31 maio, 2012

O pequeno Akim

Música, infância e humor emocionaram os alemães. Os rígidos alemães que levaram o mundo a uma catástrofe em nome da pureza racial. O moreno Akim tocou mais fundo no coração da plateia ariana do que a orquestra inteira. Faltou, quem sabe, em 1939, um pequeno Akim com seu pequeno e desajeitado violino para libertar os alemães da cegueira nazista. Debaixo da pele somos todos iguais: uns chorões!
A começar por mim.
Chorei escondido.
Nelson Cunha


O maestro Andre Rieu apresenta o violinista de 3 anos, Akim Camara, durante o Flying Dutchman Concert realizado no Parkstad Stadium, Holanda (2005). Akim (nascido em 27 de outubro de 2001 em Berlin-Marzahn) toca o Concerto em Sol Major op. 11, de Ferdinand Küchler, com a Johann Strauss Orchestra.

O peixe pescador

Usa uma "vara de pescar" que paira acima e na frente de sua boca cheia de dentes pontiagudos. Essa "atração" é, na verdade, uma continuação da espinha dorsal do peixe, acrescida de uma estrutura carnosa na ponta. Revestida por bactérias bioluminescentes, a estrutura funciona como uma perfeita isca para os pequenos peixes.
Conhecido pelo nome vulgar de tamboril, pertence aos gêneros Lophius e Lophioides.
Tornou-se um dos vilões do oceano depois que um deles perseguiu Nemo (o peixinho de "Procurando Nemo").


In Photos: Spooky Deep-Sea Creatures, LiveScience.

+ informação
É quase impossível pegar um peixe pescador macho. Por quê? Eles não existem por muito tempo. Quando um tamboril macho nasce é uma pequena criatura sem sistema digestivo. Como tal, deve nadar até encontrar um fêmea da espécie o mais rapidamente possível. Quando isso acontece, ele se funde a ela, tornando-se a seguir uma pequena protuberância da parceira. Uma vez fixo, ele armazena o esperma necessário para fertilizar a fêmea quando ela estiver pronta para reproduzir.

30 maio, 2012

HOMENS X MULHERES. Uma comparação tecnológica

Bits and Pieces
Homens são como Bluetooth:
Ele se conecta a você quando você está perto, mas procura outros dispositivos quando você não está...
Mulheres são como Wi-Fi:
Ela avalia todos os dispositivos disponíveis e se liga ao mais forte...

Pare aqui
Para informar que dispunha de Wi-Fi grátis para os hóspedes, o Lotus Hotel, em Parapare, Indonésia, pôs este cartaz na recepção:

Free Wife (Esposa Grátis)

Tratamentos drásticos

Funcionam?
E... se funcionam é porque incluem o princípio de que "rir é o melhor remédio"?

29 maio, 2012

Máquina à ré do tempo



Inventei uma máquina do tempo. Como só leva ao passado não vejo qualquer futuro nela. 

A frase de Collor na CPI

Paulo,
Quequiéisso?
— Não se me acoime de ter comportamento alapado, lançadiço ou rafeiro em relação ao hebdomadário em tela.
Nelson Cunha
Aí vai:
— Não me acusem de ter comportamento oculto, imprestável ou bajulador com o semanário em questão.
Acontece que Collor usou em seu discurso o vocabulário das cantigas de escárnio e maldizer da era medieval. Não há dúvida de que o ostracismo fez um bem danado ao caçador de marajás. Ele voltou da temporada das ostras, tinindo nos cascos e nisto se inclui o relinchar. Para ver como o tempo é senhor da razão: desta vez Collor está do lado certo. Ao contrário de muita gente por aí que, desde que a CPI do K.choeira começou, vem tendo comportamento alapado, lançadiço e rafeiro.
PGCS

Pinguins

Uma homenagem do blog ao humorista Fortuna, autor do livro "Diz, logotipo!".





- O frio está de lascar!
- Também acho. Que tal se nós tomarmos uma quentinha?
PG

28 maio, 2012

Lágrimas liofilizadas

A mais recente linha de produtos que a  Hoxton Street Monster Supplies acaba de lançar é o sal feito de lágrimas. O sal foi recolhido de seres humanos que passaram por uma gama de emoções ou que se submeteram a várias situações.

Da esquerda para a direita: sal obtido a partir de lágrimas de raiva, lágrimas derramadas enquanto cortavam cebolas, lágrimas derramadas enquanto espirravam, lágrimas de riso e lágrimas de tristeza.

A HSMS por ela mesma
A  Hoxton Street Monster Supplies foi criada em 1818, embora os detalhes exatos de porquê e por quem, têm sido tragicamente perdidos para a história. Em 2010, depois de fechar para uma reforma muito necessária, reabriu as portas. Nós nos orgulhamos de ser em Londres, e possivelmente no mundo, a mais importante fornecedora de produtos de qualidade para monstros de todo tipo.
Muitos de nossos clientes têm vindo a nós por séculos. Aliás, alguns têm vindo por muito mais tempo. Se você é um vampiro, um lobisomem ou algum outro ser das trevas, temos de tudo que você precisa. Nossos produtos estão disponíveis para vendas online e na própria loja ~ nosso staff é geralmente muito educado.

Política

Errar é humano, mas atribuir o erro a outro partido é política. Boorhaven
A melhor política ainda é não se meter em política. Millôr
Você pode lograr todo mundo, o tempo todo; desde que a propaganda seja bem feita e o orçamento seja suficiente. Joseph Levine
Jack Warner tinha bolsos de plástico para poder roubar sopa. Wilson Mizner
A política é um ato de equilíbrio entre aqueles que querem entrar e aqueles que não querem sair. Bossuet
Político é aquele que promete construir uma ponte onde não exista um rio. Nikita Kruschev
Nos Estados Unidos, qualquer um pode se tornar presidente. Esse é o problema. George Carlin
Político cisca para dentro. Quem cisca para fora é galinha. Delfim Moreira
Política é a arte de arrancar dinheiro aos ricos e votos aos pobres, com o pretexto de protegê-los uns dos outros. Muy Interesante, Espanha
Não dá mais para acreditar em nossos políticos. Nem para não acreditar. Eles mudam tanto. Jesus Rocha
As campanhas eleitorais são como limpar os vidros. A sujeira está sempre do outro lado. William Herles
Não se faz política sem vítimas. Tancredo Neves
A política mora no homem. Mas dá o endereço errado para a moral. Paulo Gurgel

27 maio, 2012

Surfista perde braço para tubarão

O medo dos tubarões tem sido alimentado pelo registro dos ataques não provocados a pessoas e, principalmente, pelo sucesso do filme "Tubarão" (Jaws), de Steven Spielberg, complementado pelo sucesso das sequências (três) do referido filme.
Ao contrário da crença popular, somente algumas espécies de  tubarões são perigosas para os seres humanos. Em mais de 360 delas, apenas quatro espécies têm causado mortes em pessoas: o Grande Tubarão Branco, o Tubarão-Tigre, o Tubarão-Touro e o Tubarão Branco Oceânico.
Tubarões de outras espécies (talvez de 10 a 15) têm ameaçado, atacado, e/ou mordido - sem matar - um numero maior de seres humanos, sem terem sido por estes provocados. Este grupo reúne o Tubarão Anequim, o Tubarão-Martelo, o Tubarão Cinzento dos Recifes, o Tubarão-Preto, entre outros.
Existem muitas teorias sobre o que causa os ataques de tubarões a pessoas. Uma delas afirma que o tubarão pode confundir um ser humano com uma foca ou outro animal: este é o caso típico dos ataques a surfistas.
old.enciclopedia.com.pt

Notícia
Uma nova espécie de tubarão foi identificada como sendo extremamente perigosa para as pessoas. Atacou recentemente a surfista Liza Richardson, que perdeu o braço direito, como pode não se ver nesta foto da edição de junho da revista Marie Claire. Os dedos correspondentes ao membro foram preservados, e ajudam-na inclusive a segurar a prancha, mas a surfista ficou ao final de tudo sem o braço.
O responsável por essa tragédia foi um tubarão da espécie Photoshop shark.
Surfer Tragically Loses Arm to Photoshop Shark, Jezebel

