21 março, 2010

Dó, Ré, Mi...

Sancte Iohannes
UT queant laxis
REsonare fibris
MIra gestorum
FAmuli tuorum
SOLve polluti
LAbii reatum

Sancte Iohannes, o hino de São João Batista (do século VIII), já foi utilizado como um método de ensino musical, entoando-se cada verso uma nota acima da do verso anterior. Com a modificação de ut para do, surgiram os nomes pelos quais, até hoje, são designadas as notas musicais. Esclareça-se ainda que, na música medieval, raramente se usava a nota si, cuja designação não provém dos versos, mas das iniciais do nome do hino.
Duas outras canções, presentes no imaginário infantil das últimas gerações, também se utilizam de recursos mnemônicos para ensinar a escala musical.

Dó-Ré-Mi
Da trilha sonora de "A Noviça Rebelde", um musical de grande sucesso na Broadway, em 1959 e anos seguintes, e que depois foi transformado num filme (The Sound of Music), estrelado por Julie Andrews em 1965.



DÓ - domingo, um lindo dia
RÉ - reluz, é ouro em pó
MI - é assim que chamam a mim
FÁ - é fácil decorar
SOL - o grande amigo sol
LÁ - é bem longe daqui
SI - indica condição
Depois disso vem o DÓ.
(a letra numa das versões brasileiras)

Minha canção
Uma letra colocada por Chico Buarque, em 1977, em uma das músicas da peça teatral "Os Saltimbancos", de Sergio Bardotti, e que depois fez parte da trilha sonora de "Os Saltimbancos Trapalhões".


DOrme a cidade
REsta um coração
MIsterioso
FAz uma ilusão
SOLetra um verso
LAvra a melodia
SIngelamente
DOlorosamente
DOce é a música
SIlenciosa
LArga o meu peito
SOLta-se no espaço
FAz-se certeza
MInha cançao
 RÉstia de luz onde
 DOrme o meu irmão.

Nenhum comentário: