31 março, 2015

Freud explica, mas não justifica

por Fernando Gurgel Filho
Hannah Arendt, ao fazer uma reportagem sobre um dos carrascos nazistas que iria ser julgado por seus crimes contra a humanidade, esperava encontrar um monstro, não um ser humano.
Foi surpreendida. Encontrou apenas um ser humano comum. Muito comum até. Banal.
Talvez a psiquiatria explique. Ou não. Porque há pessoas portadoras de problemas mentais, alguns muito graves e perigosos para a sociedade, não os aparentem. São pessoas comuns. Muito comuns até.
Assim, transitam entre nós pessoas com as mais diversas taras e problemas mentais. Pedófilos, masoquistas, sádicos, suicidas e toda uma gama de desajustados socialmente que é praticamente impossível catalogá-los todos.
Então, dentre esses comprovadamente desajustados, é de se compreender perfeitamente que alguns tenham verdadeira adoração por Hitler, Stalin, Gengis Khan, Mao, Médici, Pinochet... Como outras pessoas teriam por Ghandi, Bob Dylan, os Beatles e os Rolling Stones.
Afinal de contas, ditadores têm tudo que essas pessoas desejam. Torturam, matam, exilam... São especialistas em "banalizar o mal", o sofrimento... Provocam toda espécie de sofrimento aos seres humanos. (Para masoquistas e sádicos, um prato cheio e extremamente saboroso.)
Então, não me causa espanto, apesar da aparência "normal" de alguns amigos, que estes defendam uma ditadura militar.
Creio que estão sendo sinceros. Pena que não procurem ajuda médica.
N. do E.
Em 1963, Arendt lançou "Eichmann em Jerusalém", reunindo os cinco artigos que ela escreveu sobre o julgamento de Eichmann, que cobriu para a The New Yorker. Nesse livro, Eichmann não é retratado como um demônio (como o descreviam os ativistas judeus) mas alguém terrível e horrivelmente normal. Um típico burocrata que se limitara a cumprir ordens, com zelo, por amor ao dever, sem considerações acerca do bem e do mal.

Uma torre de confetes


Confetes são geralmente uma bagunça. É por isso que (exceto para o pessoal encarregado de fazer a limpeza) são muito divertidos!
Lenka Clayton, um artista conceitual do Reino Unido, teve a paciência de dispor ordenadamente milhares de confetes (18.180 unidades, segundo o designboom, que traz uma sequência de fotos progressivamente ampliadas), de modo a formar uma torre de 1,90 m de altura.

Jogando confetes

Leitorado
Sr. Paulo Gurgel,
Suas observações e recortes da realidade que produz são impagáveis. Obrigada por nos divertir nesta situação tão constrangedora e agressiva que vivemos.
Nena Noschese

30 março, 2015

A escrita média mundial

BIC pediu ao público global para contribuir com a escrita manual em seu experimento da fonte universal, que combina centenas de milhares de variações de caligrafias individuais em uma única fonte.
O projeto celebra a esferográfica BIC Cristal e marca a primeira tentativa de combinar os dados demográficos de todo o mundo em um alfabeto digital unificado.

Explore você também: http://goo.gl/UL4dN0

Um cemitério para animais de estimação


Fundado em 1896, o Hartsdale Pet Cemetery, em Nova York, é o mais antigo cemitério de animais nos Estados Unidos. Muitos dos túmulos, uma vez adquiridos, são usados ​​por mais de um animal de estimação.
Esta família, aparentemente, gostou muito do nome Flossie.

No Atlas Obscura:
+ lápides do cemitério Hartsdale

29 março, 2015

O mores!

Ontem
O delegado Sérgio Fleury cristalizou-se na história recente do Brasil como a principal estrela dos grupos que torturavam nos porões da ditadura civil-militar. Guerrilheiros capturados eram barbarizados para revelar pontos de encontros com seus companheiros. Outras vezes eram devastados fisicamente por puro sadismo. No governo do presidente Ernesto Geisel, da ala moderada, a cúpula militar teve de refreá-lo, pois, como alguns militares, estava fora de controle — como se tivesse licença para matar, ao estilo de James Bond, mas sem a elegância deste. Entretanto, antes de Geisel, o formulador da política da distensão (abertura), Fleury, que viajava de Sul a Norte do país em busca de torturáveis, era protegido pelo governo. As gestões de Costa e Silva e Emilio Garrastazu Medici o protegeram e o financiaram — quando morreu afogado (suspeita-se de "queima de arquivo", porque sabia e falava demais), tinha um alto padrão de vida — durante anos. Era delegado mas comportava-se como um "coronel sem farda". Era temido até por policiais civis e militares. Por conta de seu envolvimento numa execução articulada pelo Esquadrão da Morte, a Justiça decretou sua prisão preventiva em 1973. Imediatamente, o governo Medici  pressionou o Congresso Nacional para aprovar a Lei nº 5.941. A Lei Fleury, como ficou conhecida, "permitia a todos os réus primários e de bons antecedentes responder ao julgamento em liberdade, inclusive se fossem condenados em primeira instância ou se seus processos não tivessem sido julgados em instância superior". Com base nessa lei, Fleury foi absolvido, de modo unânime, pelo 2º Tribunal do Júri de São Paulo, em 1974. Como prêmio pelos serviços prestados à ditadura, o Torquemada dos trópicos "foi condecorado como o policial do ano".
Nota extraída da edição 1914 do Jornal Opção para reavivar a memória dos antigos e novíssimos simpatizantes de uma "ditadura constitucional" no Brasil.
Hoje
O juiz Sérgio Moro propõe prisões antes do trânsito em julgado.

Una lacrima nel suolo

Keita Suzuki criou para a NHK TV Educativa esta peça de mobiliário.
Feita em plástico vinil, com 0,3 milímetros de espessura, a peça contém 64 litros de água. Esta quantidade foi escolhida para representar os 64 litros de lágrimas que, segundo o próprio Suzuki, uma pessoa verte em média durante a vida.

Projeto exposto no Tokyo Midtown. Foto: Kenta Hasegawa

Não sei se chamo isso em "português" de puff ou de sniff.

Animais montados em animais

Robert Jones montou uma seleção de vídeos do YouTube em que animais aparecem montados em outros animais. Quem são os melhores "cavaleiros"?
Salta à vista que são os macacos.



- Ei, meu sofá começou a andar!

28 março, 2015

Uma regra de ouro

Ao encomendar produtos on-line, se algo parece com uma farsa é provavelmente uma farsa.
Foi a lição que um homem da Malásia aprendeu ao encomendar um ampliador de pênis e, em vez disto, receber... uma lupa.
O homem, citado apenas pelo nome Ong, numa reportagem do "The Star Online", pagou 450 ringgits malaios (cerca de US $ 140) por um dispositivo de ampliação do pênis. Mas o pacote que ele recebeu continha apenas uma lupa e um pequeno conjunto de instruções. Do tipo: "Não utilizar sob a luz solar."
Quando Ong entrou com uma queixa num bureau de reclamações da Malásia, as autoridades consideraram um caso sem solução. O malaio não possuía provas da compra que fizera, tais como recibos. E seu advogado, Alex Kok, declarou ao jornal: "Nós não sabemos a quem processar, onde e como processar."
O caso dele não foi um exemplo isolado. Milhares de dólares são perdidos a cada ano em transações on-line, como a que aconteceu a Ong.
O chefe do bureau de reclamações, Datuk Seri Michael Chong, disse aos jornalistas:
"Homens e mulheres são igualmente vulneráveis ​​a essas fraudes, Só este ano, três pessoas perderam mais de 80.000 ringgits para esses vigaristas. É preciso muito cuidado ao comprar coisas on-line, especialmente aquelas que reforçam a genitália."
Arquivo
Penis growth

Não tente fazer isso no computador


Versão Vídeo: Peter's Computer

27 março, 2015

Um ácaro que espirra

Ácaro é a designação comum referente a animais pertencentes à subclasse Acari, que se localiza dentro da ordem dos aracnídeos. A palavra Acari se originou do grego akares, que significa pequeno. A maioria dos adultos mede entre 0,25 e 0,75 mm de comprimento, embora existam espécies ainda menores.
O grupo apresenta aproximadamente 55 mil espécies descritas, compondo aproximadamente 5.500 gêneros e 1.200 subgêneros, representados em 540 famílias. Entretanto, estimativas do real número de espécies de ácaros vão de 500 mil a 1 milhão, pois novas espécies são rotineiramente encontradas, até mesmo em substratos que já foram bem estudados.
Os ácaros abundam nos colchões, travesseiros, cobertores, tapetes, sofás, almofadas, cortinas e bonecos de pelúcia, desenvolvendo-se em condições ótimas de umidade superior a 70% e temperatura superior a 20 °C. Nas habitações, alimentam-se principalmente de fragmentos resultantes da descamação do epitélio humano e da pele dos animais domésticos.
Os excrementos dos ácaros e os ácaros mortos dispersam-se em poeira fina, e sendo inalados podem provocar alergias nasorrespiratórias. Seus antígenos mais conhecidos são: Der p1 (D. pteronyssinus), Der f1 (D. farinae) e Eur m1 (E. maynei).
Ácaro sofre de alergia?
Bem, neste curta de animação (MITE), Walter Volbers, o realizador do vídeo, mostra um ácaro espirrando...


