30 setembro, 2014

O exército invencível

O segredo está nos detalhes.

A síndrome de Tourette

Um médico da Universidade de Liverpool, Inglaterra, diagnosticou que um personagem animal de um conto para crianças (*) estaria sofrendo de um distúrbio neurológico.
O esquilo Nutkin, herói de um livro de Beatrix Potter, "comporta-se patologicamente", disse Gareth Williams. "Enquanto os outros esquilos armazenam comida e mostram-se cuidadosos com a coruja, Nutkin proporciona todo um espetáculo de atividades solitárias, como o de brincar repetitivamente com agulhas de pinheiro e bolinhas de gude", escreveu ele no "British Medical Journal".
Sua conclusão para o esquilo: a síndrome de Tourette.
"Comecei a ver isso depois que eu li a história para o meu filho de 6 anos de idade e ele ficava perguntando se estava tudo bem com Nutkin", acrescentou Gareth.
(Que tipo de doença existe em um médico que diagnostica problemas em personagens fictícios?)
(*) disponível em This is true: Book Collection Vol.. 2
Do site do Dr. Drauzio:
"A síndrome de Tourette é um distúrbio neuropsiquiátrico caracterizado por tiques múltiplos, motores ou vocais, que persistem por mais de um ano e geralmente se instalam na infância.
Na maioria das vezes, os tiques são de tipos diferentes e variam no decorrer de uma semana ou de um mês para outro. Em geral, eles ocorrem em ondas, com frequência e intensidade variáveis, pioram com o estresse, são independentes dos problemas emocionais e podem estar associados a sintomas obsessivo-compulsivos (TOC) e ao distúrbio de atenção e hiperatividade (TDAH). É possível que existam fatores hereditários comuns a essas três condições. A causa do transtorno ainda é desconhecida."
Bônus:
Beatrix Potters Characters, Pinterest

29 setembro, 2014

De tirar o chapéu

Por que os homens deixaram de usar chapéus?
1. Grande incêndio de palha nos Estados Unidos, em 1920.
2. Quebra de safra no Panamá.
3. Porque é mais fácil não usá-los.
4. Adesão aos bonés por influência dos filhos.
5. Nenhuma das teorias.

Chapéus que voam

O embrião da destruição

O site I fucking love science compartilhou originalmente esta fotografia que foi captada por uma câmera eletrônica especial, durante um teste nuclear realizado em Nevada, EUA, em 1952.
Um milésimo de segundo depois que a bomba explodiu, esta bola de fogo de 20 metros apareceu no ar com pontas que se parecem com dentes podres ou estalactites de fogo.


E não bastasse a dor, a morte, os danos materiais, a metuenda, a ferotriste é capaz de muitos estragos mais. A bomba, PGCS

28 setembro, 2014

Marinada - 2

Marina Silva deu mais um exemplo de que não sabe como funciona o BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social: em entrevista ao Bom Dia Brasil, a candidata do PSB à presidência voltou a afirmar que o BNDES dá dinheiro a “meia dúzia de empresários falidos”.
Meia dúzia de empresários falidos?
O banco financia empresas brasileiras (a propósito, ver Porto Mariel: dinheiro para Cuba?), não pessoas, como suporte para que as organizações se fortaleçam, a economia aqueça e mais empregos sejam gerados. Fórmula que vem dando certo, diga-se de passagem. Porém, aparentemente, Marina ainda não compreendeu a importância dos bancos públicos no crescimento do país. Então, vamos trazer mais dados e aprofundar a questão.
Primeiro: não são “meia dúzia” as empresas que têm relação com o BNDES. Das 500 maiores empresas do país, 480 (96%) são clientes do banco, de acordo com Fábio Kerche, assessor da presidência da instituição. Kerche se prestou a rebater as críticas de Marina, explicando um a um os equívocos divulgados por ela. Ele relatou ainda que 97% das operações do banco (em 2013 o banco realizou mais de um milhão de operações) são voltadas a micro, pequenas ou médias empresas. “Nada mais falso que afirmar que o BNDES empresta para meia dúzia”, escreveu Kerche.
O BNDES dá dinheiro?
Aí outro equívoco de Marina: presumir que o BNDES "dá" dinheiro. Nenhum banco dá nada para ninguém - eles emprestam, e o BNDES também. A única diferença é que os juros aplicados pelos bancos públicos não são abusivos, o que apenas ressalta o papel essencial que desempenham na economia nacional. A própria presidente Dilma Rousseff já explicou que o investimento maciço em infraestrutura que vem sendo feito hoje no Brasil só é possível graças ao financiamento dos bancos públicos: "Essas obras, todas elas, só são viáveis porque o BNDES e a Caixa são os agentes de financiamento e dão condições especiais. Se não houver essas condições, as obras não saem".
Enfim, Marina, isso tudo significa que o dinheiro investido pelo BNDES fomenta a economia nacional e volta para o banco, acrescido de juros. É bom ressaltar que a taxa de inadimplência na instituição é de 0,07% sobre o total da carteira de crédito – “a mais baixa de todo o sistema bancário no Brasil, público e privado”, informa Kerche. Não podemos deixar de citar ainda que o lucro do banco no primeiro semestre de 2014, foi o mais alto da sua história: R$ 5,47 bilhões. Os próprios economistas da equipe de Marina são financiados pelo BNDES... portanto, deveriam saber melhor como funciona a instituição. Não à toa, o presidente do banco, Luciano Coutinho, aconselhou a equipe da Marina a “estudar um pouco mais”.
O pessoal do Muda Mais até fez um desenho como contribuição para o entendimento.


Porto de Mariel: dinheiro para Cuba?
(a propósito)
Não. O BNDES financia empresas brasileiras e não países. Foi normal a operação de financiamento do Porto de Mariel, em Cuba. Passou por todas as aprovações, teve todas as garantias e o banco recebe em dia o pagamento pelos empréstimos. As obras custaram US$ 957 milhões e receberam um aporte de US$ 682 milhões do BNDES. Não houve empréstimo ao governo cubano e sim para uma empresa brasileira, no caso, o Grupo Odebrecht. O BNDES é impedido, por lei, de emprestar dinheiro para empresas estrangeiras. O BNDES libera recursos apenas para empresas brasileiras que tenham sido encarregadas de realizar um serviço no exterior. O investimento foi feito na exportação de serviços de engenharia, um tipo de mercado que é muito disputado. Hoje, na América Latina, o Brasil responde por quase 18% da exportação de serviços de engenharia para a região, perdendo apenas para a Espanha (e à frente dos Estados Unidos e da China). O investimento no porto de Cuba foi uma oportunidade para mais de 400 empresas brasileiras, grandes, médias e pequenas, exportarem equipamentos, serviços e engenharia. Nenhum centavo foi aplicado lá fora. Todo o recurso do banco foi aplicado no Brasil. Foram desembolsados reais para financiar os exportadores brasileiros de equipamentos e serviços, e que serão pagos a prazo – em moeda forte. E o banco também disponibilizou R$ 14,8 bilhões para investimentos em portos no Brasil. Agência Brasil
Divulgue a verdade

Violão de bolso


Homem com violão

A preguiça-bicho

O nome da preguiça (do latim pigritia, "aversão ao trabalho") já indica um certo estilo de pecado. O movimento desses animais - algo que eles fazem de vez em quando - foi a forma que desenvolveram para preservar suas energias.
Muitas vezes, adormecem antes de chegar - daqui a algumas horas - lá.
Um biólogo proclamou que "a preguiça, entre todos os mamíferos, tem provavelmente o modo mais estranho de locomoção".
O diabo é que a águia real também sabe disso.


"Mamão com açúcar"

Bônus - Anéis de preguiça feitos por encomenda


27 setembro, 2014

Que é kerning?

