31 dezembro, 2014

Como abrir uma garrafa de vinho – sem o saca-rolhas

"É uma forma estupidamente simples de tirar a rolha de uma garrafa – sem o saca-rolhas, que se tornará no novo truque de festa deste ano." 
Richard Gray, do Daily Telegraph
"Você já esteve nesta situação: com uma garrafa de um bom vinho, mas sem o saca-rolhas?"
Um enólogo do sul da França, representante da Wine Mirabeau, faz essa pergunta. Em seguida, ele mostra que tem uma solução engenhosa para o problema:



Prevejo garrafas quebradas e muito vinho derramado. Não recomendo esta técnica até que ela seja revisada por pares (não disse que eram de sapatos).

O calendário fixo internacional

Em 1899, o estatístico britânico Moses B. Cotsworth observou que os registros podiam ser muito simplificados se cada mês contivesse um número uniforme de semanas inteiras. Ele propôs um "calendário fixo internacional", contendo 13 meses de 28 dias:


Isso tornava tudo mais fácil.
O dia 26 de cada mês passa a cair, de forma confiável, em uma quinta-feira, por exemplo. E as comparações estatísticas entre os meses vão ser mais precisas, já que cada mês contém quatro semanas – com quatro fins de semana.
Infelizmente, para os supersticiosos, cada um dos 13 meses continha uma sexta-feira 13. Um novo mês, chamado Sol (em inglês), seria criado entre junho e julho, e um dia a mais, o "Dia de Ano", seria adicionado no final do ano, mas seria independente de qualquer mês (como é o Leap Day). QUEM SÃO OS LEAPLINGS
Em 1922, a Liga das Nações escolheu o plano de Cotsworth como o mais promissor de 130 propostas de reformas do calendário, mas o público, como sempre, resistiu ao desconhecido, e por volta de 1937 a Liga tinha fechado suas portas. No entanto, o calendário fixo internacional deixou um legado curioso: George Eastman, o fundador da Eastman Kodak, ficou tão satisfeito com o esquema de Cotsworth que o adotou como calendário oficial de sua empresa – e assim permaneceu até 1989.
Fixing dates, Futility Closet
N. do E.
Treze não sendo divisível por 2 e 4 teríamos de esquecer os semestres e os trimestres.

Slideshows do PG - Apresentação 351

30 dezembro, 2014

A Declaração Asteroide 100x

"Os antigos estavam corretos em sua crença de que os céus e o movimento dos corpos celestes afetam a vida na Terra - mas não da maneira que imaginavam", explica Lord Martin Rees. "Às vezes, esses corpos celestes dirigem-se para a Terra.. É por isso que nós temos essa missão de encontrar os asteroides antes que eles nos encontrem."
Martin Rees é um dos signatários da Declaração que incita um aumento de 100 vezes na detecção e monitoramento dos asteroides.

Homens miseráveis - 2

A conta Miserable Men, no Instagram, é dedicada a fotos de homens tristemente presos em ambientes de varejo por suas companheiras adeptas do consumismo. Que época do ano poderia ser melhor para captar essas fotos do que depois do Natal? Quando as clientes inundam os shoppings, para trocas e devoluções, ansiosas para conferir as pechinchas do após-feriado? Pode ser uma adrenalina para muitas mulheres, mas os shoppings são o último lugar em que muitos homens querem gastar suas horas.


Vamos torcer para que estas sofridas criaturas, depois que suas mulheres tenham se afastado das gôndolas e das cabines de provas, possam desfrutar de um bom bife e de alguns drinques como uma forma de reparação pelas longas esperas.
Aqui já falamos do BOOB PIT, uma solução realmente humanizadora para os homens. Mas os administradores dos shoppings centers teimam em não me dar ouvidos.

29 dezembro, 2014

A bandeira nacional da Argentina

É uma bandeira de três faixas, sendo duas azuis e uma branca com um sol do catálogo de cliparts do Windows 95 no centro.

A sabedoria da TL;DR WIKIPEDIA
Esta enciclopédia é a versão resumida e sarcástica da Wikipedia para as pessoas que não têm tempo a perder.
TL;DR significa: Too Long; Didn't Read (muito longo; não li). É a abreviatura de uma expressão inglesa muito usada em fóruns de discussão para economizar o tempo de alguém, mesmo que o texto de referência seja considerado interessante.

O uso da camisinha

"Não é uma solução real e moral (...) mas é aceitável em certas condições." - Bento XVI (entrevistado em 2010)


28 dezembro, 2014

Morcegos incendiários

Em 7 de dezembro de 1941, um dentista de 60 anos, da Pensilvânia, Dr. Lytle S. Adams, estava dirigindo para casa, depois de um período de férias em Carlsbad, no Novo México. Horas antes, ele tinha testemunhado com espanto os milhões de morcegos que saíam das cavernas de Carlsbad. Ouvindo o rádio do carro em sua viagem de volta, ele ficou chocado ao saber que o Japão tinha acabado de atacar Pearl Harbor. Indignado com essa traição, Dr. Adams começou a construir mentalmente um plano de retaliação para os EUA. Quando seus pensamentos se voltaram para o número extraordinário de morcegos que ele tinha visto, ele criou um plano experimental: milhões destes pequenos mamíferos voadores poderiam ser conectados a minúsculas bombas incendiárias cronometradas e, em seguida, liberados para pousar sobre as estruturas construídas com bambu, papel e outros materiais inflamados que pontilhavam as cidades do Japão. Em poucos minutos, as bombas explodiriam e incendiariam as áreas urbanas. Ele postulou que uma grande quantidade dessas bombas, espalhando seus efeitos incendiários sobre muitas cidades japonesas resultariam em uma rápida rendição do inimigo.
Este artigo (Dr. Lytle Adams' incendiary "bat bomb" of World War II, PubMed) documenta os esforços inúteis de Dr. Adams, sua equipe e do governo dos EUA para desenvolver as bat bombs. O projeto, porém, foi tocado muito lentamente e, em seu lugar, optaram pela bomba atômica.

Leitura complementar
Bat Bombs, UC Santa Barbara Geography
Porcos em chamas, EntreMentes

Maus perdedores

Já pediram: recontagem, auditoria, impeachment, cassação, golpe militar e até um "diploma de presidente" para o correligionário Aécio Never.
Quando vão pedir desculpas?



Aécio, PSDB – Pior Senador Do Brasil 
No ranking da VEJA para o Senado, além do senador Never que é o último, o penúltimo lugar também é deles. Senador tucano só começa a aparecer nesta lista da VEJA a partir do 44º lugar.

Matuitando

"Matuitar" é uma fusão de matutar (refletir sobre algo) com tuitar (postar no Twitter).

Lembra-se de quando nos ríamos dos velhos que passavam o tempo todo recortando artigos dos periódicos e enviando-os uns aos outros? Pois é isso literalmente tudo o que fazemos agora. Julia Santo

