19 abril, 2024

Alucinação

Alluciazone
s.f. (der. del s.m. 'alluce', primo dito del piede) - attività fantasmatica degli alluci. Creature goffe e ipersensibili, da quando hanno perduto la loro antica funzione prensile e sono confinati nel buio delle scarpe, continuamente creano mutevoli visioni per farsi compagnia.
Alucinação
s.f. (der. do s.m. 'hálux', o dedão do pé) - atividade fantasmagórica dos dedos grandes. Criaturas desajeitadas e hipersensíveis, desde que perderam a antiga função preênsil e ficaram confinadas à escuridão dos sapatos, continuamente criando visões para fazer companhia.

http://www.tecalibri.info/S/SEBREGONDI_etimologiario.htm#p000

Dormir ou não com os pés descobertos?
Que cientista, por mais imerso em sua plenitude racionalista, cética, lógica, coerente, ponderada e sensata, dormiria com o pé fora da coberta sabendo que, por aí, anda um capeta-lambe-pé? A ilustração da figura desta postagem é de um manuscrito iraniano de 1921 em que descreve várias entidades sobrenaturais em aquarelas que lembram as da Idade Média. O livro tem 56 ilustrações de figuras que remontam histórias milenares de diabos que atormentam as pessoas, principalmente durante o sono. Uma delas (que deve ser a mais temida) é um felino humanoide com um par de chifres e uma serpente na cauda.
Aí, me vem aquela réstia de lógica: O que um capeta-lambe-pé (nome que inventei para este texto) faria além de lamber o pé? É só lamber o pé ou ele também leva a alma para o inferno? É só uma lambidinha e ele vai embora ou ele lambe a noite toda? O que ele ganharia com isso além de um gostinho de chulé na boca? Olha... Se ele visse o estado dos meus pés, ultimamente, pensaria umas duas vezes antes de pôr sua demoníaca língua ali.
Extraído de "Nomes Científicos", a página de Rafael Rigolon no Facebook

18 abril, 2024

MMMCMXCIX razões para usar os algarismos romanos

Em aula anterior demonstramos as XII razões para usar os algarismos romanos.

Para cifras elevadas, utiliza-se um travessão por cima da letra, que representa sua multiplicação por 1000. Assim, C corresponde ao valor 100 000 (100 x 1 000) e M corresponde ao valor 1 000 000 (1 000 x 1 000). Desta forma, o maior número que podemos escrever é 3 999 000, que em algarismos romanos corresponde a:

MMMCMXCIX
.

Vale lembrar que esse sistema não permite escrever números superiores a 3 999 que não terminem em 000.

Atenção, Blogger. Não conseguimos colocar os travessões em MMMCMXCIX no título da postagem. Nem copiando e colando.

17 abril, 2024

Por que existem 7 notas musicais?

O maestro Ricardo Sousa-Castro, autor do livro "Os pilares da Música", explica no vídeo abaixo por que, na cultura ocidental, são 7 notas musicais (e 12 na escala cromática). O fenômeno tem mais a ver com a Física do som e com as leis da Natureza do que com qualquer outra coisa.

15 abril, 2024

Um tipo de dor de cabeça (2)

Um dia Deus disse:
"Adão, eu quero que você faça algo."
"Sim, Senhor”, disse Adão. "O que quer que eu faça?"
"Vá até o vale."
Como Adão ainda não conhecia bem a topografia do mundo, perguntou: "O que é um vale?"
Deus explicou, e ele foi até lá.
Deus disse: "Agora atravesse o rio.".
"O que é rio?", perguntou Adão.
Deus explicou e continuou a guiá-lo: "Agora cruze a montanha."
Adão não sabia o que era uma montanha, então Deus explicou novamente.
Em seguida, Deus disse: "Do outro lado da montanha, você vai encontrar uma caverna."
"O que é uma caverna?"
Depois que Deus explicou, ele entrou na caverna e viu uma mulher. Era Eva.
Deus explicou a ele o que era uma mulher e ordenou: "Agora, Adão, eu quero que você reproduza".
"E como faço isso?"
Como explicar? Deus então recorreu a parábolas, explicando como os outros animais faziam.
Adão parecia ter finalmente entendido. Porém, passados alguns minutos, ele sai da caverna e pergunta:
"Deus... o que é dor de cabeça?"

TudoPorEmail 
Copidescado pelo controlador do blog EntreMentes, que já publicou outra versão.

14 abril, 2024

"Baby" Esther Jones (1918 - 1984)

Betty Boop foi pintada como branca, mas era uma mulher negra na vida real. Essa personagem do desenho animado foi inspirada em Esther Jones, uma cantora do Cotton Club conhecida pelo nome artístico de "Baby" Esther. Ela cantava canções como "I wanna be loved by you" (Boop-Boop-Bedoo) com voz de bebê, daí o seu; apelido.

Esther tentou mas nunca conseguiu o reconhecimento dos direitos autorais ao personagem Betty Boop que foi claramente baseado nela.

13 abril, 2024

Pensando na morte da bezerra

A expressão "pensar na morte da bezerra"significa: estar distante, pensativo, alheio a tudo.
A história mais aceitável para explicar a origem dessa expressão remonta anos antigos hebreus, que sacrificavam animais a Deus como forma de agradecimento ou de redenção dos pecados.
Conta-se que o filho caçula de um rei era muito afeiçoado a uma bezerra, e não queria que ela fosse sacrificada. Contrariando o desejo do filho, o rei mandou sacrificá-la, oferecendo-a a Jeová.
A partir daquele dia, o menino nunca mais deixou de pensar na morte da bezerra, mantendo-se tristonho por toda a vida. E há versões de que o ele faleceu ao contrair uma doença que foi agravada por seu estado de infelicidade.
Bom para o DBF (Dicionário Brasileiro de Frases).

