10 julho, 2011

Billy Blanco (1924-2011)

Nome artístico do compositor e cantor  William Blanco de Abrunhosa Trindade, nascido a 5 de maio de 1924, em Belém -PA, e falecido na última sexta-feira (dia 8), no Hospital Pan-Americano, na Tijuca, RJ, onde se encontrava internado por problemas cérebro-vasculares.
Iniciou sua carreira artística nos anos 1950, apresentando-se em festa e clubes com o Sexteto Billy Blanco. Gravou suas primeiras músicas nos anos 50, surpreendendo a todos por seu estilo de samba sincopado. E obteve o primeiro sucesso com "Estatutos da gafieira", cantada por Inesita Barroso, em 1954.
Criou mais de 300 canções, algumas delas com parceiros como Tom Jobim, Baden Powell, Silvio Caldas e Sebastião Tapajós. Foram seus principais intérpretes: Dick Farney, Lúcio Alves, Dolores Duran (de quem foi namorado), Elis Regina e Hebe Camargo.
Também fez trilhas musicais para o cinema, músicas para peças teatrais e novelas, e produziu jingles para campanhas publicitárias.
Billy Blanco dedicou-se à música sem abandonar a profissão de arquiteto.


Minhas preferidas de Billy Blanco:
Teresa da Praia (c/ Tom Jobim) (1)
Pistom de gafieira
A banca do distinto
Mocinho bonito
Estatutos da gafieira
Se a gente grande soubesse... (2)
Pano legal
Samba triste (c/ Baden Powell)
Aparição
Lágrima flor
Aeromoça
(1) Dick Farney e Lúcio Alves cantando em dueto criaram a "versão definitiva" para esta canção. No vídeo acima (legendado em espanhol), Lúcio é substituído pelo baterista Toninho.

(2) Um momento particularmente inesquecível foi ouvir esta canção, classificada em 4º lugar no I Festival Internacional da Canção  (TV Globo, 1966), interpretada por seu filho Billinho, então com nove anos de idade, e pelo Quarteto em Cy.

PGCS

Nenhum comentário: