30 abril, 2009

A Fonte da Juventude

Não é aquela que Ponce de Leon "descobriu" na Flórida, mas pode estar no bom humor.














Tradução por PGCS

Dizem que fiz sessenta anos

"Aperto aqui, aperto ali e não dói. Levanto, agacho, inclino o dorso...
Onde estão as dores da velhice?
Minha casa tem escadas e ando por elas saltando degraus sem ofegar. O corrimão espera em vão o meu toque.
Onde está o cansaço da velhice?
Vejo o canário no galho, ouço sua música, saboreio a manga rosa e sinto os perfumes do pomar e da vida.
Onde está a falência dos sentidos da velhice?
Analiso, planejo, provejo e trabalho com alegria e empolgação.
Onde está a decrepitude da velhice?
Danço agarradinho, namoro, conto piadas obscenas e leio Playboy. Que minha mulher não me leia, mas viro a cabeça para vê-las passar voluptuosas, cobiço-as e diante de seus olhares... Enrubesço!
Onde está a decadência da libido ?
Prego peças, faço graças, passo trotes, vejo desenhos, MTV e futebol. Não gosto de rap, mas coleciono rock. Lambuzo-me de brigadeiro com meus netos.
Perguntei se sou velho, responderam que se deito no chão com eles não posso ser velho.
- Então quem sou eu?
- Um palhacinho, vovô!
Onde está a rabugice da velhice?

Cometo erros, repito erros, assino fianças, faço fiados, acreditei no Lula, fui enganado, mas continuo assinando, emprestando e acreditando.
Onde está a sabedoria da velhice?
Acredito que o mundo vai mudar: Os políticos serão honestos, a polícia honrada, a calvície curada, a celulite evitada e choverá no Ceará.
Onde está o ceticismo da velhice?
'Quase sempre sou o mais velho de onde estou. Há pouco tempo eu era o mais jovem. As crianças e suas mães me tratavam de tio e agora de avô.   Acham que por ter cara de velho sou velho. Velho é o inservível. Ninguém se importa com a idade da jaqueira desde que dê sombra e frutas.
Não ignoro as marcas dos anos, vejo suas cicatrizes nos outros e no meu próprio espelho. Cicatrizes são condecorações de batalhas vencidas ou perdidas, temos que ostentá-las e jamais escondê-las. Ser jovem é bom, mas é pouco, é preciso ser um colecionador de dias celebrando cada alvorada como jóias únicas.'

Dizem que fiz sessenta e como não fiquei velho vou esperar os noventa. Se ELA vier me buscar antes, não vou! Quero ficar velho primeiro.
Como sou? Esqueci de me mostrar...
Minha calça é jeans, o tênis Adidas, o boné tem Ipod e a camisa, flores.
Já somos muitos, esses "velhos", e acho que não fizemos sessenta anos.
Em tempo: O sisudo morreu de velho."

O colega Nelson José Cunha enviou-me essa crônica. Escrita por ele ao emplacar os sessenta anos e que, após ler "O sexo na terceira idade" (que o EntreMentes só passou adiante), achou por bem me enviar. "Para encher a bola dos velhos, diferente da gozação de O sexo...", como ele me explicou. 
- É um belo contaditório, Nelson.

29 abril, 2009

Beijo, o slideshow

Está aí um  tema que anda nas bocas: o beijo. Descrito como o ato de pousar os lábios em alguém, vá lá, o beijo é um ato de superfície, mas não necessariamente superficial.
E como tudo na vida, o beijo tem os prós e os contras
Veja-os neste slideshow:

Cotidiano




"Todo dia ela faz tudo sempre igual." 

Chico Buarque

28 abril, 2009

O Dia da Sogra

É hoje (28), mas nem todo mundo está a fim de festejar a data. Alguns, aliás, até imaginam em "presentear" a sogra com esta sugestão da "Funerária Paraíso":


No entanto, genro e nora ganham quando lidam com a sogra fora do conhecido estereótipo. Aquele que a mostra como uma bruxa cheia de manias e planos malignos, quando ela não passa de um ser humano comum - com defeitos e qualidades.
Para eles, em reforço das cordiais relações que devem manter com a sogra, foi que a terapeuta familiar Denise Diniz preparou esta lista de conselhos:
1) Não chegue com idealizações: não existe sogra só boa ou só ruim.
2) Avalie a dinâmica familiar: por que essas pessoas agem como agem.
3) Não esqueça que você é que chegou depois dela.
4) Estabeleça seus limites e respeite os limites de sua sogra.
5) Se nada der certo, melhor se afastar.
6) Nunca peça para seu/sua companheiro(a) se afastar da própria mãe.
Fonte: site G1

Folha de SPam


O jornal Folha de São Paulo foi alvo de uma brincadeira (imagem ao lado) do QuantoTempoDura?, um blog irreverente. Com uma montagem que este fez da capa de uma falsa edição da Folha, na qual as manchetes foram substituídas por conhecidos spams.
Ficou divertido o resultado.

27 abril, 2009

Pontos e traços

A página de entrada do Google apresenta-se hoje com o nome do site substituído por sequências de pontos e traços.
Os mais antigos não terão dificuldade em entender do que se trata: uma homenagem à data de nascimento de Samuel Morse (27 de abril de 1791), o inventor do código Morse, de uso mundial na telegrafia elétrica, que foi um importante meio de comunicação à distância nos séculos 19 e 20. 
Neste código, as letras, os números e os sinais de pontuação são representados por sequências específicas de pontos e traços. É considerado também uma espécie de código digital.