12 abril, 2024

O pequeno buraco negro: uma fábula cósmica

Quando os buracos negros emergiram pela primeira vez da matemática da relatividade, o próprio Einstein duvidou se eles poderiam ou não ser reais – ele lutou para imaginar que a natureza pudesse produzir uma coisa tão ameaçadora, que o espaço-tempo pudesse se curvar a um extremo tão monstruoso. E... então levamos apenas um século para ouvir com nossa imensa orelha protética o som de dois buracos negros colidindo para produzir uma onda gravitacional, então para ver com nosso olho telescópico um buraco negro real na selva cósmica. Aqui surge a prova viva da insistência de Richard Feynman de que "a imaginação da natureza é muito, muito maior do que a imaginação do homem".
Com seu drama cósmico e sua ciência deslumbrante no limite do possível, os buracos negros atraem a imaginação humana com inúmeras metáforas para nossas perplexidades existenciais. Um deles ganha vida em Little Black Hole, de Molly Webster e do ilustador Alex Willmore — uma meditação incomum sobre como viver com a austera solidão existencial de saber que tudo e todos que amamos podem ser tirados de nós e está finalmente destinado ao esquecimento, como viver com a perda iminente que é o preço de estar totalmente vivo.
O conceito central da história baseia-se no paradoxo da informação do buraco negro de Stephen Hawking - a insinuação combinada da relatividade e da teoria quântica de campos que, embora nem mesmo a luz possa escapar de um buraco negro, pedaços de informação podem transcender sua imensa atração gravitacional e se libertar no forma do que é conhecido como radiação Hawking.
Era uma vez um pequeno buraco negro que amava tudo no universo.
As estrelas. Os planetas. As rochas espaciais e a raposa espacial. Até os astronautas voadores.
O pequeno buraco negro amava seus amigos.
Um dia, o pequeno buraco negro fez amizade com uma estrela, mas no momento em que eles estão se divertindo em construir um castelo cósmico juntos, a estrela desaparece e sua luz desaparece.
Em seguida, um cometa passa, mas assim que o pequeno buraco negro fica desejoso de uma nova amizade, o cometa se desfaz em poeira cósmica e desaparece.
Então eles vêm e vão, os planetas e os asteroides, a raposa e os astronautas, cada novo amigo é levado assim que se aproxima, deixando o pequeno buraco negro perplexo e desolado.
Confuso e desconsolado, o pequeno buraco negro se depara com um grande buraco negro repleto da sabedoria de um ancião, que ilumina o fato fundamental de que ser um buraco negro significa engolir e aniquilar tudo e qualquer um que se aproxime.

E, no entanto, pedaços de informação podem escapar do ventre do buraco negro, borbulhando de volta como restos do que foi consumido. Do legado de Hawking surge a metáfora central da história sobre como viver com a perda das pessoas que mais amamos: sempre podemos trazê-las de volta à superfície de nossa consciência com as alavancas gêmeas da memória e da imaginação. 

11 abril, 2024

Reflexões estudantis: o inventor do garfo foi queimado pela inquisição?

Por André Gurgel

Durante uma aula, numa instituição e com um professor de cujos nomes não me quero lembrar, tomei conhecimento de que, durante a Idade Média, o criador do garfo teria sido queimado em praça pública pelo motivo óbvio de criar um instrumento, bastante útil diga-se de passagem, que se assemelhava ao tridente utilizado pelo diabo. Ou seja, um garfo!
A informação foi transmitida numa aula que nem sequer era relacionada a História em si, mas o professor de barba avantajada (por que será?) achou que seria de bom feitio que os alunos soubessem deste fato histórico. Afinal, contra fatos não há argumentos (contra facta argumenta non sunt em latim).
Assim que ouvi tal "fato", já me acendeu o que chamo de "desconfiômetro", meu ceticismo natural entrou em ação. Ninguém questionou na aula, pois os alunos, como de praxe, estavam mais interessados na matéria que iria cair na prova e tacitamente concordaram, mas eu fui conversar com o professor para saber onde estava a fonte que comprova a informação mencionada. Ele disse que não se lembrava, que havia lido num livro de um historiador de nome estrangeiro, mas que não saberia dizer o título naquele momento.
Meu raciocínio foi o seguinte: se queimaram o inventor do garfo, como a igreja permitia então o uso do tridente? O tridente é um instrumento comum em diversas culturas, sendo primordialmente utilizado na pesca, e um símbolo frequente na mitologia, sendo a arma de Poseidon e Shiva. Também era adaptado para a guerra e, nos combates de gladiadores, havia os retiarii, que se armavam de uma rede e tridente, então como o instrumento não foi banido e não tivemos registros de fogueiras coletivas para pescadores?
Naquele dia pesquisei bastante e não achei nenhuma referencia à morte deste herege e mártir da gastronomia. Descobri que o instrumento era utilizado desde a Antiguidade em várias culturas e não sabemos quem foi a pessoa que primeiro idealizou um garfo.
Esta história mostra um pouco como funciona um sistema de ensino em que os alunos mais se preocupam com notas e em "passar de ano" do que em fatos históricos. Isto contribui para que professores falem o que quiserem, pois sabem que não serão questionados.

10 abril, 2024

Imagine

Que a Tesla comece a desenvolver seus carros na forma do Torso de seu CEO:


Ceos! Torço para que não aconteça. (PGCS)

Fórum

Todos deveriam ter o direito de falar merda sobre todos. (Princípio de Musk)

Em vez da mandíbula dos Habsburgos, trata-se do esterno de Musk. Espero que seu pequeno exército de descendentes esteja bem.

Ele parece um desenho de Rob Liefeld.

AGH - Alien Growth Hormone.

Vejam quanta luz é refletida por sua pele humanoide pálida!

