31 março, 2012

URUGUAI E ARGENTINA. Notas de viagem 7 e 8

por Nelson José Cunha
5
Paguei 110 pesos pela entrada no belíssimo Teatro Colón em Buenos Aires. Os argentinos que faziam fila na minha frente pagaram 30.
No hotel L'Auberge, em Punta del Este, onde descemos para um chá da tarde, o waffer custava R$25,00, a geleia R$10,00 e a água mineral R$12,00. A intenção é essa: fazer o turista sentir-se um pato em água fervente - depenado!
No Brasil não é diferente. O assalto ao turista começa quando se toma um táxi e daí se segue uma rotina espoliadora. Até que ele, cansado, retorna ao hotel e diz:
Whew! Never more!
6
Gosto de arquitetura. Um passeio a pé na região central de Buenos Aires é um deleite, tal a coleção de edifícios magníficos do início do século vinte. Era o apogeu argentino. Estão todos lá - salvos, talvez, da fúria das construtoras que, inibidas pelas crises econômicas sucessivas, deixaram todas aquelas maravilhas em pé.
Sente-se em um dos inúmeros cafés. Peça um cortado, uma pasta frola e simplesmente olhe para cima para sentir-se como Borges:
“Siempre he sentido que hay algo en Buenos Aires que me gusta. Me gusta tanto que no me gusta que le guste a otras personas. Es un amor asi, celoso"
O estilo é francês, mas com um requinte que Paris inveja. Há quatro anos aluguei um apartamento por temporada num desses edifícios. Pé direito de seis metros, restaurado e mobiliado com móveis da época. Não é caro, coisa de dois mil dólares ao mês para uma família inteira.
(março de 2012)

Humor empresarial

1 Chegaram 700 currículos à mesa do diretor. Ele diz à secretária:
- Pegue os 30 que estão no topo da pilha e chame-os para serem entrevistados. Jogue os restantes na máquina fragmentadora.
- O senhor está louco, chefe? São 670 pessoas! Talvez os melhores estejam lá!
Ele responde:
- Eu não preciso de gente sem sorte ao meu lado.

2 O gerente chama um empregado da área de produção: negão, forte, 1,90m de altura, 100kg, recém-admitido, e inicia o diálogo:
- Qual é o seu nome?
- Eduardo - responde o empregado.
- Olhe - explica o gerente - eu não sei em que local você trabalhou antes, mas aqui nós não chamamos as pessoas pelo seu primeiro nome. Isso é muito familiar e pode levar à perda de autoridade. Eu só chamo meus funcionários pelo sobrenome: Ribeiro, Matos, Souza... Então saiba que eu sou seu gerente e quero que me chame de Mendonça. Bem, agora me diga o seu nome completo.
O empregado responde:
- Meu nome é Eduardo Paixão.
- Está certo, Eduardo. Pode ir agora...

3 Para testar o caráter de um novo empregado, o dono da empresa mandou colocar 500 reais a mais no salário dele.
Passam os dias, e o funcionário não relata nada..
Chegando ao outro mês, o dono faz o inverso: manda tirar 500 reais.
No mesmo dia, o funcionário entra na sala para falar com ele:
- Doutor, acho que houve um engano e me tiraram 500 reais do salário.
- É? Curioso que no mês passado eu mandei colocar 500 a mais e você não falou nada.
- É que um erro eu tolero, doutor, mas dois... eu acho um absurdo!

Fonte: internet

Para que serve o asterisco

É um sinal gráfico em forma de estrela (do latim astrum) que serve para:
a) complementar o texto com uma nota de rodapé;
b) informar que uma construção particular é "agramatical";
c) indicar que uma palavra é hipotética;
d) pôr no texto uma palavra de baixo calão;
e) fazer conta de multiplicação no computador;
f) nomear uma tecla especial de telefonia;
g) chamar a atenção do consumidor sobre algum produto e enganá-lo com uma letra menor sobre as condições de venda. PGCS

30 março, 2012

O nariz de David (de Michelangelo)

David é uma das esculturas mais famosas do artista renascentista Michelangelo. O trabalho retrata o herói bíblico com realismo anatômico impressionante, sendo considerada uma das mais importantes obras do Renascimento e do próprio autor. A escultura encontra-se até hoje em Florença, na Itália, cidade que originalmente encomendou a obra.
Assim que ela foi colocada em seu pedestal, diante do Palazzo Vecchio (onde permaneceu até 1873), Piero Soderini, que admirava muito Michelangelo, disse-lhe que achava o nariz da estátua muito grande. Como o andaime ainda estava lá, o escultor imediatamente subiu por ele, levando o martelo e o formão, até acima do ombro da estátua.
Soderini acreditou que estava sendo atendido em sua sugestão. Michelangelo tivera o cuidado de esconder algum pó de mármore na palma da mão e, enquanto fingia reduzir o nariz da estátua, aos poucos ia soltando o pó. Concluído o "reparo", perguntou ao admirador o que achava do resultado.
Em resposta, Soderini exclamou:
- Estou muito satisfeito, você deu vida à estátua!

John Addington Symonds, The Life of Michelangelo Buonarroti, 1893

Continua sendo um osso

"Conto é tudo o que o escritor chama de conto."
Em 1981, escrevi um conto chamado de A PRIMEIRA CIRURGIA DO MUNDO. A quem se interessar: ele está no acervo do Preblog.
A ideia (esposada pelo conto) de ter sido uma operação torácica, feita para remover uma costela, vai ter que discutir a relação. Pelo surgimento de uma nova versão que dá como tendo sido essa operação em outro local do corpo humano.
Continua sendo um osso. Mas, em verdade, a cirurgia foi para retirar um báculo.
???
Lembrando o que é o báculo.
!!!
Pois é a versão que vem sendo divulgada pelo Sedentário e Hiperativo, a partir do que inicialmente saiu no Discover Magazine.

29 março, 2012

Amásia

por Dan Meth
Há 300 milhões de anos todos os continentes da Terra estavam unidos em um supercontinente chamado Pangeia. Afastaram-se lenta e gradualmente, dando origem aos atuais continentes.
Numa pesquisa publicada em 08/02/12, no periódico científico Nature, três geólogos da Universidade de Yale previram a junção da América com a Ásia, num único continente a ser chamado de Amásia, fazendo com que o mar do Caribe desapareça.
Mas não precisa se apressar para fazer aquele tão sonhado cruzeiro marítimo pelo Caribe. A previsão dos cientistas é para essa mudança geológica só acontecer daqui a uns 200 milhões de anos.

Um microscópio de baixo custo

Muitas vezes quando ouvimos falar de algum instrumento científico novo, pensamos em tecnologias caras, especialmente se a notícia fala de um microscópio que é capaz de detectar microrganismos usando a holografia. Embora esse dispositivo seja surpreendente, pois a sua premissa é interessante, por ter custos de fabricação abaixo de 100 dólares, ele abre possibilidades de ser empregado em países de economias emergentes.
Este microscópio foi fabricado por cientistas da Universidade da Califórnia (UCLA), em Los Angeles. O aparelho é composto por duas partes principais: a primeira é um módulo de "transmissão", através do qual se analisam fluidos, tais como água ou sangue, e a segunda, um módulo de "reflexão", que é capaz de produzir hologramas de superfícies mais densas. A holografia, lembremos aqui, já vem sendo usada com outros fins médicos, como no monitoramento da atividade neurológica.

O protótipo de LUCAS: Lensless Ultra-wide Cell
monitoring Array platform based on Shadow imaging

O ponto alto é que esse microscópio utiliza componentes eletrônicos em vez de lentes, o que reduz significativamente o seu custo de produção. Na verdade, os sensores de foto deste dispositivo já são  encontrados nas câmaras de alguns smartphones, a um custo de produção que não ultrapassa os 15 dólares.
O microscópio é responsável por capturar as informações, que são enviadas para o segundo dispositivo, com maior poder de processamento, um telefone celular ou um computador, que criam imagens 3D.
Os cientistas da UCLA acreditam que esse microscópio venha a ser uma ferramenta útil para detectar surtos de bactérias de difícil monitoramento, como a E. coli , responsável por gastroenterites. Tais condições, comuns em países em desenvolvimento, representam um problema epidemiológico que, detectado com rapidez, poderia ser tratado de uma forma mais eficaz. Sem dúvida, um avanço no campo da medicina a um custo acessível.