FINAL? ANAL?
É o ajuste de espaço entre certos caracteres em uma linha de texto, usando a forma natural e a inclinação dos caracteres para melhorar a aparência visual. Sem kerning, as combinações de várias letras (como WA e VA) podem parecer estranhas e dificultar o movimento dos olhos sobre o texto. O ajuste de espaço torna-se mais importante para o tipo itálico e quando a fonte é ampliada como acontece nos títulos (imagem). Modernos programas de editoração eletrônica (como o Adobe Pagemaker, o Adobe Indesign, e o Quark'Xpress) permitem o kerning manual e automaticamente. O ajuste simultâneo de espaço entre muitas letras ou trecho de texto é chamado de faixa de kerning.
BussinessDictionary (sem kerning)

N. do E.
Em suma, o espaço horizontal entre dois caracteres convém ser ajustado de acordo com a forma e os contornos dos mesmos. Por exemplo, a letra "i" terá menos espaço do que a letra "m" na palavra "mim". Nas antigas máquinas de escrever, o espaço horizontal entre duas letras era fixo, independentemente da sua forma ou contornos. O que torna ainda mais admirável os trabalhos artísticos que foram feitos por meio delas.
A arte datilográfica de Paul Smith
A arte datilográfica de Paulo Silva: 1 e 2

Sobre trolls

Um troll, na gíria da internet, designa uma pessoa cujo comportamento tende sistematicamente a desestabilizar discussões, provocando e enfurecendo as pessoas envolvidas nelas. O termo surgiu na Usenet, derivado da expressão trolling for suckers (lançando a isca para os trouxas), que identifica um causador das sistemáticas flamewars.
O que um novo estudo de psicologia tem a dizer sobre a personalidade dos trolls: narcisistas, maquiavélicos, psicopatas e sádicos.
A pesquisa, conduzida por Erin Buckels da Universidade de Manitoba e dois colegas, concluiu que as pessoas que se envolvem em "corricos" são caracterizadas por traços de personalidade que se enquadram no chamado dark tetrad: narcisismo (egoísmo e auto-obsessão), maquiavelismo (disposição para manipular e enganar os outros) ,psicopatia (falta de remorso e empatia) e sadismo (prazer no sofrimento dos outros).
A "Trollface"
É uma figura usada como um meme na Internet para representar um troll, sendo reiteradamente compartilhada e publicada em redes sociais quando se quer representar uma provocação a alguém. Esta imagem surgiu em 2008 no site DeviantArt, publicada pela primeira vez pelo usuário Whynne, que a descreveu como uma tentativa fracassada de desenhar um roedor. É considerado como o principal e mais conhecido meme da Internet.
Para combater trolls de forma eficiente, os usuários e frequentadores de comunidades da internet seguem esta orientação: Não alimente os trolls. (do inglês Don't feed the trolls). Significa ignorar completamente alguém que se comporta como troll mesmo que a vontade de responder seja grande. Um troll não tem nada a perder, ele sempre vai voltar e incomodar - ele precisa de atenção para obter prazer e ser bem sucedido. Ignorando um troll os usuários não apenas intimidam seu ato como também provocam profundo desgosto e frustração nele. Isso nem sempre é fácil e exige, às vezes, muito esforço da comunidade por meses mas é o método mais eficiente. Se ninguém absolutamente dá atenção ao troll, ele desiste de atuar por desgosto de não conseguir resposta às suas provocações.

26 setembro, 2014

Assim começou a chikungunya


Índia coloca satélite orbitando Marte

O programa espacial da Índia conseguiu, na primeira tentativa, o que outros países tentam há anos: enviar uma missão operacional para Marte.
O satélite Mangalyaan foi confirmado na órbita do planeta vermelho na terça-feira. Um feito considerável.
A missão foi orçada em 4,5 bilhões de rúpias (cerca de US$ 74 milhões), o que, para os padrões ocidentais, é incrivelmente barato.
A sonda americana Maven, que chegou a Marte na segunda-feira, custou quase dez vezes mais.
E o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, aproveitou para dizer que uma "aventura na vida real" da Índia custava menos do que um filme de ficção de Hollywood. "Gravidade", por exemplo, foi orçado em US$ 100 milhões.

Mar(vellou)s!
Estudantes de Chennai saúdam os cientistas espaciais do país

Como a Índia fez isso?
Why India's Mars mission is so cheap - and thrilling, by Jonathan Amos. BBC News

30/09/2014 - Atualizando...
A primeira missão indiana interplanetária pode ser seguida no Twitter como Mars Orbiter. A Índia assim se junta aos Estados Unidos, Rússia e Europa, entre os países e agências espaciais que enviaram missões espaciais a Marte. No caso indiano, o sucesso foi conseguido na primeira tentativa.

25 setembro, 2014

Uma refeição balanceada

Aprenda a fazê-la:
breakfast balanced, GIFIF

Mortos x Vivos

Um dos erros demográficos mais comuns é dizer que o número de pessoas que atualmente vivem na Terra (mais de 7 bilhões) excede o número total de seres humanos que, em todos os tempos, já habitaram o planeta. A realidade, de acordo com cálculos do Population Reference Bureau, é muito diferente: como você pode ver nesta gravura da revista Quo, que compara o número dos seres humanos que vivem hoje com o número daqueles que já viveram.
Para fazer a comparação, o demógrafo Carl Haub decidiu começar a contagem a partir de 50 mil anos atrás, quando, sem dúvida, o Homo sapiens já povoava o nosso planeta. Embora haja insuficiente informação, Haub estimou as taxas de crescimento da população, para diferentes períodos históricos, e concluiu que, nestes 50 mil anos, nasceram e morreram cerca de 107 bilhões de pessoas na Terra.


Em termos globais, os mortos superam os vivos por 100 bilhões. Por isso, se houvesse um apocalipse zumbi, nós teríamos que lutar contra um exército muito superior em número.

Como se preparar para um apocalipse zumbi

Pensamento milenar
Herança é aquilo que os mortos deixam para que os vivos se matem. Anônimo

24 setembro, 2014

Tratamento de choque para supersticiosos



O voo 666 da companhia aérea Finnair, de Copenhague a Helsinque (código aeroportuário HEL), na fila 13, em uma sexta-feira 13.

Slideshows do PG – Apresentação 337

Atores, pela ordem de entrada:
Sr. Newton, Sra. Maçã, Sra. Newton e Sr. Pepino.

As ilhas que se beijam

(na Groenlândia)

Ver também...

23 setembro, 2014

O Sgt. mais Paul de St. Paul


Onde encontrar St. Paul nos EUA: Kansas, Indiana, Iowa, Missouri, Nebraska, Carolina do Norte e Oregon.

PAULIFICANTE

Correndo contra o metrô

Vídeo sobre um corredor atrevido que se propõe vencer o metrô de Londres, descendo em uma estação (Mansion House), correndo pelas ruas e subindo para a mesma composição na estação seguinte (Cannon Street).



Rapidez, porém aliada à logística. Numa cidade em que o metrô é a melhor forma de se mover, não deve haver outras duas paradas em que, correndo entre elas, o desafiante seja capaz de vencer o metrô.
Ler também
A maratonista dos metrôs

02/10/2014 - Atualizando...
Agora um homem chamado Anthony, usuário de cadeira de rodas, decidiu enfrentar o mesmo desafio. E o que você descobre, assistindo ao vídeo, é que força de vontade Anthony tem de sobra, mas certos obstáculos simplesmente não conseguem ser transpostos. O vídeo, iniciativa de The Free Help Guy, foi feito para chamar a atenção para o fato de que apenas 25 por cento das estações do metrô de Londres estão adaptadas para as necessidades dos cadeirantes. Saiu no Blue Bus.


22 setembro, 2014

Mitose - 2

QUASE CONCLUÍDA


Mitose - 1

Os nós de duas pesquisas


Segundo pesquisadores liderados por Mikael  Vejdemo-Johansson, do Instituto Real de Tecnologia, na Suécia, existem 177.147 formas de atar uma gravata no pescoço. Muito mais do que dizia uma pesquisa anterior, dos matemáticos Mao e Fink, da Universidade de Cambridge, em que os seus autores haviam chegado a 85 possibilidades.
Para Vejdemo-Johansson e seus colegas, 85 parecia ser um número muito pequeno. Principalmente depois que viram um nó, em "The Matrix Reloaded", que não aparecia na lista de Mao e Fink.
O que significava também que algo estava errado na pesquisa anterior.
Revisando os critérios de inclusão e as formas de expressar matematicamente os laços da gravata, eles atualizaram o número de nós para... 177.147.