Eu pilotaria um robô gigante em forma de Elon. Mas o formato da máquina que eu pilotaria é pouco preocupante em comparação com o grau de refrigeração aceitável.

Todos aqueles submissos subindo pela bunda dele têm que acabar em algum lugar.

09 abril, 2024

Ponto de interrogação cósmico

Uma imagem que foi recentemente capturada pelo telescópio James Web Space:

A 1470 anos-luz de distância da Terra, este ponto de interrogação cósmico parece se tratar de um par de galáxias em interação (fusão)

08 abril, 2024

O espaço não é tão remoto

Fred Hoyle é o astrônomo britânico que formulou a teoria da nucleossíntese estelar.

Pinga ni mim

Sonhei que estava num bar pedindo uma pinga.
O garçom perguntou:
- Pura?
Eu disse:
- Espreme um limão.
Aí o telefone tocou. Acordei-me.
Se eu tivesse tomado pura tinha dado tempo...

07 abril, 2024

Arquivo Z

Z de Ziraldo, cartunista,  jornalista, escritor e artista gráfico brasileiro.
Ziraldo Alves Pinto nasceu em Caratinga, Minas Gerais, no dia 24 de outubro de 1932. Seu nome de batismo vem da combinação dos nomes de sua mãe, Zizinha, e de seu pai, Geraldo. Desde criança já mostrava talento para o desenho. Com seis anos, ele teve um de seus desenhos publicado no jornal "Folha de Minas".
Criador de A Turma do Pererê, que foi publicada primeiramente em cartuns em 1959, nas páginas da revista "O Cruzeiro". Depois, sob o nome de "Pererê", passou a ser publicada mensalmente a partir de outubro de 1960 até abril de 1964. "Pererê", que foi a primeira revista brasileira de histórias em quadrinhos totalmente colorida, conquistou rápido sucesso no Brasil. O que permitiu que fossem publicadas 43 edições em sua primeira série, com tiragens de 120 mil exemplares em média.
Em 1969, Ziraldo aceitou a proposta de fazer um livro infantil ilustrado em três dias. E criou Flicts - em apenas dois dias, a história de uma cor "diferente" (bege), que não conseguia se encaixar no arco-íris, nas bandeiras e em lugar nenhum. Até ser revelado que a Lua é flicts, pois bege é a cor da superfície lunar.
Em 1975, as histórias em quadrinhos com os personagens da Mata do Fundão voltaram a ser publicados, com o título de "A Turma do Pererê", pela Editora Abril. No entanto, esta segunda série foi cancelada em 1976, com apenas 10 edições. Desde então os quadrinhos do Pererê passaram a ser apenas republicados em almanaques nos anos seguintes, com poucas histórias ainda inéditas. Até que, em 1980, Ziraldo passou a dedicar-se às histórias do Menino Maluquinho.
Ziraldo Pinto foi também um dos fundadores do hebdomadário O Pasquim, (1969), um porta-voz da contracultura e da indignação intelectual com o regime militar, e do semanário Bundas (1999), uma sátira ao mundo das celebridades exposto em "Caras" ("Quem mostrou a bunda em Caras, não mostrará a cara em Bundas", segundo ele).


06/04/2024 - Dia triste para todos os meninos maluquinhos de Caratinga-MG e do Brasil. Aos 91 anos, foi-se Ziraldo, o Bom.

06 abril, 2024

Todo Mundo Odeia o Chris

Vincent Martella (foto)
O Greg de "Everybody Hates Chris" (Todo Mundo Odeia o Chris" no Brasil e "Todos Contra o Chris" em Portugal), acaba de ultrapassar Tyler James Williams no Instagram, ganhando mais de 2 milhões de seguidores em apenas 2 dias. 
A campanha foi criada por fãs brasileiros com a intenção de retribuir o carinho do ator com o Brasil, ao contrário de Tyler, que não é de estar tão na nossa.
Então, todo mundo ama o Greg? 
Ou, ainda, é ranço do Chris? É que "o carinha que mora logo ali" já se irritou com os brasileiros. De tanto receber em suas redes sociais  mensagens dos internautas brasileiros. Foram centenas de recados, memes, piadas e brincadeiras!
(Se nós brasileiros, nos juntassemos para resolver nossos problemas, como fazemos nos engajamentos online, o Brasil seria uma grande potência.)
A série 
"Todo mundo odeia o Chris" (2005-2009) é uma fonte quase inesgotável de momentos hilários. Cada personagem tem a sua graça, o seu estilo próprio. Essa mistura de personalidades e humores fez da família Rock uma das mais queridas da televisão.
Bordões
"Tire esse relógio da tomada, garoto. Você não vê as horas enquanto dorme." (Julius)
"Eu não preciso disso, meu marido tem dois empregos." (Rochelle)
"Cara, ela está tão na sua!" (Greg)
"Sacomé, né." (Chris)
"O carinha que mora logo ali..." (Jeromy)
"Trágico, trágico." (Omar)
E o mais icônico deles: "Da próxima vez que quiser me fazer um favor, me faz um favor: não faz."

De Paititi a Ratanabá, por Virgílio Maia

05 abril, 2024

Ratanabá, a "capital do mundo"

Considerada uma teoria sem fundamento por arqueologistas, trata de uma civilização que teria habitado uma região da floresta amazônica, há mais de 450 milhões de anos. A cidade hoje estaria enterrada entre três pirâmides, na região entre o Amazonas, o Pará e Mato Grosso.
Este jogo da velha gigante é uma "prova inequívoca" de que povos extraterrestres já habitaram a região:
 

Como candidato a "fato científico", a "lenda" de Ratanabá (*) representa algo que, para roubar uma das frases favoritas do físico e diretor do Instituto Questão de Ciência, Marcelo Yamashita, "não chega nem a estar errado".
(*) com a palavra "lenda" entre aspas porque se trata de criação individual deliberada, e não de peça do folclore.
Carlos Orsi, revista Questão de Ciência

⁷ Hoje, se vocês ouvirem a sua voz,
⁸ não endureçam o coração, como em Meribá, como aquele dia em Massá, no deserto, e como em Ratanabá, na floresta
⁹ onde os seus antepassados me tentaram, pondo-me à prova, apesar de terem visto o que eu fiz.
Salmos 95:7-9, modificado

04 abril, 2024

Por que ouro, prata e bronze nas medalhas olímpicas?