Perdão, mas poderá mudar de ideia ao ler
EU blog, TW itter

27 dezembro, 2014

O teremim

É um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrônicos. Inventado em 1919 pelo russo Lev Sergeivitch Termen (conhecido também pela forma francesa do nome: Léon Theremin), o teremim é único por não precisar de nenhum contato físico para produzir música. Foi, de fato, o primeiro instrumento musical projetado para ser tocado sem precisar de contato, pois é executado movimentando-se as mãos no ar. Apresentado pelo próprio inventor em 1920, o instrumento opera através do princípio da produção de efeito heteródino em dois osciladores de frequência radiofônicos (não vou desenhar isso) e consiste de caixa com duas antenas externas, uma que controla a altura, e outra, o volume, ao redor das quais o músico movimenta suas mãos para produzir o som. Cria um característico som "alienígena" como uma voz soprano processada.
Veja e ouça o teremim, estranho instrumento de quase um século
Em 2011, aconteceu um simpósio sobre ele na cidade inglesa de Scarborough.
A compositora para Teremim e musicista Barbara Bushholz diz que, embora o instrumento seja monofônico, ou seja, toca uma nota por vez, ela usa um recurso que repete a nota tocada indefinidamente, podendo assim adicionar outras por cima de forma harmônica.
Não tem tradução El instrumento, debido a ese sonido tan particular, fue usado con profusión en las películas de serie B de Hollywood durante los años cuarenta y cincuenta. El theremín se usó habitualmente en películas de terror y de ciencia ficción. Su sonido era sobrenatural y perfecto para mostrar el tormento de personajes con problemas mentales, grandes cargas morales, alucinaciones o malos sueños. Uno de los primeros compositores en usarlo fue Dimitri Shostakovich, un joven ruso que lo introdujo en la escena de la tormenta de la película Odna (1930). En 1951, Bernard Herrmann utilizó dos theremines para la banda sonora de The Day the Earth Stood Still de Ray Wise. El uso del theremin daba un toque futurista y amenazante que cuadraba perfectamente con el tono de la película. Howard Stein lo usó para It Came From Outer Space. Miklos Rozsa lo usó para recalcar la inestabilidad emocional de varios personajes en películas como Spellbound de Alfred Hitchcock o The Long Weekend de Billy Wilder. Y en multitud de películas más como The Mad Magician, Please Murder Me, The Red House, House of Wax. Más recientemente en Ed Wood, Existenz o Mars Attacks. En The Song Remains the Same, podemos ver a Jimmy Page, tocando un theremín durante la canción Whole Lotta Love. Grandes de la música com Pink Floyd, Jean Michel Jarre, Radiohead, Marilyn Manson o Nine Inch Nails han hecho uso de este particular instrumento. Durante años el instrumento cayó en el olvido hasta que a mediados de los noventa el documental Theremin, an Elecronic Oddysey (1994) lo volvió a traer a la primera plana de la actualidad musical. La mayor virtuosa del theremín fue Clara Rockmore, quien tras ver truncada su carrera como violinista por culpa de una lesión se convirtió en una consumada thereminista. Rockmore fue colaboradora de Theremin y poseía un oído absoluto. Su talento a la hora de ejecutar las piezas musicales era sobrecogedora. Otros grandes concertistas son Samuel Hoffman y Lucie Bigelow Rosen. En la actualidad existen varios thereministas muy conocidos como Lydia Kavina, Barbara Buchholz, Masami Takeuchi, Carolina Eyck, Celia Sheen, Ernesto Mendoza, Jonny Greenwood, Robby Virus o Pamelia Kurstin. Y por supuesto Sheldon Cooper, personaje de la serie de televisión The Big Bang Theory.
El theremín, ese sonido de cine, Hipertextual
31/12/14 - Atualizando...
Comentários por leitores do Jornal GGN onde esta nota foi republicada em 29/12/14:
Jimmy Page. Link de vídeo – Free Walker |  A vida de Leon Theremin é uma coisa do outro mundo. Link de vídeo – Taturana |  Aplicação do instrumento. Vídeo – George Vidipo |  Diz a lenda que ele foi sequestrado em NY pela KGB e levado para a Sibéria. – Taturana |  Foi casado com Lavinia Williams, bailarina do American Negro Ballet Company. – Almeida |  Ele projetou um sistema sem fios para escutar as conversas na embaixada norte-americana. – Edsonmarca |  Vídeo "Dois mil e um" com Os Mutantes – Hugo1 |  Os Mutantes já usavam o teremim nos anos 60. Recentemente, foi o Pato Fu. Vídeo com o Pato Fu – Jair Fonseca |  Uma demonstração do instrumento pelo criador. Ele tinha habilidade, tocava violoncelo. Vídeo – Almeida |  Olesya Rostovskaya toca no teremim "Ave Maria", de Bach-Gounod. Vídeo – Almeida |  Clara Rockmore toca no teremim "O Cisne". Vídeo – Almeida |  A longa e sinuosa estrada da arte – Altamiro Souza

Incêndio no crematório

O corpo de bombeiros de Innisfil, em Ontário, Canadá, apagou na última quarta-feira (24) um grande incêndio no Innisvale Crematorium.
O fogo causou perdas totais ao crematório estimadas em dois milhões de dólares.
No interior de suas instalações, havia quinze "indivíduos previamente falecidos" que aguardavam a cremação. Eles foram retirados íntegros e transportados para casas funerárias vizinhas.

airbroath.blogspot.com.br

26 dezembro, 2014

Lembrando John Barrymore

Grande perfil, grande vida, melhor na morte
"Morte? Eu diria que não, caro amigo. Nenhum Barrymore permitiria uma coisa assim tão convencional acontecer consigo."
Em 1942, quando John Barrymore estava em seu leito de morte, ele recebeu um telegrama de WC Fields. Que dizia:
"Você não pode fazer isso comigo."
WC Fields era seu grande amigo de farras.
Após o funeral, o cineasta Raoul Walsh pegou emprestado o corpo de Barrymore (na verdade, ele subornou o agente funerário com 200 dólares), e deixou-o apoiado em uma cadeira para surpreender Errol Flynn, quando este voltasse para casa depois de mais uma noite de bebedeiras.
E Flynn recordou esse momento mórbido em sua autobiografia:
"Quando abri a porta, olhei para o rosto de Barrymore. Seus olhos estavam fechados. Ele parecia inchado, branco, sem derramamento de sangue. Eles não o tinham embalsamado ainda. Eu soltei um grito delirante. Meu coração batia forte. Eu não consegui dormir o resto da noite."

A internet em tempo real

No momento em que você terminar de ler esta frase terá havido 219.000 novos posts de Facebook e 22.800 novos tweets, 7.000 aplicativos baixados, e cerca de nove mil dólares será o valor dos itens vendidos na Amazon... Dependendo de sua velocidade de leitura, é claro.

25 dezembro, 2014

O incrível e o inacreditável

Luis Fernando Verissimo - O Estado de S.Paulo
13/02/2014
"Incrível" e "inacreditável" querem dizer a mesma coisa - e não querem. "Incrível" é elogio. Você acha incrível o que é difícil de acreditar de tão bom. Já inacreditável é o que você se recusa a acreditar de tão nefasto, nefário e nefando - a linha média do Execrável Futebol Clube.
Incrível é qualquer demonstração de um talento superior, seja o daquela moça por quem ninguém dá nada e abre a boca e canta como um anjo, o do mirrado reserva que entra em campo e sai driblando tudo, inclusive a bandeirinha do corner, o do mágico que tira moedas do nariz e transforma lenços em pombas brancas, o do escritor que torneia frases como se as esculpisse.
Inacreditável seria o Jair Bolsonaro [1] na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara em substituição ao Feliciano, uma ilustração viva da frase "ir de mal a pior".
Incrível é a graça da neta que sai dançando ao som da Bachiana n.º 5 do Villa-Lobos como se não tivesse só cinco anos, é o ator que nos toca e a atriz que nos faz rir ou chorar só com um jeito da boca, é o quadro que encanta e o pôr do sol que enleva.
Inacreditável é, depois de dois mil anos de civilização cristã, existir gente que ama seus filhos e seus cachorros e se emociona com a novela e, mesmo assim, defende o vigilantismo brutal, como se fazer justiça fosse enfrentar a barbárie com a barbárie, e salvar uma sociedade fosse embrutecê-la até a autodestruição.
Incrível, realmente incrível, é o brasileiro que leva uma vida decente mesmo que tudo à sua volta o chame para o desespero e a desforra.
Inacreditável é que a reação mais forte à vinda de médicos estrangeiros para suprir a falta de atendimento no interior do Brasil, e a exploração da questão dos cubanos insatisfeitos para sabotar o programa, venha justamente de associações médicas.
Incrível é um solo do Yamandú. [2] [3]
Inacreditável é este verão.

Crianças reagem a máquinas de escrever

Um interessante vídeo de desatualização tecnológica que mostra como crianças de 6 a 13 anos reagem ao serem apresentadas a máquinas de escrever:



Catando milho
Acreditem, crianças, eu já fui bom nisso. (1) (2) (3)

O valioso tempo dos maduros

Mário de Andrade
Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
[...]
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!"

Este texto, que me foi enviado por Fernando Gurgel, apresenta também uma versão em espanhol. Encantada com os versos de Mário de Andrade, uma leitora da Espanha (M.G.) decidiu traduzi-los para sua língua natal:

El valioso tiempo de los maduros
Conté mis años y descubrí que tendré menos tiempo para vivir de aquí en adelante del que ya viví hasta ahora.
Tengo mucho más pasado que futuro.
Me siento como aquel niño que recibió un cuenco de cerezas.
Las primeras, las chupó displicente pero al darse cuenta de que quedan pocas, roe el hueso.
Ya no tengo tempo para lidiar con mediocridades.
[...]
Mi tiempo se tornó escaso para debatir títulos, quiero la esencia, mi alma tiene prisa…
Sin muchas cerezas en el cuenco, quiero vivir al lado de gente humana,
muy humana; que sabe reírse de sus tropiezos, no se maravilla con triunfos, no se considera elegida antes de tiempo, no huye de su mortalidad.
Caminar cerca de cosas y personas de verdad,
Lo esencial hace que la vida merezca la pena.
Y para mí, basta lo esencial!