Microscopio de bajo costo emplea hologramas para detectar bacterias, por Pepe Flores. In: ALT1040
Field-portable reflection and transmission microscopy based on lensless holography, por Myungjun Lee, Oguzhan Yaglidere and Aydogan Ozcan In: www.opticsinfobase.org

28 março, 2012

URUGUAI E ARGENTINA. Notas de viagem 5 e 6

por Nelson José Cunha
5
O estuário do Prata que embeleza as duas capitais é imenso. A barcaça com automóveis demora três horas para atravessá-lo. Era assim há quarenta anos quando fui à Argentina pela primeira vez.
A ponte comprida sempre prometida segue descumprida.
As praias têm águas doces e salgadas, segundo a maré e o volume do rio. Preferi chamá-las de praias mineiras. Se Minas tivesse mar seria assim: nem doce nem salgado, muito antes pelo contrário.
6
Se há fila na porta eu entro. Ou a comida é boa ou é barata. O senhor de gravata nova em terno puído examinava o cardápio colado na porta e conferia a carteira num gesto de quem anda com dinheiro contado. Conversamos. Não deixei que fosse embora, fiz-lhe o convite para jantar conosco. A comida dele chegou antes da nossa, mas pediu que a levasse de volta. Via-se ali um cavalheiro. Contou que frequentava o local (Pizzeria Las Cuartetas) desde criança, trazido pelo pai, rico fazendeiro. Queixou-se de Menem, quando perdeu sua poupança- em dólares - depositada legalmente em banco argentino. Tudo virou pó. Sua amargura e desesperança faziam-no um personagem clássico dos grandes romances. Foi o que pensei enquanto escutava seu discurso articulado e melancólico. Como tínhamos ingressos para o teatro das 23 horas (Freddie com Hernan Piquin), forçamos a despedida. Ele deixou a metade da comida intocada para nos acompanhar. Insisti para que ficasse, mas não quis. Na porta do teatro, emocionado, despediu-se. Virei-me a ponto de ver sua sombra elegante, desaparecendo ao longe.
Pobre e fidalgo argentino. Pobre Argentina.
(março de 2012)

Millôr Fernandes (1923-2012)

Morreu ontem, aos 88 anos, no Rio de Janeiro, o desenhista, humorista, dramaturgo, escritor, jornalista e tradutor Millôr Fernandes.
Pseudônimos e cognomes: Vão Gogo, O Filósofo do Méier, O Patrono dos Cartunistas, Papaverum millor...


Frases marcantes do "escritor sem estilo":
“Fiquem tranquilos os poderosos que têm medo de nós: nenhum humorista atira para matar.”
“A verdadeira amizade é aquela que nos permite falar, ao amigo, de todos os seus defeitos e de todas as nossas qualidades.”
“Democracia é quando eu mando em você, ditadura é quando você manda em mim.”
“De todas as taras sexuais, não existe nenhuma mais estranha do que a abstinência.”
“Os nossos amigos podem não saber muitas coisas, mas sabem sempre o que fariam no nosso lugar.”
“Se todos os homens recebessem exatamente o que merecem, ia sobrar muito dinheiro no mundo.”
“Há duas coisas que ninguém perdoa: nossas vitórias e nossos fracassos.”
“O mal de se tratar um inferior como igual é que ele logo se julga superior.”
“O homem é o único animal que ri. E é rindo que ele mostra o animal que é.”
"Eu não sou um grande humorista. Sou apenas o sujeito mais engraçado, da família mais engraçada, da cidade mais engraçada, do país mais engraçado do mundo."

Áudio: O Brasil - Reflexões Sem Dor - Outras

Deslocamento de vértebras por espirros

Monique Jeffrey, 28, uma australiana de Melbourne, deslocou duas vértebras do pescoço ao espirrar com muita força, quando se achava deitada.
O deslocamento das vértebras foi confirmado numa tomografia.
O neurocirurgião que a atendeu declarou que, sob as condições em que aconteceu (causada por espirros), esta patologia é rara.
Tratamento: a Sra. Jeffrey terá que ficar, durante três meses, com um dispositivo de tração instalado no crânio (fotografia) para o realinhamento de suas vértebras cervicais.

news.ninemsn.com.au

A lousa da Faculdade

:-)
Professor e alunos têm visões diferentes do mesmo problema: o que é em si outro problema.

27 março, 2012

O caminho do gol

101 Great Goals
O Magdeburg, time da quarta divisão do futebol alemão, anda mal das pernas. Depois de não marcar um mísero gol em cinco partidas consecutivas, os torcedores perderam a paciência e, no último domingo, resolveram indicar - com placas em forma de setas - qual era o caminho do gol. A estratégia até que ajudou - o Magdeburg, enfim, conseguiu marcar, embora tenha deixado o campo derrotado por 2 a 1.

Itapiúna - CE

Kryptonita

Qualquer lista que se faça de elementos e substâncias químicas fictícias tem que começar pela famosa kryptonita. Oriunda do planeta Krypton, e trazida à Terra sob a forma de um asteróide, a substância é nociva para os kryptonianos que sobreviveram à destruição do planeta natal. Isto inclui Kal-el, o Superman. (1) (2)
Diez elementos y sustancias químicas ficticias

Não confunda com...
Criptônio que é um elemento químico verdadeiro da Terra: um gás nobre de símbolo Kr e número atômico 38.

(1) Superman vai à missa
(2) Superman x Tabagismo

26 março, 2012

Valsa das Máquinas

É o nome deste vídeo que combina a música clássica com os movimentos das máquinas de uma fábrica têxtil brasileira.



É uma visão poética do parque industrial de uma fábrica da Paramount Têxteis, grupo fundado em 1893. Criado e produzido pela Grafikonstruct, o vídeo teve a sua trilha sonora especialmente composta por Lucas Lima.

Comentário
Há que se achar beleza nos movimentos dos trabalhos mais brutos. A vida fica muito mais bela. Lembro do meu trabalho na década de 70 em uma das empresas do Grupo Gerdau. Os afazeres da Aciaria no meio da noite com as descargas dos eletrodos dos fornos ou a injeção de oxigênio para depurar a carga ou a corrida do aço líquido, a par de assustar pelos barulhos, magnetizava pela performance do aço em chamas contra a quase escuridão das naves de produção!
Magnífico trabalho e magnífica garimpagem, Paulo Gurgel!

Convite à imaginação

Imagine uma ilha que fica em um lago que fica em uma ilha que fica em um lago que fica em uma ilha...
Ufa! Pare agora de imaginar porque esta sequência geográfica existe em nosso planeta.

É a Vulcan Point Island,
localizada em Crater Lake,
localizado em Volcano Island,
localizada em Taal Lake,
localizado em Luzon Island,
nas Filipinas.

Travelogue

25 março, 2012

URUGUAI E ARGENTINA. Notas de viagem 3 e 4

por Nelson José Cunha
3
Em Buenos Aires nosso Real é real. É aceito como o dólar latino-americano. As lojas estão cheias de brasileiros porque não fazemos turismo, fazemos compras. Na Av. Corrientes há mais livrarias do que em Belo Horizonte, mas os nossos turistas passam ao largo. Perguntei a um livreiro o que compram os brasileiros. Ele me disse: livro sobre churrasco. Os museus tambem não conhecem essa gente morena que vem dos trópicos, estamos todos muito ocupados com as grifes. Para os novos ricos, cultura é coisa de esnobes. Em nossas escolas, o bom aluno é visto pelos colegas com desprezo. É nerd ou CDF. O bom empregado é chamado de puxa-saco. Invejado é o malandro, o expéeeerto, no sotaque carioca. Parafraseando Nelson Rodrigues (que estaria fazendo 100 anos), somos riquinhos, mas ordinários. (*)
4
Uruguai e Argentina têm a mesma matriz cultural, racial e climática. São mais iguais do que o Paraná e o Ceará. O que os separa é um rio e o futebol. Até o "jeísmo" ( pronúncia do "y" como "jota") é igual. Duas grandes cidades, uma de cada lado do rio, forçosamente resultariam em grande movimentação de pessoas, e isso acontece. A polícia de fronteira especializou-se em aborrecer quem se atreve a atravessar o rio. Carimbos, documentos, revistas pessoais e escaneamento de bagagem são obrigatórios em cada margem do rio. Filas imensas se formam para agrado da burocracia que entra em êxtase com aquela visão de subjugados, enfileirados cidadãos cujo único pecado é o atrevimento de querer cruzar um rio. A uma centena de quilômetros dali, na ponte General San Martin, cruza-se a fronteira com um aceno para o guarda, que, rendido pelo tédio, nem responde. É a "burrocracia" latino-americana em evidência.
(março de 2012)