Mathematicians calculate that there are 177,147 ways to knot a tie, PHYS.ORG

21 setembro, 2014

A internet explicada em mapas

A internet permeia cada vez mais nossas vidas, fornecendo informações para nós, não importa onde estejamos. É preciso um complexo sistema de cabos, servidores, torres e outras infra-estruturas, desenvolvidos ao longo de décadas, para que possamos ficar em contato com nossos amigos, familiares e outras pessoas.
No site Vox, encontram-se 40 mapas (show de bola) que irão ajudá-lo a entender melhor a internet – de onde veio, como funciona e como a internet é usada por pessoas ao redor do mundo.
Como a internet foi criada
ARPANET, a precursora da internet moderna, era um projeto de pesquisa acadêmico, financiado pela Agência de Projetos de Pesquisa Avançada, um ramo das Forças Armadas conhecido por financiar projetos de investigação ambiciosos, sem aplicações comerciais ou militares imediatas. Inicialmente, essa network apenas ligava a Universidade de Utah a três centros de pesquisa na Califórnia. A ARPANET foi o teste de uma nova tecnologia, então chamada de comutação de pacotes, que divide os dados em pequenos "pacotes" para que possam ser transmitidas de forma eficiente através da rede. Também tinha um objetivo mais prático: o de permitir o uso mais eficiente dos dispendiosos recursos da computação.


Temas musicais de desenhos animados

Um mashup de 43 temas musicais de desenhos animados em 5 minutos de vídeo.
Quantos deles você reconhece?



Gabarito
Veja a lista completa dos temas musicais do mashup em MOSTRAR MAIS na página do YouTube.

20 setembro, 2014

Dotsies


Dotsies é uma fonte que usa pontos em vez de letras.
O alfabeto latino (ABC. ..), que foi criado há milhares de anos, é otimizado para a escrita. Dotsies é otimizado para a leitura.
Por que eu deveria me importar?
Como as letras latinas são otimizadas para a escrita à mão, elas ocupam espaços desnecessários. Seus olhos têm de se mover em um ritmo frenético, da esquerda para a direita, para ler o texto. Com as letras Dotsies essa tarefa é encurtada. (sic)
Obtenha mais espaço na tela. Economize papel. Tenha uma experiência de leitura mais confortável.
Éoquediz: http://dotsies.org

Dr. Carta Pácio e suas meias palavras

Uma cena mítica da Mesopotâmia

Provavelmente é uma cena mítica, uma vez que diversos símbolos divinos ocorrem no desenho:
A estrela de oito pontas indica a deusa da estrela Vênus Inana/Ishtar; a lua crescente, o deus Nanna-Sin; o disco solar sobre ele, o deus do sol Utu; e o peixe, provavelmente, o deus das águas doces da sabedoria En-ki. Uma figura entronizada, provavelmente do sexo feminino, compartilha uma jarra de cerveja com uma figura masculina. Outra figura parece segurar um jarro com intenção de verter para o frasco. A cena poderia ser da "Epopéia de Gilgamesh", quando Gilgamesh encontrou o taberneiro Siduri no final da terra, em uma região montanhosa, daí o cabrito montês acima do frasco de cerveja. Siduri seria, então, a figura sentada e em vestido de babados a beber com Gilgamesh. A imagem é emoldurada em um dos lados por cobras enroladas.
Mesopotâmia, segundo milênio a.C. Matrifocus
Entenderam ou querem que eu dê fim a esse desenho?

19 setembro, 2014

Como evitar acidentes

NÃO DIGA COMO DEVO FAZER MEU TRABALHO

O guano é lei

Existe uma lei federal aprovada pelo Congresso dos EUA, que permite aos cidadãos dos Estados Unidos tomar posse das ilhas e rochas que contenham depósitos de guano.
As ilhas e rochas podem estar localizadas em qualquer lugar, contanto que não estejam ocupadas nem sob a jurisdição de outros governos.
A lei, conhecida por  Guano Islands Act,  também autoriza o Presidente dos Estados Unidos a usar as forças armadas para proteger os interesses estratégicos do país com esses depósitos.


O guano são os excrementos produzidos por colônias de aves como pelicanos, pinguins, procelárias, corvos-marinhos e alcatrazes. Além de fertilizante agrícola, é fonte de salitre, (1) (2) um dos três constituintes da pólvora.
Esgotadas as reservas em guano da ilha ou rocha, esta retorna à situação de terra nulius.

18 setembro, 2014

Decidindo pela indecisão

por Fernando Gurgel
Você vai decidir pela indecisão?
Então, seja indeciso(a) conscientemente e depois, chore livremente. Ou ria. Sei lá...
Decidir não é fácil. E todos os dias nos deparamos com a difícil arte de decidir.
Mesmo quando temos apenas duas opções, ficamos quase que catatônicos, querendo fugir daquela situação, e acabamos tomando a pior decisão.
Imagina, então, o(a) indeciso(a) ocupando uma cadeira na Presidência da República.
Chega um belo dia, ou noite, ou tarde... Sei lá...
"Hoje não deu para me comunicar com ninguém! Mal consegui conversar comigo mesmo! E ainda assim, não cheguei a um acordo!"
Você escolheria alguém assim? Ou está indeciso(a)?
"Eu indeciso(a)? Não tenho a certeza..."
Pior é deixar a voltagem do seu computador, nem em 110v nem em 220v.


"Não sei... mas se for... deve ser...!" Beth Joy

Secretária eletrônica de hospício
Se você sofre de indecisão, deixe sua mensagem depois de escutar o sinal... ou antes do sinal... ou durante o sinal.

Um teste de colisão

Um par de manequins está montada em um veículo para um teste de colisão. Iniciado o teste, uma conexão entre eles vai alterar o desfecho, levando-os a desafiar o destino.


Dormindo com a melancia

Quando muitos estudantes universitários em Guangdong, China, se preparavam para enfrentar um longo verão – sem ar condicionado – no campus, uma antiga tradição local foi reavivada: dormir com uma melancia. Tudo começou depois que uma postagem de um microblog, divulgando que dormir com um pedaço da fruta pode reduzir a temperatura corporal por 3 ℃, se tornou viral.
Como as universidades de Guangdong não oferecem ar condicionado nos dormitórios, isso fez com que muitos de seus alunos buscassem formas alternativas de resfriamento.
A. Tingzi , um estudante da Universidade de Tecnologia publicou que dormir segurando uma melancia foi um ótimo substituto para o ar condicionado. Enquanto isso, Zhang Xuefeng, um estudante da Universidade de Estudos Estrangeiros, postou uma foto de si mesmo abraçado a uma melancia.

Dormindo com uma melancia, Changjiang Daily

O Changjiang Daily fez sua própria "pesquisa". Um repórter do jornal agarrou-se a uma melancia de 4,6 kg por cerca de uma hora, e eis que a temperatura do seu corpo diminuiu de 36,2 para 33,6 ℃.
N. do E.
No Brasil, não existem ainda pesquisas que validem os resultados chineses. Desconfio que o pessoal aqui está mais interessado em se aquecer com a Mulher Melancia (durante o inverno).