24 dezembro, 2014

Despedidas

1
Em 1964, o escritor canadense Graeme Gibson comprou um papagaio no México. O pássaro, que Gibson chamou de Harold Wilson, foi hábil e carinhoso no início. Mas ele parecia crescer solitário no escuro inverno canadense, por isso, na primavera Gibson resolveu doá-lo ao jardim zoológico de Toronto.
No aviário, Gibson pôs Harold na vara de uma gaiola reservada para ele, disse adeus e se virou para ir embora.
"Então, Harold fez algo que me surpreendeu. Pela primeira vez, e exatamente com a voz que meus filhos poderiam ter usado, ele gritou 'papai!' Quando me virei para olhar para ele, ele estava inclinado para mim numa expectativa.
"Papai", repetiu ele.
"Eu não me lembro o que eu disse a ele. Algo sobre ele ser mais feliz lá, que ele iria em breve fazer amigos. O tipo de coisa que você diz para as crianças quando vai deixá-las num acampamento. Mas, fora do aviário, eu ainda podia ouvi-lo chamando 'papai! paizinho!', enquanto me afastava. Eu estava desolado ao descobrir que Harold sabia me chamar, e que ele fez isso porque ele se identificou com os meus filhos."
"Agora eu acredito que ele soubesse disso o tempo todo, mas estava usando - pela primeira vez - por desespero. Konrad Lorenz e Bernd Heinrich, ambos mencionam casos de aves que gritam os nomes particulares de amigos íntimos quando ameaçadas por um grave perigo. Eu não estou mais surpreso com tal informação. Pensamos em nossas aves em cativeiro como nossos animais de estimação, mas talvez nós sejamos deles também."
Gibson, Perpetual Motion, 1982
2

Jingle Bellies

Uma performance musical desses homens admiráveis e... barrigudos.



Jingle Noel

23 dezembro, 2014

BOAs FEsTaS

(símbolo – nome – número atômico)
B – Boro – 5
O – Oxigênio – 8
As – Arsênio – 33
F – Flúor – 9
Es – Einstênio – 99
Ta – Tantálio – 73
S – Enxofre – 16

Slideshows do PG - Apresentação 350

Natal de luz


Uma rã iluminada

22 dezembro, 2014

Cartas de desculpas

Oi, querida,
Sinto muito por ter entrado em discussão com você sobre a colocação das luzes de Natal. É que, quando você quer algo, deseja que seja para ontem.
Eu reconheço que estive errado e agora lhe peço desculpas por ter sido um cabeça-dura.
Tudo o que eu quero é que você seja feliz e que desfrute dessa temporada de férias. Nada ilumina tanto o espírito de Natal como as luzes de Natal!
Por isso, aproveitei o tempo para pendurar essas luzes para você e agora estou saindo com uns amigos para um racha.
Mais uma vez: estou muito triste pela maneira como agi ontem. Estarei em casa mais tarde.
Amo-a.

Oi, querido,
Obrigada pelo pedido de desculpas que você escreveu para mim. Raramente, há pedidos de desculpas de sua parte. Mas, quando um deles acontece, saiba que eu realmente aprecio.
Eu também me senti mal com a discussão e queria lhe pedir desculpas. Eu percebo que, às vezes, posso ser um pouco agressiva.
Vou tentar respeitar seus sentimentos a partir de agora.
Obrigada por gastar o seu tempo pendurando as luzes de Natal para mim. Isso significa muito para mim.
Lavei o seu caminhão para você e agora vou sair para fazer compras.
Eu também o amo!

Apology Letters, Bits and Pieces

Elba pode ser o próximo 007

O ator britânico Idris Elba (foto) poderá ser o James Bond do filme de número 25 da série.
Esta revelação saiu do vazamento de uma troca de e-mails entre dois executivos da Sony Pictures.
O que, evidentemente, seria uma mudança drástica para o personagem criado por Ian Fleming. Nunca antes um ator não caucasiano representou James Bond em seus filmes (e fala-se inclusive que Fleming era algo racista).
Um 007 negro seria uma ideia arriscada para um público purista?
Na minha opinião, não. Basta lembrar o drama que, há alguns anos, se seguiu à escolha de Daniel Craig para interpretar James Bond. Craig, mais baixo que seus antecessores e considerado, por alguns, como muito "duro" e deselegante para o papel, começou sob críticas. Mas o 007 Daniel Craig deu um facelift na série, culminando com sua atuação em "Skyfall", em que fez a série praticamente retornar ao espírito de suas origens.
Depois de quatro filmes com Craig (contando aqui com o "Spectre" a ser lançado dentro de dois anos), é normal que comecem a falar sobre um novo Bond. E, se essa escolha for confirmada, Idris Elba, que é um ator muito experiente, deverá se firmar no novo papel.

Slideshow BONDs

21 dezembro, 2014

El Gordo

Os espanhóis gastam tanto dinheiro na Loteria de Natal (Lotería de Navidad) que esta equivale a 0,3 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) do país. Além disso, calcula-se que, se el Gordo é distribuído de modo concentrado em uma determinada província, o PIB desta aumenta em média 3 por cento – um número que está longe de ser trivial.

[Fonte: El Mundo]

O Garoto Amarelo



Nome original: The Yellow Kid
É um dos personagens mais antigos das Histórias em Quadrinhos. Estreou nos Estados Unidos em 1894 e parou de ser publicado em 1898, provavelmente porque Outcault, o seu criador, perdeu o interesse pelo personagem. Ao perceber que não podia mais deter o controle comercial sobre a criação.
The Yellow Kid era uma criança calva, dentuça, de aparência chinesa, sorriso bobo e que vestia uma camisola amarela.
Curiosidade
Comunicava-se sem balões – através de mensagens na camisola.

20 dezembro, 2014

Escuta só: ouvido absoluto

Você consegue imaginar como seria se qualquer som que você ouvisse fosse uma nota musical? Um despertador pode soar em Dó, um gato miar em Si bemol e um telefone tocar em Sol sustenido. Esta rara habilidade faz parte do universo de indivíduos com ouvido absoluto (OA). Mas quais as razões disso acontecer? Como vivem estas pessoas? É doença?
Num fórum, Fábio Zanon comentava outro dia que havia assistido a um conserto ótimo no Masp, mas que o ar condicionado soava um fá sustenido irritante.
Este documentário apresenta as opiniões de diferentes pessoas (músicos, pesquisadores e portadores do OA) a respeito do assunto.



[18:26–19:17] Maestro Cacique Robson Miguel:
"Uma vez, eu encontrei uma índia a quem perguntei:
– Qual o seu nome?
– We-e-e-na.
– Como?
– We-e-e-na.
– Qual é mesmo o seu nome?
– We-e-e-na.
– Mas por que você está cantando We-e-e-na? Mi, Si, Mi, Mi.
– Eu sou da etnia Tikuna que fica na fronteira do Brasil com a Colômbia e o Peru. Nossa língua está sendo estudada porque somos os únicos índios na América com uma língua tonal. Meu pai é Boatecu, minha irmã é Jueena, e eu sou Weena.
– Que interessante! Uma índia que eu tenho de cantar para dizer o nome: We-e-e-na.
Então, começou um grande amor e agora estamos casados há oito anos."

O superpoder do ouvido absoluto | Desescute |  BAIXARIAS

FÉRIAS. Quais são as chances de você encontrar o seu chefe?

