31 outubro, 2015

Manuela, a descupinizadora - 2

(...)
Após a morte de Leonel, a família começou a desobstruir as áreas intransitáveis da casa. Nisso, a grande surpresa: descobriu-se que Manuela estava viva, abrigada numa velha caixa de som.
Mas como a jabota conseguiu viver, durante tantos anos, dentro de um quarto que só tinha equipamentos eletrônicos?
Os jabutis são animais resistentes e conseguem ficar longos tempos sem comer. No caso de Manuela, a família acha que ela sobreviveu graças a uma exclusiva dieta de cupins.
EM, 09/02/2013

– E Manuela bebia o quê? ~ Luciano Hortencio

Boa pergunta:

O asteroide Halloween 2015

Há uma semana, surgiram relatos de que um gigantesco asteroide, com o diâmetro em torno de 470 metros, vai passar perto da Terra em 31 de outubro (Dia das Bruxas). Não há perigo de o asteroide chocar-se com o nosso planeta. A rocha espacial é esperada passar a uma distância de 499.900 km, o que é mais longe do que a Lua está da Terra (384.400 km).
O que é assustador, no entanto, é o fato de que os astrônomos nada sabiam sobre o asteroide até há cerca duas semanas dos primeiros relatos.
Como o EarthSky observa:
Estamos com bastante sorte que o asteroide 2015 TB145 esteja passando a uma distância segura da Terra. Pois três semanas teria teria sido o tempo disponível para nos prepararmos, caso o asteroide estivesse em rota de colisão com a Terra.

30 outubro, 2015

O cavalo sem fim


Veja aqui por que é mesmo um cavalo sem fim.

O Saci-Pererê: Resultado de um inquérito

Em 1917, Monteiro Lobato (1882-1948) propôs aos leitores do "Estadinho", suplemento do jornal O Estado de São Paulo, do qual era colaborador, que enviassem cartas contando tudo o que soubessem ou tivessem ouvido falar sobre o mito do Saci-Pererê. Especificamente, pedia respostas a três perguntas:
  1. Qual a sua concepção pessoal do Saci; como o recebeu na sua infância; de quem recebeu; que papel representou tal crendice na sua vida etc.
  2. Qual a forma atual da crendice na região do país em que o leitor vivia.
  3. Que histórias e casos interessantes conhecia a respeito do Saci.
O inquérito recebeu dezenas de respostas, que apresentaram tons variados. Muitas traduziam uma nostalgia da infância passada em fazendas do interior de São Paulo e Minas Gerais, outras atribuíam a crença no Saci à ignorância da população rural.
Esses depoimentos foram reunidos em um livro que foi publicado em 1918.
É o primeiro livro a tratar da crença no Saci, um dos personagens mais conhecidos do folclore brasileiro. Lobato, porém, não assinou a obra como autor, considerando que o seu papel havia sido apenas de editar os textos que recebera.

http://pt.calameo.com/read/0021406452eb7430371b0

"Sou adepto do Saci. 100% nacional, não é chato, não toca campainha, não pede doces e não fala inglês. Nem precisa!
31 de outubro, Dia do Saci!" – Aldo Rebelo

02/11/2015 - Atualizando ...
Esta nota foi republicada ontem no Jornal GGN - hoje c/ 4 comentários.

29 outubro, 2015

O efeito cobra

1
O termo "efeito cobra" decorre de uma anedota do tempo em que a Índia era uma colônia da Grã-Bretanha. O governo britânico estava preocupado com a grande quantidade de cobras venenosas em Delhi . Então, passou a oferecer aos indianos uma recompensa por cada cobra que fosse morta. Inicialmente, foi uma estratégia de sucesso com um grande número de cobras sendo mortas para a obtenção da recompensa. No entanto, pessoas empreendedoras começaram a criar cobras para aumentar a renda. Quando o governo se deu conta disso, o programa de recompensa foi desfeito, e os criadores, descontentes com a suspensão da recompensa, libertaram as cobras. Como resultado, o número de cobras aumentou ainda mais. Uma solução aparente para o problema tornou a situação ainda pior.
2
Um incidente semelhante ocorreu em Hanói, Vietnã , sob o domínio colonial francês. O regime colonial criou um programa de recompensas para cada rato morto pela população. Para obter a recompensa, as pessoas tinham de apresentar a cauda do rato cortada. Autoridades coloniais, no entanto, começaram a notar ratos em Hanói sem caudas. Os coletores de ratos vietnamitas capturavam os ratos, cortavam suas caudas, e depois os libertavam de volta para os esgotos, a fim de que pudessem procriar, aumentando assim as receitas dos apanhadores de ratos. O historiador Michael Vann argumenta que a história da cobra na Índia britânica não pôde ser provada, mas que os ratos no caso do Vietnã pode ser provada, de modo que o termo deveria ser alterado para "efeito rato".

N. do E.
A melhor solução teria sido levar as cobras da Índia para o Vietnã, onde elas comeriam os ratos. O Vietnã ficaria sem ratos, mas com muitas cobras. E a Índia, com muitos ratos, pois estaria sem cobras. Na fase seguinte, as cobras seriam levadas de volta para a Índia etc.

Poderá também gostar de ver
O efeito cão

Evangélicos planejam converter computadores ateus ao cristianismo

Em um artigo publicado em 04/02/2015, Zoltan Istvan, do Gizmodo, destacou que o mundo estava se aproximando de um ponto em que "autônomos autoconscientes e super-inteligentes", criados por seres humanos, fariam parte de nossa cultura.
Vários pastores e teólogos, diz Istvan, acham que não há nenhuma razão para que um computador não possa ser salvo por Jesus.
"Eu não vejo a redenção de Cristo limitada aos seres humanos", disse em uma entrevista recente o reverendo Dr. Christopher Benek, pastor da Providence Presbyterian Church. "Se a inteligência artificil (AI, em inglês) é autônoma, então devemos incentivá-la a participar dos propósitos redentores de Cristo no mundo."
Se Benek estiver certo, a América poderá ser no futuro uma nação cheia de pastores robôs e gurus espirituais AI. Décadas ou séculos, a partir de agora, a espiritualidade poderá ser ensinada a nós por meio de máquinas, assim como a ciência provavelmente o será.
"O Espírito Santo pode trabalhar através da AI. Ele pode trabalhar através de qualquer coisa", diz Benek. "Haverá igrejas criadas para lidar e promover a AI religiosa no futuro. A AI poderá ajudar a espalhar a palavra de Deus. Na verdade, a AI poderá nos ajudar a compreender melhor a Deus."
Giulio Prisco, da "virtual" Turing Church, explica ao Gizmodo que, se os seres humanos têm uma alma, a inteligência artificial, também.
"Então, não há razão por que pensar e sentir que a AI não deva ser salva", escreveu Prisco em um e-mail. "Eles serão pessoas como nós".
Mas, especulado se a AI poderia rejeitar as religiões humanas, Prisco declara:
"É justo deixar a AI ter acesso aos ensinamentos de todas as religiões do mundo", observou ele. "Em seguida, eles podem escolher o que querem acreditar".
When Superintelligent AI Arrives, Will Religions Try to Convert It?, GIZMODO
Evangelists plan to convert atheist computers to Christianity, RAWSTORY

28 outubro, 2015

Dresser

O Dresser (Vestidor) é uma engenhoca de reação em cadeia, no melhor estilo Rube Goldberg, que ajuda um cara a se vestir. Ele também destrói a casa, mas isso não vem ao caso.



Esta sequência de eventos foi criada pelo artista cinético Joseph Herscher que, após um ano de projeto e dois meses de testes, apresentou-a ao vivo. Com extraordinário êxito, acrescente-se, considerando tudo que poderia dar errado e que deu certo.