Bônus
Desastres com o Photoshop

A máquina fotográfica de arremessar

Em formato de bola, e composta por 36 pequenas câmeras de 2 megapixels montadas em um gabinete de espuma, esta é uma máquina fotográfica deveras especial. Jogada para o alto, suas câmeras fotografam ao mesmo tempo, assim que a máquina chega ao ponto mais alto de sua trajetória. E as imagens obtidas são, a seguir, transferidas para um computador, onde um aplicativo se encarrega de reuni-las de forma panorâmica.
É a Throwable Panoramic Ball Camera, desenvolvida por pesquisadores em ciência da computação de Berlim, tendo à frente Jonas Pfeil.
Saiu no PetaPixel.
Veja abaixo uma demonstração:

Uma resposta aos descrentes

A entrada em operação do navio petroleiro João Cândido, nexta sexta-feira, 25, em Pernambuco, é, antes de mais nada, uma vitória do trabalhador brasileiro. É uma resposta aos descrentes que jamais acreditaram no talento e na capacidade de superação do nosso povo.
A riqueza do petróleo não será uma maldição, como aconteceu em tantos países. Ao contrário, está sendo utilizada para melhorar a vida de milhares de brasileiros. O Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef) carrega esse espírito: da necessidade de renovar a frota brasileira de petroleiros, criamos oportunidades de desenvolvimento com justiça social.
Primeiro petroleiro construído no Nordeste, o João Cândido é o símbolo do longo e trabalhoso processo de reconstrução da indústria naval brasileira. O setor viveu uma crise de décadas, que os pessimistas de plantão achavam incontornável.
Quem acredita no futuro do País já pode ver resultados expressivos no presente. O cenário da indústria naval já é outro. O volume de encomendas aos nossos estaleiros é o melhor atestado da efetividade do programa. Já temos a quarta maior carteira mundial de encomendas de navios. Os menos de dois mil empregos do início do século evoluíram para 60 mil, no setor naval.
Três novos estaleiros estão sendo implantados para atender ao Promef. Além dos navios Celso Furtado, já em operação, e João Cândido, um terceiro navio, o Sérgio Buarque em Holanda, será entregue em junho. Mais duas embarcações estão em fase final de acabamento.
Tirar essa indústria da inércia tem sido um grande desafio, mas é preciso ressaltar que os gigantes asiáticos do setor naval levaram 20 anos para chegar ao estado da arte. O Brasil, tenho certeza, vai levar menos tempo para atingir este estágio. Para isso, estamos apostando firmemente em um choque de produtividade. Os estaleiros que não priorizarem a atualização tecnológica, a capacitação profissional e os processos modernos de gestão ficarão para trás.
Treinar operários numa região sem tradição na construção naval foi apenas uma das dificuldades de um projeto audacioso. Os milhares de trabalhadores que fizeram o João Cândido foram desacreditados, mas deram um exemplo de perseverança, coragem e superação.
Esses trabalhadores não precisarão mais abandonar a terra onde nasceram e migrar em direção ao Sul/Sudeste para mostrar o seu valor. A diversificação regional da indústria naval, com o aproveitamento da mão de obra local e a formação de novas cadeias produtivas, é um dos instrumentos para desenvolver o Nordeste, retendo na região a riqueza nela produzida.
Houve quem dissesse que o navio João Cândido não poderia ser concluído no Brasil, que teria de ser levado para outros países. Sua entrega é uma prova da capacidade do nordestino para enfrentar e superar desafios.
Sergio Machado, Presidente da Transpetro
Artigo transcrito de O POVO online, edição de 23/05/12

26 maio, 2012

Dobrando papel

O crescimento exponencial sendo explicado dobrando-se muitas vezes uma folha de papel
Adrian Paenza narra neste vídeo educativo TED como obter uma imagem mental do que significa um crescimento exponencial (sic), algo que temos dificuldades para apreciar e calcular, mas que acontece à nossa volta em muitas questões práticas.
O modelo baseia-se em dobrar um papel (com 0,001 cm de espessura) e, de acordo com o número de vezes que o mesmo é dobrado em imaginação, calcular a altura a que corresponde:
10x : a espessura de 1 cm
17x : a altura de um hobbit
25x : mais alto do que o Empire State Building
40x : a altitude em que orbitam os satélites
45x : pode alcançar a Lua.


No mundo real, usando-se o truque do papel longo e especialmente fino, o recorde mundial é de 13 dobras. E o papel utilizado para estabelecer esse recorde, e que apresentava 16 quilômetros de extensão, terminou por medir cerca de um metro de altura.

Duas mudanças e uma vingança

Ela passou o primeiro dia pondo os seus pertences em caixas, engradados e malas.
No segundo dia, os homens da mudança vieram e levaram suas coisas.
No terceiro dia, ela se sentou pela última vez à mesa da sala para um solitário jantar à luz de velas. Colocou uma música suave e festejou a sua separação com um quilo de camarões, um pote de caviar e uma garrafa de água mineral Perrier.
Quando terminou, ela foi a cada quarto da casa para depositar as cascas dos camarões meio comidos, misturadas com as sobras do caviar, no interior das hastes das cortinas.
Por fim, limpou a sala, a cozinha e saiu.
Quando o marido retornou com a nova namorada tudo estava um brinco. Mas, lentamente, a casa começou a cheirar mal.
Eles tentaram de tudo: limpar, esfregar e arejar os cômodos. Esconderijos foram verificados à procura de roedores mortos. Tapetes foram limpos a vapor. Purificadores de ar foram pendurados em todos os lugares. Exterminadores de pragas foram trazidos. E chegaram a substituir o caro tapete de lã. Nada funcionou.
As pessoas pararam de visitá-los. Homens chamados para reparos na casa se recusavam a trabalhar por lá. A empregada foi embora. E, não conseguindo aguentar mais o fedor, eles decidiram se mudar.
Um mês depois, apesar de já terem reduzido o preço à metade, não encontravam um comprador para a casa fedorenta. A notícia vazou e, para piorar a situação, até mesmo os corretores de imóveis se recusavam a retornar suas ligações.
Nisso, a ex-esposa ligou para o homem e perguntou-lhe como iam as coisas.
Ele disse que a casa estava à venda (sem lhe explicar bem o motivo). E ela disse que tinha interesse em comprá-la.
O preço acertado para a transação foi uma pechincha, mas ele aceitou para se livrar do imóvel mal-cheiroso.
E, com um empréstimo tomado num banco, completou o dinheiro necessário para comprar uma nova casa.
Uma semana depois, o homem e sua namorada estavam radiantes de alegria. Com a chegada da empresa de mudanças que levaria suas coisas para a nova casa, inclusive as hastes das cortinas.

Sweet Revenge, Miss Cellania. Tradução: PGCS

25 maio, 2012

O dragão mágico

É um dragão de papel que segue você com os olhos.
Este efeito é uma ilusão de óptica. O observador acredita que é convexo o que, na verdade, é côncavo.
Ilusionistas se reúnem anualmente nos EUA para homenagear o matemático Martin Gardner. E o dragãozinho foi criado especialmente para ser apresentado num destes encontros.

Vídeo: inDICAção de Nelson Cunha

27/12/2013 - Atualizando...
Vídeo com o T. rex inspirado na ilusão de óptica do dragão mágico.

A festa dos sósias

Há algum tempo Jorge George vinha identificando pessoas que lembrassem fisicamente celebridades da política, do esporte e do "showbiz". Se, por exemplo, ele conhecia alguém parecido com o lutador Madzilla, tornava-se amigo do conhecido, de longa data, oferecendo-se inclusive para ser sparring - em troca de saber o endereço e o número do telefone.
Estes detalhes tinham a ver com uma festa de arromba que ele estava planejando. Uma festa à base de sósias, que colocaria Fortaleza no mapa dos grandes acontecimentos.
Nessa festa, cada sósia teria de atuar, falar, vestir-se etecétera e tal como se fosse o original. Para isso, ia receber cachê - além de participar de uma grande boca livre. O que, aliás, ficaria mais em conta para o anfitrião do que trazer o popstar propriamente dito, que, além de cobrar um cachê mais alto, resultaria em gastos adicionais com passagens aéreas, hotel e carro com motorista.
Daqui em diante, vou me referir aos sósias como se eles fossem as pessoas representadas. Fica mais objetiva a descrição dessa festa que, por sinal, não terminou bem.

Siga lendo no Preblog.

24 maio, 2012

O beija-mão

De origens medievais, o beija-mão era uma cerimônia pública em que o monarca se colocava em contato direto com o vassalo, o qual, depois da devida reverência, podia aproveitar a ocasião para solicitar alguma mercê. A cerimônia tinha grande significado simbólico, lembrando o papel paternal e protetor do rei, invocava o respeito pela monarquia e a submissão dos súditos. Era grande o fascínio que exercia sobre o povo. Havia um protocolo preciso a ser seguido: a pessoa se aproximava, ajoelhava diante do rei, e beijava-lhe a mão estendida. Então levantava-se, fazia outra genuflexão e se retirava pelo lado direito.


