catódicos ou raios X. As radiações absorvidas (invisíveis ao olho humano) transformam-se em luz visível, ou seja, com um comprimento de onda maior que o da radiação incidente. Este fenômeno ocorre usualmente em "tempo real", com o material fluorescente brilhando apenas enquanto exposto à fonte primária de energia.
Já a bioluminescência difere da biofluorescência (a fluorescência em um organismo vivo) por ser a produção natural de luz por reações químicas dentro de um organismo. Um vaga-lume e um tamboril são bioluminescentes.
Ainda há a biofosforescência que é semelhante à biofluorescência em sua exigência de comprimentos de onda de luz como um fornecedor de energia de excitação. A diferença aqui está na relativa estabilidade dos elétrons energizados.

Night of the deadly lights by Ary Bassous (Brazil). The Guardian

Em noites tranquilas e úmidas, os cupinzeiros do Parque Nacional das Emas, no cerrado brasileiro, brilham com estranhas luzes verdes. Estas são as iscas bioluminescentes das larvas de besouros que vivem nas camadas externas dos montes. Quando as condições são adequadas, eles saem de seus túneis. Acendendo seus "faróis", eles esperam as presas - geralmente cupins voadores que emergem para acasalar e procurar novos lugares para colonizar.

O ingrediente oculto do talento

Sim, nos foi dito que, se trabalharmos duro, estudarmos e aprendermos o máximo de conhecimentos e habilidades que pudéssemos, e aplicarmos tudo isso em nossas vidas diárias, no trabalho, na escola e em outros aspectos da vida, então atingiríamos nossas metas e nos tornaríamos bem sucedidos.
Bem, nem sempre é esse o caso.
O propalado "Se você acredita, seu sonho se tornará realidade" é uma versão muito simplificada da realidade. A versão mais precisa é que, se você acredita e trabalha duro, estuda e faz tudo o que pode, então você pode ter uma probabilidade melhor de alcançar seus sonhos.
Mas não é garantia.
Os pesquisadores A. Pluchino, A.E. Biondo e A. Rapisarda, em seu recente artigo "Talent vs Luck: the role of randomness in success and failure" (Talento x Sorte: o papel da aleatoriedade no sucesso e fracasso) dizem que "o paradigma meritocrático dominante das culturas ocidentais altamente competitivas está enraizado na crença de que o sucesso deve-se principalmente, se não exclusivamente, a qualidades pessoais como talento, inteligência, habilidades, inteligência, esforços, intencionalidade, trabalho árduo ou tomada de riscos".
Não sorte.
O trabalho é acadêmico e inclui 23 páginas de análise e modelos. Mas, como um resumo de alto nível, dizem os autores, "é bastante comum subestimar a importância de forças externas em histórias de sucesso individuais".
Isso é sorte.
Como evidência, eles destacam que "a inteligência (ou, mais em geral, talento e qualidades pessoais) exibe uma distribuição Gaussiana entre a população, enquanto a distribuição de riqueza - frequentemente considerada um indicador do sucesso - segue tipicamente uma lei de poder (lei de Pareto), com uma grande maioria de pessoas pobres e um número muito pequeno de bilionários. Tal discrepância entre uma distribuição normal de entradas, com uma escala típica (o talento médio ou a inteligência) e uma distribuição invariante de escala de saídas, sugere que algum ingrediente oculto esteja trabalhando nos bastidores".

Leia mais sobre isso neste artigo de Greg McKenna, em The Business Insider.

10 outubro, 2019

Um relógio de números irracionais

Neste relógio de números irracionais todos as horas são valores aproximados. Elas estão muito perto da hora exata, mas obviamente nunca estão "no ponto".


Veja este slideshow para se atualizar em relógios incomuns.

A busca de vida nos planetas que brilham

Recentemente, pesquisadores da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, tiveram um novo insight que pode ser útil na árdua busca por vida alienígena. Eles imaginaram como organismos vivendo em mundos que orbitam estrelas anãs vermelhas sobreviveriam às intensas rajadas de radiação que, de tempos em tempos, elas ejetam em grandes erupções. Justamente por estarem submetidos a doses elevadíssimas de raios ultravioleta, tais seres iriam precisar de algum tipo de mecanismo protetor. E, para eles, a biofluorescência cairia como uma luva.
Além de blindá-los contra os efeitos nocivos da radiação, a reação luminosa pode se tornar tão forte durante as erupções a ponto de ser identificável mesmo de outro sistema solar. Basta ter um telescópio potente o bastante para captar o brilho. E, para nossa sorte, dentro de poucos anos, instrumentos desse porte estarão em funcionamento.
"É um jeito completamente novo de procurar vida no Universo. Apenas imagine um mundo alienígena brilhando suavemente em um telescópio poderoso", disse em um comunicado o astrônomo líder da pesquisa, Jack O’Malley-James, pesquisador do Instituto Carl Sagan, em Cornell. Os cientistas não precisaram ir longe para entender como seria esse brilho – é só olhar para corais que usam o mesmo mecanismo para suavizar a radiação ultravioleta do Sol.
Eles convertem os raios ultravioleta em luz visível, criando o belo efeito brilhante. "Essa biofluorescência pode expor biosferas escondidas em novos mundos através de seus brilhos temporários, quando a erupção de uma estrela atinge o planeta", disse a astrônoma Lisa Kaltenegger, do Instituto Carl Sagan e co-autora deste artigo publicado em 13 de agosto, no periódico Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Figura - Um exemplo de fluorescência de coral. As proteínas fluorescentes de corais absorvem a luz ultravioleta e a luz azul e reemitem-na em comprimentos de onda maiores (ver, por exemplo, Mazel e Fuchs, 2003). Imagem disponibilizada sob Creative Commons CC0 1.0 Universal Public Domain Dedication.

Via MSN (condensado)

09 outubro, 2019

A figura excepcional de Halley

No decorrer de uma carreira longa e produtiva, o inglês Edmond Halley (1656, Haggerston - 1742, Greenwich) foi capitão de navio, cartógrafo, professor de geometria na Universidade de Oxford, vice-tesoureiro da Casa da Moeda Real, astrônomo real, editor de Isaac Newton e inventor do sino de imersão. Ele escreveu com autoridade sobre magnetismo, marés e os movimentos dos planetas e, afetuosamente, sobre os efeitos do ópio. Inventou o mapa do tempo e a tabela atuarial, propôs métodos para calcular a idade da Terra e sua distância do Sol, chegou a conceber um método prático para manter frescos os peixes fora da estação. 
Breve história de quase tudo, Bill Bryson

O interessante é que a única coisa que ele não fez foi descobrir o cometa que viu em 1682Esse cometa, que só recebeu o nome de Halley em 1758 (dezesseis anos após sua morte), era o mesmo que outros haviam visto em 1066, 1145, 1222, 1301, 1378, 1456, 1531 e 1607.
Contudo, no aparecimento de 1682, ele previu o retorno do cometa em 1758.