Existem várias explicações possíveis para a escolha de ouro, prata e bronze como materiais de medalhas, mas primeiro é importante definir o que são esses elementos. O bronze, para começar, é na verdade o elemento cobre misturado com pequenas quantidades de outros metais, como o estanho. Portanto, quando olhamos para a tabela periódica dos elementos e procuramos os materiais das medalhas (Au, Ag e Cu para o bronze), uma coisa estranha fica clara.

Os três elementos estão na mesma coluna (1B), com números atômicos de 27, 49 e 79. Para quem não sabe, os elementos da mesma coluna da tabela periódica tendem a ter propriedades muito semelhantes. Esta coluna em particular tem uma propriedade muito importante se você quiser fazer algo que não quebrará (por exemplo, um prêmio que você deseja que dure por muito tempo) – eles podem ser encontrados em uma forma pura ou nativa. Isso é diferente de muitos outros metais, que geralmente só são acessíveis em sua forma nativa após passar por várias reações químicas.

Em outras palavras, esses elementos poderiam simplesmente ser extraídos do solo em uma forma pura ou, no caso da prata e do cobre, em uma forma fracamente ligada ao oxigênio ou ao enxofre. Uma vez que os humanos aprenderam a produzir facilmente formas puras desses metais, eles se tornaram amplamente usados para criar ferramentas, moedas, arte e muitas outras coisas. Esses metais também são fáceis de manipular e moldar, com pontos de fusão relativamente baixos, tornando-os candidatos ideais para itens pequenos e cuidadosamente elaborados, como medalhas olímpicas.

Havia também um valor inerente a esses metais devido à sua relativa escassez. A quantidade desses minerais na Terra e no solo foi resultado da deposição mineral durante a criação do nosso sistema solar e do nosso planeta. Elementos de maior densidade são muito mais raros no universo, e o mesmo vale para sua presença na Terra. O cobre (facilmente transformado em bronze) ocupa um nível mais alto na tabela periódica e é encontrado com muito mais frequência no solo. A prata é um pouco menos comum, estando num nível abaixo na tabela periódica, e o ouro é o mais raro, possuindo o maior número atômico e sendo o mais difícil de encontrar desses três metais preciosos.

Portanto, quando você pensa sobre isso, a ordem das medalhas, aumentando em importância de bronze->prata->ouro é baseada na raridade desses elementos, enquanto sua escolha como materiais de medalhas é baseada em sua composição física e atributos orgânicos específicos.

Agora, para todos vocês que estão ansiosos para ganhar uma medalha de ouro, já que essa quantidade de ouro maciço valeria dezenas de milhares de dólares, você deve saber que as medalhas de ouro olímpicas modernas são feitas principalmente de prata. A cor dourada vem dos 6 gramas de ouro puro dourados na parte externa, perfazendo pouco mais de 1% da composição desta medalha.

Where Did The Idea For Gold, Silver And Bronze Medals Come From?, por John Staughton
Tradução: PGCS

03 abril, 2024

O Homem e o Sátiro

Um Homem se perdeu em uma floresta numa noite de inverno. Enquanto estava perambulando, um Sátiro veio até ele e, percebendo que estava perdido, prometeu-o um alojamento para a noite e também guiá-lo para fora da floresta pela manhã.
Enquanto ia para a habitação do Sátiro, o Homem ergueu suas duas mãos até a boca e se manteve assoprando-as.
"Para quê você faz isso?" disse o Sátiro.
"Minhas mãos estão adormecidas pelo frio," disse o Homem, "e meu sopro as aquece."
Depois disso, eles chegaram à casa do Sátiro, e logo ele colocou um prato de mingau quente na frente do Homem. Mas quando o Homem levou sua colher à boca e começou a soprá-la, o Sátiro disse "E para quê você faz isso?"
"O mingau está muito quente, e meu sopro vai esfriá-lo."
"Fora daqui," disse o Sátiro. "Eu não quero nada com alguém que tanto assopra quente quanto frio."
(Esopo)

02 abril, 2024

Um boné MAGA, uma arma de fogo

Dois emblemas do Trumpismo, um movimento alimentado pelo glamour capitalista e pela violência, o primeiro dando cobertura ao segundo (como nesta foto).



Kevin Mitnick (1963 – 2023)

"É o meu aniversário: neste dia, treze anos atrás, saí da prisão, em liberdade condicional por dez anos. Estou feliz que este pesadelo acabou (…) E como a história mudou! Agora sou pago para hackear e testar sistemas, em vez de fazer isso como hobby. Como se Pablo Escobar fosse pago para ser farmacêutico." :-)
– Kevin Mitnick
Faleceu aos 60 anos incompletos, vítima de câncer de pâncreas, o estadunidense Kevin David Mitnick, provavelmente o hacker mais conhecido da história. Ele pode não ter sido o mais experiente tecnicamente, mas há poucas dúvidas de que ele dominou a engenharia social como nenhum outro. Embora mais do que um hacker, sou da opinião que ele deveria ser classificado como cracker, pois não tinha muitos problemas morais em usar suas habilidades para obter benefícios econômicos.
Nos últimos anos, fundou a Mitnick Security Consulting LLC, uma empresa em que ele fazia consultoria de segurança e oferecia serviços de teste de penetração para empresas e agências, redimindo-se em parte de seu passado.