As chances de isso acontecer são maiores do que você pensa
A última pessoa na Terra com que a maioria das pessoas gostaria de esbarrar acidentalmente durante as férias seria o seu chefe. Pode parecer uma coincidência enorme encontrar alguém que você conhece muito longe de casa, mas muitas pessoas têm histórias de como isso aconteceu com elas.
Tomemos o caso de Katherine, uma jovem britânica que planejava passar umas férias de verão no exterior com seus amigos.
"O problema era que eu não poderia dispor daquele tempo de afastamento do trabalho. Então, eu decidi telefonar para avisar que estava doente e ir de férias de qualquer maneira", diz ela.
Mas quando ela chegou no resort com os amigos, e saiu para fazer um reconhecimento do local, viu o chefe do supermercado onde ela trabalhava em Weston Super Mare.
"Obviamente, ele se surpreendeu em me ver, pois pensava que eu estava doente."


Qual era a probabilidade de tal coincidência?
Katie Chicot, uma matemática da Universidade Aberta do Reino Unido, analisou as probabilidades envolvidas. E começou fazendo esta pergunta: Quais são as chances de Katherine passar suas férias em um mesmo lugar e ao mesmo tempo com o seu chefe?
"Vamos supor que sejam eventos independentes, que ambos escolheram um período ensolarado de verão e que ambos optaram por um pacote barato."
"Eles não têm filhos, então eles devem ter evitado a época das férias escolares", diz Chicot.
Ela faz a suposição de que há apenas sete semanas de verão para escolher, quando se excluem as férias escolares que se iniciam no final de julho e vão até o final de agosto.
Além de trabalhar com a probabilidade de escolher a mesma semana, ela avalia as chances de Katherine escolher o mesmo destino.
Ela diz que a Espanha é o destino de férias mais popular para os britânicos.
"Há cerca de uma chance em três de escolher a Espanha, assim, as chances de escolher a mesma semana e de escolher a Espanha, são de uma em 20", ela calcula.
Mas acontece que há um agente de viagens perto do supermercado onde Katherine e seu chefe trabalham.
"Esta agência de viagens no Reino Unido envia 800 mil pessoas por ano para a Espanha, das quais 20 mil vão para Magaluf – a localidade do resort onde Katherine foi pega em flagrante.
"Usando estes números, a probabilidade de que uma pessoa selecione Magaluf é de cerca de dois em 100."
Para recapitular
Há uma chance em três de Katherine escolher a Espanha, e se ela o faz, há duas chances em 100 de escolher Magaluf.
"Assim, a chance de Katherine selecionar Magaluf são de cerca de oito em 1000", diz Chicot.
Mas, como mencionado acima, há uma chance em sete de Katherine e de seu chefe selecionarem a mesma semana, por isso "a chance de que ela selecione a mesma semana e Magaluf é de cerca de um em 1000", diz Chicot.
Isto é, se assumirmos que os acontecimentos de Katherine escolher Magaluf e de seu chefe escolher Magaluf sejam eventos independentes.
Mas, evidentemente, Chicot suspeita que eles não são independentes, visto que provavelmente usaram os serviços do mesmo agente de viagens.
"A qualquer momento, um agente de viagens terá o mesmo melhor negócio em oferta. Portanto, se duas pessoas vão a pé ao mesmo agente de viagens, dentro de um período de tempo similar, e requisitam férias semelhantes, é muito provável que lhes seja oferecido o mesmo pacote de férias."
Assim, as chances de isso acontecer a Katherine não são tão remotas como uma em 1000.
"E a lição aqui é que, se você NÃO quer passar as férias com o seu chefe, não use o mesmo agente de viagens dele", diz Chicot.

19 dezembro, 2014

A história do Ctrl+Alt+Del

Começou como um segredo comercial e tornou-se um ícone
O Ctrl+Alt+Del é uma combinação especial de teclas que funciona como um comando na maioria dos sistemas operacionais da informática. Consiste no pressionamento sequencial e sustentado das teclas Ctrl (ou Control), depois Alt (ou Alternative) e, finalmente, Del (ou Delete).
Foi criado por David Bradley, em 1980, diante da necessidade de desenvolver uma maneira simples de reiniciar um computador quando travado. E ele, então, escreveu o código.
No Windows, este comando abre uma janela que permite controlar os processos em atividade no momento e fechar o que está causando conflito ou instabilidade.
O que Bradley nunca previu foi que a criação desse atalho, hoje uma parte integrante da experiência dos usuários, faria dele um herói da programação.
Alguém que um dia seria perseguido para autografar teclados em conferências.

Ctrl+Alt+Del no teclado QWERTY

POLÊMICA. Ataulfo Alves x Carmen Costa

Faixa do disco "Eternamente Samba" (1966, gravadora Polydor), com Ataulfo Alves, Carmen Costa e o acompanhamento do "Regional do Caçulinha".
Pot-pourri
"Pois é" (Ataulfo Alves)
"A morena sou eu" (Mirabeau-Milton de Oliveira)
"Sai do meu caminho" (Ataulfo Alves)
"Conte o caso direito" (Valdenir-Nilton Carudo)
"Duro com duro" (Ataulfo Alves)
"O vento que venta lá" (Ataulfo Alves)
"Na ginga do samba" (Ataulfo Alves)



Trechos
ELE: Pois é
Falaram tanto
Que desta vez a morena foi embora
Disseram que ela era a maioral
E eu é quem não soube aproveitar
Endeusaram a morena tanto, tanto
Que ela resolveu me abandonar.
ELA: Aqui você rirá dizendo a todos
Pois é, pois é, pois é
Quem sabe a quentura da panela
É a colher, é a colher
Chega o que ela já sofreu
Quem de vocês já conhece
Que a morena sou eu. (bis)
ELE: Sai do meu caminho
Não estrague os dias meus
Deixe-me em paz
Pelo amor do santo deus
Minha morena que eu falei numa canção
É diferente da sua insinuação. (bis)
ELA: Foi o sucesso
Que lhe fez vaidoso
Mas pra seu governo
Sou filha de pai teimoso
Dê a mão à palmatória
E deixe de preconceito
Arrie a trouxa no chão
E conte o caso direito. (bis)
ELE: Se você não vem pra cá
Eu também não vou pra lá.
Mas que mulher caprichosa
Por qualquer coisa se queima
Você é muito dengosa
Mas eu sou o tira-teima. (bis)
ELA: O vento que venta lá
É o vento que venta cá. (bis)
ELE: Em Mangueira eu sou a corda
E você é a caçamba
Tudo isso é brincadeira
Nosso negócio é o samba.
(bis)
JUNTOS: É na ginga bonita
Que o samba tem
Quem não tem ginga
No samba não fica bem.

18 dezembro, 2014

A bunda, que engraçada

Carlos Drummond de Andrade
A bunda, que engraçada.
Está sempre sorrindo, nunca é trágica.

Não lhe importa o que vai
pela frente do corpo. A bunda basta-se.
Existe algo mais? Talvez os seios.
Ora — murmura a bunda — esses garotos
ainda lhes falta muito que estudar.

A bunda são duas luas gêmeas
em rotundo meneio. Anda por si
na cadência mimosa, no milagre
de ser duas em uma, plenamente.

A bunda se diverte
por conta própria. E ama.
Na cama agita-se. Montanhas
avolumam-se, descem. Ondas batendo
numa praia infinita.

Lá vai sorrindo a bunda. Vai feliz
na carícia de ser e balançar
Esferas harmoniosas sobre o caos.

A bunda é a bunda
redunda.

Assim nasceu a bunda moderna

EUA e Cuba reatam relações diplomáticas

- Quando volveremos a hablar con los Estados Unidos, Fidel?
- Quando el papa sea argentino como tu, Che.
- Quê?
- Y el presidente americano sea negro, democrata y Nobel de la Paz.
- No me jodas, Fidel!!!
Felipe Pena



Tuitaram...
– EUA e Cuba retomando as relações diplomáticas, e o que isso quer dizer: são tempos difíceis para um "reaça". ~ Alexandre Silva
– Alguém tem dúvida que o San Lorenzo atropelará o Real Madrid no sábado? ~ Otávio Fortes
– "Coxinhas" e a direita tupiniquim vão cortar os pulsos. Obama teve um ataque bolivariano. ~ Fábio Gomes
– PSDB pede que ONU reconheça Fulgêncio Batista como verdadeiro presidente cubano. ~ Rodrigo Vianna
– Com a aproximação entre EUA e Cuba, quanto tempo vai demorar para o PSDB dizer que a ideia do Porto de Mariel é deles? ~ Fabrício Condé

17 dezembro, 2014

Sopros nasais

O chinês Nie Yongbing, da província de Sichuan, enche câmaras de pneus soprando-as pelo nariz. No início, ele soprava balões. Desde que um médico sugeriu a Nie esta prática "para melhorar a saúde".
Mas...
Nie resolveu enfrentar maiores desafios. E passou a encher câmaras de pneus com seus sopros nasais.