Slideshow ENCONTRO MARCADO

Chamadas a cobrar

Francisco Tárrega (1852 - 1909) foi um grande violonista espanhol do período romântico. É o autor da "melodia provavelmente mais ouvida do mundo": o toque da Nokia, que se baseia em quatro compassos da Gran Vals, um de seus estudos para violão.



Ringtone: 0:12 e 2:29 do vídeo.

O som da moeda em Super Mario Bros.

08 outubro, 2019

Homenageados na Torre Eiffel

Há 72 nomes de cientistas, engenheiros e industriais franceses inscritos na Torre Eiffel. Estão em letras douradas de 60 cm de altura em torno do primeiro andar. São nomes de pessoas que honraram a França no período de 1789 a 1889.
Cientistas que tinham nomes longos foram excluídos deste reconhecimento devido ao espaço limitado entre as vigas. O nome mais longo, "Le Chatelier", tem 12 letras.
Aqui estão todos os nomes:


A lista dos nomes registrados na Torre Eiffel com informações adicionais
(https://twitter.com/fermatslibrary/status/1110167961388662786)

Visitar também: O apartamento exclusivo da Torre

O significado de Wi-Fi


Alguém já se perguntou o que significa Wi-Fi?
Eu meio que achava que a parte "Wi" fosse por causa de wireless, uma vez que estamos a falar de uma conexão sem fio. Mas eu não conseguia atinar para o que seria a parte "Fi". E, muito menos, para o que esta parte poderia representar com relação ao termo inteiro.
Acontece que não significa nada . É tudo um monte de marketing hokum.
O membro fundador da Wi-Fi Alliance, Phil Belanger, compartilhou a história do termo com o Boing Boing em 2005. A indústria sem fio estava buscando um nome amigável para se referir à tecnologia que aderiu a padrões conhecidos como IEEE 802.11.
Nós precisávamos de algo que fosse um pouco mais cativante do que... "Sequência Direta IEEE 802.11b", explicou ele. A Wi-Fi Alliance então contratou a Interbrand para apresentar ideias, e a consultoria de marca propôs 10 nomes, incluindo "Wi-Fi" que soa parecido com "hi-fi", aka "high fidelity" (alta fidelidade).
Neatorama

07 outubro, 2019

Eclipses solares totais

Eis a notável coincidência que nos permite ver eclipses solares totais: o diâmetro da Lua é 400 vezes menor do que o diâmetro do Sol, mas a Lua também está 400 vezes mais perto de nós.


A guerra de Guarapari

Uma trama envolvendo negociações secretas, acordos internacionais, disputas políticas, corrupção e exploração de trabalhadores liga o balneário de Guarapari, no Espírito Santo, ao programa de produção de armas nucleares dos Estados Unidos durante e depois da Segunda Guerra Mundial. O pivô de tamanha disputa é justamente o patrimônio que mais tarde deu fama à cidade por suas propriedades medicinais: a areia monazítica, rica em elementos radioativos. Essa areia abastecia as pesquisas de projetos secretos criados pelo governo norte-americano para acelerar a produção de bombas atômicas, sobretudo no período da Guerra Fria.
O navio Fjord foi um dos mais ativos
no transporte da monazita de Guarapari
Documentos dos governos brasileiro e norte-americano, pesquisas acadêmicas, notícias de jornais da época e fotografias de arquivos públicos comprovam o envio de areia monazítica de Guarapari e outros municípios capixabas, do Rio de Janeiro e Bahia para os Estados Unidos – além de França, Alemanha e Inglaterra – entre as décadas de 1890 e 1960. Muitas vezes o envio era feito a "preço de banana" ou de forma clandestina, declarada como areia comum para preencher o lastro dos navios. Esse material, no entanto, é rico em tório, elemento radioativo muito visado em dois momentos da história: primeiramente usado para fabricação de luminárias a gás, exportada para a Europa a partir de 1890, e depois pela indústria nuclear na década de 1940, para desenvolvimento da bomba atômica.
Nesse caso, o tório virou alvo de cobiça internacional após a descoberta de que poderia ser produzido a partir dele Urânio 233 (U-233), elemento criado em laboratório e usado em reatores ou bombas atômicas.

Prossiga lendo esta reportagem de Aglisson Lopes e Natália Bourguignon em Gazeta Online.
https://especiais.gazetaonline.com.br/bomba
Publicada em 29/08/2015. Acessada em 20/04/2019.
A reportagem contou com a colaboração de Anelize Nunes (Cedoc), Arabson (ilustrações), Marcelo Franco (Ilustrações) e Wing Costa (edição de vídeo).

ANCHIETA E GUARAPARI na atualidade, blog Linha do Tempo

06 outubro, 2019

Tecnologia contra Big Brother


Grigôri Bakunov, diretor de distribuição de tecnologia da Yandex, gigante do setor e maior buscador da Rússia, ao desenvolver um algoritmo de reconhecimento facial, criou simultaneamente uma maquiagem futurista que poderia ludibriar as câmeras inteligentes com apenas algumas linhas e pontos faciais.
Apesar de útil para evitar o reconhecimento facial, o projeto não foi adiante. A maquiagem seria perigosa caso fosse aplicada em rostos errados.

Caminhadas, voos e concertos aleatórios

Esta é uma propriedade curiosa do movimento browniano: ele preenche o espaço em 1D (a formiga a andar sobre uma linha), em 2D (a formiga a andar sobre uma folha), mas não preenche o espaço quando este é 3D ou superior.
Por isso, um homem bêbado encontra o caminho de casa, enquanto um pássaro bêbado se perde para sempre.
V. Pássaros bêbados
O movimento browniano é o movimento aleatório das partículas quando estão suspensas num fluido (líquido ou gás). Foi pela primeira vez descrito pelo botânico Roberto Brown, ao olhar através de um microscópio grãos de pólen na água.
O modelo matemático do movimento browniano tem inúmeras aplicações do mundo real. Por exemplo, flutuações do mercado de ações são frequentemente citadas, embora Benoît Mandelbrot tenha rejeitado sua aplicabilidade aos movimentos de preços de ações, em parte, porque estes são descontínuos.
Outro exemplo de aplicação do modelo é na música, porém eu não recomendo.



https://soundcloud.com/erich-barganier/a-drunk-man-will-find-his-way-home-but-a-drunk-bird-may-get-lost-forever-live
https://twitter.com/fermatslibrary/status/1111609454343192576
https://mathoverflow.net/questions/3559/colloquial-catchy-statements-encoding-serious-mathematics

Repetindo: não recomendo, j'ouviu?

05 outubro, 2019

Se a Terra fosse plana...