01 abril, 2024

XII razões para usar os algarismos romanos


E aí, patrícios? Temos colossais XII razões pelas quais deveríamos ignorar esses algarismos arábicos modernos e continuarmos usando o I, I, III de nossos antepassados. Então, sem mais delongas, vamos mergulhar neste assunto. [Tempo de leitura: IV minutos]
I. O que são algarismos arábicos?
2? 3? 54? O que são esses símbolos estúpidos? Tudo bastante confuso. I, V, X e L, por outro lado, são familiares. Muito legal.
II. Adição é uma coisa fácil.
Para aqueles que argumentam que adicionar algarismos romanos é difícil: você são uns tolos. Querem  combinar X e V? Apenas junte-os. Quão difícil foi isso? Quanto a números mais longos, como o XLV, também é fácil. Basta proceder de acordo com as tabelas fornecidas pelo procônsul local.
III. Multiplicação e divisão longas.
Multiplicar o quê? Dividir o quê? Quem precisa dessas fórmulas sofisticadas, afinal? Talvez vocês, perdedores, devessem gastar menos tempo brincando com números e mais tempo debulhando grãos e/ou esculpindo mármore.
V. Elegância na escrita.
"Nossos ganhos trimestrais de linho aumentaram em LXVI por cento, caindo em XIV em relação a MDXXVII." Limpo, claro, profissional.
VI. Quanto maior o número, mais longo ele é.
4.708 soa pequeno. Fraco, mesmo. Mas MMMCMXCIX? Isso me mostra o quão grande é esse número. Talvez o maior?
VII. Sem decimais irritantes.
Decimais são para escribas que não têm nada melhor para fazer do que inventar coisas como 7,5 aquedutos ou 3,25 guerras. Mas, se você é um general, senador ou magistrado, como a maioria de nós, isso é exagerar um pouco.
VIII. A ordem informa se você deve adicionar ou subtrair.
VI é V+I enquanto IV é V-I. Agora tente isso numa matemática estúpida. 21 é... 2+1? Não! 12 é 1-2? Falso! Veja, simplesmente não funciona. 
IX. Zero é facilmente a coisa mais estúpida de que já ouvi falar.
“Ei, pessoal, vocês sabem o que estamos perdendo? Um número que representa a ausência de números. Absolutamente nada.
X. Sete letras.  
I, V, X, L, C, D, M. Vê? Isso é tudo que você precisa para criar todos os números sob o sol (até MMMMDCCVIII).
XI. O fator plágio.
As pessoas pensam que esses dígitos rabiscados são originais. Mas dê uma olhada mais de perto e você verá a boa e velha engenhosidade romana em ação. 1? Claramente uma cópia de I. 3? O "E" ao contrário. 5? Sim, isso é um "S" tentando cobrir seus rastros. Eles até enganam! Vire um 6 de cabeça para baixo e você terá todas as evidências de que precisa.
XII. Números são letras e letras são números. Fim da história.
Já temos o alfabeto. Dá-nos tudo o que precisamos. Mas não - não é bom o suficiente para esses matemáticos extravagantes que precisam de seu próprio conjunto de caracteres apenas para se sentirem especiais. O que vem a seguir, o sinal = que significa "igual a"?
Conclusão:
Abandone a moda, pessoal. Roma sempre vence. (Eli Burnstein)

31 março, 2024

A ditadura brasileira (1964-1985)

1/12 A perseguição de adversários se concentrou nos meses após o golpe de 1964 e entre o final da década de 60 e o início dos anos 70. Mais de 5 mil pessoas foram alvos de punições como demissões, cassações e suspensão de direitos poíticos. Ao todo 166 deputados foram cassados. O regime também perseguiu membros em suas fileiras. Pelo menos 6.951 militares foram presos e desligados.

2/12 Assim como a perseguição política, os assassinatos de opositores promovidos pelo regime se concentraram em algumas fases da ditadura. Mas todos os generais-presidentes foram tolerantes com a prática. a Comissão Nacional da Verdade (CNV) apontou a responsabilidadee do regime militar pela morte de 224 pessoas e pelo desaparecimento de 210 - 228 delas.

3/12 Na ditadura, a tortura virou uma prática de Estado. Já no governo Castelo Branco (1964-1967) foram apresentadas 363 denúncias de tortura. Na fase de Médici (1969-1974), seriam mais de 3.500. O relatório "Brasil: Nunca Mais" lista 283 formas de tortura aplicadas pelo regime, como afogamentos, choques elétricos e o pau de arara. Ao longo de 21 anos, houve mais de 6 mil denúncias de tortura.

4/12 Ao dar o golpe, os militares citaram a corrupção e o esquerdismo do governo Jango. A luta armada, às vezes apontadas como razão de ser da ditadura, nem foi mencionada. Só em 1966 ocorreram as primeiras ações relevantes de grupos de esquerda, que cometeriam atentados e assaltos com o objetivo de promover uma revolução. Em 1974, todos já haviam sido aniquilados, mas a ditadura duraria mais uma década.

5/12 O regime militar recorreu a uma série de decretos chamados atos institucionais para manter seu poder. Entre 1964 e 1969 foram promulgados 17 atos, que estavam até acima da Constituição. Alguns promoveram a cassação de adversários (AI-1) e a extinção de partidos políticos (AI-2). O mais duro deles, o AI-5, instituiu em 1968 a censura prévia na imprensa e a suspensão do habeas corpus.

6/12 Boa parte da imprensa apoiou o golpe, mas vários jornais passaram a criticar o regime, alguns mais cedo, outros mais tarde. Com o AI-5, passou a vigorar uma censura prévia em vários meios de comunicação. O regime censurava até más notícias, promovendo uma imagem fictícia da realidade do país. Epidemias, desastres e atentados eram temas vetados. Músicas, filmes e novelas também foram censurados.