Grafofagia, xilofagia e glossofagia

A grafofagia é um neologismo cunhado por Janet Beizer, professora de línguas e literaturas românicas da Universidade Harvard, para designar o ato de ingerir textos com fins sobrenaturais.
A grafofagia, na verdade, é um subconjunto da antiga xilofagia. Nesta, o portador come o papel, apenas por ser papel, e desenfastia-se com lascas de madeira. Enquanto na grafofagia é como no jogo do bicho: vale o que está escrito. O portador atribui uma propriedade simbólica ou mágica às palavras que estão no papel e, por isso, o come.
Se soubesse que o papel aceita tudo...
Tarlei Martins (link) encontra uma acepção diferente para a grafofagia. Ao observar o que acontece nos chats e redes sociais (o reino do fast) em que as palavras sofrem mordidas, principalmente nas vogais. A grafofagia como um fenômeno que atinge o corpo gráfico dos vocábulos.
Quando atinge o corpo fônico, então o caso é de glossofagia. Como acontece nestes exemplos: "refri", "preju", "deprê", "patropi"...
Patropi? Na canção "País Tropical", do Jorge Ben, há glossofagia em "catadu", digo, catadupa.

26 março, 2015

Tabela de obituários

†   †   † 
A Waterford Chronicle comunica às pessoas que anunciam obituários no Jornal que adotará seguinte tabela de preços:
Para uma morte simples, dois xelins e seis pences.
Para a morte de uma pessoa lamentada profundamente, cinco xelins.
Para a morte de uma pessoa que viveu um padrão perfeito de todas as virtudes cristãs e cuja morte foi lamentada por todo o país, dez xelins.
Para a morte de uma pessoa que possuía profunda erudição, acrescentada de que toda a sua vida foi marcada pela piedade, humildade, caridade e abnegação, uma libra.
Para a morte de uma senhora que era o deleite do círculo em que ela vivia e cujo marido está inconsolável pela perda, uma libra e dez xelins.
Para a morte de um cavalheiro que, casado há seis meses, era um exemplo de todas as virtudes conjugal e doméstica, e cuja viúva está em um estado de angústia beirando o esquecimento, duas libras.
Para a morte de um aristocrata que era um padrão de mansidão, um modelo de humildade, patrono do gênio angustiado, um verdadeiro filantropo, um cristão exemplar, um generoso doador de esmolas, profundamente erudito, incessante no cumprimento dos deveres de sua posição, amável, hospitaleiro e carinhoso com seu arrendatários, e cuja perda será lembrada e lamentada pela posteridade, cinco libras.
Para cada boa qualidade adicional, seja doméstica, moral ou religiosa, haverá um custo adicional.

Birmingham Journal, 21 de agosto de 1830

O silêncio dos grilos

Em 2003, Marlene Zuk viajou para a ilha havaiana de Kauai e ouviu algo muito estranho: nada. Um silêncio inquietante. Uma ausência de canto dos grilos.
Zuk vinha estudando os grilos em Kauai desde 1991, uma época em que os insetos tanto eram ruidosos quanto abundantes. Mas, cada vez que ela voltava para a ilha, ela ouvia cada vez menos o cri-cri deles. Em 2001, ela ouviu um único macho a cantar. Em 2003, o silêncio era completo.
Mas os grilos não haviam desaparecido. Zuk, em seus passeios noturnos, continuava a ver desses insetos à luz de sua lanterna. Existiam mais deles do que antes, só que eles não cantavam. Ao dissecá-los, Zuk descobriu um exemplo de evolução rápida.
Nessa história, a evolução dependia de uma mutação que afetava o formato das asas nos grilos machos. Os machos normais têm asas especialmente equipadas com um raspador e um conjunto de dentes igualmente espaçados que produzem um ruído característico quando friccionados entre si. O efeito é como o que se obtém ao correr a unha sobre os dentes de um pente.
Grilos machos cantam para chamar suas parceiras (que são mudas). Machos mutantes, por sua vez, têm asas como as das fêmeas, sem as características que produzem o ruído por fricção. Uma mudança que suprimia suas músicas de corte, mas provavelmente salvava suas vidas.
Na década de 1990, a equipe de Zuk descobrira que os grilos eram alvo de uma mosca parasita, cujas larvas crescendo neles devorava-os vivos. E as moscas encontravam os grilos ouvindo seus recitais. Elas estavam sendo tão eficazes em suas posturas que, na época, um terço dos grilos machos já estavam sendo parasitados por suas larvas.
O que é mais vantajoso para um grilo macho: asas ruidosas normais ou asas mudas mutantes?
Bem, isso depende. Nas ilhas sem a mosca parasitária, os grilos normais levariam vantagem, pois com suas asas ruidosas atrairiam com maior taxa de sucesso as parceiras para o acasalamento, Já nas ilhas infestadas pelas moscas, como no caso de Kauai, a seleção natural favoreceria os grilos mutantes que, sobrevivendo ao ataque das moscas, teriam  maiores chances de procriar.
Em menos de 20 gerações, os grilos de Kauai foram de quase-tudo-cantante para quase tudo-em silêncio. Tornaram-se um exemplo clássico de evolução rápida .
Fontes
The Silence of the Cricket, National Geographic
Quick evolution leads to quiet crickets, Understanding Evolution

25 março, 2015

O Pequeno Príncipe na Rosetta

Sabemos que o Pequeno Príncipe (Le Petit Prince) vive no asteroide B612. Esse pequeno detalhe foi deixado de lado pela Slow Factory ao criar a "Le Petit Prince on Rosetta", sua nova coleção de camisas.
Rosetta é o nome da sonda da Agência Espacial Europeia, em órbita ao redor do núcleo do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, a partir de agosto de 2014, acompanhando-o em sua aproximação do Sol.
Aqui nós também temos acompanhado a saga da Rosetta. [1] [2] [3] [4]
Ela nem sequer é mostrada nas camisas da Slow Factory, apesar de constar o nome Rosetta no título da nova coleção. Nas gravuras das camisas, o personagem de Saint-Exupéry aparece sempre sobre o núcleo do cometa 67P.
Talvez o nome "Le Petit Prince on 67P..." não soasse tão bem.
Parafraseando Bial
Poesia não dá camisa
Mas quando o poeta tem uma mula...
Rosetar quer dizer esporear (aplicar as esporas). O termo é originário de "roseta" peça circular da espora, em forma de estrela, que espeta a montaria quando acionada. Em Minas, o povo do interior usa "rosetar", também, com o significado de transar. "Que me importa que as mula manque, eu quero é rosetar" (marcha carnavalesca de Haroldo Lobo e Milton de Oliveira, gravada por Jorge Veiga em 1946).

Como hipnotizar alguém

Não é difícil hipnotizar uma pessoa que queira ser hipnotizada.
O hipnotizador meramente funciona como um guia para ajudar a pessoa a usar o seu poder da imaginação com mais eficiência.
Para tanto, o método de relaxamento progressivo apresentado abaixo é uma das maneiras mais usadas.
  1. Peça à pessoa para fechar os olhos e imaginar que está em um "lugar feliz", onde ela possa se sentir confortável e segura, como um campo ao lado de um riacho que corre suavemente.
  2. Fale lentamente, com uma voz "hipnótica" baixa e suave, combinada à respiração da pessoa, com elaboração e repetição muito além do ponto de tédio de uma conversa normal.
  3. Peça para que a pessoa relaxe completamente, usando palavras como estas: "Deixe seus pés e suas pernas relaxarem." Etc.
  4. Mude gradualmente as instruções, tornando-as sugestões que aumentem a força da sensação de relaxamento.
  5. Usando a respiração da pessoa, e a linguagem corporal como um guia, gradualmente, faça sugestões mais diretas, através de sugestões semelhantes à seguinte. "Relaxe e desligue sua mente." Etc.
  6. Você pode concluir sua indução com palavras como: "Agora, você está descansando confortavelmente em um estado de sono pacífico e profundo, indo cada vez mais fundo e mais rápido e mais profundo e mais rápido, até que eu traga você de volta. Você só vai aceitar as sugestões que sejam para seu benefício, e que esteja disposto a aceitar."
(extraído do wikiHow)

Existe uma versão simplificada do método de relaxamento progressivo para ser usada exclusivamente no homem. Na qual, o hipnotizador deve pular as etapas de 1 a 6 da fase de indução da hipnose e ir diretamente para o recurso que é mostrado na figura acima. (PGCS)

24 março, 2015

Stephen Hawking está fora de controle

Ninguém mexe com o homem mais inteligente da Terra!