Roncos. Relato de um "causo"

17 setembro, 2014

A Estrela da Morte

Em janeiro do ano passado, foi divulgada uma resposta da Casa Branca a uma petição popular para construir uma "Estrela da Morte", como a que aparece na saga "Star Wars".
A declaração, cheia de bom humor e com acenos para os fãs de cinema, dizia publicamente o seguinte:
"Qual é a vantagem de gastar o dinheiro dos contribuintes em uma "Estrela da Morte", sabendo-se que um homem sozinho em uma nave poderá facilmente destruí-la? Além disso, a construção dela custaria mais de 850 quatrilhões de dólares e estamos trabalhando para reduzir o déficit, e não para aumentá-lo. Finalmente, esta é uma administração que não aprova planos para destruir planetas."
É fácil supor que a resposta do governo Obama logo se tornaria um viral nos blogues e redes sociais. Além de ser uma oportunidade de melhorar a imagem pública, enquanto esconde a real motivação, (*) responder todas as petições que ultrapassam as 25 mil assinaturas (incluindo aquelas que chegam através das plataformas digitais como o Change.org) é obrigação do governo dos EUA. E essas respostas oficiais, sejam lá ao que for, devem ser fornecidas no prazo de 30 dias.

Extraído de: La fascinante historia tras la “GLOMAR Response”. In: La Aldea Irreductible

(*) No caso: o poder da Estrela da Morte para destruir um planeta, ou mesmo um sistema estelar inteiro, é insignificante perto do poder da Força. E a Força já está com eles.

O ciclo vicioso das Tartarugas Ninja

AS TARTARUGAS SÃO ABANDONADAS
SOFREM MUTAÇÕES NOS ESGOTOS DE NY
VIRAM AS TARTARUGAS NINJA (TMNT)

GANHAM POPULARIDADE ENTRE AS CRIANÇAS
AS CRIANÇAS ADOTAM NOVAS TARTARUGAS (PETS)
AS TARTARUGAS SÃO ABANDONADAS

Slideshows do PG - Apresentação 336
ORA, POMBAS
Tanta evolução para isto!

16 setembro, 2014

Calango Lengo

Morte e vida sem ver água
Um curta de animação feito no Brasil em 2008.
Calango Lengo, nordestino: sem ter o que pôr no prato, escapando da Morte como o rato foge do gato.
Muito criativo.


Vídeo inDICAdo por Germano Gurgel

Recorde no gelo

O Metallica realizou uma façanha que lhe deu direito a figurar na edição 2015 do "Guinness World Records".
É citado como a primeira banda de rock a ter se apresentado nos sete continentes do mundo, tendo transposto o último obstáculo com o seu show de heavy metal na Antártida, em dezembro passado.


Na Antártida, a banda tocou para 120 cientistas da Estação Carlini (Arg.) e para um número não contabilizado de pinguins.

15 setembro, 2014

Vamos mumificar

"Assim, continuamos tostados pelo calor.
Podia sentir a água evaporar-se da minha pele e meus pensamentos estavam sempre voltando aos soldados que morreram no jipe. Aquele maldito vento os havia sugado até a morte, enquanto estavam lá sentados. Lentamente, comecei a encontrar maneiras de me ajustar. Não estava com tanta sede quanto pensava, nem tão próximo da morte quanto temia. Estava em missão desagradável, num território inóspito, que me mataria se eu lhe desse oportunidade, mas havia muitas maneiras de sobreviver.
"É melhor pormos os turbantes", sugeriu Nazrullah. Quando assim o fizemos, tirou um cantil com água do rio, não para beber,e dele derramou a água diretamente sobre os turbantes até que estes ficaram pingando pelos nossos pescoços abaixo. Então, prosseguimos." 
(extraído do livro "Caravanas", de James Michener)
Pensei que os personagens haviam chegado à Brasília hoje, dia 15 de setembro, temperatura de mais de 30° e umidade abaixo de 20%, mas estavam no deserto. Tudo a ver.
Fernando Gurgel

Assombrações na areia


The Shadow-Haunted World
The Shadow-Haunted World

No mundo das sombras, Corrija-se a luz, Regras para as sombras, Se for beber não faça sombra e Quanto pesam as sombras?

Precisamente, os címbalos

"Se eu tivesse que viver minha vida novamente, eu teria seguido a regra de ler alguma poesia e ouvir um pouco de música, pelo menos uma vez por semana, pois, talvez assim, partes do meu cérebro, agora atrofiadas, pudessem ter continuado ativas pelo uso." – Darwin, em sua autobiografia de 1887

O clímax do segundo movimento da sétima sinfonia de Bruckner é uma nota dos pratos orquestrais. Reza a lenda que Bruckner acrescentou-a ao saber da morte de Wagner.
É a única nota dos címbalos em toda a sinfonia, e o percussionista tem tempo de sobra para se preocupar com isso.
"Esta nota, observou Jens Rossel, da Aarhus Symfoniorkester (Dinamarca), torna-se motivo de uma angústia indescritível para quem a vai tocar. Ela deve vir com toda precisão ou o músico simplesmente estraga tudo. Poucos minutos antes, você já vê o sujeito inquieto na cadeira, a esfregar as mãos, a limpar as mãos em suas calças. Então, ele se levanta, aguarda o instante exato e... percute os pratos. O impacto dos címbalos dura apenas alguns milésimos de segundo, mas o que a nota representa para a sinfonia é uma questão de vida ou morte."
Talvez essa seja a essência do trabalho. "O que você tem que saber para tocar pratos?", alguém perguntou ao maestro britânico Malcolm Sargent. "Nada", respondeu ele, "só quando".

(Frank R. Wilson, "A Música e a Neurologia do Tempo," Music Educators Journal 77:5, Janeiro de 1991.)

O que fazer quando a correia do prato quebra
O garoto do hino

14 setembro, 2014

Um carro para o futuro

Me he comprado un DeLorean a plazos, mañana pagué la primera letra. (Comprei um DeLorean a prazo, amanhã paguei a primeira prestação.)


O DeLorean (DMC-12) não está na lista dos carros mais bonitos, nem dos mais potentes, mas se tornou um dos modelos mais desejados do mundo após o sucesso da trilogia “De Volta para o Futuro”. Na trama, doutor Brown (Christopher Lloyd) e Marty McFly (Michael J. Fox) usam o carro como máquina para viajar no tempo.
O tempo passou, já estamos quase em 2015, vivendo o “futuro” previsto pela dupla, e até hoje não inventaram um carro tão mágico quanto o do filme.
O DeLorean foi produzido na Irlanda do Norte nos anos de 1981 e 1982. Estima-se que nove mil unidades foram fabricadas no período. Apenas dois exemplares foram trazidos ao Brasil, e um deles estava à venda há alguns meses.
Além do sucesso do filme, o DMC-12 também se tornou um carro excêntrico pela carroceria que aparenta aço inox e por suas portas asas de gaivota. Sob o capô, traz um motor 2.8 V6 feito pela Peugeot, Renault e Volvo.
Extraído de De Volta para o Futuro... por Carina Mazaroto. In: UOL Carros, 12/03/2014

Nunca espirre se tiver botox

(A toxina botulínica interfere na capacidade de contração dos músculos em que é aplicada.)
.


A toxina da felicidade

13 setembro, 2014

O esmalte antiestupro

Quatro universitários de North Carolina State Universitiy desenvolveram um esmalte para unhas (Undercover Colors) que muda de cor quando exposto a drogas, especificamente GHB, Rohypnol e Xanax.
Estas drogas, por seus efeitos entorpecentes, têm sido acrescentadas em bebidas por delinquentes para facilitar a prática de crimes de estupros e furtos.
Se o drinque contiver uma delas, a pessoa que usa o esmalte terá como saber, em questão de segundos, se a droga foi adicionada. Basta mexer o drinque com um dedo.