A cena acima mostra Nie soprando – ao mesmo tempo – quatro câmaras. Cada câmara suporta o peso de duas pessoas, pois se trata de um desafio plus. E o chinês consegue concluir a sua performance em 21 minutos.

Paulin da Flauta Nasal |e A verdadeira flauta nasal, com um grupo canadense

Perspectiva Pictorum


Se você dobrar o retrato de Lincoln em uma nota de cinco dólares, poderá vê-lo:
1) mal-humorado, com uma carranca à Henry Fonda
2) sorrindo como um bobão.
De acordo com a posição que a cédula for colocada com relação a você.

Memorial
Abraham LincolnTuitaram... e Sobretudo ajudando a entender

Slideshows do PG - Apresentação 349
Prédios projetados e construídos para atrair os estômagos que roncam das pessoas que passam por suas imediações.

16 dezembro, 2014

Como funcionam os óculos



Leitores escrevem como foi a primeira vez com os óculos
"Eu me senti indo de 240p para 1080p, tantos eram os detalhes."
"Uma boa regra é que, se você vê os jogos de vídeo melhor do que a vida real, provavelmente você precisa de óculos."
"Devo dizer que, até então, eu via tudo como um jogo de 8 bits."
"Vi linhas de alta tensão. Eu pensava que elas fossem coisas teóricas."
"Quando criança, eu estava convencido de que o céu à noite só tinha 3 ou 4 estrelas. Porque essa era a quantidade de estrelas que eu podia ver."
"Se você cresceu em São Paulo, como aconteceu comigo, você poderia dizer que o céu tinha apenas 3 ou 4 estrelas e estaria correto."
"Descobri que as pessoas tinham espinhas e sardas no rosto. De repente, todo mundo ficou feio."
"Antes de usar óculos eu sempre me perguntava: por que as pessoas gostam de futebol? Quero dizer, qual é a graça em ficar assistindo a uma tela verde de televisão verde durante horas e gritando para ela?"
"Puxa! Meus óculos processam as imagens melhor do que o meu laptop!"

A frase da besta

ESPERE O DIABO
Como é esta frase em inglês?
EXPECT THE DEVIL
Quais são os algarismos romanos da frase?
X, C, D, V, I e L
Que número estes algarismos formam?
DCLXVI = 666

Bestialógicas
O adesivo 666, A taxa do diabo e O próximo Papa

15 dezembro, 2014

Um cartão de visitas para introvertidos

(O rosto não foi colocado na foto desta postagem a pedido dele.)

Dez mitos sobre introvertidos

A estratégia de Kutuzov

Em 1812, o célebre militar russo Marechal Kutuzov (1745-1813), durante a invasão napoleônica se utilizou dessa estratégia. Fazendo suas tropas recuarem para o interior do território russo, de modo a atrair Napoleão, que esticava cada vez mais a sua linha de suprimentos vinda do leste do Grão-Ducado da Polônia e do Grão-Ducado de Varsóvia (território então aliado do Império Napoleônico), ao mesmo tempo em que devastavam tudo o que não podiam levar. Ateavam fogo nas casas de madeira, deixando o exército napoleônico sem abrigos. Matavam os animais, deixando os invasores sem alimentos. E, com as linhas de abastecimento cada vez mais esticadas, podiam ser atacados pelas guerrilhas russas.
Napoleão ia se distanciando de seu ponto de partida e enfrentando progressivas dificuldades. Kutuzov simplesmente recuava cada vez mais – sem oferecer combate a Napoleão, e Napoleão, com esperanças de que, uma hora ou outra, os russos travassem alguma batalha, ao menos para defender Moscou que tinha grande valor histórico e político por ser a capital da Rússia.
Napoleão, porém, foi imprudente e não percebeu que a ideia de Kutuzov era sacrificar tudo, inclusive Moscou, para que Napoleão adentrasse o mais possível em território russo, até que chegasse o inverno. E Napoleão não estava preparado para o inverno.
Quando chegou o inverno, Napoleão estava muito distante de seu ponto de partida e teve que recuar em péssimas condições. Ele não tinha onde abrigar seu exército, nem como alimentá-lo.
Com o exército francês enfraquecido, houve o momento perfeito para que os russos atacassem. A retirada se torna extremamente catastrófica, e com o exército russo sempre atacando à retaguarda, ocorrem muitas baixas, soldados se dispersam, se entregam. O exército napoleônico literalmente se arrastou de volta para a Polônia, em meio a nevascas e sob ataques dos russos, os quais, finalmente, conseguem expulsar o exército de Napoleão da Russia. WIKIPÉDIA
N. do E.
Kutuzov cutucava o dragão com vara longa.

14 dezembro, 2014

Mensagem científica em uma garrafa



Em 1959, o geólogo Paul Walker colocou esta nota (►) em uma garrafa e deixou-a sob uma pilha de pedras em uma parte remota do Ártico. A nota solicitava que medissem a distância entre o monte de pedras onde estava a garrafa e uma geleira próxima e que, em seguida, enviassem a medida para ele.
O objetivo: documentar se a geleira estava avançando ou recuando.
Um grupo de cientistas descobriu a mensagem neste verão e seguiu suas instruções. O que eles observaram, provavelmente, não foi surpresa para quem acompanha o estado do gelo no Ártico, nas últimas décadas. Em 1959, a distância era 51 metros; atualmente, é 102 metros.

Calourada

QUANDO FUI CALOURO
VI TUDO MUDAR

13 dezembro, 2014

Sua elegância matinal

Her Morning Elegance (sem título no Brasil), de Oren Lavie e Eyal Landesman, é um vídeo em stop-motion que pode ser considerado bem sucedido. Já foi indicado para um dos prêmios Grammy, exibido em festivais de cinema ao redor do mundo e acessado por internautas cerca de 28 milhões de vezes no YouTube.
O vídeo foi criado a partir de 2096 fotografias, tiradas e sequenciadas de forma a transmitir uma sensação de movimento.



Lyrics (letra da música em inglês) aqui.

Impagáveis do PG - 5


Estou sendo acusado de plágio.
Mas é apenas a palavra dele contra a minha 
(que ele afirma ser a sua palavra).

Imagem: Buzzle

Impagáveis: 1, 2, 3 e 4

12 dezembro, 2014

Um erro comum

Legendas traduzidas por PGCS

Embora a cultura popular tenha associado o nome Frankenstein à criatura, esta não é assim nomeada no romance de Mary Shelley. É referida como "criatura", "monstro", "demônio", "desgraçado" por seu criador. Após o lançamento do filme "Frankenstein", em 1933, o público passou a chamar de Frankenstein a criatura. Isso foi adotado mais tarde em outros filmes e histórias em quadrinhos.
Na célebre polêmica musical entre Noel Rosa e Wilson Batista, para ressaltar o defeito facial do "Poeta da Vila", o sambista Wilson Batista apelou para estes versos:
"Boa impressão nunca se tem
Quando se encontra um certo alguém
Que até parece um Frankenstein." (Frankenstein da Vila, 1936)

AQUECIMENTO GLOBAL. Pesquisa

AS ORCAS ESTÃO A FAVOR E A FOCA, CONTRA.

11 dezembro, 2014

Criador e criatura

"Todas as crianças, exceto uma, crescem. Elas logo sabem que vão crescer (...) este é o começo do fim." 
Eis o início (1) da clássica história em que o escritor James Barrie nos apresenta a turma de Peter Pan. Parece inocente, mas um olhar sobre a vida de Barrie dá um toque meio sinistro a essa história.
EU NÃO VOU CRESCER
"Toda a vida de James Barrie levou à criação de Peter Pan ", escreveu um dos seus biógrafos.
O ponto crucial aconteceu em 1866, quando Barrie, o caçula de uma família escocesa de dez filhos, tinha 6 anos: o irmão David, o orgulho da família, morreu em um acidente de patinação. A mãe de Barrie ficou arrasada. Para consolá-la, James começou a imitar o modo de falar e os maneirismos de David. Este comportamento bizarro (2) continuou por anos. E o mais estranho: quando James chegou aos 13, a idade em que David tinha morrido, ele literalmente parou de crescer. (3)
Ele não ficou mais alto do que 1,53 m, tinha a voz fina e estridente, e não fez a barba até que tivesse 24 anos.
.
Miss Celania, Neatorama

Camarões a jato

Vem do Japão esta maravilha da culinária:

COMO FRITAR CAMARÕES EM TRÊS SEGUNDOS



(Um vídeo Vine não seria suficiente para mostrar todo o processo?)