Rodas da Justiça

Em 1962, um motorista sueco foi multado por ter deixado o carro muito tempo em um local com limite de tempo para estacionamento. O motorista se opôs, dizendo que ele havia retirado o carro a tempo e que, em seguida, acontecera de retornar para o mesmo local. O policial sustentou a acusação, dizendo que ele havia anotado as posições das válvulas em dois dos pneus - a válvula da roda dianteira estava na posição de 1 hora, a válvula da roda posterior, às 8 horas. Se o carro havia saído e retornado, argumentou o policial, as válvulas não deveriam ter continuado nas mesmas posições.
O tribunal aceitou a alegação do motorista, calculando que a chance de as válvulas voltarem para as mesmas posições por acaso era 1/12 × 1/12 = 1/144, grande o suficiente para estabelecer uma dúvida razoável. O tribunal acrescentou que, se todas as quatro válvulas tivessem sido encontradas nas mesmas posições, a probabilidade mais baixa (1/12 × 1/12 × 1/12 × 1/12 = 1/20736) teria sido suficiente para sustentar a acusação.
Isso está certo? Ao avaliar esse raciocínio, o professor de Direito da Universidade de Chicago Hans Zeisel observou que este método foi tendenciosa em favor do réu, uma vez que as posições das válvulas não são perfeitamente independentes.
Mais tarde, ele acrescentou: "O uso do resultado 1/144 para a probabilidade de observações da polícia sobre a suposição de que o réu tivesse saído também pode ser questionado. Não só porque as rotações de pneumáticos de eixos diferentes podem ser correlacionadas, como também o número tem em vista que o carro estava no mesmo lugar de estacionamento. Quando uma pessoa deixa um lugar de estacionamento, está longe de ser certo que o local estará disponível mais tarde, e que a pessoa vai usá-lo novamente. Por esta razão, a probabilidade de uma coincidência é ainda menor do que uma probabilidade envolvendo apenas as válvulas.

Wheels of Justice, Futility Closet

23 março, 2015

O vestido das piores senhas



Lorrie Cranor é professora de Ciência da Computação na Universidade Carnegie Mellon. Ela é especialista em privacidade e segurança de computadores.
Para ilustrar a importância do uso de senhas de qualidade, ela criou uma "nuvem" com as mil piores senhas da língua inglesa. São alguns dos destaques: "12345", "abc123" e "password".
Então, Cranor imprimiu a "nuvem" num tecido e usou o tecido para criar um vestido.
Este vestido... que ela usou ao fazer um discurso na Universidade sobre a segurança de computadores.

Começou em pizza

Esta pergunta foi feita na internet para os operadores do 911:
Qual foi a chamada que você nunca vai esquecer?
Crux1836, do Reddit, respondeu:
"Eu recebi uma chamada que começou tola, mas que era realmente muito séria:
– Alô. Emergência 911. Onde você está?
– 123, Main St.
– Ok, o que está acontecendo aí?
– Eu gostaria de pedir uma pizza para entrega.
– Minha senhora, você ligou para o 911. (Oh, outro trote!)
– Ótimo. Eu quero uma pizza grande, metade pepperoni e metade cogumelos com pimentão.
– Me desculpe. Você sabe que ligou para o 911, não sabe?
– Sei. Quanto tempo vai demorar isso?
– OK, entendi. Você tem uma emergência?
– Sim.
– E você não pode falar sobre isso, porque há alguém com você aí?
– Sim. Mas quanto tempo vai demorar?
– Há um policial perto de sua localização. Existem armas em sua casa?
– Não.
– Você pode continuar ao telefone comigo?
– Não. Vou desligar e aguardar. Obrigada.
Verifiquei o histórico do endereço: havia chamadas anteriores de violência doméstica. E o policial, que foi mandado averiguar, encontrou por lá uma mulher espancada e o seu namorado, bêbado. Definitivamente, esta foi uma das chamadas mais memoráveis que eu recebi no 911."
N. do E.
Os operadores do 911 (*) nos Estados Unidos são treinados para ter o pensamento crítico. E qualquer ligação em pânico para uma sequência de números que comece por 911 será automaticamente direcionada para a Emergência.
(*) 190 no Brasil.

22 março, 2015

Tem buzuzu no bafafá

Nos últimos dias, levantou uma nuvem de poeira na comunidade científica dos EUA. Devido às movimentações dos políticos (em geral republicanos) no Congresso norte-americano para redefinir os objetivos da NASA.
Crescem as dúvidas sobre se eles ainda vão autorizar os gastos que serão necessários para a NASA levar a cabo as missões previstas, entre as quais a de enviar uma missão tripulada a Marte até 2037.
Em meio a essa polêmica, o lendário astronauta Buzz Aldrin, de 85 anos, deu também o seu pitaco. Deixando-se fotografar em Stonehenge, em uma pose épica (que lembra Superman), com a camisa à mostra. Nesta se lia:
"Vire seu c* para Marte" (em tradução aproximada).
Buzz
Nascido Edwin Eugene Aldrin Jr., o apelido de garoto pelo qual é conhecido — Buzz (zumbido, em inglês) — foi dado por sua irmã pequena que o chamava de "Buzzer" (cigarra, em inglês) — tentando pronunciar a palavra "Brother" (irmão) —, depois encurtado para Buzz. Nos anos 1980, ele mudou legalmente seu nome para Buzz. O nome de solteira de sua mãe, coincidentemente, era Marion Moon (Moon significa Lua em inglês).
N. do E.
Buzz Aldrin [1] [2] [3] é uma das celebridades internacionais favoritas do blog EM. Outras são: Chuck Norris, Justin Bieber, Lady Gaga e Stephen Hawking.

ÁGUA. O alerta da ONU

O Dia Mundial da Água celebra-se anualmente a 22 de Março.
A data visa a alertar as populações e os governos para a urgente necessidade de preservação e poupança deste recurso natural tão valioso.
A gestão dos recursos de água tem impacto em vários setores, nomeadamente em saúde, produção de alimentos, energia, abastecimento doméstico e sanitário, indústria e sustentabilidade ambiental.
Origem da Data
Surgiu no âmbito da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento e Ambiente, que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro, em 1992.
O alerta da ONU
G1 – A ONU divulgou nesta terça-feira (24) um alerta mundial sobre os efeitos da escassez de água.
Água para beber, água para comer, para produzir a comida, para higiene, limpeza. Água para trabalhar e para gerar energia para trabalhar. E se ela falta?
O relatório das Nações Unida alerta: muitos países estão perto de enfrentar situações de desespero e conflito por falta d'água. Isso seria uma barreira não só à saúde das populações, mas também ao crescimento econômico e à estabilidade política.
Segundo os pesquisadores, daqui a apenas dez anos, 48 países não terão água suficiente para as suas populações. Isso atingiria quase três bilhões de pessoas. E até 2030, a demanda por água doce no planeta deverá ser 40% maior do que a oferta.


Cachoeira
Aqui apresentamos o vídeo "Cachoeira" feito pelo artista brasileiro Rodrigo EBA!, Dirigindo minúsculos atores (gotas de água), ele obteve um surpreendente resultado.
A trilha musical é dada por uma viola caipira.



Um segundo vídeo (Cachoeira - making of) mostra os desafios que o artista teve de enfrentar ao fazer este maravilhoso curta-metragem de animação.

"Não é que eu tenha paciência. Eu faço animação para ter paciência." – Rodrigo EBA!

21 março, 2015

Carona para o asilo

Depois de parar para tomar todas num bar clandestino, o motorista de um ônibus no Zimbabue percebeu que os 20 doentes mentais que deveria levar para um asilo em Bulawayo haviam fugido. Não querendo admitir sua incompetência, o motorista foi até um ponto de ônibus nas proximidades e ofereceu carona a todos que estavam lá esperando uma condução. Então, deixou os passageiros no hospital mental, dizendo à equipe de saúde que eles eram pacientes perigosos e que tinham fantasias bizarras. O engano só foi descoberto após 3 dias.

George, o Solitário

Mais de 20 mil espécies de animais e plantas de todo o mundo estão atualmente sob ameaça de extinção, e centenas desaparecem a cada ano. Em geral, não se sabe a hora exata de extinção mas, para a tartaruga gigante da ilha de Pinta, nas Galápagos, Equador, a data foi 24 de junho de 2012.
Naquele dia, Lonesome George, o último membro conhecido de sua espécie e agora em exposição no Museu Americano de História Natural, morreu de causas naturais.
Com ela, a sua espécie, Chelonoidis abingdoni, desapareceu.

Uma estratégia para fazer reviver a espécie está em andamento a partir de tartarugas híbridas parcialmente descendentes da tartaruga gigante da ilha de Pinta.