GYRO GRILL SERIA A SOLUÇÃO IDEAL
PARA MANTÊ-LA AQUECIDA POR IGUAL.
(http://bitsandpieces.us/2019/04/gyro-grill/#respond)

Aeroportos perigosos

Forbes traz a relação dos 17 aeroportos mais perigosos do mundo e por que você deve experimentá-los.
Um deles é o aeroporto de Paro, no Butão.
Este aeroporto está localizado em um vale a 2.235 metros acima do nível do mar, cercado por montanhas com picos de até 5.500 metros.
A pista de 1.200 metros permite apenas chegadas e partidas durante o dia. Sua abordagem é dramática, pois a pista é completamente fora do campo de visão dos pilotos até o último minuto. Eles manobram entre as montanhas, em um ângulo de 45 graus, antes de fazer descer o avião rapidamente na pista. Existe até um ponto em que a parte inferior do avião se aproxima perigosamente das casas nas montanhas.
Somados a isso, estão os fortes ventos que atingem os vales, ocasionando muitas vezes fortes turbulências.
Vale a pena a aventura. Ao concluir a aterrissagem, os pilotos são efusivamente aplaudidos pelos passageiros. E você desembarca através do magnífico aeroporto de Paro conhecido pelo estilo ar fresco.
Apenas 17 pilotos qualificados estão autorizados a pousar neste aeroporto.

A lista de Forbes inclui o aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

No blog EM: aeroporto de Santa Helena.

04 outubro, 2019

A guerra das correntes

A história da guerra entre as duas tecnologias básicas de transmissão da corrente elétrica é bem conhecida: Edison contratou Tesla quando ele veio para os EUA, e traiu-o miseravelmente não pagando o prometido. E Tesla foi montar seus próprios negócios.
A chave para todas essas invenções do começo do século 20 era a energia elétrica e, por conseguinte, sua distribuição. Tesla era a favor da corrente alternada (AC); Edison, da contínua (DC).
Como dizem no filme The Current War (lançamento em 4 de outubro nos EUA):
"Hoje em dia o impossível é possível e quem dominar a corrente elétrica vai dominar o futuro."
Apoiado por JP Morgan, Edison ofusca o mundo ao iluminar Manhattan. Mas a Westinghouse, auxiliada por Nikola Tesla, viu falhas fatais no projeto de Edison.
Tesla ganhou a guerra, pelo menos moralmente, e em nossas casas utilizamos a corrente AC. Mas acabou morrendo arruinado e meio esquecido, enquanto tentava fazer o bem e mudar o mundo.
O trailer do filme nos permite vislumbrar o chiaroscuro dste personagem tão multifacetado, um empreendedor autêntico que, além de inventar tecnologias, dominou a arte e a técnica da publicidade. Criando expectativas e dando um show quando necessário.

(Se é um fato histórico não se pode aplicar o conceito de spoiler.)

Fonte: www.microsiervos.com

Dez frases sobre a natureza

Nunca a sabedoria diz uma coisa e a natureza outra. (Juvenal)

O fato de estarmos tão confortáveis na natureza vem do fato de que ela não tem opinião sobre nós. (Friedrich Nietzsche)

Podemos desafiar as leis humanas, mas não podemos resistir às leis naturais. (Júlio Verne)

Natureza e silêncio vão melhor juntos. (Terri Guillemets)

Na natureza não há recompensas ou punições, há consequências. (Robert Green Ingersoll)

Na natureza nada é supérfluo. (Averróis)

Escolha apenas um professor: a natureza. (Rembrandt)

A natureza não é um lugar para se visitar. É o lar. (Gary Snyder)

A natureza é meu remédio. (Sara Mos)

O poder de salvar o planeta reside no consumidor individual. (Denis Hayes)

O Dia da Natureza é celebrado anualmente em 4 de outubro. Esta data é dedicada a conscientizar a sociedade a refletir sobre métodos sustentáveis de utilizar o meio ambiente, sem danificá-lo.

03 outubro, 2019

Observatório R2-D2

Fãs de Star Wars!
Este é o droide que vocês estão procurando: o Observatório Zweibrück da Associação de Ciências Naturais da Alemanha. O que se transformou em uma réplica gigante do R2-D2!
Pee-wee Herman, My Log


O termo droide (droid, em inglês) refere-se a um tipo de robô, especificamente robôs inteligentes como o C-3PO e o R2-D2 vistos no universo ficcional de Star Wars.

R2-D2 foi pego fumando

Disposição para perucas

"Algumas coisas na vida o dinheiro não pode comprar, mas o cabelo não é uma delas", explica uma equipe de pesquisa do Departamento de Economia da Appalachian State University, nos Estados Unidos.
Homens calvos estão dispostos a pagar quantias consideráveis ​​de dinheiro para melhorar a cobertura, o que levanta a questão seguinte:
"Quanto em média eles estão dispostos a pagar para trocar uma bola brilhante por uma crina luxuriosa?"


A resposta à pergunta é: "cerca de US $ 30.000".
Essa pesquisa, intitulada "Willingness Toupee", foi publicada na edição de março de 2019 da revista Economic Inquiry.

Perucas infernais

02 outubro, 2019

Piscinas compartilhadas

Já desejou secretamente mergulhar o pé na piscina do quintal do vizinho que nunca usa a dele?
Bem, foi para isso que o Swimply nasceu! É como um Airbnb para alugar piscinas!


Los Angeles Times:
Hoje em dia, você pode alugar a qualquer momento a piscina de quem gosta da idéia da economia compartilhada para as piscinas. Diga olá para Swimply.
O modelo é o do Airbnb que possibilita aos viajantes a hospedagem no cômodo de uma casa ou mesmo na casa inteira.
Com o Swimply, os proprietários de piscinas podem se inscrever no site e adicionar fotos de seus quintais piscinados. Aqueles que desejam alugar uma piscina usam o mesmo aplicativo para reservá-la por um número especificado de horas.
(post não patrocinado)

O que acontece quando você acende 50 mil fósforos?

Este é um feito de pura organização, concentração e imensa paciência. Cinquenta mil fósforos são cortados em vários tamanhos e empilhados para formar os vários componentes de um canhão em miniatura, e carregado com - você adivinhou - mais fósforos. Apesar do pequeno tamanho, se comparado ao dos canhões de Navarone (*), este canhãozinho provoca um efeito espetacular.



➕ 11 milhões de visualizações
➕ 4 mil comentários

(*) Sinopse. Em 1943, 2.000 soldados britânicos estão encurralados na Ilha de Kheros, pertencente à Turquia que ainda não entrou na guerra mas está sendo pressionada pelos alemães. Nao podem ser resgatados pela Marinha em função de dois enormes canhões alemães construídos na escarpada ilha grega de Navarone. Os aliados resolvem montar uma expedição secreta, para dinamitar os canhões.