G --.   O ---   O ---   G --.   L .-..   E .

No consultório odontológico

Manter o cliente com a boca aberta enquanto são realizados os procedimentos dentários é um dos desafios enfrentados pelos odontólogos. O medo, provocado pelas manipulações com instrumentos diversos, faz com que o paciente vá aos poucos fechando a boca, defensivamente. Além disso, há o cansaço que acomete os músculos que estão envolvidos, de forma prolongada, na sustentação da boca nessa incômoda posição.
E chega o instante em que ela, a boca, está reduzida a uma estreita fenda oral onde nenhum trabalho profissional é possível.
Assim é que macetes (exemplos mostrados nas figuras) têm sido desenvolvidos pelos odontólogos, visando a contornar o difícil problema. Obviamente, o de emprego mais recente apresenta uma maior eficácia (PGCS).

1 - ontem                                         2- hoje
 

26 abril, 2009

Susan

Não mais se procura Susan desesperadamente. Com o sobrenome Boyle, ela foi aparecer num programa de calouros da televisão inglesa. O colega Nelson Cunha, oftalmologista em João Monlevade - MG, recomendou-me que assistisse ao vídeo em que ela, apresentando-se nesse programa, causou uma... digamos, reversão de expectativas.
Assisti e salvei o vídeo em meus favoritos no YouTube. Esperando este domingo em que eu iria divulgá-lo no blog.
Nesse EntreMentes, deparo-me com o que Nonato Albuquerque escreveu a respeito da cantora em Gente de Mídia. Não preciso dizer mais nada.

"O fenômeno Susan Boyle é a resposta aos jurados desses programas tipo 'Idolos' que andam à cata de um 'star' que seja esteticamente perfeito, que tenha voz (+ ou -) e que cante qualquer bagulho que possa ser vendável.
De repente, no Talent da Tv inglesa chega uma mulher de 47 anos, gorda, sem nenhum aparato 'fashion' que possa lhe promover ao topo do sucesso. É Susan Boyle. Que tem um sonho. De cantar profissionalmente.
No auditório, certamente composto por menininhas que nada têm além de gosto duvidoso e que são capazes de aplaudir qualquer zébonitinho, a vaia e os risos enchem a sala. Mas quando ela começa a cantar, o mundo muda.
E acreditem, o mundo da Música está mudando com Susan Boyle. Que outras Susans saiam do esconderijo e venham aliviar a extenuante poluição sonora de cantoras gasguitas que as bandas de forró alimentam a 10 reais cada apresentação." (Nonato Albuquerque)
P.S.>
A incorporação do vídeo foi desativada por alguma solicitação ao YouTube. Link permitido (encontra-se no texto).

25 abril, 2009

O triângulo de Kanizsa


É uma uma forma de ilusão óptica descrita por Gaetano Kanitzsa, psicólogo italiano, em 1955. Que faz com que observador "perceba", no primeiro plano desta figura (à direita), um triângulo sem que ele tenha sido de fato desenhado.

20 Incredible Optical Illusions, DailyCognition

O sexo na terceira idade

DICAS
1.Use seus óculos. Certifique-se de que sua companhia esteja realmente na cama.
2. Ajuste o despertador para tocar em três minutos. É para o caso de você adormecer durante a performance.
3. Acerte com a iluminação: Apague todas as luzes!
4. Deixe seu celular programado para o número da EMERGÊNCIA MÉDICA.
5. Escreva em sua mão o nome da pessoa que está na cama. Para o caso de não se lembrar.
6. Fixe bem sua dentadura para que ela não acabe caindo debaixo da cama.
7. Tenha Tylenol à mão. Isto para o caso de você cumprir a performance.
8. Faça quanto barulho quiser. Os vizinhos também são surdos.
9. Se obtiver êxito, telefone para todo o mundo para contar as boas novas.
10. Nunca, jamais pense em repetir a dose.

(Estas dicas foram escritas em letras grandes para auxiliarem em sua leitura)


Fontes: e-mail em circulação na internet e imagem no Google.

24 abril, 2009

Penso, logo cito - 14

Fernando "Narciso" Gabeira, deputado federal.

cartum adaptado (PGCS)
Errata
Em antiga postagem do blog onde se lê "intransigente defensor da ética", leia-se agora "destacado agente de viagens".

A rosa de Malherbe

Diz-se que uma coisa teve "a duração da rosa de Malherbe" quando durou muito pouco. A locução tem origem numa poesia de François Malherbe (1555-1628), intitulada "Consolação ao Sr. Du Périer, gentil-homem de Aix-en-Provence, pela morte de sua filha", na qual se lê esta estrofe:
"Mais elle était du monde où les plus belles choses
Ont le pire destin;
Et rose elle a vécu ce que vivent les roses,
L'espace dun matin."

(Mas era ela do mundo onde as mais belas coisas
Têm o pior destino;
E rosa ela viveu o que vivem as rosas,
Uma breve manhã.)
Comentário
Quanto ao erro que um tipógrafo teria cometido, por ocasião da impressão do poema de Malherbe, e disso resultado em algum embelezamento poético, os estudiosos do assunto geralmente consideram uma anedota sem fundamento.

23 abril, 2009

Um, dois, três...