Listas

Bônus
Aqui está (vídeo) uma canção sobre Lonesome George. Parece ser um tributo adequado. Eu adoraria pensar que Lonesome George está agora a brincar com adoráveis tartarugas fêmeas em uma grande ilha no céu.


20 março, 2015

A hidrelétrica de bolso

O Blue Freedom pode ser considerado uma hidrelétrica de bolso. Pesando cerca de 400 gramas, ele produz e armazena eletricidade em sua bateria interna. Essa eletricidade é produzida pela passagem da água (de um córrego, por exemplo) em sua turbina.
O gadget tem a potência de 5 watts, o suficiente para carregar telefones celulares e outros aparelhos, através de conexões USB.

Encontre seu anjo da guarda

Não é só o Pedro Bial que lida com anjos.
No site Lidia Frederico2006-2015 Lidia Frederico. All rights reserved) você coloca a sua data de nascimento e encontra o nome do seu anjo da guarda. Em seguida, clicando sobre o nome revelado você lê o currículo do seu anjo.
O currículo abrange, entre outras informações, a categoria, o tipo de influência, o número da sorte, os salmos de referência e a agenda do anjo. Fiquei sabendo, por exemplo, que o meu anjo da guarda, o Lelahel, está presente na Terra de 1:40 am a 2:00 am.
A melhor parte é quando Lidia descreve os anjos contrários. É aí que ela revela seus verdadeiros medos.
Não sei onde Lidia Frederico estudou Angelologia para elaborar seu calendário eletrônico. De qualquer modo, não percebeu um deslize que a Autoridade Celestial cometeu.
Créditos para mim que levantei a tal lebre. Quando fui ver quem seria o responsável pelo dia 29 de fevereiro (tenho fixação pela data) e surpreso descobri:
– O calendário não traz a data nem o anjo!
O que fez John Walkenbach exclamar no Google+:
– Yikes! A flaw in the system.
E L Turner:
– Evidently God is on military time.
Tempo militar é a contagem do tempo pelo "relógio de 24 horas", isto é, sem os sufixos "am" e "pm". Piada mais sem graça, essa do Turner. Deus é exceção. A agenda de seus mensageiros ainda é pelo "relógio de 12 horas".
Aqui, invoco a Declaração Universal dos Direitos Humanos, em seu artigo 2º, que diz:
Todos os seres humanos têm os mesmos direitos, sem distinção alguma, nomeadamente de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de data de nascimento ou de qualquer outra situação.
O problema é muito sério, gente. Fosse para proteger aquele que vem ao mundo em 29 de fevereiro apenas no dia em que ele faz aniversário seria a maior moleza. Um dia de vigilância a cada quatro anos. Até o chato de um querubim, na expressão do Chico, daria conta do recado. Mas os bissextos precisam de proteção todo dia que Deus dá. No tempo militar isso significa: o ano inteiro.
A Autoridade Celestial não pode deixar a solução do problema para as calendas gregas. Ainda que estejam faltando (por uns tempos) asas para o trabalho. Minha ideia é que se designe o santo do dia. No caso, o santo arcebispo Osvaldo, sobrinho de santo Otão (que não deve ser confundido com o santo rei Osvaldo, all English people).
A história fala dele como um homem de grande zelo pastoral, de edificante generosidade para com os pobres, de trato dedicado e bondoso. Sua vida foi austera até à severidade, levando a vida nos moldes da mais rígida disciplina monástica.
Até falecer em 992, no dia 29 de fevereiro, e o povo de imediato lhe tributar o culto da veneração. Uma distinção que a Igreja em tempo hábil ratificou, ao inserir Osvaldo no catálogo dos santos.
Não cobro nada (nem indulgências) pela sugestão. (PGCS)

Poemeu
DESCUBRAM SEUS ROSTOS

19 março, 2015

Criminalizar resolve?

por Fernando Gurgel Filho, de Brasília
Creio que somente as sociedades imaturas tentem resolver seus problemas sociais criminalizando atos individuais que, por não serem corriqueiros nem aceitos de forma natural, tomam uma proporção alarmante na mente dos formadores de opinião e acabam gerando desconforto a quem gostaria "de fazer alguma coisa", mas não sabe o que fazer e acaba fazendo o que lhe parece mais simples, mais rápido e, quase sempre, o mais inadequado possível.
No Brasil, temos leis penais que podem ser enquadradas nestes casos. Algumas, apenas criam criminosos sem resolver o problema social inerente ao crime que pretendem erradicar. Outras, além de criar criminosos desnecessariamente, são totalmente inócuas por não alcançarem um número que justifique a criminalização do ato.
Na minha opinião, as leis que tratam dos graves problemas dos entorpecentes e do aborto podem ser enquadradas no primeiro caso. A redução da maioridade penal, no segundo.
De qualquer forma, em ambos os casos, são leis que apenas potencializam o problema social, aumentando a periculosidade dos indivíduos apenados e ampliando o alcance do problema para camadas da sociedade que, sem a criminalização pura e simples, não teria como se "beneficiar" de seus efeitos.
Apenas para exemplificar, com um exemplo simples e contundente, podemos citar o caso da famosa "Lei Seca" americana: "O efeito causado pela lei foi totalmente contrário ao que era esperado. Em vez de acabar com o consumo de álcool, e com os problemas sociais relacionados, entre outros, a lei gerou a desmoralização das autoridades, o aumento da corrupção, as explosões da criminalidade em diversos estados e o enriquecimento das máfias que dominavam o contrabando de bebidas alcoólicas. O ponto de encontro das pessoas que bebiam eram os bares clandestinos localizados em espaços subterrâneos, com o objetivo de não chamar a atenção". Fonte: Wikipedia
No caso da redução da maioridade penal, segundo algumas instituições de proteção ao menor e ao adolescente no País, de cerca de 20 milhões de menores e adolescentes aqui existentes, 0,1%, ou seja, 20 mil cumprem medidas sócio-educativas, e destes, cerca de 2 mil – 0,01% do total de menores – respondem por homicídios.
Segundo a Unicef: "Os dados de 2009 revelam que, para cada mil pessoas de 12 anos, 2,61 serão assassinadas antes de completarem a adolescência. Esse número aumentou para 2,98 em 2010, o que representa um aumento inquietante da violência letal contra adolescentes no Brasil", Fonte: Homicídios na Adolescência no Brasil, UNICEF
Vejam a proporção: 0,01% de crianças e adolescentes matam, quase 0,03% morrem. E os motivos são os mesmos: pobreza, exclusão social, falta de oportunidades, corrupção e violência praticada pelos pais, policiais, meios em que vivem. Em suma: completa ausência do Estado que lhes dê amparo e os proteja.
Os graves problemas sociais que geram essas estatísticas serão corrigidos se a sociedade aumentar a penalidade para esses menores e adolescentes já condenados, por antecipação, à pena de morte?

Tipos de sangue e personalidades

O sangue é algo que une toda a espécie humana, mas a maioria das pessoas não pensa muito sobre o tipo de sangue, a menos que esteja a precisar de uma transfusão.
No Japão, no entanto, o tipo de sangue tem grandes implicações para a vida, o trabalho e o amor. Lá, o tipo de sangue é popularmente aceito como capaz de determinar o temperamento e a personalidade de uma pessoa. E a pergunta "qual é o seu tipo de sangue?" é, muitas vezes, uma questão-chave para tudo, da formação de casais à seleção para postos de trabalho.
Toda uma relação de produtos personalizados tem surgido no país em função dos grupos de sangue. E livros que descrevem as características das pessoas conforme os grupos sanguíneos são vendidos em grandes quantidades no Japão.
Tipos de sangue, no entanto, são simplesmente determinados por proteínas do sangue. Embora os cientistas regularmente tentem desmascarar essas crenças, elas permanecem populares no Japão. Uma razão é que, constituindo os japoneses uma sociedade relativamente uniforme e homogênea, a classificação do sangue fornece um sistema simples para dividir as pessoas em grupos facilmente reconhecíveis.



Os tipos de sangue 
  • O sistema principal é o ABO. com quatro tipos de sangue: A, B, O, AB. 
  • Foi somente em 1901 que o sistema ABO foi descoberto pelo cientista austríaco Karl Landsteiner, ganhador do prêmio Nobel por esse trabalho que abriu o caminho para a realização de transfusões de sangue com segurança. 
  • O sistema Rhesus, para o qual se pode ser positivo ou negativo, é o segundo mais importante. 
  • No total, existem 32 sistemas de grupos sanguíneos reconhecidos, todos com indicadores positivos e negativos. 
  • E a descoberta de mais dois sistemas - Langereis e Junior - foram anunciados por pesquisadores de Vermont, no início deste ano.
Ruth Evans, Japan and blood types: Does it determine personality? - BBC News Magazine

18 março, 2015

Cachoeira x Ventania

Este vídeo de uma cachoeira de 24 metros de altura em Derbyshire (Inglaterra) – conhecida como Kinder Downfall – mostra também a força que pode ter o vento. Registra o momento em que uma ventania, não só consegue parar a queda da água, como ainda soprá-la de volta para cima.