01 outubro, 2019

Ultrablack

Uma equipe de engenheiros do MIT desenvolveu o que eles chamam de "o material mais preto até hoje". É mais preto do que o Pantone Black.
É mais escuro até do que o famoso Vantablack ®, que absorve 99,96% da radiação da luz.
Sobre esta inesperada descoberta, o Ultrablack, eles dizem que absorve 99,995% da luz e que, por isso, é dez vezes mais escuro do que o recordista anterior.
A demonstração deste material, composto por microfilamentos de nanotubos de carbono, pode ser vista no vídeo do Amaze Lab. Ou: no prédio da Bolsa de Valores de Nova Iorque, sob a forma de um montagem artística chamada de "The Redemption of Vanity".


O artista Diemut Strebe usou o material Ultrablack para cobrir um diamante de 17 quilates, tornando-o praticamente invisível.

New 'blackest black' material absorbs 99.995 percent of light, NBC NEWS

Envelhecer - um privilégio

Nascer - uma probabilidade.
Viver - um risco.
Envelhecer - um privilégio.
Morrer - . . .

"Não é que eu tenha medo de morrer. Mas eu não quero estar lá na hora que isso acontecer." ~ Woody Allen

Outubro
Derivado da palavra octo, que significa oito, este era o oitavo mês do calendário romano, que se tornou o décimo mês no calendário gregoriano. É marcado por muitos festivais que acontecem em todo o mundo, incluindo a Oktoberfest, na Alemanha. Em 1.º de outubro comemora-se no Brasil o Dia do Idoso.

30 setembro, 2019

Deles e delas

Em Ubang, uma comunidade agrícola no sul da Nigéria, homens e mulheres falam línguas diferentes.
Eles se entendem perfeitamente, mas "é quase como utilizassem dois léxicos diferentes", diz o antropólogo Chi Chi Undie. "Há palavras que homens e mulheres têm em comum, e outras que são totalmente diferentes, dependendo do sexo. Elas não soam parecidas nem têm as mesmas letras".


Criados por suas mães e outras mulheres, os meninos crescem falando a língua feminina, mas aos 10 anos espera-se que mudem, espontaneamente, para a língua masculina. "Há um estágio que o macho alcança e então descobre que não está usando a linguagem correta", diz o chefe Oliver Ibang. "Ninguém vai dizer a ele que ele deveria mudar para a língua masculina. … Quando ele começa a falar a língua dos homens, você sabe que ele está entrando na maturidade."

Nováfrica

O atômico Nautilus

Em 1954, foi lançado ao mar em Groton, Connecticut, o U.S.S Nautilus, (*) o primeiro submarino atômico dos Estados Unidos. O sistema de propulsão nuclear do Nautilus foi um marco na história da engenharia naval. Todos os navios anteriormente conhecidos como "submarinos" eram de fato apenas embarcações submersas. Devido à usina nuclear, o Nautilus poderia ficar submerso por meses, ao contrário dos submarinos a diesel, cujos motores exigiam grandes quantidades de oxigênio. O Nautilus demonstrou plenamente suas capacidades em 1958, quando navegou sob a calota polar do Ártico. Dezenas de submarinos nucleares seguiram o Nautilus, substituindo a frota de submarinos a diesel dos Estados Unidos. Depois de patrulhar os mares até 1980, o Nautilus voltou para sua casa em Groton (Submarine Force Museum).
(*) O Nautilus foi lançado ao mar em 21 de janeiro de 1954 e entrou em operações em 30 de setembro do mesmo ano.

Today in Science, publicado em 21/01/2018 e acessado em 16/02/2019.

29 setembro, 2019

"Cospe a pedrinha, Mansur!"

Frase que se tornou proverbial no mundo árabe.
Mansur era um "boca-suja", auxiliar de um imã, que tentava inutilmente corrigir-lhe a linguagem, permeada de palavrões. Até que lhe ocorreu a ideia de que Mansur mantivesse uma pedrinha na boca para ajudá-lo a lembrar-se de evitar expressões indecorosas.
Num certo dia de intenso calor, o imã percorria a estrada - a pé, acompanhado por Mansur -, em visitas a fieis, quando ouviu uma velha que com insistência chamava por ele, do alto de um morro. Quando os dois acabaram de subir a penosa encosta, a velha explicou que o chamara para abençoar sua ninhada de pintinhos...
O imã, passando o lenço na testa, voltou-se para Mansur (que estava ainda mais furioso...), dizendo: "Tudo bem, Mansur, pode cuspir a pedrinha!"
[http://advivo.com.br/comentario/re-proverbios-arabes-1]

N. do E.
Para adaptar a presente história ao contexto católico, substitua 1) o imã por um bispo (embora para isso baste um padre-nosso) e 2) o "boca-suja" do Mansur por um sacristão.

Ler também: Morreu Maria Preá

"Eu sei que vou te amar"

É um clássico da MPB de autoria de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Recebeu esta versão em francês (Tu sais, je vais t'aimer) do compositor franco-egípcio Georges Moustaki.

Márcio Faraco e Nana Caymmi


No acervo do YouTube constam também interpretações de Henri Salvador, Diana Panton, Gloria Estefan, Mademoizelle Fizz, Lorenza Pozza, Douce Rebelle, Emílio Santiago, Sylvia Negrelli e do guitarrista argentino Paul Dourge e banda para  "Tu sais, je vais t'aimer".

28 setembro, 2019

A origem de "OK"

A teoria de maior aceitação é aquela que se refere a "OK" como tendo sua origem numa abreviação de duas palavras. Curiosamente, nenhuma delas começa com a letra "O" ou "K".
"OK" é "all correct" (tudo certo). Por isso, usamos o termo quando queremos expressar aprovação, concordância ou, simplesmente, como uma maneira de afirmar que as coisas estão certas.
A palavra "OK" surgiu nos Estados Unidos, no final da década de 1830, quando o uso de abreviações para substituir palavras inteiras em conversas se tornou popular.
Outro desses casos foi o uso de "SP" para abreviar "small potatoes" (pequenas batatas). Se alguém diz (no inglês informal) que algo é "SP", é porque não tem importância em comparação com outra coisa. "Nossas preocupações monumentais são, muitas vezes, pequenas batatas no esquema mais amplo da vida".
N. do E.
Abreviar intencionalmente palavras com erros ortográficos já tem acontecido no Brasil. Tomemos, como exemplo, o caso de Antônio "Chofer" que se assina "OX".

Pegadinha do Mução: Antônio OX

Muita calma nessa hora!

Nem sei porque tem tanta gente apavorada atualmente!
Vejam bem, acreditem, ainda demora um pouco para a gente precisar se preocupar de verdade.
A coisa está na fase de queimar florestas. Se continuar como manda o figurino, pode ocorrer incêndios em jornais, sede de partidos políticos e locais de eventos culturais onde circulem ideias de liberdade, cultura e coisas assim. Depois vem a fase de queimar livros e bibliotecas. Mais
um pouco depois, começam a queimar templos e imagens que não lhes sejam do agrado.
Nesse meio tempo, pode até acontecer uma guerrinha pra desviar a atenção. Certo?
Ou seja, até começarem a construir os fornos crematórios para jogar dentro os que pensam diferente deles, creio que ainda demora um pouco. Além disso, o gás para alimentar os fornos está muito caro. Idem pra gasolina.
Claro que os eventos não acontecem necessariamente nessa ordem, mas você ainda sempre tem a opção de acreditar que este tipo de coisa NUNCA acontece com você, nem com alguém querido, não é mesmo?
Então, calma minha gente. Acreditem, não precisa ter tanto desespero. Ainda.
Esperem, pelo menos, nós, idosos, (*) fugirmos primeiro, pois não somos tão ágeis como vocês.