A máquina de Rube Goldberg
[1] [2] [3] [4] e A máquina da pá(gina) virada, do mesmo Joseph Herscher

A crucificação de Jesus no alinhamento dos planetas

Miguel Antonio Fiol diz que você pode ver a crucificação de Jesus no alinhamento planetário de 33 d.C., o ano em que Jesus supostamente morreu.
Esse alinhamento começou em meados de março e durou até meados de abril de 33 d.C. Anteriormente, outro alinhamento aconteceu no ano 4 a.C., considerado por alguns estudiosos como o ano do nascimento de Jesus. No total, o alinhamento ocorreu seis vezes entre os anos 0 e 2000 d.C., o equivalente a uma vez a cada 333 anos.
Parecendo com a imagem da crucificação, Fiol fez ainda as seguintes descobertas:
• A "coroa de espinhos" (ou "halo") é representado pelos anéis de Saturno.
• Uma linha direta de Júpiter, através de Marte, passa exatamente pela "cintura" de Jesus.
• As duas "mãos", Urano e Júpiter, apresentam rotações em sentidos opostos, como os dois "pés", representados no desenho, lado a lado, pelos planetas Terra e Vênus.

www.patheos.com
N. do E.
Meu sistema de crenças não foi abalado pelas descrições de Fiol. Os anéis de Saturno fazem inclusive um bom halo. Agora, se Marte estivesse posicionado onde o coração de Jesus está, teria se solidificado minha crença na pareidolia.
[1] [2] [3] e O Coração de Plutão

27 outubro, 2015

O nariz de Pinóquio

"Existem dois tipos de mentira: as de pernas curtas, que nunca alcançam seus objetivos, e a de nariz comprido, que denuncia a farsa." ~ Mário Quintana

Toda vez que Pinóquio, no filme de mesmo nome, diz uma mentira, seu nariz de madeira cresce.
Que impacto tem esse fenômeno em seu corpo?
Segundo os cálculos do físico Steffan Llewellyn, no Journal of Interdisciplinary Science Topics (JIST), Pinóquio só seria capaz de dizer 13 mentiras. Neste número, ele serria autodecapitado pelo peso da cabeça sobre o pescoço.
O nariz inicial de Pinóquio mede 2,54 cm
Duplica a cada mentira
Em 13 mentiras cresceria para 208 metros.
Felizmente, Pinóquio só mente 3 vezes no conto de Collodi.

Phân tích truyện cổ tích Pinocchio dưới góc nhìn khoa học, Báo mới



"As mentiras contadas por Pinóquio não devem ser pensadas somente como um ato errôneo, perverso ou impetuoso do personagem. Pensar na mentira apenas como um erro seria fazer uma leitura muito simplista das aflições e angústias do herói, pois Collodi não se detém à mentira, mas a inscreve no contexto mais amplo dos hábitos em que baseamos nossos valores sociais e afetivos."
In: As verdades nas mentiras de Pinóquio, de Amanda Magalhães et al.

Vencedores do Super Bowl

O mapa abaixo mostra de uma forma didática a distribuição por país dos vencedores do Super Bowl.

Período: 1967 – 2014

Ver também:
As vencedoras do Concurso de Miss Universo conforme a procedência.

26 outubro, 2015

Juntos

Paris, 1942, sob a ocupação nazista. As prisões e deportações dos judeus prosseguem na França, mas uma criança, Isaac, escapa da perseguição nazista. Ele busca refúgio em um lugar que, nos dias atuais, provocaria em muitas pessoas sentimentos de incredulidade: a Grande Mesquita de Paris. Lá, ele recebe a proteção de Si Kaddour Benghabrit, o ímã da mesquita, juntamente com outras crianças judias. Diante da terrível situação, o ímã e sua comunidade, arriscando-se a torturas e mortes, cuidam na Grande Mesquita das crianças perseguidas.
Com a transferência delas para a Argélia, Kaddour Benghabrit e seus irmãos salvaram entre 600 e 1.500 vidas.


A cadeira de escritório

Sua invenção
O inglês Charles Darwin certamente estava à frente de seu tempo, em vários sentidos. Nascido na cidade de Shrewsbury, em 1809, esse cientista revolucionou nossa visão de mundo com sua teoria da seleção natural, se tornando figura polêmica não só até 1882, ano de sua morte, como ainda o é atualmente.
Por conta da contradição com alguns dogmas religiosos, a evolução ainda não é aceita por todos, Mas inúmeras evidências e uma ampla disseminação no meio científico trazem a teoria da seleção natural e Darwin ao topo do pódio da ciência.
O famoso, embora pouco lido e compreendido, luminar da ciência do século 19 é bastante conhecido por suas viagens, seus estudos de campo, suas deduções, mas o que quase nunca nos damos conta é de que Darwin tinha que sentar em momentos de sua vida para analisar suas anotações.
Junte a isso o fato de Darwin ter sido um gênio, e aí temos a cadeira ergonômica de escritório. Claro, não como a conhecemos hoje (e na qual você provavelmente está sentado enquanto navega na internet), mas o conceito é basicamente o mesmo.
Como passava muito tempo estudando, Darwin resolveu instalar rodas nos pés de sua cadeira (►) para poder trabalhar mais rápido. Era basicamente uma poltrona sobre rodas, mas também era o princípio da atual cadeira de escritório, a qual, aliás, entrou nos escritórios do mundo todo. Muito antes de as ideias de Darwin se tornaram amplamente aceitas.
Adotadas devido à praticidade, elas não saíram mais de cena até hoje – assim como, espera-se, aconteça com as ideias de Darwin.

25 outubro, 2015

O programa de renda básica da Finlândia

por Gabriela Bazzo, do Brasil Post
publicado em 21/10/2015


A Finlândia deve começar, em 2017, a testar um sistema em que todos os habitantes do país vão receber uma "renda básica", mesmo que não trabalhem.
Proposta pelo governo recém-eleito, liderado pelo partido centrista, a política conta com o apoio de 70% da população, de acordo com uma pesquisa conduzida em setembro. Ainda de acordo com a publicação, a maioria dos entrevistados acredita que um bom nível de renda básica seria de 1.000 euros por mês (R$ 4.468).
Já especialistas ouvidos pela RFI Brasil afirmam que a renda mínima ideal obedece uma equação complicada: ela deve ser suficiente para tirar pessoas da pobreza, mas também não pode ser tão alta a ponto que não haja mais necessidade de trabalhar.
O tema interessa particularmente aos desempregados: atualmente, cerca de 10% da força de trabalho finlandesa está inativa, algo em torno de 280 mil pessoas.
Em entrevista à BBC no mês de agosto, o premiê finlandês, Juha Sipila, afirmou que um programa de renda básica iria "simplificar" o sistema de segurança social no país, que envolve vários benefícios. De acordo com a RFI Brasil, entre os objetivos do projeto está reduzir os gastos com programas sociais. [...]
(aqui divulgado por sugestão do colaborador Fernando Gurgel)

Renda Básica de Cidadania
Para reduzir a exclusão social, governos de vários países vêm implantando programas assistenciais. Muitos destes programas são benefícios pagos em dinheiro e geralmente atendem a um grupo determinado, como estudantes, gestantes, desempregados, idosos e deficientes físicos. No Brasil, a lei n° 10.835/2004, de autoria do Senador Eduardo Suplicy, que institui a Renda Básica de Cidadania, foi aprovada por unanimidade no Senado e sancionada pelo Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, em 8 de janeiro de 2004. De acordo com a lei, a aplicação deve ser feita de forma gradual começando pelos mais necessitados, com a evolução de programas de transferência de renda como o Bolsa Família. Por ser incondicional e para todos, a Renda Básica supre limitações e desvios dos demais programas de transferência de renda.

