05 janeiro, 2016

Réplicas do Templo de Bel

O Templo de Bel (foto), em Palmira, Síria, era uma relíquia cultural  da humanidade. Inicialmente, foi um templo da Mesopotâmia, depois, uma igreja bizantina e, em seguida, uma mesquita. Conseguiu sobreviver até 30 de agosto do ano passado, quando o Estado Islâmico (EI) destruiu o que restava do templo com intenção de apagar os vestígios da história pré-islâmica da região.
O EI também assassinou um arqueólogo de 82 anos que vivera por quatro décadas em Palmira.
Agora, como uma forma de honrar a história e como um método de resistência contra o terrorismo, pesquisadores da Universidade de Harvard, Universidade de Oxford e Museu do Futuro de Dubai estão trabalhando juntos para transformar as imagens 2D do templo em um modelo 3D, que será então reproduzido pela maior impressora 3D do mundo e colocado em exposição em Londres (Trafalgar Square) e Nova Iorque (Times Square).


O diretor-executivo do Instituto de Arqueologia Digital, entidade que faz parceria com a Unesco nesse projeto, disse a The Guardian:
"É realmente uma declaração política, uma chamada à ação para o que está acontecendo na Síria, no Iraque, e agora na Líbia. Estamos dizendo aos extremistas religiosos que, se vocês destruírem algo, poderemos reconstruí-lo em seguida."
As réplicas estarão em exposição, em abril de 2016, como parte da Semana do Patrimônio Mundial da UNESCO.

Um comentário:

Kiko disse...

Lamentável que uma construção tão antiga e tão importante para a humanidade seja destruida desse jeito.
Temos que refletir sobre o porque de tudo isso .
Ainda bem que se por um lado temos gente desse tipo , capaz de destruir ,por outro lado temos pessoas pensando na construção e preservação .
Deus é perfeito !
abs
Kiko