7/12 Junto com os regimes da Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, a ditadura brasileira integrou a Operação Condor, uma aliança para perseguir opositores no Cone Sul. O regime também ajudou a treinar oficiais chilenos em técnicas de tortura. Um dos casos mais notórios de colaboração foi o sequestro em 1978 de dois ativistas uruguaios em Porto Alegre, que foram entregues ao país vizinho.

8/12 Após três anos de ajustes, os militares promoveram a partir de 1967 investimentos e ofertas de crédito. A fórmula deu resultados. Entre 1967 e 1973, a expansão do PIB brasileiro foi de 10% ao ano. O país passou a ser a décima economia do mundo. O cresciento aumentou a popularidade do regime durante a fase mais repressiva da ditadura. Mas o "milagre brasileiro" duraria pouco.

9/12 A conta do "milagre" chegou após os dois choques do petróleo e uma série de decisões desastradas para manter a economia aquecida. Ao fim da ditadura, o país acumulava dívida externa 30 vezes maior que a de 1964 e ainflação de 226% ao ano. Quase 50% da população estava abaixo da linha de pobreza. Os militares pegaram um país com graves problemas econômicos e entregaram um quebrado.

10/12 A censura e a falta de transparência favoreceram a corrupção. O período foi marcado por vários casos, como o Coroa-Brastel, Delfin, Lutfalla e Antonio Carlos Magalhães, que já nos anos 70 eram suspeitos em casos de corrupção. Também abafou casos, como a compra superfaturada de fragatas do Reino Unido nos anos 70.

11/12 A ditadura promoveu obras faraônicas, divulgadas com propaganda ufanista, como Itaipu e a ponte Rio-Niterói. Algumas foram marcadas por desperdícios e erros como a Transamazônica e as usinas de Angra. em 1969, o regime criou uma reserva de mercado para as empreiteiras nacionais ao proibir a atuação das estrnageiras. É nessa época que empresas como a Odebrecht passam a dominar as obras no país.

12/12 Em 1979, seis anos antes do fim da ditadura, foi promulgada a Lei da Anistia, perdoando crimes cometidos com motivação política. Mas ela tinha mão dupla: garantiu também a impunidade para agentes responsáveis por mortes e torturas. No Chile e na Argentina, dezenas de agentes foram condenados por violações de direitos humanos após a volta da democracia. No Brasil, ninguém foi punido.

Fonte: dw.com/pt-br (c/ fotos do Arquivo Nacional)

Na maior fossa

David Penfold
https://mastodon.social/@davep@infosec.exchange
Como violinista faço muitos espectáculos. Recentemente, um agente funerário pediu-me para tocar na cerimónia fúnebre de um sem-teto. Ele não tinha família nem amigos, pelo que a cerimónia teria lugar num cemitério de pobres no interior de Dorset.
Como não estava familiarizado com as estradas rurais, perdi-me e, sendo um homem típico, não parei para pedir informações.
Cheguei finalmente com uma hora de atraso e vi que os agentes funerários tinham ido embora e que o carro funerário não estava à vista. Só restavam os escavadores que estavam a almoçar.
Senti-me mal e pedi desculpa aos homens por ter chegado atrasado. Fui para o lado da campa e olhei para baixo e a tampa do jazigo já estava no local. Não sabendo mais o que fazer, comecei a tocar.
Os trabalhadores pararam o almoço e juntaram-se para escutar. 
Toquei com o meu coração e com a minha alma por este homem sem família nem amigos. Toquei para este sem-teto como nunca havia tocado antes.
E enquanto eu tocava "Amazing Grace" (vídeo), os trabalhadores começaram a chorar. Eles choraram, eu chorei, choramos todos juntos. Quando terminei, peguei no meu violino e dirigi-me para o meu carro. Embora a minha cabeça estivesse baixa, o meu coração estava cheio.
Quando abri a porta do meu carro, ouvi um dos trabalhadores dizer: "Nunca vi nada igual nesses vinte anos em que construo fossas sépticas."

30 março, 2024

O que é clickbait?

O clickbait, ou pesca de cliques, é uma prática muito frequente na internet que visa a atrair a atenção do público por meio de títulos exagerados, sensacionalistas ou enganosos, com o objetivo de aumentar o tráfego de visitas em um determinado site ou conteúdo online. Esses títulos muitas vezes não correspondem à qualidade do conteúdo que está sendo oferecido, levando o usuário a clicar no link e se deparar com uma informação pouco relevante ou de qualidade inferior.
Embora o clickbait possa parecer uma tática inteligente para aumentar o tráfego do seu site, isso pode ter consequências negativas e até mesmo prejudicar a sua reputação.
Oferece demais e entrega de menos. E busca fluxo a qualquer preço.

29 março, 2024

Origem do labirinto

"Em dezembro de 1970, Dorothea e eu visitamos a Argentina, onde eu daria algumas palestras sobre administração. Em minha correspondência sobre a visita, fiz algo que nunca fiz antes nem depois - pedi uma audiência com uma celebridade. Durante uma década, admirei as histórias de Jorge Borges (na época não conhecia sua poesia) e fiquei impressionado com o papel que os labirintos desempenhavam nelas. Eu queria saber por quê...
Conheci Borges em seu belo escritório barroco de teto alto na Biblioteca Nacional. Tivemos várias horas de conversa (em inglês)...
BORGES: Mas eu gostaria de saber por que você está interessado em ter essa conversa.
SIMON: Quero saber como foi que o labirinto entrou no seu campo de visão, nos seus conceitos, para que você o incorporasse nas suas histórias.
BORGES: Lembro-me de ter visto uma gravura do labirinto em um livro francês – quando eu era menino. Era um edifício circular sem portas, mas com muitas janelas. Eu olhava para essa gravura e pensava que se aproximasse uma lupa [uma pequena lupa] ela revelaria o Minotauro."
Models of My Life, por Hebert A. Simon. Basic Books/HarperCollins, 1991. Acesso em 2024: https://www.borges.pitt.edu/sites/default/files/1714.pdf

Atalhos

28 março, 2024

Última Ceia com Sal

 Alguém esculpiu esta cópia da "Última Ceia", de Leonardo da Vinci, em uma câmara da mina de sal de Wieliczka, na Polônia.