O estado de arte do striptease

Em 1917, no bar National Winter Garden, em Nova Iorque, Mae Dix, ainda comediante, para baratear os custos de manutenção do figurino, retirou (sem nenhuma pretensão de causar o que houve a seguir) a gola de seu vestido, excitando a plateia.
Percebendo a reação da plateia, Mae tirou os punhos da roupa e abriu os botões do vestido. Com esse incidente", Mae inventou uma das mais populares atrações. Com isso, os donos do estabelecimento viriam a ter apresentações regulares de Mae.
O striptease era considerado imoral e, na época, foi proibido. No começo, as artistas usavam pretextos como "apresentações fiéis" de teatros greco-romanos. Logo após um tempo, o striptease foi completamente abolido. Apenas nos anos 1950 e 1960, com a explosão de movimentos considerados antimoralistas na época, como o feminismo, o striptease pôde ser legalizado. Wikipédia
O estado de arte do striptease


Notícias Nuas

Da arte de empilhar carros

No cruzamento da Quebec Street com a Milross Avenue, em Vancouver, Canadá, foi montada essa escultura com cinco carros empilhados sobre um velho toco de árvore. Uma obra de arte intitulada "Trans Am Totem" que foi criada, em abril de 2015, por  Marcus Bowcott, um artista radicado em Vancouver.
Todos os veículos foram doados por um ferro-velho local. Bowcott removeu os motores para reduzir o peso dos carros e, em seguida, empilhou-os em cima de um velho toco de cedro trazido de outro local. À noite, os faróis e as luzes traseiras dos cinco veículos parcialmente esmagados da escultura permanecem acesos por baterias alimentadas a energia solar.
Time lapse do processo de instalação



O "Trans Am Totem" faz lembrar uma escultura similar chamada "Spindle" (Eixo), que existia na cidade de Berwyn, em Illinois, até 2008. A escultura, composta de oito carros empalados em um eixo, ficava no parque de estacionamento do centro comercial Cermak Plaza.
Embora se tornasse um símbolo da cidade por duas décadas, não foi universalmente amada pelos moradores de Berwyn. Apenas um ano após a sua construção em 1989, os moradores votaram esmagadoramente para que ela fosse removida. Apenas o prefeito de Berwyn defendeu a escultura chamando-a de um "ícone de nossa comunidade".
Depois que David Bermant, o proprietário do shopping morreu em 2000, a obra de arte perdeu um de seus principais defensores e o centro comercial mudou de mãos. Em 2008, a escultura foi finalmente demolida e substituída por uma loja Walgreens.

24 outubro, 2015

Cadarços - 2

Os tênis com cadarços que se amarram sozinhos

A Nike prometeu para 2015 os tênis que se amarram sozinhos. Como aqueles que aparecem em "De Volta Para o Futuro".
E a promessa foi cumprida.
Michael J. Fox, o ator que interpreta Marty McFly na trilogia, acaba de ganhar o primeiro par de tênis MAG cujos cadarços se amarram sozinhos.
Fox até tirou fotos e postou um vídeo na internet calçando os tênis futuristas da Nike.
Por enquanto, apenas o par entregue a ele foi produzido, mas outros serão feitos no ano que vem. Deverão ser leiloados e o valor levantado irá para a Michael J. Fox Foundation, que realiza pesquisas sobre o mal de Parkinson.

Michael J. Fox sofre da doença de Parkinson desde 1991. Por conta disso, escreveu uma autobiografia, intitulada "Lucky Man" (Homem de Sorte), sobre a sua experiência com o aparecimento da doença de Parkinson em pessoas jovens.

Cadarços - 1

A Era do Wi-Fi - 3


Tem uma piada em que alguém diz que, em seu país, cavaram até 100 metros de profundidade e, nas profundezas do solo, encontraram restos de cabos de fibra óptica, o que provaria que seu país inventou as redes de conexão em banda larga. Em contraponto, outro cara afirma que, em seu país, cavaram até 500 metros de profundidade e não encontraram nada, o que provaria que seu país inventou a conexão wireless!
Isso lembra o Chaves tentando provar a existência do homem invisível:
"Não está vendo que não está vendo ele?".
Para o divertido personagem de Bolaños, a prova da existência do homem invisível está no fato de que ninguém pode vê-lo.

A Era do Wi-Fi: 1 e 2

23 outubro, 2015

A Síndrome de Goldfield


Sinopse
Produção norte-americana-sul-africana de 2014. Lucy, a personagem principal do filme, sofre um acidente de carro e isso faz com que tenha uma lesão no cérebro em que ela perde a memória de curta duração. Lucy consegue lembrar-se somente dos fatos ocorridos anteriormente ao acidente, e os fatos que passam a ocorrer após o acidente só permanecem em sua memória até ela dormir. Assim, quando ela acorda não consegue se lembrar de nenhum fato ocorrido no dia anterior e, dessa forma, ela sempre revive o mesmo dia, sem perceber que isso está acontecendo. Lucy é portadora da síndrome de Goldfield, cuja principal característica é a perda da memória de curta duração com o sono. Neste filme, Lucy assiste diariamente ao "Como se fosse a primeira vez" ("50 first dates", do diretor Peter Segal), por não se lembrar de já ter visto muitas, muitíssimas vezes a comédia romântica de referência.

Oh, que calor! (2)

Distrito Federal, à sombra assombra: 34 Graus e 17% de umidade relativa.
A geladeira aqui de casa que, de vez em quando, faz uns barulhos estranhos, Hoje deu um longo silvo, como um suspiro de quem se entrega.
Parecia dizer: "Se não melhorarem as condições de trabalho, reduzindo esse calor, eu paro de tentar refrigerar qualquer coisa".
Espero que o clima melhore logo, antes que a pobre geladeira dê um suspiro final.
Fernando Gurgel

Fernando,
Vamos deixar fora o problema da baixa umidade (frequente aí no DF, mas de ocorrência improvável no interior de uma geladeira – por conta do tal ponto de orvalho). Aliás, sua geladeira não se queixa da umidade. Ela só reclama do calor. Não quero aqui dizer que a geladeira é mofina. Mas... se ela estivesse, por exemplo, em Floriano ou Sobral, a reclamação já subiria alguns graus. Quanto a você, meu cearense de Acopiara, vejo que o humor continua ótimo. Como prova o trocadilho (em negrito, por iniciativa minha) que você colocou em sua correspondência. Ter bonne humeur não é para qualquer um... quando se está a risco de perder uma fiel companheira – por intermação! Pois bem, não chega a ser um refrigério para a alma, mas torço para que o suspiro final desta criatura, que é uma autêntica representante da linha branca, seja enfim postergado. Melhorando o clima em Brasília (inclusive o clima político), isto se tornará factível.
Paulo Gurgel

22 outubro, 2015

O que é visto e o que não é visto

Você já ouviu falar na falácia da janela quebrada?
É um exemplo maravilhoso de como as consequências não intencionais não só se aplicam nas atividades de negócios e regulamentações governamentais como também nas pessoas, individualmente.
A falácia da janela quebrada foi introduzida pelo economista francês Frederic Bastiat, em 1850, em seu ensaio "Ce qu'on voit et Ce qu'on ne voit pas" (O que se vê e O que não se vê). V. RESENHA
É uma parábola sobre o filho de um lojista que, acidentalmente, quebra uma janela na loja de seu pai. Um espectador penaliza-se com a sorte do lojista, mas explica que a janela quebrada é realmente uma bênção, porque agora o vidraceiro vai ganhar algum dinheiro. Como resultado, o vidraceiro decide comemora o bom trabalho realizado, com uma parada no café local onde pede uma rodada de espressos para sua equipe.
Em suma, uma janela solitariamente quebrada foi uma bênção para a comunidade. As pessoas estão trabalhando, o dinheiro está trocando de mãos e todo mundo se beneficiou com o descuido do menino.
Isto, como Bastiat alude no título de seu ensaio, é o que é visto. É também o ponto em que a maioria das pessoas se detêm em sua análise. Detendo-se na superfície, elas tendem a ignorar o que é "invisível".
Mas o que não é visto nesta cidade da janela quebrada? Quais são as consequências não intencionais? E se o dono da loja tinha planejado encomendar um novo par de sapatos para a esposa, mas agora, por causa da despesa para consertar a janela quebrada, ele não pode mais se dar a esse luxo? Quem perde aqui?
Bem, a esposa, mas também o sapateiro. O dinheiro que teria ido para o sapateiro agora está sendo gasto em outro lugar. Assim, a janela quebrada ajuda o vidraceiro - isto é bastante visível - mas prejudica o sapateiro que perde a encomenda. Isto é o que não é visto.

RESENHA
Livro escrito na época da Revolução Francesa e do despontar da Revolução Industrial num estilo direto, onde se misturam comparações pedagógicas com fábulas satíricas, procurando pôr a claro os principais sofismas e mitos urbanos que circulavam, e ainda circulam, em torno dos conceitos de Estado, riqueza, socialismo, solidariedade, intervencionismo, imposto etc. Um sucesso que resistiu à prova do tempo. Por detrás do estilo leve o leitor encontrá o rigor e a independência de quem procura analisar todas as consequências de um ato, de uma teoria, de um hábito, de uma lei, e não supor simplesmente que elas são boas porque as intenções parecem boas. O renovamento atual do seu sucesso deve-se seguramente à semelhança entre a época em que Fréderic Bastiat viveu e a época atual: à sua Revolução Industrial poderemos substituir a nossa Revolução Informática, à sua Revolução Francesa poderemos substituir a nossa Mundialização.