Falando nisso...
Qual é a maior cidade: Cachoeira ou Ventania?

Paulo Freire – para os que dispensam seus ensinamentos

Em meio a uma coleção de faixas estapafúrdias que ilustraram os protestos contra a presidente Dilma Rousseff (PT), no último domingo (15), uma chamou a atenção:
CHEGA DE DOUTRINAÇÃO MARXISTA. BASTA DE PAULO FREIRE
Para quem não sabe, o pernambucano Paulo Freire foi um educador e filósofo brasileiro de grande influência na área da educação, não só no Brasil mas em todo o mundo, tendo sido homenageado em vida por instituições como Harvard, Cambridge e Oxford. Desde 2012, ele é considerado o Patrono da Educação Brasileira.
Conhecido por sua "Pedagogia da Libertação", a qual estava relacionada a uma visão marxista do Terceiro Mundo, Freire foi preso durante a ditadura militar no Brasil (1964–1985) e teve a publicação de algumas de suas obras barrada pela censura do regime ditatorial.

Esculturas em Estocolmo, Suécia.
A segunda, da esquerda para direita, retrata Paulo Freire. 
Alguns pensamentos de Freire
"Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo."
"Seria uma atitude muito ingênua esperar que as classes dominantes desenvolvam uma forma de educação que permitisse às classes dominadas perceberem as injustiças de forma crítica."
"Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor."
"Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda.''
"A través de la manipulación, las élites dominadoras intentan conformar progresivamente las masas a sus objetivos."
"La humildad nos ayuda a reconocer esto: nadie lo sabe todo, nadie lo ignora todo. Todos sabemos algo, todos ignoramos algo."
"No hay palabra verdadera que no sea unión inquebrantable entre acción y reflexión."
"Aprender no es el acto de consumir ideas, sino de crearlas y recrearlas."

17 março, 2015

Ajudante de obras - 2


Pois bem:
A descrição do seu trabalho inclui a frase "e outras tarefas que lhe forem atribuídas".
Tenho más notícias para você sobre o que isso implica. É muito mais do que apenas horas extras não pagas. (Jim Benton)

Ajudante de obras - 1

Sugado pelo redemoinho de uma boa história

Não há Photoshop aqui!
Schaduwlichtje (que nome, meu Deus!) é uma artista holandesa que se especializou em dobrar páginas de livros para criar imagens e palavras.
Ela fez esta escultura dobrando – uma a uma – as páginas de um livro com pauzinhos. É uma representação visual de como você pode ser sugado pelo redemoinho de uma boa história.


Você pode ver mais de seu trabalho aqui, no Deviantart. Mas, você que é amante das coisas impressas, não fique receoso pelo destino dos livros. Schaduwlichtje trabalha em uma loja de livros usados, na qual recebe mais exemplares do que consegue vender.

16 março, 2015

Casamentos interrompidos na Índia

1
Uma noiva indiana abandonou a cerimônia de casamento depois que o noivo não conseguiu resolver um problema de matemática.
Eis a questão que ela perguntou para testar o noivo em habilidades matemáticas: Quanto é 15 + 6?
E a resposta dele: 17.
O incidente ocorreu no dia 11, na vila Rasulabad, perto da cidade industrial de Kanpur, no norte do estado de Uttar Pradesh.
A família do noivo tentou convencer a noiva a voltar para a cerimônia, mas ela recusou. Ela disse que o noivo lhe tinha enganado sobre a educação. "A família do noivo nos manteve nas trevas sobre a sua péssima educação", disse Mohar Singh, o pai da noiva. "Mesmo um aluno de primeira série sabe responder isso."
A polícia local mediou o conflito entre as duas famílias. Inclusive a devolução dos presentes que haviam sido trocados antes do casamento.
2
No mês passado, uma outra noiva em Uttar Pradesh casou-se com um convidado depois que o noivo original teve uma convulsão e desmaiou no local do casamento.
A família do noivo não lhe tinha revelado que o noivo era epiléptico. Enquanto o noivo era levado às pressas para um hospital na cidade de Rampur, a noiva pediu a um dos convidados do casamento para ocupar o cargo vago e se casou com ele.
Muitos dos casamentos na Índia são arranjados pelas famílias da noiva e do noivo. Com exceção de breves encontros, o casal fica a se conhecer muito pouco antes das núpcias.

Gêneros gramaticais

Nas línguas indo-europeias, o mais comum é haver três (masculino, feminino e neutro) ou dois gêneros (masculino e feminino), tal como ocorre na língua portuguesa.
Há, contudo, idiomas que chegam a ter 20 gêneros, como ocorre em dialetos bantu, e, no outro extremo, idiomas em que não há gênero algum, como ocorre nos idiomas basco e húngaro.
Em Dyirbal tradicional, uma língua aborígene da Austrália hoje falada por cinco pessoas, todas acima dos 60 anos de idade (dados de 2011), há quatro gêneros:

  • bayi: homens, cangurus, gambás, morcegos, a maioria das cobras, a maioria dos peixes, algumas aves, a maioria dos insetos, a lua, as tempestades, arco-íris, bumerangues, algumas lanças etc.
  • balan: mulheres, marsupiais, cães, ornitorrinco, Echidna, algumas cobras, alguns peixes, a maioria dos pássaros, vaga-lumes, escorpiões, grilos, qualquer coisa ligada com água ou fogo, o sol e as estrelas, escudos, algumas lanças, algumas árvores etc.
  • balam: todas as frutas comestíveis e as respectivas plantas, tubérculos, samambaias, mel, cigarros, vinho, bolo etc.
  • bala: partes do corpo, carne, abelhas, vento, algumas lanças, a maioria das árvores, grama, lama, pedras, ruídos e língua etc.

É preciso notar que a própria concepção de "gênero gramatical" varia de língua para língua. Quando se refere a seres vivos sexuados, o gênero é ligado ao sexo do indivíduo. Nos demais casos, a atribuição é aleatória, podendo um mesmo nome ser referido como masculino numa língua (ex.: le lit, em francês), feminino numa segunda (ex.: a cama, em português) e neutro numa terceira (ex.: das Bett, em alemão).
Da mesma forma, há variação, de idioma para idioma, das classes que variam ou não quanto ao gênero. Em países onde o movimento feminista logrou êxitos, algumas mudanças quanto ao gênero foram introduzidas nas respectivas normas gramaticais, tais como a criação de formas femininas para profissões tradicionalmente ocupadas apenas por homens (ex.: presidenta, no português do Brasil).

15 março, 2015

Rodafonio

É um espetáculo itinerante de rua que tem por base dois atores, uma roda gigante – com 4 metros de diâmetro – a girar, que maravilha, e três músicos tocando seus instrumentos.
Rodafonio é uma viagem ao fantástico, através da música e da dramaturgia, conduzida pelo grupo de teatro Fábrica Circular.
A maquinaria foi criada por Cesar Alvarez.



Para ver a "ciclobanda" passar | Street show

Jack se justifica


– Uuuuuu... Eu sou um espírito. O que você está fazendo é pecado.
– Bobagem. A masturbação é natural e saudável.
– Não, eu eu estou falando daquelas prostitutas estranguladas...
– Oh, certo. Elas...

14 março, 2015

Afinal, "coxinha" é um palavrão?