(*) Esta palavra (ordinário) é para ser entendida como pessoa comum, trivial, sem brilho. É claro que tambem não é um elogio ao nosso caráter. Faço essa observação porque, se tomada pelo sentido mais usado - canalha, safado - soaria como ofensiva, o que seria extremamente injusto. Também não somos assim, temos, como povo, outras grandes qualidades. NJC

Eletrizante

Inventado por Nikola Tesla em 1890, a Bobina de Tesla é um transformador ressonante capaz de gerar uma tensão altíssima com grande simplicidade de construção.
Aqui assistimos a três vídeos em que essas bobinas demonstram possuir habilidades especiais:

1 - "A Marcha Imperial", de "Guerra nas Estrelas"
2 - Um duelo de banjos
3 - "Os Caçadores de Mitos"


Poderá também gostar de ler: Nikola Tesla e Pensadores

24 março, 2012

Uma revelação de Beethoven

Legenda com o recurso do MEME Generator

Negro de alma branca

SOBRE A EXPRESSÃO “NEGRO DE ALMA BRANCA”, QUE PARECE SINTETIZAR A ACUSAÇÃO, ESSA, SIM, INFAMANTE, QUERO PONDERAR.
PRIMEIRO, O SIGNIFICADO DA EXPRESSÃO NÃO É UNIVOCO.
ELA SE ASSOCIA, POR EXEMPLO, A ZUMBI DOS PALMARES, UM HERÓI DA RESISTÊNCIA DOS NEGROS QUE NÃO SE SUBMETEM À OPRESSÃO.
TAMBÉM SE EMPREGOU EM RELAÇÃO AO PAI TOMÁS, SEM NENHUMA CONOTAÇÃO OFENSIVA – E MUITO MENOS RACISTA.
UM DOS SIGNIFICADOS DA EXPRESSÃO – QUE, ADMITO, POSSA MELINDRAR E, SE ASSIM FOR, LAMENTO PROFUNDAMENTE – UM DOS SIGNIFICADOS CORRENTES E USUAIS É PARA DESCREVER O NEGRO QUE NÃO DEFENDE NEM SE DEFENDE DO RACISMO E DOS RACISTAS.
É A ACEPÇÃO A QUE RECORRI.
NEGRO DE ALMA BRANCA É O NEGRO QUE NÃO OLHA PARA TRÁS – PARA A CHAGA DA ESCRAVIDÃO, OU, COMO DIRIA JOAQUIM NABUCO:
“NÃO BASTA ACABAR COM A ESCRAVIDÃO. É PRECISO DESTRUIR SUA OBRA.”
É A OBRA QUE ESTÁ ABERTA AINDA HOJE, COMO COMPROVAM AS ESTATÍSTICAS DO IBGE, DOS CÁRCERES BRASILEIROS, DAS CRACOLÂNDIAS.
NEGRO DE ALMA BRANCA PODE SER AQUELE QUE NÃO ASSUME A SUA PRÓPRIA CONDIÇÃO DE NEGRO PARA COMBATER O RACISMO E O PRECONCEITO CONTRA O NEGRO.
CONTRA ELE, CONTRA A MÃE, O PAI, OS IRMÃOS.
É O NEGRO QUE OLHA PARA OUTRO LADO.
QUE FINGE QUE NÃO VÊ.
ACHA QUE NÃO É COM ELE.
NEGRO DE ALMA BRANCA DE PRESTÍGIO, UMA CELEBRIDADE, É O NEGRO QUE NÃO SE VALE DA POPULARIDADE E DO PRESTÍGIO PARA DEFENDER O NEGRO PRESO À CORRENTE DA ADVERSIDADE.
NEGRO DE ALMA BRANCA PODE SER TAMBÉM AQUELE QUE SE PRESTA A COONESTAR AS POSIÇÕES, AS TESES DE QUEM É CONTRA OS DIREITOS CIVIS DOS NEGROS OU DOS QUE COMBATEM AS POLÍTICAS QUE PODEM DAR INDEPENDÊNCIA ECONÔMICA E RECONHECIMENTO SOCIAL AOS NEGROS.
SÃO AQUELES QUE DEFENDEM PSEUDO-POLÍTICAS ANTROPOLÓGICAS QUE CONGELAM A DESIGUALDADE E A DISCRIMINAÇÃO.
NESSE PAÍS DE MAIORIA NEGRA MORREM MAIS NEGROS QUE BRANCOS NA MESMA FUNÇÃO.
HÁ MENOS NEGROS NAS FACULDADES.
QUANTOS NEGROS HÁ NA MAGISTRATURA?
A CARA DA MISÉRIA, A CARA DA POBREZA NO BRASIL, É NEGRA.

Extraído da defesa oral feita pelo jornalista e blogueiro Paulo Henrique Amorim, na ação penal que Heraldo Pereira de Carvalho, da TV Globo, moveu contra ele, acusando PHA de racismo.

Rir é próprio do homem

"Caros leitores, que este blog vedes,
Libertai-vos de toda prevenção;
E não vos melindreis, ó vós que o ledes,
Que nenhum mal contém, nem perversão.
É verdade que pouca perfeição,
Salvo no riso, aqui podeis obter:
Outra coisa não posso oferecer,
Ao ver as aflições que vos consomem;
Antes risos que prantos descrever,
Sendo certo que rir é próprio do homem."

VIVEI ALEGRES!

In: Gargantua, de François Rabelais. Tradução de Aristides Lobo, aqui levemente modificada.


Risoterapia
http://chb.blogourt.fr/537090/Rigolotherapie/ 

23 março, 2012

Morre Chico Anysio

O Brasil perdeu hoje um de seus maiores artistas.
Morreu às 14h52 desta sexta-feira, dia 23, aos 80 anos, o humorista Chico Anysio. Ator, humorista, compositor, escritor, pintor, radialista, comentarista e produtor de shows, Francisco Anysio Paula Filho nasceu em Maranguape, Ceará, no dia 12 de abril de 1931. Atuando na TV desde 1957, ele criou, representou e eternizou mais de duzentos personagens: Alberto Roberto, Professor Raymundo, Bozó, Divino, Roberval Taylor, Painho, Popó, Gastão, Azambuja, Coalhada, Justo Veríssimo, Nazareno, Salomé, Pastor Tim Tones, Pantaleão, Bento Carneiro...

Charge de Amarildo


Plagiando Drummond
"A morte emendou a gramática. 
Morreram Chico Anysio. 
Não era um só. 
Eram tantos."



♪Rio antigo♪
De Nonato Buzar e Chico Anysio, com uma sequência de imagens que nos transportam aos tempos áureos da Cidade Maravilhosa.
No final do clipe, Alcione solfeja um trecho da "Valsa de uma cidade", de Ismael Netto e Antônio Maria. D+.


02/02/2014 - Atualizando...
O compositor Nonato Buzar, 81 anos, morreu de falência múltiplas dos órgãos, neste domingo (2), no Rio de Janeiro.