Na atualidade
Flagrante do momento em que o Presidente José Erra, invertendo os rígidos papéis que o protocolo estabelece para a cerimônia, beija a mão de uma súdita. Aliás, beija a mão dele mesmo, então não sei mais o que dizer.

Imagem: Marco Aurélio, blog DoLaDoDeLá

A Colaboração Cochrane

Criada em 1993, A Colaboração Cochrane (The Cochrane Collaboration) é uma rede internacional de 28 mil pessoas, em mais de 100 países, dedicadas a ajudar os profissionais de saúde, os gestores públicos, os pacientes e as organizações que cuidam de seus interesses e os responsáveis pela educação a tomar decisões, bem informadas, sobre os cuidados de saúde, com base na melhor evidência de pesquisa disponível.
Tal acontece por meio da preparação, atualização e publicação dos Comentários Cochrane - existem mais de 4.600 até agora - em sua Biblioteca Cochrane (on line). É um trabalho reconhecido internacionalmente como referência para informações de qualidade sobre a eficácia dos cuidados de saúde.
A Colaboração Cochrane tem este nome em homenagem a Archie Cochrane (1909-1988), um pesquisador médico britânico que muito contribuiu para o desenvolvimento da epidemiologia como ciência. O livro "Eficácia e Eficiência: Reflexões Aleatórias sobre Serviços de Saúde", publicado em 1972, foi a sua obra mais influente.

Fotografia de Archie Cochrane: Cardiff University Library, Archive Cochrane, University Hospital Llandough.

22 maio, 2012

O coração da mulher

... como todo instrumento depende de quem o toca. Saint Prosper

Clepsidra

Consiste de um recipiente com água, do qual a água cai - gota a gota - em outro recipiente graduado, cujas divisões correspondem a um intervalo de tempo determinado.
Uma clepsidra é um relógio de água, portanto. Babilônios, egípcios, chineses e hindus utilizaram-se dessa ampulheta d'água para marcar o tempo.
Este vídeo (assista no YouTube) mostra uma versão moderna da clepsidra. Faz um giro (recarga) a cada 40 minutos e apresenta em sua base um contador de 4 giros.


Clepsidra foi também uma famosa prostituta da Roma antiga. Muito requisitada, ela apelava para uma ampulheta d'água para medir o tempo que despendia com seus clientes (e quanto ia cobrar deles, certamente).

21 maio, 2012

Do trema à privataria

Paulo,
Veja que texto (1) bem concebido de autor desconhecido. Uma dessas coisas inteligentes que rodam por aí sem ligar para o ECAD (que quer dizer É.... CADÊ o meu? ). (2)
Segue a filosofia da minha amiga Darlene, gostosa que posou nua para o blog do meu cunhado. Recriminada, respondeu: "A vulva quando é bela tem que mostrar suas intimidades e descarregar a tensão dessa multidão de solitários". Tá certa, a Darlene!
O escritor inteligente não pode cobrar pelo que recebeu de graça. Bastam os convites das entusiasmadas e belas leitoras para um cineminha lá em casa. Ouviu, Paulo! Que sua madame não me leia. (3)
E por falar em direito autoral, proponho cobrar dos escritores gananciosos, direito autoral para Gutemberg, inventor da imprensa, e para os sumérios, inventores da escrita.
Os compositores da boa música pagariam a Guido d'Arezzo, inventor da notação musical e aos curiós de gaiola que ensinaram aos ruídos que, sem disciplina, nunca chegariam a melodia.
Dos compositores de funk, deveria ser cobrado direitos autorais para os chimpanzés pela inteligência dos seus textos, e para os marteletes hidráulicos pela ritmo e potência do som . Se vocês escutarem que o alto-falante do me vizinho "funqueiro" foi assassinado com três balaços no magneto, podem acreditar que foi um oculista atormentado (4) e, por isso mesmo, inimputável.
Paulo, petista (5) da antiga lavra, amigo de juventude responsável, colega de ganha-pão! A originalidade não existe, nem o pecado foi original, a safadeza já corria solta no paraíso e Eva não aguentava mais ver aquilo tudo do Adão sem provar. Acho que até Deus copiou esse mundo de algum lugar, ficou muito bem feito.
Somos todos uns ladrões de idéias, uns PIRATAS.
Então, deixem em paz a pirataria, mas abaixo a privataria. (6)
Nelson Cunha
N. do E.
Nelson,
(1) Trata-se de "A despedida do trema", um texto que deixei há tempos em estado de hibernação no blog, à espera do dia 21 de dezembro de 2012. Nesta data, o sinal gráfico enfim se despede da língua portuguesa. Rezo para que até lá a ilustração que reservei para o texto, um Ü em formato GIF animado, não venha a sofrer de alguma irremediável paralisia.
(2) O ECAD ensaiou recentemente cobrar aos blogueiros a inserção dos vídeos musicais. Felizmente, o YouTube fez o ECAD lembrar-se de que isso não era razoável. Seria duplicidade de pagamento (o YouTube já paga conforme a contagem das exibições). Eu, que  já estava me preparando para substituir os vídeos pelos respectivos links, me dei a última forma.
(3) ♪Pra que discutir com madame?♪ (Em vídeo, no blog.)
(4) Em dia de cão, aqui me referindo ao percussor de sua arma de fogo.
(5) Sou filiado ao PSB. Simpatizo o PT, sem isto ser considerado quase amor. Mas é um semper fidelis que tem limites: o PT não pode se misturar com os tucanos para comer do farelo mofado dos bicudos, nem pode pisar no chão orgânico da estrebaria dos demos.
(6) Sim, abaixo só a privataria! Pois com os piratas há que se aprender como devem ser tratados os "privatas".
PGCS

A guitarra feita de árvores

Pedro Martin Ureta, um fazendeiro argentino de 70 anos de idade, de General Levalle, usou 7 mil ciprestes e eucaliptos para criar a figura de uma guitarra gigante em memória de sua falecida esposa, Graciela, falecida em 1977, quando ela tinha apenas 25 anos.
Ele consultou alguns paisagistas, mas nenhum deles estava interessado ​​em participar de tal empreitada. Então, o fazendeiro, com a ajuda de seus filhos e de alguns peões de sua fazenda, decidiu realizar aquilo que um dia fora o sonho de sua Graciela.
E esta gigantesca guitarra feita de árvores, mostrada através de fotos, é somente como Pedro Martin a vê até hoje. Por medo de voar, ele se recusa a subir a bordo de uma aeronave de onde poderia apreciar melhor sua criação.


Extraído de Maybe Graciela Sees It From Heaven..., um artigo de Matt Moffett, na íntegra e com vídeo no online.wsj.com.

20 maio, 2012

A aranha vegetariana

Atualmente são conhecidas umas 40 mil diferentes especies de aranhas no mundo, todas elas classificadas como carnívoras (insetívoras). A surpresa é que biólogos norte-americanos descobriram, na América Central, uma aranha vegetariana (Bagheera kiplingi) que se alimenta das folhas de um arbusto.


A Bagheera kiplingi é bastante pequena e habita algumas acácias, arbustos que mantêm una estreita relação de cooperação com colônias de formigas. As formigas se encarregam de dar proteção às plantas, defendendo-as dos animais herbívoros e, em troca, recebem proteção entre seus espinhos e podem se  alimentar de um néctar que as plantas produzem na base de suas folhas.
Por coincidência, a aranha vegetariana também sente predileção por esta planta, sobretudo por suas folhas mais tenras. Porém, para poder chegar até elas e comê-las deve evitar as patrulhas de furiosas formigas pelo caminho. E, para isso, a pequena aranha demonstra possuir boa visão, incrível agilidade e uma especial inteligência. As formigas tentam detê-la, mas a aranha consegue sempre chegar aonde estão suas folhas favoritas.

iChopp

Todas as postagens que compõem este blogue foram escritas e publicadas na internet a partir de um computador de mesa, modelo desktop.
Nenhuma delas, até hoje, saiu de um laptoptablet, telefone celular etc.
Nisto tenho sido conservador e obstinado.
Mas, diante do que acabo de ver, neste vídeo enviado por Germano Gurgel, devo confessar que sofri um forte abalo em minhas convicções:

MEU COMPUTADOR ESTÁ LONGE DE FAZER O QUE ESTE iPAD FAZ!


