07 dezembro, 2014

Homenagem a Tom Jobim

"Todas as vezes que o Tom abriu o piano, o mundo melhorou."
Conta-se que, certa vez, Frank Sinatra interrompeu um show em Nova York para anunciar que na platéia estava o maior compositor do mundo: Antonio Carlos Jobim.
Nesta segunda-feira, dia 8 de dezembro, faz 20 anos que perdemos o Maestro Soberano.
Quanto mais o tempo passa, mais se valoriza a obra musical de Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, o compositor mais influente da música brasileira no século 20. Tom, na conceituada opinião do jornalista Nelson Motta, levou a bossa nova à consagração internacional.
Neste diário eletrônico: 8 anos COM Tom Jobim
Lua cris 2006
Uma homenagem ao Maestro Soberano 2007
A criação segundo Tom Jobim 2007
Não saia do Tom 2007
A harpa de Mariano Gonzalez 2008
♪Você vai ver♪ 2008
A peleja do Poeta Carioca com o Maestro Soberano 2010
Rio [a tragédia] de Janeiro 2011
♪Choro bandido♪ 2011
And so on 2011
Billy Blanco (1924-2011) 2011
♪Girl From Ipanema♪ 2012
♪Chega de Saudade (No More Blues)♪ 2013
Tom Jobim e as idiossincrasias do Brasil 2014
Ary reclama: E o Tom?
Como homem de rádio, Ary Barroso foi apresentador de vários programas de sucesso. No mais lendário deles, "Calouros em Desfile", aterrorizava os candidatos ao estrelato, mas era uma garantia de sucesso para quem realmente tivesse café no bule. Elza Soares, pobre "de marré", foi se apresentar lá. Magérrima, desgrenhada, com um vestido emprestado muito maior que ela, provocou o comentário imediato de Ary: – Mas... de que planeta você veio? E ela, na bucha: – Planeta Fome, seu Ary. Cantou e arrasou. Já outro candidato disse que ia interpretar "um sambinha"... do dono do programa ("Aquarela do Brasil"). Quase foi trucidado. Um terceiro estava prestes a interpretar uma página de Tom e Vinícius. O poeta e diplomata era então muito mais famoso que o jovem compositor, e o candidato lascou: – "Se Todos Fossem Iguais a Você", de Vinícius de Moraes. Ary, velho batalhador pela causa do direito autoral, reclamou já furioso: – Mas... como Vinícius?! E o Tom? – Mi maior, seu Ary.

3 comentários:

Clara Sol disse...

Bom dia amigo Paulo.
E é verdade amigo, e como alguém não se deixaria se encantar pelo dom deste grande compositor de voz fascinante que era o nosso grande brasileiro Tom Jobim.
E u amo todas as músicas por que realmente as letras são sempre poemas e quase sempre falando do amor e você estar prestando um digno tributo qual eu amei ler.
Deixando meu abraço.
Clarasol.

Paulo Gurgel disse...

Grato pelo comentário.
Um artigo imperdível, recomendo-lhe:
Tom perfeito
http://alias.estadao.com.br/noticias/geral,tom-perfeito,1602932

Paulo Gurgel disse...

Agradeço este comentário de Laura Macedo:
Paulo, grata pela participação. Muito bom seus links para vários posts/histórias interessantes com Tom Jobim.
Abraços.
In: http://jornalggn.com.br/blog/laura-macedo/20-anos-sem-tom-jobim-por-laura-macedo