Fernando Gurgel
N. do E.
(*) Nós estamos na idade em que tudo que a Mãe Natureza nos deu, o Pai Tempo nos toma.

27 setembro, 2019

Meio gol

Tentando evitar o gol, o pai empurra o filho goleiro para interceptar a bola.



"La Mano de Dios", diria Maradona.

Lá vem o sol [3]

60.000.000 a.C.

- Lá vem o sol, mãe.
- Tudo bem, filho.
[1] [2]

"Here comes the sun", faixa 1 do lado B do álbum "Abbey Road" (1969).

======================================================================

John voltou a Abbey Road, meio século depois. Bem, na verdade, ele nunca saiu dali. @lilian s.

26 setembro, 2019

Rússia é superpotência global?

As definições do termo superpotência diferem, mas a maioria dos analistas políticos afirma que, para ser uma superpotência global, o país deve ter enorme influência não apenas sobre seus vizinhos, mas sobre todo o mundo.
"Segundo [o cientista político polonês e ex-conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos] Zbigniew Brzezinski, existem quatro sinais de que um país é uma superpotência: influência militar, econômica, técnico-científica e cultural", disse o analista político da Escola Superior de Economia de Moscou, Oleg Matveitchev.
A Rússia atende, definitivamente, a alguns desses critérios. O país tem, por exemplo, enorme capacidade militar: o orçamento da Defesa é de US$ 47 bilhões e ele tem arsenal nuclear e grandes Forças Armadas.
O peso político da Rússia na arena internacional também é impressionante: como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, o país tem direito de vetar todas as resoluções. Além disso, desempenha um papel importante nos assuntos europeus e no Oriente Médio.
O potencial econômico russo, porém, não é tão grande quanto o dos Estados Unidos. A Rússia ocupa o 11.º lugar no ranking dos países pelo PIB (produto interno bruto), o que é insuficiente para que ela seja considerado uma superpotência.


No geral, o papel global da Rússia é limitado. "Há apenas um parâmetro em que Rússia é uma potência global: os recursos de Defesa. Em outras área, não somos tão poderosos e há muitas questões sobre qual será o papel da Rússia no século 21", diz o presidente do Instituto de Economia Mundial e Relações Internacionais, Aleksandr Dinkin, ao jornal Kommersant.
Na segunda metade do século 20, a URSS desafiou os EUA em todo o mundo. Rivalizavam em todos os campos: militar, político, econômico e cultural.
"Após duas devastadoras guerras mundiais, a comunidade global se encontrava em uma situação muito anormal, em termos de história. Dois Estados dominavam o mundo, e eram incomparáveis a quaisquer outros países. Essa ordem mundial bipolar definiu o período da Guerra Fria", explica Fiódor Lukiânov, editor-chefe da revista Russia in Global Affairs.
"Naquele momento apareceu o termo superpotência, que foi usado para distinguir esses poderes gigantescos das chamadas grandes potências do século 19", acrescenta Lukiânov.
O último termo se refere a Reino Unido, França, Alemanha, Rússia etc. Após a Guerra Fria, uma das superpotências - a URSS - deixou de existir e, embora a Rússia tenha herdado alguns de seus ativos, "sua influência permaneceu grande, mas não era mais única", completa Lukiânov.

Link ativo para o texto original e completo em RUSSIA BEYOND.

Atitudes políticas antivacinais

O efeito Dunning-Kruger é o fenômeno pelo qual indivíduos que possuem pouco conhecimento sobre um assunto acreditam saber mais que outros mais bem preparados, o que faz com que esses indivíduos tomem decisões erradas e cheguem a resultados indevidos, sendo tudo agravado pela incompetência que os restringe na habilidade de reconhecer os erros. Estas pessoas sofrem de superioridade ilusória.

Sabendo menos, presumindo mais: o efeito Dunning-Kruger e o endosso de atitudes políticas antivacinais
Destaques:
• O baixo conhecimento sobre o autismo está associado ao pensamento de que se conhece mais do que os especialistas.
• O excesso de confiança está associado a atitudes políticas antivacinas.
• O excesso de confiança também está associado com o apoio ao papel de não-especialistas na elaboração de políticas.
https://doi.org/10.1016/j.socscimed.2018.06.032

O pequeno carro azul: 1 e 2

25 setembro, 2019

Pantone em 2020: as cores que representam a natureza

Fundada em 1962, a Pantone é mundialmente conhecida por seu sistema de cores, responsável por ditar as cores que a indústria gráfica – assim como nós, iremos usar durante o ano. Se a cor escolhida para o ano de 2019 foi a "living coral", que é um laranja com tons de dourado, nada mais atual do que escolher cores que simbolizem a natureza para 2020. O instituto acaba de anunciar que as cores do ano que vem serão azul e verde, pois juntas representam a natureza.


Representando o oceano e as florestas em 2020, as diversas tonalidades do azul e do verde irão prevalecer em nossas vidas. No entanto, a Pantone também prevê que os tons pastéis irão dominar a cena do design de interiores, já que as pessoas buscam cada vez mais cores "fáceis de conviver". Afinal, de poluição visual já basta todo o resto.
Prepare-se também para as estampas florais e os motivos da natureza em geral. Madeira e outros produtos naturais que nos oferecem acolhimento e paz também têm tudo para entrar em nossas casas.


Pantone em anos anteriores:
http://blogdopg.blogspot.com.br/2013/10/qual-e-o-problema-com-as-calcas-verdes.html
http://blogdopg.blogspot.com/2014/01/a-cor-oficial-de-2014.html
http://blogdopg.blogspot.com/2014/12/a-cor-oficial-de-2015.html
http://blogdopg.blogspot.com/2016/12/a-cor-para-desencorajar-o-vicio-de-fumar.html
http://blogdopg.blogspot.com/2017/08/a-cor-certa-para-as-bananas.html
http://blogdopg.blogspot.com/2018/12/pantone-revela-cor-de-2019-coral-vivo.html

"Minha senha é bem fácil de lembrar"