10 dezembro, 2014

O voo espacial do DNA

DNA pode sobreviver a um voo espacial, à reentrada na atmosfera da Terra, e ainda transmitir a informação genética
Uma equipe de cientistas da Universidade de Zurique (UZH) obteve estes surpreendentes resultados em um experimento da missão do foguete Texus-49.
Aplicadas por meio de pipetas ao escudo exterior da seção de carga do foguete, moléculas de DNA de fita dupla voaram para o espaço, a partir da Terra, e retornaram da viagem.
Suportando o lançamento do foguete, o voo espacial, a reentrada na atmosfera e a aterrissagem em nosso planeta, as moléculas de DNA de plasmídeo foram encontradas em todos os pontos em que foram aplicadas no foguete.
E essa não foi a única surpresa. Em maior parte, o DNA recuperado foi ainda capaz de transferir informações genéticas para células do tecido conjuntivo e para bactérias. "Este estudo fornece evidências experimentais de que a informação genética da DNA é essencialmente capaz de sobreviver às condições extremas do espaço e à reentrada na atmosfera densa da Terra", diz o chefe do estudo, Professor Oliver Ullrich, da Universidade de Zurique.


Referências
plus.google.com/+CiroVilla | phys.org/news | www.plosone.org

Pela blogosfera - 50

Recomendo aos leitores o Dicas do Zébio. Trata-se de um blogue especializado em áudio, eletrônica, manutenção e outras coisas.
Iniciado em novembro de 2011, o Dicas já recebeu nestes três anos 460 mil visitas, provando que Eusébio Pizutti consegue realmente atrair a atenção da internet para o que escreve.

Slideshows do PG - Apresentação 348

A história de dois homens que se arriscam para retirar um cordeiro das águas revoltas de um rio.

09 dezembro, 2014

Repercussão

VKontakte é a maior rede social russa. Sua presença na internet é como se fosse uma resposta da Rússia ao Facebook. O VK tem um monte de comunidades estranhas. Uma delas, Sila Slezki (The Power of Tears), parece ser popular entre os adolescentes na Rússia. Nela, adolescentes postam selfies chorando e pedem para avaliá-los. Alguns estão claramente à procura de um apoio emocional, enquanto outros estão chorando por sabe-se lá quais razões.
N.do E.
Encontrei o cartoon acima na página do Yakov Dlugach, usuário do VKontakte.
Assina o desenho Laerte. Será ele o famoso, culto, premiado e modesto cartunista brasileiro Laerte?

Pintura musical

Torino, dezembro de 2010
Matteo Negrin é o músico italiano por trás da melodia de "Lacrime di Giulietta" (Lágrimas de Julieta, em português). Em parceria com a ilustradora Alice Ninni, além de Alberto Filippini e Luca Cattaneo, do Smile Lab, criou um vídeo de um gênero batizado de “pintura musical”, em que a partitura de uma canção traz narrativas ilustradas.



Este vídeo (encantador) levou 15h para ser gravado + 15h para ser editado!

08 dezembro, 2014

Para a mão esquerda

1
Quando o pianista Paul Wittgenstein perdeu o braço direito na I Guerra Mundial, ele encomendou um "concerto de piano para a mão esquerda" ao compositor Maurice Ravel. YouTube (20:45)
2
Quando Dick Smolens teve um AVC na década de 1960, que dificultava o uso da mão esquerda, o seu amigo William Zinsser, lembrando-se de Ravel, escreveu uma "fantasia para a mão esquerda", que Smolens datilografava como um exercício de recuperação. Side Matters
crazed zebras craved egress
at a garage
scared bats vacated
watered carafe
begat a gaffe
at a cafe [...]
N. do E.
O pianista Wittgenstein escreveu a vários compositores, pedindo-lhes que escrevessem músicas que pudesse tocar. Ravel estava ocupado com a composição de um concerto para piano (o Concerto em Sol Maior, para duas mãos), porém interrompeu o trabalho para atender o pianista.
Todas as letras do poema de Zinsser (que foi reproduzido acima apenas em seus versos iniciais) ficam no lado esquerdo do teclado QWERTY.

Salomé

Não era apenas uma dançarina, mas, aparentemente, uma contorcionista. De acordo com esta iluminura do início do século 14:


Sabemos que é Salomé, pois a iluminura subsequente mostra a dançarina-contorcionista com a cabeça de João Batista numa bandeja:


Petrus de Raimbaucourt, Biblioteca Nacional da Holanda 

07 dezembro, 2014

Homenagem a Tom Jobim

"Todas as vezes que o Tom abriu o piano, o mundo melhorou."
Conta-se que, certa vez, Frank Sinatra interrompeu um show em Nova York para anunciar que na platéia estava o maior compositor do mundo: Antonio Carlos Jobim.
Nesta segunda-feira, dia 8 de dezembro, faz 20 anos que perdemos o Maestro Soberano.
Quanto mais o tempo passa, mais se valoriza a obra musical de Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, o compositor mais influente da música brasileira no século 20. Tom, na conceituada opinião do jornalista Nelson Motta, levou a bossa nova à consagração internacional.
Neste diário eletrônico: 8 anos COM Tom Jobim
Lua cris 2006
Uma homenagem ao Maestro Soberano 2007
A criação segundo Tom Jobim 2007
Não saia do Tom 2007
A harpa de Mariano Gonzalez 2008
♪Você vai ver♪ 2008
A peleja do Poeta Carioca com o Maestro Soberano 2010
Rio [a tragédia] de Janeiro 2011
♪Choro bandido♪ 2011
And so on 2011
Billy Blanco (1924-2011) 2011
♪Girl From Ipanema♪ 2012
♪Chega de Saudade (No More Blues)♪ 2013
Tom Jobim e as idiossincrasias do Brasil 2014
Ary reclama: E o Tom?
Como homem de rádio, Ary Barroso foi apresentador de vários programas de sucesso. No mais lendário deles, "Calouros em Desfile", aterrorizava os candidatos ao estrelato, mas era uma garantia de sucesso para quem realmente tivesse café no bule. Elza Soares, pobre "de marré", foi se apresentar lá. Magérrima, desgrenhada, com um vestido emprestado muito maior que ela, provocou o comentário imediato de Ary: – Mas... de que planeta você veio? E ela, na bucha: – Planeta Fome, seu Ary. Cantou e arrasou. Já outro candidato disse que ia interpretar "um sambinha"... do dono do programa ("Aquarela do Brasil"). Quase foi trucidado. Um terceiro estava prestes a interpretar uma página de Tom e Vinícius. O poeta e diplomata era então muito mais famoso que o jovem compositor, e o candidato lascou: – "Se Todos Fossem Iguais a Você", de Vinícius de Moraes. Ary, velho batalhador pela causa do direito autoral, reclamou já furioso: – Mas... como Vinícius?! E o Tom? – Mi maior, seu Ary.

