25 setembro, 2022

De túmulo a cúmulo do samba

Caetano Veloso compôs a canção "Sampa" em 1978, durante as comemorações do aniversário da cidade de São Paulo. Nestes 44 anos de existência, a composição ganhou o coração dos paulistanos. Ainda hoje, não só estes usam a designação carinhosa para se referir à cidade que os Novos Baianos passeiam em sua garoa.



Eu vejo surgir teus poetas de campos, espaços / Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva / Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba / Mais possível novo quilombo de Zumbi.

Relendo a entrevista que Antônio Maria fez com Vinicius de Moraes para a revista "Senhor", entende-se que, ao lançar sua famosa blague, o Poetinha não estava chamando São Paulo de "túmulo do samba". 
Maria: Em que regime político você gostaria de viver: na democracia ou no socialismo?
Vinicius: No socialismo. Mas, com samba. Essa seria a mais linda solução para o Brasil. A reforma agrária tem de vir, mas é preciso que Ciro Monteiro, João Gilberto, AC Jobim e você venham juntos.
Vinicius estava a defender a ideia de um socialismo - com samba!
A cidade de Adoniran Barbosa, Paulo Vanzolini, Carlinhos Vergueiro, Germano Mathias, Demônios da Garoa e do segundo maior carnaval de escolas de samba no Brasil estaria mais para "cúmulo do samba", não é mesmo?

http://twitter.com/rbressane/status/1479863667629899782
http://www.carlinhosvergueiro.com.br/
http://catracalivre.com.br/arquivo/conheca-6-simbolos-do-samba-paulistano/

Nenhum comentário: