25 maio, 2014

Projeto Andar de Novo

por Conceição Lemes
Maior gestor de ciência do planeta bate palmas para paraplégico andando com “roupa robótica”: “Maravilhoso!”
No meio científico, todo mundo conhece o médico e geneticista Francis S. Collins.
Pudera. Foi quem coordenou o Projeto Genoma Humano.
Desde 2009, é o diretor do maior agente financiador de pesquisa biomédica do mundo: o National Institutes of Health (NIH), dos EUA.
Ele tem nas mãos um orçamento de US$ 38 bilhões. É o maior gestor de ciência biomédica do planeta.
Pois Francis Collins está em visita oficial ao Brasil e quis conhecer os laboratórios do projeto Andar de Novo, montados na AACD – Associação de Assistência à Criança com Deficiência, em São Paulo.
O projeto é liderado pelo neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, pesquisador e professor da Universidade Duke, nos EUA, e coordenador do Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra (IINN-ELS), no Brasil. Dele participam 156 pesquisadores de 25 países.


Em 12 de junho, na abertura da Copa do Mundo, no Arena Corinthians (Itaquerão), o mundo assistirá ao vivo uma demonstração do projeto e um salto da ciência: um jovem paraplégico, “vestindo” uma “roupa robótica” (exoesqueleto), dará o chute inaugural na cerimônia.

Ler tudo em VIOMUNDO

Entrevista com Miguel Nicolelis



As vitórias pouco divulgadas do Brasil
por Luis Nassif
O pessimismo geral do país é um caso clássico de esquizofrenia, alimentado por uma mídia do eixo Rio-São Paulo que perdeu a noção da notícia.
Durante dois anos, martelaram diariamente atrasos em obras da Copa, realçaram detalhes de obras inacabadas, uma campanha diuturna sobre a suposta incapacidade do país em se preparar para a Copa – como se depreciando a engenharia brasileira, os grupos privados envolvidos com as obras, os governos estaduais corresponsáveis pelo processo, a criação do clima de derrotismo se abatesse exclusivamente sobre o governo Dilma Rousseff.
À medida que a Copa se aproxima, que os tapumes das obras são retirados, os usuários descobrem aeroportos de primeiro mundo, arenas esportivas de qualidade invejável, novas estatísticas mostrando o potencial financeiro do jogos.
A FOLHA "BAIXA A BOLA DOS GASTOS ABSURDOS COM A COPA DO MUNDO" (*)
E os jornais passam a se dar conta que a Copa será a maior vitrine do país em toda sua história, com os 14 mil correspondentes, os recordes de visitantes e da audiência esperada para o televisionamento dos jogos.
Por esse sentimento permanente de baixa autoestima, provavelmente não se dará o devido valor a um feito extraordinariamente superior ao de abrigar a maior Copa do mundo da história (na opinião da Fifa): o atingimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, comprovando que o Brasil entrou em um novo estágio civilizatório.
(*) reportagem indicada por Afrânio Bizarria

7 comentários:

Nelson Cunha disse...

Nassif não deve ter usado o aeroporto de Confins - está cheio de tapumes por lá, uma zona! E faltam três semanas para a Copa. A inauguração do novo terminal ficará para depois da copa. Não foi a imprensa que divulgou, foram estes dois olhos míopes (corrigidos) que viram.
O sistema de ônibus rápido de BH, o BRT, está funcionando precariamente.


O papel da imprensa é este mesmo, apontar falhas. Para enaltecer o governo já temos os blogs financiados por estatais como o do próprio Nassif.

SOBRAMES-CE disse...

Claro que muita coisa não saiu como deveria, mas nem por isso devemos desvalorizar tudo. A copa é importante, sim, para o Brasil e não devemos renegá-la. Não tenho dúvida que o futuro mostrará isto.
Ana Margarida

Nelson Cunha disse...

Ana,
Não renego a Copa, defendo que a imprensa possa apontar os pecadilhos do Governo, aí incluídas todas as esferas. Há, sem dúvida, ações protelatórias do Ministério Público que interrompem licitações e obras.
O executivo começou mal ao distribuir jogos em todo o Brasil. Isto implicou em pulverização de obras.Ainda assim teve seis anos para trabalhar.
Uma Copa pode servir como um cartão de apresentação do país, mas pode ser um tiro pela culatra.
Apresentar um país em obras, convenhamos, é mostrar a falência da nossa capacidade gerencial.

Estes "movimentos sociais" que no passado foram usados pelo PT contra o governo, estão se aproveitando da timidez das autoridades para usar a Copa em seu benefício.
Há um ditado espanhol que diz:

"Cria cuervos y te sacaran los ojos "

Apesar disto, tenho absoluta confiança de que esta Copa, do ponto de vista de público e entusiasmo, será um enorme sucesso.

Paulo Gurgel disse...

Os tapumes do novo terminal de Fortaleza já foram retirados. Aí, nos confins do mundo, pode ser o caso de um governo estadual jogando... de corpo mole.
O Arena Castelão ficou pronto há um ano, e por um custo abaixo do orçado.
Já foi palco de shows de Paul McCartney, Elton Johnson, Beyoncé e RC, além de muitas partidas de futebol.
E os entornos do estádio e estacionamentos também estão prontos. Só não o VLT, que fica para o ano que vem.
Quanto ao Portal do Nassif, recebe legítima e legalmente verbas publicitárias de empresas privadas e públicas. Nassif (um grande mineiro como você) produz textos e vídeos, faz moderações, conferências, paga o provedor do site, web designers, honorários de advogados etc.
Não é justo que apenas as seis famílias que detêm o oligopólio da comunicação no Brasil fiquem com toda a publicidade das estatais.

SOBRAMES-CE disse...

Nelson, quando falei que não devemos renegar a copa estava falando de maneira geral, pois tenho visto isto no FACE. Não estava me referido a você.
Acho que a campanha que estão fazendo nas mídias sociais para as pessoas não participarem da copa e se vestirem de preto só vai punir o povo. Os corruptos devem pagar na justiça e o povo tem as urnas para punir os políticos que merecem. Att
Ana Margarida

Nelson Cunha disse...

Poder
TAMANHO DA LETRA COMUNICAR ERROS IMPRIMIR LINK COMPARTILHAR
TEXTO ANTERIORPRÓXIMO TEXTO
A COPA COMO ELA É

A dez dias do início da Copa, aeroportos estão inacabados
Obras de Confins, Manaus e Recife terminam após o Mundial, afirma Infraero

Terminais têm poeira, barulho e tapumes; estatal diz que trabalhos vão parar no evento para evitar desconforto

PAULO PEIXOTO
DE BELO HORIZONTE
LUCAS REIS
DE MANAUS
Barulho, poeira, vaivém de operários, tapumes e mais tapumes. Esse foi o cenário encontrado pela Folha nesta segunda-feira (2), a dez dias do início da Copa, em visita aos aeroportos das cidades-sede.

Os casos mais emblemáticos estão em Confins (MG) e em Manaus.

A Infraero reconhece que algumas das obras nesses dois aeroportos, e no do Recife, só ficarão prontas depois do Mundial. Durante a Copa, os trabalhos serão interrompidos para atenuar o desconforto aos passageiros.

"Ninguém acredita que vai dar tempo [de ficar pronto para a Copa]", diz o motorista de van Waldrin Venâncio, 27, que diariamente busca e leva passageiros a Confins.

A chegada ao aeroporto é, por si só, uma aventura.

Do estacionamento coberto ao terminal, o passageiro anda por calçadas empoeiradas e cercadas de obras. O trajeto, descoberto, vira um lamaçal em dias de chuvas.

No terminal, os passageiros convivem com barulho, poeira, andaimes, cheiro de cola, madeira e ferro no chão.

A praça de alimentação também não foi concluída.

"Nem o David Copperfield nem o Mr. M resolvem isso a tempo. Só Deus", diz Francisco Araújo, 52, técnico de refrigeração que trabalha na reforma de uma lanchonete.

A situação é parecida com a de Manaus, onde o aeroporto local, ampliado, segue em reformas de última hora. Quem chega se depara com operários, andaimes e até uma máquina no saguão.

A nova área de check-in, por exemplo, funciona de maneira improvisada, cercada por tapumes. Passageiros formam fila em meio a operários, poeira e barulho.

Do lado de fora, o cenário é pior. O aeroporto é cercado por canteiros das obras dos novos estacionamentos.

Em Porto Alegre, a obra do anexo ao terminal principal está em estágio inicial e deve ser concluída só em 2016.

Em Fortaleza, há vigas e estruturas de concreto à mostra, e tapumes não conseguem esconder a reforma inacabada (e hoje paralisada) do terminal de passageiros.

Um terminal provisório foi erguido para compensar esse atraso durante a Copa.

TAPUMES

Em Salvador, o aeroporto receberá os turistas com ao menos 200 metros de tapumes na área externa. As estruturas cercam pilastras do terminal, cujas obras de recuperação foram paralisadas.

Na praça de alimentação, placas indicam acesso livre à web --que não funciona. Motoristas clandestinos agem livremente no desembarque.

A parte interna do terminal baiano também continua em obras, assim como nos aeroportos do Recife e de Curitiba.

Na capital paranaense, há plataformas de embarque e desembarque provisórias.

Na capital pernambucana, taxistas clandestinos atuam livremente, e a passarela que liga o aeroporto à estação do metrô não está pronta.

Na parte interna, além da poeira, uma placa na entrada do elevador indica um guichê para pagamento de estacionamento que não existe.

A Infraero informou que toda a sinalização de Confins será refeita para o Mundial e que as obras da praça de alimentação estão a cargo dos concessionários. A estatal atribui o atraso em Fortaleza a problemas com o consórcio.

O governo de Pernambuco diz que concluirá a passarela até sexta (6), e a Prefeitura de Salvador afirma que há operações de combate a motoristas clandestinos ao menos uma vez por semana.

O aeroporto de Brasília está com as obras prontas --uma ala, porém, depende de homologação da Anac (agência de aviação civil).

As obras em Guarulhos foram encerradas, mas o recém-inaugurado terminal 3 opera com apenas 25% da capacidade, o que sobrecarrega as alas antigas.

Colaboraram Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Porto Alegre, São Paulo e Salvador

Paulo Gurgel disse...

Em 1999, a candidatura do Brasil não foi nem levada a sério pela FIFA.
Alguns anos depois, teríamos a nossa chance.
Para o bem ou para o mal, resta-nos aguardar.
Um jornalista pode fazer uma reportagem sobre as obras inacabadas ou mal feitas para a Copa de 2014. Ou, pode escrever uma reportagem de deslumbramento com o que já foi concluído.
Realidade das coisas?
Ora, isso é da a arte de contar mentiras, falando apenas a verdade, meu caro Nelson.

"Vai ter copa, sim. O que não vai ter é segundo turno."