28 maio, 2022

Uma noite no Beco das Garrafas

14/05/2021 - Tendo morado em 1972 na rua Prado Júnior (Ed. Corumbá), em Copacabana, é quase injustificável que eu não tenha conhecido à época o Beco das Garrafas.
Amante amantíssimo da bossa nova que eu era.
Fui algumas vezes à boate "Plaza", onde me lembro de ter sido sorteado com um relógio "roscofe", e frequentei os bailões do "Jaboatão", na avenida Princesa Isabel, no Leme. E até mesmo cheguei a aboletar-me num dos bancos do Beco da Fome para pegar um rango.
Dizem que o Beco das Garrafas ganhou esse nome por causa das garrafas atiradas por moradores de um prédio vizinho que se sentiam incomodados pelas jam sessions e/ou pelas discussões entre os frequentadores de suas boates (Little Club, Bottle's e Bacarat). Enquanto isso, a bossa nova rolava solta no apartamento da Nara Leão, sem que alguém fosse lá para avisar que já era madrugada.
Agora descubro que o Beco das Garrafas continua impávido em seu lugar de sempre na Duvivier, 37. Fiel à sua antiga missão, que é a de congregar os brasileiros aficionados em bossa e jazz.
Estava eu hospedado no Copa Sul, quando liguei para o "Bottle's Bar" (968008683 e 25432962). Atendeu-me o Sr. Alberto que, me confirmou para a noite, às 21 horas, o show de Dan Sebastian, e reservou-me uma mesa.
Elba e eu no Bottle's Bar
Um bar ao melhor estilo para um "pocket show" - com palco, sistema de som e iluminação. Com as paredes cobertas de fotos históricas que testemunham a importância da casa para a música brasileira (Elis Regina, sexteto Sérgio Mendes, Wilson Simonal, Dóris Monteiro, Tamba Trio, Bossa 3 e Jorge Ben, entre outros, apresentaram-se por lá). E com suas mesas e cadeiras que remontam ao ano de 1953, segundo acrescenta o prestativo Sr. Alberto.
Como chegamos cedo flagramos os músicos e cantor executando a passagem de som no palco. Um quarteto constituído por um tecladista, um baixista (baixo acústico), um baterista e o saxofonista Dan Sebastian, que é também cantor.
O show
O que se ouviu a seguir foi uma grande apresentação de músicos virtuosos e criativos. Dan Sebastian, um claro admirador do cool jazz do trumpetista Cheat Baker, é exímio em seu saxofone e nas vocalizações. Inclusive quando ele incursiona no repertório nacional (que ali esteve representado por canções de Billy Blanco, Carlos Lyra, Djavan e Geraldo Pereira).
Ao final de um show que durou duas horas, Dan Sebastian circulou entre as mesas para cumprimentar os clientes.
Atrás de um vistoso balcão, o Sr. Sergio de Martino comandava o movimento do "Bottle's Bar". Ele é o proprietário dessa casa desde 1972 e se prepara para abrir um segundo espaço no Beco.
Em nossa permanência no bar, consumimos: Cuba libre, taças de espumante, queijo provolone à milanesa e pasteis. E pagamos dois couverts artísticos de R$ 40,00, ficando toda a despesa muito aquém do deleite que nos foi proporcionado.
Paulo Gurgel, blog EM
Site: http://becodasgarrafas.mus.br/

5 comentários:

Nelson Cunha disse...

Sonoro e fotogŕafico relato de uma noite nesse pedacinho do Rio que guarda um pedacinho da nossa juventude. Eu morei lá nessa mesma época. Chegamos a nos encontrar na escadaria do Hospital Souza Aguiar, lembra?

Paulo Gurgel disse...

Lembro sim, Nelson.
Até entrei no Sousa Aguiar, onde você me mostrou a documentação de de um caso oftalmológico.
(Mas essa lembrança foi estimulada, Nelson.)

ana margarida arruda rosemberg disse...

Excelente crônica. Sou saudosista. Adoro recordar bons momentos. Parabéns!

Paulo Gurgel disse...

Comentários transferidos:
Aline Pessoa disse...
- Que riqueza de detalhes, muito bom o texto!!!
Everardo de Carvalho disse...
- Passei momentos memoráveis aí. Frequentasse o Cinema Um! sessão da meia-noite e depois Cervantes.
Cesar Forti disse...
- Beleza colega! Um abraço.
Auxiliadora Barroso disse...
- Que legal, Paulo!
Sonia Lobo disse...
- Excelente, Paulo!

Paulo Gurgel disse...

Comentário transferido:
Antonio José disse...
- Deve ter sido um momento extremamente prazeroso. Vou ficar assíduo na leitura de se blog. Grande abraço.