Antes de ser presidente do Paraguai,  Fernando Lugo teve uma forte atuação em seu país como bispo reprodutor. Dentre as muitas mulheres que ele conheceu (palavra empregada no sentído bíblico), duas tiveram filhos dele. 
É um quantitativo que Fernando Lugo já admite (ver fotografia).


Esse número, porém, tende a ficar desatualizado. Uma terceira mulher, Damiana Morán, acaba de entrar com uma ação na Justiça para que ele reconheça a paternidade de seu (of theirs) filho.
Daí o sucesso de uma canção paraguaia (ver clip), que diz em seu refrão:
"Lugaucho tiene corazón, pero no usó el condón."

Pensadores

Ontem
O Pensador de Rodin

Hoje

O Pensador de Peter


Adotando o nickname de TDU (iniciais de Tesla Down Under), Peter Terren, um australiano médico e físico amador, com cerca de 50 anos de idade, costuma se submeter na cidade em que mora (Bulbury, Austália Ocidental) a experiências elétricas com fins artísticos.
Para a obtenção de seu Pensador foram necessários os seguintes itens:
  • O Pensador Moderno: ele mesmo
  • O background: a escultura em bronze de Rodin, O Pensador, em que ele foi buscar inspiração
  • Alta voltagem: um aparelho (bobina de Tesla) capaz de produzir centenas de milhares de volts a partir da energia doméstica
  • Uma máscara facial
  • Um traje de segurança formado por camadas de folhas de alumínio sob a sua roupa
Todas as etapas do projeto do Pensador de Peter, até a obtenção do resultado final (segunda imagem), podem ser vistas em seu website (em inglês). 
- Não tente fazer isso em casa.

P.S.>
Após o término desta nota, encontrei um artigo (em português) escrito por Giovana Vitola para o BBC Brasil, bastante rico em informações sobre Peter Terren e suas "esculturas elétricas", que está inclusive ilustrado por um slideshow. Assista aqui.

22 abril, 2009

Aquecimento global - 6

Por causa da grande quantidade de gases que as vacas expelem, elas tem sido acusadas de agravarem o problema do aquecimento global.
O velho Bob McCarty prefere ver essa questão com mais leveza. Aproveitando-se desse fenômeno (produção intestinal de CO2 pelas vacas) para, através de seu website, comercializar camisas, sacolas e outros objetos.
O apelo que ele utiliza é...

Desenhando com o teclado

Usando alguns símbolos gráficos do teclado de seu computador, o internauta Carlos Vanilla desenhou este caminhão. Ficou legal, Carlos.
 
Mas é oportuno lembrar o nome de Paul Smith (1921-2007), um artista que produziu imagens incríveis em sua máquina de escrever. 
Alguns de seus desenhos estão reunidos neste slideshow:

21 abril, 2009

Em treinamento

Veja ilustre internauta o belo guri faceiro que o senhor tem na sua frente:

Imagem "Balanço Aviãozinho", do www.plays.com.br
(publicidade grátis do blog)

Será mais um político de nosso Brasil varonil e já está praticando para voos mais altos - fretados e de carreira - que ele, certamente, fará às custas de seus (of yours) impostos.

Faz que olha


Gabriel Cardona, mexicano, acusado de ser testa de ferro de um cartel de drogas.
Que ele esconde por trás de seu translúcido olhar?
Os verdadeiros olhos. Que não são estes que ele mandou tatuar nas pálpebras.

20 abril, 2009

A Sinfônica do YouTube

Coroando um processo colaborativo internacional, estreou no Carnegie Hall, em Nova Iorque, a Orquestra Sinfônica do YouTube.
Reuniu músicos profissionais e amadores dos vários continentes (de mais de 30 países), selecionados por um painel julgador de alto nível, antes de serem convocados para os ensaios coletivos. 
O processo seletivo foi inicialmente on line - em vídeos postados pelos candidatos nos quais executavam duas peças em seus instrumentos - e incluiu entre os escolhidos dois músicos do Brasil: a brasileira Larissa Ferreira (violoncelo) e a búlgara Irina Kodin (violino), aqui radicada.
Em sua estréia, no último dia 15, a orquestra foi regida por Michael Tilson Thomas. No programa, entre conhecidas peças do repertório erudito, constaram a "Internet Symphony", composta para a ocasião pelo chinês Tan Dun, e a "Bachiana Nº. 9", de Villa-Lobos.

Onde assistir aos vídeos do concerto: no YouTube, claro.

Um caminhão no buraco

O caminhão mostrado na primeira figura apresenta as seguintes dimensões:
comprimento: 13,36 metros,
largura: 7,78 metros,
altura: 6,65 metros.

Na segunda figura, o referido veículo não passa de um pequeno ponto.


Um pequeno ponto perdido nesse imenso buraco que é a mina de diamantes Mirny (situada na Sibéria), a qual tem um diâmetro de 1200 metros com uma profundidade de 525 metros.

19 abril, 2009

Pela blogosfera - 32

Duas notas deste blog foram recentemente comentadas por Nonato Albuquerque:
Dicas de "jeitologia", em "Antena Paranóica", e Os blogados do Nonato, em "Gente de Mídia". Esta última nota, aqui publicada há bastante tempo e apresentada a este jornalista por um clique sem bússola, motivou-o a escrever Egos do Passado, cuja conclusão é que "nada acontece por acaso".
Por conta de uma ilustração de Marcos Andruchak, que inseri em Arraias, paquetões e bolachinhas, post de EntreMentes em 21/07/08, Jandira Moura enviou comentário em que considera fantástica a obra desse artista. E sugere-me dar uma espiada no site Construindo a Nação, dedicado ao recém-criado "Projeto Andruchak Arte Brasil".

Adoração por Carmina

"É bem verdade que sou um ente contemporâneo, nascido há cinquenta e poucos anos (o grifo é meu), enquanto “Carmina” é do medievo, “gerada” por volta de 1300, mas somente secularizada no limiar do século XIX e convertida na obra prima de Carl Orff, estreada em Frankfurt em 1937; contudo, o descompasso cronológico entre nós não configura um impeditivo para a minha saudável e duradoura adoração por ela, e espero que seus plangentes acordes iniciais sejam entoados quando me for permitido ver a face do Pai.
Carmina Burana significa Canções de Benediktbeurn, tendo sido oriunda de um rolo de pergaminho, com cerca de duzentos poemas e canções medievais, encontrado na biblioteca da antiga Abadia de Benediktbeurn, na Alta Baviera."

Depois de ler no Blog do Marcelo Gurgel suas candentes palavras sobre Carmina Burana, eu fui rever essa obra prima de Carl Orff no acervo do YouTube. 

18 abril, 2009

Em constante queda

Em 15/04, inseri neste blog o slideshow VIDA DE FOTÓGRAFO, no qual apresento algumas das agruras que acontecem nas vidas desses profissionais. Depois disso, tomei conhecimento dos trabalhos de Kerry Skarbakka, um fotógrafo norte-americano de 38 anos, que se especializou em fotografar a si próprio em situações de queda e escorregão.


Isso tudo já lhe tem custado "costelas quebradas, hematomas, torções no tornozelos e muitas dores de cabeça". Principalmente, porque Kerry não se exime de levar um determinado tipo de queda até quinze vezes para obter a imagem perfeita.



Para se motivar e prosseguir em seus arriscados trabalhos, ele busca inspiração no filósofo alemão Martin Heidegger que descreveu a existência humana como "um processo de constante queda".

Um acidente aeronaval




Os construtores do Titanic o consideraram à prova de naufrágio. Estavam equivocados. Bastou a colisão de uma gaivota para que o transatlântico fosse ao fundo do mar. 
Iniciando-se o estrago a partir do rosto de uma figura de proa daquela fatídica viagem.

17 abril, 2009

Fênix

Na década de 1990, funcionou na avenida Alberto Sá (nas proximidades da Via Expressa), em Fortaleza, o restaurante Fênix. Uma casa noturna bem acolhedora que apresentava, além da área central coberta, alguns estratégicos caramanchões. Nestes, redes de tucum ficavam dependuradas à disposição dos boêmios mais sonolentos.
Um bom atendimento, tira-gostos saborosos e preços justos asseguravam uma boa frequência ao restaurante. Onde se podia também ouvir uma música popular da melhor qualidade, a cargo de seus proprietários: Tony, bom cantor e exímio violonista, e Cecília, sua esposa, que cantava muito bem. É quase desnecessário acrescentar que outros cantores e instrumentistas também subiam ao palco do restaurante para mostrar suas habilidades artísticas.
Ah, como era divertido ouvir Tony cantar "O Pato", um dos sucessos de João Gilberto! Que ele cantava imitando a voz grasnante do Pato Donald. E Cecília, quando interpretava as músicas do Chico, então arrasava... Soube depois que Tony fizera parte do famoso Trio Irakitan. Após 1965, preenchendo a vaga deixada por Edinho que se suicidara, e, assim integrando, até por volta de 1980, a segunda formação do trio. 
Cogitei em realizar nesse restaurante a festa dos meus 50 anos. Aconteceu num buffet. Mas a ideía, embora eu não a concretizasse no Fênix, demonstra o quanto me agradava estar por lá. 
Um dia, o Fênix fechou para sempre suas portas. Disseram, na ocasião, que o casal optara por ir morar em Salvador. E acabo de confirmar isso ao ler os comentários sobre um vídeo do Trio Irakitan, no YouTube. Tony e Cecília residem atualmente em Salvador onde, com a ajuda de filhos músicos, dirigem uma escola de música.

Medicina digital - 5


Fonte: web
Preenchendo o campo pesquisar blog com a expressão medicina digital o leitor vê outros cartuns desta série.

16 abril, 2009

Árvore em brotamento?

O colega Nelson Cunha enviou-me uma mensagem eletrônica com a seguinte pergunta:
O pneumologista amigo já viu isto?