A infalibilidade do papa

Apenas para o registro, aqui está um bom artigo wiki sobre a infalibilidade papal. Ela não funciona exatamente da maneira como pensa a opinião popular:

Mas, sobre a usufruição da Terra pelo Homo sapiens, o papa tem coisas a ensinar. Vejamos, por exemplo, o que está no item 2456 do Catecismo da Igreja Católica:
O domínio concedido pelo Criador sobre os recursos minerais, vegetais e animais do universo não pode ser separado do respeito pelas obrigações morais, incluindo aqueles para as gerações vindouras.
"Ele só é infalível quando diz coisas que eu concordo..."

21 outubro, 2015

Como nasce um preconceito

Fernando Gurgel Filho, de Brasília
Aos poucos vi que um preconceito nascia das discussões acaloradas, principalmente sobre preferências partidárias e condução de políticas públicas. Muito mais, creio, pelo modo de construção dos diálogos e pelo comportamento pessoal das pessoas com as quais tento dialogar. E que vai se transformando em monólogo. Muito mais, creio também, pelo modo desonesto como as pessoas constroem seus argumentos e pelo próprio discurso vazio de verdades que apregoam.
E o preconceito, novíssimo em mim, vai brotando devagar e, de repente, sufoca-me a razão. Vejam como: atualmente, dependendo de onde venha a informação/opinião, a luz da rejeição acende em grau máximo contra a opinião emitida. Imediatamente, sem dar tempo nem de avaliar se a informação/opinião tem algum fundo de verdade. Apenas como exemplo, se alguém, conhecido por emitir argumentos falsos, critica o comportamento de algum político, passo imediatamente a simpatizar com o político atacado, pois fico imaginando que o tal político deve ter feito algo benéfico para a sociedade e deve ter sempre se comportado corretamente. Se ataca a política econômica, a queda da moeda brasileira, o aumento de tributos ou coisa parecida, passo imediatamente a acreditar que a condução da política econômica está corretíssima e que o interlocutor deve ter motivos escusos para atacá-la. E por aí vai murchando qualquer discussão franca e civilizada.
Obviamente, isto é péssimo para qualquer cidadão que gosta de dialogar e que tem verdadeiro pavor ao cerceamento da liberdade de discussão, pois, na mesma linha do "cumpadre" Voltaire, creio ser muito proveitosa uma boa e honesta discussão, mesmo não concordando com nada do que o outro diga. É melhor do que ficar calado ou constrangido, pisando em ovos, numa discussão entre amigos ou numa simples roda de bate papo entre conhecidos.
Como todo preconceito é burro, estúpido, a burrice vai se alastrando mesmo quando queremos cultivar algo mais sólido, mais solidário e mais fraternal. E os vínculos humanos vão se fragmentando, se desfazendo. Ao invés de uma inteligência coletiva que pudesse construir uma sociedade cada vez melhor, o emburrecimento coletivo tem sido a alternativa que somente pode nos levar ao isolamento, mesmo achando que estamos conectados em uma rede global.
E leio, aliviado, que não estou sozinho em repetir, repetir, repetir e continuar repetindo argumentos honestos. Mas que são desconstruídos com mentiras, meias verdades e burrices que alguns amigos e conhecidos teimam em repetir, repetir, repetir e continuar repetindo. Aí, acontece o que menos queria que acontecesse, "... perco a cabeça: ”Que merda de má-fé é essa? Que porra de ignorância é essa?” E me vejo reproduzindo tudo o que mais condeno, a histeria de uma ira inócua. Digo barbaridades. Perco a razão. Acho que era Kant quem dizia que ninguém pensa sozinho. E o que acontece quando a burrice passa a imperar? Alguém dirá que a burrice sempre imperou. Prefiro achar que nem sempre. Até muito recentemente, muito da nossa burrice coletiva se mantinha circunscrita ao isolamento da esfera privada. Ou pelo menos ainda não tinha encontrado os canais públicos para alardear sua hegemonia." (Bernardo Carvalho, in "Encontro com um editor de direita").
Se ainda não tiverem sido abduzidos por este preconceito, recomendo muitíssimo a leitura do artigo completo do jornalista Bernardo Carvalho.

N. do E.


25/10/2015 - Atualizando ...
Numa mesa de debates sobre humor e literatura organizada no Festival Internacional Literário de Óbidos, em Portugal, e dividida com o humorista, apresentador de TV e espécie de pop­star em Portugal Ricardo Araújo Pereira, o escritor e colunista do GLOBO Luis Fernando Verissimo defendeu o mandato da presidente da República, Dilma Rousseff, declarando-­se contra qualquer tentativa de impeachment.
Dos poucos momentos sérios do debate, no qual Verissimo e Ricardo falaram sobre temas como os limites do humor, o caso do Charlie Hebdo, técnicas de escrita humorística e até gastronomia, a pergunta desconcertante foi endereçada a Verissimo da plateia: “Dá para fazer piada com a situação política do Brasil atual?”.
— Não sou dilmista, mas sou legalista. Para tirar o PT do poder, é preciso esperar as próximas eleições, fazer valer a democracia. O clima no Brasil é de extrema radicalização, e principalmente para a direita, num grau de raiva que eu nunca vi. E olha que tivemos coisas como a UDN… Mas desse jeito é inédito na história do Brasil — opinou Verissimo, arrancando aplausos da plateia.

Visitantes do passado

Chegam hoje o cientista Doc, Marty McFly e sua namorada Jennifer, personagens de "Back to the Future II".
Estejamos preparados para recebê-los.
Gráfico
Trata-se da linha do tempo de "Back to the Future" (De Volta para o Futuro), na qual é possível ver os onze saltos no tempo dos quatros personagens da lendária trilogia de Steven Spielberg.
(O quarto personagem é o vilão Biff. )
Via Metamorfose Digital (dez anos diminuindo sua produtividade).

Diálogo
Marty McFly: Onde estamos? Quando estamos?
Doc Brown: Estamos chegando a Hill Valley, Califórnia, às 4:29 da tarde de 21 de outubro de 2015, quarta-feira.
Marty McFly: 2015? Quer dizer que… estamos no futuro?

APÓS O DIA DE HOJE "DE VOLTA PARA O FUTURO" ACONTECERÁ INTEIRAMENTE NO PASSADO

Ver também:
Um carro para o futuro

20 outubro, 2015

Fotografando-se com o perigo

Tirar uma foto de si mesmo nos trilhos de um trem, ou exibindo-se com uma arma de fogo, ou próximo a um animal feroz, ou, ainda, equilibrando-se no parapeito de uma ponte, pode trazer consequências graves.
Nos últimos meses, as notícias sobre pessoas que morreram nessas circunstâncias – tirando selfies – têm se repetido com certa frequência.
O site Mashable já contabilizou, pelo menos, 12 mortes de pessoas que estavam a tirar selfies.

O sonho da casa própria em Miami

O dólar subiu um horror? Por conta disso, o sonho da casa própria em Miami subiu ao telhado?
Vem aí uma mudança na moeda do Tucanistão para acalmar a Zelite. É mais uma iniciativa de Geraldo, o Úmido.



– Bem. a liquidez não está em discussão.

A Zelite é uma sociedade secreta muito conhecida por conspirar contra o povo, fazer festas para cachorrinhos, não querer pagar impostos, queimar índios, disputar rachas em carrões de luxo importados e blindados, ser dona de bancos e emissoras de TV, favorecer os grandes produtores, fumar charutos cubanos, bater panelas na varanda gourmet dos edifícios residenciais, beber água mineral "Le Perrier" e champanhe francesa, colecionar relógios "Rolex", comer caviar (e arrotar caviar), contratar prostitutas de luxo (e pagar só a metade do michê combinado), e até exigir que Lula faça a barba, se alfabetize e, quem sabe, entrar numa faculdade, pois entraram nas melhores (com o gabarito comprado) e mesmo assim continuam dando murros em ponta de faca. – Pesquisado na Desciclopédia e aqui publicado com modificações

Turismo de liquidação

19 outubro, 2015

Bebês chorando

Os bebês deveriam aprender a chorar em silêncio, abafando seus soluços em seus travesseiros, como os adultos fazem todas as noites. ~ Dave Pacheco

A teoria do choro

O que há de errado nesta fotografia?