Não há dúvida de que, em qualquer setor do conhecimento e da práxis humana, a polifonia sempre será saudável. Isso se aplica também, principalmente e não poderia ser diferente, à política, pois a existência de visões múltiplas sobre a melhor maneira de organizar a sociedade permite que a escolha recaia sobre aquela que se revele mais adequada.
Como diz o velho e sábio ditado, várias cabeças pensam melhor do que uma.
Esse processo, claro, envolve a discordância dos defensores do projeto perdedor. Tal oposição é normal e aceitável na democracia, desde que não extrapole o âmbito da razão e não ser arvore na pretensão de derrubar, por vias oblíquas, o que democraticamente foi decidido. A racionalidade é o caminho, sempre.
Um amigo, porém, lúcido, polido e racional, preocupado com a tensão política que estamos testemunhando, discorda do uso da palavra "coxinha" para referir-se aos antipetistas, por entender que a oposição possui o direito de manifestar-se e que as portas devem manter-se abertas para o diálogo, único meio racional de convencimento.
Como discordar desse argumento? Num primeiro momento, não há como.
Prossegue ele, afirmando que a oposição antipetista brasileira não pode ser comparada aos nazistas, pois, afinal, estes faziam abajur com pele humana. Argumenta ele que, mantido esse enfrentamento mais acirrado, a coisa tende a piorar e, que para evitar isso, devemos nos manter dispostos a enxergar a racionalidade do outro, que deve ser tratado como um interlocutor legítimo, apesar de tudo.
O argumento é perfeitamente válido. Porém, cabe lembrar que, no início, os nazistas não faziam abajur com pele humana. Isso, e coisas muito piores, veio a ocorrer bem mais tarde, de forma gradual, encorajados que foram pela leniência inicial dos alemães. Muitos alemães, na verdade, somente descobriram o horror nazista no final da guerra. A covardia moral dos alemães foi cúmplice do Holocausto.
O registro histórico, assim, nos ensina que não basta uma minoria do mal invocar o mal para que o mal se materialize. O sucesso e o esplendor do mal envolve a ingenuidade, a passividade, a leniência, a pusilanimidade da maioria que é do bem.
Quem não aprende com o passado está fadado a repetir a tragédia, ainda que sob o manto de farsa, como pontificou Marx.
Hoje, os antipetistas irracionais gritam contra nordestinos, não aceitam resultados democráticos de eleições e propõem a extinção do voto de quem recebe benefício do governo. Hoje são acumpliciados pelo discurso raivoso e obscurantista de Felicianos, Malafaias, Bolsonaros e Lobões, que estrilam contra os direitos humanos, contra gays e outras minorias e também contra os avanços da ciência.
Que sinal mais claro de fascismo poderia ser dado além desses?
Em que momento é rompido o limite entre o legítimo direito de manifestação política e o início de um projeto totalitário fascista? E, chegado esse limite, qual o papel a ser exercido pelo cidadão de bem contra esse projeto?
Acredito que a denúncia escancarada do mal integra o papel do cidadão.
Talvez se possa evitar o uso da palavra "coxinha", trocado por "antipetista", mas isso, em si, não é relevante, assim como não seria no início da ascensão do nazismo designar os nazistas pelo adjetivo que mereciam: "facínoras".
Acreditem: "coxinhas" não estão nem aí para o fato de serem chamados de “coxinhas”. Para eles não é o adjetivo que interessa, mas o sucesso do projeto antipetista. Alguns demonstram certo orgulho de ser "coxinha".
Aliás, os antipetistas não possuem pudor algum no uso de adjetivações pejorativas, como "petralha", “esquerdopata”, “comunista” e por aí vai. De vez em quando, sugerem o exílio de petistas em Cuba. Vamos combinar que, diante disso, chamar alguém de "coxinha" é até carinhoso.
A questão real, fatídica, inescapável, é que acabou a tranquilidade, o marasmo mesmo, que envolvia a política brasileira desde o fim do Golpe Militar. A partir de agora, compete a cada cidadão defender o modelo de sociedade que deseja para o país.
Para os opositores mais relevantes do PT, esse modelo vem embalado no pacote neoliberal.
Para os petistas, o projeto neoliberal não conduz a sociedade a realização da justiça social e do florescimento humano.
Essa divergência está circunscrita ao âmbito da convicção política pessoal, o que pode ser enfrentado pela via da dialética racional.
Contudo, os antipetistas que são designados de "coxinhas" possuem um único projeto: tirar o PT do poder a qualquer custo, mesmo se isso exigir a ruptura institucional, seja através da colocação de um fascista de direita no poder, seja com o sonho do retorno à ditadura militar, no fundo duas cabeças da mesma serpente. Para alcançar esse objetivo, adotam a retórica do sofisma, da fraude, da mentira, utilizam um tom falso de indignação para "denunciar" no PT as mazelas que historicamente sempre permearam as relações políticas. Na cabeça dos "coxinhas", o problema não são essas mazelas. Não são elas que devem ser combatidas através de uma reforma política. Todo os problemas brasileiros atendem pelo nome de PT.
Essa indignação é sempre seletiva: nenhum outro partido possui defeito.
O mantra "coxinha" é de que tudo no Brasil piorou após a entrada do PT no governo, que nenhuma melhora pode ser creditada à gestão petista, mas sim ao quadro favorável internacional, e que, não fosse o PT, seríamos hoje certamente a maior potência do planeta.
Por incrível que pareça, muitos tolos têm embarcado nesse discurso "non sense".
O neoliberalismo desejado pelos tucanos, ainda que dele se discorde, é um projeto econômico-político legítimo, que pode ser colocado na pauta de discussões públicas como uma opção de futuro. É ruim e deseja-se que sucumba na urnas, mas é um direito de seus defensores que seja colocado em questão.
O projeto petista, mais vocacionado à gestão da questão social e ambiental, é igualmente legítimo.
O que não possui legitimidade é o discurso moralista seletivo e desagregador do anti-petismo fundamentalista.
Oposição real é bem-vinda e sempre será, o antipetismo fundamentalista, porém, não pode ser definido como oposição. Trata-se de manifestação da plutocracia enraivecida, que não aceita qualquer concessão às classes menos favorecidas.
Nesse sentido, os "coxinhas” devem ser repudiados de forma pública e, de preferência, ridicularizados. O "coxismo" deve ser expurgado de nossa realidade política porque não representa um posicionamento político compatível com o nível civilizatório da humanidade, que exige a prevalência da dignidade da pessoa humana.
O "coxismo", como vertente política, constitui um sinal claro do início do mal.
Suas manifestações não deveriam, como são, admiradas e repercutidas pela mídia, pois isso os torna um exemplo a seguir, produzindo efeito multiplicador sobre a malignidade.
É essa repercussão midiática que justifica e confere todo sentido ao repúdio massivo da parcela sensata da população brasileira, que deve contragolpear essa repercussão através da rede.
Está em nossas mãos evitar a ascensão do mal.
Que fique a oposição sensata, que busca o bem do Brasil, mesmo que dela se discorde.
Os coxinhas, entendidos como fundamentalistas radicais, precisam ser estimulados a voltar ao buraco escuro e silencioso de onde surgiram.

Uma réplica da ISS

O artista estadunidense Pat Acton construiu uma réplica da ISS, a Estação Espacial Internacional, em escala 1/26, usando um material bem pouco comum: palitos.



Montanhas de palitos. Algo em torno de 282 mil palitos que ele uniu com cerca de 30 litros de cola para madeira.

O Homem PalitoRMS Titanic

Disque Pi

O Dia do Pi (Pi Day) é comemorado hoje, 14 de março (3/14 na notação norte-americana), por ser 3,14 a aproximação mais conhecida do pi (π). E sendo também o dia de nascimento de Albert Einstein, esta coincidência atrai os fãs das ciências exatas para as comemorações. Há uma tradição de comer tortas nesta data. Talvez porque, em inglês, o nome da constante (pi) e a palavra torta (pie) apresentem pronúncia idêntica. Mas, como a constante tem íntima relação com as medidas do círculo, são aceitos quaisquer pratos preparados em forma redonda.
O que é o Disque Pi
Alguém teve a "pichorra" de discar em um telefone clássico os 10 mil primeiros números da constante (3,1415926…) e criar este vídeo (duração: 4h36) em que gravou o som de toda o processo de discagem.
Se você deixar o vídeo em volume baixo, o som é relaxante. É como se você estivesse em uma fábrica, escutando uma máquina a funcionar, sem ter por perto o chato do patrão. Embora a imagem do vídeo – por ser unicamente a de um telefone de dial – seja bastante monótona.



É possível assistir ao vídeo duas vezes em um dia de trabalho, sem prejudicar o intervalo para o almoço.

13 março, 2015

O conceito do soldado James

Era considerado de atitude rebelde por seus superiores hierárquicos. Entre suas muitas falhas: dormia enquanto estava em serviço, necessitava de supervisão constante e não era um bom atirador. Segundo relatos, era um "delinquente habitual" com relação ao dever de estar na cama à meia-noite e era também incapaz de "manter uma conversa inteligente".

O soldado James Marshall Hendrix, da 101º Divisão Aerotransportada,
tocando guitarra em Fort Campbell, Kentucky, em 1962.

Solo de guitarra de Jimi – com a língua

A massa, a marca e a mídia

"A massa mantém a marca, a marca mantém a mídia e a mídia controla a massa." ~ George Orwell


Hashtag #GloboGolpista desde ontem no topo dos TT quebra índices de popularidade e interação.