"[senhas] simplesmente não atendem ao desafio de qualquer coisa que você realmente quer proteger." ~ Bill Gates, 2004
Naturalmente, a maior falha de segurança das senhas geralmente não são os algoritmos e softwares usados, mas os próprios usuários. Como o famoso criador de XKCD, Randall Munroe, uma vez declarou de forma tão pungente: "através de 20 anos de esforços, nós treinamos com sucesso todos para usar senhas que são difíceis para os humanos lembrarem, mas fáceis para os computadores adivinharem".
Nesta missão de treinar pessoas para criar senhas ruins, a culpa por isso pode ser atribuída às recomendações escritas por Bill Burr, em 2003, amplamente divulgadas pelo Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia. Entre outras coisas, Burr recomendou o uso de palavras com caracteres aleatórios substituídos, incluindo a exigência de letras maiúsculas e números, e que os administradores do sistema fizeram com que as pessoas mudassem suas senhas regularmente para segurança máxima.
Sobre essas recomendações universalmente adotadas, o agora aposentado Burr declarou em uma entrevista ao Wall Street Journal : "Muito do que eu fiz, agora me arrependo..."
Para ser justo com Burr, os estudos sobre os aspectos da psicologia humana das senhas eram praticamente inexistentes no momento em que ele escreveu essas recomendações e, teoricamente, suas sugestões, no mínimo, deveriam ter sido um pouco mais seguras do ponto de vista computacional do que usar palavras regulares.
O problema com essas recomendações é apontado pelo Centro Nacional de Segurança Cibernética Britânica (NCSC), que afirma que "essa proliferação de uso de senha e requisitos de senha cada vez mais complexos colocam uma demanda irreal na maioria dos usuários. Inevitavelmente, os usuários planejarão seus próprios mecanismos de enfrentamento para lidar com a sobrecarga de senha. Isso inclui anotar as senhas, reutilizar a mesma senha em diferentes sistemas ou usar estratégias simples e previsíveis de criação de senhas".
Em 2013, o Google fez um rápido estudo sobre as senhas e observou que a maioria das pessoas usa um dos seguintes procedimentos em seu esquema de senhas: o nome ou aniversário de um animal de estimação, membro da família ou parceiro; um aniversário ou outra data significativa; a data de nascimento; o feriado favorito; algo a ver com um time favorito; e, inexplicavelmente, a palavra password.
Assim, a maioria das pessoas escolhe senhas baseadas em informações que são facilmente acessíveis aos hackers, que podem criar um algoritmo de força bruta para quebrar a senha.
Felizmente, embora você possa não saber da onipresença de sistemas que ainda exigem o melhor de você para definir uma senha, a maioria das entidades consultivas de segurança alterou drasticamente suas recomendações nos últimos anos.
Por exemplo, o acima mencionado NCSC recomenda agora, entre outras coisas, que os administradores de sistema parem de fazer as pessoas mudarem senhas, a menos que haja uma quebra de senha conhecida no sistema. O motivo: “Isso impõe ônus ao usuário (que provavelmente escolherá novas senhas que são apenas pequenas variações da antigo) e não traz nenhum benefício real". Além disso, estudos mostraram que "uma mudança de senha regularmente prejudica em vez de melhorar a segurança…"
Ou, como observa em Physics, o famoso cientista da computação Dr. Alan Woodward, da Universidade de Surrey: "Quanto mais você pede a alguém para mudar a senha, mais fracas as senhas que escolherá."
Da mesma forma, até mesmo um conjunto completamente aleatório de caracteres, em uma senha que não tenha outras medidas de segurança, é relativamente suscetível a ataques de força bruta. Como tal, o Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia também atualizou suas recomendações, agora incentivando os administradores a fazer com que as pessoas se concentrem em senhas longas, mas simples. Por exemplo, uma senha como "Minha senha é bem fácil de lembrar" geralmente será mais segura do que "D@ught3rsN@m3!1" ou mesmo "* ^ sg5! J8H8*@ #! ^".
É claro que, ao usar tais frases que tornam as coisas fáceis de lembrar, não contorna o problema de ter seus dados "hackeados" em algum serviço importante, com sistemas às vezes usando criptografia fraca ou mesmo nenhuma. Como aconteceu ao hack Equifax, que teve acesso aos dados pessoais de 145,5 milhões de pessoas nos EUA, incluindo nomes completos, números de seguridade social, datas de nascimento e endereços.
Ao final, nenhum sistema jamais será totalmente seguro, não importa o quão bem projetado tenha sido. O que nos leva às três regras de ouro da segurança do computador, escritas pelo célebre criptógrafo Robert Morris: "não possua um computador; não o ligue; e não o use".

Extraído de: WHO INVENTED COMPUTER PASSWORDS?, Today I Found Out

Arquivo
Lorrie Cranor criou uma "nuvem" com as mil piores senhas em língua inglesa, imprimiu-as num tecido e fez um vestido que ela usou numa palestra sobre a segurança de computadores.⇛
O vestido das piores senhas

24 setembro, 2019

Lei de Aldrin

O método conhecido como Lei de Aldrin determina a diferença de fusos horários entre 2 locais.
Ele é formado por 2 passos:
1.°: Descobrir a diferença em graus entre as regiões (DG).
Longitude A ± Longitude B = DG
Regiões em hemisférios iguais subtraem-se os graus; regiões em hemisférios diferentes somam-se os graus.
2.°: Descobrir a diferença em horas dos fusos (DH).
Esta é mensurada pela razão da diferença em graus por 15.
DG/15 = DH
Achando assim a diferença entre os fusos horários.
Clique aqui para ampliar.

Coisas terríveis acontecem a quem transgride esta lei.

Bloqueio do escritor - 5

O ILUMINADO (1980). Jack Torrance se torna caseiro de inverno do isolado Hotel Overlook, nas montanhas do Colorado, na esperança de curar seu bloqueio de escritor. Ele se instala com a esposa Wendy e o filho Danny, que é atormentando por premonições.

"Por que estão comemorando o bloqueio do John Green? Gente, ele é um ótimo escritor, parem com isso."

Donald Lau é diretor financeiro da Wonton Foods, uma das maiores indústrias de comida chinesa dos Estados Unidos. Mas também tinha outra função. Por 30 anos, ele foi o responsável por criar as frases que vinham dentro dos biscoitos da sorte que eles fabricam. Foi? Foi. O senhor Lau teve um bloqueio criativo, nenhuma ideia nova vinha na cabeça, informa a Time. "Costumava escrever 100 frases por ano, mas escrevi apenas duas ou três por mês no último ano", disse à revista.