Arquivos
Boa noite, Cinderela, A cápsula de ácido cítrico e Vagina dentata

A rede

Nas palavras da museóloga Célia Corsino, do IPHAN, “a rede é um dos patrimônios culturais brasileiros”. Sua certidão de nascimento está na Carta de Caminha. Escritores quinhentistas como Padre Anchieta e viajantes estrangeiros como Hans Staden e Jean de Lérye, além do notável orador português Padre Antonio Vieira falaram sobre a rede. Figuras emblemáticas da literatura histórica brasileira, como Câmara Cascudo, Gilberto Freyre e Sergio Buarque de Holanda também escreveram sobre ela.
Câmara Cascudo considerava Pero Vaz de Caminha o padrinho da rede, por ter sido o primeiro a registrá-la em língua portuguesa. Denominou-a rede, devido a à semelhança com a rede de pescar, sem perguntar-lhe o nome aos donos da casa.
"(...) e de esteio a esteio uma rede atada com cabos em cada esteio, altas, em que dormiam". – Carta de Pero Vaz de Caminha
Conta-nos Hans Staden que, uma vez prisioneiro dos tupinambás, foi levado à sua aldeia, sendo-lhe destinada uma rede (a que os nativos chamavam "ini"), na qual deveria dormir. Explica também que a rede era armada entre dois paus ou, quando em viagem, entre duas árvores. Essas redes por ele descritas eram tecidas com fios de algodão e, durante a noite, costumavam os índios manter uma pequena fogueira perto delas, tanto para aquecimento como para afastar insetos e animais peçonhentos.


Depois da farinha de mandioca, foi a rede o primeiro elemento de adaptação, acomodação e de conquista do português.
A manufatura das redes era ofício feminino e sofreu influência dos jesuítas. A rede era uma herança familiar e sua indústria era doméstica e tradicional. Era como se fosse parte do corpo do indígena, do mameluco e do sertanejo, sempre os acompanhando.
Inspirados nas liteiras, os portugueses também fizeram da rede um meio de transporte, de uso muito comum entre senhores e senhoras. A cama na Casa Grande era uma obrigação protocolar, dormia-se na rede.
Os negros de senzala nunca se adaptariam à rede, dormiam no chão. Senhoras brancas tentavam convencer a negra a usar a rede, principalmente após a maternidade. Quando a usavam desde meninos, os negros permaneciam fiéis à rede. Era comum dizer-se que "negro que não zela sua rede, não zela seu amo", além disso acreditava-se que o uso da rede amansava o escravo.
A partir de 1830, com a influência da moda francesa, a rede começou a sofrer uma campanha de descrédito, por estar associada à barbárie. Cascudo diz que usamos ao contrário a frase de Montaigne: "que chacun appelle barbarie ce qui n’est pas de son usage".
Com o declínio do uso da rede para dormir, principalmente nos estados do Sudeste, restou o uso da  rede para repousar.
Qualquer que seja a sua finalidade, “a riqueza plástica da rede brasileira, segundo Denise Mattar, "é surpreendente: tramadas em tucum, buriti ou carnaúba (como a "ini", a rede indígena) elas são transparentes e flexíveis. Tecidas em algodão industrial, rústico, naturalmente colorido, ou tingido, elas encantam pelos seus padrões. Bordadas em ponto cruz, richelieu, vagonite e até à maquina, cada rede é única e (ao mesmo tempo) uma criação coletiva, pois seu corpo é feito num local, as mamucabas, trancelins e punhos em outro, assim como as varandas e bordados”.
Na trajetória da "primeira peça do mobiliário brasileiro" está a sua exportação para a Ásia e para a África. Diz o antropólogo Roque Laraia: “Tudo o que é útil se difunde com extrema rapidez no mundo”, e foi o que ocorreu com a rede.

12 setembro, 2014

Aula de fotografia - 14

NÃO EXISTE UNANIMIDADE NA ARTE FOTOGRÁFICA
7 ENTRE 8 PESSOAS GOSTAM DE SESSÃO DE FOTOS

A vida é aquilo...

... que os nossos pensamentos fizerem dela. – Demócrito, citado por Marco Aurélio
... que nos empurra quando nós havíamos proposto algo muito diferente. – Henry Miller
... que acontece enquanto você está ocupado fazendo planos. – John Lennon
... que a pessoa recorda e a maneira como o recorda. – Gabriel García Márquez


A veces, en la vida, perdemos demasiado el tiempo en tonterías y nos olvidamos de lo verdaderamente importante: el cargador.Mr. Paloduz

11 setembro, 2014

Marinada

Tal e qual a sopa de pedras, aprenda como fazer um Plano de Governo bem leve.
Tão leve que desmancha no ar.
Pegue várias pedaços de propostas de governo na internet. De esquerda, direita, de lado, do outro lado, liberal, anarquista, conservador, em cima do muro e outras doideiras do gênero.
Separe e descarte as que podem exigir explicações de esquerda, direita, de lado, do outro lado, liberal, anarquista, conservador, em cima do muro e outras doideiras do gênero.
Separe e descarte as que você sabe que podem exigir algum estudo mais aprofundado, tais como: liberação de drogas, aborto, casamento gay...
Evite colocar na receita problemas mais complexos, tais como: esquentar água no microondas e ficar muito tempo ao celular.
Deixe marinando por alguns segundos.
Mude os ingredientes de sabor mais forte. Quem manda mesmo pode não gostar.
Deixe marinando por mais alguns segundos.
Mude o molho copiado da república velha. Copie tudo da república nova.
Deixe marinando por mais alguns segundos.
Mude algum ingrediente copiado da política antiga. Sem ninguém ver, copie tudo de novo.
Deixe marinando por mais alguns segundos.
Observe o efeito de Coriolis na marinada. Se, no ralo, roda da esquerda para a direita ou da direita para a esquerda. Ou vice-versa. Ou tanto faz.
Deixe marinando por mais alguns segundos.
Mude de vasilha.
Deixe marinando por mais alguns segundos.
Mude a vasilha de lugar.
Deixe marinando por mais alguns segundos.
Mude o lugar onde está a marinada.
Deixe marinando por mais alguns segundos.
Esqueceram onde estava a marinada???
Não?!?!?
Deixe marinando por mais alguns segundos.
Sim!!!!
Então, está pronta a receita.
Fácil, não? Agora, vamos falar de como tornar abobrinhas com chuchu o prato principal.
Comece falando apenas abobrinhas...

Fernando Gurgel

14/09/2014 - Atualizando...
Funcionário de carreira, Paulo Roberto Costa fez sua ascensão na Petrobras durante o governo Fernando Henrique, nomeado então para sucessivos postos e funções relevantes, (1) que vieram a culminar no governo Lula. É um mistério o momento em que começou sua corrupção. (2) Mas há a certeza de que, a não ser para Marina, (3) nenhum partido e nenhum governo dos dois presidentes promoveu Paulo Roberto Costa “para assaltar”. – Janio de Freitas
N. do Blog
(1) Ele é funcionário da Petrobras desde 1978 e, de maio de 1997 a dezembro de 2000, dirigiu a GASPETRO.
(2) Não é mistério, porém, quando terminou sua corrupção: no governo Dilma, ao ser preso pela Polícia Federal e também exonerado do cargo de Diretor de Abastecimento e Refino. Quanto à expulsão da Petrobras, não se dará pelo clamor das ruas, mas corretamente pela condenação na Justiça.
(3) ♪Essa moça tá diferente.♪ Ri em velório e chora em entrevista.
PGCS
17/09/2014 - Atualizando...
A Justiça Federal no Paraná condenou hoje o doleiro Alberto Youssef (que já estava preso devido às acusações da Operação Lava Jato) a quatro anos e quatro meses de prisão por corrupção ativa em um dos processos do Caso Banestado. O Caso Banestado é de 1998. Nihil novum sub sole.