Cem autores contra Einstein

Uma coleção de críticas a Einstein pode ser encontrada no livro Hundert Autoren gegen Einstein (Cem Autores contra Einstein), publicado em 1931, que contém textos curtos de 28 autores e trechos de publicações de outros 19 autores. O restante da lista dos autores inclui ainda pessoas que, só por algum tempo, se opuseram à Teoria da Relatividade.
Além de objeções filosóficas (principalmente com base no kantismo), também foram incluídas no "Cem Autores..." críticas a supostas falhas elementares da Teoria. Na verdade, essas falhas  foram devido a mal-entendidos dos autores sobre a Relatividade. Assim, Hans Reichenbach descreveu o livro como "uma acumulação de erros ingênuos" e como "involuntariamente engraçado". Albert von Brunn interpretou o livro como um passo atrás para os séculos 16 e 17.
Em resposta a esse livro, Einstein teria dito que, "se estivesse errado, um só autor teria sido suficiente" (para refutá-lo).
De acordo com Goenner, as contribuições para o livro são uma mistura de incompetência matemática e física, excesso de confiança e sentimentos reprimidos dos críticos contra os físicos contemporâneos que defendiam a nova teoria. A compilação dos autores mostram, continua Goenner, que esta não foi uma reação da comunidade dos físicos, mas uma inadequada reação de cidadania de parte da educação acadêmica, que não sabia o que fazer com a Relatividade.
Somente um físico (Karl Strehl) e três matemáticos (Jean-Marie Le Roux, Emanuel Lasker e Hjalmar Mellin ) estavam presentes no livro.
Dois autores (Reuterdahl, von Mitis) eram antissemitas e outros quatro foram possivelmente ligados ao movimento nazista. No entanto, nenhuma expressão antissemita é encontrada no livro, o qual também incluiu contribuições de alguns autores de ascendência judaica (Salomo Friedlander, Ludwig Goldschmidt, Hans Israel, Emanuel Lasker , Oskar Kraus, Menyhért Palágyi ).

12 março, 2015

Posando com o Papa

Em setembro passado, escrevi um post no blog sobre o Papa Francisco. Desejando incluir uma fotografia dele, eu comecei a navegar na biblioteca Creative Commons do Flickr, que é um ótimo lugar para se encontrar imagens gratuitas.
Eu não achei nenhuma foto particularmente boa do Papa, mas minha busca me levou à página do Flickr da Catholic United Financial, uma conta com mais de 6.000 fotos, todas elas de pessoas que posaram com o Papa Francisco... de papelão.


Bem, eu não sei nada sobre a Catholic United Financial, embora eu imagine que seja alguma instituição de caridade que arrecada em eventos com recortes em papelão do Papa. Ao notar, porém, as mudanças das fotos nos recortes utilizados, ora o Papa a acenar feliz, ora o Papa com uma expressão mais grave, então eu suponho que os recortes foram ficando desgastados pelo uso, mas isso é só uma conjetura minha.
Eu prefiro me manter ignorante sobre o assunto, porque a adição dos eventos em que essas fotos foram tiradas, por uma instituição de caridade que decide publicá-las on-line, só vai prejudicar a pura alegria que sinto em visitá-las periodicamente em sua página no Flickr.

Harry Cheadle, VICE. Versão: PGCS

Formigas como fluidos

A Biologia inspirada na Física
As formigas de fogo usam suas garras para se segurarem em diversas superfícies, incluindo umas às outras. Como resultado dessa aderência coletiva em grandes números, elas fluem como fluidos inanimados. Neste vídeo (abaixo), é demonstrado como as formigas se comportam de forma semelhante à propagação das gotas, à ascensão capilar da água em menisco e ao fluxo de um líquido viscoso através de um funil. Copiando o fluxo dos fluidos, as colônias de formigas podem permanecer unidas sob condições adversas.



Poderá também gostar de ver:
Uma experiência de longa duração: 1 e 2

11 março, 2015

Genealogia e política

"Não desperdice tempo e dinheiro pesquisando sua árvore genealógica. Basta ir para a política que os seus adversários vão cuidar disso para você." – Mark Twain

humor genealógico

Um tratamento pouco ortodoxo - 2

Rachel Feltman, The Washington Post
Para pessoas infectadas pelo Clostridium difficile os transplantes fecais podem ser um salva-vidas. Esta infecção provoca a cada ano 250.000 hospitalizações e 14.000 mortes nos EUA, e até 30 por cento dos pacientes não respondem a antibióticos. Além disso, o cronicamente infectado pode ficar sofrendo de problemas digestivos debilitantes.
Mas os transplantes fecais não são nenhum passeio no parque. Nessa modalidade de tratamento, as bactérias de um intestino saudável são transferidas para um intestino doente. Isso requer a realização no paciente de uma endoscopia digestiva alta ou de uma colonoscopia, procedimentos desconfortáveis e caros.
Agora, os transplantes fecais ficaram mais fáceis de serem realizados Em um estudo publicado no Journal of American Medical Association, os pesquisadores relatam que a mesma taxa de sucesso pode ser alcançada através de cápsulas com excrementos de pessoas saudáveis, administradas por via oral.
O processo de produção inicia-se da mesma maneira, como de costume, "Mais ou menos grosseira, mas muito simples", como diz Hohmann. Jovens excepcionalmente saudáveis ​​- aqueles que passam por todos os requisitos para a doação de sangue e/ou que são rastreados para outros problemas de saúde, estando sadios - fornecem amostras de fezes.
Essa matéria fecal, com colônias de bactérias (microbiota) que ajudam a manter saudável o intestino do doador, é então misturada com soro medicinal, filtrada e concentrada em cápsulas.
Um único tratamento requer uma tomada digna de 30 cápsulas - 15 no primeiro dia e 15 no segundo. Em um estudo com 20 pacientes trouxe a saúde intestinal para 18 - a mesma taxa de sucesso dos métodos invasivos.
"Formulações encapsuladas permitam que mais doentes sejam tratados de forma mais eficiente", diz Kelly. "Pode até haver uma maior segurança, uma vez que essas cápsulas podem ser mantidas por um período de tempo e descartadas se os doadores apresentam quaisquer sinais doença."
Estranhamente, há pessoas que dizem: "Nossa, eu prefiro isso pela colonoscopia", diz Hohmann. Mas, quando veem a diferença de custo, eles costumam mudar de ideia. "Acho que, para a maioria das pessoas, é mais fácil lidar com as cápsulas (do que com a colonoscopia), porque somos uma sociedade baseada na pílula."
Outras doenças do intestino (de Crohn, por exemplo), e mesmo a obesidade, estão sendo cogitadas para o transplante da microbiota fecal (TMF), mas o Food and Drug Administration, por enquanto, só permite usá-la na doença pelo C. difficile. (artigo condensado)

Um tratamento pouco ortodoxo - 1

10 março, 2015

Chuck Norris, 75


Coincidência?

EM errou
Carlos Ray Norris, mais conhecido por Chuck Norris, nasceu em 10 de março de 1940 (meus parabéns, campeão). A data da rendição alemã na II Guerra Mundial foi assinada nos dias 7, 8 e 9 de maio de 1945. Mas vocês acham que eu ia perder essa piada?

EM acertou
Chuck Norris, 70 | Precaução ou admiração? | Chuck Norris, 73 | O homem que gostava da guerra | Chuck Norris esteve aqui | Splits | Que fim levou o nigeriano que criava uma hiena?

Slideshows do PG - Apresentação 356

Sopa de barbatana de tubarão

Quanta sopa de barbatana de tubarão você poderia fazer a partir do maior tubarão que já existiu?
O cientista e entusiasta por tubarões David Shiffman fez os cálculos. Ele estimou que um Carcharocles megalodon, vulgarmente conhecido por megalodonte (uma espécie já extinta), poderia render 70.456 tigelas de sopa de barbatana de tubarão.
Uma quantidade mais que suficiente para cada pessoa que vive na Groenlândia ter a sua tigela.

Sopa fotografada por Cedric Seow, WikiMedia Commons

Mandíbulas

09 março, 2015

Computador e impressora integrados


Slideshow: A máquina de escrever

Post c/ vídeo: Crianças reagem a máquinas de escrever

Filosofando sobre roscas

por Hendel D'bu – Ruminations from the Temple
Heráclito - Você não pode comer a mesma rosca duas vezes.
Platão - Todas as roscas participam do ideal de serem roscas.
Agostinho - As roscas precisam da graça para serem totalmente roscas.
Descartes - Um buraco de rosca comprova a existência da rosca.
Hume - As roscas existem porque eu as imagino roscas.
Kant - Um donut = minha experiência total de donuts.
Wollstonecraft - As mulheres merecem rosquinhas, também.
Mill - Donuts são bons, se eles fazem as pessoas felizes.
Kierkegaard - Eu tenho fé que roscas são deliciosas.
Marx - Todo mundo merece roscas.
Nietzsche - Não pare por nada até obter seu donut.
Wittgenstein - Massa frita, zero, estacionamento rotativo, pneu sobressalente.
Beauvoir - O patriarcado é responsável pela forma da rosca.
Malcolm X - Todos nós devemos ter a oportunidade de obter rosquinhas pelos meios que forem necessários.
Ayn Rand - Um donut é um donut.
Schrödinger - Até que olhe na caixa, alguém tanto pode comer quanto não comer o donut.
Homer Simpson - Mmmmm... Donuts!


Para não ficar um buraco em sua mente leia A evolução das rosquinhas e, principalmente, o ensaio Roscas.

08 março, 2015

A La Gomera me voy

Conheça a ilha de La Gomera, descrita no vídeo a seguir, em linguagem local com legendas (desnecessárias) em espanhol.



