21 maio, 2010

PornoTipos. Uma oftalmologia personalizada

Nelson José Cunha

Como oftalmologista, tenho convivido com clientes que se recusam a usar minha tabela de optotipos (letras ou números). Alguns porque não querem que seu analfabetismo fique a descoberto. Outros porque simulam doenças para conseguir benefícios da Previdência Social.
Diante do problema, parti para uma solução original: uma tabela de PornoTipos. Belas mulheres que se despem na medida em que vão ficando cada vez menores. Terminam desnudas, porem pequeníssimas. Só mesmo aqueles de visão aguda podem apreciar belezas que normalmente andam encobertas. Não imaginava que a idéia fosse fazer o sucesso que fez. Alguns míopes até se levantam da cadeira para examiná-las na distância de um nariz - dos pequenos. Não querem largar a ilustração nem deixar que outros pacientes lhes sucedam no exame. Outros se sentam e já pedem as TipoGirls ou Nelsetes como já estão sendo chamadas pela clientela.
– A das mulheres, doutor!
– Minha vista funciona melhor com elas.
Propõem até pagar um adicional se puderem levar a tabela consigo. Há quem pergunte se não há variações do mesmo optotipo.
Querem morenas, ruivas ou mulatas, com variedade de posições que possam estimular suas libidos frouxas. Um cliente idoso e com acuidade visual comprometida, perguntou se havia tabelas em que as mulheres começavam grandes e despidas para terminarem pequenas e recompostas.
Mulheres e gays andam incomodados comigo. Acham que é uma tremenda discriminação não lhes dar a oportunidade de verem figuras com penduricalhos masculinos apontando para os pontos cardeais. Encomendei ao fabricante uma tabela destas e ouvi, para meu constrangimento, uma piadinha sobre minhas preferências. Desliguei ofendido.
- Ora! Que atrevimento desse atendente, convidar-me para um cineminha juntos?
Aqui em Minas, nada mais apropriada do que uma Tabela Mineira com queijos. Foi o que pensei antes do retumbante fracasso. Até os cegos conseguiam acertar a posição da fatia. Abandonei a idéia, vencido pela sensibilidade extra-sensorial dos mineiros para esse tipo de laticínio.
Tem a ver com a seleção natural: Mineiros que não guardam dinheiro e que sejam insensíveis ao queijo não deixam descendentes.
O certo é que minha clientela está em franco crescimento. Pude dispor de mais tempo entre as consultas porque alguns rapazes consideram-se atendidos à simples exposição dos PornoGatas. Não lhes interessa o restante do exame, pedem licença e saem satisfeitos.
A ideia me fez pensar em usar optotipos segundo a preferência do paciente. Para pastores e judeus usarei maços de notas que vão diminuindo de valor sempre que pronunciarem o nome de Deus em vão. A padres e assemelhados, mostrarei querubins que se despojam das asas e daquelas ridículas roupas diáfanas para atenderem à preferência erótica dos religiosos. Não poderia esquecer dos políticos, para quem o Pinóquio, com um nariz erétil, está reservado. Na medida em que os políticos falem, o nariz do boneco vai crescendo, crescendo... até violá-los como os brasileiros gostariam de ver.

6 comentários:

Marcelo disse...

Caro Amigo Nelson,
no meu exame de hoje você não me mostrou as TipoGirls.
Vou remarcar a próxima consulta o mais rápido possível.
Aliás, se puder me atender em regime de urgência, acho que "tô com um TREM nos oios".
Parabéns.
Abraços.

Paulo Gurgel disse...

O cliente Marcelo tem o cristalino direito ao que reclama.
É caso para recall, Nelson.

Nelson Cunha disse...

Paulo,
O Marcelo é um dentista que se consultou comigo no dia em que saiu essa gozação aí. Sem que eu falasse nada, o Marcelo me convidou para dar uma passada no blog dele. Perguntou ainda porque eu também não fazia um blog. Foi quando mencionei o EntreMentes.

Agora Marcelo, você fica sabendo porque não faço blog.
O Paulo me deixaria humilhado.

Quanto aos PornoTipos, quero lhe dizer que é página virada. Agora estava usando uma modelo despida, lindíssima, em que as letras estavam tatuadas ao redor das partes envergonhadas, frente e verso.
É melhor marcar logo a consulta porque há fila de espera para a medida da acuidade visual.

Um cego me perguntou se poderia fazer o teste em Braile, eu disse que sim. Perdi o cliente e a modelo. Estão em lula de mel no Ceará. Mulher nenhuma resiste a uma poesia apaixonada quando dedilhada em seu próprio corpo.

Anônimo disse...

Caro Dr. Nelson Cunha,

Sou uma jornalista portuguesa e gostaria muito que me confirmasse que esta ideia dos pornotipos é de facto uma brincadeira ou aplica-a mesmo. Parece-me, a ser verdadeira, a melhor ideia do ano.

Carla Costa Mendes

Nelson Cunha disse...

Minha cara jornalista Carla,
Os pornotipos são de facto reais. Lamentavelmente fui denunciado por uma esposa ciumenta que chamou a polícia.Fiz um acordo com o delegado de modo a só mostrar as pornogirls a quem o exigir expressamente por documento escrito e firmado.

Paulo Gurgel disse...

Com esse ajuste de conduta você se livra de alguns aborrecimentos futuros, Nelson.