Nelson Cunha disse...
Bom truque, mas o chopp está sendo conduzido pelo conjunto braço-mão direita do mágico. Veja na primeira tomada que ele acopla a mangueirinha escondida na mão à manopla da torneira, propositadamente furada no seu topo.
Assinado: Uchepra (Um Chato Estraga-Prazeres)

- Ora, Nelson, estragar prazeres pode ser também prazeroso. Remember "Mister M".

19 maio, 2012

O motorista Zuck

Na onda da oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações do Facebook na Bolsa, Mark Zuckerberg apareceu ontem fazendo esta pose. O que foi suficiente para gerar alguns memes na internet.

google lhe dá um carro 
sem o motorista


facebook lhe dá um motorista 
sem o carro

Iguaria

Em algumas culturas eles são considerados uma iguaria.


Oops! É apenas uma brincadeira com a perspectiva forçada. (*)

(*) Quando um objeto está afastado e temos a ilusão de que ele parece menor ao ser comparado a outro que está próximo.

TESTAMENTO. Na casca de um ovo

Guillermo, em artigo postado no blog La Aldea Irreductible, traz algumas decisões de tribunais anglosaxônicos que resolveram pendências sobre estranhas e curiosas situações de material e/ou local em que algumas pessoas deixaram escritas suas últimas vontades.
Em 1926, no caso Hodson x Barnes, um testamento escrito na casca de um ovo vazio foi considerado como válido por um desses tribunais.
O falecido, cujas iniciais eram J.B., havia outorgado um primeiro testamento de forma comum (isto é, em papel) em 1920, e, após sua morte, em 1925, a viúva, a quem ele chamava “Mag”, encontrou no armário do quarto de casal uma casca de ovo vazia em que se lia:
“17-1925. Mag. Everything I possess. - J. B.”
(17-1925. Mag. Tudo o que possuo. - J. B.)
O tribunal aceitou como tendo sido o marido de Mag a pessoa que escreveu, de próprio punho, aquela frase no ovo e, mais importante, criou jurisprudência de que cascas de ovo também servem para se escrever sobre elas um testamento.
Perdão pela piada, mas torço para que o valor do extravagante testamento tenha sido para Mag (viúva e única beneficiária) maior do que o de um ovo!
Leia outras decisões aqui.

18 maio, 2012

Gaguez


No(s) cartaz(es): SEJA PACIENTE COM AS PESSOAS QUE GAGUEJAM

Vídeos 1 e 2
Com a entrevista de Claudio Gaspar (o vereador gago que leva na esportiva os seus problemas com a fluência da fala) ao apresentador Jô Soares. Vídeos indicados por Fernando Gurgel Filho.

"No gago, é como se todos os sons viessem na ponta da língua ao mesmo tempo e a pessoa não conseguisse escolher um só." Fonoaudióloga Ana Maria Alvarez, uma das autoras do livro "Tratando a Gagueira".

Embelezamento sustentável



Deu no Likecool.
Este colar vem com um pequeno vaso onde você pode colocar uma planta (não muito grande).
Se chorar não se avexe. Vai regar a plantinha.

Malthus Além

Lendário personagem, filho de Enoque e avô de Noé. Não só viu o Dilúvio como pisou na lama que se formou depois.
Uma das diásporas judaicas levou esse patriarca para a Polônia. A bem dizer, Malthus, ao levar com ele a família, é que foi a maior das diásporas.
Com a desculpa de estar "apenas de passagem", ele viveu vários séculos na Polônia.
No século 18, transferiu-se para o Reino Unido onde escreveu um famoso ensaio demográfico. No qual divulgava a ideia de que a população humana cresce em progressão exponencial, enquanto os meios de subsistência crescem como rabo de cavalo. O que refletia, de certa forma, o arrependimento do patriarca por haver gerado uma descendência tão numerosa.
A autoria desse ensaio foi depois erroneamente atribuída a Thomas Malthus. Mas Thomas não era um pensador, era um homem totalmente pragmático. Erradicou as plantações de batata na Irlanda como meio de acabar com a população do país. Não chegou a tanto, porém, como deixou o nome associado a uma questão de controle populacional, foi esse detalhe que acabou gerando a confusão.
Os ensinamentos de Malthus Além podem ser resumidos neste conceito lapidar:
Evite nascer, mas se fizer essa besteira, então tente não morrer.
Ele morreu, tentando até o fim... não morrer. O Guinness Book não reconhece sua longevidade porque ele nunca apresentou uma certidão de nascimento. Só uma versão autografada do Velho Testamento.
Mas Malthus Além deixou uma legião de seguidores no Brasil, dentre eles: Oscar Niemeyer, Dona Canô, João Havelange, Hebe Camargo, Suzana Vieira, Caçulinha, Plínio Arruda, Bibi Ferreira e a repórter Glória Maria.

17 maio, 2012

Um guia de sobrevivência comestível

EM CASO DE EMERGÊNCIA: COMA ESTE LIVRO
A Land Rover adverte: “mesmo os motoristas mais experientes podem sucumbir às dificuldades do deserto na Arábia Saudita”. Uma simples viagem pode se tornar um pesadelo, no caso de uma tempestade de areia cobrir a rodovia e suas referências. Por isso, a marca passou a oferecer em seus carros comercializados em Dubai 5.000 exemplares de um guia de sobrevivência para esta inóspita região.
O guia, escrito em inglês, contém dicas de como se orientar por meio de bússola e estrelas, ensina a montar abrigos e mostra até como caçar animais (?) no deserto. Mas, caso o cardápio local não o agrade, você pode comer o livro.
E não faz mal! O guia de sobrevivência comestível é impresso em folhas de papel feitas com uma espécie de farinha de batata e a tinta é a base de glicerina. Seu valor nutricional, segundo a LR, é equivalente ao de um cheeseburguer. Além disso, a embalagem reflexiva que envolve o livro também pode ser usada para chamar por ajuda e o espiral pode ser desenrolado e usado como espeto de churrasco.
E quem comeu gostou. Segundo relatou no site Jalopnik.com, o jornalista Jason Torchinsky, que comeu aproximadamente 1/3 do guia de 75 páginas, o livro é “delicioso, com uma textura crocante e sabor de noz”.


Consultar também...
Sobrevivência na residência

A relação cintura-altura

Pessoas preocupadas com doenças cardíacas e diabetes devem tomar suas medidas de altura e cintura para avaliar seus riscos, dizem pesquisadores britânicos.
Idealmente, todos devem procurar manter a medida da cintura abaixo da metade da medida da altura. Isto significa que um homem com a altura de 182 cm deve ter a cintura com menos de 91 cm, enquanto uma mulher com 162 cm de altura deve manter a cintura abaixo de 81 cm.
A equipe de pesquisadores, que analisou a saúde de cerca de 300.000 pessoas, constatou que a relação cintura-altura era um melhor preditor de risco para hipertensão arterial, diabetes e eventos cardiovasculares como ataques cardíacos e derrames do que o índice de massa corporal (IMC).
Embora o IMC seja universalmente usado a maioria das pessoas não está familiarizada com ele, em parte por necessitar de um cálculo menos simples.O IMC é calculado tomando-se a massa em quilogramas de uma pessoa e dividindo-a pelo quadrado de sua altura em metros.
A Dra. Margaret Ashwell, diretora de ciências da ex-Fundação Britânica de Nutrição, e agora uma consultora independente, liderou este estudo a ser apresentado no próximo Congresso Europeu de Obesidade, em Lyon, França.
"Manter a circunferência de cintura em menos da metade da altura pode ajudar a aumentar as expectativas de vida das pessoas", disse ela.
E a relação também foi melhor do que apenas medir a cintura, acrescentou, uma vez que a relação leva em consideração as diferentes alturas dos indivíduos e grupos étnicos.
O IMC tem a limitação de não levar em conta a distribuição de gordura em todo o corpo. E a gordura do tipo abdominal, a que se distribui em torno do coração, fígado e rins, é reconhecidamente pior do que a gordura do tipo que se acumula nos quadris como causa de doenças cardíacas e diabetes.
A relação cintura-altura, concluiu Ashwell, é uma importante ferramenta de triagem.

Forget BMI, just measure your waist and height, por Stephen Adams. In: The Telegraph
(publicado em 12/05/12 / acessado em 15/05/12)

Ler também...