URUGUAI E ARGENTINA. Notas de viagem 1 e 2

por Nelson José Cunha
1
Quando viajo, gosto de provar os sabores locais. Provei um salame no Uruguai e não resisti: comprei dois quilos do "Cattivelli". Guardei a iguaria na mala e fui a Buenos Aires. Na volta, o fiscal uruguaio não queria deixar o salame passar porque a legislação sanitária proíbe a importação desse tipo de alimento. Mostrei a etiqueta do produto que era uruguaio e tinha aprovação do SIF deles. Alegou que a lei não faz menção a esses casos e ponto final. É a "burrocracia" latino-americana em ação.
Agora uma piadinha argentina:
O passageiro vê a linda aeromoça, toda sexy, e pergunta:
- Qual o seu nome?
A aeromoça responde:
- Mercedes, Señor!
O passageiro:
- O sobrenome, por acaso, é Benz?
Com aquele sorriso maravilhoso ela responde:
- Exactamente, Señor!
E o passageiro novamente:
- Lindo nome. Alguma relação com o carro?
E a aeromoça com o mesmo sorriso encantador responde:
- El mismo precio, Señor!!!
2
Alguém disse que a cidade é a praça. Eu penso diferente: A cidade é o mercado. Não deixo de ir ao mercado das cidades que visito. Em Buenos Aires não foi diferente. Pegamos o ônibus 8 na praça do Congresso e partimos rumo à periferia da cidade. É viagem de hora e meia em colectivo feito no Brasil. A passagem custa R$0,80 por subsidio peronista. Vê-se a estratificação da sociedade argentina quando o ônibus foi perdendo os passageiros brancos, à medida que se distanciava do centro. Ao chegarmos ao mercado descemos: este "repórter do EntreMentes", uma espanhola (minha contrariada esposa que não queria ir), dois brancos e os demais índios andinos. No mercado, compra-se tudo por "la mitad del precio" e ouve-se o habitual burburinho que, para meus ouvidos, é música. Fiquei de barba amarela de tantos pêssegos gigantescos que comi. Estava no paraíso! Minha mulher?... Ela dirá.
(março de 2012)

Em biblioteca tudo se sabe

Leitor amigo,
Deixe cronificar em você o gosto pelos livros - eles que são os mais desenvoltos agentes do entretenimento e da cultura. Ler e coçar é questão de começar! - já disse o velho letrado. Assim: desenvolva o hábito de frequentar as livrarias da cidade, de espiar seus mostruários, de inteirar-se das obras recém-lançadas, para depois - quem sabe? - virar um adquirente regular de livros.
Adote o costume da leitura (se já não o tem). Da leitura sistemática nas filas do ônibus, do banco, da farmácia e da previdência; no escritório e na lanchonete; na sala do televisor (desligado) e na cama. Olho vivo, portanto, que esta é a maneira de você entrar para o rol dos que sabem das coisas, na categoria sênior.
Mais: existe uma coisa que se chama envolvimento leitor-livro. Ele não deve cessar quando se vira a última página de um exemplar que foi lido. O livro requer ser guardado facilmente alcançável, a fim de que, em uma dúvida, você possa rever uma frase, um tópico ou a obra inteira.
O livro não pede, mas justo é que você retribua os seus ganhos de cultura livresca, oferecendo-lhe certo conforto "pessoal". Como conforto se traduza mantê-lo protegido das traças, mofos e poeiras, e colocá-lo de modo conveniente na biblioteca.
Aqui, onde eu queria chegar: o colecionamento dos livros, o qual só fica bem feito quando efetuado com arte e artimanha. Os livros, assim como as pessoas, têm ideias, gosto e temperamentos;  excetuando-se os poucos momentos que passam nas mãos do dono, coabitarão um espaço comum. Por isso, bem ou mal, interrelacionar-se-ão.
Considere então as tais afinidades inter-livros quando for ordená-los, objetivando que prevaleça a harmonia em sua biblioteca. Um pouco da minha casuística para que o leitor entenda plenamente o que busco dizer:
O livro "O Feijão e o Sonho", de Orígenes Lessa, por exemplo, a arrumação ideal será a que coloque o "Supermercado", de Paulo Mendes Campos, e o "Escolha seu Sonho", de Cecília Meireles, à esquerda e à direita dele, respectivamente.
Nesta linha de raciocínio, o "Cuca Fundida", de Woody Allen, e o "Doente Imaginário", de Molière, se mantidos na proximidade do "Pequena Psiquiatria", de Van den Berg, sentir-se-ão menos grilados.
Já pensou que despautério se eu deixasse o "Fumando Espero", de Francisco Rodrigues, ao lado do "É Melhor Não Fumar", de Jorge Pachá? Ou, então, o "Macunaíma", de Mário de Andrade, capaz de tantas inconveniências, ao lado do circunspecto "Ulisses", de James Joyce?
Coisa parecida se eu deixasse o "A Grande Bofetada", de Jorge Hachaus, de meia-parede com o "Com as Mãos Sujas de Sangue", de Marcos Faerman, sabendo que são ambos rixentos e temperamentais?
Certas sutilidades, entretanto, o leitor só aprenderá com o tempo, ao entrosar com os livros. Quer ver? O "Textos Revolucionários", de Che Guevara, conhecidamente um asmático, se beneficiará com a vizinhança do "Medicina para Milhões", do camarada J. S. Horn.
Já o "Sexualidade e Criação Literária", entrevistas do Gay Sunshine, ficará mais à vontade na companhia do "Sexo nas Prisões", de Jorge Rizzini. Sem falar que será também uma prova de tolerância para com as minorias.

Mas, leitor, mesmo me fazendo de criterioso, eu nem sempre sustento a paz no mundo dos livros. Certa feita, encontrei em minha biblioteca o "A Técnica e o Riso", do economista Roberto Campos, atirado ao chão com várias páginas arrancadas. Colocado num canto de prateleira, ele incriminou num relato que me pareceu inverídico, o "Dicionário dos Marginais", de Ariel Tacca. Veio com uma história mal alinhavrada, testemunhada em falso pelo "É Mentira, Terta?", do Chico Anísio, e logo para cima de moi que sei do quanto ele é capaz de inventar para manter uma imagem vendável (quer fazer carreira de best seller).Não demorou, "Juvenal Ouriço Repórter", de Carlos Novaes, desvendou o acontecido trazendo à minha presença o "Onde Estivestes de Noite", de Clarice Lispector. E este entregou o serviço, fora tudo na verdade um ataque de ciumeira por parte de uma brochura. O nome da cuja? "Bonitinha mas Ordinária", de Nelson Rodrigues.

Crônica publicada em 1981 (ars longa...), no "Mandacaru", informativo da AECE. 

22 março, 2012

Um órgão de gatos

Henry Dagg executa "Somewhere over the Rainbow" em seu órgão feito de gatos de brinquedo. Numa de suas apresentações, ele quase matou o Príncipe Charles, um estudioso do ukulele, de tanto rir.


As coisas melhoraram, portanto. No século 17, o jesuíta Athanasius Kircher, que era matemático, astrônomo, geógrafo, geólogo, físico, químico, historiador, bacteriologista, egiptólogo, poliglota e músico (ufa!), tinha um piano de gatos de verdade. Saiba mais.

Sites indispensáveis

Tudo o que é relevante tem o seu espaço na internet. Assim é que existem:
um site para as pessoas que gostam de ser fotografadas com um dos olhos ocluído pela mão, o ssahn.com, do "monocular" Professor Ahn, outro site, para aqueles que curtem as sobrancelhas fundidas na linha média da testa (estilo Monteiro Lobato), o monobrow.com, e ainda outro, para as pessoas que gostam de posar ao lado de algum buraco urbano, o Posing With Potholes etc.
Agora surgiu o ONE TINY HaND, o "uma mãozinha", especialmente para aqueles que foram agraciados pelo Photoshop com uma mão pequenina. Quem já tiver sido pode ir tirando a mãozinha da luva.

21 março, 2012

Aversão a bigodes

William Tegg, em sua curiosa obra "Wills of Their Own", cita duas pessoas cuja aversão aos bigodes continuou a produzir efeitos mesmo após a morte.
O Sr. Henry Budd, cujo testamento entrou em vigor em 1862, declarou-se contra o uso de bigodes por seus filhos, nos seguintes termos:
 "Em caso de meu filho Edward usar bigode, a propriedade Pepper Park, aqui deixada para ele, seus indicados, herdeiros e cessonários ficará para meu filho William, seus indicados, herdeiros e cessionários. Em caso de meu filho William usar bigode, a propriedade Twickenham Park, aqui deixada para ele, seus indicados, herdeiros e cessionários então ficará para meu filho Edward, seus indicados, herdeiros e cessionários."
Outro exemplo foi o Sr. Fleming, um estofador de Pimlico, em cujo testamento (1869) deixou para cada empregado: 10 libras para quem usava bigode e 5 para quem não.

Jacob Larwood, Forensic Anecdotes, 1882


Ô almoço difícil!

“A onça sabe muitas coisas, mas o porco-espinho sabe uma coisa muito importante.”