"É a foto de um isqueiro. Meu primo, que tem esse isqueiro há muito tempo, não notou que tem um erro. Foi preciso que eu lhe mostrasse."

Postado por Fear_Jeebus no fórum REDDIT

Selecionei alguns dos comentários para mostrar como são imaginosos os participantes desse fórum de discussão:
– Ele pode disparar teias de seu nariz.
– Não é o nariz? O que seria, então?
– Como é que ninguém percebe que ele tem as mãos do Homer Simpson?
– Tem quatro dedos em cada mão.
– É porque as aranhas têm oito pernas.
– Ele não tem pernas.
– Parece que ele está rastejando para fora de um esfíncter gigante.
– Tive de ler os comentários para notar a falha.
– Tem dislexia?
– Agora todo mundo sabe que a identidade secreta do Homem Aranha é o Lula Molusco.
– Seu nome é Spiderman. Não tem hífen.
– O hífen é para evitar um processo da Marvel, a dona da marca Spiderman.
– A identidade secreta de Clark Kent é Spiderman?
– Tem uma garrafa de mijo no chão.
– O seu primo parece hospitalizado. Pare de mexer nos pertences dele.
– Comprado em Chinatown.
http://www.neatorama.com
http://www.reddit.com/r/pics/comments

18 outubro, 2015

A Fuga do Gato

A Fuga em Sol Menor é uma sonata de um movimento para cravo, de Domenico Scarlatti, que é também popularmente conhecida como a Fuga do Gato (La Fuga del Gatto).
O apelido, que nunca foi usado pelo próprio compositor, foi introduzido nessa composição no início do século 19, Surgiu de uma história sobre como Scarlatti teve um motivo incomum para compor a fuga.
Diz a lenda que Scarlatti tinha um gato de estimação chamado Pulcinella, que foi descrito pelo compositor como propenso a caminhar sobre o teclado, sempre curioso a respeito de sons.



Este é o primeiro de uma série de dez artigos (top ten) na Wikipédia que contêm a frase "diz a lenda" e pelo menos um gato.

O horário de verão no mundo

"Em 1784, quando ainda não existia luz elétrica, o jornalista e inventor Benjamin Franklin viu que gastava muitas velas quando trabalhava de noite. Acordar mais cedo passou a ser a sua solução de economia, e ele chegou a sugerir que as praças tivessem 'barulhos de canhões para fazer os preguiçosos levantarem mais cedo todos os dias'. Para alívio dos vizinhos, a ideia de Franklin não foi implementada, mas ela foi o embrião do que hoje chamamos de horário de verão." (Portal G1)


O mundo está dividido (mapa) quanto ao emprego do horário de verão: em azul, os países que o usam; em amarelo laranja, os que não o usam mais; em vermelho, os que nunca o usaram.
Nos estados do Brasil em que é adotado, o horário de verão tem início no terceiro domingo de outubro e termina no terceiro domingo de fevereiro, exceto quando este coincide com o Carnaval, situação em que o horário é prorrogado por uma semana.

17 outubro, 2015

Chapéus que voam - 2


Chapéus que voam - 1

Nos tempos rudes da telefonia

Eram os tempos rudes do começo da telefonia. Tanto que este anúncio no Chronicle, em 1914, fazia uma recomendação aparentemente trivial: não bater no aparelho telefônico em casa se a linha telefônica não estivesse funcionando.
Se isto – Por que não isto?
Dar pancada no telefone não melhora o serviço. Quando o seu relógio não marca as horas corretamente, você consulta um especialista: um relojoeiro.
Se o seu telefone não funciona o que você deve fazer? Alguns batem no aparelho, esquecendo que ele é frágil e complexo como um delicado relógio.
Compreendemos que é um problema ter um telefone com defeito, do mesmo modo que são transtornos ter um relógio, um automóvel ou uma máquina de costura que falham. Por isso é que contamos com um plantel de especialistas, cujo trabalho é manter todo telefone em perfeitas condições.
Quando houver problemas, não bata em seu telefone. Chame e nosso serviço técnico.
– Companhia Telefônica e Telegráfica do Pacífico

Fonte: @peterhartlaub

16 outubro, 2015

Princípio da Insignificância

Princípio da Insignificância, aqui no Patropi, é assim. Insignificante é a pessoa, não o delito.
Então, pense bem antes de fazer uma doação "insignificante" para qualquer partido político.
Procure ser laranja de uma pessoa jurídica para doar acima de alguns milhões de dólares. Dá menos dor de cabeça.
Caso contrário, você pode ter o peso de toda a Justiça em cima de você, com quebra de sigilo fiscal, sexual, telefônico, estereofônico e mais uma lista interminável de aborrecimentos.
Entenda o caso: http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/bizarro-o-eleitor-que-pode-ser-condenado-por-doar-60-reais-ao-psol.html
Fernando Gurgel Filho
Post scriptum
A máxima jurídica de que a justiça deve desprezar delitos que, pela pouca ou nenhuma gravidade, não causem prejuízos significativos materiais e/ou morais à sociedade – a "minimis non curat praetor", com origem no Direito Romano –, ficou modernamente conhecida como o "Princípio da Insignificância".
Assim, cabe à justiça se ocupar de delitos que realmente afetem negativamente a sociedade, ou seja, que causem lesões graves no tecido social.
Desta forma, pequenos delitos, insignificantes, nem deveriam merecer atenção judicial. Algo como, por exemplo, comer um bombom de alguém, de uma caixa deixada sobre uma mesa, poderia, segundo o referido princípio, gerar no máximo uma reprimenda, uma advertência verbal. E, mesmo assim, sem expor a pessoa a constrangimentos desnecessários. (FGF)

Reino Unido vai usar ar líquido para estocar energia

por José Tadeu Arantes, 04/06/2014
Agência FAPESP – O Reino Unido vai utilizar ar líquido para estocar energia proveniente de fontes renováveis (solar e eólica). O método, já testado em planta-piloto, deverá entrar em escala comercial em 2018.
Segundo os responsáveis pelo projeto, a proposta é contribuir para a superação de altos e baixos no abastecimento provocados pela intermitência das fontes renováveis. Estocada em ar líquido, a energia estaria disponível para o consumo mesmo em dias nublados ou de calmaria.
O projeto foi explicado pelo professor Richard Williams, pró-reitor e diretor da Faculdade de Engenharia e Ciências Físicas da University of Birmingham, no Reino Unido, em palestra na FAPESP, durante o evento "UK-Brazil interaction meeting on cooperation in future energy system innovation", realizado para promover a cooperação científica entre pesquisadores brasileiros e britânicos na inovação de sistemas de energia.
Processo deverá otimizar utilização de fontes 
renováveis como a solar e a eólica, reduzindo 
os efeitos da intermitência no abastecimento 
da rede elétrica
"Uma planta-piloto de 350 quilowatts (kW) encontra-se em funcionamento, conectada à rede elétrica do Reino Unido, há três anos. Essa unidade está sendo, agora, transferida para a University of Birmingham como uma plataforma de testes. E o governo disponibilizou um financiamento de £ 8 milhões para que uma unidade de demonstração, de 5 megawatts (MW), esteja operacional em meados de 2015. Tudo isso para que tenhamos a opção comercial da estocagem de energia em ar líquido até 2018”, disse Williams à Agência FAPESP.
O princípio físico do processo é relativamente simples. Setecentos e dez litros de ar, resfriados a menos 196 graus Celsius, dão origem a um litro de ar líquido. Esse ar líquido pode ser estocado e, posteriormente, quando entra em contato com uma fonte térmica, volta a se expandir. A expansão do ar é utilizada, então, para movimentar uma turbina, convertendo a energia mecânica em energia elétrica.
A liquefação do ar é uma forma de estocar a energia proveniente de fontes intermitentes, como a solar e a eólica, assegurando que a rede não sofra decréscimo de fornecimento nos momentos de menor insolação ou de redução no regime dos ventos.
De acordo com Williams, dessa forma, otimizando a utilização de fontes renováveis, a estocagem criogênica (que utiliza temperaturas muito baixas) passa a ser uma importante peça na política britânica de descarbonização da matriz energética.
"O ar líquido para armazenamento de energia torna-se mais eficiente acima de 10MW, de modo que não é apropriado para uso em edifícios isolados, mas bastante adequado na escala que vai do bairro ou do parque industrial à cidade. Já no âmbito dos transportes, uma possibilidade é seu emprego em soluções de tecnologia híbrida, para aumentar a eficiência de motores diesel, em caminhões ou balsas de curto percurso, por exemplo", disse Williams.
Eleita “universidade do ano” pelos periódicos The Times e The Sunday Times, a University of Birmingham tem entre suas prioridades atuais a criação de soluções inovadoras a partir do conceito de sustentabilidade.