16 maio, 2012

Uma aula de política

DIÁLOGO ENTRE COLBERT E MAZARINO DURANTE O REINADO DE LUíS XIV
Colbert e Cardeal Mazarino, ministro da economia e primeiro-ministro na França de Luís XIV

Colbert: - Para arranjar dinheiro, há um momento em que enganar o contribuinte já não é possível. Eu gostaria, Senhor Superintendente, que me explicasse como é possível continuar a gastar quando já se está endividado até o pescoço…
Mazarino: - Um simples mortal, claro, quando está coberto de dívidas, vai parar à prisão. Mas o Estado é diferente!!! Não se pode mandar o Estado para a prisão. Então, ele continua a endividar-se… Todos os Estados o fazem!
Colbert: - Ah, sim? Mas como faremos isso, se já criamos todos os impostos imagináveis?
Mazarino: - Criando outros.
Colbert: - Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.
Mazarino: - Sim, é impossível.
Colbert: - E sobre os ricos?
Mazarino: - Os ricos também não. Eles parariam de gastar. E um rico que gasta faz viver centenas de pobres.
Colbert: - Então como faremos?
Mazarino: - Colbert! Tu pensas como um queijo, um penico de um doente! Há uma quantidade enorme de pessoas entre os ricos e os pobres: as que trabalham sonhando enriquecer e temendo empobrecer. É sobre essas que devemos lançar mais impostos, cada vez mais, sempre mais! Quanto mais lhes tirarmos, mais elas trabalharão para compensar o que lhes tiramos. Formam um reservatório inesgotável. É a classe média!

Da peça teatral "Le Diable Rouge", de Antoine Rault. Repassado por Nelson Cunha

Engavetadores-gerais

Deixa ver se eu entendi:
Havia um brindeiro (epônimo para engavetador geral) que, a seu tempo, arquivava tudo que pudesse comprometer a situação. Agora, temos outro brindeiro para engavetar exclusivamente o que compromete a oposição?!

Bridezilla 2

No slideshow BRIDEZILLA 1 você foi informado sobre o que a palavra em epígrafe significa.
As time goes by. Talvez você esteja precisando clicar no link para fazer uma revisão sobre o assunto. E só depois disso assistir ao BRIDEZILLA 2, que é como a dita-cuja se prepara para o que der e vier.

15 maio, 2012

"O finito definido pelo infinito"




Em 1965, o artista franco-polonês Roman Opalka deu início ao grande trabalho de sua vida: "o finito definido pelo infinito". Consistia em pintar numa tela, da esquerda para a direita e do alto para baixo, a contagem completa dos números - de um até o infinito!
Opalka começou a pintar números brancos numa tela cinza, cujo fundo ia aos poucos clareando, com o nítido propósito de chegar ao infinito "com os números brancos numa tela branca".
Em 6 de agosto de 2011, o pintor faleceu deixando 5607249/∞ de sua obra concluída.

Takedown

É uma modalidade de arte marcial que teve sua origem no Taekwondo, neste exato momento:


Leitorado
O mais belo golpe que já pude assistir!
Absolutamente fantástico!
Ivan Bulhões
Paulo,
Com aquele cabelão, parece que é uma judoca. Se for mesmo, ela não inventou nada. Essa chave de perereca já derrubou e ainda derruba muitos homens.
Nelson Cunha

O site dos cartões

A Bluntcard é um serviço especializado em cartões de mensagens inapropriadas, rudes e completamente desmotivadoras, que abrangem todas as ocasiões e relacionamentos. Desde insultos até manifestações de soberba e autodepreciação, os cartões oferecem tópicos como donas de casa infelizes, amizades hipócritas, vida familiar, inveja ou sexo.
Rejane Borges. In: Obvious.


- Senador, quando posso ler o seu mais recente projeto contra a homofobia?
- Após o nosso banho.

14 maio, 2012

O roubo da pérola

:-)

O Sermão da Montanha

NA VERSÃO PARA EDUCADORES
Naquele tempo, Jesus subiu a um monte seguido pela multidão e, sentado sobre uma grande pedra, deixou que os seus discípulos e seguidores se aproximassem. Ele os preparava para serem os educadores capazes de transmitir a lição da Boa Nova a todos os homens. Tomando a palavra, disse-lhes:
- Em verdade, em verdade vos digo: felizes os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus; felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados; felizes os misericordiosos, porque eles...
Pedro o interrompeu:
- Mestre, vamos ter que saber isso de cor?
André perguntou:
- É pra copiar?
Filipe lamentou-se:
- Esqueci meu papiro!
Bartolomeu quis saber:
- Vai cair na prova?
João levantou a mão:
- Posso ir ao banheiro?
Judas Iscariotes resmungou:
- O que é que a gente vai ganhar com isso?
Judas Tadeu defendeu-se:
- Foi o outro Judas que perguntou!
Tomé questionou:
- Tem uma fórmula pra provar que isso tá certo?
Tiago Maior indagou:
- Vai valer nota?
Tiago Menor reclamou:
- Não ouvi nada, com esse grandão na minha frente.
Simão Zelote gritou, nervoso:
- Mas por que é que não dá logo a resposta e pronto!?
Mateus queixou-se:
- Eu não entendi nada, ninguém entendeu nada!
Um dos fariseus, que nunca tinha estado diante de uma multidão nem ensinado nada a ninguém, tomou a palavra e dirigiu-se a Jesus, dizendo:
- Isso que o senhor está fazendo é uma aula? Onde está o seu plano de curso e a avaliação diagnóstica? Quais são os objetivos gerais e específicos? Quais são as suas estratégias para recuperação dos conhecimentos prévios?
Caifás emendou:
- Fez uma programação que inclua os temas transversais e atividades integradoras com outras disciplinas? E os espaços para incluir os parâmetros curriculares gerais? Elaborou os conteúdos conceituais, processuais e atitudinais?
Pilatos, sentado lá no fundão, disse a Jesus:
- Quero ver as avaliações da primeira, segunda e terceira etapas e reservo-me o direito de, ao final, aumentar as notas dos seus discípulos para que se cumpram as promessas do Imperador de um ensino de qualidade. Nem pensar em números e estatísticas que coloquem em dúvida a eficácia do nosso projeto. E vê lá se não vai reprovar alguém!
E, foi nesse momento que Jesus disse:
- Senhor, por que me abandonastes...

Paródia difundida na internet, repassada por Fernando Gurgel Filho

13 maio, 2012

♪Morro Dois Irmãos♪

"Não há nenhum enigma, nenhum estranhamento. As pedras no Rio de Janeiro fazem parte da paisagem, são algo muito concreto, eu vivo rodeado de pedras." Chico Buarque


Dois Irmãos, quando vai alta a madrugada
E a teus pés vão-se encostar os intrumentos
Aprendi a respeitar tua prumada
E desconfiar do teu silêncio.

Penso ouvir a pulsação atravessada
Do que foi e o que será noutra existência
É assim como se a rocha dilatada
Fosse uma concentração de tempos.

É assim como se o ritmo do nada
Fosse, sim, todos os ritmos por dentro
Ou, então, como um música parada
Sobre um montanha em movimento.

Vida após o nascimento

No ventre de uma mulher grávida estavam dois bebês. O primeiro pergunta ao outro:
- Você acredita na vida após o nascimento?
- Certamente. Algo tem de haver após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.
- Não é possivel, não há vida após o nascimento. Como verdadeiramente seria essa vida?
- Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a boca.
- Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Eu digo somente uma coisa: A vida após o nascimento está excluída e o cordão umbilical é muito curto.
- Na verdade, certamente há algo. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui.
- Mas ninguém nunca voltou de lá, depois do nascimento. O parto apenas encerra a vida. E afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão.
- Bem, eu não sei exatamente como será depois do nascimento, mas com certeza veremos a mãe e ela cuidará de nós.
- Mãe? Você acredita em mãe? E onde ela supostamente está?
- Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela tudo isso não existiria.
- Eu não acredito! Eu nunca vi nenhuma mãe, por isso é claro que não existe nenhuma.
- Bem, mas às vezes quando estamos em silêncio, você pode ouvi-la cantando, ou sente, como ela afaga nosso mundo. Saiba, eu penso que só então a vida real nos espera e agora apenas estamos nos preparando para ela.