20 março, 2012

Guerras Mundiais

Como a Primeira estourou às três da manhã, pegando muita gente de surpresa, talvez seja interessante você imaginar que isso possa acontecer outra vez. Mas saiba que, em caso de conflagrações mundiais, ainda existem países no mundo em que você pode ser deixado em paz.
Pensando em sua segurança, o Expatify montou a lista dos 10 melhores lugares para viver... longe dos conflitos mundiais.
Nova Zelândia e você
  1. Nova Zelândia
  2. Butão
  3. Islândia
  4. Tovalu
  5. Finlândia
  6. Seychelles
  7. Canadá
  8. Papua Nova Guiné
  9. Costa Rica
  10. Suíça

The Sullivan Show

Roy C. Sullivan
Roy C. Sullivan (1912-1983) foi um guarda florestal nos Estados Unidos, em Shenandoah National Park, Virginia. Entre 1942 e 1977, Sullivan foi atingido por raios em sete diferentes ocasiões e sobreviveu a todas elas. Recebeu o apelido de "Para-raios Humano".
Em 28 de Setembro de 1983, Sullivan suicidou-se, aos 71 anos de idade, logo após sofrer uma decepção amorosa.

19 março, 2012

A piada da ovelha negra

Um astrônomo, um físico e um matemático se dirigem a um congresso de ciências na Nova Zelândia. Depois de chegarem ao país, os três embarcam em um trem que os levará ao destino final.
No caminho, observam pela janela uma ovelha negra.
O astrônomo diz: "Olhem, as ovelhas na Nova Zelândia são negras". Ao que o físico replica: "Não, nem todas as ovelhas na Nova Zelândia são negras, só algumas delas".
Nisso, o matemático, já chateado com a forma de pensar dos colegas, corrige-os dizendo: "Não, na Nova Zelândia, há pelo menos uma ovelha em que ao menos um de seus lados parece ser negro."

Moral da piada: "Mais do que uma ciência a Matemática é um estilo de vida".

Saltos livres no espaço

O aventureiro austríaco Felix Baumgartner testou com sucesso, no dia 15, o salto que pode lhe dar o novo recorde mundial de skydiving, modalidade de esporte em que uma pessoa salta de grandes altitudes e faz manobras no ar, antes de abrir um paraquedas.
Felix Baumgartner
Baumgartner (imagem) saltou quando estava a 21,8 km de altitude, em uma cápsula pressurizada conectada a um balão de hélio. O austríaco voou acima de uma zona crítica conhecida como a Linha Armstrong, a partir da qual a sobrevivência humana sem dispositivos especiais é impossível.
O acessório mais importante usado no salto é a roupa que cobre toda a superfície do seu corpo. O vestuário é fundamental para manter o corpo sob a pressão e a temperatura adequadas e também para o fornecimento de oxigênio.
O objetivo do projeto é permitir que Baumgartner salte do balão a 36,5 quilômetros de altitude. O salto não tem data marcada, mas será feito ainda este ano.
Se a tentativa for bem-sucedida, Baumgartner conseguirá bater um recorde estabelecido em 1960 pelo aventureiro Joe Kittinger, que pulou de um balão a 31,3 quilômetros de altura. Kittinger faz parte hoje da equipe de Baumgartner e acredita que todo o esforço do austríaco dará certo.
Lembrando o feito de Kittinger
Joseph William Kittinger II (Tampa, 27 de Julho de 1928), ex-piloto da Força Aérea dos Estados Unidos da América, tornou-se famoso por haver saltado de um balão de hélio de uma altitude de 31,3 quilômetros, no dia 16 de agosto de 1960. Ele ficou em queda livre por 4 minutos e 36 segundos e alcançou a velocidade máxima de 988 km/h antes de abrir seu paraquedas a 5.500 m. Ele bateu os recordes para a maior altitude alcançada por um balão, maior altitude de um salto de paraquedas, maior queda livre e maior velocidade atingida por um homem através da atmosfera. O tempo total do salto durou 13 minutos e 45 segundos. Para o Guinness Book, porém, é Eugene Andreev (da antiga URSS) que detém o recorde oficial da FAI (Fédération Aéronautique Internationale) de maior queda livre.
Bônus
Slideshow EM QUEDA LIVRE

18 março, 2012

Na previsão dos próximos calores...

A eleição do escritor João do Rio para a Academia Brasileira de Letras rendeu motivo para que o sarcástico Emílio de Menezes compusesse estes versinhos:
"Na previsão dos próximos calores,
A Academia que idolatra o frio,
Não podendo comprar ventiladores
Abriu sua portas a João do Rio."
João do Rio era homossexual, fato conhecido nas rodas boêmio-literárias da antiga capital da República. Quanto a Emílio de Menezes (caricatura de K. Lixto), segundo Carlos Nejar, em História da Literatura Brasileira (página 124), "não era somente gordo, mas alto e forte. O que era curioso - ele, que espinafrava reputações, não admitia a menor brincadeira a seu respeito, tendo muitas vezes metido o bengalório nos ariscos minúsculos opositores que encontrava".

Leitura recomendada: O imortal Emílio de Menezes, Banco da Poesia.

♪Coca-Cola Douche♪

Esta música, criada na década de 1960 (gravada pelos Fugs), parece uma homenagem presciente aos vencedores do Ig Nobel de Química de 2008.


O prémio foi dado naquele ano a:
- Sharee A. Umpierre, da Universidade de Porto Rico, Joseph A. Hill, do Centro de Fertilidade da Nova Inglaterra (EUA), Deborah J. Anderson, da Boston University School of Medicine e da Harvard Medical School (EUA), por descobrirem que a Coca-Cola é um espermicida eficiente; (1)
- Chuang-Ye Hong, Shieh CC, Wu P. e BN Chiang (todos da Universidade Médica de Taipei, Taiwan) por descobrirem que não é. (2)
Referências
(1) Efeito da Coca-Cola sobre a motilidade dos espermatozóides
(2) A potência espermicida da Coca-Cola e da Pepsi-Cola

17 março, 2012

Bronzeamento [natural] de cães

:-)
Bits and Pieces
Tópico relacionado: O homem do chapéu bronzeado

A origem de uma expressão mineira

UAI
Segundo o odontólogo Dr. Sílvio Carneiro e a professora Dorália Galesso, foi o presidente Juscelino Kubitschek quem os incentivou a pesquisar a origem. Depois de exaustiva busca nos anais da Arquidiocese de Diamantina e em antigos arquivos do Estado de Minas Gerais, Dorália encontrou uma explicação provavelmente confiável.
Os Inconfidentes mineiros, patriotas, mas considerados subversivos pela Coroa Portuguesa, comunicavam-se através de senhas para se protegerem da polícia lusitana. Como conspiravam em porões, e sendo quase todos de origem maçônica, recebiam os companheiros com as três batidas clássicas da Maçonaria nas portas dos esconderijos.
Lá de dentro, perguntavam:
Quem é?
E os de fora respondiam: UAI – as iniciais de União, Amor e Independência.
Só mediante o uso dessa senha a porta era aberta aos visitantes.
Conjurada a revolta, sobrou a senha, que acabou virando costume entre as gentes das Alterosas.
(repassado por Germano Gurgel)

+ etimologias fantasiosas para UAI
A origem estaria na fusão das interjeições upa + oi + ai, que aparecem assim juntas, no romance "Sagarana", do escritor mineiro João Guimarães Rosa. Compare-se com o "opaió" (olha para ali, olha) dos baianos.
É também atribuída ao convívio de mineiros com ingleses ao tempo da Imperial Brazilian Mining Association. E a interjeição mineira teria se originado do britânico why? (por que?), ao qual guarda semelhanças fonéticas e semânticas.
- Uai é uai, uai!

16 março, 2012

Franqueza

ACHE O LIMITE


Querida Matemática,
Eu não quero resolver seus problemas. Eu já tenho meus próprios problemas para resolver.

O poder da pontuação - 2

Teresa, Joana e Leonor
Três estimáveis donzelas,
Desejam saber qual delas
Aquela a quem voto amor.
A pontuação exerce um papel fundamental na escrita. Negligenciada, ocasiona ambiguidade. De propósito, um poeta ofereceu a três namoradas versos de interpretações diversas. Cada uma se julgaria a preferida. Esta a redação do autor, o qual não desejava casar com nenhuma:
Direi pois que amo Teresa
Não Leonor cuja agudeza
Compete com ela ufana
Não consagro amor a Joana
Não é pouca sua beleza
Leonor pontuou assim os versos, pois os via em sua homenagem:
Direi, pois, que amo Teresa?
Não. Leonor, cuja agudeza
Compete com ela, ufana.
Não consagro amor a Joana,
Não; é pouca sua beleza.
Pontuação feita por Joana, julgando-se a preferida:
Direi, pois, que amo Teresa?
Não. Leonor, cuja agudeza
Compete com ela, ufana?
Não. Consagro amor a Joana:
Não é pouca sua beleza.
Pontuação de Teresa, considerando-se a escolhida:
Direi, poi,s que amo Teresa.
Não Leonor, cuja agudeza
Compete com ela, ufana.
Não consagro amor a Joana.
Não. É pouca sua beleza.
Pontuação do poeta, vocacionado para o celibato:
Direi, pois, que amo Teresa?
Não. Leonor, cuja agudeza
Compete com ela, ufana?
Não. Consagro amor a Joana?
Não. É pouca sua beleza
(de autor desconhecido)
Ver também: O poder da pontuação - 1.

