08 novembro, 2014

Carl Sagan, o rosto da própria ciência


Ele levou uma existência febril, com múltiplas ocupações, como se soubesse que não iria viver até uma idade avançada.
Entre outras atividades, ele foi professor de astronomia na Universidade de Cornell, escreveu mais de uma dúzia de livros, trabalhou com missões robóticas da NASA, editou a revista científica "Icarus" e, de alguma forma, encontrou tempo para estar, repetida e compulsivamente, na frente das câmeras de televisão.
Em uma explosão incrível de energia, nos meados de seus 40 anos, ele criou e organizou "Cosmos". O seriado de televisão em treze partes, que foi ao ar no outono de 1980, o qual foi assistido por centenas de milhões de pessoas no mundo.
Carl Sagan (09/11/1934 – 20/12/1996) foi o cientista mais famoso dos Estados Unidos – o rosto da própria ciência.

A Sinfonia da Ciência, A poeira das estrelasO pálido ponto azul, O fato mais surprendente e O sorriso do bebê

Um comentário:

Clara Sol disse...

Amigo Paulo.
Carl Sagan é uma das poucas pessoas pelo qual tenho respeito, admiração e até certa reverência. Outro legado do Carl Sagan é o pensamento critico. Não existe coisa melhor do que pensamento critico para libertar a mente de uma pessoa.
Existem pessoas e existe Carl Sagan este cara era o cara.
Abraços sempre.
ClaraSol