Fonte: Internet (repassada por Vera Benevides)

12 maio, 2012

O saque veio a cavalo

Em 18 de fevereiro de 1855, o franco-canadense comerciante de gado Louis Remme depositou 12.500 dólares na agência de Sacramento do banco Adams and Company. Pouco depois, ele recebeu a notícia de que, devido à falência de uma grande empresa de St. Louis, o Adams and Company iria inevitavelmente à bancarrota. Retornou ao banco, encontrando-o liquidado e cercado pelos depositantes desesperados.
Então, Remme saltou num cavalo e cavalgou 1.070 quilômetros para o norte, em 143 horas, incluindo 10 horas para dormir e breves paradas para comer. Ele chegou em Portland, Oregon, em 26 de fevereiro, e foi direto para a agência local do Adams and Company, onde apresentou o certificado de depósito bancário, e assim retirou seus 12.500 dólares.
Ele ganhou a corrida contra o navio que levava para lá a notícia da falência do banco - e Portland ainda não tinha telégrafo.

Beating the News, Futility Closet

O mundo ainda não tinha o Google Maps. Mas Remme pode ter feito esta rota:


Há 6 mil anos...

Disse o Senhor: "Faça-se a luz".
Ligeiramente confuso, um homem da caverna (que tinha evoluído através da seleção natural), achando que o assunto era com ele, respondeu: "OK".
Pegou duas pedras e bateu uma contra outra, obtendo fogo.
O Senhor viu o resultado e disse: "É bom".
"Faço isso há 50 mil anos...", desabafou o homem da caverna. "Não está um pouco desatualizado?".
Aborrecido, disse o Senhor: "E você? De onde você veio? Como apareceu aqui sem o Criador?".
Respondeu o homem: "Puxa, eu estava para lhe fazer a mesma pergunta?".

6000 Years Ago, My[confined]Space

Poderá gostar de ver: Uma fusão de modelosEnsinem a Controvérsia e Tributo a Charles Darwin.

11 maio, 2012

O fim das ideologias?

por Nelson José Cunha
Como sexagenário posso dizer que vivi em dois mundos: o mundo marcado pela divisão ideológica do pós-guerra e o mundo atual em que esquerda e direita viraram apenas rótulos eleitorais. As recentes eleiçōes na Europa revelam um eleitor descolorido: em um país vota-se na esquerda e no outro vira-se à direita. As escolhas são ditadas pelo viés econômico: se a vida piorou com esse governo, vota-se na oposição, seja ela conservadora ou liberal, vota-se sempre em quem promete almoço grátis. O eleitor esquece a ideologia e tambem usa o seu voto como palmatória.
Uma vez no governo, os eleitos, socialistas ou conservadores, governam da mesma maneira, e chegam mesmo a confessar que o radicalismo dos seus discursos era apenas estratégia eleitoral.
O que há em comum entre eles é a tentação em agradar, nada de grandes reformas, mas orientar-se pelas pesquisas de opinião e governar demagogicamente, dando mais do que o Estado pode suportar. É o aclamado "Estado Social" tão admirado, porém mantido com dinheiro emprestado e altíssimos impostos. Joga-se para as geraçōes futuras a conta da vida confortável de hoje. Diminui-se a jornada de trabalho, aumentam-se salários sem o correspondente aumento de produtividade, melhora-se a aposentadoria em valores e abrangência e outras políticas "simpáticas" que levam os Estados Nacionais à insolvência.
É essa a situação atual em que os financiadores da gastança, temendo os riscos de não receberem o que emprestaram, elevam os juros e agravam ainda mais as contas devedoras. Os Bancos Centrais, premidos pelas contas que não param de chegar, emitem freneticamente papel-moeda sem lastro e desvalorizam o que o eleitor tem no bolso. O Estado torna-se um falsário oficial.
Do outro lado do mundo, os asiáticos trabalham, estudam, inventam e inundam o mundo com produtos bons e baratos. O mundo ocidental assusta-se com invasão dos seus mercados por produtos ou serviços com preços invencíveis. Está dado o "checkmate"!

Reforço escolar na China - Foto de uma turma de vestibulandos
que estuda para o Gaokao, uma espécie de vestibular chinês, e, 
ao mesmo tempo, toma uma solução de aminoácidos nas veias.

A economia adoece, a empresa falece e o eleitor se enfurece. Vota-se até no capeta desde que este lhe prometa o céu.
Uma das teofanias do livro de Gênesis dizia :
"Do suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, porque dela fostes tomado; porquanto és pó, e ao pó tornarás."
Em resumo, poderei dizer que todo progresso é falso se não for baseado no suor de cada rosto, nas afliçōes do intelecto, na honestidade dos propósitos e no respeito à natureza porque somos dela e a ela retornaremos.

Jorge George em ritmo de desventura - 2


E prosseguiram a viagem. Com o taxista chupando uma ponta de cigarro vitalícia, um sufoco. Até que... a fumaça começou a mudar o odor para melhor, haviam chegado à churrascaria. Desceram. Pensando na etapa seguinte, Jorge não dispensou o táxi.
E comeram e beberam e conversaram. Ao fim de uma picanha, e também querendo ser picante, Jorge falou de sua doença. "Priapismo. Em Marrocos me curaram em excesso." Embevecida, Petúnia abriu as pupilas que um dia fizeram a desgraça do Sr. Reitor. Com isso, ele sacou logo: a fêmea topava ir a um motel de classe; mais: queria suíte com hidromassagem e cascata. Era um desejo tão evidente que, vamos mas não venhamos, seria grossura da parte dele pedir uma confirmação no plano verbal.
Jorge foi apresentado à conta. "Quinhentos cruzados, senhor, com o frete já incluído." Na nova profissão o garçom vinha passando por um período de adaptação. E Jorge George autografou um cheque de quinhentos cruzados de frente, mas sem fundos. Até o dono da casa veio pessoalmente agradecer. "Compraremos uma carne de moita de referência para o caso de o senhor voltar aqui."
- Ótimo. Mas troquem também o óleo de fritar batatas, sugeriu Jorge.

10 maio, 2012

Círculos de amizade

Recebo de um colega esta mensagem:
Amigo,
Venho lhe pedir desculpas pelo fato de tê-lo ignorado ultimamente. É que agora eu tenho um novo círculo de amizades...


Espero que você entenda o meu problema.
MRF

Resposta:
Amigo,
Caso não se adapte a essas novas amizades (tudo é possível), saiba que continua bem-vindo em nosso círculo...


PG

A ÚLTIMA CEIA. Paródias

Uma seleção das muitas releituras artísticas disponíveis na internet de Il Cenacolo ou L'Ultima Cena, o mural que Leonardo da Vinci (1452 - 1519) pintou no Convento Santa Maria delle Grazie, em Milão.
Como capa deste slideshow fiz questão de colocar uma polêmica imagem de "Translendário", o calendário idealizado por Silvero Pereira, publicado em Fortaleza, reunindo fotos de atores transformistas locais. Apesar da colocação (não autorizada) do logotipo da Prefeitura na capa do calendário, este não foi financiado pela municipalidade.

Background


Nada a fazer

09 maio, 2012

Grandes empresas, pequenos negócios - 4

Minha amiga hippie

Conheci-a nos fins dos anos 60.
Enlouquecia os corações masculinos pela meiguice e formosura.
Um dia ela resolveu seguir seu caminho.
Por muito tempo a procurei. Com a ajuda da única foto dela que me restara (esqueçam os latões de lixo ao fundo).
Ontem, após tantos anos de uma busca inútil, a vi passando.. . Não me reconheceu.
Mas, pela lembrança que tive de uma de suas tatuagens íntimas, eu sei que era ELA.

A vida sexual dos elefantes

Não se sabe muito sobre a vida sexual desses animais. Em geral, biólogos e voyeurs não atribuem o escasso conhecimento existente a dificuldades visuais para observá-los.
A causa do problema é outra.
É que eles (elefantes) são discretos em seus momentos íntimos. E jamais fazem sexo em público.

08 maio, 2012

Sai sopro, entra percussão

Graças a Nelson Cunha, o blog  MeanWhile (EntreMentes) é dos primeiros a divulgar o que deverá ser um sucesso nas Olimpíadas de Londres.
Sai a vuvuzela - e já vai tarde -,  entra o "clapper". Em português, seria o "aplaudidor". Ferramenta simples, feita de papelão, que, ao ser agitada no ar, produz o som de aplausos.
Aqui no Brasil, com esse futebol que temos, com a indecência musical do axé e da política, garante Nelson que faria mais sucesso um "vaiador": úúúúúú....
Promo Gift Blog

N. do E.
Basta bater o clapper contra a mão que ele emite um ruído semelhante ao som de mãos batendo palmas, só que mais alto.
Aberto, o produto tem espaço para veicular uma mensagem comercial.
"Peraí", este gadget não é um protetor solar de para-brisa modificado para uma nova aplicação?

Sobre lagartixas

As lagartixas (com exceção das que pertencem à subfamília Eublepharinae) não têm pálpebras. Limpam a membrana do globo ocular com a própria língua.
Uma das espécies apresenta dobras de pele nos lados do corpo que, ao serem estendidas, permite essa lagartixa planar entre as árvores.
Alimentam-se de insetos, o que as torna geralmente bem-vindas nas habitações humanas.
Uma lagartixa pode suportar cerca de oito vezes o seu peso, ao pendurar-se por um único dedo, numa superfície de vidro liso.
O teflon é a única superfície conhecida em que suas patas não conseguem se fixar.
As patas da lagartixa são auto-limpantes. E seus dedos se dobram em sentido oposto ao dos nossos dedos.

Posts relacionados
Pelas paredes, Micropoemas do infortúnio - 11 e Lagartixa azul (um conto de Nelson Cunha).
Itapiúna - CE

07 maio, 2012

Bactérias construtoras de pirâmides

O vídeo abaixo, inspirado na construção das antigas pirâmides, foi apresentado em 2010 na Conferência Internacional do IEEE sobre Robôs e Sistemas Inteligentes.
Mostra cerca de 5 mil bactérias se movendo como um cardume de peixes pequenos, trabalhando em conjunto para o transporte de pequenos tijolos de epóxi, de modo a montar uma estrutura piramidal - tudo em 15 minutos.
As bactérias, de um tipo conhecido como magnetotáticas, contêm estruturas chamadas magnetossomos, que funcionam como uma bússola. Na presença de um campo magnético, os magnetossomos fazem com que as bactérias se movimentem de acordo com a orientação do campo.
Cada bactéria tem flagelos capazes de gerar cerca de 4 piconewtons. É uma quantidade muito pequena de força de empuxo mas, colocadas milhares de bactérias para trabalhar em conjunto, elas podem mover montanhas. Bem, micromontanhas.

Ética e trapaças

Havia em uma cidade dos Estados Unidos uma igreja batista.Os batistas, como se sabe, são um ramo do cristianismo muito rigoroso em seus princípios éticos. Na mesma cidade, havia também uma fabrica de cerveja que, para a igreja batista, era a vanguarda de Satanás.O pastor não poupava a fábrica de cerveja em suas pregações.
Aconteceu, entretanto, que, por razões pouco esclarecidas, a fábrica de cerveja fez uma doação de 150 mil dólares para a igreja. Foi um tumulto na cidade...Os membros mais ortodoxos da igreja foram unânimes em denunciar aquela quantia como dinheiro do Diabo e que não poderia ser aceito. Mas, passada a exaltação dos primeiros dias, acalmados os ânimos, os mais ponderados começaram a analisar os benefícios que aquele dinheiro poderia trazer: uma pintura nova para a igreja, um órgão de tubos, jardins mais bonitos, um salão social para festas.
Reuniu-se então a igreja em assembléia para a decisão democrática.
Depois de muita discussão registrou-se o seguinte no livro de atas:

"A Igreja Batista Bethel resolve aceitar a oferta de 150 mil dólares feita pela cervejaria na firme convicção de que o Diabo ficará furioso quando souber que o seu dinheiro vai ser usado para a glória de Deus."

A historieta acima (repassada por Germano Gurgel) foi relatada por Peter Burger, no capítulo "Como trapacear e se manter Ético ao mesmo tempo", do seu livro "Introdução à Sociologia".

09/09/2014 - Atualizando...
Deixe ver se eu entendi: Deus tem um plano, então você reza para Ele mudar as partes de que você não gosta.

06 maio, 2012

SUPERLUA


Gente, sossegue.
Não é só a Lua que, de vez em quando, fica Super. Como aconteceu ontem à noite, por exemplo.

O próprio Universo há muitíssimo tempo está em expansão.

Conheça Justin

A Wikipedia é difícil até de ser imaginada. Apenas em Inglês, a "enciclopédia livre que todos podem editar" já dispõe de 3.931.066 artigos.
(Se você não acredita em mim, eis aqui um artigo da Wikipedia sobre quantos artigos a Wikipedia tem.)
É mais fácil imaginar que exista no site uma inteligência artificial a produzir todos os textos, através de algum algoritmo da última geração, do que descrever a sua realidade.
A realidade é um exército de colaboradores que passam muitas horas, todos os dias, a escrever sobre os mais variados temas (alguns destes tão obscuros como a lei adotada no Quênia para a importação de carros e a disponibilidade internacional dos produtos McDonald's).
Bem, aqui está um nome, um rosto e uma história: Justin Anthony Knapp. ►
O barbudo, de óculos, ex-entregador de pizzas em Indianapolis, Indiana é um wikipedista bastante extraordinário. Na semana passada, ele se tornou a primeira pessoa a chegar a 1 milhão de edições na Wikipédia.
Knapp, 30, nunca recebeu um centavo de salário da Wikipedia e está atualmente desempregado.
O site tem suas falhas, mas deve sua existência a pessoas (como Knapp) que anônima e voluntariamente dedicam-se ao fantástico projeto da Wikipédia.

The Daily Dot (26/04/2012, acessado em 06/05/2012)

Um circo de pulgas da vida real

Filmado em Paris em 1949, este circo de pulgas devia ser na época o menor show da Terra. Amarradas por finos arames, as mais ou menos amestradas pulgas puxavam carroças de miniatura sobre uma mesa. No geral, o espetáculo dava a impressão de uma corrida maluca.
Pagava-se 10 francos para assistir (estando sujeito a comichões) o que agora você vê de graça.

05 maio, 2012

O voto solitário

Paulo,
Veja um caso em que uma vereadora exerce o mandato com um só voto, o dela própria.
Aqui a frase "Eu me elegi vereadora " pode ser tomada ao pé da letra. É um dos raros casos em que a democracia representativa é real: a eleita representa com exatidão o pensamento da eleitora. A autoridade pode jactar-se de que não tem "rabo preso" com ninguém.
O Brasil não é só um país, é uma grande anedota de português.
Abraços,
Nelson Cunha

Vereadora que recebeu apenas um voto é empossada no Piauí
Com apenas um voto, o dela mesma, uma professora aposentada de 79 anos tomou posse na Câmara Municipal de Coivaras (88 km de Teresina), cidade de pouco mais de 3.800 habitantes.
Constância Melo de Carvalho (PMDB) substituiu Raimunda Costa Santos (PSDB), cassada sob acusação de infidelidade partidária.
Evangélica, ela diz que só assumiu o mandato porque "Deus quis".
"É como diz a palavra de Deus, nos provérbios de Salomão: 'O homem pode fazer os planos, mas a resposta vem do Senhor.'"
Segundo Constância, a performance ruim no pleito se deveu ao fato de ter desistido da campanha para cuidar do filho, que estava doente e morreu meses depois.
"O Neto, meu filho, era minha pedra forte. Ele queria que me candidatasse, mas eu não queria. Dizia para meus eleitores que meu nome tinha ficado lá, mas que não era mais candidata."
No dia da votação, Constância diz que resolveu votar em si própria para ajudar o partido.
"Pensei: 'Sabe de uma coisa? Vou votar em mim. Não vou ser besta'. Se eu votasse em mim, sustentaria o PMDB, o PSB e o PSDB, [partido] do meu prefeito."
O voto acabou lhe rendendo o posto de suplente da coligação.
Segundo o presidente da Câmara de Coivaras, Carlos Alberto Araújo (PSB), os outros suplentes não puderam assumir o cargo por terem trocado de partido com a proximidade das eleições.
Essa é a quarta vez que Constância assume a vaga na Câmara - a primeira foi em 1992, quando teve o segundo maior número de votos.
A posse ocorreu no dia 23 de abril. De lá para cá, só participou de uma reunião, afirma. Entre os projetos, está o de construir uma casa para idosos.
"Vou me comportar como simples vereadora que quer trabalhar pelo povo, mas não foi eleita pelo povo. Ainda assim, o povo é meu povo", diz, com discurso político afiado.
Natália Cancian, FOLHA.com

Para explicar

... o que a segunda moça está fazendo. 
Boca a ...?
M[c]S

Diário de um cearense na Suíça

por Roberto Lucialdo
12 agosto - Hoje me mudei para minha nova casa na Suíça. Um belo chalé nos Alpes. Que paz! Tudo aqui é tão bonito e silencioso. Os Alpes são tão majestosos. Quase que não posso esperar para vê-los cobertos de neve. Que bom haver deixado para trás o calor, a umidade, o tráfego, a violência, a poluição e aqueles brasileiros mal educados. Isto sim é que é vida!
14 outubro - A Suíça é o lugar mais bonito que já vi em minha vida. As folhas passaram por todos os tons de cor entre o vermelho e o amarelo. Que bom ter as quatro estações. Saímos a passear pelos bosques e, pela primeira vez, vi um cervo. São tão ágeis, tão elegantes, é um dos animais mais vistosos que jamais vi. Suíça é mesmo um paraíso. E pensar que sofri tanto tempo naquele inferno que é o Ceará.
11 novembro - Logo começará a temporada de caça aos cervos. Não posso imaginar como alguém pode matar uma dessas criaturas de Deus. Está esfriando e praticamente já chegou o inverno. Espero que neve logo. Isto sim é que é vida!
2 dezembro - Ontem à noite nevou. Que alegria! Despertei e encontrei tudo coberto de uma camada branca. Parece um cartão postal... uma foto. Estava tão contente que rolei nela e logo tive uma batalha de bolas de neve com os vizinhos (eu ganhei). Que bonita a neve! Parecem bolas de algodão espalhadas por todos os lados. Que lugar bonito! Suíça, sim, é que é vida.
12 dezembro - Ontem à noite voltou a nevar. Que encanto! Saí novamente para tirar a neve dos degraus e a passar a pá na entrada e, quando a niveladora de neve passou na rua, tive que voltar a passar a pá para tirar a neve.
19 dezembro - Ontem voltou a nevar. Saí de casa para tirar a neve e a niveladora voltou a sujar a entrada, mas bom... que vamos fazer? De toda maneira, isto sim é que é vida.
22 dezembro - Ontem à noite nevou muito, outra vez. Não pude limpar a entrada por completo porque, antes que acabasse, já havia passado a niveladora; assim, hoje, não pude ir ao trabalho. Estou um pouco cansado de passar a pá nessa neve. Droga de niveladora! Mas, que vida!
25 dezembro - Feliz Natal... Aqui não para de cair esta merda branca. Já tenho as mãos cheias de calos por causa da pá. Creio que a niveladora me vigia da esquina e espera que eu acabe de tirar a neve com a pá, para então passar. Vá pra PQP! Se pego o filho da puta que dirige essa niveladora, juro que o mato.
27 dezembro - Ontem à noite caiu mais merda branca. Já são três dias direto que não saio. Nada mais faço senão passar a pá nessa porra de neve, depois que passa a bosta da niveladora. Não posso ir a lugar algum. O carro está enterrado debaixo de uma montanha de merda branca. Não entendo porque não usam mais sal nas ruas, para que se derreta mais rápido este gelo de merda. O noticiário disse que esta noite vai cair mais 20 centímetros desta merda branca. Mal posso acreditar!
31 dezembro - O idiota do noticiário se equivocou outra vez. Não foram 20 centímetros de neve... Caiu quase 1 metro dessa merda! Ninguém pôde sair para comemorar o Ano-Novo. Agora, resulta que a niveladora quebrou perto daqui, e o filho da puta do motorista veio me pedir uma pá. Que descarado! Disse-lhe que já tinha quebrado 6 pás limpando a merda que ele me havia deixado diariamente. Quase quebrei a pá na cabeça daquele imbecil. Que bosta!
4 janeiro - Ao fim, hoje consegui sair de casa para ir ao supermercado. No caminho, fui desviar de um cervo de merda que se meteu na frente do carro, e bati numa árvore.Putz! O conserto do carro vai me sair por uns três mil francos suíços. Esses veados deviam ser envenenados. Antes os caçadores tivessem acabado com eles no ano passado. A temporada de caça deveria durar o ano inteiro!
15 março - Escorreguei no gelo que ainda há neste lugar e quebrei uma perna. Ontem à noite sonhei estar em Cuiabá, no Pantanal, na Chapada, no Manso etc. bebendo uma cervejinha, me refrescando em algum rio ou cachoeira. Quero vender esta casa para sair desta merda.
22 abril - Quando me tiraram o gesso, levei o carro ao mecânico. Ele disse que o conserto ia ficar o dobro, pois o assoalho estava todo enferrujado, culpa do sal de merda que jogaram na ruas para derreter a merda branca. Será que esses cornos não têm outra forma de derreter o gelo?
3 maio - Hoje consegui vender a casa para um suíço cornudo. Graças a Deus poderei sair deste fim de mundo frio e solitário. Amanhã volto para o Ceará. Calor, tráfego, poluição, mas acima de tudo gente boa e hospitaleira. Isto sim é que é vida! PQP, estou de volta!
Eu tenho orgulho de ser um cearense, de chapa e cruz, confesso e não me engano......
(repassado pelos colegas Francisco Meireles e Nilo Mendonça, nesta ordem)

04 maio, 2012

Vivendo no passado

Você sabia que você vive no passado?
Vive cerca de 80 milésimos de segundo no passado, para ser preciso. Use uma mão para tocar seu nariz, e outra para tocar um de seus pés, exatamente ao mesmo tempo. Você vai senti-los como atos simultâneos. Mas é evidente que é preciso mais tempo para o sinal viajar dos pés até o cérebro do que para chegar a ele a partir do nariz.
Assim, tomar consciência de um acontecimento leva tempo, e o seu cérebro aguarda por todas as entradas relevantes antes de lhe passar a informação sobre o que é "agora".
Pesquisas mostram que entre uma coisa acontecer e a mesma ser vivida há uma defasagem de cerca de 80 milissegundos.


Correspondência
O assunto da postagem me leva a outra reflexão:
O mundo percebido pelos humanos é apenas parte da realidade. Melhor dizendo, é a realidade interpretada pelo cérebro depois de capturada pelos nossos sentidos. Como nossos sentidos são muito limitados, vemos o espetáculo da vida por um buraco de agulha - quase tudo se nos escapa. Há um outro mundo microscópico que não vemos. Há um cartel de sons e cheiros que não percebemos. Há uma outra realidade que ignoramos.Vivemos em incompletude e ainda assim tudo é espetacular.
Nelson Cunha
E há também um mundo macroscópico (http://www.myconfinedspace.com/2012/05/03/celestial-size/) diante do qual nós ficamos que nem cegos apalpando um elefante.
PGCS

Jorge George em ritmo de desventura - 1

Amor louco - ele muito e ela pouco.
Provérbio

Jorge checou a si próprio (não dizem que o primeiro ego é o ego corporal?) para ver se a imagem estava ótimo. Estava: dos pés às cabeças. Faltava só retocar a mecha de cabelo que caía sobre a testa, vulgo pega-rapaz, pronto, para que ele agora tocasse a campainha do apartamento de Petúnia. Oito, cinco, sete, dois, três, um, seis, quatro... triiim. Ah, Jorge George está nervoso. Por isso, não reparem na contagem regressiva que ele acabou de fazer.
Jorge e Petúnia: de algum tempo se conheciam, mas ainda não eram íntimos. Perita em artes venusianas, a moça já havia despachado três anginosos para o além, Jorge não sabia disso. E mesmo que soubesse, ele não pularia fora. Logo mais, o tão aguardado programa a dois deveria acontecer e, benza deus, que outros depois acontecessem. Anginoso? Não, não era. E para matá-lo só mesmo com o recurso do fio desencapado na banheira.
O olho mágico do apartamento de Petúnia fora instalado ao contrário. Através dele Jorge espiou a voluptuosa moradora. Ela vinha vindo bela como nunca, como se fosse Vênus, a Calipígia, para lhe abrir a porta. Enquanto ele, lá fora, era um fauno que mal se continha nos cascos, perdendo até a noção comercial do tempo. Quem já deixou táxi parado marcando hora sabe o que estou a dizer.
Aberta a porta, Jorge a desarmou de uma tramela e abraçou-a com uma sofreguidão sem retorno. Em seguida, houve uma espécie de interlúdio, que consistiu de uma sequência de corridas que eles fizeram, em torno de uma mesinha de centro, no sentido dos ponteiros do relógio. Até que a fêmea se deu por capturada. E, como sempre faz quando quer mostrar que é o senhor da situação, ele rasgou já na primeira tentativa a lista telefônica de Barroquinha.