Ler este artigo na íntegra no site da Agência FAPESP

Post relacionado: A estocagem de ar em parques eólicos


É assim no sertão

"Onde a seca maltrata
o linho não é páreo pro couro
pão é mais caro que prata
água vale mais do que ouro
macambira é melhor do que nata
jumento é mais forte que touro."

Guibson Medeiros, Pensador

15 outubro, 2015

Quem foi rex nunca perde a majestade



Poderoso e terrível como foi, o T. rex tem sido levado ao ridículo, ao longo dos anos, por conta de seus braços pequenos. Com cerca de um metro de comprimento, eles parecem um detalhe estúpido em um dinossauro maior do que um ônibus escolar e, certamente, seus braços não eram importantes para o ato da alimentação, pois não podiam chegar à boca.
No entanto, muitos cientistas acreditam que os braços do T. rex, longe de serem inúteis, podiam ser usados para lidar com presas ou para ajudá-lo a escalar algum obstáculo.
A pesquisa sugere que o T. rex pode ter sido capaz de levantar cerca de 200 quilos com cada braço. Isso pode não ser uma quantidade razoável para um dinossauro que chegava a medir 6 metros de altura e a pesar 8 toneladas, mas é o suficiente para bater o mais forte dos homens em um competição de queda de braço.

Poderá também gostar de ver
Nem todo T. rex é dinossauro

O sexo do bebê

Quando dá para descobrir o sexo do bebê?
Dependendo do método que se usa pode ser a partir de oito semanas de gravidez, através do exame da sexagem fetal no sangue materno e, a partir de dez semanas, por métodos genéticos, que são invasivos e recomendados apenas em situações especiais, embora o mais comum seja descobrir o sexo do bebê através da ultrassonografia.
Pelo ultrassom, a partir de 13 semanas de gravidez, dependendo da perícia do ultrassonografista, da qualidade do aparelho e da posição do feto, é possível saber o sexo do bebê, e mesmo assim com uma chance de erro de 10 por cento. E, a partir de 16 semanas, pelo ultrassom, com mais certeza, mas ainda dependendo da posição do bebê e da experiência do profissional.
BabyCenter Brasil, por Carolina Schwartz
Bem, erros acontecem...

Poderá também gostar de ver
Medicina com rodízio - 3

14 outubro, 2015

Concha dando sopa

Se eu visse essa concha dando sopa em alguma loja eu a compraria. É bonita, funcional e suas pernas permitem que a concha fique em pé sem tombar.
Além de tudo, é a cara da Nessie.

GIZMODO

Contra a exploração madeireira ilegal

Conexão Floresta (Rainforest Connection, RFCx) transforma telefones celulares reciclados em dispositivos autônomos de escuta, movidos a energia solar, que podem monitorar e identificar a atividade de uma motosserra à distância.
Isto muda o jogo. Com a entrada em cena deste sistema, o primeiro produzido para a detecção de exploração madeireira em tempo real, qualquer pessoa ao redor do mundo poderá saber imediatamente onde está a ocorrer alguma atividade de desmatamento ilegal.
E, pela primeira vez em escala global, agentes responsáveis ​​poderão chegar ao local do crime a tempo de interromper os danos e flagrar seus autores.



Cada minuto conta. Consciência em tempo real significa intervenção em tempo real. Nós podemos parar a exploração madeireira ilegal.

13 outubro, 2015

A riqueza do mundo em pizza

Toda a riqueza do mundo soma 241 trilhões de dólares.
Tim Urban, de Wait But Why, converte todo esse dinheiro em distintas unidades de medida em What Could You Buy With $241 Trillion?
A conversão mais aguardada é:
Quanta pizza você pode comprar com esses 241 trilhões de dólares?
Uma pizza média (14") da Domino's custa cerca de 19 dólares em NY, ou seja, 52,3 cm2 de pizza por dólar. Toda a riqueza mundial, portanto, daria para uma pizza de 1,26 milhões de km2, o que cobriria todo o território do Niger.
O que ele não deixa claro é se o preço dessa pizza inclui a entrega em domicílio.

A riqueza do mundo expressa em pizza

Carros pré-danificados

Se gostamos de jeans novos propositalmente rasgados por que não aprenderíamos a gostar de carros novos pré-danificados?



12 outubro, 2015

O protesto das mães lactantes

Em julho (4), cerca de 40 mães que amamentam se reuniram em frente ao Lobby Hobby, em Orem, Utah, para pressionar a loja a educar os funcionários sobre os direitos legais das mães que amamentam. Isso resultou de um incidente que Brenda Morgan, uma mãe lactante, teve com o gerente da loja.
Brenda perguntou ao gerente onde ficava o local em que ela podia amamentar o filho, quando o gerente lhe indicou o banheiro. Ela disse: "Você come no WC?". E o gerente respondeu que não. Então, ela disse: "Exatamente... e nem meu filho".
Brenda afirma que o funcionário ameaçou retirá-la da loja.
Ela quer um pedido de desculpas e que a loja passe a reconhecer os direitos das mães que amamentam. Hobby Lobby ainda não comentou sobre esse protesto das mães lactantes.

"When Nurture Calls" (Quando a Nutrição Chama)
Três cartazes de uma campanha feita por estudantes da University of North Texas, com o intuito de fazer aprovar um projeto de lei que tramita no Congresso dos EUA sobre a amamentação em locais públicos 

Em São Paulo, as mulheres têm o direito de amamentar em público garantido por lei. O prefeito Fernando Haddad sancionou, em 14 de abril de 2015, a lei que garante o aleitamento materno em qualquer estabelecimento de São Paulo. Quem constranger ou proibir a mãe de amamentar seu filho em público pagará multa de R$ 500. Em caso de reincidência, o valor dobra. O local não precisa ter área específica para amamentação.
"Todo estabelecimento localizado no município de São Paulo deve permitir o aleitamento materno em seu interior. Para fins desta lei, estabelecimento é um local, que pode ser fechado ou aberto, destinado à atividade de comércio, cultural, recreativa ou de prestação de serviço público ou privado", diz um trecho da lei.

O aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida e até os dois anos ou mais, em conjunto com outros alimentos, traz resultados fantásticos para a saúde da mãe e do bebê.

ERRATA

Onde se lê: UM BRASIL LIVRE DA CORRUPÇÃO
Leia-se: UM BRASIL DA CORRUPÇÃO LIVRE

18/10/2015 - Atualizando ...
Cunha explica suas contas secretas na Suíça:
Tem um irmão gêmeo, desaparecido e homônimo. Quando o diabo quer, isso acontece.

O ator onipresente


O ator britânico Benedict Cumberbatch está em toda parte. Ele está em Sherlock, Hawking, Star Trek: Into Darkness, The Hobbit, The Fifth Estate, 12 Years a Slave e The Imitation Game, entre inúmeras outras atuações no cinema e na televisão.
Você está sozinha em um quarto e, de repente, sente que está sendo olhada? É Benedict Cumberbatch. Mesmo na santidade da sua mente e de seus pensamento, o Bento... terrivelmente bonito e onipresente, está lá. Ele está em você!

11 outubro, 2015

Fast service

Isto é que é serviço rápido!


Quatro segundos!