15 março, 2012

Raiva humana transmitida por soins no Ceará

Morre menino que foi mordido por soim, animal que deve viver na mata
Na manhã de 12 de março, um menino de 9 anos, do município de Jati, sul do Estado, que foi mordido por um soim (sagui) e internado com raiva num hospital de Barbalha, morreu. O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) confirmou a doença.
A letalidade da raiva humana é próxima dos 100 por cento. No mundo inteiro, apenas dois pacientes, um dos Estados Unidos e outro em Pernambuco sobreviveram, porém com sequelas.
Nos últimos oito anos, foram confirmados cinco casos de raiva humana no Estado. Desse total, quatro tiveram a transmissão através de soins e apenas um caso foi transmitido por um cão.

SIGA LENDO...

O efeito Forer

É a observação de que indivíduos darão alta aprovação a descrições de personalidade que, supostamente, foram feitas especificamente para eles, mas que, em verdade, são gerais e vagas suficientes para corresponderem às de um amplo espectro de pessoas.
O nome vem do psicólogo Bertram R. Forer, que demonstrou o efeito em 1948, ao aplicar um teste de personalidade em seus alunos e lhes fornecer os resultados supostamente baseados na análise de cada teste, individualmente.
Em seguida, ele convidou os alunos para que avaliassem as análises em uma escala de zero (muito ruim) a cinco (muito bem sucedido). A média foi de 4,26.
Forer deu a todos os alunos exatamente a mesma análise:
"Você tem a necessidade de que outras pessoas o apreciem e admirem e, ainda assim, é crítico sobre si mesmo. Mesmo que tenha alguns pontos fracos em sua personalidade, geralmente é capaz de compensá-los. Você tem uma considerável capacidade não utilizada e que não tem aproveitado. Disciplinado e controlado por fora, você tende a ser preocupado e inseguro por dentro. Às vezes, você tem sérias dúvidas sobre se tem agido bem ou tomado as decisões corretas. Prefere uma certa mudança e variedade e fica insatisfeito quando é cercado por restrições e limitações. Também é orgulhoso de ser um pensador independente e de não aceitar afirmações de outros sem provas satisfatórias. Mas acha pouco prudente ser sincero revelando-se para os outros. Às vezes, você é extrovertido, afável e sociável; outras vezes, mostra-se introvertido, cauteloso e reservado. Algumas de suas aspirações tendem a ser bastante irrealistas."

14 março, 2012

O menino Zeus

Segundo o mito grego, Cronos, o mais poderoso dos Titãs, estava destinado a ser derrubado por um de seus próprios filhos. Ele estava ciente dessa profecia. Consequentemente, Cronos comia toda criança que Reia gerava. Zeus, no entanto, sobreviveu e cumpriu a profecia.
Essa história, que é tão horripilante, Graham Annable a retratou de uma maneira engraçada.

Itapiúna - CE

Processos colaborativos

Eles podem ser a chave para o sucesso.

13 março, 2012

Uma coleira para cobras

Como fazer uma coleira para uma criatura que é só pescoço?


Coleiras comuns, como aquelas que são projetados para cães e outros animais de patas, não são apropriadas para o estilo de corpo de uma serpente, porque a cobra não tem apêndices externos.
 O movimento ondulante de uma serpente, associada à capacidade de alterar sua circunferência, permite-lhe escapar da restrição anular de uma coleira.
Em 2002, Donald Boys patenteou uma coleira (imagem) com um dispositivo de neutralização que impede a fuga da cobra. Assim, se é ela o seu animal de estimação, você já tem como levá-la para passear ao ar livre. "Um réptil que recebe a luz solar tem uma pele melhor do que outro que é mantido no escuro."

Heel!, Futility Closet

04/05/2012 - Atualizando...


Móveis tipográficos

A Tabisso é uma empresa de design que produz móveis especiais. Sua linha de cadeiras vai de A a Z e de 1 a 9, e seus lustres de assoalho compreendem mais de 20 sinais de pontuação.
Fica a gosto do cliente a expressão que quer formar no escritório com os produtos dessa empresa.
Eles são feitos sob encomenda na França.

12 março, 2012

REFAZENDO O CAMINHO. Lançamento de livro

CONVITE
Com prazer, convidamos os amigos e conhecidos, para o lançamento do livro "Refazendo o caminho: passado e presente de uma família", às 19h30, do dia 13.03.2012, quando o autor estará completando 59 anos de vida.
O Centro de Formação Pastoral Santa Clara, da Paróquia de Nossa Senhora das Dores, na antiga sede do Cine Familiar, foi o local escolhido para o evento, por preservar, em seu espaço, uma atmosfera de saudade, permeada nas mais caras recordações.
O autor, Marcelo Gurgel e sua obra, serão apresentados por Epifânio Menezes de Oliveira, médico veterinário e professor universitário, ilustre membro da Guarda de Honra paroquiana, à época do Frei Lauro, um indicativo da ratificação da afeição familiar ao bairro que abrigou tantas pessoas dignas e honestas.
Os exemplares não estarão à venda, porém, de bom alvitre, acolhe-se a doação de cestas básicas e produtos de cama e mesa, para distribuição aos carentes, assistidos pelas Pastorais da criança e do Idoso, que executam, no Bairro de Otávio Bonfim, um trabalho social da maior importância.
Família Gurgel Carlos da Silva


SOBRE O LIVRO
A leitura deste livro se faz tanto mais interessante, quanto mais vai sendo aprofundada, aguçando a curiosidade do leitor pelo desdobramento de onze vidas que experimentaram o lado ruim da história, com as dificuldades naturais de uma prole alentada, mas que souberam o que era o "lado bom da coisa", na medida em que tiraram proveito de tudo o que estava ao seu alcance - educação, principalmente, para atingir um patamar grandioso de realização pessoal e profissional.
"Refazendo o caminho" significa, pois, uma volta às origens - o passado, mas já com o delineamento do roteiro da caminhada, cumprido no presente, pondo em destaque até os frutos vingados na nova geração, todos trazendo estampada no peito a marca que caracteriza o grupo familiar: "caminhar em direção ao sonho, mas sem tirar os pés do chão".
Elsie Studart
Paroquiana de Nossa Senhora das Dores

Um poema matemático

Observem este poema do colombiano R. Nieto:
"Soy π lema y razón ingeniosa
de nombre sabio que serie preciosa
valorando enunció magistral.
Por su ley singular bien medido
el grande orbe por fin reducido
fue al sistema ordinario usual"
É dedicado ao número π, isto a gente logo vê. O mais curioso, porém, nestes versos é que os números de letras de suas palavras coincidem com os 32 primeiros algarismo do π (3,1415926535897932384626433832795).


Confiram: primeira palavra, 3 letras; segunda palavra, 1 letra; terceira palavra, quatro letras; assim por diante.