A mensagem se conectava a uma notícia, publicada no G1/Planeta Bizarro, sobre o surpreendente achado de uma cirurgia pulmonar que foi realizada num paciente russo de 28 anos. Acreditavam os cirurgiões que iriam retirar um tumor do pulmão do paciente, quando encontraram uma planta - de cerca de cinco centímetros - "que crescia" no interior desse órgão. Tratava-se de um abeto, uma árvore conífora muito comum na região, e que se originara provavelmente de "uma semente que o paciente inalara".
Resposta
As situações em que sementes são inaladas para a árvore brônquica acontecem com certa frequência. No entanto, como ocasionam complicações pulmonares que dão sintomas, elas acabam sendo retiradas por broncoscopias. Neste caso, cuja extração foi através de cirurgia, e supostamente como já sendo uma pequena planta, duas questões precisam ser esclarecidas:
1) Como a semente de uma planta, que se achava alojada num órgão do corpo humano, conseguiu apresentar condições de germinação em meio a reações humorais e celulares que lhe seriam impróprias?
2) Como essa semente obteve luz solar para a fotossíntese, energia indispensável para que se desenvolvesse até a etapa de planta?
Parece mais plausível se pensar que o achado, ao invés de uma planta em crescimento, seja o de um pequenino galho da própria conífora, que o paciente tempos atrás inadvertidamente aspirou. Como, aliás, algumas das imagens publicadas na internet sugerem ser, quando olhadas atentamente. 
O caso em discussão me fez lembrar o de um paciente local, operado no Hospital de Messejana, cujo exame da peça operatória revelou a presença de um corpo estranho. Consistia de um fragmento de madeira que, após ter acidentalmente penetrado pela parede torácica, fora se alojar num de seus pulmões, onde provocara uma intensa reação inflamatória. A suspeita inicial, antes da cirurgia que esclareceu o caso, havia sido de tumor e o paciente era também jovem.
Na descrição das tomografias de tórax é comum o radiologista empregar a expressão "árvore em brotamento" (vai servir para o título desta nota), mas aí, Nelson,  já estou me distanciando ...

14 abril, 2009

Da arte de alimentar pássaros

1 - com migalhas de pão                         2 - com néctar










PGCS

A sabedoria


O mestre ao discípulo:

Quando fores como eu dirás a teu discípulo:
Quando fores como eu dirás a teu discípulo:
Quando fores como eu dirás a teu discípulo:
Quando fores...

É nisso que constitui a sabedoria.

(anônimo)

13 abril, 2009

Uma honra que cola


O United States Postal Service (o Correio dos Estados Unidos) anuncia a impressão de selos com as efígies dos Simpsons. Esses "novos selos da América" serão colocados à venda a partir de 7 de maio.
"Esta é a maior e mais 'colável' honra que eles já receberam, declarou Matt Groening, criador e produtor executivo dos Simpsons."
Espera-se que a presença do filatelista Bart, no meio dos homenageados, resulte num aumento do interesse por colecionar selos entre os jovens norte-americanos.

Um país para chamar de seu

Você já pensou em ter um país? Um país para chamar de seu, cujas leis fossem aquelas que você decidisse? 
Algumas pessoas, sim.
E transformaram essa idéia em realidade, ocupando algum pequeno lugar desabitado do planeta. Para, a seguir, reclamar o direito de propriedade, ainda que fossem por tais atitudes considerados insanos.

Vejamos o exemplo de Sealand, esse minúsculo país a seis milhas da costa inglesa. Originado do Fort Roughs, uma fortaleza marítima abandonada pela Inglaterra após a II Guerra Mundial. Foi para lá que Paddy Roy Bates mudou-se, com a sua família, e fundou Sealand. Uma decisão que, ao final, obteve o reconhecimento legal por parte da Inglaterra.
A população de Sealand é supostamente de 27 pessoas. O país tem um site oficial. E sua área habitável é tudo o que você pode ver na figura abaixo:

Cracas têm surgido na existência dessa minúscula nação. Como a história de Alexander Achenbach, ex-primeiro ministro de Sealand, que criou um governo no exílio para o principado. E que, no controle de um site, espera um dia retornar ao poder.

O Neatorama, que me serviu de fonte para a nota,  traz ainda as descrições de cinco outros países do tipo, a saber:
  • Reino de Redonda
  • Cidade Livre de Christiania
  • Sark
  • Império Aericano
  • República da Molóssia
- Ah, eu não morro sem conhecer todos eles!

12 abril, 2009

Coelhos de chocolate

Outro cartoon com esses "personagens" do período:


28/03/2016 - Atualizando ...
Variações sobre um tema

28/03/2016 - Comentários ...
Steve Schuller: Humor meia-boca!
John Walkenbach: O quê? Isso é quase inédito!
Bob Daniel: Uma metáfora para a minha vida. Quando falo de minha bunda, ninguém escuta.

É Páscoa!

E um certo coelho tem um rude e doloroso despertar...

Traduzido por PGCS

11 abril, 2009

Trinados treinados

Um assovio trinado é coisa de passarinho, disse alguém. Um tema para se pensar que, em vida passada, esse "Getúlio, o Assoviador" tenha sido um.
Ouçam-no, pois, em "Fascination", "Aquarela do Brasil" e "Garota de Ipanema".

Louvor ao assovio


Nos tempos de antanho, quando um garoto se punha a assoviar em casa logo aparecia um adulto para advertir:
- Não faz isso, menino. Chama cobra.
Não tinha o menor fundamento, claro. E o menino, surdo à advertência, prosseguia exercitando o futuroso bico. Até que um dia virava a adulto. E, quando menos se esperava, lá estava ele a mostrar a sua arte de assoviar em algum programa radiofônico.
Eram comuns as apresentações de pessoas assoviando canções naqueles programas de rádio. Havia inclusive quem gravasse discos apelando para o tal recurso. Como o cantor Sílvio Silva, "O Garoto Assobiador", que inseria solos de assovio nas canções que interpretava. E como o gaúcho Getúlio Rubens dos Santos, "Getúlio, o Assoviador", que, em 1978, gravou um LP inteiro com músicas assoviadas. O qual, em 1966, foi relançado como CD, segundo informa Marcelo Duarte em seu Blog do Curioso.
Outro assoviador famoso é o gaitista belga "Toots" Thielemans. O destacado gaitista, que já tocou com grandes nomes da música popular brasileira, é também um assoviador profissional. Tendo assoviado,  ao longo de sua carreira, diversos comerciais para a televisão européia. Num de seus sucessos musicais, "Bluesete", Thielemans usou gaita de boca e assovio - em uníssono - na gravação (original) que fez dessa música, em 1962.
De tanto falar em assovio, eu tinha que acabar me lembrando de uma canção. A "Canção De Não Cantar", de Sérgio Bittencourt, que foi gravada por Elis Regina. Não levou assovio, mas faz o devido louvor a ele.
"Guarda o meu violão
Já nos faltam canções
São muitas as razões que temos pra cantar
Mas, hoje, amor, melhor é não cantar
Enquanto houver em nós vontade de fugir
De um canto que na voz não vai saber mentir.
Meu canto, para ser um canto certo,
Vai ter que nascer liberto e morar no assovio
Do ocupado e do vadio
Do alegre e do mais triste.

Só há canto quando existe muito tempo e muito espaço
Pra canção ficar, se eu passo, e dizer o que eu não disse.
Ai, que bom se eu ouvisse o meu canto por aí.
Por isso, meu violão prefere emudecer
E vem pedir perdão por não poder cantar
Que, hoje, amor, melhor é não cantar."
P.S.
A ilustração acima foi a que se usou na divulgação do I Encontro de Assoviadores do Brasil, realizado em Volta Redonda - RJ, em data que não consegui precisar.

10 abril, 2009

Um leitor compulsivo

Comenta-se que o professor Delfim Netto tem a maior e melhor biblioteca particular do país. Nela existem 270 mil títulos. E que, quando ele vai à livraria Strand (foto), em Nova York, faz-se acompanhar de uma "van".
Fonte: Elio Gaspari, Gazeta do Povo
Comentário
Não vou precisar de um transporte extra quando for comprar o "Leite Derramado", do Chico Buarque. Já que eu não tenho a tara de ser um comprador leitor compulsivo.

O elo mais fraco

Não é preciso ser um Houdini para entender a veracidade desta frase: "Nenhuma corrente é mais forte do que o seu elo mais fraco."

Inspirado no ensinamento contido nessa frase, há alguns anos foi criado na Grã-Bretanha o Weakest Link (O Elo Mais Fraco). Uma espécie de reality-game show da televisão, o qual já conta com versões em muitos países. O formato do programa prevê o seu início com nove concorrentes que participam de rodadas em que respondem perguntas sobre conhecimentos gerais. O objetivo de cada rodada é formar uma corrente de nove respostas consecutivas corretas, à qual corresponde um certo montante de dinheiro acumulado pelo grupo. Com uma resposta incorreta, o concorrente quebra a corrente e faz o grupo perder dinheiro. E, no término da rodada, ele "candidata-se" a ser eliminado do programa (o elo mais fraco), numa votação feita dentro do grupo. É, assim, pela progressiva eliminação de seus concorrentes que se chega ao vencedor da edição do programa.

Apreciem também a criatividade desta imagem (do fotógrafo espanhol Chema Madoz) que arranjei para ilustrar a presente nota.

22/10/2013 - Atualizando...
Clique aqui para ver em GIF animado uma máquina de fazer correntes.

09 abril, 2009

Aspectos epidemiológicos do tabagismo

"Atualmente, o tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) calcula que, somente no ano de 2008, aproximadamente 5 milhões de pessoas morreram devido ao cigarro, número bem superior à somatória dos óbitos provocados pela tuberculose, AIDS e malária. Se nenhuma medida urgente for tomada, no ano de 2030 teremos mais de 8 milhões de óbitos relacionados ao tabagismo e, em todo século 21, o número de mortes deve alcançar a quantidade assustadora de um bilhão. Em face desses números alarmantes, a OMS classificou o tabagismo como uma epidemia global.
Para tentar conter o tabagismo em todo o mundo, a OMS coordena um tratado internacional multilateral denominado de “The WHO Framework Convention on Tobacco Control”, que elaborou um programa para auxiliar os países na redução do fornecimento e do consumo de tabaco. Este programa se baseia em seis diretrizes, que receberam o nome MPOWER:

  • M – monitorar o consumo do tabaco e as políticas de prevenção do tabagismo;
  • P – proteger as pessoas do tabagismo secundário;
  • O – oferecer ajuda para auxiliar no abandono do tabagismo;
  • W (warn) – informar as populações sobre os perigos do tabagismo;
  • E (enforce) – reforçar a proibição de propaganda e campanhas de marketing favoráveis ao tabagismo;
  • R (raises) – aumentar os impostos sobre os produtos do tabaco.

Quando completamente implementadas, essas seis ações teriam a capacidade de prevenir o consumo de cigarros entre os jovens, auxiliar os tabagistas a cessarem com este hábito e proteger os não-fumantes do tabagismo passivo. Neste boletim iremos apresentar os dados epidemiológicos mais recentes disponibilizados pela OMS e, especificamente, alguns dados brasileiros."

(extraído do Pneumo Atual Express News Nº 198, de 03/04/09 - um boletim de website com acesso restrito a médicos e estudantes de medicina)

08 abril, 2009

Posso ser útil?