Os cabelos bélicos de Mary

Em 1943, uma operária de uma fábrica de vassouras no Colorado, Mary Babnik Brown, viu um anúncio no jornal Pueblo em que solicitavam cabelos louros, com pelo menos 55 centímetros de comprimento, e que não houvessem sido tratados com produtos químicos ou ferros quentes.
Mary Brown nunca cortava o seu cabelo, que ela penteava duas vezes por dia e lavava-os duas vezes por semana com sabão puro. Quando suas amostras foram considerados aceitáveis, ela cortou e enviou 86 centímetros de seus cabelos, considerando estar contribuindo para o esforço de guerra, embora chorasse pelo que fez nos dois meses seguintes.
Na época, ela foi informada de que seus cabelos seriam usados em instrumentos meteorológicos. Mas não foi o que sucedeu. MEDINDO A UMIDADE RELATIVA DO AR, por PAULO GURGEL
Em 1987, ano de seu 80 º aniversário, é que ela soube que o cabelo tinha sido usado na mira do Norden, um instrumento ultra-secreto que guiava as bombas para seus alvos. Engenheiros haviam determinado que o cabelo humano louro e bem cuidado era ideal para essa mira, mas a tecnologia era então um segredo muito bem guardado, para que os doadores não soubessem como suas contribuições seriam utilizadas.
"Eu não podia acreditar quando me disseram", disse Mary Brown. "Tudo o que eu sabia era que eles precisavam de um cabelo virgem."
Todavia, ela obteve alguns reconhecimentos pelo ato que praticou em 1943. Um deles foi esta carta enviada por Ronald Reagan:


Hair Today, Futility Closet

10 setembro, 2014

A gente vai Lewandowski - 2

Lewandowski: a sagração de um homem justo
por Luis Nassif
Daqui a pouco o Ministro Ricardo Lewandowski assumirá a presidência do STF (Supremo Tribunal Federal). Para sua posse, estima-se um público recorde; e um respeito recorde pela sua pessoa. Os jornais o tem tratado com deferência surpreendente, entre seus pares há uma sucessão de elogios e um sentimento de alívio, pela volta da presidência do STF aos trilhos do bom senso e da fidalguia.
São dois tempos distintos: o da repercussão inédita do julgamento da AP 470 e os novos tempos, pós JB. Parece que tudo mudou. Ministros boquirrotos retornaram à discrição, o espírito alucinado de linchamento esgotou-se, aposentou-se o Torquemada do Supremo.
Apenas o discreto Lewandoski não mudou. É o mesmo agora e dos tempos de tempestade, quando se viu no meio de um turbilhão inédito, atacado por uma turba de linchadores alimentada pela mídia, uma atoarda tão selvagem que intimidou a todos.
De um lado a turba sendo insuflada por colunistas alucinados, com os jornais cooptando advogados oportunistas, oferecendo-lhes visibilidade, utilizando todas as armas, do desrespeito amplo aos Ministros que não se enquadravam às suas ordens, à lisonja mais abjeta àqueles que se curvavam à sua orientação, querendo submeter tudo ao seu poder avassalador. [...]
Quase todos vacilaram, cederam, calaram-se. Procuradores, desembargadores, Ministros, advogados assistiam à explosão da selvageria, ao atropelo dos princípios básicos da sua profissão, dos seus valores, e nada faziam. Alguns até se indignavam nos ambientes restritos, mas nenhum ousou insurgir-se contra o clamor dos bárbaros.
A Justiça ficou indefesa, sendo estuprada em público por vândalos de toda espécie.
Nesse vendaval de baixarias, sobressaiu a figura extraordinária de Lewandowski, não cedendo, não se rebaixando mesmo sendo ofendido em público, em aeroportos, nas ruas, sendo atacado por reportagens da infame revista Veja.[...]
Mas a opinião pública sabe que, na presidência do STF, agora, existe um Ministro que não se curva ao clamor das ruas e às capas das revistas.
Ler o artigo na íntegra – aqui.

A gente vai Lewandowski - 1 | "Domínio do fato", a violência para condenar Dirceu | Sem um fiapo de prova

O blogueiro Eduardo Guimarães, a convite do próprio Lewandowski, terá a honra de participar de sua cerimônia de posse na Presidência do STF. Na oportunidade, deverá entregar ao Ministro um calhamaço com as mensagens de congratulações de cerca de 600 leitores de seu Blog da Cidadania.

Cães e gatos: são destros ou canhotos?

De acordo com dois estudos, a resposta é sim. Assim como os seres humanos, cães e gatos podem ser destros ou canhotos (e também ambidestros).
Um estudo realizado em 1991 por pesquisadores da Universidade de Ataturk, na Turquia, mostrou que 50 por cento dos gatos domésticos são destros, 10 por cento são ambidestros e os restantes 40 por cento são canhotos. Mas os cães, de acordo com outro estudo realizado em 2006 na Universidade de Manchester, tendem a ser mais bem divididos: 50 por cento são destros, 50 por cento são canhotos e um número estatisticamente insignificante deles é ambidestro.
Determinar se um cão ou um gato é destro, canhoto ou ambidestro não é tão simples. Como se faz com uma criança, por exemplo, oferecendo-lhe um brinquedo para ver que mão ela mobiliza. Isto porque a preferência neles, ao contrário da preferência nos seres humanos, (*) é muitas vezes fracamente expressa. A fim de determinar com precisão o lado dominante em cães e gatos, você precisa executar os testes muitas vezes para avaliar as tendências.
Siga lendo no mental_floss.

(*) Cerca de 90 por cento dos seres humanos são destros e 10 por cento são canhotos.

Slideshows do PG – Apresentação 335

O sistema de alerta de incêndios em Detroit

A economia e as finanças do governo de Detroit, Michigan, estão em terrível situação. O Corpo de Bombeiros da cidade, em particular, está se esforçando para lidar com as 11,000–12,000 queimadas anuais de Detroit – com pouco dinheiro.
Não existe por lá um sistema de alerta de incêndios centralizado e moderno. Mas os bombeiros têm encontrado novas formas de serem avisados sobre incêndios para que possam responder "rapidamente".
Um método comumente usado em postos de bombeiros da cidade é uma lata de refrigerante recheada com moedas e parafusos. Os bombeiros equilibram uma lata dessas próximo à bandeja de uma impressora do escritório do posto. Quando um alerta de fogo é enviado por fax, o papel bate na lata que cai fora da impressora fazendo barulho.
É o sinal: os bombeiros leem de onde veio a mensagem e saem para o atendimento da chamada.


A falência de Detroit
Da outrora orgulhosa Detroit, durante décadas a Capital Mundial do Automóvel, restou uma cidade quase fantasma. Com 78 mil imóveis vazios e depredados, inclusive muitos de seus arranha-céus, a quinta cidade mais populosa dos EUA em 1950, com 1,8 milhão de habitantes, desabou para a atual 18ª posição, com 700 mil habitantes.
Os serviços públicos estão à beira do colapso. Apenas um terço de suas ambulâncias públicas funciona. A taxa de homicídios (36 por 100 mil habitantes) é quase o dobro da taxa de homicídios da cidade do Rio de Janeiro. A polícia demora em média 58 minutos (11 minutos é a média nacional) para atender uma ocorrência. E o subfinanciado Departamento de Bombeiros da cidade recorre a improvisos – criativos, é verdade – para fazer o seu trabalho.
Diante de uma dívida impagável de 18,5 bilhões de dólares (em 2013), o governo de Michigan já requereu na justiça a falência de Detroit.

09 setembro, 2014

Trava-línguas

Dez trava-línguas para melhorar a pronúncia e se divertir por Gilberto Cruvinel
1º. O sabiá não sabia que o sábio sabia que o sabiá não sabia assobiar.
2º. Em um ninho de mafagafos havia sete mafagafinhos; quem amafagafar mais mafagafinhos, bom amafaganhador será.
3º. O tempo perguntou pro tempo quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu pro tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo o tempo tem.
4º. O rato roeu a roupa do rei de Roma. A rainha raivosa rasgou o resto.
5º. Três tigres tristes para três pratos de trigo. Três pratos de trigo para três tigres tristes.
6º. O peito do pé de Pedro é preto. Quem disser que o peito do pé de Pedro é preto tem o peito do pé mais preto do que o peito do pé de Pedro.
7º. O doce perguntou pro doce qual é o doce mais doce que o doce de batata-doce. O doce respondeu pro doce que o doce mais doce que o doce de batata-doce é o doce de doce de batata-doce.
8º. Cinco bicas, cinco pipas, cinco bombas. Tira da boca da bica, bota na boca da bomba.
9º. A aranha arranha a rã. A rã arranha a aranha. Nem a aranha arranha a rã. Nem a rã arranha a aranha.
10º. A vaca malhada foi molhada por outra vaca molhada e malhada.
+ trava-línguas
Debaixo da pia tem um pinto; quando a pia pinga, o pinto pia.
Quem a paca cara compra, paca cara pagará.
Se a liga me ligasse, eu também ligava a liga. Como a liga não me liga, eu também não ligo a liga.
Uma sucessão de sucessos que se sucedem sucessivamente sem cessar.