BLOQUEIO DO ESCRITOR. O "branco" é uma combinação de indecisão intelectual e pavor emocional. Tem suas raízes no mesmo desvão psicológico onde se situa a "brochada". Alguns escritores tiveram “brancos” que duraram anos ou décadas. Dashiell Hammett não escreveu mais nada entre 1934 (ano de seu último livro, "The Thin Man") e sua morte em 1961. ~ Braulio Tavares
http://mundofantasmo.blogspot.com/2013/10/3305-bloqueio-de-escritor-1102013.html

És um escritor com bloqueio?
Dedica teu recente tempo não criativo a uma causa nobre. Por exemplo, ajudares a criar o Dia do Escritor com Bloqueio. ~ PGCS

Bloqueios anteriores: 1, 2, 3 e 4

23 setembro, 2019

El Móstoles Balompié

O mito da Terra Plana já foi suficientemente desacreditado pelos cálculos de Eratóstenes, circunavegações náuticas, voos aeronáuticos, viagens espaciais e pelas pesquisas da Estação Espacial Internacional,
Eratóstenes de Cirene (276 aC. - 195 aC.) foi a primeira pessoa a calcular a circunferência da Terra e o fez com uma precisão notável. Sem sair do Egito, o matemático grego calculou-a em 30.960 km, com um erro de apenas 1,6 por cento. Seus contemporâneos o apelidavam de Beta, a segunda letra do alfabeto grego, pois ele era supostamente o segundo melhor do mundo em quase todos os campos.
https://blogdopg.blogspot.com/2014/05/o-beta.html
No vídeo abaixo, Carl Sagan explica como Eratóstenes calculou a circunferência da Terra há cerca de 2.200 anos.



A primeira circunavegação da Terra foi realizada pela expedição Magalhães-Elcano, que partiu de Sevilha, Espanha em 1519 e retornou em 1522, depois de cruzar os oceanos Atlântico , Pacífico e Índico.
Com o surgimento da aviação comercial, no século 20, a circunavegação da Terra passou a ser direta,  durando apenas dias ou horas em vez de anos. Hoje, o desafio de circunavegar a Terra mudou para desafios de velocidade, de resistência humana e de utilizar-se de métodos menos convencionais.
Incluir-se na franja da sociedade que acredita que a Terra é plana é um retrocesso sem explicação. Nos últimos 500 anos, acumulam-se as provas do formato arredondado do planeta, bastando a gente  entrar num avião para ver a curvatura da Terra, e temos ainda a tecnologia da geolocalização, as imagens da Terra a partit do espaço etc.
Vejam esta notícia:
Em junho de 2019, o clube de futebol da terceira divisão espanhola Móstoles Balompié mudou de nome para Flat Earth FC, por decisão do ex-futebolista e presidente do clube, Javi Poles, que acredita na teoria da Terra Plana.
"El primer club del mundo que lucha por divulgar la verdad del mundo en el que vivimos."
https://twitter.com/FlatEarth_FC
Há pessoas que escolhem acreditar em coisas sem sentido. Será que, daqui para fente, vão querer jogar com uma bola em forma de disco?

Para o prazer consentido

O "Consent Condom" requer quatro mãos para ser aberto. É o que diz a companhia argentina que vende esta marca de preservativos. Eles são adquiridos num tipo de embalagem que apresenta dois pontos de pressão em cada lado, e todos têm de ser simultaneamente apertados para ter acesso ao preservativo.
Vídeo: assista no MARSABLE.
Comentário - É sobre uma embalagem de preservativos para o sexo consentido em que são necessárias quatro mãos para abri-la.
Mas, na vez seguinte - talvez não...
(post não patrocinado)

22 setembro, 2019

O Curador de Pássaros

Henry John de Suffren Disney nasceu em Watford, Inglaterra, em 22 de setembro de 1919. Quando criança, ele gostava de coletar espécimes e explorar o jardim de casa. Seus pais, que eram ambos naturalistas, encorajavam esse entusiasmo de Disney. Também era muito interessada em acampar e com o seu condicionamento físico, interesses que permaneceram com ele por toda a vida. [...]
O trabalho no Museu Australiano
Em 1961, com a independência da Tanzânia, o trabalho da Disney na África chegou ao fim. Em 1962, ele apresentou-se ao Museu Australiano para ser o novo Curador dos Pássaros, um cargo vago com a partida de Allen Keast. Disney foi a última pessoa a receber o título de “Curador de Pássaros” no Museu.
Quando Disney começou a trabalhar no Museu, descobriu que a coleção de pássaros e os registros mantidos sobre eles eram muito limitados. A reorganização e a expansão dessa coleção foram prioridades durante os primeiros cinco anos do seu tempo no Museu. Alguns de seus métodos para coletar informações sobre espécimes foram desenvolvidos em sua época na África, onde ele tinha começado a manter fichas de dados sobre os espécimes que ele coletava. Sempre meticuloso, Disney costumava fazer a sexagem das aves enquanto eram tratadas pelos preparadores do museu para garantir que fossem feitas corretamente.
Uma parte significativa da pesquisa de Disney foi feita no campo. Ele fez expedições em muitos locais na Austrália, incluindo o Deserto Simpson, as florestas de Queensland e a Ilha Norfolk. Muitas dessas expedições eram exigentes fisicamente e Disney praticava judô em seu tempo livre para se manter em forma. Em um exemplo, em Lord Howe Island, ele caiu de um pequeno penhasco, mas evitou ferimentos graves ao dar uma cambalhota.
De vez em quando, Disney capturava espécimes para outros departamentos ou viajava com pesquisadores de outras disciplinas. Em uma expedição com o Curador de Mamíferos Basil Marlow houve uma discussão entre os dois que atingiu o clímax. Disney sustentou que Marlow inadvertidamente se moveu ao alcance do tiro, enquanto ele disparava em um pássaro em voo, e pegou a bala. Felizmente, como Disney trabalhava com pássaros pequenos, as balas eram proporcionalmente pequenas e Basil se feriu pouco. Em outra ocasião, Disney atirou em uma borboleta que ele sabia que o entomologista Courtenay Smithers queria um exemplar. O corpo da borboleta foi destruído, mas as asas ficaram intactas e, como Disney observou, essa era a única parte da borboleta que Smithers precisava examinar.


Sem juizo de mérito
Caçadores no século 19 defendiam a caça como a única maneira de identificar espécies que de outra forma permaneceriam desconhecidas.
Dizia-se: "What’s hit is history, what’s missed is mystery".

Gil reloaded

1916 - Pelo telefone
O chefe da polícia pelo telefone manda me avisar
Que na Carioca tem uma roleta para se jogar.
Donga e Mauro de Almeida, 1.º samba gravado no Brasil

1996 - Pela internet
O chefe da polícia carioca avisa pelo celular
Que lá na Praça Onze tem um videopôquer para se jogar.
Gilberto Gil, álbum duplo "Quanta" (vídeo)

2019 - Pela internet 2
(um CEP) Que não consta na lista do velho correio de qualquer lugar
Waze é um nome feio, mas é o melhor meio de você chegar.
Gilberto Gil, turnê #OKOKOK



Me digam se isto não é coisa de gênio?

O pensamento é nuvem.
O movimento é drone.
O monge no convento
Aguarda o advento de Deus pelo iPhone.