"Digno é o cidadão que exime os demais de sustentá-lo se tem meios de fazê-lo por si. O Estado não pode ser asilo dos capazes. Feliz é a sociedade em que o cego contribui com as mãos, o aleijado com a voz, o velho com o conselho, o político com a responsabilidade e todos com a solidariedade."
O médico oftalmologista Nelson Cunha, autor dessa reflexão, falou e disse.

Abril, chuvas mil

'Stamos em plena quadra invernosa. Neste período, um objeto se torna certamente o foco das atenções: o guarda-chuvas. Que tal conferirmos algumas de suas inovações? 

07 abril, 2009

Velha mídia

Eis uma das explicações por que os jornais não são mais lidos.

O cara e a coroa


Encosto ou não encosto? Só o joelho. O que pode acontecer? Ela dizer “Mr. Lula, please!” Aí eu recolho o joelho, peço desculpas, “aimsórri, aimsórri” e pronto. Se eu soubesse falar inglês, explicaria. Sabe o que é, Elizabeth? Eu estava aqui pensando: quando é que, lá em Pernambuco, eu ia imaginar que um dia estaria sentado ao lado da rainha da Inglaterra? Não sei quem é que me botou aqui para tirar esta fotografia dos G-20. Não acho que tenha sido um pedido seu, “Quero o bonitinho de barba à minha esquerda”. Claro que não. Mas o fato é que estou aqui e o Barack está aí atrás em algum lugar, de pé e se perguntado o que eu tenho que ele não tem. O Sarkozy não deve nem estar aparecendo. Ficou atrás da Merkel e não vai sair na foto. E eu aqui ao seu lado, na primeira fila. (...)

Vamos por partes, como diria Jack o Estripador. O cara é o que aparece nessa charge do Clayton, publicada em O Povo. A sonhar colorido depois dos muitos encômios que recebeu do Presidente Barack. A coroa, com o devido respeito, é a que representa a Coroa inglesa. Considerando-se que os dois, por posarem juntos para a fotografia dos G-20, passaram a protagonistas de uma crônica do Veríssimo.
Essa crônica - Lado a lado - de 05/04/09, que foi postada por Helô no Portal Luis Nassif, é simplesmente imperdível.

06 abril, 2009

"É grego pra mim"

Quando um inglês  não entende a língua que alguém fala, desabafa: it's Greek to me. Numa repetição do que já acontecia nos antigos tempos shakespearianos (Julius Caesar, Ato I, Cena II).
O sueco, o norueguês, o espanhol e o português procedem também da mesma forma: "é grego para mim". Dizendo essa frase em seus idiomas nativos, obviamente.
Quanto ao grego, diante de uma fala que não compreende, tem como reação dizer que é árabe. 
O russo, o polonês e o húngaro apelam para o chinês. Que, por sinal, é a segunda opção para o espanhol e o português.
Já o romeno apela para o turco; este, para o francês; e este último, para o javanês - um idioma que só um homem ocidental "conhece" (o do conto "O homem que sabia javanês", de Lima Barreto). 
Todos, enfim, dispõem de uma língua preferencial para enquadrar a algaravia que não entendem. Pensando nisso, foi que o Strange Maps  elaborou um, digamos, mapa da incompreensão linguística.

Curiosidade
Nem aqueles que cultivam uma língua artificialmente construída escapam desse tipo de comportamento. Diante de um linguajar que não entendem, dizem os esperantistas: "é Volapük para mim".

26/01/2013 - Atualizando...
O link do Strange Maps não está funcionando.
Futility Closet, através da postagem Babel Fishing, apresenta uma versão para o "mapa da incompreensão linguística".

05 abril, 2009

Zé Erra

:-(

"A Dança do Sabre"

Composta para o balé pelo armênio Aram Khachaturian, em 1942.
Sobre ela disse o autor:
"Dentro da minha criação musical existe uma criança desobediente e barulhenta. É 'A Dança do Sabre', do balé Gayane. Se eu soubesse que ela se tornaria tão popular a ponto de obscurecer minhas outras obras, eu jamais a teria escrito."
Aqui executada pela Filarmônica de Berlim sob a regência de Simon Rattle.



Nas ondas do rádio
Durante muitos anos foi a música de fundo do programa "Nos Bastidores Policiais", do radialista Edson Silva.

04 abril, 2009

Enquanto a imortalidade não chega

Pergunta
- É verdade que 90 por cento das pessoas morrem? Eu vi isso no Programa do Jô.
Principais respostas
- Vou fingir que não li isso.
- Cem por cento delas morrem; podem demorar mas morrem.
- É só uma estimativa. Não se pode afirmar com certeza.
- Os anões (um por cento das pessoas) não morrem, viram pombos. Ninguém nunca viu enterro de anão e filhote de pombo.
- Você está pensando que é imortal?
- Excluindo-se os imortais, todos morrem. Ou morrerão.
- Parabéns por sua pergunta, muito inteligente e informativa.
- Exatamente: 90 por cento morrem e 10 por cento falecem.
Yahoo! Respostas

Intocáveis

Uma intocável indiana. Não fazendo parte do corpo de Brahma, ao qual pertencem as quatro grandes castas indianas, esta mulher é uma representante da "poeira sob os pés". As pessoas das castas não ousam sequer tocá-la. Ela e todos os seus companheiros dalits são considerados impuros, cabendo-lhes, na estratificada sociedade hindu, os trabalhos mais desprezados (lixeiros, coveiros e talhantes). Os dalits vestem as roupas dos mortos, comem em cacos de louças e só podem entrar nos templos se lá não estiver alguma pessoa das castas.