Os habitantes de La Gomera, uma pequena ilha montanhosa do arquipélago das Canárias, usam uma linguagem assobiada única chamada Silbo (Silvo) para se comunicarem a distância.
Criada pelos habitantes aborígenes da ilha, os guanches, essa linguagem foi apropriada pelos colonizadores europeus do século XVI, tendo assim sobrevivida à extinção dos primeiros. Hoje, ela é objeto de uma política de conservação, sendo aprendida nas escolas da ilha.
Observou o foneticista  André Classe, da Universidade de Glasgow, na revista New Scientist, em 1958:
"Esta é uma forma de telefonia inferior à nossa em área de cobertura, mas, por outro aspecto, superior, na medida em que o único aparelho necessário é um conjunto de dentes e um bom par de pulmões."
A linguagem Silbo cobre até cerca de quatro quilômetros e mais que o dobro disso, no caso de assobiadores excepcionais operando sob circunstâncias favoráveis.

Louvor ao assovio

Trinados treinados
Um assovio trinado é coisa de passarinho, disse alguém. Um tema para se pensar que, em vida passada, esse Getúlio, o Assoviador tenha sido um.

Ada Lovelace, a que o mundo quase esqueceu

Embora as pessoas do mundo da tecnologia já tenham ouvido falar dela, Ada Lovelace, que viveu de 1815 a 1852, é um nome quase desconhecido para o mundo.
Matemática e escritora inglesa, Lovelace escreveu o primeiro algoritmo de computador, propôs a ideia de que a humanidade e a tecnologia devem conviver e idealizou o conceito da inteligência artificial.
Ela, que ajudou a definir a era digital, foi ignorada também em seu próprio tempo. Em 1843, quando suas anotações seminais sobre a computação foram apresentadas ao "Scientific Memoirs", um periódico científico inglês da época, os editores recuaram e disseram a um colega dela, Charles Babbage, que ele, "como convém a um homem", deveria assinar o texto no lugar de Lovelace.
"Os estereótipos têm um efeito de autorreforço, porque nós, como seres humanos, esperamos ver o que nos é familiar", comentou Sheryl Sandberg, executiva operacional-chefe do Facebook. Para ela, é imperativo desmentir o mito de que as mulheres não se interessam por tecnologia.
Ada morreu com a idade de 37 anos e foi enterrada ao lado do pai, o poeta Lord Byron, o qual ela nunca conheceu. Sua vida foi uma apoteose da luta entre emoção e razão, subjetivismo e objetivismo, poesia e matemática, e problemas de saúde e explosões de energia.

Leia mais sobre sua vida aqui: http://bit.ly/V3im

Leia também: Hipátia de Alexandria

E leia ainda uma postagem que Andrij Harasewych compartilhou: Dia Internacional da Mulher Feliz!

Dia Internacional da Mulher

[...]
Então pergunto: —“Existe mesmo a mulher feia?”. Eu próprio respondo: — a feia integral, indubitável, absoluta, não existe, nunca existiu, é um ser utópico, impraticável. Cada mulher, e ainda as menos dotadas, tem uma doce estrela secreta que lhe é própria, inalienável. Pode ser que nem todos sintamos essa flama, mas, nesse caso, o defeito é nosso, a incapacidade é nossa.
Quem está com a razão é o homem de rua. O homem de rua — anônimo, jocundo, extrovertido — não discrimina as feias das bonitas, as simpáticas das antipáticas. Desde o princípio do mundo nenhuma mulher saiu à rua sem ouvir um galanteio. Ao voltar, ele traz junto ao seio, como uma dália secreta, esse galanteio inesquecível de esquina. Aparentemente, o homem de rua tem um gosto que é a um tempo irresponsável e delirante.
Eu vos digo que não. Ele está certo. Mais inteligente do que nós, mais sensível, ele descobriu que está para nascer a mulher feia, a mulher insignificante. No trem da Central ou no “Maria Fumaça” da Leopoldina, na Praça da Bandeira, no lotação e no ônibus ou nos bondes anti-diluvianos — cada pequena tem uma chama interior, uma crepitação, um charme de Joana D’Arc.
Comecei esta croniqueta falando na ilusão de beleza que nasce e morre nas mulheres. Não é ilusão. Elas trazem para vida um encanto docemente eterno.
Mesmo as feias, como são lindas!”
(por sugestão de Fernando Gurgel, extraído de "A feia imortal", Blog da Conceição, no Correio Braziliense)

07 março, 2015

Enquete

Assinale (ou tente assinalar) a alternativa correta:


Duas horas de maratona em 2041

O fundista queniano Dennis Kimetto, 30, é o atual recordista mundial da maratona, título que conquistou na Maratona de Berlim de 2014.
Cruzando a linha de chegada com 2:02:57, ele reduziu em 26 segundos o recorde mundial anterior (proeza de outro queniano).

.
Estudando a progressão linear dos recordes nos últimos anos, o blogueiro Allen Downey extrapolou para 2041 o ano em que um atleta (queniano, certamente) conseguirá correr uma maratona em duas horas.

Deu o favoritoA maratona épica de Dorando Pietri | Moda Meia Maratona |  A maratonista dos metrôs

06 março, 2015

Um final mítico!

Uma partida entre as equipes de futebol das universidades de Yale e de Carolina do Norte. A decisão foi para uma rodada de pênaltis. Com o peso crescente da responsabilidade de ganhar sobre os seus ombros, devido aos pênaltis desperdiçados pelos jogadores do seu time, o goleiro (o ator?) Scott Sterling, da Yale, dá a cara aos canhonaços dos jogadores do time adversário. E vira o herói do jogo.
Se toda partida de futebol fosse assim eu não perdia um racha.



Disse o comentarista:
"Duvido que o nariz dele não tenha quebrado." (1ª. defesa)
"Duas defesas fantásticas e duas fraturas na certa. Acho que vão substituí-lo. Ele já deu tudo de si. Sim! Aqui o treinador puxa o goleiro como se fosse um leão bigodudo arrastando uma gazela nas planícies do Serengeti." (2ª. defesa)
"O nariz desse homem está destruído.Ele vai parecer uma bruxa que caiu da vassoura e deu com a cara no chão." (3ª. defesa)
"Olha só ele (numa cadeira) pedindo misericórdia quando a misericórdia é que devia pedir água a ele." (4ª. defesa)
"Ai! Uma defesa perfeita! Mas que bela estratégia de rastejar no chão! Um final mítico!" (5ª. defesa)

Quem conta mil e um contos...

O final do século XVII foi uma época de grande interesse do público francês por histórias orientais. Neste contexto, o escritor francês Antoine Galland traduziu manuscritos árabes com histórias fantásticas que havia trazido do Oriente. O primeiro foi o conto das viagens do marinheiro Simbad, publicado em 1701, originário de um manuscrito avulso.
Em 1704, começou a publicar os volumes do que seria sua maior obra, "Les Mille et Une Nuits" (As Mil e Uma Noites), baseado num manuscrito sírio do século XIV. Até 1706, ele  já havia publicado seis volumes, que alcançaram grande popularidade.


Galland tomou várias liberdades artísticas na redação das "Noites". A exemplo do que fez com algumas das histórias que escutou de Hanna Diab, um contista sírio. Assim é que "Aladim e a Lâmpada Maravilhosa" e "Ali Babá e os Quarenta Ladrões", apesar de não existirem em nenhum manuscrito antigo das "Noites", foram incorporadas por Galland à obra.
O escritor também modificou grande parte do estilo da narrativa, das falas dos personagens e de outros aspectos para adaptá-las ao público europeu. Apesar das críticas que recebeu de escritores e estudiosos posteriores, a sua versão de "As Mil e Uma Noites" tornou-se a mais célebre no mundo ocidental.

05 março, 2015

A escada imexível

A escada imexível sob a janela da Igreja do Santo Sepulcro
Algum tempo atrás, no século 19 (provavelmente por volta de 1852), um pedreiro colocou uma escada contra uma parede da Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém.
Ninguém sabe ao certo quem era, ou mais importante, a que seita ele pertencia. E a escada não pôde mais ser retirada do local, devido a conflitos entre a Igreja Ortodoxa Grega e a Igreja Ortodoxa Armênia.


Nenhum clérigo das seis ordens cristãs ecumênicas (sic) que atuam na Igreja do Santo Sepulcro pode mover, reorganizar ou alterar qualquer objeto da templo sem o consentimento de todas as seis ordens. Assim, a escada continua lá até hoje.

N. do T.
O termo "imóvel" foi evitado nesta tradução. Só confunde: a escada é imóvel porque ninguém vai lá buscá-la. "Inamovível"? Também foi evitado, pois lembraria a magistratura brasileira com seu cargos vitalícios, irredutíveis etc. E optou-se por "imexível", numa justa homenagem ao ex-ministro Magri que criou o termo (embora isso não o tenha livrado de uma demissão).

Vídeo: brigas na ISS