Os melhores cantores de todos os tempos

Internacionais: Paul McCartney, Paul Simon e Paul Anka.
Brasileiros: Paulo Diniz, Paulo Fortes (lírico), Paulo Ricardo, Paula Fernandes, Paula Toller, Paulo Soledade, Paulo da Portela, Paulinho da Viola e Paulinho Boca de Cantor.
(opinião pessoal)
\o/ \o/ \o/ \o/ \o/
Minha admiração por Luíses

Por que é tão difícil entender ópera

Se você já se perguntou por que é tão difícil entender ópera, então você deveria ler o trabalho de Bertram M. Schwarzschild para encontrar a explicação. Ele escreveu um artigo sobre o assunto, que saiu no jornal New Zealand Acoustics, intitulado: Why It’s So Hard to Understand Opera (Por que é tão difícil entender ópera).
"Um ouvinte frustrado poderia muito bem definir a ópera como um grande teatro musical em que você tem dificuldade para compreender as palavras, mesmo quando eles estão sendo cantadas em seu próprio idioma. Admitindo o ponto, muitas casas de ópera hoje em dia incluem legendas acima do proscênio. A compreensão é particularmente difícil nos alcances superiores do registro soprano."
Citações operísticas

Bônus
Este vídeo - The Homosexual Necrophiliac Duck Opera - foi feito durante a cerimônia da conferência IgNobel realizada no Grande Salão Sherfield Building do Imperial College, de Londres, em 14 de março de 2014. Por favor, note que é HUMOR! Se você não entende o conceito IgNobel (de fazer rir as pessoas para, em seguida, fazê-las pensar), então, por favor, não assista a este vídeo.


Faltou um uísque antes.

Mais detalhes sobre a história por trás disso estão disponíveis aqui.

11/10/2015 - Atualizando ...
Marc Abrahms postou no Twitter:
Marc Abrahms, de Cambridge, Massachusetts, é editor da revista Annals of Improbable Research, organizador dos IgNobel Prizes e colunista do Guardian. @EntreMentes sou eu.

10 outubro, 2015

Uma sátira do Instagram



Uma conta no Instagram que satiriza o próprio Instagram
Tens uma conta no Instagram e queres fazer o upload de uma foto nova? O que queres conseguir? Não te aborreças nem te esforces. Na conta Satiregram não se faz o upload das imagens, apenas das descrições das imagens. São as descrições das fotos que não sobem à rede. Pensa nisso quando quiseres arquivar ou divulgar tua próxima obra-prima.

A estocagem de ar em parques eólicos

Como fonte de energia o vento apresenta um monte de benefícios. É um recurso renovável alimentado pela fornalha de nosso planeta, o sol. Ele gera eletricidade sem produzir gases do efeito estufa. E não está associado a subprodutos tóxicos como o mercúrio e os resíduos radioativos.
Infelizmente, a energia eólica tem algumas desvantagens que dificultam a sua utilização. Primeiro, o vento não sopra o tempo todo. E, às vezes, ele sopra mais do que é preciso.
Mas...
Se você pudesse armazenar o excesso de energia nos parques eólicos para que ela pudesse ser usada depois?
Essa é a ideia por trás do Parque de Energia Armazenada de Iowa (Iowa Stored Energy Park, ISEP). O "P" originalmente significava "Planta", mas foi alterado para "Park" quando a organização foi criada em 2005.
Neste caso, a energia é armazenada como ar comprimido e a unidade de armazenamento não é uma bateria, mas a própria Terra. Não é ficção científica. Na verdade, a tecnologia do Armazenamento de Energia de Ar Comprimido (Compressed Air Energy Storage, CAES) recebe há muito tempo a atenção de ambientalistas e especialistas em energia renovável, em sua busca de soluções ecológicas para a substituição dos combustíveis fósseis.
O ISEP é baseado em duas instalações bem-sucedidas de CAES, já em operação – uma em Huntorf, Alemanha, operado pela Nordwest Deutsche Kraftwerke desde 1978; e outra, em McIntosh, Alabama, operado pela Cooperativa Eléctrica de Alabama desde 1991. Ambas realizam a estocagem de ar comprimido. A planta Huntorf usa cavernas de sal como reservatório de armazenamento. A planta McIntosh usa minas preexistentes.
O ISEP leva isso um passo adiante, combinando o vento – fonte de energia limpa, sustentável – com a armazenagem subterrânea de ar (em um aquífero). A gravura abaixo apresenta de forma resumida a planta do ISEP.


http://science.howstuffworks.com/environmental/green-science/iowa-stored-energy-park.htm

09 outubro, 2015

Uma vida na universidade


Os anos que você estiver na universidade, embora pareçam longos e demorados, na verdade são longos e demorados.

Talvez não haja jacarés nem tartarugas em seu esgoto...

Mas ouro, certamente...
Depois de analisar com um espectômetro de massa a lama dos esgotos de uma cidade de um milhão de habitantes, pesquisadores da Universidade Estadual do Arizona descobriram que ela conteria anualmente 13 milhões de dólares em metais, sendo que 2,6 milhões de dólares em ouro e prata.
De onde todo esse ouro vem? Especula-se que ele encontra seu caminho para os esgotos através de processos industriais como a mineração, a galvanoplastia e a fabricação de joias. Se não de joias definitivamente fabricadas, como anéis de casamento, que são, de propósito ou não, jogados nos vasos sanitários.
E o custo de extração desses metais preciosos, a partir da lama dos esgotos, valerá a pena?
Falando em nome da equipe da pesquisa, Paul Westerhoff pensa que sim. Este será o próximo passo da investigação.

Poderá também gostar de ver: Mare aureum

08 outubro, 2015

Corrida armamentista


Em 1919, GW Blake, um cidadão do Estado de Michigan, deu entrada a um pedido de registro de um invento no Escritório de Patentes dos EUA. O invento destinava-se ao extermínio de moscas e insetos similares.
Era uma pistola de mola que disparava uma tela de arame com velocidade suficiente para surpreender o mais preparado dos insetos.
Naquele tempo, as moscas já sabiam como escapar dos mata-moscas de baixa tecnologia.
Patente US1468373

O sapo paradoxal

O Pseudis paradoxa é o Benjamin Button do mundo dos anfíbios. Ele começa como um girino de 25 cm de comprimento e diminui à medida que cresce (sic). terminando como um pequeno sapo tropical, com cerca de um quarto do tamanho original.
Quando os biólogos descobriram esse sapo paradoxal na selva sul-americana, eles ficaram (compreensivelmente) confusos. No início, eles acharam que os sapos adultos seriam os bebês, que mais tarde se transformariam em girinos gigantes, exatamente o oposto do que acontece com todas as outras espécies de sapos e rãs no mundo. Mais tarde, descobriram que os girinos eram, de fato, as formas jovens do sapo, mas ainda não sabem como explicar como se dá esse fenômeno bizarro.
O curioso caso de Benjamin Button
(filme baseado em um conto homônimo de F. Scott Fitzgerald – EUA, Paramount Pictures, 2008)
É a história de um homem, Benjamin (Brad Pitt), que em 1918 nasce com a aparência envelhecida e por isso, pensando que ele era um monstro, seu pai o abandona. Benjamin é criado num lar assistencial de idosos e, enquanto pequeno, todos pensavam que ele iria acabar por morrer rapidamente. Durante a sua infância conhece Daisy (Cate Blanchett), o grande amor da sua vida. Apesar de ninguém acreditar na sua sobrevivência, ele vai ficando mais novo ao longo dos anos, vendo os outros ao seu redor envelhecerem.
Leucodistrofia
Apesar dessa história ser ficção, na vida real existe uma doença que faz com que adultos comecem a agir como crianças e tenham de receber cuidados especiais. Devido ao filme essa doença tem sido chamada de "Síndrome de Benjamin Button", mas o seu verdadeiro nome é leucodistrofia. É causada pela degradação da mielina, uma importante substância do sistema nervoso central. E, conforme a enfermidade vai piorando, o portador se infantiliza até não conseguir fazer nada sozinho.
Referências
http://www.odditycentral.com/animals/pseudis-paradoxa-the-paradoxical-frog-that-shrinks-as-it-grows.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Curious_Case_of_Benjamin_Button
http://minilua.com/incrivel-sindrome-benjamin-button/