Uma intocável inglesa. Dias atrás, em visita à Grã-Bretanha, a Primeira-Dama dos Estados Unidos Michelle Obama, aplicou-lhe um tremendo quebra-ossos. Talvez ignorando a existência por lá de um protocolo real. Que diz o tal protocolo sobre o contato da Rainha Elizabeth II com seus súditos? Que estes não podem nem casualmente tocá-la. OK, Michelle Obama, por não ser britânica, não deve mesmo se obrigar a essas descabidas exigências. Ora, mas assim até eu. 

03 abril, 2009

Trate o cão como pessoa




É a mensagem que eu captei após uma visita ao Dogs Looking LiKe People, um site que reúne um grande acervo de fotografias em que aparecem cães... "humanizados".

Noites de cão

Triiim... Triiim... Triiim...
Mary Rose despertou, enfiou os pés nos chinelos e dirigiu-se ao telefone.
- Alô?!
- Uuuu. Uuuu. Uuuu. Uuuu.
Do outro lado do fio, a voz que uivava - a quinta noite consecutiva que isso acontecia - e, como nas vezes anteriores, às três horas da madrugada.
Mary Rose, no resto da noite, não mais conseguiu dormir. Por mais que contasse cobras e lagartos... cobras e lagartos.... cobras e lagartos... não conseguiu dormir. Amanhã, cretino, iria ter outra vez com o policial Smith Joe. Quem sabe, Smith Joe, a essa altura, já tivesse no bolso do colete, junto com o pirulito, o nome do engraçadinho dos uivados telefônicos. Amanhã, maldito. A vingança, aprendera algures, é um prato que se come frio.
Hoje, maldito. Mary Rose pôs-se fora da cama. Manhã, com azia e olheiras. Não quis, não estava a fim de alimento algum: "breakfastio" (ou, talvez, por desejar apenas aquele prato frio). Procurou Smith Joe no Departamento de Trotes da Polícia. Smith Joe, do DEPTROT, era um corpulento policial que, nas horas vagas, gostava de tocar piano à maneira de acordeão. Também gostava de ser eficiente. Durante a noite, em operação conjunta com um "trotecista" da Companhia de Correios e Telefones, mantivera sob escuta o telefone de Mary Rose. Então, quando ela o procurou, Smith Joe já sabia qual fulano fizera a chamada das três horas da matina.
- O telefone está no nome de Kenneth Paul. Conhece-o?
- Kenneth Paul? Co'os diabos, é meu vizinho.
- Existe alguma rixa entre ambos?
- Não.
Smith Joe solicitou o comparecimento de Kenneth Paul no DEPTROT. Comparecimento amigável, querido Paul. Venha, querido Paul. Ou, do contrário, irei eu, aí, lhe aplicar uns telefones. Telefones na gíria policial, querido Paul. Quem pergunta se penico de barro faz zoada, acaba mais cedo ou mais tarde... pedindo penico. (Esta última frase era a cara de Smith Joe. Ele a citava por todo, qualquer ou nenhum pretexto.)
Meia hora após, Kenneth Paul estava no DEPTROT. Enfrentando o olhar feio de Mary Rose, sob o olhar de leguleio de Smith Joe.
- Paul, meu vizinho, por que esses trotes bestas?
- Mary Rose, a senhorita tem um cão...
- Que tem Vociferous com isso? Não faz mal a uma aranha.
- Vociferous uiva à noite. Um pouco antes das três horas da madrugada.
- Não percebo. Nessa hora estou numa fase REM (rapid eye movements) do meu sono.
- Também estou numa fase REM. Mas Vociferous me acorda.
- Por isso, me dá aqueles telefonemas eivados de uivados?...
- Sim, até que você se desfaça do cão.
- Eu me desfazer de Vociferous? Never.
- Então, vamos ser solidários na insônia.
- Fico sem telefone, mas Vociferous continua comigo. Com casa, comida e coleira lavada.
- Comida, você falou? Carne com vidro moído, por exemplo?...
- Atreva-se, Paul.
Foi quando o pirulito de Smith Joe acabou. E, para descer à bombonière, ele precisava antes de tudo pôr um termo àquela discussão. Pensando nisso, Smith Joe sentenciou:
- Bote uma focinheira no cão, senhorita.
Valeu. Com Vociferous agora de focinheira, durante a noite, os dois vizinhos voltaram às boas.
Vejamos, então, o que acontece  a Mary Rose quando ela, às três horas da calada, atende o seu telefone:
- Alô?!
- Mupf. Mupf. Mupf. Mupf.

02 abril, 2009

É fogo!




Nada se compara à quantidade de energia liberada pela explosão de um fogo de artifício. Medida essa incrível energia no ânimo de quem contempla a cena, bem entendido (PGCS).

Batman x Batman


Batman tem agora um novo adversário: Batman.
De acordo com MovieNation, Variety, CNN e outras fontes, a companhia Warner Brothers e o diretor Chistopher Nolan estão sendo processados por Huseyn Kalkan, prefeito de Batman, uma cidade do sudeste da Turquia. O motivo do processo é o uso - sem permissão - do nome da cidade turca pelo super-herói do cinema. Apesar de o homem morcego já ser chamado de Batman nas revistas em quadrinhos, desde 1939.
Numa hora dessas, como estarão reagindo os habitantes de Hellboy, uma cidade da Lituânia? Consultando seus advogados?