14 fevereiro, 2014

O Nome da Prosa

Sinopse
Produção ítalo-germânica de 1995. Numa época indefinida, em um país indeterminado, uma lei é editada para proteger a sociedade dos crimes de lesa-cultura. Por essa lei, todos são proibidos de ler qualquer coisa. Os livros são queimados em praças públicas, as revistas e os jornais, nos terrenos baldios. Traças e cupins conhecem o seu lugar. Montag, um graduado funcionário do governo, é o agente que comanda a repressão. Numa viagem de trem, ele conhece Clarisse. A sonhadora jovem que logo lhe desperta o gosto pela leitura dos prefácios. E Montag, com a coleção completa de Paulo Coelho na mochila, foge com ela para a Floresta Negra, onde conhecem um grupo de bibliófilos. O grupo se dedica a preservar as obras-primas da literatura universal e, de modo todo especial, o Livro Negro da Neusinha Brizola. O filme é baseado no livro "Gostei Mais do Filme" e foi dirigido pelo mesmo diretor do fracassado "Campeão de Bilheteria".

4 comentários:

Fernando Gurgel disse...

Fahrenheit 451?

O Nome da Prosa é uma distopia da distopia?

Muito boa, por sinal.

Paulo Gurgel disse...

É isso mesmo, Fernando.
Apesar de não ter lido o Fahrenheit 451, de Ray Bradbury, já preparei uma nota sobre uma curiosidade editorial do livro.
Demora, mas um dia sai.

Adir Mota Junior disse...

Que interessate sou um adminirador da literatura , pena que a nossa começou tão tarde , aqui no Brasil , é né como sempre somos espelho da Europa até que um dia criamos a nossa antes tarde do que nunca.Abraços Paulo :Adir Mota Junior

Fernando Gurgel disse...

Eu também não li o livro,mas vi o filme. Há muito tempo.