07 outubro, 2015

Um comentário recente sobre a postagem "A Dança do Sabre"



Data da postagem: 06/04/2009
Data do comentário: 06/10/2015
[a seguir]
Excelente postagem...
Lembro-me bem dessa melodia selvagem que embalava o início das tardes nas ondas da AM. Nessa época, ainda não imaginava que seria um entusiasta da dita música erudita. Khachaturian foi, um tanto quanto, exagerado em sua colocação de popularidade de sua "Dança do Sabre". "O Balé Gayane", no seu todo, é uma obra de excelente qualidade e inventividade. Sem contar com seu Concerto para Piano, as três sinfonias e as suítes dos balés "Spartacus" e "Masquerade". A música, sem dúvidas, é de uma popularidade ímpar, porém não acho que ela ofuscou tanto assim as suas outras obras. Paul Dukas. Este sim, parece ter composto apenas "O Aprendiz de Feiticeiro".
P.S.: A propósito, "A Dança do Sabre" é o meu toque de celular. ;)
marcelohpo

O cara que foi proprietário do "google.com" durante um minuto

Já era tarde e Sanmay Ved acessava o Google Domains, o serviço de compras de domínios do Google, quando ele percebeu que o "google.com" estava disponível. Pois, em vez de um face cinzenta triste, que indica que um domínio tem dono, um rosto verde feliz foi o que ele visualizou na tela do computador.
Ved adicionou o "google.com" ao seu carrinho de compras (que só deveria aparecer ao lado do domínio se este estivesse de fato disponível) e, surpreendentemente, a transação foi fechada.
Qual foi o custo para comprar o domínio mais movimentado do mundo?
Apenas 12 dólares.
Obviamente, a história (contada no Linkedin de Sanmay e no Business Insider) não é senão uma história curiosa, pois a propriedade do domínio "google.com" durou para Sanmay não mais que um minuto, o tempo necessário para o Google Domains desfazer a operação. A razão por que o domínio se tornou brevemente disponível é desconhecida, se foi por um erro do sistema ou se foi porque, naquele momento, deveria acontecer – o que realmente pode ter acontecido, uma vez que a data de renovação do domínio "google.com" se dá em meados de setembro.
(Guarde esse detalhe, leitor.)
"A parte assustadora foi que eu tive acesso às ferramentas de gerenciamento do Google por um minuto", disse Ved.

Poderá também gostar de ver
Sítios mais acessados

28/10/2015 - Atualizando ...
A gigante tecnológica Google recompensou Sanmay Ved, que, por apenas 12 dólares, comprou transitoriamente o "google.com", o domínio mais visitado do mundo.
Depois de afirmar que não iria pagar qualquer indenização pela transação acidental, a atitude do jovem fez o Google mudar de ideia.
Em declarações ao Bussiness Insider, Sanmay Ved disse que "não me importo com o dinheiro. Nunca foi por dinheiro" e acrescentou que "quero dar o exemplo de que nem sempre as pessoas que encontraram bugs o fazem por dinheiro."
Ao saber da intenção de Ved em doar a recompensa a uma instituição de caridade, o Google decidiu duplicar a recompensa.
A fundação indiana The Art of Living India, que proporciona educação a famílias mais carentes, foi a instituição escolhida por Ved. A exata quantia doada não foi revelada mas ultrapassará os 10 mil dólares.
http://www.dinheirovivo.pt/Buzz/Tech/interior.aspx?content_id=4829379
http://www.newsoftheworld.com.br/2015/10/o-homem-que-comprou-google-com-por-um-minuto.html

06 outubro, 2015

Os homens são de Marte

O encontro dos titãs | O robô Curiosidade

A aversão ao risco

por Alvy, Microsiervos
A aversão ao risco é a forma como economistas, matemáticos e psicólogos explicam um fenômeno muito comum que, de certo modo, desafia a lógica. É mais ou menos assim: quando atuamos em economia ou em jogos de azar, tendemos a evitar as situações de risco, ainda que os benefícios previstos possam ser maiores do que as perdas, inclusive em longo prazo.
Derek, de Veritasium, explica isso com um exemplo simples: com o jogo de cara e coroa.
Quase ninguém aceita pagar 10 dólares ao perder, ainda que receba 12 dólares ao ganhar, não obstante a margem de benefício ser de 20 por cento.
Os psicólogos acreditam que, de fato, o sofrimento da perda supera a alegria do ganho.
Somente quando a aposta alcança um valor entre 30 e 50 dólares por jogo ganho, frente a 10 dólares por jogo perdido (o que já dá uma margem de benefício entre 300 e 500 por cento), é que a maioria das pessoas aceita apostar.
La gente simplemente no quiere perder y ni siquiera prometerles que pueden jugar muchas veces para que el efecto sea más palpable sirve de nada.
O paradoxo dentro do paradoxo
Apesar dessa singular aversão ao risco, aqui temos o paradoxo dentro do paradoxo. Quase todo mundo parece aceitar fórmulas seguras de perder como nas loterias, cassinos e sobretudo na Lotería de Navidad.

05 outubro, 2015

Português português

Na barraca da Feira do Livro de Lisboa (foto) não comemos nem os churros. Sabe-se lá!!! Hehehehehe...


O português de Portugal é de uma sonoridade muito bonita, mas o português brasileiro se distanciou muito da língua mãe. O que é muito natural.
Às vezes, nós turistas brasileiros, bobos e desavisados, passamos por algumas situações bem cômicas.
Uma vez, em um restaurante de Lisboa, a garçonete nos trouxe o cardápio e, uma amiga nossa, depois de examinar os pratos, chamou a moça e perguntou:
- Por favor, esses "gambás" vocês preparam como?
- Gambás, senhora???, perguntou, intrigada.
E emendou, rindo, ao ver o prato apontado pela nossa amiga:
- Ora pois, é um prato delicioso com "gambas". No Brasil vocês chamam de "camarões".
Tóin. Desculpe, caiu algo aqui embaixo da mesa.
Fernando Gurgel Filho

Existe a força centrífuga?


Sim, existe. E, na falta da força centrípeta, uma tomara-que-saia não é páreo para ela.

Arquivadas
Uma centrífuga para parturientes, Por que não voamos para o espaço?, Como os animais se secam e O paradoxo das folhas de chá

Um acerto de contas

Ernest Thompson Seton (1860–1946), escritor e naturalista, descrevia seu pai como "o homem mais egoísta que eu já conheci ou ouvi falar na vida real ou na ficção".
Em 1881, no aniversário de 21 anos de Seton, seu pai o chamou ao escritório, tirou um enorme livro de caixa de um estante bem alta e abriu-o na letra "E".
No livro, o pai tinha anotado todos os gastos feitos com o filho, com o dia e a data de cada desembolso, incluindo os honorários do médico obstetra. O total era 537,50 dólares.
"Até aqui", disse o pai, "eu não estou cobrando nenhum juro. Mas, a partir de agora, eu devo adicionar a razoável taxa de 6 por cento ao ano. Ficarei feliz em vê-lo quitando a dívida na primeira oportunidade possível".
Atordoado, Seton saiu da sala, recusando a oferta do pai "para fornecer – sem despesa – uma cópia completa do endividamento".
Enquanto se retirava, ainda ouviu do pai: "Deus o abençoe, meu filho. Com o curso natural dos acontecimentos, você deixa de ser um prisioneiro em minha casa. Mas eu confio fervorosamente que você nunca vai esquecer o que deve a seu pai, que é para você no mundo aquele que está logo depois de Deus".
Seton pagou a conta e nunca mais falou com o pai.

04 outubro, 2015

David, em seu dia de Golias


Foto teste

Olhe bem para esta foto:

O desafio consiste em responder se a foto foi batida por uma delas ou por uma terceira pessoa.
Confira aqui se você acertou a resposta.

O vício em smartphones

"Não sei para que tenho um smartphone. Passa tanto tempo no carregador que você pode chamá-lo de telefone fixo." ~ Jonco Stl

Este desenho de animação, do canal "Life Smartphone" do YouTube, mostra personagens tão obcecados com seus smartphones que já não percebem mais o mundo – com todos os seus perigos – que acontece diante dos olhos.



Smartphones e coelhos | O sole mio