Wikimedia Commons


27 março, 2024

APERRIAÇÃO*

- Se entrega, Arisco!
- Eu não me entrego, não!
Vou falar com o Embaixador
Pra livrar da aperriação.
- Se entrega, Arisco!
- Eu não me entrego, não!
Não me entrego pra enxovia
Não me entrego pro Xandão
Eu me entrego só na Hungria
Fazendo arminha com a mão.
(Mais fortes são os poderes do Supremo)

*Paródia de PERSEGUIÇÃO, canção de Sérgio Ricardo, da trilha sonora de "Deus e o Diabo na Terra do Sol", filme de Glauber Rocha.

Sarmo 23

O sinhô é meu pastô e nada há de me fartá
Ele me faiz caminhá pelos verde capinzá
Ele tamém me leva pros córgos de águas carmas
Inda que eu tenha que andá
nos buraco assombrado
lá pelas encruzinhadas do capeta
não careço tê medo de nada
a-modo-de-quê Ele é mais forte que o coisa-ruim
Ele sempre nos aprepara uma boa boia
na frente de tudo quanto é maracutaia
E é assim que um dia
quando a gente tivé mais-prá-lá-do-que-prá-cá
nóis vai morá no rancho do sinhô
pra inté nunca mais se acabá.
(de um caipira anônimo)

Que tal uma frase com a palavra "capacidade"?
"Quando eu morava no sertão eu era abestado, aí eu vim capacidade..."

25 março, 2024

História da fotografia e do selfie

Fotografia é essencialmente a técnica de criação de imagens por meio de exposição luminosa, fixando-as em uma superfície sensível. O criador da palavra que designou esse invento, photographie, foi Hércules Florence, um francês radicado em Campinas-SP. Quanto a selfie é palavra inglesa, diminutivo de self, por sua vez redução de self-portrait, "autorretrato".

1826 Primeira fotografia reconhecida no mundo, foi obtida após a exposição por oito horas de uma placa de liga metálica composta de estanho revestido com betume da Judeia, em uma câmara escura.
https://blogdopg.blogspot.com/2012/08/fotografia-curiosidades.html

1838 Primeira foto com pessoas, foi produzida por Louis Daguerre. A imagem da rua Boulevard du Temple, que entrou para a história por ser a primeira foto a mostrar duas pessoas. A rua estava muito movimentada, mas os 15 minutos de exposição exigidos para o clique impediu o registro do trânsito e dos pedestres em movimento. Os únicos que podemos ver nessa foto são um engraxate e seu cliente, que permaneceram mais ou menos parados durante aquele período.
https://incrivel.club/admiracion-fotografias/16-primeras-fotos-de-la-historia-desde-la-mas-antigua-hasta-la-que-inauguro-instagram-1037410/

1839 Primeira selfie do mundo, a foto que Cornelius (EUA) tirou de si mesmo em frente à loja de sua família, a qual exigiu que ele ficasse imóvel por 15 minutos.
https://incrivel.club/admiracion-fotografias/16-primeras-fotos-de-la-historia-desde-la-mas-antigua-hasta-la-que-inauguro-instagram-1037410/

1840 Primeira foto no Brasil, a foto do chafariz do Paço Imperial (RJ) feita pelo capelão francês Louis Comte.
https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/01/16/livro-traz-o-primeiro-registro-fotografico-da-historia-do-rio.ghtml

1844 Primeiro livro ilustrado com fotografias, o Pencil of Nature (O Lápis da Natureza) que foi publicado em Londres por Henry Fox
https://blogdopg.blogspot.com/2012/08/fotografia-curiosidades.html

1861 Primeira foto colorida, foi tirada pelo físico James Maxwell.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Fotografia_colorida

1893 Primeira foto subaquática, feita pelo biólogo francês Louis Boutan.
https://www.revistahcsm.coc.fiocruz.br/os-primordios-da-fotografia-subaquatica/

1920 Selfie com amigos, em que a técnica estava longe de alcançar o estado de arte.
https://blogdopg.blogspot.com/2016/03/um-selfie-dos-antigos.html

1946 Primeira foto de um computador (ENIAC, de 30 toneladas)

1957, Primeira foto digital, que tinha apenas 176 pixels, criada por Russell Kirsch
https://lume-re-demonstracao.ufrgs.br/fotografia-digital-analogica/digital.html

1966 Primeiro selfie humano no espaço, também incluindo a Terra, foi tirada por "Buzz" Aldrin durante a missão Gemini 12.
https://blogdopg.blogspot.com/2015/08/o-primeiro-selfie-humano-no-espaco.html

1966 Criação da Internet

2002 Criação da palavra selfie e do fotolog

2011 Selfie do macaco Naruto,
https://blogdopg.blogspot.com/2016/11/obras-em-que-falta-autoria-humana.html

2013 Selfie, escolhido pelo Dicionário Inglês de Oxford como a palavra do ano

2021 Primeiro Museu do Selfie, com cenários "instagramáveis" em São Paulo.

2022 Messi com o troféu da Copa do Mundo, a foto mais curtida da história.

(completar)

24 março, 2024

Modos à mesa

Diz-se que estamos a apenas três refeições da anarquia, por isso, quando a fome bate no Bosque Grande, é importante que três amigos encontrem algo para comer o mais rápido possível. Criado usando fantoches de ação ao vivo por Rebecca Manley, este curta sombrio em quadrinhos mostra duas coisas: primeiro, sem comida estamos praticamente acabados. Em segundo lugar, mesmo quando a civilização está desmoronando a nosso redor, nunca devemos esquecer a importância das boas maneiras à mesa.