21 setembro, 2019

A "invasão" da Área 51

Tudo começou com uma brincadeira na internet. Há quatro meses, quando o estudante Matty Roberts, convocou amigos para "invadir" a Área 51, base ultrassecreta da Força Aérea dos Estados Unidos, onde o governo americano supostamente faz experiências com extraterrestres.
O evento foi marcado para 20 de setembro. A ideia viralizou e milhares de pessoas confirmaram presença. O responsável, então, decidiu cancelar a "invasão" por ter receio de "um possível desastre humanitário" – mas já era tarde demais. As pessoas seguiram se mobilizando e, de fato, cerca de cem foram até a Área 51. A segurança no local foi reforçada.
Como o Lago Ness, a Área 51 é um lugar que se tornou um objeto de culto, devido a teorias da conspiração. Ela apareceu em sucessos de bilheteria do cinema como no filme "Independence Day". E osrumores sobre alienígenas na base do Deserto de Nevada têm sido repetidamente alimentados pelo ufólogo Bob Lazar.
Só em 2013 os militares americanos admitiram oficialmente a existência dessa área, e não se sabe o que realmente se pesquisa por lá. O que quer que se esconda por trás das cercas da Área 51, revelá-lo pode ser até desinteressante. Pois essa área, tão propícia a teorias de conspiração, simplesmente deixaria de ter seu encanto.
Os restaurantes e hotéis da região são decorados com motivos alienígenas. E os moradores em torno da área militar restrita estão lucrando com esta teoria da conspiração, desde antes do convite de Matty Roberts rolar no Facebook.

Fonte: DW

Também para os criadores de memes, o espetáculo da Área 51 é um prato cheio. O número deles sobre a Área 51 explodiu desde o convite para o flashmob. Abaixo, um meme brasileiro de @naosalvo.

"Cheguei à Área 51. Cadê vocês?"

Apelo à Paz

"Eu venho da lição dos tempos idos /e vejo a guerra no horizonte armada. /Será que os homens bons não fazem nada? /Será que não me prestarão ouvidos? /Eu vejo a Humanidade manejada /em prol dos interesses corrompidos. /É mister acabar com esta espada /suspensa sobre os lares oprimidos! /É preciso ganhar maturidade /no fomento da paz e da verdade, /na supressão do mal e da loucura... /Que a estrutura econômica da guerra /se faça em pó! E que reinem sobre a terra /os frutos do trabalho e da fartura!"

Este soneto "Apelo", de Eno Theodoro Wanke, recebeu 160 versões para 95 idiomas e dialetos. É o soneto em português mais traduzido para idiomas estrangeiros, segundo Filemon F. Martins, em "Usina de Letras".

21 de setembro - Dia Internacional da Paz

20 setembro, 2019

De onde vem o sotaque do português do Brasil?

[...] Poderemos pensar que, ao nível da fonologia, são os estrangeiros que mantêm o seu sistema fonológico. Por exemplo, os escravos levados para o Brasil, e foram cerca de cinco milhões, ao aprenderem o português, tê-lo-ão feito com uma adaptação aos seus sistemas fonológicos e terão influenciado o português. Acho que isso está por provar. Isso seria o mesmo que dizer que o português do Brasil foi deturpado pelos escravos. Não acredito.
As línguas são o que são. Funcionam de determinado modo, evoluem de acordo com princípios gerais, válidos para todas.
Não acredito em soluções sui generis. O sistema fonológico de cada uma é mais forte do que qualquer influência de outra.
Outro exemplo: quando em França contactei com falantes do "erre" roulé, pensei quão absurdo seria pensar que teriam sido portugueses a influenciá-los, tal como é absurdo pensar numa influência francesa para o "erre" setubalense, por mais parecido que ele seja com o "erre" parisiense.
Não acredito em misturas.
Acredito mais em Saussure. A língua é um sistema coeso. Os fonemas têm apenas uma função distintiva. Uns fonemas transformam-se uns nos outros em determinados contextos. No Brasil ti e di adquiriram características do "i". Poderemos perguntar-nos por que aconteceu isso no Brasil e em Portugal não.
Também não acredito em influências de outras línguas. A evolução nunca é de um item isolado, é sempre do sistema inteiro.
Quando se isola uma língua, ela evolui de modo diferente. Parece-me óbvio que foram diferentes "línguas portuguesas" que chegaram a diferentes regiões do Brasil e isso explica as variedades dialetais do Brasil atual. Passou-se o mesmo no latim.
Depois existem forças de divergência e forças de convergência. A variedade padrão tende a impor-se às outras variedades, através da escola e dos média/mídia. A língua diverge menos nas classes cultas do que nas classes populares.

Extraído de: De onde vem o sotaque do português do Brasil? Porque não ficou igual ao português de Portugal?, por José Baltazar
Grato a Jaime Nogueira pela sugestão deste artigo publicado no QUORA.

🇵🇹🇧🇷 Português Brasileiro é bem diferente do Português Europeu, certo? Mas quem começou essa mudança? Que língua começou a se afastar mais do português falado no início da colonização brasileira? Resposta: O Português Europeu!
A fala de portugueses e brasileiros, blog EM (arquivo: 19/12/2018)

O não cachimbo de Magritte


Criando um conflito entre a imagem e o texto, René Magritte expressou suas dúvidas sobre as possibilidades de representar a realidade, questionando a nossa própria percepção dela.
A língua sempre foi importante para o pintor, que disse:
"Um título legitima um quadro, completando-o."
Entre 1928 e 1929, René Magritte produziu uma série de pinturas intitulada "A Traição das Imagens" (La Trahison des Images). A mais famosa delas é a que está reproduzida acima, Isto não é um cachimbo (Ceci n’est pas une pipe), que surpreendentemente causou muita polêmica desde então, principalmente em razão de seu aparente nonsense: vê-se um cachimbo e afirma-se que não se trata de tal.
Na verdade, essa obra se presta a uma excelente reflexão sobre o papel da arte. Inicialmente, deve-se lembrar que o nome da obra não é um contrassenso, já que literalmente, ninguém fumaria o quadro. O que temos diante de nós é apenas uma imagem que representa um cachimbo e não o próprio utensílio para fumar. Em suma, não temos o objeto, mas uma imagem dele.
A mensagem que o artista quis passar, é que arte precisa ser entendida não como a realidade em que estamos, mas como uma representação desta, como um universo paralelo. Devemos analisar uma obra, de qualquer modalidade, pelo que está nela e saber que se trata apenas de uma representação.
Este quadro pode, portanto, tratar-se de um exemplo de paródia, na medida em que até a leitura da legenda, o espectador não tem dúvida que se trata de um cachimbo. Este objeto que reconhecemos como sendo, então, a representação de um cachimbo, afinal não é o que estamos a pensar. A associação que podemos fazer entre a ideia de cachimbo e aquilo que entendemos como sendo um está negada.

arte e ARTISTAS

vídeo Khan Academy

WILLTIRANDO, Cachimbo, 18/12/18


Em alguns casos não há o que problematizar(o charuto de Freud)

============================================== new post

Onde é que uma prova reside? No texto impresso ou no cérebro de alguém que pensa matematicamente?