A história de Tortora

por Miguel do Rosário, O Cafezinho
A história de Claudio Marcello Enzo Tortora (1928 – 1988) oferece um alerta fundamental para os riscos da instituição da delação premiada, sobretudo em países onde a comoção pública parece se converter em linchamento, pressionando promotores e juízes a condenarem mesmo sem provas.
Aconteceu o seguinte.
Às quatro e quinze da manhã, do dia 17 de junho de 1983, o famoso apresentador de TV, Enzo Tortora, acordou ao som de fortes batidas em sua porta, no hotel em que vivia em Roma.
Eram "carabineri", a polícia italiana, que vinham lhe prender.
Tortora havia sido acusado de envolvimento com a Nova Camorra, uma das máfias mais poderosas do crime organizado italiano.
Em maio de 1982, o parlamento italiano havia aprovado a chamada "legge sui pentiti", a lei dos arrependidos, que previa redução da pena a quem se dispunha a colaborar com o Estado na luta contra o terrorismo e a criminalidade organizada.
Então, um presidiário ligado à máfia acusa Enzo Tortora de fazer parte do grupo, operando no tráfico de cocaína.
Tortora apresentava um programa do tipo bem comercial, em que os telespectadores enviavam produtos excêntricos, para que fossem leiloados ao vivo.
Um presidiário, ligado a Camorra, enviou um jogo de bordados que ele mesmo tinha feito, para o programa. Passado vários meses, o presidiário começou a escrever cartas perguntando o que tinha sido feito de seus bordados. A produção do programa pediu que o depósito fosse vistoriado, mas eles não foram encontrados.
Tortora, então, escreve uma carta ao camorrista, relatando o extravio do material e propondo uma indenização pecuniária.
O camorrista irá, em seguida, usar esta carta para incriminar Tortora, dizendo que ela vinha escrita em linguagem cifrada, e que o bordado significava drogas, e que a oferta de dinheiro relacionava-se à quantia a ser paga.
Quando Tortora se defende perante o juiz e imprensa, que acompanha o caso em tom sensacionalista, jurando que não conhecia o delator, o presidiário mostra a carta, como prova que eles mantinham contato.
Uma sequência de fatos se desencadeia em desfavor de Enzo Tortora.
Outros mafiosos, que ouviram a história na TV e a leram nos jornais, resolvem também delatar Enzo Tortora.
No apartamento de um dos delatores, a polícia encontra uma agenda onde se lia o nome "Tortora", ao lado de um número telefônico (em seguida, seria comprovado que o nome certo era Tortona, não Tortora, e que o número de telefone não era do apresentador).
Os jornais caem em cima de Tortora, sem piedade. Longos editoriais, artigos, crônicas, charges, são publicadas contra o pobre apresentador, que esbravejava inutilmente sua inocência. Raríssimos intelectuais saíram em sua defesa. Certamente, os que entendiam ética também como respeito absoluto as direitos individuais, onde se inclui o direito à dignidade, contra o Estado, a mídia e as massas.
Sua única defesa, perante tantos delatores lhe acusando, era que todos eram bandidos, e sua palavra não merecia fé.
Aí aparece um pintor, sem ligação com a máfia, afirmando que tinha visto Enzo Tortora vendendo cocaína num banheiro de uma festa VIP.
O tal pintor vai a todos os programas de TV possíveis.
A casa caiu para Enzo Tortora.
Ele não tinha mais como se defender.
Juízes e procuradores também usaram o caso para se promoverem.
Enzo Tortora, já visto por uma parcela da opinião pública como uma vítima de um judiciário negligente, mas ainda não absolvido pela Justiça, foi eleito deputado do parlamento europeu por um partido da nova esquerda italiana, o Partido Radical.
Mesmo eleito deputado, Tortora perdeu os últimos recursos a que tinha direito, e foi condenado a tantos anos de reclusão, logo convertida para prisão domiciliar. Ele renuncia ao parlamento europeu para cumprir a pena.
Anos depois, tudo começou a ruir.
Era tudo mentira. O pintor apenas queria aparecer. Descobriu-se que ele já tinha sido condenado, em outras ocasiões, por fazer acusações falsas.
Os mafiosos queriam apenas se beneficiar da delação premiada, e escolheram Enzo Tortora como um alvo perfeito. Era um cara importante o suficiente para fazer bonito junto à promotoria. E era inocente, ou seja, eles não denunciavam nenhum perigoso figurão da máfia, que naturalmente não ficaria satisfeito em ser delatado.
Ao cabo, um novo julgamento é realizado, e Tortora é totalmente absolvido.
No documentário, é comovente a cena do advogado de Tortora chorando copiosamente com o fim de um pesadelo de oito anos.
A delação premiada é o pesadelo dos advogados, que vê seu cliente ser acusado sem que seja apresentada nenhuma prova.
No Brasil, a instituição da delação premiada, que pode ser importante em alguns casos, está se tornando uma verdadeira panaceia, e a comunidade jurídica e política devem se insurgir contra a tentativa de torná-la em instrumento do arbítrio, sobretudo se manipulada inescrupulosamente pela mídia.
N. do E.
  • A comoção na Itália e a vergonha na opinião pública foram tão grandes, quando se deu conta do erro, que foi realizado um plebiscito para aprovar uma lei, impondo penalidades a juízes e promotores que cometessem arbítrios contra cidadãos italianos, como cercear o direito à defesa ou agir deliberadamente, sem a devida imparcialidade, para culpabilizar o réu. O plebiscito teve mais de 80% de aprovação.
  • Uma biblioteca em Roma, uma praça em San Benedetto del Tronto, um largo em Milão, uma galeria em Gênova, uma rua em Nápoles e outra em Mondovi e o foyer de um teatro na Itália receberam o nome Enzo Tortora, em homenagem a ele.
  • A história desta vítima da malagiustizia foi transformada várias vezes em filmes para o cinema e a televisão.

A cor oficial de 2015

Em 2013, a cor do ano foi o verde:
http://blogdopg.blogspot.com.br/2013/10/qual-e-o-problema-com-as-calcas-verdes.html
Em 2014, a cor oficial foi a Orquídea Radiante, uma espécie de roxo rosado:
http://blogdopg.blogspot.com.br/2014/01/a-cor-oficial-de-2014.html
Em 2015, será uma mistura de marrom com vermelho. Pantone, o autodeclarado organismo oficial de controle do espectro visível, bateu o prego e virou a ponta: a cor que ditará a moda em 2015 será a Marsala!
Você está olhando para ela.

06 dezembro, 2014

APANHEI-TE CAVAQUINHO

A história de um instrumento musical tipicamente português, APANHEI-TE CAVAQUINHO é o título de um dos mais famosos temas de sempre da música popular brasileira. Foi composto por Nazareth em 1914 como uma polca para piano, mas só mais tarde entrou nas rodas de choro e nos repertórios de bandolinistas e cavaquinhistas.
É a partir daqui que começa a nossa viagem, que é a viagem do cavaquinho! Uma viagem pela lusofonia, alegre e despretensiosa, desprovida de análises etnomusicológicas.
No princípio, era só um cavaco, um "braguinha", talvez com o nome da terra que lhe deu vida nos seus primórdios: Braga.
Nesta região de festas e romarias tinha a palavra o instrumento que melhor as personificava, num tempo em que as concertinas ainda não tinham chegado para lhe tomar o lugar de solista da animação popular.
Na zona de Braga, hoje ainda encontramos diversos construtores deste instrumento, bem como diversos executantes que ainda encontram nas rusgas e nas festividades joaninas refúgio para a estridência e alegria do cavaquinho.
Um instrumento cuja história se mistura em vários continentes: viajou de Portugal para o Brasil, para Cabo Verde e chegou aos Estados Unidos, ao Havai, onde é chamado de ukulele (ou ukelele).
Este é o roteiro conduzido por Henrique Cazes. Ele que é exímio tocador de cavaquinho e que se tem ocupado, desde há largos anos, a tornar mais próximos Portugal e Brasil, através dos elementos culturais mais comuns aos dois: a língua e o "braguinha".
Invista suas próximas quatro horas num imperdível passeio pelo mundo do ukulele-cavaquinho, ciceroneado pelo mestre Henrique Cazes. No quarto vídeo da série, a havaiana Taimane Gardner, aqui mostrada em "Tico-tico no ukulele", torna a aparecer.
Episódio I [http://youtu.be/RUcplYiu5oE]
Episódio II [http://youtu.be/j1j2pcEkr4g]
Episódio III [http://youtu.be/YEMJwv5hAo0]
Episódio IV [http://youtu.be/GIgAUHzmEiQ]

A tecnologia felina do iPhone


Seu objetivo é preservar as áreas mais sensíveis do aparelho
Uma tecnologia capaz de girar o iPhone em pleno ar quando o aparelho estiver caindo, a fim de proteger as partes mais sensíveis como a tela de vidro e o sensor de câmera, foi patenteada pela Apple.
A invenção, segundo o documento da patente, permitirá que o dispositivo identifique uma situação de queda, determine qual parte do aparelho fará o iminente contato com o solo e, assim, altere o seu centro de gravidade, girando-o para que o choque ocorra com uma parte mais resistente.

