07 março, 2009

O carteiro e o poeta

Sinopse do filme - Por razões políticas o poeta Pablo Neruda se exila em uma ilha na Itália. Lá, um desempregado quase analfabeto é contratado como "carteiro" extra, encarregado de cuidar da correspondência do poeta. Gradativamente se forma uma sólida amizade entre os dois. O carteiro Mario, aos poucos, aprende a escrever seus sentimentos por Beatrice, e Neruda ganha, em troca, um ouvinte compreensivo para suas lembranças saudosas do Chile (Wikipédia).


O carteiro e o poeta desta nota do blog são outros. O primeiro, talvez pela lambança que fez na correspondência do segundo, não se deu a conhecer ao poeta. Perdendo ensinamentos que poderiam transformá-lo, não ouso dizer num estafeta de alto nível, mas num alentado cultuador das musas. Quanto ao poeta, este tem nome e endereço conhecidos. É o meu colega Nelson José Cunha, médico oftalmologista que mora em João Monlevade, nas Gerais. 
Prosando como um poeta, Nelson é um destes. É pouco? Nelson agora lançou a idéia de que deveríamos homenagear os poetas colocando seus versos nos envelopes das cartas. E, para mostrar que não brinca em serviço, me fez destinatário destes versos do Padre Antonio Tomás:
"Ao sopro do terral abrindo a vela,
Na esteira azul das águas arrastada,
Segue veloz a intrépida jangada
Entre os uivos do mar que se encapela."
Morando eu na avenida que tem o nome do padre poeta, nada mais apropriado. Embora Nelson ao pôr a tal estrofe no sobrescrito da carta tivesse um certo tipo de receio: "Espero que o carteiro entenda o sentido da homenagem e não jogue a carta no mar."
Pois bem, o carteiro não fez a temida afronta: apenas devolveu a carta à origem. Foi preciso que Nelson a me reenviasse para que eu não perdesse o que a acompanhava: um CD de João Gilberto (voz, violão e conversas paralelas) oriundo de registros feitos na casa de Chico Pereira em 1958 - em gravador de fita! Contendo "Um abraço no Bonfá", "Ho-ba-la-lá","Saudade fez um samba", "Caminhos cruzados", "Mágoa", "Trevo de quatro folhas", "Lá vem a baiana" e mais, muito mais.
Além disso, para que eu, com a missiva enfim lida, pudesse tomar conhecimento de que o colega Nelson: 1) tem um sax onde "sopra algum" e 2) lamenta não poder (pelo fator distância) fazer um dueto comigo.

- Ora, Nelson, seria muito sax para meu pobre violão!

2 comentários:

winstongraca disse...

Grande Paulo!
Vc percebeu a importância do filme "O carteiro e o poeta" para os poetas? Uma pequena parte da vida de Neruda se tornou uma fonte de inspiração para poetas, atores e cineastas. By the way, 2 pedidos: 1.mande-me seu email, gostaria de tê-lo como correspondente. 2. meu blog tem novidades, visite-0 e "post some comments", (please...) Grande abraço, Winston.

Paulo Gurgel disse...

Amigo Winston, olá.
Não há uma letra que você ponha em "Saco de gato" que eu logo não tome conhecimento dela. Sigo-o, em cada postagem que você insere no blog (imperdível!), através do FiendConnect do Google.
O meu e-mail é pgcs@ig.com.br.
Um grande abraço.
Paulo