11 março, 2012

Amianto: a polêmica do óbvio

Nas últimas semanas, o tema Amianto voltou a ganhar espaço na mídia nacional e internacional. No Brasil, em consequência à interpelação judicial, promovida pelo Instituto Brasileiro do Crisotila, contra o Dr. Hermano de Castro Albuquerque, pesquisador do Centro de Estudos do Trabalho e Ecologia Humana, FIOCRUZ, relacionada a achados de pesquisa sobre o mesotelioma, publicado em um periódico científico, e por suas declarações na mídia sobre riscos para a saúde associados à exposição ao amianto.
Essa repercussão foi potencializada pelo julgamento criminal ocorrido em Turim, Itália, condenando dois ex-proprietários de ramos do Grupo Eternit por omissão de informações sobre os problemas de saúde associados à manipulação do amianto, e quase 3 mil mortes que ocorreram entre ex-trabalhadores e habitantes do entorno de uma de suas empresas em Casale Monferrato.
Há duas décadas, profissionais brasileiros de renome na área do trabalho, médica e ambiental vem, de público, advertindo sobre as desastrosas consequências da manutenção da utilização do amianto no Brasil. Infelizmente, o Estado Brasileiro se esquivou, repetidamente, do problema, não respeitando o valor constitucional de proteger seus cidadãos. Nos últimos anos, perderam-se diversas oportunidades de proibir seu uso no território nacional. Perdeu-se também, a oportunidade de evitar que o risco continue a se estender a populações de outros países importadores do asbesto brasileiro (praticamente, todos com condições sanitárias tão ruins ou piores que a nossa).
[...]
Este documento foi subscrito por 12 instituições/organizações e 41 profissionais. Siga lendo-o em Acta Pulmonale.

Quando você for comprar uma cabeça

Para o caso de você nunca ter comprado uma cabeça, deixe-me fazer uma recomendação.
Um destes novos e inovadores modelos forenses que podem ajudar a treinar investigadores policiais, peritos que analisam e reconstituem cenas de crimes e advogados que fazem apresentações em tribunais de júri.
As cabeças são feitas com gesso de alta resistência. No interior delas, existe uma concha onde se pode colocar sangue de porco. E, como há refil para as conchas, pode-se fazer múltiplas demonstrações com o modelo.
Estão disponíveis nas versões cabeça de bala e cabeça de porrete.

O recado do polvo

Um polvo se arrastou para fora do mar e depositou a carcaça de um caranguejo na frente de um grupo de pessoas estupefatas.
Seria um gesto de amizade do polvo?
Não, não e não. Ele fez como um gato que traz um rato capturado e morto até você.


Entenda a mensagem dele (deles):
"VOCÊ É O PRÓXIMO."
Em tempo
O polvo só não perseguiu e matou o cinegrafista por causa do oxigênio (que era muito por ali).

10 março, 2012

Decifrado o código genético do gorila

Pesquisadores na Universidade de Cambridge, em um trabalho que envolveu mais de 70 cientistas de 20 laboratórios de 7 países, conseguiram decifrar o código genético do gorila, o último dos grandes macacos que ainda faltava ser sequenciado. Os resultados podem fornecer a chave sobre a condição humana.
Segundo o professor Richard Durbin, diretor de pesquisa:
"Gostaria de pensar que, nos próximos 20 ou 30 anos, teremos uma compreensão mais profunda do que aconteceu geneticamente na história evolutiva e de como os genes estruturaram o cérebro e outras propriedades que fazem de nós seres humanos modernos."
Para começar, o estudo indica que os chimpanzés, que compartilham com 99 por cento de nosso DNA, são nossos parentes vivos mais próximos. Em segundo lugar, os gorilas que compartilham 98 por cento. E os orangotangos estão em terceiro, com 97 por cento.
A comparação dos genomas sugere uma espécie humana separada da dos orangotangos há 14 milhões de anos; da dos gorilas há 10 milhões de anos e da dos chimpanzés, os mais próximos, há 6 milhões de anos.
A partir daqui, a grande pergunta que tentaremos responder é: o momento em que os genes, pela primeira vez, fizeram surgir o que agora é o homem com o pensamento abstrato. Uma questão que o estudo não se atreve ainda a fornecer pistas.

Fontes: ALT1040 e Nature

A receita de uma riqueza

Um jovem empresário perguntou certa vez a um homem idoso como ele conseguira ficar tão rico.
O velho recostou-se na cadeira, pensou por um momento e falou:
"Muito tempo atrás, na Grande Depressão, quando eu era apenas um garoto, eu encontrei uma moeda. Com ela, fui ao mercado e comprei uma maçã. Dei um polimento nela e vendi-a. No dia seguinte, com o dinheiro da venda, eu comprei duas maçãs. Repeti o que tinha feito na véspera e pude comprar quatro maçãs... Então, meu tio morreu, e eu herdei um milhão de dólares."

09 março, 2012

Espetáculos da Natureza

Eis uma relação dos dez fenômenos naturais "que toda pessoa deveria conhecer antes de morrer". As descrições e as explicações sobre as causas desses fenômenos você poderá encontrá-las no blog Kid Bentinho (onde fui buscar a lista abaixo).

(Foto: The Canadian Press / Bill Braden / AP Photo) 
10 – Nuvem rolo
9 – Pilares de luz
8 – Gêiseres
7 – Noctiluca scintillans
6 – Turbilhões
5 – Tromba d’água
4 – Lagos de lava
3 – Eclipse solar
2 – Relâmpagos de Catatumbo
1 – Auroras (imagem)

Tempestade solar que atingiu a Terra cria aurora boreal no Canadá
A maior tempestade solar em cinco anos a atingir a Terra pode ter causado preocupação, mas também provocou cenários espetaculares pelo mundo. A enorme onda de radiação na atmosfera criou um brilhante show da aurora boreal perto de Yellowknife, no Canadá, ontem (dia 8).
- Não, não foi nenhuma jogada de marketing da aurora boreal.

Medo, medo, medo...

... de algumas coisas que podem acontecer à minha mulher. Ela enviuvar, por exemplo.
Um instinto de sobrevivência hipertrofiado, é só isso o que eu tenho.
Como fazem os jornais e as revistas, poderei prosseguir numa versão digital?
Recomendo distribuir a bordo dos aviões:
terços para os que creem em Deus e paraquedas para os ateus.

Frases para enfrentar o medo - ou não
Pernas para que vos quero.
Deus é grande mas o mato é maior.
O medo é tão saudável para o espírito como o banho para o corpo. Máximo Gorki
Eu não tenho medo de altura. Tenho medo de cair das alturas. George Carlin
Não há cemitério de covardes.
O medo é um tipo de frio difícil de desgrudar-se dos ossos. Dom Camilo
Para os mortos... sepultura. Para os vivos... escapula!
Quien tiene culo tiene miedo.

08 março, 2012

A Tanatologia é de morte

A reação psíquica determinada pelo enfrentamento da morte foi descrita por Elisabeth Kübler-Ross como tendo cinco estágios:
  • Primeiro: negação
  • Segundo: raiva
  • Terceiro: barganha
  • Quarto: depressão
  • Quinto: aceitação
Esta sequência é muito aplicada em Tanatologia, o campo da medicina voltado para o estudo da morte e dos problemas a ela vinculados.
Alguém teve a ideia de mostrar isso num desenho de animação em que uma girafa se vê aprisionada em areia movediça. Acompanhem-na em seu sofrimento de cinco estágios.

O saber feminino

“Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida removendo pedras e plantando flores.” Cora Coralina
“Aprendi com as primaveras a me deixar cortar e voltar inteira.” Cecília Meireles
“Amor é como mercúrio na mão. Deixe a mão aberta e ele permanecerá; agarre-o firme e ele escapará.” Dorothy Parker
“Você não pode escolher como e quando vai morrer. Você só pode decidir como vai viver para que não tenha sido em vão.” Joan Baez
“Quando nada é certo, tudo é possível.” Margareth Drabble
“Ri alegremente e o mundo rirá contigo; chora e chorarás sozinho. Esta velha e boa Terra precisa pedir emprestada qualquer alegria, porquanto já tem aborrecimentos de sobra.” Ella Wilcox
“O fanático é alguém com os dois pés plantados firmemente nas nuvens.” Eleanor Roosevelt
“Quando uma porta da felicidade se fecha, outra se abre. Muitas vezes ficamos tanto tempo olhando para a porta fechada que não vemos a que se abriu.” Helen Keller, cega, surda e muda desde bebê.