André o Gigante

O francês André René Roussimoff (1946 - 1993), mais conhecido pelo ring name de André o Gigante, foi lutador profissional (principal atividade), jogador de futebol americano e ator.
Altura: 2,24 m | Peso: 230 kg
Bebeu 127 cervejas no bar de um hotel, tendo ao final entrado em coma alcoólico. Como não conseguiam levantá-lo, tiveram de esperar que ele acordasse e que por si só saísse do chão. WIKIPÉDIA

Muhammad Ali e André o Gigante comparam o tamanho de suas mãos (1976)

BICHOS CRESCIDOS

08 setembro, 2014

A lógica do gato sujo

Em janeiro de 2003, o site Cocadaboa publicou um artigo intitulado A lógica do gato sujo.
Começava assim:
Vejo um gato se lambendo todo e logo o considero um animal idiota pelo fato de ele achar que está se limpando. Sinto pena por a natureza ter lhe dado um instinto que o instrui a ficar limpo por fora através do ato de jogar a sujeira para dentro do corpo. Ou será que o tal instinto diz que seu pelo vai ficar limpo se for molhado com uma substância que sai de dentro de seu organismo? Não importa. Nenhuma das duas lógicas felinas faz o menor sentido para nós humanos, que tomamos mil cuidados com nossa higiene ou com nossa saúde.
Mas,
(daí em diante o artigo trazia exemplos do cotidiano em que nós seguíamos a lógica do gato sujo).
O Cocadaboa aparentemente deixou de postar em 2008. Sua política de segurança e privacidade era bastante clara e concisa:
Nosso conteúdo é 100% humorístico e/ou mentiroso. Quer nos processar? Boa sorte, estamos hospedados na Eslovênia.
N. do E.
Cada vez que um gato se limpa ele está adorando o Senhor das Trevas. – Provérbio anglófono.


A lógica do gato (faminto)

Porque ontem foi domingo e me droguei muito
Gerivaldo Neiva (*)
(enviado pelo colaborador Fernando Gurgel)
"No mais, é muito provável que muitos policiais militares, que poderiam estar presentes em algum churrasco e provavelmente também de ressaca, resultado das cervejinhas do domingo, irão prender em flagrante jovens pobres, negros, periféricos e excluídos com pequenas porções de maconha ou crack, conduzindo-os a algum delegado, também de ressaca, que irá indiciá-lo, mais pela cor da pele e condição social, como traficante de drogas. Em seguida, algum representante do Ministério Público, também participante do churrasquinho do domingo, irá representar pela prisão preventiva com fundamento puro e simples na “garantia da ordem pública” e, por fim, seu destino será escrito indelevelmente como acusado por tráfico de drogas quando as mãos trêmulas e boca sedenta de algum juiz de direito lhe decretar a prisão preventiva e lhe esquecer na prisão.
Domingo que vem tem mais churrasco com os amigos, muita cerveja e ressaca na segunda-feira, mas também terá muita galera fumando maconha, cheirando cocaína e fumando pedras de crack. A diferença é que uns, por conta da droga usada, cor da pele e condição social, serão presos e condenados e outros, enquanto cidadãos respeitáveis, tomarão um engov ou epocler e assinarão mandados de prisão."
(*) Juiz de Direito (BA), membro da Associação Juízes para a Democracia (AJD), membro da Comissão de Direitos Humanos da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e Porta-Voz no Brasil do movimento Law Enforcement Against Prohibition (Leap-Brasil)
Link para a crônica completa.

O asteroide 2014 RC

"Os meteoritos são a maneira que o Universo tem de nos perguntar: 
Como vai o vosso programa espacial?" – Neil deGrasse Tyson, astrofísico

O asteroide 2014 RC foi detetado pela primeira vez em 31/08, por um observatório no Arizona, e confirmado no dia seguinte, em 01/09, por outro observatório no Havaí. Não decorreu uma semana entre a sua confirmação e a sua passagem pela órbita terrestre.
O asteroide tem só 20 metros de diâmetro, passou a 40 mil quilômetros da Terra (um décimo da distância que nos separa da Lua), mas vamos ser sinceros:

Não seríamos capazes de organizar nada.

Recriação artística do asteroide 2014 RC pela NASA

Ler em Yahoo España: El paso cercano de un asteroide este domingo evidencia nuestras carencias

07 setembro, 2014

Animais habilidosos - 2

Vem do Japão mais um testemunho da inteligência dos corvos. Eles aprenderam que as rodas dos carros são eficazes ferramentas para quebrar nozes.
Neste vídeo, um corvo pousa em um fio e lança uma noz no asfalto para que os veículos façam o trabalho duro por ele.
O tráfego está intenso. Com paciência, o corvo aguarda que o sinal fique verde para pedestres e, nesse instante, ele então poder ir até a noz que está pronta para ser comida.
Há evidências de que essas habilidades são transmitidas entre os indivíduos da espécie.



Animais habilidosos - 1 e Corvo

Um dia após o outro

CONSIDERANDO QUE ONTEM FOI O DIA DO SEXO...


Brava gente brasileira!
O Google presta neste dia 7 de setembro, uma homenagem à Independência do Brasil, com o doodle inspirado no tema e a busca redirecionada para assuntos relativos à data nacional.

06 setembro, 2014

Um feito questionado

Em 1505, Fernão de Magalhães navegou para o leste até a Malásia, onde adquiriu um escravo. De nome Enrique, esse escravo o acompanhou na circunavegação do globo para o oeste, que Magalhães deu início em 1519.
Quando a expedição de Fernão de Magalhães chegou às Filipinas, Enrique escapou e seu destino passou a ser ignorado.
Isso é intrigante: Se o escravo conseguiu, em seguida, viajar as centenas de quilômetros restantes para sua terra natal, foi ele a primeira pessoa na história a circunavegar a Terra.
N. do E.
Apenas uma das cinco caravelas da expedição, a Victória (gravura), chegou a completar a viagem. Havendo retornado ao ponto de partida (Sevilha) sem o navegante português, que morrera em combate nas Filipinas.

No bar errado

Duas claves de Fá entram num bar e...

05 setembro, 2014

Esculturas cinéticas

O artista holandês Theo Jansen cria esculturas articuladas que, movidas pelo vento, são capazes de caminhar sozinhas. Desde 1990, ele se dedica a desenvolver essas “novas formas de vida” – que é como o artista define seu trabalho.



Visite o site de Theo: STRANDBEEST

Citações operísticas

"Não quero saber em que língua a ópera será cantada - desde que seja em uma língua que eu não entenda." – Wilson Mizner
“Como a ópera seria maravilhosa se não fossem os cantores." — Gioacchino Rossini
"Nenhum bom enredo de ópera pode ser sensato porque as pessoas não cantam quando se sentem sensatas." — W.H. Auden
"As pessoas estão erradas quando dizem que a ópera não é mais o que costumava ser. Ela é o que costumava ser - e isto é o que tem de errado com ela!" — Noël Coward
"A vida é uma ópera, e uma grande ópera. Deus é o poeta; a música é de Satanás. O êxito é crescente. Poeta e músico recebem pontualmente os seus direitos autorais, que não são os mesmos." — Machado de Assis
"De todos os barulhos conhecidos pelo homem o da ópera é o mais caro." — Molière
"Não gostaram do tenor? Esperem pelo barítono."
"Se fosse possível imaginar Sua Majestade Satânica escrevendo uma ópera, Carmen seria o tipo de obra que se esperaria." – Georges Bizet
"Ópera é quando um sujeito recebe uma facada nas costas e, em vez de sangrar, canta." — Ed. Gardner ou Robert Burns (*)
(*) Abraham Lincoln tinha razão sobre o que acontece com as citações quando são publicadas na Internet.

04 setembro, 2014

O voto contra a desigualdade social

por Jorge Furtado, cineasta
Se alguém me dissesse, em 2004 – quando o primeiro governo Lula sofria a oposição feroz de toda a mídia brasileira e tinha pouco ou nada para mostrar de resultados – que em dez anos o segundo turno da eleição presidencial seria disputado entre duas ex-ministras do governo Lula, uma pelo Partido dos Trabalhadores e uma pelo Partido Socialista Brasileiro, eu diria ao meu suposto interlocutor que a sua fé na democracia era um comovente delírio. A provável ausência, pela primeira vez no segundo turno das eleições presidenciais, de candidatos da direita autêntica, do PSDB, do DEM e do PTB, é mais uma boa notícia que a democracia nos traz. Imagina-se que, vença quem vença, muitos dos derrotados voltarão correndo para os braços confortáveis do novo governo, esta é a má notícia.
Tenho familiares e bons amigos que vão votar na Marina e também no Aécio. Eu vou votar na Dilma. Acho que foi Tzvetan Todorov quem disse (mais ou menos assim) que a democracia nos reúne para que a gente resolva qual é a melhor maneira de nos separar. Não sou nem nunca fui filiado a qualquer partido, já votei em vários, tenho amigos em alguns. Neste que é o maior período democrático da nossa história (25 anos, sete eleições consecutivas), o Brasil não parou de melhorar e não há nada que indique que vá parar de melhorar agora.
Votei no Lula, desde sempre até ajudar a elegê-lo em 2002, com o palpite de que um governo popular, o primeiro em 502 anos, talvez pudesse enfrentar com mais vigor o grande problema brasileiro: a desigualdade social. Achei que, talvez, substituindo a ideia de que o bolo deve primeiro crescer para depois ser divido pela ideia de incentivar o crescimento do país com melhor distribuição de farinha, ovos, manteiga, fogões, casas com luz elétrica, empregos e vagas nas escolas e nas universidades, finalmente poderíamos começar a nos livrar da nossa cruel e petrificada divisão entre a casa grande e a senzala. Meu palpite estava certo. A desigualdade brasileira continua grande e cruel mas está, finalmente, diminuindo.
Voto, ainda, primeiro contra a desigualdade social, ainda o maior problema do país, um dos mais injustos do planeta, em poucos lugares há uma diferença tão grande entre pobres e ricos. A elite brasileira (sim, ela existe, esta aí), fundada e perpetuada no escravismo, luta para manter seus privilégios a qualquer custo. Eles são donos dos bancos, das grandes construtoras, fábricas e empresas, das tevês, rádios, jornais e portais da internet e defendem ferozmente sua agradável posição. A única maneira de enfrentar seu enorme poder é no voto.
Voto contra o poder crescente do capital sobre as políticas públicas. Quem vive de rendas pensa sempre mais no centro da meta da inflação e menos nos níveis de emprego, mais na taxa dos juros e menos no poder aquisitivo dos salários. O poder do capital especulativo, rentista, é gigante, mora na casa dos bilhões de dólares. Voto contra, muito contra, a autonomia do Banco Central, que tira do governante, eleito pelo nosso voto, o poder de guiar o desenvolvimento segundo critérios sociais, protegendo o país do ataque de especuladores e garantindo renda e empregos, e entrega este poder ao tal mercado, hereditário e eleito por si mesmo, sempre predador e zeloso em garantir a sua parte antes de lamentar os danos sociais causados por seus lucros. (Ver Espanha, Grécia, EUA, Finlândia etc.)
Voto contra submeter os critérios de uso dos nossos recursos naturais não renováveis, como o petróleo, ao interesse de grandes empresas estrangeiras. O petróleo brasileiro e seu destino é o grande assunto não mencionado nas campanhas eleitorais. Os ataques contra a Petrobras, que acontecem invariavelmente às vésperas de cada eleição, atendem interesses das grandes empresas petroleiras, especialmente as americanas, que querem a volta do velho e bom sistema de concessões na exploração dos campos de petróleo, sistema que, na opinião delas, deveria ser extensivo às reservas do pré-sal. Aqui o interesse chega na casa do trilhão. Garantir que o uso da riqueza proveniente da exploração de nossos recursos não-renováveis tenha critérios sociais, definidos por governantes eleitos, me parece uma ideia excelente da qual o país não deveria abrir mão.
Voto contra o poder crescente das religiões sobre a vida civil. Respeito inteiramente a fé e a religião de cada um, gosto de muitos aspectos de várias religiões, sei do importante trabalho social de várias igrejas, mas não aceito o uso de argumentos ou critérios religiosos na administração pública. Mesmo para os que professam alguma fé religiosa a divisão entre os poderes da terra e do céu deveria ser clara. Diz a Bíblia, em Eclesiástico, XV, 14: “Deus criou o homem e o entregou ao poder de sua própria decisão”. (Esta é a versão grega, a versão latina fala em “de sua própria inclinação” ou “ao seu próprio juízo”.) Erasmo faz uma boa síntese desta ideia: “Deus criou o livre-arbítrio”. Ele, se nos criou a sua imagem e semelhança e criou também as árvores, haveria de imaginar que, criadores como ele, criaríamos o serrote, e com ele cadeiras, mesas e casas, e ainda, Deus queira!, a ciência que nos permita usar com sabedoria os recursos naturais e viver bem, com saúde. O poder crescente das igrejas, com suas tevês e bancadas no congresso, deve ser contido por um estado laico. [...]
Prossiga lendo este artigo no Portal Fórum

Sobre as medusas

1. Composição
São constituídas principalmente de água, como todos os animais, a qual representa nas medusas (águas-vivas) mais de 95 por cento do corpo. Criaturas delicadas e facilmente danificáveis, elas morrem em pouco tempo quando estão fora da água.
2. Estrutura corporal
As medusas não têm os lados direito e esquerdo do corpo. Elas têm a parte superior, a do sino ou campânula, e a parte inferior, onde estão os tentáculos.
3. Camadas
O corpo das medusas apresenta três camadas. A camada externa denominada epiderme, a camada interna chamada gastroderme e, entre elas, a mesogleia.
4. Movimento
As medusas não têm barbatanas como os peixes. Eles se movem através de jatos. Enchem de água o sino muscular e, em seguida, liberam-na para obter a propulsão. Ficam também à deriva nas correntes marítimas.
5. Circulação
As medusas são desprovidas de sangue.
6. Cérebro
As medusas não têm cérebro. (*) Elas também não dispõem de uma rede sensorial no corpo. Têm manchas oculares que diferenciam a luz da escuridão e têm quimiossensores que identificam as presas.
7. Nematocistos
Possuem milhares de nematocistos com os quais injetam toxinas no corpo de suas vítimas, imobilizando-as. A vespa do mar, uma das espécies, é extremamente venenosa.
8. Digestão
Possuem apenas uma abertura para o processo da digestão. Localizada no lado externo da campânula, a boca também é usada para a excreção.
9. Filo
Pertencem ao filo Cnidaria, juntamente com anêmonas do mar, corais e hidras.
10. Espécies
Distribuem-se em duzentas espécies de medusas verdadeiras. Apenas uma, não-verdadeira e da classe Hydrozoa, vive em águas doces.


(*) Não têm cérebro e sobrevivem há 650 milhões de anos. É uma boa notícia para os estúpidos.

Animais mortíferos, Acidentes acontecem, Jelly JeffRumo à imortalidade

03 setembro, 2014

Nuvem tecnológica


O vaporizador de Ji Won Jun (Data Vaporizer) é um desses equipamentos indispensáveis à modernidade.
É uma espécie de mochila que produz névoa a partir de sua carga de água e gelo seco. Esse equipamento pode ser acionado manual ou automaticamente.
Tem a função de ocultar o usuário (e proteger seus dados) sempre que o seu espaço pessoal esteja sob a ameaça de ser invadido.

Como era antigamente


Slideshows do PG - Apresentação 334