Fases e cronologia da invenção
Gatorrada (2013)

05 dezembro, 2014

Como reconhecer um ateu na multidão


DE HOMEM PARA HOMEM
— Ateu, não; agnóstico
— Pois eu te dou quinhentas pratas se você me disser o que quer dizer essa palavra.
— Ora, para começar você não tem quinhentas pratas. Estou conversando a sério e você me vem com molecagem. Acho que Deus é uma coisa, os padres outra. O ranço das sacristias me enoja. Tenho horror ao bafo clerical dos confessionários! O bem que a confissão pode nos fazer é o de uma catarse, um extravasamento, que a psicanálise também faz, e com mais sucesso. Estou mesmo com vontade de me especializar em psiquiatria.
— Só mesmo um doido te procuraria.
Mauro não pôde deixar de rir. Eduardo acrescentou:
— Você vai ter de se curar para depois curar os outros.
— É isso mesmo – concordou o outro, sério – Estou exatamente preocupado com o meu próprio caso. Já iniciei o que eu chamo de “a minha libertação”.
— E o que eu chamo de “a sua imbecilização”.
— Vista pela sua, que já é completa. O que eu chamo de libertação é a possibilidade de me afirmar integralmente, como homem. O homem é que interessa. Se Deus existe, posso vir a me entender com ele, mas há de ser de homem para homem.
Fernando Sabino

Comentário de Fernando Gurgel
Ateu = Sem Deus?????!!!!!
"Há meros devaneios tolos / A me torturar." – "Chão de Giz", Zé Ramalho
Os católicos, protestantes, cristãos de um modo geral, deveriam reavaliar o modo como rotulam aqueles que não compartilham com suas crenças.
Chamar de ateu, querendo dizer que a pessoa rotulada não tem "deus" - atheos -, creio que é um tiro no próprio pé.
Como podem afirmar que uma pessoa é "sem deus" se as próprias pessoas que cunharam este termo têm absoluta certeza da existência de um deus que criou tudo e todos?
Se alguém me chamar de apátrida posso provar, com facilidade, que tenho pátria.
Se alguém me chamar de aético posso provar, com mais facilidade ainda, que sempre fui ético em todas as atividades de minha vida.
Se alguém me chamar de amoral posso provar, com muito mais facilidade, que sempre mantive um comportamento acima de qualquer contestação.
Até se me rotularem de agnóstico - agnostos - posso mostrar-lhes meu conhecimento, inclusive de religião.
Então, não dá para crer em qualquer religião que exclua alguém dessa forma. Porque, sendo um ser humano que tem todas as virtudes, segundo os religiosos, de alguém que seja religioso e, em uma análise mais profunda, se eles acreditam que tudo, sem exceção, foi colocado no mundo por um ser superior, como pode alguém ser rotulado, por eles mesmo, de ateu, ou seja, de sem o ser que - repito, segundo os religiosos - criou tudo e todos.
Das duas uma: ou eles não acreditam no que pregam ou eles apenas querem um pretexto para excluir um ser humano de suas improváveis crenças. Na minha modesta opinião, se o deus dessas pessoas existisse, creio que os excluídos seriam eles.
Os muçulmanos que, ao conquistar parte da Europa, foram muito mais tolerantes com os que não professavam sua fé, chamavam de infiéis - e ainda chamam, apesar do radicalismo que praticam atualmente - os que não acreditavam em Alá. Menos mal, em termos de crença, pois não excluíam os que não acreditavam, simplesmente achavam que eles não tinham uma relação de fidelidade com aquele que acreditam ser o ser supremo.

Sopro de misericórdia


O verão que não verão

Fernando Gurgel
As hienas rodeiam, riem nervosas,
Os urubus observam, pendurados no arame armado...
No solo calcinado, o calor, a poeira, o sol a pino,
As saúvas procuram um ramo verde para derrubar,
À volta, galhos ressequidos...
Aos necrófagos, falta-lhes a carniça,
O corpo em decomposição, putrefato, onde o verme faz a festa.
Para matar a presa e sobrar-lhes a carniça,
Falta-lhes o leão, o guepardo
Falta-lhes aquele a quem devem a vida, a carniça,
A quem devem obediência,
Resta-lhes rondar, rir nervosos, se pendurar,
Sobra-lhes o lixão, para fuçar os restos.

04 dezembro, 2014

Serenata sintética

Um poema intraduzível
Em seu livro de 1983, "En torno a la Taducción", o filólogo e tradutor espanhol Valentín García Yebra cita como intraduzível este poema, "Serenata sintética", do brasileiro Cassiano Ricardo:

Rua
Torta

Lua
Morta

Tua
Porta

Em termos gerais, é uma imagem de um encontro à noite, mas a sua importância é tão incorporada em sua linguagem que García Yebra se viu incapaz de transmiti-la em outra língua.
"Nesse curto poema a forma fonêmica é tudo", escreve Basil Hatim e Ian Mason em "Discurse and the Translator". "As próprias palavras são evocativas: uma pequena cidade com ruas sinuosas (rua torta), uma lua pálida (lua morta) e a sugestão de um caso amoroso (tua porta). Mas seu impacto é conseguido quase que exclusivamente através das rimas próximas e do ritmo; o significado é sobre-erguido do nível do banal à força da exploração de recursos que são indissociáveis ​​da língua portuguesa como um código.
García Yebra relata que ele desistiu de traduzir o poema até mesmo para o Espanhol, uma língua que compartilha certas características fonológicas com o Português.


Escrita em 1957 por Cassiano Ricardo, “Serenata sintética” é composta por seis versos, todos formados por apenas uma silaba poética.
De forma brilhante, o poeta constrói a figura de um eu-lírico que é levado por um caminho incerto e um céu sem o brilho do luar até a porta da amada. Comentário de Literatura em Foco.

Poderá também gostar de ler
A rua das rimas

Stephen Hawking na Sétima Arte

Stephen Hawking quer ser um vilão no próximo filme de James Bond
Sim, ele é um físico. Mas isso não é tudo. Prof. Stephen Hawking já apareceu em Star Trek: The Next Generation e The Big Bang Theory . Agora ele está pronto para a grande tela. Hawking acha que seria um grande vilão em um filme de James Bond.
Anita Singh escreveu para The Daily Telegraph:
"Meu papel ideal seria o de um vilão em um filme de James Bond. Eu acho que a cadeira de rodas e a voz de computador proporcionariam um espetáculo à parte", disse ele.
Em uma entrevista à revista Wired, Prof Hawking, de 72 anos, disse que gosta de se comunicar com o mundo:
"Usando o meu sintetizador de voz, embora ele me dê um sotaque americano. Mas venho mantendo essa voz, porque agora é minha marca registrada."
Que tipo de vilão no cinema deverá ser o Prof. Hawking?

Umas breves histórias
Outro emprego na Inglaterra, Uma festa que não aconteceu, Bônus, A sabedoria da TL;WIKIPEDIA e Uma pesquisa na Internet sobre viajantes do tempo

03 dezembro, 2014

A pipoca e o piruá

extraída da crônica A pipoca, do livro "O amor que acende a lua", de Rubem Alves
Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca, para sempre.
Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito, a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e dureza assombrosa. Só que elas não percebem. Acham que o seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.
Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos. Dor. Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, ficar doente, perder um emprego, ficar pobre. Pode ser fogo de dentro. Pânico, medo, ansiedade, depressão — sofrimentos cujas causas ignoramos.Há sempre o recurso aos remédios. Apagar o fogo. Sem fogo o sofrimento diminui. E com isso a possibilidade da grande transformação.
Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro ficando cada vez mais quente, pense que sua hora chegou: vai morrer. De dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar destino diferente. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: PUF!! — e ela aparece como outra coisa, completamente diferente, que ela mesma nunca havia sonhado. É a lagarta rastejante e feia que surge do casulo como borboleta voante.
O piruá
... são aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. A sua presunção e o seu medo são a dura casca do milho que não estoura. O destino delas é triste. Vão ficar duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca macia. Não vão dar alegria para ninguém. Terminado o estouro alegre da pipoca, no fundo a panela ficam os piruás que não servem para nada. Seu destino é o lixo.
Quanto às pipocas que estouraram, são adultos que voltaram a ser crianças e que sabem que a vida é uma grande brincadeira...
Grato à Maria Tereza Cerqueira pelo envio desta crônica. Um dezembro com paz e saúde para você e seu esposo Sisvilan, meus colegas de turma na Faculdade de Medicina (UFC – 1971).