 (enviado por Nilo Mendonça)

Francisca Clotilde
Neste Dia Internacional da Mulher, lembrar Francisca Clotilde, notável escritora cearense é uma grande homenagem às mulheres.
Nossa conterrânea, Francisca Clotilde que, neste ano de 2012, em outubro, comemora os 150 anos de seu nascimento em Tauá, interior do Ceará, foi uma figura ímpar no cenário cultural cearense.
Do interior onde nasceu, à capital do Estado, onde estudou e tornou-se conhecida e admirada por seu talento literário, Francisca Clotilde foi uma pioneira, numa sociedade onde as mulheres tinham que conquistar seu espaço com muita luta.
Além de fundar uma revista, a Estrella, onde eram recorrentes os artigos em que se referiam à “grosseria com que os homens tratavam as mulheres...", publicou o romance "A Divorciada", primeiro livro brasileiro a falar de um tema, o divórcio, ainda tabu na sociedade da época.
Dizem que o livro era autobiográfico, pois Francisca Clotilde era divorciada, por não suportar os problemas que enfrentava com o marido.
A grande ironia: no sertão cearense a escritora não sofria “o estigma da mulher separada, em uma sociedade machista da época, na qual uma mulher separada do marido era considerada uma mulher sem respeito, quase uma prostituta; e a infelicidade de se perceber solitária e com filhos para criar, sem ajuda de alguém.” Era na culta Fortaleza, capital do Estado, que Francisca Clotilde sofria os piores preconceitos.
Alguma diferença significativa na sociedade brasileira de hoje?

(texto-resumo de Fernando Gurgel, extraído de http://www.recantodasletras.com.br/biografias/1789435)

07 março, 2012

Pela blogosfera - 45

Nas últimas semanas, deram repercussão a postagens de EntreMentes os seguintes blogs:
Blog do Guara, do administrador Guaraci Celso
Fatos Etc., do jornalista Edu Maretti
ContextoLivre, do publicitário José Carlos
Blog do Bentinho

Aula de tatuagem - 2

Esta é, provavelmente, a última tatuagem da aprendiz...
Bits and Pieces
...e seu último dia na Terra.

Fazer pipi é divertido

Mas é preciso educar a criança para não ter que prender o adulto.

06 março, 2012

Uma energia gerada nas alturas

Paulo,
Uma grande ideia para o Ceará, a terra da luz e dos ventos.
O mesmo vento que levanta as saias femininas (e por via de consequência carrega as pilhas masculinas) pode também levantar as pipas e carregar as baterias. Sabe-se que os ventos são mais constantes e poderosos numa altura em que seria impraticável captá-los com torres e rotores convencionais. Pois uma empresa californiana, inspirada nas prosaicas pipas, achou uma nova maneira de aproveitá-los. Colocando turbinas em pipas especiais e, pelo próprio cabo que as prende, mandando para baixo a energia gerada nas alturas.
Como sou pretencioso, sugiro que o inventor acrescente na pipa uma antena de celular para que possa me creditar uma modesta quantia mensal e vitalícia pela divulgação da ideia.
Nelson Cunha
- A ser repartida fifty to fitty com o editor do blogue, não é Nelson?

Postagens eólicas: O vento pontual, A origem dos ventos, A Praça e o Vento e A Ciência e a Tecnologia

Espetinho de coração

... o prato favorito de Cupido.
(de autor ignorado)

05 março, 2012

Cigano

[...]
"Pois não é que esta semana o Brasil inteligente ficou sabendo, estarrecido, que um procurador da República em Minas Gerais quer obrigar o Instituto Antônio Houaiss (V. comunicado) a retirar de circulação todas as edições do dicionário Houaiss, que contêm, segundo a excelentíssima sumidade, "expressões pejorativas e preconceituosas relativas aos ciganos"? Confesso que há muito eu não ouvia tamanho disparate, e fiquei tão chocado com a notícia que, a princípio — imaginando que fosse mais um desses boatos propagados pelas ondas do mar da internet —, pus minha mão no fogo pelo procurador: "Um membro do Ministério Público não vai cometer o erro primário de confundir o texto de um dicionário com o de uma enciclopédia", sentenciei — mas, ai de mim, logo me convenci de que teria feito melhor se tivesse deixado a mão no bolso: era tudo verdade!
Ocorre que este dicionário — de longe, o melhor que já tivemos em língua portuguesa — não faz mais do que a obrigação ao registrar que o termo cigano tem oito acepções, entre elas duas que Houaiss expressamente rotula como "pejorativas": "aquele que trapaceia; velhaco, burlador" e "aquele que faz barganha, que é apegado ao dinheiro; agiota, sovina". Afinal, este é, como vimos, o compromisso tácito que todo lexicógrafo que se preze assume conosco: apresentar o repertório de significados atribuídos a cada palavra e indicar as particularidades de seu uso ("informal", "antiquado", "chulo", "regional", etc.). Nosso douto procurador deveria ter percebido que as informações apresentadas pelo Houaiss — que, desculpem lembrar a obviedade, não é uma enciclopédia — se referem ao termo, e não ao povo cigano. No dia em que registrar os valores depreciativos que certos vocábulos assumiram ao longo do tempo for considerado um crime, nossa língua — ou melhor, nossa civilização terá embarcado numa viagem sem volta para a noite escura da desmemória."
por Claudio Moreno, Sua Língua

Numa barragem

Esta é a Barragem de Cingino na Itália. E... que são estes pontos escuros que você vê na barragem?


Resposta: Capra ibex. Confira.

Comentário
Depois falam que a engenharia é incompatível com a natureza! Uma beleza de foto.
Mais tijolo para o seu comentário, Rogério!
http://blogdopg.blogspot.com/2009/07/as-torres-de-cabras.html#links

A cabana de Bernard Shaw

Nesta foto vemos George Bernard Shaw quando o escritor completava os 90 anos de idade.
O mais curioso da foto é, precisamente, a cabana que o escritor usava para trabalhar. Localizada em seu quintal, o habitáculo dispunha de eletricidade, calefação e telefone, e podia também ser girado para mudar de posição com relação ao sol.
Quase era uma casinha de árvore. Faltava a árvore, mas o espírito é o mesmo.

Foto: Ralph Morse/Time and Life Pictures/Getty Images. Jul 01, 1946

Tecnoculto

Shaw x Churchill: 1 e 2.

04 março, 2012

A teoria do vizinho

Tempos atrás, eu era vizinho de um médico, cujo hobby era plantar árvores no enorme quintal de sua casa. Às vezes, observava da minha janela o seu esforço para plantar árvores e mais árvores, todos os dias. O que mais chamava a atenção, entretanto, era o fato de que ele jamais regava as mudas que plantava. Passei a notar, depois de algum tempo, que suas árvores estavam demorando muito para crescer. Certo dia, resolvi então aproximar-me do médico e perguntei se ele não tinha receio de que as árvores não crescessem, pois percebia que ele nunca as regava. Foi quando, com um ar orgulhoso, ele me descreveu sua fantástica teoria.
Disse-me que, se regasse suas plantas, as raízes se acomodariam na superfície e ficariam sempre esperando pela água mais fácil, vinda de cima. Como ele não as regava, as árvores demorariam mais para crescer, mas suas raízes tenderiam a migrar para o fundo, em busca da água e das várias fontes nutrientes encontradas nas camadas mais inferiores do solo.
Essa foi a única conversa que tive com aquele meu vizinho.
Logo depois, fui morar em outro país, e nunca mais o encontrei.
Vários anos depois, ao retornar do exterior fui dar uma olhada na minha antiga residência. Ao aproximar-me, notei um bosque que não havia antes. Meu antigo vizinho havia realizado seu sonho!
O curioso é que aquele era um dia de um vento muito forte e gelado, em que as árvores da rua estavam arqueadas, como se não estivessem resistindo ao rigor do inverno.
Entretanto, ao aproximar-me do quintal do médico, notei como estavam sólidas as suas árvores, praticamente não se moviam, resistindo implacavelmente àquela ventania toda. Efeito curioso, pensei eu...As adversidades pela qual aquelas árvores tinham passado, tendo sido privadas de água, pareciam tê-las beneficiado de um modo que o conforto do tratamento mais fácil jamais conseguiria.
[...]
Extraído de Blandinne/PENSADOR.INFO

Silêncio, Biblioteca


Este produto (acima) desenvolvido por cientistas japoneses não pertence ao mundo da fantasia. É uma arma que afeta a capacidade de falar das pessoas. Funciona a até 30 metros de distância.
O dispositivo inventado produz um áudio com um atraso de 0,2 segundos que dificulta a capacidade humana de gerar palavras e frases corretamente. A técnica que ele emprega, chamada de realimentação auditiva atrasada, não apresenta impacto físico que cause danos, além da frustração gerada pela incapacidade de se comunicar.
Não neutraliza gritos. Mas se prevê o emprego dessa ferramenta nos locais em que as pessoas devam permanecer em silêncio. Como nas bibliotecas.
SpeechJammer: A System Utilizing Artificial Speech Disturbance with Delayed Auditory Feedback