Via Kuriositas

23 março, 2024

Café requentado faz mal à saúde?

Piores cafés

3F = fraco, frio e fedorento

5F = 3F + formiga no fundo

Provérbio

amizade remendada, café requentado

22 março, 2024

Quer provar que os alienígenas existem? Faça isto

NEIL DEGRASSE TYSON: Muitas pessoas veem coisas no céu e têm certeza – elas não conseguem explicar, então têm certeza de que são alienígenas em visita. Bem, se você estivesse realmente, realmente certo disso, provavelmente não me escreveria uma carta. A menos que esteja me escrevendo uma carta para me convencer de seu ponto de vista. Mas isso não torna uma troca fértil. Se você vir luzes no céu e não souber o que são e quiser mais informações sobre o que poderiam ser e me escrever uma carta, então essa é uma troca significativa.
Se você não consegue explicar o que é e está voando e é um objeto, é um objeto voador não identificado, ponto final. Você acabou de dizer que não sabe o que é, então essa frase não deve continuar além dessa frase. Você não pode dizer que não sei o que é, portanto, devem ser alienígenas visitando de outro planeta. Se você não sabe o que é, então não deve ser nada.
Ok, talvez estejamos sendo visitados por alienígenas diariamente. Em todos esses avistamentos, há alienígenas. Eu não tenho um problema com isso. Meu problema é o que você está apresentando como evidência em apoio a essa afirmação. Se estiver totalmente fundamentado em seu depoimento de testemunha ocular, você precisa saber que o depoimento de testemunha ocular no totem de peso da evidência está na parte inferior. Um pouco assustador porque no tribunal é considerado evidência bastante alta. As pessoas dizem: "Preciso de uma testemunha!" Não, você quer dados. Isso é o que você realmente quer. Você quer informações que não precisem passar pelo sistema sensorial de alguém para que você possa minimizar o viés, a ilusão, a filtragem que sempre fazemos quando o mundo fora de nós passa por nossos sentidos para que possamos decidir o que está e o que não está acontecendo ao nosso redor. É por isso que inventamos a ciência.
A ciência e seus métodos e ferramentas. O telescópio, o microscópio, os registradores, os registradores gráficos, tudo isso. Então, a melhor coisa é - e a propósito, não me importa qual seja o seu pedigree. Não me importa se você é coronel militar, piloto, Força Aérea. você é humano? Isso é tudo que importa. Depois disso, me dê melhores evidências. E sim, a famosa máxima de Carl Sagan, "reivindicações extraordinárias requerem evidências extraordinárias". Portanto, a melhor coisa é arrastar o alienígena para a praça da cidade e você ficará rico e famoso da noite para o dia. Você não precisa discutir comigo. Eu não estou lhe impedindo. Vá em frente. 
Mas você sabe o que é mais significativo do que esse fato é que hoje, em todo o mundo, estamos carregando a internet com um bilhão de fotografias por dia. Todo mundo tem uma câmera de fotos e  vídeos. Lembra-se de todos aqueles relatos de pessoas sendo abduzidas e cutucando suas gônadas? Cadê o vídeo disso hoje? Você pode filmar isso e transmitir para a internet enquanto está acontecendo, caso eles não tirem de você. Porque esses alienígenas não querem um registro disso, é claro.
Onde estão todos os vídeos? Onde estão as imagens suas posando para selfies com os alienígenas? Eu não vejo isso. Isso seria uma evidência inicial muito útil de que sua experiência foi real e não exige que eu dependa de seu testemunho ocular para decidir o que é ou não verdade neste mundo.
Você sabe o que daria bons dados? Você está no disco voador ou seja lá no que eles vieram até aqui. Diga a eles para "olhem ali!" e, enquanto eles desviam o olhar, pegue algo da prateleira como um cinzeiro ou algo assim. Não sei se os alienígenas fumam. Pegue alguma coisa. Qualquer coisa vinda de uma nave alienígena será interessante. Qualquer coisa. Eu prometo. E então você tem algo para trazer para o laboratório (se não conseguir arrastar o próprio alienígena). Então podemos conversar. 
Até então, gaste mais tempo obtendo evidências melhores do que tentar convencer as pessoas de que elas existem na ausência delas.
Tradução transcrita de um vídeo, Big Think.

21 março, 2024

Uma jornada intergeracional


Todos os anos, as borboletas monarcas migram cerca de 4 mil quilômetros do Canadá para o México, onde passam o inverno em grandes aglomerações. Elas são conhecidas por realizarem a mais longa migração por invertebrados.
Cada migração das monarcas leva de três a quatro gerações, e cada geração consegue comunicar à seguinte (por uma linguagem que não conhecemos) o chamado e o percurso da jornada intergeracional, à medida que ela vai acontecendo.
No caminho, as lagartas da cada nova geração se alimentam exclusivamente de serralha — o gostinho de casa para esses eternos migrantes.
Sobre a serralha:
Suas folhas apresentam uma seiva branca e pegajosa, que é tóxica para os outros animais. Mas não afetam em nada as lagartas, apenas tornam seu corpo altamente tóxico para os predadores, como pássaros. Três mutações genéticas são a chave para que essa espécie de  inseto tenha se adaptado a uma dieta venenosa.
Uma casa é a serralha da vida humana. Nela, as gerações vivem suas vidas passando costumes, receitas de torta de maçã e traços de personalidade.